gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Cimeira US+UK+ES
Contribuído por scorpio em 16-03-03 15:07
do departamento e-não-só
Portugal Esta cimeira a três entre Bush, Blair e Aznar (com o nosso "My Friend Hose" como anfitrião) está nas bocas do mundo, e para variar realiza-se em Portugal. Confesso que há muito da política internacional que me tem passado ao lado nos últimos tempos (trabalho obriga...), mas estou particularmente interessado no que Portugal poderá tirar não desta cimeira (até porque não participa como membro activo), mas da situação actual, em que estamos na eminência de uma guerra.

Não seria altura de actualizar a "renda" das Lajes? Será que Portugal, ainda que não participando na eventual guerra (não vão ser os nossos F-16 a fazer a diferença), pode tirar benefícios desta colagem ao bloco US+UK+ES, pelo simples facto de ter uma posição privilegiada de entrada dos Americanos na Europa?

Update: Link para a cnn.com.

Retenção de Dados chega a Portugal | Doação de material velho  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • CNN
  • cnn.com
  • Mais acerca Portugal
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Já que estamos em mercantilismos... (Pontos:2, Esclarecedor)
    por biduxe em 16-03-03 15:58 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Ao menos que se venda a um bom preço a nossa colaboração (que bem que assenta este termo à política do nosso governo), como fazem os turcos.

    Infelizmente acho que isto só vai servir para o nosso 1º mordomo nacional pôr-se em bicos de pés para servir o café aos três outros.

    O Durão Barroso já percebeu que no fim da legislatura ele estará queimado para a vida política portuguesa e se calhar procura gora fazer-se um nome nas esferas internacionais para se candidatar a um tacho qualquer, talvez na NATO ou ou que quer que seja que venha substituir a ONU.

    Estou mesmo a ver o emBushteiro a fazer uma declaração de guerra ao Iraque com o brasão de Portugal na sala de imprensa...

    Só espero que os terroristas não estejam muito atentos. Se estiverem o nosso MNE vai ter razão:
    Nunca precisamos dos EUA para nos defender, mas se calhar vamos passar a precisar. Parabéns senhor ministro pela lúcida antevisão.
    ------ EOFim.
    Re:Já que estamos em mercantilismos... (Pontos:1, Engraçado)
    por CrLf em 16-03-03 16:03 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    (...)para se candidatar a um tacho qualquer, talvez na NATO(...)

    Ouvi dizer que eles estão a precisar de alguém para lavar latrinas.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Já que estamos em mercantilismos... (Pontos:1, Esclarecedor)
    por CrLf em 16-03-03 17:09 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Não sejas anjinho...

    -- Carlos Rodrigues
    Terroristas iraquianos??? (Pontos:2, Esclarecedor)
    por biduxe em 16-03-03 17:13 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Onde?
    Tens notícias em primeira mão?

    Só se chamares terrorismo ao que fazem as autoridades iraquianas ao seu próprio povo, aí já não digo nada, mas era isso que querias referir?
    ------ EOFim.
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:3, Interessante)
    por biduxe em 16-03-03 22:03 GMT (#72)
    (Utilizador Info)
    Claro que é reprovável, aliás
  • são reprováveis os atentados suicidas,

  • são reprováveis os apoios do Saddam Hussein aos suicidas palestinos.


  • Para quem não sabe, Saddam Hussein patrocina os atentados suicidas em Israel dando um subsídio que eu qualificaria de avultado às famílias dos suicidas.

    Mas continuando com o que é reprovável,

  • São reprováveis as retaliações feitas pelas autoridades de Israël, a política oficial de Israël é por exemplo destruir as habitações das famílias dos atentados suicidas. É tanto mais reprovável, porque além de castigar inocentes, até dá uma "certa legitimidade" aos subsídios anteriormente mencionados e não menos reprováveis de Saddam

  • Muito mais reprováveis são as condições de fanatização, de ignorância, e principalmente de desespero, que levam seres humanos a cometerem atentados suicidas


  • Obrigado por me lembrar essa situação, agora como tu próprio escreves, são terroristas que lutam por uma causa, oq ue mostra que também tu admites que esxistem vários níveis de terrorismo.

    Vou dizer uma coisa completamente politicamente incorrecta, especialmente nos tempos que correm:

    O terrorismo é uma forma de luta, que por atacar vítimas inocentes, e alargar o espectro de alvos potenciais para além dos inimigos do campo de batalha é considerada indigna. é considerado indigna, dependendo das proporções. O facto de atacar inocentes é terrorismo se esses cirimes forem cometidos pelo mais fraco. Se forem cometidos pelos mais fortes, é chamado guerra total.

    Já agora, o termo terrorismo é variadamente utilizado contra movimentos armados que nada têm de terroristas. As falinitil em Timor eram terroristas por exemplo.
    Por outro lado, movimentos de boa memória eram na verdade terroristas. (como definem as acções de Viriato?

    O terrorismo está principalmente ligado ao uso do factor medo, contra o inimigo, escolhendo como potencial alvo toda a população (e portanto opinião pública) do inimigo e não apenas tropas.

    E quais acham que são as armas que mais se aplicam ao terrorismo? São as armas que matam indiscriminadamente, sem escolher as vítimas e passo a listar:

    - Armas nucleares e outras convencionais mas de forte potência.
    - Agentes químicos e bacteriológicos.
    - Minas pessoais. (faltam as assinaturas dos estados unidos E do iraque no tratado de Ottawa de erradicação destas armas cobardes)

    Todas estas armas têm os pontos comuns de além de terroristas serem de difícel controle, mesmo por parte de quem as usa, portanto estas armas deviam ser erradicadas, e não só dos arsenais do Iraque, mas também de qualquer país.
    ------ EOFim.
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 22:09 GMT (#76)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    O terrorismo é uma forma de luta, que por atacar vítimas inocentes, e alargar o espectro de alvos potenciais para além dos inimigos do campo de batalha é considerada indigna. é considerado indigna, dependendo das proporções. O facto de atacar inocentes é terrorismo se esses cirimes forem cometidos pelo mais fraco. Se forem cometidos pelos mais fortes, é chamado guerra total.

    Mas há uma diferença fundamental meu amigo: os "mais fortes" atacam alvos especificos e vão fardados (ie identificados). Os terroristas atacam alvos civis e vão disfarçados e incognitos. É isso que é *indigno*.

    Os israelistas até poderão ser uns filhos da puta. Mas o que eu gostava de ver (e então de apoiar), era os palestinianos, fardados, a atacarem quarteis israelistas. Chama-se a isso *dignidade*.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 22:20 GMT (#80)
    (Utilizador Info)

    Vão fardados? Olha que nem sempre como no caso dos GAL em Espanha.
    Indigno é o que eles fazem o resto (ter ou não farda) é guerra.
    Se os palestenianos fizessem isso não éram dignos éram estupidos. Dignos éra se eles atacassem esclusivamente alvos militares como as forças de auto-defesa de Israel e edificios e entidades do estádo israelita.


    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 22:25 GMT (#82)
    (Utilizador Info)
    vão fardados (ie identificados).

    Apenas porque são mais fortes

    Mas o que eu gostava de ver (e então de apoiar), era os palestinianos, fardados, a atacarem quarteis israelistas. Chama-se a isso *dignidade*.

    É isso mesmo resolvia-se de vez o problema da palestina. Os palestinos iam todos fardados contra os quartéis israelitas, eram chacinados e eliminados por serem mais fracos, e o mundo fica a aplaudir a dignidade dos palestinos

    nas gerações seguintes, podíamos ensinar às crianças como os palestinos foram dignos, assim comos os Incas por exemplo. Para os palestinos é que se calhar não servia de muito. Mas tu lá te importas com isso? Ficavas a ver as imagens na CNN com as pipocas e aplaudias.

    Alha que muitos actos terroristas são praticados com farda, e nem por isso deixam de ser terroristas.
    ------ EOFim.
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:3, Esclarecedor)
    por mvalente em 16-03-03 23:06 GMT (#96)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    É isso mesmo resolvia-se de vez o problema da palestina. Os palestinos iam todos fardados contra os quartéis israelitas, eram chacinados e eliminados por serem mais fracos, e o mundo fica a aplaudir a dignidade dos palestinos

    Olhe que não, olhe que não...

    As Falintil (de quem já alguem falou) tiveram a dignidade de combaterem sempre fardados e por isso nunca foram chamados de terroristas. E levaram a sua guerra a bom porto. O mesmo se pode dizer da Unita... excepto que não sairam vitoriosos.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:1)
    por caxica em 17-03-03 11:13 GMT (#144)
    (Utilizador Info)
    Tmbm devias de acrescentar que a UNITA foi considerada como organizacao terrorista, pelo governo angolano apoiado por membros da comunidade internacional. A farda nao faz grande diferenca.
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por chbm em 17-03-03 12:12 GMT (#151)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    Acho que a razão por que *nós* nunca lhe chamamos terroristas foi não usarem bombas.
    Por outro lado os indonésios e os EUA sempre lhes chamaram terroristas comunistas perigosos, a la FARC.
    "Depende"
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por js em 17-03-03 19:18 GMT (#172)
    (Utilizador Info)

    Pois sim, a farda e a dignidade.

    A farda é uma conveniência militar que serve para *nós* sabermos quem são os nossos, e não para fazermos a estupidez de nos declararmos ao nosso inimigo. Quando a conveniência da identificação dos camaradas desaparece, *toda a gente* larga a farda para disfarçar as suas intenções. O que para uns são operações especiais, para outros são actos terroristas.

    A dignidade é uma coisa identificada por quem conta a História e acaba por fazer parte da História. Mas, por um lado, a História recente não é escrita por gente imparcial, e por outro a História antiga não é escrita pelos vencidos, portanto está-se vendo quem é que, no fim do dia, é considerado "digno" -- e qual a relevância dessa etiqueta.

    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por chbm em 17-03-03 12:03 GMT (#150)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    > Mas o que eu gostava de ver (e então de apoiar), era os palestinianos, fardados, a atacarem quarteis israelistas.

    É dificil quando assim que eles põe umas fardazitas de polícia vai lá alguém com uns Apache e despacha-os a toque de Hellfire.
    É dificíl ter dignidade quando não há "aquilo com que se compram os melões".
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:1)
    por HiTek DeVil em 17-03-03 13:23 GMT (#156)
    (Utilizador Info)
    Sim, tens razão, vão fardados, e de avião, só para relembrar o "erro" americano ao bombardear um local onde estava a decorrer um casamento, no Afeganistão, matando dezenas e dezenas de pessoas. Ou os infelizes erros durante a guerra do golfo, em que bombardearam hospitais, e depois diziam que tinham provas que lá havia armas de destruição massiça (já nem falo nos outros alvos cheios de civis, que bombardearam, e dizia que eram pontos estrategicos, e que diziam que o Saddam tinha posto lá os civis como escudo, que eram danos colaterais, temos pena, mas é guerra....), ou mais recentemente, no afeganistão, durante "guerra", lembraram-se de destruir as instalações da ONU, ops, mais um erro, sim, porque eles nem sabiam que aquilo estava lá, sabiam lá agora.....

    HiTek DeVil
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:3, Informativo)
    por grumbler em 17-03-03 13:34 GMT (#158)
    (Utilizador Info)
    As definições de terrorismo actualmente aceites em nada se referem á utilização ou não de uniformes. Por exemplo a definição encontrada no código penal dos EUA define o seguinte como terrorismo:
    -The term "terrorism" means premeditated, politically motivated violence perpetrated against noncombatant targets by subnational groups or clandestine agents, usually intended to influence an audience.
    -The term "international terrorism" means terrorism involving the territory or the citizens of more than one country.
    -The term "terrorist group" means any group that practices, or has significant subgroups that practice, international terrorism.

    Já na União Europeia, encontra-se actualmente em discussão a definição de terrorismo, sendo que a proposta em discussão já foi contestada por ser demasiado abrangente e poder vir a ser limitadora de "direitos democráticos fundamentais

    É certo que estas definições não enquadram o chamado "terrorismo de estado", mas mesmo assim, e á luz das mesmas, muitas acções tomadas por israelitas poderiam ser consideradas acções terroristas.

    --
    What, Me Worry?

    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 22:16 GMT (#78)
    (Utilizador Info)

    É de facto politicamente incorrecto. Não sou contra grupos de guerrilha "tradicional" e contra grupos de guerrilha urbana (como éra o IRA antes da indepêndencia da República da Irlanda), que lutem por causas justas, mas nunca acharei aceitável o terrorismo, porque o terrorismo so gera mais terrorismo, nem que seja de estádo, como acontece no caso de Israel.


    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 22:28 GMT (#84)
    (Utilizador Info)
    Também eu não aceito o terrorismo, mas muitos actos de guerra ou guerrilha "tradicional" têm uma vertente terrorista, muitas vezes a diferença situa-se apenas nos termos, e termos... Cada um escolhe os seus.
    ------ EOFim.
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 23:03 GMT (#92)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Cada um escolhe os seus.

    Ora cá está... quando em falta de argumentos, nada como sacar da "relatividade das coisas" e da "subjectividade das opinioes". Tipico.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 23:20 GMT (#100)
    (Utilizador Info)
    Se quiseres discutir diléctica e retórica, estás à vontade, mas os vários comentários que fazes a insistir que os outros usam de dialéctica e retórica já cansam.

    É só contar as vezes que usaste expressões do tipo:
    "essa frase/opinião/atitude/retórica é característica/típica/sistemática de colectivistas/comunistas/terroristas como tu?"

    E se discutissemos antes opiniões e nãodialécticas?
    ------ EOFim.
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:1, Despropositado)
    por mvalente em 17-03-03 1:36 GMT (#116)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    E se discutissemos antes opiniões e nãodialécticas?

    Opinioes são como o olho do cu: cada um tem o seu.

    Discutamos antes factos objectivos e centremo-nos na questao. "Relatividades", "opinioes" e "fugas para metatemas ou temas laterais" é que não vale a pena discutir.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por CrLf em 17-03-03 2:30 GMT (#130)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Opinioes são como o olho do cu: cada um tem o seu.

    Ora cá está um comentário relativista e lateral que não vale a pena discutir.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:1)
    por HiTek DeVil em 17-03-03 13:30 GMT (#157)
    (Utilizador Info)
    Queres factos? Os EUA não reconhece o TPI como legitimo, com medo de represálias aos actos dos seus soldados, e disseram que só aceitavam se dessem amnistia aos seus soldados e agentes... Acho que chega de factos, porque este diz tudo...

    HiTek DeVil
    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por grumpy bulgarian em 17-03-03 13:48 GMT (#161)
    (Utilizador Info) http://10.10.11.2
    Opinioes são como o olho do cu: cada um tem o seu. eu atrevo-me a acrescentar que é sempre o dos outros que cheira mal.


    Grumpy B)

    Re:Terroristas iraquianos??? (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 22:07 GMT (#75)
    (Utilizador Info)
    só mais uma achega,
    não podes chamar terroristas iraquianos aos bombistas suicidas palestinos, mesmo que sejam patrocinados pelo Saddam.
    Se achas que os podes chamar iraquianos, também há por aí espelhadados milhares de terroristas americanos.
    ------ EOFim.
    Re:Já que estamos em mercantilismos... (Pontos:2)
    por blind em 17-03-03 2:37 GMT (#131)
    (Utilizador Info)
    ya ...
    deixa de haver terroristas iraquianos, mas e os outros??

    por acaso okahoma(ou la como se escreve) foi obra dos iraquianos ??
    Não te preocupa a Coreia do Norte que TEM REALMENTE ARMAS DE DESTRUIÇÃO (nukes)
    como já disseram, AC não sejas anjinho...

    a solução para não ser anjinho é utilizar os neuronimos e colocar ocúlos de mergulho para prevenir a areia que nos atiram para a vista :)
    Re:Já que estamos em mercantilismos... (Pontos:2)
    por Branc0 em 17-03-03 11:11 GMT (#143)
    (Utilizador Info) http://www.syners.org
    Mas a Coreia do Norte é uma democracia, por isso não há problema... não é?


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:Já que estamos em mercantilismos... (Pontos:1)
    por HiTek DeVil em 17-03-03 13:16 GMT (#155)
    (Utilizador Info)
    "Só espero que os terroristas não estejam muito atentos." -> hummm... com sorte pensam que Portugal é uma província de Espanha: lembram-se de Jacques Cousteu? sim sim, o famoso senhor, muito viajado, nos seus esplendorosos barcos, a dar lições sobre o mar e os seus habitantes, um estudioso tão (ou tão pouco) inteligente, que depois de passar tantas vezes ao largo de Portugal, acaba por dar uma entrevista quase no final da sua vida, a afirmar que a costa maritima de Portugal, provincia de Espanha, era rica em sei lá o quê... Com sorte os terroristas pensam o mesmo :)

    Fora brincadeiras, o senhor Durão Barroso, como disseste atrás, o nosso 1º Mordomo, que mais faz lembrar aqueles mordomos indianos da epoca colonial inglesa, com o "yes master", "no master", e a sair da sala de joelhos, às arrecuas sempre que o mestre o dispensa da sala, faz-me lembrar o nosso 1º... Numa altura em que a Europa devia manter-se unida, o Aznar já se esperava, o Blair também (Jorge Michael retrata-o bem no video clip), agora, o Durão Barroso ao tomar esta posição, não só poem em causa da ONU, como poem em causa a Europa...

     
    HiTek DeVil
    Guerra desnecessária (Pontos:1)
    por srl em 19-03-03 15:03 GMT (#187)
    (Utilizador Info)
    O que eu tenho a dizer é que esta guerra é desnecessária.
    Eu prevejo que esta guerra seja de muito maiores proporções que a do Golfo, e que venha aí uma grande miséria para os europeus.
    O papa manda-nos passar jejum pela paz. Eu acho que quem devia passar jejum eram os americanos e os iraquianos, uma vez que são eles que a querem.
    Se fosse feita uma sondagem aos portugueses sobre a participação de Portugal na guerra a maioria das respostas seria NÃO, pois Portugal vai para sempre ficar como alvo a atingir pelos terroristas. Quem teve quilhões no meio disto tudo foram a França, a Rússsia e a Alemanha, pois vê-se bem que eles não pensam que os iraquianos não são uns «coitadinhos».
    A minha previsão é que a 3ª guerra mundial vai vir no máximo dos máximos em 2007, se isto não for impedido. Os iraquianos vão suportar passar fome muito melhor que nós, pois já estão habituados. Os americanos, devido à sua atitude arrogante e de espírito do monopólio do mundo pensam que podem fazer o que quiserem fora do terreno deles. Também para eles, perder uns milhões valentes não importa, pois estão numa terra onde há muito dinheiro e o resto do mundo que se foda, a começar pelos países do 3º Mundo.
    Também venho dizer que discordo que a sede da ONU seja nos EUA, pois isso dá o poder absoluto a um povo, pois eles já têm o poder económico e militar, também tinha que ir para lá o poder das decisões internacionais, dado a um povo extremamente egocêntrico e desrepeitador das outras culturas (que é que desrespeita mais a diversidade cultural do mundo que a tabela ASCII, que a única língua verdadeiramente bem suportada é a língua falada pelos americanos?).
    Sérgio
    Bah! (Pontos:3, Interessante)
    por CrLf em 16-03-03 16:01 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Portugal não tem moral para pedir a actualização da renda das Lages pelo simples facto de que passa a vida a dobrar a espinha face ao "amigo" americano. Portugal como membro da União Europeia devia ver onde realmente estão os seus aliados e não se associar a interesses duvidosos de aliados que só são aliados quando isso serve os seus próprios interesses.

    É deprimente ver o Primeiro Ministro português a servir de serviçal nesta cimeira.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Bah! (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 17:54 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Tao deprimente como ver o Bernardino Soares a fazer papel de sabujo do Kim Jong Il e desse paraiso que é a Coreia do Norte.

    Quanto ao ter ou não moral para pedir uma actualização da renda (curiosa esta sugestão vinda de "anti mercantilistas"): Portugal terá tanta moral para pedir isso como os paises que reclamam contra a pena de morte nos EUA mas que estão de bico calado quanto à existencia da mesma pena de morte na Coreia do Norte ou em Cuba.

    Bah!

    Hmmm... onde é que eu já vi isto ? Se calhar perto de uns LOLs cobardolas... oh well..

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Bah! (Pontos:0, Informativo)
    por Anonimo Cobarde em 16-03-03 18:12 GMT (#10)
    Tao deprimente como ver o Bernardino Soares a fazer papel de sabujo do Kim Jong Il e desse paraiso que é a Coreia do Norte.

    Atencao 'a memoria e nao esquecer que o nosso primeiro, hoje grande paladino da democracia, estudou politica no mesmo livrinho vermelho que o sabujo do Kim Jong Il.
    Esse comentario pode ser atirado tambem a pessoas 'as quais 'a partida nao se querereria atingir.

    Portugal terá tanta moral para pedir isso como os paises que reclamam contra a pena de morte nos EUA mas que estão de bico calado quanto à existencia da mesma pena de morte na Coreia do Norte ou em Cuba.

    Mais uma vez atencao, e assinalar que ate' agora nem a Coreia do Norte nem Cuba se auto-intitularam paraisos da democracia na Terra.
    De ditaturas nao se pode esperar outra coisa, mas de auto-proclamadas democracias e' de esperar muito mais.
    Re:Bah! (Pontos:1)
    por GotTLoS em 16-03-03 19:33 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    Pois mas a Coreia do Sul faz parte do eixo do mal e os states do eixo do bem!! sao pequenas as diferencas!


    Re:Bah! (Pontos:2)
    por mazevedo em 16-03-03 20:55 GMT (#57)
    (Utilizador Info) http://mazevedo.welcome.to
    Atenção: COREIA DO NORTE e não COREIA DO SUL
    ----
    //\anuel /|zevedo
    Re:Bah! (Pontos:1)
    por GotTLoS em 16-03-03 21:47 GMT (#67)
    (Utilizador Info)
    ooops obrigado pela correcao.
    Re:Bah! (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 19:37 GMT (#21)
    (Utilizador Info)
    " Tao deprimente como ver o Bernardino Soares a fazer papel de sabujo do Kim Jong Il e desse paraiso que é a Coreia do Norte."

    Não, é mais deprimente, pois Durão Barroso tem responsabilidades políticas que Bernardino Soares não tem...

    PS: ao atacar o Bernardino Soares, não estás a atacar quem está contra a guerra, contrariamente ao que pensas, nas manifestações contra a guerra vi muita boa gente que votou no PSD
    toc toc toc Acorda!
    ------ EOFim.
    Re:Bah! (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:03 GMT (#35)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Durão Barroso tem responsabilidades políticas que Bernardino Soares não tem...

    Pois, a gente sabe. É por isso que se deixa passar as barbaridades que o puto disse... de facto um deputadozeco de terceira pode-se dar um luxo de dizer as tolices que quiser, coisa que um 1o ministro não pode fazer.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Bah! (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 20:25 GMT (#48)
    (Utilizador Info)
    É por isso que se deixa passar as barbaridades que o puto disse...

    Deixou-se passar?
    Quem deixou passar?
    Tu?... Não.
    Eu também não, fica descansado.

    Agora, espero que o Durão Barroso, não ache que se o Bernardino pode dizer tolices, ele também, especialmente, porque ele, sim, é chefe de governo.
    ------ EOFim.
    Re:Bah! (Pontos:3, Esclarecedor)
    por mvalente em 17-03-03 1:39 GMT (#117)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Para nós a democracia política tem um valor intrínseco,

    ... por exemplo, quando temos camaradas que têm uma opinião diferente dos adorados lideres pomo-los fora da lista de candidatos, ferramos-lhe com um processo disciplinar e demitimos os gajos. E quando vamos ao funeral deles, esquecemo-nos de cumprimentar as familias.

    Ah! "ganda" democracia intrinseca, carago!

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Bah! (Pontos:1)
    por HiTek DeVil em 17-03-03 13:39 GMT (#160)
    (Utilizador Info)
    Pois, mas o que deixaste transparecer com aquele comentário é que com os erros de uns, pode-se desculpar os erros de outros :)

    HiTek DeVil
    Re:Bah! (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 23:05 GMT (#95)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Hmmm... onde é que eu já vi isto ? Se calhar perto de uns LOLs cobardolas... oh well..

    Uh?!

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Bah! (Pontos:2)
    por chbm em 17-03-03 12:15 GMT (#152)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    > Portugal terá tanta moral para pedir isso como os paises que reclamam contra a pena de morte nos EUA mas que estão de bico calado quanto à existencia da mesma pena de morte na Coreia do Norte ou em Cuba.

    Quando a Coreia do Norte e Cuba se assumirem como os grandes salvadores da Civilização Ocidental e desatarem a tentar comandar a NATO, a gente fala.
    Re:Bah! (Pontos:1)
    por HiTek DeVil em 17-03-03 13:37 GMT (#159)
    (Utilizador Info)
    "Ei ei, mãe, olha-me aquele espécime, um anti-comunista ultra-niilista, narcisista, a dar para o fascista... afinal este museu tem de tudo"... A caça às bruxas acabou à muito.... E não, não sou comunista, e acho que a maioria são de uma hipócrisia tal que me enoja, mas não chego ao ponto de os descriminar, ou de chamar a todos (ou de dar a entender no que digo/escrevo) os que teem opiniões próprias de comunas... Cada qual é como é, e se todos gostassem de amarelo, estavamos bem tramados: tu tens direito à tua opinião, e o teu direito acaba onde o do próximo começa, a partir do momento que achas que está acima de tudo e todos, e achas que tens mais direito a ter uma opinião do que os restantes, passas a ser mais hipócrita que muitos dos comunas que criticas, mas isso é só a minha opinião, e vale tanto como qualquer outra...


    HiTek DeVil
    Contrapartidas recebidas por Portugal (Pontos:1, Engraçado)
    por Anonimo Cobarde em 16-03-03 16:04 GMT (#4)
    As principais contrapartidas recebidas por Portugal pela "hospedagem" desta cimeira, assim como do apoio do governo aos EUA na questao em causa, deverao ser principalmente notadas aquando das reunioes da UE para distribuicao de quotas agricolas, pesqueiras, fundos comunitarios e afins.
    Nao nos devemos esquecer quais sao os paises da UE que maior influencia tem nessas decisoes, devido a serem os principais financiadores, nem do apoio habitual dados pelo RU e Espanha a Portugal.
    Portanto poderemos estar seguros que quando houver necessidade, os 3 paises estarao a dar todo o apoio que Portugal necessitar.

    Ironico Cobarde
    Re:Contrapartidas recebidas por Portugal (Pontos:1, Esclarecedor)
    por CrLf em 16-03-03 17:11 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    (...)nem do apoio habitual dados pelo RU e Espanha a Portugal(...)

    Para que ninguém fique com dúvidas... nenhum.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Contrapartidas recebidas por Portugal (Pontos:2)
    por Xmal em 17-03-03 17:38 GMT (#167)
    (Utilizador Info) http://gsd.di.uminho.pt/cbm
    Nao nos devemos esquecer quais sao os paises da UE que maior influencia tem nessas decisoes, devido a serem os principais financiadores, nem do apoio habitual dados pelo RU e Espanha a Portugal. Portanto poderemos estar seguros que quando houver necessidade, os 3 paises estarao a dar todo o apoio que Portugal necessitar.

    Devemos portanto daqui concluir que Portugal devia ter tido apenas em conta os seus interesses financeiros mais imediatos, ou seja a não hostilização dos parceiros fianciadores da UE.

    É verdade, esse é um dos principios da real politic.

    Se calhar é por a França e Russia seguirem esse principio que vão vetar uma evolução que iria por em causa os seu acesso ao petrólio Iraquiano.

    Se calhar é por os EUA seguirem esse principio que vão conduzir acções que lhes vão dar acesso ao petrólio Iraquiano.

    Em política internacional não há inocentes, cada um faz o que pode para defender os seus interesses (principalmente nas ditaduras) ou os interesses dos seus eleitores (principalmente nas democracias).

    Resta descobrir, e não é nada óbvio, qual a acção que melhor defende os interesses dos Portugueses.

    Re:Contrapartidas recebidas por Portugal (Pontos:1)
    por vianaman em 18-03-03 15:40 GMT (#182)
    (Utilizador Info)
    "Nao nos devemos esquecer quais sao os paises da UE que maior influencia"
    Exatamente: a França e a Alemanha.

    Is this, the meaning of life?... Ah!...It's Lear again...
    Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:2, Interessante)
    por racme em 16-03-03 18:13 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://rmitz.org/freebsd.daemon.html
    Nem que seja para meter portugal no mapa,
    ...mas temo que esta cimeira traga mais prejuizos que vantagens.

    1-Este apoio Unilateral aos estados Unidos, coloca Portugal como alvo de um possivel ataque terrorista em um futuro Proximo.
    2-Da uma imagem negativa de Portugal aos restantes paises da Uniao Europeia. Bem podem dizer que a Espanha e a Italia estao no mesmo pe'. Mas por esses respondem os governos dos mesmos, que a mim nao me preocupa nada pois quer pela dimensao quer pelo poder argumentativo dos seus dirigentes "levam o peixe a seu bom porto".
    Quanto a nos, ja tal nao acontece, a nossa posicao na Europa e' fraca, e so' gostava ver este poder de intervencao em questoes que nos dizem a nos, portugueses, directamente respeito.

    ja agora aqui fica o cuidado na cnn no artigo em cima citado :D

    Joining Bush, Blair and Aznar on Terciera Island in the Azores -- a Portuguese island chain in the Atlantic Ocean off the coast of Africa -- will be Portuguese Prime Minister Jose Manuel Durao Barroso, who has supported the Anglo-American approach to Iraqi disarmament. (More on the Azores)

    nao obstante os erros ortograficos de Terciera e as omissoes de acentos em Durão José etc(porventura eu tb os omito, mas tratando-se d'O SITE de INFORMACAO, o caso e' mais grave), fico a saber que os Azores sao um arquipelago do Continente Africano ;)


    Make World; Not War;
    Re:Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:0, Esclarecedor)
    por Anonimo Cobarde em 16-03-03 18:36 GMT (#12)
    Em lado nenhum diz que os Açores sao um arquipelago do "Continente Africano", como tu lhe chamas. Diz, simplesmente, que os Açores sao um arquipelago portugues, ao largo da costa africana. Diz-me la', onde esta' o erro, omissao, incorreccao... ?
    Re:Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 19:52 GMT (#28)
    (Utilizador Info)

    A Região Autonoma dos Açores não está ao largo do continente africano, aceitaria isso em relação à Região Autonoma da Madeira, apesár de não ser muito correcto, mas em relação aos Açores que são bem mais a Norte e a Oeste isso não é correcto.


    Re:Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:2)
    por racme em 16-03-03 20:44 GMT (#55)
    (Utilizador Info) http://rmitz.org/freebsd.daemon.html
    Diz, simplesmente, que os Açores sao um arquipelago portugues, ao largo da costa africana. Diz-me la', onde esta' o erro, omissao, incorreccao... ?

    Nao existe incorrecção nenhuma, nem erro, nem omissão, os Açores estão simplesmente em linha com Lisboa nas latitudes 39º43' 36º55'
    Ainda bem que és mais compreensivo que eu :)


    Make World; Not War;
    Re:Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:2)
    por racme em 16-03-03 22:54 GMT (#91)
    (Utilizador Info) http://rmitz.org/freebsd.daemon.html
    em linha com Lisboa - ao largo da costa africana, exacto.

    que tal paralelo para ser mais exacto
    Se estao no mesmo paralelo nunca os Açores poderiam estar ao largo da costa africana


    Make World; Not War;
    Re:Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:0, Esclarecedor)
    por Anonimo Cobarde em 16-03-03 18:56 GMT (#14)
    Mas é incrível que o primeiro receio de ter cá o Bush e Amigos seja um possível ataque terrorista em Portugal... Tou farto de ouvir: "eu não me importo que sejamos aliados do bush desde que não venham para aqui os terroristas!".
    Primeiro a probabilidade é mínima porque somos insignificantes no panorama mundial, depois desde o 11 de Setembro houve mais alguma coisa sem ser paranóia? E será que a única coisa que interessa numa guerra seja salvaguardar o nosso traseiro? *hummf*

    -1;Despropositado
    Re:Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 19:48 GMT (#25)
    (Utilizador Info)

    Para além disso se os Americanos pensam que a capital de Portugal (essa provincia espanhola é madrid), porque é que os terroristas não pensam o mesmo? :P
    Atacar em Portugal éra uma declaração de guerra aos paises ocidentais em que há gente que simpatiza com causas como a palesteniana, penso que isso reduziria em muito a probabilidade de um ataque terrorista, a não ser de grupos internos cujos membros continuam à solta como os FP-25 Abril.


    Re:Nem que seja para meter portugal no mapa... (Pontos:2)
    por grumbler em 17-03-03 15:13 GMT (#165)
    (Utilizador Info)
    a não ser de grupos internos cujos membros continuam à solta como os FP-25 Abril. Ou os MDLP...

    --
    What, Me Worry?
    Actualizar Portugal (Pontos:3, Esclarecedor)
    por mvalente em 16-03-03 18:55 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Não seria altura de actualizar a "renda" das Lajes?

    Acho que não. Estar a ver (na TV) o 1o ministro Português e Portugal a fazer parte, mesmo que apenas como anfitriões, de um momento historico e definidor da sociedade mundial nas proximas decadas já é orgulho e pagamento suficiente.

    Sabe bem ver Portugal a actualizar a sua mentalidade e a deixar aos poucos de parte o colectivismo abjecto dos socialistas Franceses e dos nacionais-socialistas (nazis) Alemães e a assumir uma posição individualizada e a sua vocação atlântica.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:0, Lança-chamas)
    por Anonimo Cobarde em 16-03-03 19:02 GMT (#15)
    "Sabe bem ver Portugal a actualizar a sua mentalidade e a deixar aos poucos de parte o colectivismo abjecto dos socialistas Franceses e dos nacionais-socialistas (nazis) Alemães e a assumir uma posição individualizada e a sua vocação atlântica." Concordo plenamente. Não teria dito melhor. Cumprimentos, João Ferreira
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 19:23 GMT (#17)
    (Utilizador Info)
    Podes ter as opiniões racistas que quiseres e exprimí-las à vontade, mas vê-la se arranjas argumentos convincentes!
    ------ EOFim.
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 19:41 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Quando me indicares *objectivamente* onde é que estao opinioes racistas eu deixo de te considerar estupido e arranjo os argumentos que quiseres.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 19:50 GMT (#27)
    (Utilizador Info)
    Os franceses são abjectos colectivistas, os almães são nazis, os portuguese têm bigode.

    E guarda a tua consideração qua não a quero para nada.

    Quanto aos teus argumentos...

    ------ EOFim.
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:08 GMT (#36)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Repito: onde é que estão considerações racistas ?

    Nota 1: "Francês" e "Alemão" não são raças.
    Nota 2: considerar que os portugueses têm bigode ou que os ingleses são bebados podem ser generalizações ou preconceitos; mas não são comentarios racistas nem foi isso que eu disse.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    PS - Os argumentos seguem quando apresentares *objectivamente* onde é que estão comentarios racistas.

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 20:22 GMT (#46)
    (Utilizador Info)
    "Francês" e "Alemão" não são raças.

    Concordo.

    e acrescento que branco, preto cigano, índio e mulato, também não são raças, a palavra raça não se aplica a homens de nenhuma etnia, aplica-se sim, unica e exclusivamente a animais.

    Portanto, segundo os teus termos, não és racista... Mas és outra coisa que os que lerem estes teus comentários saberão perceber.

    Estás-te a perder.

    PS - Os argumentos seguem quando apresentares *objectivamente* onde é que estão comentarios racistas.

    Achas mesmo que estou interessado nas justificações que possas ter para chamar colectivistas abjectos aos franceses e nazis aos alemães?
    ------ EOFim.
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por Strange em 16-03-03 22:35 GMT (#87)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.no-ip.org/
    "palavra raça não se aplica a homens de nenhuma etnia, aplica-se sim, unica e exclusivamente a animais."

    Heim? Porquê? Raça por si só não é pejorativo, e distinção por raça está incluido na definição de "etnia".

    E descriminação por nacionalidade não é racismo. Quanto mais, será xenofobia. E nota que o MValente não fez juízos sobre a não Francesa ou Alemã, mas sobre entidades políticas naqueles países.

    Juízos deles de que não posso falar por não conhecer sobre quem fala.

    hugs
    Strange

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:1)
    por GotTLoS em 16-03-03 19:31 GMT (#18)
    (Utilizador Info)
    Deves ter muito amigos deves!!

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 19:49 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Tenho poucos. Mas bons.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 19:52 GMT (#29)
    (Utilizador Info)
    Nem alemães nem franceses
    ------ EOFim.
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:10 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Por acaso poucos alemães; mas muitos franceses, já que tenho muita familia lá. De quem gosto muito mas que não deixam de ser e que continuo a considerar socialistas e colectivistas.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 20:43 GMT (#53)
    (Utilizador Info)
    Vejo que estás a melhorar, os franceses teu amigos são socialistas e colectivistas, mas deixam de ser abjectos. É por serem teus amigos?
    ------ EOFim.
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 21:37 GMT (#63)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Ou és burro ou queres parecer.

    Se leres bem o meu post repararás que eu nunca adjectivei nem os Franceses nem os Alemaes de "abjectos", o adjectivo foi usado em relação ao colectivismo.

    Mas, mais uma vez, eu percebo a tentativa de aplicar a tecnica dialectica de esquerda. Uma ranhosa tentativa, mas que se percebe.

    Portanto: os meus amigos nao sao abjectos, nem sao abjectos os Franceses nem os Alemas. O colectivismo, caracteristico dos Franceses e Alemaes (e dos Portugueses, já agora), é abjecto.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 1:43 GMT (#118)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Cá está mais uma vez...

    Os corvos, afinal, não são negros. É uma questão de "opinião". Alguem pode ter a opinião que são amarelo *muito escuro* e então está tudo bem. Tem direito à sua opiniao. Até porque, na falta de melhores argumentos, o facto de se rotular um corvo de corvo e o corvo ser *realmente* um corvo, vai um longo caminho.

    A argumentacao tipica dos colectivistas. Nada que já nao se espere.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:15 GMT (#41)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Não, mas se tivesse amigos do PNR respeitava-os tanto como os amigos que tenho comunistas, cristãos ou muçulmanos.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por MacLeod em 16-03-03 19:33 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    Acho que não. Estar a ver (na TV) o 1o ministro Português e Portugal a fazer parte, mesmo que apenas como anfitriões, de um momento historico e definidor da sociedade mundial nas proximas decadas já é orgulho e pagamento suficiente.

    Orgulho por Portugal estar num momento importante na história de um rude golpe na credibilidade das Nações Unidas e no cumprimento do direito internacional?

    Sabe bem ver Portugal a actualizar a sua mentalidade e a deixar aos poucos de parte o colectivismo abjecto dos socialistas Franceses e dos nacionais-socialistas (nazis) Alemães e a assumir uma posição individualizada e a sua vocação atlântica.

    Pena que essa actualização de mentalidade signifique entrar num grupo que minta à opinião pública à medida que tenta inventar desculpas com o terrorismo e armas de destruição maciça para uma guerra que é essencialmente pelo petróleo. E também tenho pena que Durão Barroso tenha tanta falta de visão política ao não se aperceber que quem mais perde com o ataque ao iraque é o Euro (face ao dólar). E que nem ao ver os socialistas ou nacionais socialistas ou lá o que sejam -- que lhe dão os fundos estruturais e de coesão e cuja economia está muito mais ligada do que com os Estados Unidos.

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 22:04 GMT (#73)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Orgulho por Portugal estar num momento importante na história de um rude golpe na credibilidade das Nações Unidas e no cumprimento do direito internacional?

    Qual credibilidade das Nações Unidas ? A que se estava a erodir depois de *16* resoluções sobre o Iraque e depois de mais de 10 anos de "inspeccoes e desarmamento" ? As Nações Unidas só terão *credibilidade* e só funcionarão como mecanismo de paz no Mundo se tiverem *autoridade*. E só terão essa autoridade se forem capazes de a tornar efectiva.

    Quanto ao cumprimento do direito internacional: aparentemente ele não foi preciso (no sentido de uma votação unanime no Conselho de Segurança) no caso do Kosovo. E foi má a intervenção no Kosovo ? Nao me parece... Mas do caso do Iraque, o direito internacional está a ser seguido. Se não estivesse, já a guerra tinha sido iniciada pelos EUA há 4 ou 5 meses. O direito internacional foi seguido com a *16* resolucoes, nomeadamente com a ultima (a 1441) que exigia o desarmamento do Iraque ou entao as Nacoes Unidas tomariam atitudes até às ultimas consequencias. E o direito internacional continua a ser seguido com meses de diplomacia e conversações. Mas tem de chegar uma altura em que "sim ou sopas". As Nacoes Unidas (ou alguns membros) é que têm titubeado. Se calhar precisam de mais uma resolução....

    Portanto, sim, orgulhoso de Portugal estar presente num rude golpe ao *status quo* das Nacoes Unidas e do direito internacional (p.ex. os direitos de veto de alguns paises, inclusive os EUA) que vai fazer mudar ambas as instituições para algo efectivo e estruturante de uma sociedade humana global.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por blind em 17-03-03 3:03 GMT (#133)
    (Utilizador Info)
    resta acrescentar que é uma posição *TÃO Individualizada* que até o Presidente da Republica é contra ...

    realtivamente á vocação atlantica, só vejo uma coisa: o Durão esta a Afundar Portugal !!!!
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 20:20 GMT (#44)
    (Utilizador Info)

    Mas desde quando é que um país como Portugal que não tem qualquer tipo de poder, nem está no Conselho de Segurança, nem sequér tem qualquer recurso essêncial aos EUA, vai contar para alguma coisa.?
    Os EUA não precisam da Base Aérea das Lajes, se a tivérem não se importam, mas têm a capacidade de passár bem sem as Lajes. Um exemplo disso é que os Açores são segundo documentos da USAF considerados um aérodomo de apoio. Para além disso também existem bases aéreas no Sul de Espanha e bem perto da fronteira com a nossa provincia do Algarve, que utilizadas em conjunto com aviões de reabastecimento aéreo permitem aos EUA não usár as Lajes e mesmo que Portugal não cedesse a autorização de passagem no seu espaço aéreo e isso fosse respeitado, os EUA utilizariam o eixo GIUK (Greenland, Iceland & United Kingdom) e depois pelo resto da Europa.

    Portugal deveria éra ajudar a criar "pontes de entendimento" entre os dois lados do Atlantico, porque não devemos esquecer a nossa aliança secular com o Reino Unido, nem a mais recente com os EUA, mas também não devemos esquecer que é contra-producente trabalhar para o outro lado do Atlantico ao que nos encontramos.

    Não gosto do genocida, ditador e megalomano do Saddam e pessoalmente acredito que ele tem que ser destituido e a unica forma de o fazer, é pela força.
    Outro problema do regime iraquiano é que ele não está a respeitar os termos aceites para acabar com a ofensiva da coligação que libertou o Kuwait. No entanto penso que os EUA tentarão transformar o Iraque num feudo e isso não me parece aceitável. Não nos esqueçamos que o Bush é favorável à ala mais extremista do partido dele e que é nessa ala que se escondem os racistas e os apoiantes da extrema direita, como o "chefe" da representação do partido republicano no senado.


    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por zaroastra em 17-03-03 10:33 GMT (#139)
    (Utilizador Info)
    porque não devemos esquecer a nossa aliança secular com o Reino Unido

    Sim, a famosa alianca do mapa cor de rosa. Os gajos q nos lancaram um ultimato para ter direito a um territorio inexplorado e pt, na sua antiga tradicao, baixou as calcinhas.
    Eh muito facil falar de aliancas, quando sao respeitadas de ambos os lados, no caso uk/pt sera mais no estilo alianca unilateral por conveniencia. (muito similar ao que ira acontecer com os US! but of course)
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:1)
    por Init em 17-03-03 10:48 GMT (#141)
    (Utilizador Info)

    Caso não saibas o Reino Unido também já nos safou algumas vezes, como na crise de 1383/85, mais tarde nas invásões napoleonicas (apesár de depois quererem ficár por cá), e até durante a Segunda Guerra Mundial, durante a quál convençeram os EUA a desistir de invadir os Açores e envês disso negociar a criação de uma base, nesse arquipélago.
    Todas as amizades têm pontos baixos, a nossa com o Reino Unido também teve alguns.
    Quanto à nossa amizade com os EUA ainda está para vir o dia em que vamos fazer alguma coisa por eles de real importância a nivél global.


    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por McB em 25-03-03 22:34 GMT (#190)
    (Utilizador Info)
    [...]Os gajos q nos lancaram um ultimato para ter direito a um territorio inexplorado[...]

    Calma aí...

    Quando decorre a conferência de Berlim, foram publicadas as linhas-mestras no que diz respeito ao que as potências coloniais deveriam fazer para ter direito às terras que não eram de ninguém...

    Portugal mandou o Capelo e o Ivens, os ingleses fizeram uma colonização DECENTE... construíram quintas, etc.
    Moro neste momento com um queniano (e lembro que Portugal deixou marcas no Quénia também, vide Mombaça), e concordo plenamente com o que ele pensa: fomos uns excelentes exploradores, mas uns péssimos colonizadores.

    Acho que o mau aspecto completo foi mesmo quando foi organizada uma colecta para se fazer uma fragata... para se entrar em guerra com o Reino Unido.. oh please!!! Se calhar iam buscar uma fragata aos armazéns do Chiado e pronto...

    Portanto, se nessa altura baixámos as calcinhas, foi porque não fizemos os trabalhos de casa e o resto é treta...

    Aliás, quanto mais o tempo passa, mais penso que depois de 1580, a nossa história é sempre sempre "downhill"...

    Yours,
    McB!

    They told me it need Windows 95 or better, so I chose Linux
    Re:Actualizar Portugal (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 21:49 GMT (#68)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Deixa-me dar-te uma dica: quando comeres cogumelos, evita os das pintinhas vermelhas.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Ping pong político (Pontos:2)
    por raxx7 em 16-03-03 19:11 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Pessoalmente este assunto já mete nojo.
    Os EUA querem trocar o regime iraquiano por um que lhe seja mais favorável e estão a usar a questão do desarmamento e das resoluções da ONU como desculpa para intervirem.
    À França, Alemanha e Rússia convém-lhes manter o regime iraquiano (como aos EUA em tempos também) e estão a usar a ONU como meio de impedir os EUA de levar a deles avante.
    Que se lixe isto tudo. O Sadam Hussein é um ditador que repetidas vezes cometeu genocídio. Os EUA podem não ter moral para actuar, mas se o fizerem vão fazer um grande favor ao povo iraquiano. E ao menos têm o poder bélico para resolver a questão depressa em vez de dar origem a uma guerra civil que se arraste por anos.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Poupem-me! (Pontos:4, Interessante)
    por CrLf em 16-03-03 19:47 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Não há dúvidas nenhumas de que o Saddam é um ditador abjecto mas os primeiros a revoltar-se ou a pedir ajuda deveriam ser os próprios iraquianos. Nenhum país tem o direito de interferir com os assuntos internos de outro. As Nações Unidas podem intervir para resolver situações prementes mas apenas as Nações Unidas.

    Será preciso lembrar a toda a gente aqui o caso de Timor? Nessa altura existia uma situação que era preciso resolver, os timorenses fartaram-se de pedir ajuda e ninguém lhes deu ouvidos. A Indonésia também era um regime altamente duvidoso, o povo de Timor estava a morrer e foram ignorados até a situação se ter tornado demasiado incómoda para os EUA e afins.

    Quem acredita que a questão iraquiana é uma questão de terrorismo, desarmamento ou democracia é um anjinho. Tudo isto tem como base o petróleo e o reforço da posição dominante do braço armado dos EUA no médio oriente (para quem não sabe, Israel).

    Se fosse uma questão de eliminar um regime abjecto, estariam neste momento a mover-se em direcção a outros países como a Coreia do Norte. Mas o problema neste caso é que nem os interesses económicos na Coreia do Norte são tão importantes nem a Coreia do Norte está neste momento tão indefesa como o Iraque.

    E já agora, os American Ass-Kissers que andam por aí podem presentear-me com mais um despropositado, porque sim, estar contra a posição da Polícia do Mundo é despropositado.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 19:55 GMT (#32)
    (Utilizador Info)
    "E já agora, os American Ass-Kissers que andam por aí podem presentear-me com mais um despropositado,"

    São poucos mas bons, e devem ter login de admin, o que dá muito jeito para comentar e moderar, mas não são nem alemães nem francese
    ------ EOFim.
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:18 GMT (#43)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    As minhas moderações são sempre feitas com o login de user normal e não com o login de admin.

    Mas as insinuações que fazes são tipicas e esperadas de parte dos "rascas" colectivistas.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 20:54 GMT (#56)
    (Utilizador Info)
    E moderar e comentar na mesma thread são atitudes típicas e esperadas de quem?

    Queres ter uma opinião respeitada? Começa por respeitar a dos outros.

    Por mim podes continuar a moderar à vontade, enquanto a opinião estiver visível, a moderação não lhe tira o peso, e a censura não lhe tira o valor.

    Leste o código de moderação?
    Não o tenho à mão mas acho que diz que se moderam negativamente atitudes, não opiniões.

    E sim, faço insinuações, e comentários despropositados, mas o mais engraçado é que os que foram moderados negativamente nem são os comentários despropositados, mas os que expressam opiniões.

    A conclusão que tiro é que incomodam mais as opiniões contrárias do que as postas de pescada
    ------ EOFim.
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 21:45 GMT (#65)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    E moderar e comentar na mesma thread são atitudes típicas e esperadas de quem?

    De quem faz parte de uma discussão, electronica ou nao, e portanto tem o direito de comentar e votar os comentarios dos outros. Chama-se a isso *democracia*.

    Queres ter uma opinião respeitada? Começa por respeitar a dos outros.

    Se eu nao respeitasse a tua opiniao tinha-te mandado sumariamente à merda e nao estava aqui a discutir contigo as tuas tristes opinioes.

    Leste o código de moderação? Não o tenho à mão mas acho que diz que se moderam negativamente atitudes, não opiniões.

    Exacto. Eu modero como "Despropositado" tudo o que nao tenha a ver com a thread porque.... é despropositado (go figure...) e porque tipicamente são demonstradas atitudes rascas (como por exemplo, fazer insinuacoes sobre a reputacao das pessoas; o que inclusive pode constituir crime).

    E sim, faço insinuações,

    Nao devias. Pode ser crime. Quando as fizeres, conta com um -1 meu. Com o login de participante, não de editor.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Poupem-me! (Pontos:1)
    por floWS em 17-03-03 1:33 GMT (#115)
    (Utilizador Info)
    E moderar e comentar na mesma thread são atitudes típicas e esperadas de quem?
    De quem faz parte de uma discussão, electronica ou nao, e portanto tem o direito de comentar e votar os comentarios dos outros. Chama-se a isso *democracia*.

    a mim as caixinhas de moderação desaparecem se eu participar na discussão...
    Moderadores não podem moderar numa discussão onde tenham colocado um comentário. Esta medida serve para combater abusos, e apesar de controversa, é mesmo necessária.

    É curioso falarem na questão de moderar/participar na mesma discussão. estou ha dias com 4 pontos de moderação por atribuir e varios comentarios que nao fiz por querer poder moderar.
    o pior e' que neste ou sim ou sopas em geral nem sim nem sopas...enfim

    Cumps,
    floWS
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por CrLf em 17-03-03 2:46 GMT (#132)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    De quem faz parte de uma discussão, electronica ou nao, e portanto tem o direito de comentar e votar os comentarios dos outros. Chama-se a isso *democracia*.

    Uma democracia onde apenas alguns o podem fazer, todos os outros (a plebe) só pode comentar ou moderar.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por Xmal em 17-03-03 17:59 GMT (#168)
    (Utilizador Info) http://gsd.di.uminho.pt/cbm
    Está enganado. Os comentários numa democracia não se votam, não se moderam, não se seleccionam. Ouvem-se e pronto. Por muito que não se goste tem que se ouvir.

    Wrong. Num meio electronico, sem pressão social, a ausencia de moderação só favorece o ruido e nunca a democracia. No fim vencem os mais obstinados e autistas.

    A moderação é o substituto que se arranja para o mecanismo social de não ligar a alguem disparatadamente ruidoso. Coisas faceis de fazer cara a cara em grupos humanos, mas que aqui têm de ser feitas doutros modos.

    Os 80% de spam na minha caixa de correio podem ser liberdade de expressão mas não me parecem uma grande atitude de democracia.

    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:01 GMT (#33)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    E já agora, os American Ass-Kissers que andam por aí podem presentear-me com mais um despropositado,

    Os despropositados todos q levaste antes foram meus;

    Não levas neste pq *gasp* o post não é despropositado;

    Ser a favor da democracia, do individualismo e do capitalismo (é o meu caso em todos os três) não é o mesmo que ser American Ass-Kisser; aliás, não gosto nem dos americanos (na grande maioria são uns basicos) nem da America; mas gosto *muito* dos sistema social e politico norte-americano que, apesar de tudo, não é suficientemente capitalista, individualista e democrata para o meu gosto; mas sempre é o melhor que se arranja e melhor do que os sistemas que vigoram em Cuba e na Coreia do Norte;

    Não critiques muito os American Ass Kissers que andam por ai. A posição deles não é muito diferente dos "ambientalistas/colectivistas/altruistas/pacifistas/terroristas" ass kissers que por ai andam. A unica diferença que vejo é que enquanto os primeiros fazem alguma coisa ao rabo de alguem, aos segundos é-lhes feito alguma coisa ao rabo. You get the picture...

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 23:11 GMT (#98)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Os despropositados todos q levaste antes foram meus;

    Não levas neste pq *gasp* o post não é despropositado;


    Será que não é porque quem comenta já não pode moderar?... Ou há excepções para os editores? ;)

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 1:49 GMT (#119)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Há excepções para os editores. Que eu não uso.

    Embora esperada, vamos deixar passar sem grandes comentarios mais uma insinuação baixa.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Poupem-me! (Pontos:3, Engraçado)
    por CrLf em 17-03-03 2:11 GMT (#126)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Há aqueles que de vez em quando partem para a ignorância e há aqueles que de vez em quando usam insinuações baixas.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:44 GMT (#54)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Portanto ser ambientalista, pacifista e altruísta está ao mesmo nível de ser terrorista.

    Não está. E não foi isso que eu disse. Mas a atitude de ass kisser é a mesma. Há uns que beijam o rabo dos americanos; outros o rabo do "ambiente"; outros o rabo do "pacifismo".

    É bom o nível intelectual de algumas pessoas.

    Uma conclusão (propositadamente?) errada porque parte de uma premissa errada. Mas eu percebo a tecnica dialectica. Tão mais obvia quando vinda de um Anonimo Cobardolas.

    Quanto a também colocar os colectivistas ao nível dos terroristas isso já não surpreende.

    Mais uma vez, o uso de termos diferentes na mesma frase não implica que se esteja a colocar todos os termos ao mesmo nivel. Isso é só retorica tua para dar a volta ao assunto.

    Mas, de facto, há muitas semelhanças entre o terrorismo e o colectivismo. Os terroristas funcionam precisamente pela "força do bando", o grupo de macacos burros que rouba a comida aos outros mais inteligentes para caçar por si proprios; por sua vez não houve maior terrorismo do que os praticados por colectivos como os bandos Sovietes, as tropas de Hitler ou os fanaticos Maoistas.

    É um típico tique dos ultra-liberais.

    Há algum mal especial em ser ultra-liberal ? É uma doença ? E o "tique" ? Porquê o uso de um adjectivo pejorativo ? Não chegava "caracteristica ? Ou é a tecnica do "mandar uns dichotes pelo meio, à jornalista da RTP, para deitar abaixo nas entrelinhas" ?

    Oh well... modere lá isto mário.

    O quê ?!? Dar +1 a um Anonimo Cobardolas ?! Deves estar-me a ver de óculos :-)

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Poupem-me! (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 20:30 GMT (#49)
    (Utilizador Info)

    Gostava de saber como é que um povo sobre ameça de kalashnicov ia pedir ajuda, é que lá não existe bastões na policia, so espingardas de assalto. Para além disso vários são os iraquinos que se encontram exilados e que quérem a deposição do governo Iraquiano e não me parece que uma guerra civil seja aceitável, nem que seja moralmente aceitavél assistir às violações dos direitos humanos diarias. O problema são os moldes da intervenção internacional e os planos que existem ou não para o futuro de um Iraque democratico e soberano é ai que os paises da UE deveriam moderar o impulso imperialista dos EUA e do seu cão Toni.


    Re:Poupem-me! (Pontos:1)
    por faustino em 16-03-03 20:58 GMT (#58)
    (Utilizador Info)
    Devo então estar calado porque os iraquianos não querem ser livres? E os que queriam, não falam porque o Saddam já os executou, por isso não contam, porque é que o Salazar não era um tipo fixe como o Saddam, assim não dizias nada porque provavelmente os teus pais teriam pensado em ser livres e não teriam tido tempo de te conceber, antes de serem executados.

    Não gosto da guerra, nem de alguns dos seus objectivos, agora daí a dizer que o Saddam é amado pelos iraquianos e que os Franceses são fixes mais os Alemães por não quererem a guerra e gostarem do povo iraquiano, quando a única coisa que lhes interessa é $$$$ ou €€€€ que o Iraque lhes dá, Petróleo à França e grandes contratos de empresas de "pesticidas" para a Alemanha, não é bem o meu tipo.

    No meio é que está a virtude, mas nem sempre se pode alcançar.

    PS. Desculpa ter chamado os teus pais à conversa, mas espero que tenhas percebido a ideia.
    Eu gostava de ter uma assinatura gira.

    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por raxx7 em 16-03-03 21:09 GMT (#60)
    (Utilizador Info)
    Não há dúvidas nenhumas de que o Saddam é um ditador abjecto mas os primeiros a revoltar-se ou a pedir ajuda deveriam ser os próprios iraquianos. Nenhum país tem o direito de interferir com os assuntos internos de outro. As Nações Unidas podem intervir para resolver situações prementes mas apenas as Nações Unidas.

    E que mais é que queres que os Iraquianos façam? Que sejam chacinados durante manifestações contra Saddam nas ruas de Bagdad?
    Tens dúvidas que isto vai ser outro Afeganistão e que os Iraquianos vão aplaudir quando Saddam for deposto?
    Quando à ONU... a ONU é composto pelos seus membros. E actualmente três membros com direito de veto estão de boas relações com o regime iraquiano. A ONU não vai fazer nada, tal como em outros tantos casos.

    Quem acredita que a questão iraquiana é uma questão de terrorismo, desarmamento ou democracia é um anjinho. Tudo isto tem como base o petróleo e o reforço da posição dominante do braço armado dos EUA no médio oriente (para quem não sabe, Israel).

    Se fosse uma questão de eliminar um regime abjecto, estariam neste momento a mover-se em direcção a outros países como a Coreia do Norte. Mas o problema neste caso é que nem os interesses económicos na Coreia do Norte são tão importantes nem a Coreia do Norte está neste momento tão indefesa como o Iraque.

    Concordo plenamente. Mas as motivações dos EUA não mudam a natureza do regime iraquiano. E a consequẽncia continua a ser a deposição do regime iraquiano.
    Não quero saber dos EUA, da França ou do raio do petróleo. Mas finalmente os EUA estão dispostos a reparar (mais) um dos seus erros e a acabar o que começaram à 10 anos. Que se fodam as razões e a moral. Boa sorte para o povo iraquiano.


    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por raxx7 em 17-03-03 0:19 GMT (#107)
    (Utilizador Info)
    Err... Este comentário é dirigido a mim ou ao CrLf?

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Poupem-me! (Pontos:3, Interessante)
    por CrLf em 16-03-03 21:49 GMT (#69)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Não há dúvidas nenhumas de que o Saddam é um ditador abjecto mas os primeiros a revoltar-se ou a pedir ajuda deveriam ser os próprios iraquianos. Nenhum país tem o direito de interferir com os assuntos internos de outro. As Nações Unidas podem intervir para resolver situações prementes mas apenas as Nações Unidas.

    Como todos pegam na mesma parte do meu comentário convém esclarecer.
    Uma guerra no Iraque não iria simplesmente depor o Saddam Hussein, iria criar uma crise de poder e potencialmente criar uma situação ainda mais grave do que a que lá existe agora. Agora vão dizer, "mas os EUA impôem lá um regime de transição". Pois, e é isto que faz com que muitos dos iraquianos exilados se pronunciem contra os EUA quando deveriam ser a favor de eles irem tirar de lá o ditador. Os EUA têm a mania de querer impor o seu modo de vida e o seu estilo de democracia sem terem atenção as diferenças culturais e é exactamente por isto que são odiados na maior parte do mundo.

    Se isto se tratasse de uma ajuda aos iraquianos para se livrarem da tirania teriam o meu apoio. Mas é uma invasão em larga escala que só vai matar iraquianos e favorecer os interesses duvidosos dos EUA.

    E usar o argumento do salazarismo não pega, porque se bem se lembram (e se não se lembram eu faço o favor de recordar) os EUA não moveram uma palha para nos ajudar a destronar o Estado Novo. Fomos nós que organizámos a revolução por nós próprios e nem sequer precisámos de uma guerra.

    Por outro lado há bem próxima do Iraque outra ditadura abjecta que os EUA escolhem ignorar e apoiam constantemente... a Arábia Saudita.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 22:16 GMT (#77)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Por outro lado há bem próxima do Iraque outra ditadura abjecta que os EUA escolhem ignorar e apoiam constantemente... a Arábia Saudita.

    Mas que nao tem armas quimicas, nucleares e biologicas e que nao as usa no seu proprio povo. E que, obviamente, nao se declaram como inimigos dos EUA e portanto nao constituem ameaça.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por blind em 17-03-03 3:21 GMT (#135)
    (Utilizador Info)
    e a COREIA DO NORTE ???

    "...E que, obviamente, nao se declaram como inimigos dos EUA e portanto nao constituem ameaça..."

    O japão tb não se declarou como inimigo dos EUA, e foi o que se viu em Pearl H.
    Outro que tb ninguem conhecia era o Bin Ladem... até ao dia 11 de setembro ...
    Re:Poupem-me! (Pontos:1)
    por Init em 17-03-03 11:03 GMT (#142)
    (Utilizador Info)

    A Coreia do Norte é uma ameaça ainda maior, mas não acho que isso seja uma argumento válido para não se fazer mais nada no resto do planeta, pois ainda existem mais e mais ditaduras que devem ser depostas: República Popular da China, Vietnam, Irão, Libia, Siria, Cambodja, Cuba... Não podes é querer derruba-las todas ao mesmo tempo, pois é impossivél, porque não existe essa capacidade e não se pode derrubar um governo, sem ter um plano para o futuro desse país que deve passar por o país ser livre, democrático e soberano. Se pensas que tal plano não existe, ou não é adequado para o caso do Iraque, devido ao imperialismo dos EUA, então devias éra exigir o envolvimento da comunidade internacional, para moderar os EUA, mas não esperes que os EUA aceitem ser moderados se só eles é que derem o corpo ao manifesto.


    Re:Poupem-me! (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 22:41 GMT (#88)
    (Utilizador Info)

    Uma guerra é guerra e morre sempre gente e isso nunca mudará. Daí ser bom evitar a guerra, mas isso só é possivél dentro de certos limites razoàveis, que o regime iraquiano, já ultrapassou à muito tempo. Não te esqueças já faz doze anos que o regime iraquiano devia ter desarmado, já faz doze anos que o regime iraquiano ataca as aéronaves que fazem cumprir as no fly zones impostas pela ONU, ou seja, atacam directamente a ONU, já faz doze anos que o Iraque diz que é desta que se livra das armas de destruição massiça, já faz muitos mais anos que o Saddam está no poder e executa centenas de pessoas por ano, que usa armas de destruição massiça e já se involveu directamente em duas guerras com visinhos.
    Durante a Segunda Guerra Mundial morreram muitos civis, não valeu a pena??? Achas que alguma vêz iria acontecer uma situação tão tragica como a da Segunda Guerra Mundial a nivél da baixas civis? Ou mesmo que seja remotamente proxima??
    A Europa devia éra tomar parte das operações para reduzir o impeto dos EUA e evitar que o Iraque se tornasse num feudo dos EUA e que envês de ter um governo de transição nomeado pelos EUA que fosse nomeado pela ONU e que fizesse uma transição para um Iraque livre, democrático e soberano.


    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por raxx7 em 17-03-03 0:37 GMT (#108)
    (Utilizador Info)
    Se isto se tratasse de uma ajuda aos iraquianos para se livrarem da tirania teriam o meu apoio. Mas é uma invasão em larga escala que só vai matar iraquianos e favorecer os interesses duvidosos dos EUA.
    E como efeito secundário vai acabar como regime genocida do Saddam.. E embora vão morrer iraquianos como consequência da intervenção dos EUA, quantos mais não iriam morrer se o regime perdurar ou numa guerra civil a tentar depô-lo?
    Agora diz-me: achas que por causa da imoralidade das motivações dos EUA o povo iraquiano deve ficar por sua conta? Ou achas que algum outro pais vai ajudar a depor o regime iraquiano por altruismo?
    Um pequeno aparte: os EUA não só não moveram uma palha para acabar com o Estado Novo como repeditas vezes vetaram sanções da ONU contra ele.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Poupem-me! (Pontos:3, Esclarecedor)
    por CrLf em 17-03-03 2:09 GMT (#125)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    achas que por causa da imoralidade das motivações dos EUA o povo iraquiano deve ficar por sua conta

    Let's step back and look at the big picture:

    Aprovar sempre os actos dos EUA com a justificação de que, por mais imorais que sejam, algo de bom há-de resultar deles é esquecer que todos os actos têm consequências a longo prazo. Por diversas vezes os EUA apoiaram regimes perversos para combater outros regimes ainda mais perversos para depois, mais tarde, verem os primeiros tornarem-se seus inimigos. Armaram guerrilheiros para depois verem essas mesmas armas usadas em actos terroristas. Todas esses actos imorais foram considerados males menores na altura e deram barraca.

    Agora com o caso do Iraque vão abrir um precedente com uma guerra preventiva, vão agir contra o direito internacional numa área onde há forte antipatia pelos americanos. Vão criar ainda mais ódios no povo árabe. Vão dar mais proeminência a Israel naquela zona o que ainda vai criar mais ódios ainda.

    Não esquecer que muita da instabilidade no médio oriente é criada pelos mesmos EUA que agora a querem ir eliminar. Criada com o mesmo tipo de atitudes que estão a ter agora e igualmente a coberto de alguns países e muitas vezes das próprias Nações Unidas.

    É pena que muita gente aceite a imoralidade como um mal menor demonstrando falta de visão global e histórica.

    O mal é que nunca houve da parte da comunidade internacional uma verdadeira vontade de zelar pela democracia e justiça no mundo. O que dominam são os interesses económicos e as acções pontuais e mal calculadas. Isto poder-se-ia resumir como falta de visão estratégica. Se houvesse essa visão, ditadores como Saddam seriam eliminados antes de se tornarem perigosos por meios não violentos. Mas como durante algum tempo o Saddam foi útil...

    Resumindo e concluíndo: continuar a comer e calar as acções dos EUA só vai fazer com que aconteçam mais 11 de Setembros e se criem mais Bin Ladens e Saddams a um ritmo mais elevado do que se conseguem eliminar criando uma espiral de violência. Não se esqueçam das razões que levaram figuras execráveis como Hitler, Salazar ou Ariel Charon (mistura intencional) ao poder... um povo desesperado tende a virar-se para os mais radicais.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Poupem-me! (Pontos:1)
    por Init em 17-03-03 11:13 GMT (#145)
    (Utilizador Info)

    Então devias éra exigir uma intervenção internacional de forma a que fossem os interesses do Iraque a ser defendidos e não os dos EUA. E o interesse do povo do Iraque não é decerteza continuar com uma ditadura, também não deverá ser ter uma guerra civil que desintegragria o Iraque e na qual morreria muito mais gente (morre sempre mais gente nas guerras civis).

    No caso do Iraque não vão abrir precedente nenhum. O Iraque não está a cumprir o acordo que fez com a coligação em 1991, o Iraque ataca diariamente aeronaves que estão a manter as no fly zones ordenadas pela ONU, à quem chame a isto actos de guerra, o Iraque tem um regime ditatorial que não exita a recorrer à força para eleminar qualquer tipo de dicidencia à quem ache que isto exige uma intervenção por motivos humanitários como no Kosovo.

    Não é o Iraque que contem Israel naquela região, ninguem contem Israel naquela região e a prova é o genocidio que decorre todos os dias...


    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por raxx7 em 17-03-03 18:36 GMT (#169)
    (Utilizador Info)
    Resumindo e concluindo: que solução propões para o povo Iraquiano? Deixar tudo como está porque tens medo dos terroristas?

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Poupem-me! (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 21:56 GMT (#71)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    É importante acrescentar aqui mais uma coisa. Este problema advém do facto de durante anos as Nações Unidas terem arrastado os pés em tudo quanto eram questões importantes (com muita culpa dos EUA diga-se) e agora que finalmente têm razão em não querer uma guerra infâme, os americanos cagam-lhes em cima.

    A verdade é que os EUA não fazem parte de nada, assinam cartas e tratados quando lhes interessa e violam-os quando cheira a petróleo.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Poupem-me! (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 22:48 GMT (#89)
    (Utilizador Info)

    A França é um exemplo de hipocrisia, pois condenou Portugal na ONU por ter colonias e os Franceses ainda têm colonias


    Re:Ping pong político (Pontos:2)
    por sena em 16-03-03 20:12 GMT (#39)
    (Utilizador Info) http://sena.smux.net/

    Os EUA podem não ter moral para actuar, mas se o fizerem vão fazer um grande favor ao povo iraquiano. E ao menos têm o poder bélico para resolver a questão depressa em vez de dar origem a uma guerra civil que se arraste por anos.

    Começar uma guerra é «fazer um grande favor ao povo iraquiano»?

    Se essa é a tua ideia de favor, então não quero favores teus... :-)

    Cumps, Joao Ribeiro


    --
    sena@smux.net
    http://sena.smux.net/
    Re:Ping pong político (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:21 GMT (#45)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Começar uma guerra é «fazer um grande favor ao povo iraquiano»?
    Se essa é a tua ideia de favor, então não quero favores teus... :-)

    Já o mesmo não dizem os gajos no Kosovo ou no Afeganistão...

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Ping pong político (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 20:31 GMT (#50)
    (Utilizador Info)
    Podias pedir aos EUA par vir fazer o favor de tirar os nazis da alemanho, os colectivistas da frança, os comunistas e bloquistas de portugal.

    Eles devem ter bombas suficientes para todos estes favores.
    ------ EOFim.
    Re:Ping pong político (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 20:34 GMT (#51)
    (Utilizador Info)

    Não mas podiam livrar-nos de uma coligação governamental que não foi eleita como tal.


    Re:Ping pong político (Pontos:2)
    por Cyclops em 16-03-03 21:06 GMT (#59)
    (Utilizador Info) http://www.1407.org
    Pois, nem os gajos da Arábia Saudita... ou da Venezuela... ou de Israel... etc... etc... incluindo o Kuwait, que até agora ainda não virou democracia... apesar de ser suposto fazê-lo asap.
    Re:Ping pong político (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 20:40 GMT (#52)
    (Utilizador Info)

    Pá podes ter a certeza que se te conheçe-se a proxima vêz que te visse a ser assaltado na rua e a ser espancado, eu assentava-me numa explanada a beber um bebida e a gozar o espectaculo. Também achas que os EUA fizeram mal em libertar a Europa do partido nazi?? Achas que não valeu a pena o esforço?
    Não gosto da guerra, mas gosto ainda menos de ditadores e de paz podre.
    Tem vergonha!!!!


    Re:Ping pong político (Pontos:2)
    por blind em 17-03-03 15:00 GMT (#164)
    (Utilizador Info)
    eles (EUA) so foram para a guerra porque foram atacados pelos japoneses, eles entraram na guerra para defender o seu proprio coiro...

    Re:Ping pong político (Pontos:1)
    por Init em 18-03-03 7:27 GMT (#177)
    (Utilizador Info)

    A entrada dos EUA na guerra éra inevitavél. Mas podiam ter aceite uma rendição dos nazis, na frente ocidental, algo que não fizeram.


    Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:1)
    por fhc em 16-03-03 19:40 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    Dá-me pena a qualidade de respostas algo apaixonadas, ou ao menos desinformadas, que anda por aqui aposta.

    Em primeiro lugar, lembro que se a guerra é um flagelo, pior seria recuar nesta altura. E se o Saddam tem de alguma forma cooperado com as Nações Unidas (a conta gotas e de modo cínico) isso não deve ter nada a ver com a circunstância ter às suas portas o aparelho bélico da única nação que tem poder e está disposta a dar-lhe umas nalgadas onde lhe dói mais. Miseravelmente, já estou habituado a ver a opinião pública européia (isto é, os cordeiros de cá) a justificar qualquer ditador execrável, desde que este se oponha aos Estados Unidos. O Fidel Castro e o Milesovic vêm-me de rompante à memória.

    Em segundo lugar, se o primeiro ministro português consegue numa crise de tal dimensão sentar um dos lados à mesa com o habitual «vamos ver o que se pode fazer», que mal tem isso? Será vassalagem? Foi o representante do estado espanhol que disse que foi o Durão Barroso que iniciou estes contactos. O que os Calhaus (Blocos) de Esquerda me dizem é que se eu convido alguém a minha casa e outros aceitam, coloco-me desde logo numa situação de vassalagem. Registro o argumento, vale o que vale.

    Em terceiro lugar, SERÁ QUE NINGUÉM CONSEGUE COMPREENDER O JOGO? Como será conveniente ao país termos um órgão institucional em cada campo? (PR e Governo, bem entendido) Nunca estaremos desalinhados, qualquer que seja a tese que vingue. Lembro que o Primeiro Ministro e o Presidente da República já declararam que concertaram posições, em ocasiões diferentes e independentemente. Lembro também que a tese de conflito institucional, já dita por dois acéfalos da direcção do PS (Vitorino, volta, és preciso cá) foi de imediato desmentida pelo PR.

    É assim que se joga neste momento, com um pé em cada lado. Podemos condenar ou não a emergência da guerra. Pessoalmente penso que, se as tropas do Bush se moverem, o culpado terá sido aquela besta que esta à frente do Iraque. Penso também que, haja guerra ou não, é necessário fazer o Saddam pensar que sim, que haverá. E ainda penso que a maior vitória de Bush seria ver o Saddam a abdicar sem dar um passo para dentro do Iraque. E a do Saddam ver os cordeiros de cá balirem tão alto que a coligação recue. Isto porque, a partir deste momento, senhores do BE, ninguém tira o Saddam de lá e a causa do terrorismo terá um novo saladino, agora que o Bin Laden (que penso que está morto) se encontra no limbo.

    É muito fácil clamar pela legalidade democrática. Infelizmente todas as democracias exigiram o sangue de muitos valentes (não o Mário, esperemos que aqui fique por muitos anos), cada um deles herói. Nunca nenhuma democracia foi mantida sem sangue derramado, aqui e fora das fronteiras. Porque a ordem natural do homem, o estado natural, se preferirem não é a democracia. Para esta existir é necessário esforço e persistência, esforço este que alguém não quer ver feito, porque a maior democracia do mundo, os Estados Unidos, está envolvido nisto.

    E, antes de criticarem os Estados Unidos perguntem: o que sucederia se o 11 de Setembro se tivesse dado em solo europeu?

    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 19:53 GMT (#30)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    o que sucederia se o 11 de Setembro se tivesse dado em solo europeu

    Esse é que é o problema, o 11 de Setembro não se deu em solo Europeu. E isso não aconteceria pela simples razão de que a Europa não tem a atitude prepotente e imperialista dos EUA. E nem sequer anda a armar e a apoiar flagrantemente Israel na sua senda de aniquilação e anexação de territórios árabes fingindo-se ao mesmo tempo imparcial e mediador.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 19:54 GMT (#31)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Antes que digam que a Europa também arma (o que é verdade... arma ambas as partes) reflitam um pouco sobre as atitudes.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 22:31 GMT (#86)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Antes que digam que a Europa também arma (o que é verdade... arma ambas as partes) reflitam um pouco sobre as atitudes.

    (Ooops, lá me fugiu a boca para a verdade e fiquei na merda... deixem-me levar isto rapidamente para o campo relativistico das "atitudes" que no campo da objectividade não me estou a safar nada bem...)

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 23:04 GMT (#93)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    O que eu já disse noutros comentários contextualiza bem o meu pequeno aparte por isso não vou tentar rebater provocações.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:1)
    por CorrectorOrtográfico em 17-03-03 19:37 GMT (#173)
    (Utilizador Info)
    - A Europa (França+UK+Espanha) inventou o imperialismo.

    - As guerras mais mortíferas da humanidade foram causadas por países Europeus em solo Europeu.

    - Os estado de Israel foi criado com o apoio do Reino Unido e da França, e com a abstenção dos EUA, nos acordos de Balfour (França).

    Os Muçulmanos devem dar graças a Deus pelo facto dos atentados terem ocorrido nos EUA. Os Europeus já provaram por diversas vezes a quantidade de atrocidades que conseguem cometer! Ao pé dos Europeus os restantes povos são autênticos anjos!

    Cirruz

    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 20:03 GMT (#34)
    (Utilizador Info)
    Em segundo lugar, se o primeiro ministro português consegue numa crise de tal dimensão sentar um dos lados à mesa com o habitual «vamos ver o que se pode fazer», que mal tem isso? Será vassalagem? Foi o representante do estado espanhol que disse que foi o Durão Barroso que iniciou estes contactos. O que os Calhaus (Blocos) de Esquerda me dizem é que se eu convido alguém a minha casa e outros aceitam, coloco-me desde logo numa situação de vassalagem. Registro o argumento, vale o que vale.

    Aplaudiria de pé se Durão Barroso tivesse convidado representantes de pontos de vista antagónicoas à mesma mesa para um tentativa de negociação, mas neste caso, em que os três países ou pelo menos três governos têm os mesmos pontos de vista, eu não sei bem o que chamar a esta reunião.

    De notar que a representação Francesa na ONU propôs um encontro de chefes de estado e de governo dos quinze países do conselho de segurança, o que os EUA recusaram.
    ------ EOFim.
    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 22:06 GMT (#74)
    (Utilizador Info)

    Concordo com quase tudo o que disseste, mas tal como já disseram, éra impossivél o 11 de Setembro ser na Europa, porque a Europa não apoia Israel, nem tem uma atitude imperialista do calibre da americana. Apesár do terrorismo não ser aceitável, os americanos deviam fazer um exame de consciência, pois um povo não recorre em massa ao terrorismo, sem ter razões para isso.
    Ah e o Bin Laden não está morto.


    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 22:17 GMT (#79)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Sugestao: se nao sabes onde por os acentos, é preferivel nem os usares... fazes pior figura com os acentos no sitio errado do que não os usares.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 22:49 GMT (#90)
    (Utilizador Info)

    Já me têm dito isso :(


    Re:Anda tudo a dar no cravo. (Pontos:1)
    por ruben dig em 17-03-03 11:33 GMT (#148)
    (Utilizador Info)
    Não ligues até fica fixe assim. :)
    pk eh k portugal se alia aos USA? (Pontos:1)
    por Uranus em 16-03-03 20:16 GMT (#42)
    (Utilizador Info) http://urt.clanhosted.com
    Bush: "my amigo, nos querer que tu atacar com-nos!"
    prez: "oooh Bush, eu acho que isto ja esta a ir longe demais, nao concordo com o ataque"
    Bush: "mas nos dar muitos F-16! com chave in hand!"
    prez: "a que horas eh pa tar no iraque mmo?"
    Re:pk eh k portugal se alia aos USA? (Pontos:2)
    por mvalente em 16-03-03 20:24 GMT (#47)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    O facto de achares que quem fala do lado de Portugal é o "prez" (em vez do 1o ministro) só demonstra o quão mal informado estás acerca da forma como funciona o nosso pais e a nossa sociedade e o quanto vale o teu "dichote": zero.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:pk eh k portugal se alia aos USA? (Pontos:2, Esclarecedor)
    por Init em 16-03-03 23:09 GMT (#97)
    (Utilizador Info)

    Os F-16 que os EUA nos ofereceram, estavam guardados num dos depositos de material que os EUA têm para material em excesso, foram guardados em condições de voo, mas apesár disso não estavam em condições operacionais, e tal como os que temos operacionais neste momento, éram armas praticamente inofensivas, pois só são capazes de abater outros aviões a distancias de até 10 km, por isso estão a ser submetidos a uma revisão e a um upgrade chamado Mid Life Upgrade (criado por vários países Europeus que utilizam F-16) totalmente costeado por Portugal. Por tanto desvaloriza essa oferta dos EUA, que aliàs foi feita no governo anterior. O Durão Barroso ganha bem mais na sua propria imagem e no virar das atenções dos portuguêses para assuntos externos. E antes que venhas falar dos C-130, fica a saber que qualquer entusiasta da aviação militar como eu, sabia perfeitamente que mesmo que as OGMA se mantivessem no projecto do A-400 (como deveriam em qualquer caso) e que fossem adquiridos alguns desses aviões, éra inevitavel que também fossem adquiridos C-130, pois 3 ou mesmo 4 A-400 não serviam as nossas necessidades apesár de terem mais capacidade de carga (muito mais), precisamos de mais aviões de transporte, porque nem todos estão operacionais ao mesmo tempo, para além disso os nossos destacamentos no exterior precisam de apoio dessas aeronaves com muita frequência.
    Temos um C-130 destacado na Austrália, se outro tivér a apoiar as forças nos balcans e outro a apoior o destacamento em missão humanitária no Afganistão, se só tivessemos 3 A-400 para as mesmas missões, teriamos perdido nesse instante a capacidade de fazer transporte aéreo e mesmo que tivessemos 4, um poderia está em manutenção, mesmo que a manutenção tivesse sido planeada para termos sempre um disponivél, poderia surgir uma situação de manutenção forçada e mesmo que não houvesse uma situação de manutenção forçada 2 A-400 não têm a capacidade de deslocar uma força de escalão batalhão (mais de 300 homens e várias toneladas de equipamento), quanto mais uma brigada, ou seja, não teriamos a capacidade de projecção uma força aero-transportada relevante e muito menos de a evacuar e quem fala em operações militares pode também falar em operações civis que necessitem de projecção aérea.


    Somos nós e não eles... (Pontos:1)
    por SkyNet em 16-03-03 21:29 GMT (#61)
    (Utilizador Info)
    È esquesito e ao mesmo tempo triste que isto aconteça, para alem de estarmos integrados na U.E. que deveria sempre agir como bloco unico e uma so voz. (Raros são os casos em que isso acontece.) e como tal deveriamos estar coniventes com a opinião Francesa e Alema. Existe algo ainda pior. São paises tipo Grecia, Portugal ... etcc que mais necessitam de estar ao abrigo das organizações internacionais. Os EUA não precisam da ONU para nada, da NATO para nada. Se ate quem precisa lhes torce a cara para que sera então que estas servem, quem pode pode, quem não pode diz que não quer, estas existem apenas para Ingles ver "povinho". Talvez a verdadeira golpada não seja o Iraque ou a UE, mas sim acabar de vez com essas ideias de Organizações Mundiais, para que o mundo seja apenas regido pelos EUA e não por regulamentos que supostamente todos votam...
    Kata Ton Daimona Eaytoy
    Re:Somos nós e não eles... (Pontos:2)
    por joao em 17-03-03 0:12 GMT (#106)
    (Utilizador Info) http://www.nonio.com
    È esquesito e ao mesmo tempo triste que isto aconteça, para alem de estarmos integrados na U.E. que deveria sempre agir como bloco unico e uma so voz. (Raros são os casos em que isso acontece.) e como tal deveriamos estar coniventes com a opinião Francesa e Alema.

    Não era mais fácil os alemães e os franceses mudarem a opinião deles para ela coindicir com a portuguesa, a espanhola, a dinamarquesa, a inglesa, a polaca e a checa?

    ----
    joao
    nonio.com - ciência, tecnologia e cultura

    Re:Somos nós e não eles... (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 1:53 GMT (#120)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Eh eh eh :)

    a polaca e a checa

    Os polacos e os checos ?!?! Esses "american ass kissers" ?!? Estão obviamente a fazer panela para Portugal e Espanha os meterem mais rapido na Uniao Europeia (as if!) e de certeza que têm interesses imperialistas no petroleo...

    ;-)

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Somos nós e não eles... (Pontos:1)
    por SkyNet em 19-03-03 1:09 GMT (#184)
    (Utilizador Info)
    Pois é, tudo muito bonito, mas quero ver o que é mais importante a nossa quota na PAC, ou o dinheiro que podemos cosneguir com ela para comprar o petroleo, nem que este nos possa ser mais barato.

    Basta mais um ano, para se perceber as cosnequencias, economias mundias a descerem, mais o alargamento da U.E. nos Europeus e o resto do mundo a morrer e os USA a crescer, normalmemente não falho este tipo de previsões...

    Espero que agora esteja redondamente enganado...


    Kata Ton Daimona Eaytoy

    Re:Somos nós e não eles... (Pontos:2)
    por Branc0 em 17-03-03 12:32 GMT (#153)
    (Utilizador Info) http://www.syners.org
    É interessante como o Durão Barroso seguir a politica norte-americana em relação ao Iraque é considerado seguidismo mas 15 países diferentes terem todos a mesma opinião em tudo é considerado algo desejável...


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    os do costume... (Pontos:2, Interessante)
    por quantic_oscillation em 16-03-03 21:55 GMT (#70)
    (Utilizador Info) http://fs-oss.cjb.net
    1. ao berloque biduxe...

    "Infelizmente acho que isto só vai servir para o nosso 1º mordomo nacional pôr-se em bicos de pés para servir o café aos três outros."

    A tipica asneira de um bloquista hipócrita, por acaso já disseram/fizeram alguma manifestação contra o ditador do Iraque, Coreia do Norte, Cuba??

    quando os senhores bloquistas se dignam a criticar o sr de Cuba, em vez disso da última vez que o dito passou por cá foi tido como o deus sol a chegar à terra...

    Para ti é sr Primeiro Ministro Durão Barroso...

    "O Durão Barroso já percebeu que no fim da legislatura ele estará queimado para a vida política portuguesa e se calhar procura gora fazer-se um nome nas esferas internacionais para se candidatar a um tacho qualquer, talvez na NATO ou ou que quer que seja que venha substituir a ONU."

    extraordinária capacidade de previsão??? ou desejo???

    vê lá é se ele não consegue uma maioria absoluta confortável???

    mas a ONU é alguma instituição acima de qualquer critica??? nem democrática ela é quanto mais.

    uma instituição supostamente para defender os interesses de todas as nações do Mundo e para manter a paz, não começa lá muito bem quando cinco países que ganharam a 2ª guerra mundial recorrendo tb, tal como os que eles julgaram, a crimes de guerra bem como tendo nas suas esferas mais altas e com algum poder de decisão países como Angola, Líbia etc, sinceramente não sei como se pode achar que se tem de lhe atribuir tanta credibilidade.

    2. ao CrLf

    "Ouvi dizer que eles estão a precisar de alguém para lavar latrinas."

    mais um comentário típico de um sr da esquerda democrática da coreia do norte, passando por terras mais quentes de Cuba...

    "Portugal como membro da União Europeia devia ver onde realmente estão os seus aliados e não se associar a interesses duvidosos de aliados que só são aliados quando isso serve os seus próprios interesses."

    e viu, estão na sua esmagadora maioria com a mesma opinião que Portugal, ou a Alemanha a França e a Bélgica, julgam que são mais que os outros?? o sr chirac acha que sim ao ter tido o descaramento de mandar calar a Polónia, mas afinal que é esse sr chirac??? quem é a França??? os srs da linha Maginot qe não serviu para nada e que depois eles sim estiveram a servir o hitler e que tiveram de pedir ajuda aos americanos, esses sr.s é que representam a Europa??? ou será que é por terem 40% do petróleo do Iraque e estarem quase a perder essa mama???

    afinal de contas se o saddam não é corrido sem o recurso à guerra a isso se deve muito a politica hipócrita quer da França (que ela sim fez com que da última vez os inspectores tivessem sido corridos do iraque, bem como agora tem a atitude hipócrita pela boca do sr chirac, quando diz que vetará, mas que os EUA poderão usar as suas bases e o seu espaço aéreo).

    quer da Alemanha (estes ainda menos se percebe, ou melhor se calhar até se percebe bem, as habituais empresas alemãs que sempre gostaram muito de substâncias tóxicas (zyrkon anybody??)) continuam a fazer o seu dinheirinho, mas se calhar o principal motivo é a alemanha estar cheia de possíveis terroristas.

    afinal de contas os srs do 9/11 viveram e estudaram lá, provávelmente os serviços secretos alemães sabem algo que não contam aos alemães,e assim em vez de fazerem aquilo que deviam, armam-se em pacifistas que não passam de cobardes que se dobram perante terroristas.

    3. ao AC

    "Atencao 'a memoria e nao esquecer que o nosso primeiro, hoje grande paladino da democracia, estudou politica no mesmo livrinho vermelho que o sabujo do Kim Jong Il."

    pois tb eu já gostei do software da m$, mas isso foi antes de saber o que eles faziam e de saber que afinal não era habitual nem suposto um sistema operativo passar a vida a estoirar.

    tal como o Primeiro Ministro Durão Barroso teve umas ideias tristes quando era novo, mas depois evoluiu e verificou que não passavam de asneiras, agora que idade é que o sr Louçã tem e o sr. Cunhal e outros tantos como estes???

    "Mais uma vez atencao, e assinalar que ate' agora nem a Coreia do Norte nem Cuba se auto-intitularam paraisos da democracia na Terra.
    De ditaturas nao se pode esperar outra coisa, mas de auto-proclamadas democracias e' de esperar muito mais."


    claro, claro, e tu tb não declaraste que eras idiota, mas poderemos partir do principio que és????

    4. ao racme

    "Este apoio Unilateral aos estados Unidos, coloca Portugal como alvo de um possivel ataque terrorista em um futuro Proximo."

    portanto agora os terroristas podem fazer o que quiserem e ninguém pode abrir a boca porque pode levar com um atentado em cima.
    já reparaste que caso as democracias acobardem-se e não façam nada porque esses assassinos podem fazer mais um atentado é que os torna mais poderosos???

    mas será que vocês ouvem/lêm o que dizem e escrevem???

    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por biduxe em 16-03-03 23:05 GMT (#94)
    (Utilizador Info)
    1. Não sou berloque.
    Se é o que queres dizer, sim sou simpatizante do bloco de esquerda, se me quiseres colar alguma etiqueta por causa disso estás À vontade, para quem tem uma mente limitada, é mais fácil classificar as pessoas por etiquetas.

    2. Não sou hipócrita, a não ser que para ti um hipócrita seja uma pessoa que expresse a sua opinião.

    3. Não, aínda não fiz nenhuma manifestação na rua contra esses regimes. No entanto, já manifestei por outros meios a opinião que tenho desses regimes. O facto de tu desconheceres essas opinões não faz de mim um hipócrita. Mas já agora, fica aqui escrito: o Iraque é uma dictadura, tendo a agravante de que o Saddam Hussein praticou genocídios na própria população, inclusive com armas químicas; A coreia do Norte é outra dictadura, que considero um caso mais grave aínda do que o Iraque, já que o dictador, usa a fome como instrumento de repressão e enfraquecimento da população; Fidel Castro substitui em Cuba uma dictadura com outra dictadura, mas que aplicou modelos sociais mais justos para a população do que os vigentes até então.
    E tu? já manifestaste contra os regimes desses países?

    4.Ele é sr Primeiro Ministro Durão Barroso, e eu sou berloque biduxe...?

    5.extraordinária capacidade de previsão??? ou desejo??? Expressão de uma opinião. Peço desde já as minhas desulpas por expressar uma opinião com a qual não concordas. (é hipocrisia?)

    6. Maioria absoluta confortável --- Será difícel, já que para a próxima não estou a ver os portugueses a ir na conversa do choque fiscal etc.

    7. A ONU não está acima de qualquer crítica nem é democrática, também eu critiquei e critico a ONU, mas prefiro esta ONU à ausência de ONU.

    8. todos os países membros da ONU podem fazer parte do conselho de segurança o processo é de rotativismo já agora se tiveres alternativas exprime-te, também discordo da atribuição de assentos permanentes.

    Eu sei bem o que escrevo e sou coerente nas minhas opiniões. Posso discordar das tuas iopiniões, não posso?
    ------ EOFim.
    Re:os do costume... (Pontos:1, Lança-chamas)
    por mvalente em 16-03-03 23:15 GMT (#99)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    para quem tem uma mente limitada, é mais fácil classificar as pessoas por etiquetas.

    Em contrapartida, nada como ser um "iluminado de esquerda" (uma etiqueta) que nunca classificam ninguem por etiquetas e para quem todos os "fascizoides de direita" (outra etiqueta) não passam de pessoas com "mente limitada" (ah, exacto... outra etiqueta)

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 1:57 GMT (#122)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Oh jovem, está enganado... Eu rotulo as coisas e mais: acho que podem e devem ser rotuladas. Portanto tenho autoridade moral para rotular e criticar.

    O meu comentario nao foi por causa dos "rotulos" mas sim por causa de alguem a criticar "rotulos" e a usar um ao mesmo tempo. Isso é que não ter moral.

    Consegues atingir a diferença ?

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por biduxe em 17-03-03 10:40 GMT (#140)
    (Utilizador Info)
    e alguem que diz e repete:
    "Esta é a dialéctica típica esperada dos colectivistas" para todas as coisa contra as quais não tem argumentos?

    Os teus comentários é que são todos iguais... Para a próxima poupa trabalho e posta só um a dizer:

    Todods os que têm opinião contrária à minha usam de uma dialéctica esperada e típica que retira todo e qualquer valor que de qualquer forma já não tinham às suas opiniões.
    ------ EOFim.
    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 23:36 GMT (#103)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Mas já agora, fica aqui escrito: o Iraque é uma dictadura, tendo a agravante de que o Saddam Hussein praticou genocídios na própria população, inclusive com armas químicas; A coreia do Norte é outra dictadura, que considero um caso mais grave aínda do que o Iraque, já que o dictador, usa a fome como instrumento de repressão e enfraquecimento da população; Fidel Castro substitui em Cuba uma dictadura com outra dictadura, mas que aplicou modelos sociais mais justos para a população do que os vigentes até então.

    Isto nem precisa de ser dito. Irrita-me solenemente que não se possa ser contra uma guerra no Iraque sem que venha alguém atacar com o argumento ignóbil de que estamos a defender o Saddam... tenham juízo. Justifiquem as vossas posições sem usar argumentos estúpidos... ninguém está a favor do Saddam.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 1:55 GMT (#121)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    ninguém está a favor do Saddam.

    Entao, se nao está s favor do Saddam, o que sugeres que se faça ? Tirando, obviamente, mais 10 anos a passar resoluções na ONU...

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por CrLf em 17-03-03 2:18 GMT (#129)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    A ONU precisa de uma séria reformulação (acabar com ela e começar de novo é mais apropriado).

    Para clarificar e não dizerem que afinal estou a defender a opção dos EUA basta fazer uma analogia com a 1ª república. O estado lastimoso da 1ª república levou ao Estado Novo da mesma forma que o estado lastimoso da ONU levou à crise actual. Em ambos os casos o mau estado de uma instituição com pontencialidades e valor levou a que certos alguéns com "hidden agendas" se aproveitassem e criassem situações de longe piores.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:os do costume... (Pontos:1)
    por Init em 17-03-03 11:19 GMT (#146)
    (Utilizador Info)

    Entretanto os iraquianos e outros povos do mundo que estão a ser oprimidos, ou que dependem do apoio da ONU, ficam à espera?


    Re:os do costume... (Pontos:1)
    por Init em 17-03-03 11:30 GMT (#147)
    (Utilizador Info)

    Quem está contra uma intervenção armada, pode até nem estár contra o Saddam, mas está a fazer-lhe um grande favor, está a manter os status quo dos ultimos anos em que a situação não se resolveu e está a criar divisões entre os que não gostam do Saddam.
    Uma intervenção militar, ou uma demonstração muito clara da comunidade internacional em faze-la, para acabar com esta situação, parece-me inevitavél, ninguem pensa que um genocida, megalomano, vai desarmar a bem, é que ele não fez em 11 anos, porque é que vou acreditar nisso ao fim do deste tempo todo? O que é que mudou?

    Se estão preocupados que os EUA tentem impor os seus interesses por cima dos dos iraquianos, então façam algo para que a solução passe por defender os interesses dos iraquianos, mas para isso a Europa e de preferência o resto do mundo tem que fazer parte de uma solução séria e não desta palhaçada que já se arrasta à 11 anos.


    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por Xmal em 17-03-03 18:37 GMT (#170)
    (Utilizador Info) http://gsd.di.uminho.pt/cbm
    Fidel Castro substitui em Cuba uma dictadura com outra ditadura, mas que aplicou modelos sociais mais justos para a população do que os vigentes até então

    A perpétua imagem do ditador benévolo.

    É verdade que o Fidel tem um ar muito mais simpático do que o Pinochet, e que mantem o país calmo e bem comportado, sendo por isso um excelente destino de férias. Não é por isso que é menos ditador. Tal como o Salazar não o deixou de ser lá por se considerar a nossa ditadura de brandos costumes (eu sei que a realidade era mais negra).

    Será assim tão difícil perceber que as ditaduras não têm esquerda nem direita ?

    Para mim, um modelo social justo é aquele em que posso escrever num boletim de voto.

    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por biduxe em 18-03-03 11:11 GMT (#179)
    (Utilizador Info)
    Estou de acordo contigo, mas entre Fidel e Batista, prefiro Fidel.

    Quando tratarmos de resolver casos mais urgentes pelo mundo fora, trataremos então de Cuba. saliento dois pontos
    1 - Existem vários pontos que deviam estar na frente do iraque nessa lista
    2 - A forma como os EUA estão a tratar o caso do iraque não é adequada, assim como não é adequada a forma como tratam o problema de Cuba

    Para mim, um modelo social justo é aquele em que posso escrever num boletim de voto.

    Não... Isso que descreves é um modelo político justo, sendo que esse modelo político justo deve/pode levar a um modelo social justo.
    ------ EOFim.
    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por CrLf em 16-03-03 23:30 GMT (#102)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    mais um comentário típico de um sr da esquerda democrática da coreia do norte, passando por terras mais quentes de Cuba...

    Bem, não sei bem em que zona do espectro político me estás a tentar colocar mas posso desfazer já as dúvidas com um centro-esquerda. Mas curiosamente desta vez até concordo com os bloquistas. Se me estavas a tentar insultar... falhaste.

    Mas ainda bem que falas em Cuba. Cuba é um belo exemplo da política externa dos EUA, que mantém um embargo imbecil que faz do povo cubano uns miseráveis. O Fidel Castro não é flor que se cheire, mas quem disser que é por culpa dele que o povo vive na miséria é parvo.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 2:03 GMT (#124)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    O Fidel Castro não é flor que se cheire, mas quem disser que é por culpa dele que o povo vive na miséria é parvo.

    :-) Ah ah ah ah ! :-) "Tao irreal, imaginario, tao irreal... popular... surrealizar por aí"... Ah ah ah ah! :-)

    E a Albania ? Era porque embargo ? E a China rural (ou toda a China pré-capitalismo vermelho) era porque poder oculto dos EUA ?

    É como já te disse: a distancia nao é grande de um "american ass kisser" a um "anti americano primário"...

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por CrLf em 17-03-03 2:12 GMT (#127)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Uma vez que eu estava a falar de Cuba, acho que quem tem de rir sou eu... do teu comentário.

    -- Carlos Rodrigues
    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por racme em 16-03-03 23:38 GMT (#104)
    (Utilizador Info) http://rmitz.org/freebsd.daemon.html
    4. ao racme
    "Este apoio Unilateral aos estados Unidos, coloca Portugal como alvo de um possivel ataque terrorista em um futuro Proximo."
    portanto agora os terroristas podem fazer o que quiserem e ninguém pode abrir a boca porque pode levar com um atentado em cima.


    'Es capaz de ter razao no que dizes, e a minha opiniao ja contestada anteriormente por um outro leitor do gil e' capaz de ser uma completa paranoia. Mas tu no dia 10 de Setembro de 2001 se disseses que no dia seguinte 2 boeings iriam provocar a destruiçao das estruturas laterais de suporte e um calor tal originado a fusao das vigas de aço levando ao desmuronamento das 2 torres do World Trade Center de 415 e 417 metros respectivamente, quem e' que seria o paranoico?
    Nao estou a dizer que os responsaveis nao devem ser julgados embora, nao seja solucao para o problem. E' como a questao do Medio Oriente e da intifada dos ataques suicida, os carros bomba etc. Enquanto nao se arranjar um solucao politica *pacifica* para o conflito, bem pode Israel vir com os tanques, bombardear extreminar, capturar terroristas, palestinos criancas ou o que seja que a vaga de terror nao ira parar.

    E' perfeitamente legitimo pensar nestas questoes. Portugal vai organizar um grande evento Europeu, Portugal possui grandes estruturas mundiais capazes de agucar o apetite a uma mente mais tresloucada qualquer que seja o motivo ou razao.
    E uma maneira de nao os agucar e' fazer o que ha' a fazer sem showoffs politicos ou colocar em biquinhos de pes. Diplomacia meu caro amigo. Os exercitos devem ter como missao a paz e a defesa nacional, e nao atacar paises terceiros!

    Eu sinceramente nem me importava que realizasem a cimeira nos Açores mas era precisso aquele vedetismo, aquele colocar de bandeiras lado a lado. 'E sinceramente nem Portugal e' um membro permanente com poder de veto como os States ou o UK nem um membro temporario como a Espanha. Sinceramente nao percebi se foi a cimeira dos 3+1 dos 4 ou dos 4-1 !? Agora que nos nao precissavamos desse mediatismo disso estou certo.

    já reparaste que caso as democracias acobardem-se e não façam nada porque esses assassinos podem fazer mais um atentado é que os torna mais poderosos???
    mas será que vocês ouvem/lêm o que dizem e escrevem???

    Por momentos pensei que estavas a responder aos 80 milhoes de alemaes aos 50 milhoes de francesses, a grande maioria dos portugueses e grande maioria da populacao mundial que partilha da mesma opiniao que a guerra nao 'e a solucao.


    Make World; Not War;
    Re:os do costume... (Pontos:1)
    por Init em 16-03-03 23:46 GMT (#105)
    (Utilizador Info)

    Achei curioso ver as bandeiras de Espnha e Reino Unido lado a lado. Alguem se lembra de Gibraltar??
    Isto não foi uma cimeira ele vieram foi tomar um chá, ou acham que eles decidiram alguma coisa, que não pudessem decidir por telefone?


    Re:os do costume... (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 2:17 GMT (#128)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    O Durão "Ranhoso" uma maioria absoluta confortável?

    É o tipo de comentário (p.ex "palermas") que se espera dos colectivistas democratas mas que não sabem perder. Mas que era desnecessário. Nao fica bem. Como nao ficaria bem usar como "argumentos" referencias a um Carlos "Caralhas", um "Frandisco" Louçã ou "Espeto" Rodrigues. Tudo senhores que basta vezes recorrem ao ataque ad hominem. É popularucho e, na falta da revista do parque Mayer, o povo gosta...

    Fod@sse... só se for com o teu voto. Até agora não vi nada que considere realmente bem feito por este governo.

    E com o meu. Também não estou a gostar de tudo o que está a ser feito (p.ex. era preciso despedir 100 mil da função publica) mas sempre é melhor do que os incompetentes que lá estavam antes.

    Primeiro, prometem vender a RTP2. Como se calhar não é muito boa ideia,

    Mudam de ideias. Não é bom ? Chama-se a isso democracia, ouvir o povo. Sempre é melhor do que manter os preços da gasolina e lixar a economia do país para ser um gajo porreiro...

    Os impostos que iam baixar, subiram para 19% [como será de prever, descem 6 meses antes das eleições legislativas].

    Já estás a ver porque é que uma maioria absoluta é possivel ? :-)

    Pronto pronto, desceu o IRC [acho que foi esse]

    Ui... temos homem...

    desceu o imposto que afecta as empresas, subiu o imposto que afecta todos.

    Faz sentido. É bom que desçam os impostos das empresas, já que são elas que te dão emprego e te pagam o salário.

    quem já fez merda e está atolado até ao pescoço [Estados Unidos da América] que resolva os seus problemas

    Mas então... é precisa a ONU e o direito internacional ou não ?

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:os do costume... (Pontos:1)
    por Init em 17-03-03 11:35 GMT (#149)
    (Utilizador Info)

    A função publica, nos actuais moldes tecnologica não precisa de despedimentos, à várias instituições da função pública que têm falta de pessoal, precisa é de uma gestão de recursos humanos decente e que se pare de contratar pessoas de fora para fazer o trabalho dos que lá estão.


    Conclusão... (Pontos:4, Interessante)
    por Psiwar em 17-03-03 3:18 GMT (#134)
    (Utilizador Info) http://www.netcode.pt
    O resultado da cimeira não deixou dúvidas. E de facto, o triunvirato da "democracia" tem razão. A resolução 1441 permite o recurso à "força" e fizeram bem em passar a bola para o lado das Nações Unidas. Assim, mesmo que não ajam sobre um mandato das NU, tem legitimidade para avançar. E se o triunvirato do "pacifismo" quiser impedir essa avanço terá que fazer passar uma nova resolução. Obviamente essa resolução seria vetada por EUA e Inglaterra. Os "defensores" do direito internacional precisam de perceber isto, actualmente a resolução em vigor está do lado dos cruzados e já nada conseguirá impedir esta guerra.

    Mas irá ser mesmo uma guerra? Tenho dúvidas. Penso que será uma intervenção militar caracterizada pela rapidez. As forças americanas e inglesas já andam a "alisar" o terreno à mais de um mês e na verdade não vai haver grande hipóteses para os Iraquianos a nível de combate militar. Conquistar cidades e vergar o povo já vai ser outra história porque é bastante incerta qual vai ser a reacção do povo iraquiano. Tanto podem estar famintos e moribundos, como determinados e desafiadores. Sabe-se que as populações do Sul (xiitas) e do Norte (kurdos) não irão apresentar grandes problemas. No entanto, não se passará assim nas restantes zonas e poderemos assistir a bastante resistência a Este e bastante guerrilha a Oeste. Ainda assim se algo estiver a correr mal, sempre podem usar a MOAB para subjugar aqueles que não quiserem ser "convertidos". Se alguém é capaz de usar armas de destruição massiva... são os Americanos.

    Logo a única esperança do mundo, é que a guerra seja feita com o máximo de celeridade para minimizar o número de vitimas. E assim que o Saddam seja deposto (de uma forma ou de outra) e o governo fantoche instalado, o mundo poderá voltar a alguma "normalidade". Mas o Iraque é apenas o primeiro objectivo de muitos, por isso brevemente voltarão a haver razões para o pessoal se juntar todo em manifestações de paz e de apoio ao próximo ditador. E depois de se acabar com os ditadores, vai-se atrás dos menos "democráticos" e depois atrás aqueles que não são democráticos como "eles", até que só sobre uma moral sobre a face da Terra. A moral deles, os valores deles. Os que sobrarem serão sementão... muitos felizes (senão já se sabe). Bem... mas estou a divagar...

    Os motivos para isto já muitos sabem... outros suspeitam. E depois à aqueles que preferem ignorar os verdadeiros motivos em nome do "bem" maior.

    Quem são estes? E o que fazem eles na administração Bush?
    E agora algo que poucos tem conhecimento. Sabiam que a indústria do petróleo está contra a indústria do armamento nos EUA? E que o Bush tenta agradar os dois?
    Porque irão vocês todos continuar a colar-se à direita ou à esquerda, entre "certo" e "errado", entre o meu lado tem razão e o teu não? O mundo funciona por interesses e as ideologias servem esses mesmo interesses. Um dia temos um Hitler que é socialista, no outro podemos ter um Bush que é conservador. É irrelevante.

    Quem quer realmente um mundo melhor, deve começar a pensar em separar-se das actuais ideologias politicas e religiosas que governam o mundo. Só assim se conseguirá resolver os problemas de forma a que o interesse de todos e do individuo se sobreponha ao interesse do meu ou do teu grupo.
    Re:Conclusão... (Pontos:2)
    por joaobranco em 17-03-03 9:26 GMT (#137)
    (Utilizador Info)

    Mas irá ser mesmo uma guerra? Tenho dúvidas. Penso que será uma intervenção militar caracterizada pela rapidez.
    Também tenho a impressão de que vai ser rápida, mas não tenho dúvidas que vai ser mesmo uma guerra, pelo menos para aqueles que forem afectados por ela... Se tudo correr bem, o número de mortes será de milhares, mas mesmo assim...
    Conquistar cidades e vergar o povo já vai ser outra história porque é bastante incerta qual vai ser a reacção do povo iraquiano. Tanto podem estar famintos e moribundos, como determinados e desafiadores. Sabe-se que as populações do Sul (xiitas) e do Norte (kurdos) não irão apresentar grandes problemas.
    Por acaso, acho exactamente o contrário. O problema principal vai estar no Norte, principalmente se os turcos intervierem... Os Iranianos provavelmente não vão ter muita coragem para armar o sul, mas o Curdos foram já armados... Claro que não vais ver directamente na televisão as lutas entre Curdos e Turcos, como já não vês hoje as lutas entre os senhores da Guerra afegãos... e o que não aparece na CNN, por definição, não existe.
    No entanto, não se passará assim nas restantes zonas e poderemos assistir a bastante resistência a Este e bastante guerrilha a Oeste. Ainda assim se algo estiver a correr mal, sempre podem usar a MOAB para subjugar aqueles que não quiserem ser "convertidos".
    Talvez... mas o mais provável é que nessa altura (quando o terrorismo aparecer a sério no Iraque, o que só vai ocorrer depois de algum tempo) o mundo já esteja a olhar para os próximos alvos do eixo do bem (a Siria? o Irão? Quem sabe se mesmo a Arábia Saudita? A Coreia do Norte deve ficar para os chineses tratar, que é muito chata...) e não tenha grande paciencia para ver isso.

    Cumps, JB

    Algumas considerações sobre a guerra anunciada (Pontos:5, Esclarecedor)
    por grumbler em 17-03-03 13:15 GMT (#154)
    (Utilizador Info)
    Penso que qualquer pronunciação fundamentada sobre esta guerra já há muito anunciada é impossível sem tomar em conta os factores que estão por detrás da mesma, e que poderão ou não justificar uma intervenção militar no Iraque, e se é de facto honesta a argumentação de que o mesmo tem como objectivo o desarmamento de um regime ditatorial, perigoso para os seus vizinhos e detentor do que agora está na moda chamar de "armas de destruição maciça"

    Argumenta-se que o Iraque é regido por um ditador que necessita ser deposto e que dispõe de armamento NBQ (Nuclear, Biológico ou Químico), no entanto escamoteia-se que esse mesmo ditador contou durante muitos anos com o apoio explicito dos EUA na guerra que opôs o Iraque ao Irão. Relevante é também o facto de que a teocracia Iraniana, que se tornou um dos arqui-inimigos dos EUA na região surgiu, como um movimento de levantamento popular ao regime despótico do Xá Reza Pahlevi, que foi apoiado pelos EUA em oposição ao primeiro-ministro Muhammad Mussadegh. Ou seja, os EUA apoiaram um Saddam Hussein já com claros traços ditatoriais para contrariar o regime teocrático Iraniano que tinha sido causado ás suas ingerências na região. Por outro lado, quando Saddam Hussein bombardeou com armas químicas populações curdas em 1988, tendo causado a morte de cerca de 5 mil pessoas, numa altura em que o regime de Saddam Hussein ainda era considerado um regime amigo dos EUA não se ouviram argumentações de Saddam ser um ditador ou um perigo para os seus vizinhos. Muitos mais ataques foram perpetrados contra a população curda durante a década de 80 sem que o governo dos EUA tivessem expressado o mínimo de preocupações humanitárias sobre o que fazia o seu aliado. Só após o fim da guerra Irão-Iraque e com a invasão do Koweit (um país que também deixa muito a desejar relativamente a democracia) é que Saddam passou a ser considerado um perigo para a região.
    Mas mesmo sendo considerado um perigo para a região, após o fim das hostilidades e quando no Iraque surgiu um levantamento popular com o objectivo de derrubar o regime Iraquiano, os EUA e aliados (que dominavam cerca de metade do pais) limitaram-se a observar enquanto dezenas de milhares de pessoas eram mortas pelo regime em respostas a sublevações contra Saddam.. talvez porque os EUA temessem que não conseguissem controlar eficazmente um regime que tivesse surgido de um levantamento popular e se pudesse tornar um potencial aliado do Irão.

    Durante cerca de 12 anos a questão iraquiana permaneceu adormecida na opinião pública e nos média, tendo despertado apenas 1998 quando em pleno escândalo "Mónica Lewinsky" (coincidência interessante) o presidente Bill Clinton anuncia bombardeamentos a esse país por não estar a cooperar com os inspectores das Nações Unidas. Até que no rescaldo do 11 de Setembro o presidente George W. Bush lança o conceito de "eixo-do-mal" (que é de certa forma uma recuperação do "império do mal" de Ronald Reagan) em que com critérios algo obscuros encaixa Iraque, Irão e Coreia do Norte (deixando de fora curiosamente um país como a Arábia Saudita de onde vinham a maioria dos terroristas que causaram o ataque ás torres do World Trade Center).
    Após uma campanha relativamente bem sucedida no Afeganistão, onde morreram perto de 4 mil civis, que foram descartados como "danos colaterais" mas que não conseguiu a captura dos cabecilhas da Al-Qaeda, o governo dos EUA volta-se para o Iraque como o seu próximo alvo na sua guerra contra o terrorismo, alegando conexões á Al-Qaeda (conexões essas que a própria CIA considera discutíveis).. no entanto há medida que a justificação da ligação á Al-Qaeda se vai tornando menos credível, começa a aparecer a argumentação do Iraque possuir armas de destruição "maciça" como factor legitimador do ataque, argumentação essa que chega ao cumulo de se ter tentar provar com a apresentação nas Nações Unidas de provas que são baseadas num plágio de uma tese de mestrado apresentada em 1991 .

    Ora sabendo nós que existem regimes que possuem armas nucleares e que ocupam outros países, praticando inclusive a segregação racial no seu próprio pais e que são apoiados pelo governo dos EUA, onde é que se encontra a legitimação de um ataque ao Iraque quando nem sequer existem provas concretas e objectivas do mesmo regime deter armas de destruição "maciça" ?
    Não significa isto que seja um apoiante do regime iraquiano, e que apoie o mesmo regime. Para que não existam confusões, considero o regime iraquiano um regime ditatorial e que oprime de uma forma ignóbil o seu povo.. mas não o considero pior que muitos regimes que os sucessivos governos dos EUA apoiaram ao longo dos anos (poderia-se falar na Indonésia, nas ditaduras dos generais sul-americanos, da África do sul, etc, tudo regimes apoiados em nome da "democracia" e da "liberdade"). Nada me move contra os EUA enquanto povo, e até reconheço factores progressistas e positivos no país. No entanto parece-me que existe uma grande separação entre os principios positivos constituintes dos EUA e as acções dos seus sucessivos governos.
    Que os interesses geoestratégicos se baseiam numa politica de defesa de interesses próprios que se sobrepõe aos de terceiros é um facto que infelizmente todos os povos o sabem. Que tal seja inevitável já é algo que eu discordo, e até sou daqueles que acredita na necessidade e na possibilidade de transformar esse tipo de relacionamento.. mas aqui divago e isto seria um motivo de discussão para outro tópico.
    Agora a questão aqui é que os sucessivos governos dos EUA sempre colocaram a tónica dos seus discursos numa luta em que eles deteriam a superioridade moral, em que era a luta do bem contra o mal, da luz contra as trevas,etc, em que eles representavam o bem e os seus opositores representavam o mal. Neste contexto vem a argumentação do actual presidente de que os Iraque pertence ao chamado "eixo do mal" (alguém deveria explicar ao senhor o significado da palavra eixo, porque a agregação de países tão distintos ideológica e geograficamente num eixo é um disparate pegado), preparando dessa forma o terreno para ataques a esses países na ressaca dos atentados de 11 de Setembro, ignorando curiosamente a Arábia Saudita, país de onde até era originário Osama Bin Laden (que continua a monte) . Ainda por cima esta argumentação nem é algo de particularmente inovador porque já na década de oitenta Ronald Reagan utilizava a expressão "Império do Mal" para se referir á ex-URSS.
    Ora sendo os sucessivos governos dos EUA os primeiros a invocar a moral (que afirmam estar do seu lado) como justificativa para atacar qualquer país, não se podem depois descartar que outros demonstrem que a tal moral que tanto invocam é uma moral muito sui géneris e apenas aplicada naquilo que lhes convém.
    Claro que nisto tudo os governos da França, da Rússia e da Alemanha não estão na questão pelo lindos olhos dos Iraquianos e que têm interesses envolvidos.. só um ingénuo é que pensaria o contrário, e não me parece que esses interesses sejam mais ou menos legítimos que os que o governo dos EUA apresentam... apenas que não recorrem à argumentação de "direitos morais", nem da luta do "bem contra o mal" como o governo dos EUA tanto gosta de esgrimir.

    Por outro lado parece-me ser no mínimo redutor indicar que qualquer posição contra seja uma posição de cobardia ou de inveja, ou que seja uma posição de anti-americanismo. Até porque a posição de quem é a favor deixa muito a desejar em termos de coerência, pois não são explicados factos essenciais como as razões que levam a que o desarmamento do Iraque tenha passado de um dia para o outro a ser algo de essencial, quando existem outros países que detêm armamento nuclear e cujo perigo de utilização do mesmo é bastante superior (como o caso do Paquistão e da Índia, que estão envolvidos num conflito militar de longa duração por causa de Caxemira), ou que têm violado sucessivamente as resoluções das Nações Unidas sem que tivessem sofrido alguma consequência (como é o caso de Israel), ou nos quais as violações dos direitos humanos sejam uma constante (alguém ouviu falar da ex-Birmânia, actualmente Myanar?)

    Alguns comentadores afirmam que se está a paralisar o conselho de segurança ao vetar-se uma nova resolução que preconize a guerra... como se fosse a primeira vez que um pais veta uma resolução, e como se os EUA não tivessem já vetado dezenas de resoluções, muitas das quais sendo o único pais contra ou será que agora vetar uma resolução proposta pelos EUA significa paralisar o conselho de segurança? Desde quando é que o conselho de segurança passou a servir como o feudo privado do governo dos EUA?
    É um facto inquestionável que os EUA são actualmente a potência hegemónica a nível militar. Agora parece-me manipulador que se afirme como alguns comentadores defendem que se a Europa não dispõe de uma força militar é porque não quis apostar nessa área... como se os EUA não tivessem dissuadido qualquer tentativa de construção de um exército europeu.. ou como se a Europa não fosse ainda um projecto em construção e como tal não fazer sentido em falar-se numa verdadeira força militar enquanto não existir um acertar de agulhas politico. Afirma-se que o direito internacional que os "pacifistas" tanto defendem se deve exactamente á existência da hegemonia militar dos EUA.. mas que direito internacional seria então esse que estaria subjugado aos interesses estratégicos de um único país, interesses esses que têm demonstrado ser de todo dissonantes com o tal "direito internacional"? Isto já para não falar que estes senhores se esquecem de referir que os EUA são o país que maior dividas tem para com as Nações Unidas. Defenderão eles que os EUA passem a ser definitivamente a força militar por excelência para policiar o mundo? E quem controlaria então essa mesma força militar? Parafraseando uma frase conhecida, "Who watches the watchmen"? Ainda por cima tendo em conta que a balança comercial dos EUA ultrapassava os 400 mil milhões de dólares em 2001, e que a maior exportação dos EUA actualmente é o dolar, seria uma tentação demasiado grande para os EUA utilizarem essa força militar para desestabilizar outros países e dessa forma resolver a sua enorme divida externa. Ou teremos então nós que concordar, como parece defender Pacheco Pereira, com todos os desmandos que a politica externa dos EUA decidir para que os mesmos não abandonem as Nações Unidas qual criança birrenta que se fecha no seu quarto?

    Outras pessoas apelam à compreensão do facto dos EUA terem sido atacados pela primeira vez no seu território.. e pergunto eu, e dai? Isso dá-lhes o direito de atacarem todo e qualquer país que não gostem, indepentendemente da existência ou não de provas relacionadas com esse ataque? Até quando será legitimo que o governo dos EUA tenha um cheque em branco passado em nome das vítimas (vitimas essas que forma até em menor número de muitos outros ataques perpetrados por esse mundo fora) de 11 de Setembro que lhes permitam fazer o que bem entender? Que lhes justifique atacar preventivamente qualquer país por qualquer razão invocando esse mesmo cheque em branco? É que a argumentação dos ataques preventivos foi exactamente a argumentação utilizada pelo governo alemão para invadir outros países. Não quero com isto dizer que o governo dos EUA seja um governo nazi (aliás, acho preocupante que se compare Bush a Hitler, porque isso minimiza de uma forma gravíssima o que foi feito pelos nazis na segunda guerra mundial), apenas chamar a atenção para o tipo de argumentação utilizada.
    Pessoalmente parece-me que George W. Bush tem dado mostras que seria um ditador tão ou mais perigoso como Saddam Hussein caso as condições politicas de ambos os países fossem idênticas. Felizmente para todos nós os EUA com todos os defeitos que se lhe possam apontar (nomeadamente de ser uma plutocracia e não uma democracia) ainda tem um sistema de verificações e limitações de poderes que impeçam que um louco como Saddam (ou um imbecil como George W. Bush) exerça o poder que Saddam exerce no Iraque... mas também não deixa de ser verdade que muitos governos têm atacado severamente esse sistema de verificações e limitações sendo que os acontecimentos de 11 de Setembro foram utilizados para revogar muitas das liberdades cívicas existentes nos EUA através do PATRIOT act, ao qual se opõe muitas ONG's dos EUA .

    Não quero com isto dizer que os EUA não tenham o direito de se defender.. mas em que é que um ataque ao Iraque se enquadra numa politica de defesa? Ou numa politica de defesa dos seus aliados ? Isso até agora não foi explicado, apenas que não se podia deixar que o Iraque tivesse armas de destruição "maciça" (armas essas cuja existência não foi provada) ou que apoiava a Al-Qaeda (apoios esses que a própria CIA disse duvidar que existissem).

    Dividir toda esta questão entre o anti e o filo americanismo parece-me ser perfeitamente redutor, até porque a questão não se trata de ser a favor ou contra o povo dos EUA. Agora o facto de nada ter contra o povo de um país, e até encontrar muitos aspectos positivos nas bases da construção da sociedade norte americana (como é o projecto emancipador de um povo e os ideias de igualdade e liberdade que serviram de base á constituição dos EUA) não significam que tenha que prestar vassalagem ao governo desse mesmo país, governo esse que recordo ser liderado por alguém que nem sequer foi o candidato mais votado (isto já para não falar na enorme abstenção que existe nos EUA). Parece-me de uma grande desonestidade intelectual o que muitos fazem ao acusar de anti-americanismo ou de ingratidão quem se tem vindo a opor a esta guerra.
    Um conflito tão mal fundamentado como este, numa região já de si extremamente conturbada, só irá ainda criar mais instabilidade na região e reforçar as razões que alimentam os fundamentalismos que por sua vez fazem crescer os grupos terroristas que o governo dos EUA diz querer combater, fundamentalismo religioso esse que os sucessivos governos dos EUA alimentaram durante décadas como meio de conter os regimes laicos tendencialmente pró-soviéticos da região.. é caso para dizer que a criatura se terá voltado contra o seu criador...

    --
    What, Me Worry?

    Re:Algumas considerações sobre a guerra anunciada (Pontos:1)
    por Init em 17-03-03 14:46 GMT (#162)
    (Utilizador Info)

    Portanto, não se muda nada que os EUA tenham feito mal no passado, apenas por os EUA ter feito mal no passado, ou por haver outros casos (alguns deles piores)?! Ignora-se completamente o facto de o Saddam ser um ditador do pior que há. Tou a perceber essa logica...
    A unica maneira de se depor alguns regimes é pela força e isso por muito que nos custe a todos é impossivél sem os EUA, é bom aproveitar a vontade dos EUA para derrubar um. Porque de facto os pedidos dos EUA para os paises da NATO investirem na defesa sucederam-se e existe uma doutrina militar, que abrange a maioria dos paises da UE que também são membros da NATO, o problema são paises como a Austria que nunca poderiam fazer parte de uma UE com forças armadas. Não seria demasiado dificil aos paises da UE que também fazem parte da NATO coordenar os esforços de criação de forças combinadas conjuntas (um conceito da NATO, já aplicado não só em imensos exercicios, como também em casos reais) com os paises da UE, desde que houvesse vontade politica.
    Coerência não é uma virtude, é um defeito dos tacanhos, que não evoluem.

    O Iraque já usou armas de destruição massiça. Teve 11 anos para as esconder e nunca deixou que os inspectores fizessem o seu trabalho como deve de ser. Se não as tem quér que pensem que tem para poder fazer chantagem, qualquer uma dessas situações é inaceitável.

    Não gosto do Bush nem deste governo dos EUA (acho que tem traços muito marcados de uma ditadura), temo os projectos dos EUA para o Iraque, também acho que a deposição do governo do Iraque pela força é necessária e acho que cabe ao mundo evitar que o Iraque se torne num feudo dos EUA, envês de se tornar num estádo livre, democrático e soberano.


    Re:Algumas considerações sobre a guerra anunciada (Pontos:2)
    por grumbler em 19-03-03 5:50 GMT (#185)
    (Utilizador Info)
    Antes de mais coerência não significa de todo tacanhes e inexistência de evolução, significa isso sim a existência de um fio condutor entre as tuas posições. Pode-se evoluir e ser coerente naquilo que se diz, ou não se ter o mínimo de coerência e tal não significar evolução. Se alguém afirma que é pela liberdade e pela democracia e que por isso vai derrubar um ditador mas ao mesmo tempo tem boas relações com outros ditadores, ou apoia outros países que violem também grosseiramente os direitos humanos então está definitivamente a ser incoerente.

    Quanto ao Saddam Hussein ser um ditador do pior que há, a enorme lista de ditadores que foram ainda bem piores que Saddam Hussein com os quais os sucessivos governos dos EUA tiveram ou boas relações ou apoiaram de uma forma ou de outra torna no mínimo discutível que alguém que venha a substituir Saddam Hussein no poder após uma invasão promovida pelos EUA seja um ditador menos mau que Saddam. Por outro lado, é curioso como é que toda esta situação evoluiu de uma questão relacionada com o terrorismo para uma questão relacionadas com armas de destruição em massa (o termo de "armas de destruição maciça" parece-me incorrecto porque maciço refere-se a compacto e não a massa) para mais recentemente mais parecer um feudo pessoal entre George W. Bush e Saddam Hussein. Então agora basta que Saddam Hussein saia do Iraque para tudo se resolver???? Pois se é certo que Saddam Hussein esvaziou o Baas iraquiano do seu conteudo ideológico inicial para servir como instrumento de poder pessoal, é pouco provável que o regime se altere significativamente com a substituição de Saddam Hussein por outra pessoa sem uma transformação na sociedade.. mas como o que o governo dos EUA parece pretender não é uma alteração na estrutura de poder, mas apenas que a mesma lhe seja favorável, então é natural que cada vez mais encare como sendo Saddam Hussein o único problema.

    Portanto, não se muda nada que os EUA tenham feito mal no passado, apenas por os EUA ter feito mal no passado, ou por haver outros casos (alguns deles piores)?!
    O que eu pretendia demonstrar era que a grande maioria das ingerências dos EUA na região do médio oriente só tornaram uma região já de si conturbada em situações ainda piores... e quem refere ingerências dos EUA pode também falar das ingerências inglesas e francesas (e admitidamente os soviéticos também deram uma mãozinha à situação), que após a primeira guerra mundial devido a interesses próprios criaram diversos países na península arábica com regimes mais ou menos controlados á distância, contrariando os desejos árabes da criação de uma nação única árabe (aliás, o partido Baas tem exactamente como base o nacionalismo pan-árabe), sendo que o conceito de nacionalidade iraquiana, palestiniana, siria ou outra era um conceito que me parece ser inexistente até então, existindo isso sim a consciência de pertencerem todos à nação árabe.
    Não se trata portanto de não se poder corrigir nada, mas sim de que este tipo de ingerências externas na região sem ter em conta a população árabe (que mais uma vez é o que acontece) só irão atirar mais lenha para a grande fogueira que é a peninsula arábica.

    Porque de facto os pedidos dos EUA para os países da NATO investirem na defesa
    Exactamente.. investirem na NATO e não em mecanismos de defesa próprios... porque essa ideia da União Europeia ter uma força de intervenção própria é algo que definitivamente não deverá ser das coisas que as classes que governam os EUA encararão com muitos bons olhos.

    --
    What, Me Worry?

    Re:Algumas considerações sobre a guerra anunciada (Pontos:2)
    por zaroastra em 17-03-03 14:57 GMT (#163)
    (Utilizador Info)
    clap clap clap
    Re:Algumas considerações sobre a guerra anunciada (Pontos:2)
    por mvalente em 17-03-03 18:47 GMT (#171)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    alguém ouviu falar da ex-Birmânia, actualmente Myanar?)

    É Myanmar (ou Myanma ou Pyidaungzu Myanma Naingngandaw)

    Felizmente para todos nós os EUA com todos os defeitos que se lhe possam apontar (nomeadamente de ser uma plutocracia e não uma democracia) ainda tem um sistema de verificações e limitações de poderes que impeçam que um louco como Saddam (ou um imbecil como George W. Bush) exerça o poder que Saddam exerce no Iraque...

    Essa é que é essa ! ...

    O teu post está todo muito interessante (parabens) e muito bem escrito e documentado e o Bush até poderá ser um imbecil perigoso. Mas a *grande diferença* é que foi eleito. E, mais tarde ou mais cedo, sairá por vontade do povo. O mesmo não se pode dizer do Iraque, de Cuba ou da Coreia do Norte.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Algumas considerações sobre a guerra anunciada (Pontos:2)
    por grumbler em 19-03-03 7:15 GMT (#186)
    (Utilizador Info)
    Bush até poderá ser um imbecil perigoso. Mas a *grande diferença* é que foi eleito. E, mais tarde ou mais cedo, sairá por vontade do povo. O mesmo não se pode dizer do Iraque, de Cuba ou da Coreia do Norte.

    Bem, não sei se seria o que querias dizer, mas de facto concordo que apenas através da vontade do povo de um país se poderá substituir de uma forma correcta o seu governo. Ora pessoalmente tenho sérias dúvidas que no fim desta guerra cujo inicio se aproxima rápidamente, o povo iraquiano vá ter grande voto na matéria sobre quem irá substituir Saddam Hussein, e dúvido ainda mais que essa substituição seja feita tendo em conta os interesses desse povo.
    Quanto ao facto de Bush ter sido eleito, essa questão já é mais discutivel, pois como bem sabemos a eleição do mesmo foi decidida na secretaria, tendo Al Gore desistido. Por outro lado, é preciso não esquecer que o presidente dos EUA não é escolhido por votação directa, sendo que o que os eleitores votam nos "grande eleitores" os quais é que irão escolher o presidente, sistema esse que implica que o candidato mais votado poderá não ser o que é escolhido como presidente. No entanto é de facto um ponto positivo que a limitação do seu mandato esteja limitada temporalmente (aspecto esse que me parece fundamental para combater tendencias ditatoriais dos eleitos), mas se formos analisar os homens que se movem por detrás do poder poderemos facilmente verificar que não existem grandes mudanças nos mesmos.. por exemplo George Bush (pai) tinha sido vice-presidente de Ronald Reagan, o mesmo George Bush que já tinha sido director da CIA, sendo que o seu filho George W. Bush tem como vice-presidente Richard Cheney que já tinha sido nomeado em 1975 "chief of staff" do presidente Ford, o mesmo Richard Cheney que serviu como assistente especial de Donald Rumsfeld em 1969 no "Office of Economic Opportunity" na administração Nixon e que foi nomeado em 1975 secretário defesa no governo Ford, cargo que ocupa actualmente quando George W. Bush (filho de George Bush) é presidente dos EUA, filho esse que tem como "deputy secretary" (não sei como traduzir) da defesa Paul Wolfowitz que curiosamente terá não só trabalhado entre 1989 e 1993 como "under Secretary of Defense for Policy" quando Richard Cheney era secretário da defesa (e com George Bush como presidente dos EUA) como terá feito parte da "Team B" criada em 26 de Maio de 1976, quando George Bush (pai) era director da CIA. E poderiamos ficar aqui dias e dias a analisar as interligações que existem entre as diversas pessoas que ocupam cargos actualmente na administração Bush ou fazer o mesmo para as administrações dos democratas. Não quero com isto fazer passar uma imagem de uma conspiração (não sou adepto das teorias da conspiração, o que não quer dizer que não ache que elas não sucedam), apenas que demonstrar que existe uma classe dirigente nos EUA (e o mesmo se poderia dizer de muitos outros paises, nomeadamente Portugal) que normalmente está no poder controlando o mesmo para garantir os seus interesses.

    PS: tens toda a razão quanto á ortografia correcta de Myanmar. Obrigado pela correcção.

    PS2: um dia destes teremos que discutir melhor a questão da esquerda pois parece-me que tens uma visão demasiado baseada no que se afirma no www.capitalism.org, o qual me parece ignorar um conjunto de ideias basilares às concepções ideológicas da esquerda, especialmente no que toca ao marxismo.

    --
    What, Me Worry?

    Re:Algumas considerações sobre a guerra anunciada (Pontos:1)
    por JohnnyBigodes em 18-03-03 9:04 GMT (#178)
    (Utilizador Info)
    Tiraste-me todas as palavras da boca e mais algumas. Parabéns!
    Esqueçam os argumentos (Pontos:3, Esclarecedor)
    por samcruise em 18-03-03 11:26 GMT (#180)
    (Utilizador Info) http://www.correspondente.net
    Já apanhei a discussão no fim, mas vale a pena dizer isto: todos os argumentos públicos a favor da guerra são rebatíveis. Vejamos:

    1 - O Iraque tem um ditador - montes de países têm, a começar pelos amigos dos EUA

    2 - O Iraque tem armas de destruição maciça - ninguém as conhece, nem os melhores serviços secretos do mundo (Mossad, FBI, CIA, MI5)

    3 - O Iraque não cumpre as resoluções da ONU há 12 anos - Israel não cumpre há mais tempo...

    4 - O Iraque é um perigo para os vizinhos - Israel ou o Irão, sozinhos, punham fim a qualquer veleidade

    5 - O Iraque tem ligações aos terroristas - mais uma vez, nenhum serviço secreto consegue estabelecer relações - até a CIA, FBI e MI5 dizem não ter provas disso

    6 - O Iraque tem terroristas no país - mas qual é o país que não tem terroristas hoje em dia no seu território?

    Cada um que tire as suas conclusões. É bom é desmontarmos os argumentos um por um e ver o que fica.

    As demissões (Robin Cook foi a última), ameaças de demissões nos EUA, Inglaterra e Austrália; a forte divisão da opinião pública... Tanta gente estará toda errada?

    Como a guerra já é inevitável, proponho ficarmos atentos a dois pontos:
    1 - quantos ataques terroristas vão existir - será que há mesmo ligações à Al-Qaeda?
    2 - Dizem os EUA: "no doubt" Iraq possesses "some of the most lethal weapons ever devised" - vamos ver então quais são essas armas terríveis que encontram. Ainda me lembro há uns dias do terrível "unmaned drone" que era um reles avião telecomandado...

    Depois no final vamos ou não dar razão a Bush.
    Re:Esqueçam os argumentos (Pontos:1, Despropositado)
    por Andrade em 18-03-03 17:45 GMT (#183)
    (Utilizador Info) http://www.war-zone.net
    Se tiveres colhões, diz isso aos familiares de Israelitas como eu conheço, que viram os seus entes queridos serem assassinados pela corja dos terroristas palestinianos, os verdadeiros terroristas. Afirma isso à frente das crianças Israelitas que perderam os seus pais em ataques suicidas. Vá lá e afirma isso ou será que és um dos bloquistas que se julgam senhores de Portugal só porque têm 3% dos votos? Cresce e aparece pá!
    Re:Esqueçam os argumentos (Pontos:2)
    por samcruise em 19-03-03 18:01 GMT (#188)
    (Utilizador Info) http://www.correspondente.net
    Não sou bloquista, mas por acaso é preciso ser um para dizer o que disse?
    E tu és um dos liberais que se julga senhor de Portugal só porque há uma maioria no parlamento? Por favor, cresce e sê esperto.

    Tenho coragem para dizer seja a quem for que o terrorismo palestiniano é condenável e que a opressão israelita é igualmente condenável. Ao contrário de ti que tens palas para ver só um lado, eu não conheço israelitas ou palestinianos, mas sei que morrem inocentes de parte a parte, ora por ataques suicidas, ora por ataques do exército.

    Não te esqueças, no entanto, das resoluções da ONU que eu referi, e que Israel as tem constantemente infringido.
    A solução lá não está no ódio, mas no cumprimento das resoluções e num acordo político. E o mais forte militarmente (Israel) deveria dar o primeiro passo.
    E para finalizar: tu choras e indignas-te assim tanto com as vítimas palestinianas inocentes? Estou curioso se só se preocupas com os amigos e se os outros são números que aparecem no telejornal. Ora bolas...

    Se cada vez que se escreve aqui qualquer coisa não viessem logo as inflamações bacocas...
    Re:Esqueçam os argumentos (Pontos:2)
    por McB em 26-03-03 11:28 GMT (#191)
    (Utilizador Info)
    Se tiveres colhões, diz isso aos familiares de Israelitas como eu conheço, que viram os seus entes queridos serem assassinados pela corja dos terroristas palestinianos, os verdadeiros terroristas.

    Não vou perder muito tempo contigo, simplesmente aceno-te com dois factores:

    1) TERRORISMO DE ESTADO por parte de Israel

    2) NÃO CUMPRIMENTO DAS RESOLUÇÕES DAS NAÇÕES UNIDAS

    Já nem vamos falar no Mr. Sharon.... que claro, eleito pelo povo, andava em 82 a MASSACRAR palestinianos em nome do grande estado de Israel.
    Já agora, chamas "defesa do estado de Israel" a forma como se passou o Natal na Palestina? Eu chamo enxovalhamento...

    Por acaso se crescesses e aparecesses é que fazias bem...

    Yours,
    McB!

    They told me it need Windows 95 or better, so I chose Linux
    TUGAS CASTRADOS ? (Pontos:2)
    por nmarques em 18-03-03 12:54 GMT (#181)
    (Utilizador Info) http://morgul.xpto.org
    Os portugueses estão com falta de colhoes, e todos criticavam salazar por causa da sua politica "Orgulhosamente Sos"... Durante 14 anos suportou ás suas proprias custas uma Guerra Colonial, hoje condenada quase por todos, foi o fim do Grande Imperio... Hoje oferecemos os nossos filhos como soldados para uma guerra que nada nos diz respeito... Onde está a vontade propria dos Portugueses ? eu gostava de ver o Sr. Barroso a liderar as tropas para combate, e o senhor Portas a' frente dos seus 2 batalhoes de comandos... Seja seja piedoso com os Portugueses, se assim achar que o mereçam!

    --------------------------------------------
    If there is such a thing as too much power...
    I've not discovered it...I
    Cimeira US+UK+ES (Pontos:1)
    por kostov_24 em 20-03-03 14:28 GMT (#189)
    (Utilizador Info)
    Quanto aos beneficios que Portugal pode ter quanto a esta cimeira, de certeza que não tira nenhum, mas no que refere à vergonha que seria, se o Primeiro Ministro de Portugal viesse a publico dizer que é contra a guerra, que é contra a atitude dos EUA, e que acima de tudo nada fará para ajudar nesta campanha, e depois os aviões dos EUA iriam utilizar a base das Lajes como ponte para o Iraque, isso seria uma vergonha nacinal. Quanto à venda das lajes primeiro que vendessem a MADEIRA dá mais dores de cabeça a nossa politica.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]