gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Livros taxados a 19% + direitos de alfandega?
Contribuído por scorpio em 15-12-02 20:27
do departamento encomendas
News ribeiro escreve "Caros gildotianos,
Encomendei uns livros de www.bookpool.com com FedEx, e desta feita saiu-me na "rifa" a alfandega lembrar-se de cobrar impostos.
Para já, acho a taxa da FedEx exagerada: cerca de 60 euros.Até aqui tudo legal, pelo menos parece-me. Agora qual o meu espanto quando a alfandega diz que tenho de pagar 19% + direitos de alfandegas por... livros. (para quem não sabe, livros não tem de pagar direitos de alfandega, e pagam 5% de IVA)
Tudo bem que são de informatica, mas se comprar livros de carros, decerto que não vou pagar IA...
Já agora, e à laia de aviso à navegação, o melhor é não encomendarem mais de 2 ou 3 livros à vez.
Abraços,
Rui "

Death Illustrated - Linux Version | Wireless no Campus Universitário e portáteis mais  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • ribeiro
  • Mais acerca News
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Tas Errado... (Pontos:1, Despropositado)
    por nmarques em 15-12-02 20:37 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://morgul.xpto.org
    Pagas o IVA que se paga no pais de origem... por exemplo se na suica tens 21% de IVA, se ele vier da Suica, pagas 21%. Claro que depois podes pedir a diferenca de volta, mas nao vale o trabalho.

    --------------------------------------------
    If there is such a thing as too much power...
    I've not discovered it.../I
    Re:Tas Errado... (Pontos:2)
    por nmarques em 16-12-02 8:17 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://morgul.xpto.org
    Suica e Noruega nao sao parte da comunidade europeia e pagas o iva da noruega ou suica e nao o de Portugal de o pacote vier de um desses paises.

    --------------------------------------------
    If there is such a thing as too much power...
    I've not discovered it.../I
    EU vs UE (Pontos:3, Esclarecedor)
    por mvalente em 15-12-02 21:42 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Os livros nao pagam direitos alfandegarios e têm um IVA de 5% dentro a Uniao Europeia (para além de de terem preço fixo). Nos Estados Unidos têm lá as suas taxas e têm os preços liberalizados (é por isso que te dá jeito ir à BookPool....). Se um livro for da Uniao Europeia para os Estados Unidos sofrerá taxas alfandegárias e será sujeito aos impostos lá do sitio. Os teus livros, ao terem vindo fora da Uniao Europeia, sofreram as respectivas taxas alfandegarias e foi-lhes aplicado o IVA de 19% por não estarem abrangidos pela taxa especial de 5% da Uniao Europeia. A esta "tecnica" de tornar os livros dos EUA mais caros não é alheio o facto de os preços dos EUA estarem liberalizados e por isso serem mais baratos, coisa com que a Uniao Europeia, com as suas politicas de preço fixo, não consegue competir.

    Quem é que ainda consegue ser contra a globalização e os mercados livres ?

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por chbm em 15-12-02 21:59 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    > com as suas politicas de preço fixo, não consegue competir.

    tipo, amazon.co.uk ?
    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por Cyclops em 15-12-02 22:20 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://www.1407.org
    Quem é que ainda consegue ser contra a globalização e os mercados livres ?

    Não é deste pequenos detalhes que quem reclama o faz... É de haver um mercado capitalista global... sem regras! Promove-se o máximo lucro ao mínimo custo, sem nada que evite que as grandes empresas se aproveitem das más condições que existem nos outros países... a Triumph, por exemplo, pagava <modo tipo=gozão>2 grãozinhos de arroz</modo> aos miudos de 9 anos que estão nas fábricas a fazer lingerie. Esta, não desceu propriamente de preço (sequer) para os consumidores. Apemas se maximizou o lucro.

    Afinal, a economia existe para servir as pessoas ou para ser servida pelas pessoas?
    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por joao em 15-12-02 22:57 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://www.nonio.com
    Esse não parece ser um problema da regulação do capitalismo mundial. Parece ser, à primeir vista, um ptroblema de regulação local.

    Mas só à primeira vista. As opções para um habitante do terceiro mundo são claras: entre serem explorados pelas empresas locais ou pelas empresas multinacionais, eles preferem 10 vezes serem explorados por quem lhes paga mais.

    ----
    joao
    nonio.com - ciência, tecnologia e cultura

    Re:EU vs UE (Pontos:3, Interessante)
    por leitao em 16-12-02 0:30 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    É de haver um mercado capitalista global... sem regras! Promove-se o máximo lucro ao mínimo custo(...)

    Quando vais comprar um livro, CD, computador, sofa', telemovel, etc. -- fazes o que ? Compras o produto ao minimo custo que te da' a funcionalidade que procuras.

    O "capitalismo global" faz o mesmo -- procura eficiencias onde pode.

    a Triumph, por exemplo, pagava 2 grãozinhos de arroz aos miudos de 9 anos que estão nas fábricas a fazer lingerie.

    A razao disso e' simples -- sem a Triumph, os miudos de 9 anos apenas teem uma opcao: morrer 'a fome. Ao terem acesso a mais capital (via a Triumph), os miudos teem acesso a rendimento disponivel -- que podem depois usar para comprar outras coisas de valor mais alto, como por exemplo: educacao. (que por sua vez, vai-lhes permitir trabalhar em funcoes de valor mais alto, dando-lhes mais dinheiro, mais educacao, etc.)

    Esta, não desceu propriamente de preço (sequer) para os consumidores. Apemas se maximizou o lucro.

    Exacto -- tal e qual como tu como individuo, procurar maximizar o teu lucro seguindo as seguintes accoes (se nao o fazes sugiro que o facas):

    • Procurar actividades/empregos que te permitam controlar uma maior riqueza (i.e., um salario maior),
    • Investir a tua riqueza (poupancas) de uma forma mais eficiente (i.e., taxas de juro maiores),
    • Maximizar a tua riqueza, nao a gastando de formas que gerem desperdicio (i.e., compras o produto mais barato que faca o que procuras).

    Afinal, a economia existe para servir as pessoas ou para ser servida pelas pessoas?

    A economia e as pessoas sao a mesma coisa.


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.

    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por ribeiro em 16-12-02 8:09 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://ruka12.tripod.com
    "A economia e as pessoas são a mesma coisa." Camarada:) Leitão, permita-me discordar... acho bastante dificil aplicar uma teoria dessas a um pais como por exemplo, a Argentina...ou Moçambique.
    Rui
    --
    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por leitao em 16-12-02 10:52 GMT (#19)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Leitão, permita-me discordar... acho bastante dificil aplicar uma teoria dessas a um pais como por exemplo, a Argentina...ou Moçambique.

    Claro que nao -- e a razao e' que acabaste de indicar 2 paises onde nao existe um sistema economico organizado e aberto.


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.

    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por ribeiro em 17-12-02 7:22 GMT (#33)
    (Utilizador Info) http://ruka12.tripod.com
    eh, olha que pelo menos Moçambique parece-se demasiado com Portugal, mesmo em certas maneiras de pensar.
    Eu durante meses depois de voltar, chamei a Portugal o cantinho de Africa à beira da Europa plantado. (opppsss, ainda chamo)-.
    --
    Re:EU vs UE (Pontos:3, Interessante)
    por Cyclops em 16-12-02 9:29 GMT (#16)
    (Utilizador Info) http://www.1407.org
    Os (...) são muito bons para tirar qualquer coisa do seu contexto não são? Achas que a , é um . final?

    Quanto à opção que propões aos miudos, eu respondo-te: não pode a Triumph dar um salário digno em vez dos "grãozinhos de arroz", ou consideras a exploração do mercado infantil algo decente e aceitável? Como vão os miudos comprar educação ou outras coisas, quando trabalham mais de 12 horas por dia por "dois grãozinhos de arroz" sob pena de se não gostarem, outros poderão ficar com o seu emprego?

    O exemplo de muitos productos nem por isso baixarem de preço, apesar de custarem muito menos a fazer, apenas estava ali para salientar a hipocrisia dos argumentos de defesa de tal situação de exploração!

    E não, a economia não é a mesma coisa que uma pessoa. Para começar nem consigo acreditar que alguém possa considerar pessoas como coisas, e depois a economia é, sim, uma actividade abstracta cometida pelas pessoas para as servir (dando-lhes variedade de comida, vestuário e outros productos de consumo).
    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por leitao em 16-12-02 10:50 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Quanto à opção que propões aos miudos, eu respondo-te: não pode a Triumph dar um salário digno em vez dos "grãozinhos de arroz", ou consideras a exploração do mercado infantil algo decente e aceitável?

    Pode dar um salario decente ? Depende do que chamas "decente" -- um salario "decente" para ti nao e' bem a mesma coisa noutro pais: no Vietname, um salario de US$0.30/hora e' "decente". A ti soa-te escandalosamente baixo, mas para um Vietnamita que viveu toda a vida no campo, e' mais que decente.

    Como vão os miudos comprar educação ou outras coisas, quando trabalham mais de 12 horas por dia por "dois grãozinhos de arroz" sob pena de se não gostarem, outros poderão ficar com o seu emprego?

    Porque os "dois graozinhos", fazem toda a diferenca em paises onde o rendimento anual per-capita e' de pouco mais de US$300/ano (Uganda, Mocambique, Angola, Vietname, Sri-Lanka, etc.). Tens que aprender a distinguir entre salarios ocidentais e do resto do mundo.

    E não, a economia não é a mesma coisa que uma pessoa. Para começar nem consigo acreditar que alguém possa considerar pessoas como coisas, e depois a economia é, sim, uma actividade abstracta cometida pelas pessoas para as servir (dando-lhes variedade de comida, vestuário e outros productos de consumo).

    Hamm... Costumavas faltar as aulas de economia na faculdade ?


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.

    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por Cyclops em 16-12-02 15:53 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://www.1407.org
    Pronto, já entendi a tua lógica: dado que receber 0% do salário mínimo seria mau, então 1% é bom!

    Lá porque com "dois grãozinhos de arroz" conseguem sobreviver (alguns, pois a mortalidade infantil e a esperança de vida demonstram quão boas, comparativamente, são as condições de lá, e para as quais esta medida é um salário decente), isso quer dizer que é um salário decente? Entre receber uma miséria que não permite uma vida com as condições mínimas desejáveis mas que dê para comer 3 vezes por semana e nada receber, é natural que nessa perspectiva os salários sejam decentes para o rendimento per capita.

    Acontece que os per capita não valem a ponta de um chavo, dado serem médias: se eu tiver duas galinhas, e tu nenhuma, per capita temos uma galinha cada. Eu como, tu não.
    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por leitao em 16-12-02 16:47 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Pronto, já entendi a tua lógica: dado que receber 0% do salário mínimo seria mau, então 1% é bom!

    Nao -- isso nao e' a minha logica. A minha logica e' que nao mudas as condicoes sociais/culturais de uma pais de um dia para o outro pagando salarios ocidentais. Essas condicoes ocorrem atraves de um aumento progressivo das condicoes economicas -- via uma aumento do rendimento disponivel (que basicamente representa a melhoria das condicoes de vida).

    Ocorreu exactamente o mesmo em Portugal -- entre os anos 70 e 90 viste um aumento progressivo do rendimento disponivel, nao um boom dos salarios de 1/5 do nivel europeu para 3/5. Nenhuma economia sustem isso -- nem deve suster. O que dizes nao faz sentido nenhum do ponto de vista economico (embora admito que fosse uma coisa muito boa socialmente, se as coisas funcionassem assim). E' a diferenca entre um ponto de vista "idealista" e outro "realista".

    Lá porque com "dois grãozinhos de arroz" conseguem sobreviver (alguns, pois a mortalidade infantil e a esperança de vida demonstram quão boas, comparativamente, são as condições de lá, e para as quais esta medida é um salário decente), isso quer dizer que é um salário decente?

    A mortalidade infantil e a esperanca de vida no 3o mundo teem vindo a melhorar desde o inicio do seculo. Curiosamente no mesmo periodo que o comercio mundial explodiu, e desde que a "globalizacao" tem vindo a tornar algumas economias em paises do 3o mundo viaveis (vide, tabela da UNICEF com dados demograficos mundiais).

    Mas se queres mesmo ajudar os paises do 3o mundo, fala com o deputado europeu em que votaste, e convence-o a mudar a politica europeia da Politica Agricula Comum -- que prejudica mais os paises pobres do que qualquer Nike ou Triumph.

    Acontece que os per capita não valem a ponta de um chavo, dado serem médias: se eu tiver duas galinhas, e tu nenhuma, per capita temos uma galinha cada. Eu como, tu não.

    Queres ir dizer isso a um economista a ver o que ele te diz ?


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.

    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por jpgm em 16-12-02 10:41 GMT (#17)
    (Utilizador Info)
    A par da economia, dos buscar lucros faceis, do querer melhores salários, desse teu mercado livre existe uma coisa que é a moralidade, o bom senso, o civismo, etc...
    Querer defender a triumph, ou outra qq empresa do genero, porque "sem a Triumph, os miudos de 9 anos apenas teem uma opcao: morrer 'a fome." é das coisas mais imorais que já ouvi.
    Chama-se a isso tapar o sol com a peneira, a triumph , e não só, explora a miséria humana.
    Resta-me o consolo de ter a certeza que nunca viste, ao perto, as tais crianças de 9 anos, porque se o tivesses visto a tua opinião seria muito mais moderada....
    Cumprimentos! zp
    Moral Disorder (Pontos:3, Interessante)
    por vd em 16-12-02 11:08 GMT (#20)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    A mim quer-me parecer que sofres de alguma doença cerebral ou então o "fog" é pior que os gases do tubo de escape de um automóvel dos anos 60.

    "A razao disso e' simples -- sem a Triumph, os miudos de 9 anos apenas teem uma opcao: morrer 'a fome. Ao terem acesso a mais capital (via a Triumph), os miudos teem acesso a rendimento disponivel -- que podem depois usar para comprar outras coisas de valor mais alto, como por exemplo: educacao. (que por sua vez, vai-lhes permitir trabalhar em funcoes de valor mais alto, dando-lhes mais dinheiro, mais educacao, etc.) "

    Tu tens 2 dedos de testa ? ...
    Desde quando o incentivo ao "rendimento disponivel" em crianças de 9 anos é uma boa medida ?
    Trabalho infantil, exploração infantil diz-te alguma coisa ?
    Qualquer das opções que colocas é condenável, "passar fome" / "ter rendimento disponivel", porque ambas assentam num pressuposto completamente errado, no trabalho infantil.

    E em que mundo vives tu que colocas o acesso 'a educação como algo que se pode comprar por crianças de 9 anos ?
    Tu certamente tiveste uma vida de "rei" e não conheces dificuldades ou problemas, mas deixa-me dizer-te que estas crianças que estão a trabalhar para; comer ou ter acesso a educação, deveriam estar a brincar e a aprender porque seria obrigatório.

    "A economia e as pessoas sao a mesma coisa. "

    É o maior disparate que já ouvi, e a maior contradição que já li em poucas linhas.
    A economia é feita pelas pessoas para servir as pessoas. E que moral tens tu para dizer que a economia é a mesma coisa que ter um garoto de 9 anos a trabalhar cerca de 14 horas diárias ?

    Ou os meus valores estão demasiado altos para o teu standard, ou então sugeria reverem o curriculo dos MBA's.

    vd
    Re:Moral Disorder (Pontos:2)
    por leitao em 16-12-02 11:45 GMT (#22)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    A mim quer-me parecer que sofres de alguma doença cerebral ou então o "fog" é pior que os gases do tubo de escape de um automóvel dos anos 60.

    Espera ai, pensava que eu e' que era acusado dos tais abusos desnecessarios a outros utilizadores do Gildot... hummm... interesting... Mas em resposta 'a tua critica -- que eu saiba nao sofro de nenhuma desordem cerebral, e o "fog" ja' nao ocorre desde que fecharam as centrais electricas a carvao.

    Tu tens 2 dedos de testa ? ...

    Olha... mais abuso...

    Desde quando o incentivo ao "rendimento disponivel" em crianças de 9 anos é uma boa medida ? Trabalho infantil, exploração infantil diz-te alguma coisa ?

    Ninguem disse que e' uma boa medida -- o que te esqueces e' que em paises como a India, Pakistao, Sri-Lanka, etc. o trabalho infantil e' o pao do dia a dia, devido 'as condicoes economicas e culturais dos paises em causa. Se te desses ao trabalho de ler os relatorios da International Labour Organisation reparavas que a maioria das actividades que envolvem trabalho infantil (tabela 3 do relatorio acima) sao na agricultura e pesca (70.4%) -- nao e' a fabricar Nike's.

    Isto diz-te alguma coisa ? Se nao te diz, digo-te eu: o problema do trabalho infantil nao tem nada a ver com o "capitalismo global" -- tem a ver com a "exploracao regional/cultural". Alias, o "capitalismo global" reduz o trabalho infantil: basta pensares quantas criancas (lt 14 anos) em Portugal trabalhavam a tempo inteiro em 1950 (48.3%) e quantas trabalham hoje (6.2%). Basta olhares para as estatisticas -- nao e' dificil.

    Qualquer das opções que colocas é condenável, "passar fome" / "ter rendimento disponivel", porque ambas assentam num pressuposto completamente errado, no trabalho infantil.

    As opcoes nao sao colocadas por mim -- sao colocadas pelas realidades em que essas criancas sao criadas. Vai-te queixar ao governo da India -- nao a mim.

    E em que mundo vives tu que colocas o acesso 'a educação como algo que se pode comprar por crianças de 9 anos ?

    Ja' me estas a acusar novamente ? Pa', vai-te queixar ao governo da India ou 'a ILO

    Tu certamente tiveste uma vida de "rei" e não conheces dificuldades ou problemas, mas deixa-me dizer-te que estas crianças que estão a trabalhar para; comer ou ter acesso a educação, deveriam estar a brincar e a aprender porque seria obrigatório.

    Sem comentar os teus poderes videntes sobre o meu passado, gostava que me explicasses como e' que tornavas "obrigatorio" uma crianca estar a estudar numa pais como o Sri-Lanka que tem um GDP por cabeca de US800$. Certamente que tu pagavas os custos.

    É o maior disparate que já ouvi, e a maior contradição que já li em poucas linhas. A economia é feita pelas pessoas para servir as pessoas. E que moral tens tu para dizer que a economia é a mesma coisa que ter um garoto de 9 anos a trabalhar cerca de 14 horas diárias ?

    Disparate ? Ja' leste a definicao do que e' a ciencia da economia ?:

    The social science that deals with the production, distribution, and consumption of goods and services and with the theory and management of economies or economic systems.

    "social science" -- diz-te alguma coisa ?

    Ou os meus valores estão demasiado altos para o teu standard, ou então sugeria reverem o curriculo dos MBA's.

    Agora disseste tudo -- estas a pensar com os teus valores (o outro extremo de pensar com a pila), nao com a cabeca.


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.

    Re:EU vs UE (Pontos:3, Esclarecedor)
    por grumbler em 16-12-02 14:09 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    A globalização ao contrário do que se pensa não é um fenómeno recente, nem é propriamente um assunto que não tenho sido já antevisto como uma evolução natural do sistema capitalista, o qual necessita constantemente de novos mercados e de novos recursos para continuar a existir (estando esta questão directamente ligada á descida progressiva da taxa de lucro).. Por outro lado, e do meu ponto de vista uma globalização pode não ser um fenómeno negativo, se evoluir num sentido mais social.
    Ao contrário do que o leitão diz, a economia e as pessoas não são a mesma coisa.. Quanto muito a economia depende directamente das pessoas pois encontra-se ligada aos fenómenos da produção, distribuição e consumo de mercadorias, o que só existe com pessoas. Agora não é verdade a identidade entre pessoas e economia, pois isso é o mesmo que dizer que o ser humano se limita a ser uma entidade que produz, distribui e consome mercadorias.
    Ora é exactamente esta confusão entre ser humano e mercadorias que contribui para a ilusão de que a felicidade (ou o objectivo da nossa existencia) se atinge através do consumo de mercadorias e da sua acumulação (o gajo das barbas brancas embora noutras palavras chama a isso "fetichismo da mercadoria").

    Quanto á questão da Triumph (ou da Nike, ou de qualquer outra marca que recorra a mão de obra barata), a verdade é que as mesmas na maioria dos casos já nem são donas das fábricas recorrendo a empreiteiros e contratando quem lhe fornece o produto que pretendem ao menor custo possível. Pode-se então argumentar "Mas então essas marcas não são responsáveis pelo que ocorre nessas fábricas".. Bem, não são directamente pois não controlam as mesmas, mas são-no directamente pois em muitos casos sabem as realidades dessas fábricas e contratam os seus serviços (é o mesmo que eu saber que um produto é roubado e adquiro o mesmo.. estou a ser cumplice de um crime) Por outro lado, o leitão está a apresentar a questão como se os miudos de 9 anos estivessem a fazer uma escolha consciente ao trabalharem nessas fábricas quando na realidade na quase totalidade dos casos são obrigados a trabalhar pela familia (e aqui trata-se de facto de uma questão local, embora esteja directamente ligada ás questões económicas), sendo um complemento para o orçamento familiar. De facto nestas fábricas não costuma ocorrer situações de escravatura por dividas (que são mais comuns em actividades mais tradicionais como os fornos de tijolos no Paquistão), mas vivem-se casos de quase escravatura, em que muitas vezes se trabalham muito mais horas do que aquilo que se recebe.
    Já a questão do que seria um pagamento decente, diria que seria pelo menos um pagamento que equivalesse ao custo médio de vida naquela região.. ora se na china por exemplo o custo de vida seria qualquer coisa como 80 centimos de dolar por hora (isto a acreditar os valores que Naomi Klein apresenta no livro "No Logo"), um pagamento decente seria pelo menos 80 centimos de dolar por hora, em vez dos 20 centimos que são praticados em diversas fábricas.

    --
    What, Me Worry?

    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por leitao em 16-12-02 16:00 GMT (#27)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    (...)isto a acreditar os valores que Naomi Klein apresenta no livro "No Logo"(...)

    Bem me parecia que isto envolvia o "No Logo". Sugiro que leias o outro lado da moeda:


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.
    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por grumbler em 16-12-02 19:18 GMT (#30)
    (Utilizador Info)
    Bem me parecia que isto envolvia o "No Logo".
    Entre outras coisas também, como por exemplo a questão do "fetichismo da mercadoria" que não é dela (penso que a referencia ao "gajo das barbas brancas" seja bastante perceptivel :-))...
    Agora tambem é verdade que o livro da Naomi Klein nalguns pontos é muito voltado para o marketing de si mesmo (aliás é uma das criticas mais apresentadas seja dos pró-globalização seja dos anti-globalização) e é relativamente inconsistente, apresentando alguns pontos interessantes nalguns lados, e ficando muito aquem dos objectivos noutros
    A questão pró ou contra globalização (pelo menos a que estamos a viver) daria uma thread completamente diferente e faria mais sentido noutro tipo de forum que não este.. No entanto penso que existem duas visões de fundo em jogo, uma na qual a economia é a justificação em si mesma e outra na qual a economia é apenas um meio para o desenvolvimento da humanidade.. é claro que isto também iria entrar nas questões dos modelos de sociedade que se pretende e a forma como atingir os mesmos, mas como já referi é uma discussão para outro local.

    No entanto não posso deixar de frisar que é uma falsificação da realidade apresentar como uma escolha por parte das crianças de 9 anos trabalharem nas fábricas. É algo que lhes é imposto, imposição essa que se é verdade também ser uma questão cultural, muitas vezes resulta do facto do trabalho fabril ser a unica possibilidade que se lhes apresenta (visto o trabalho no campo ter deixado de ser possível ou rentável). Dizer que a escolha das crianças é consiciente, e salvaguardardas as devidas distancias, parece-me uma ilusão semelhante a dizer que existe mercado livre (o mercado não é livre pois o consumidor nunca se encontra na posse de todos os dados para poder decidir se o preço pago por um determinado produto é "justo).
    Relativamente ás estatisticas, penso que seria interessante ver uma evolução temporal de forma a avaliar até que ponto existirá ou não uma tendencia para o trabalho infantil se começar a concentrar na industria, até porque o documento é datado de 14 de Dezembro de 1999.

    Quanto ao facto de deixar de existir trabalho infantil no nosso pais, isso deve-se apenas ao facto do mesmo se ter deslocalizado para outros paises onde o mesmo é mais rentávell, pois a oferta é maior e a legislação mais tolerante. Não foi produto de uma melhoria geral da qualidade de vida devido ao capitalismo, até porque se as condições de trabalho melhoraram tal foi produto da pressão social e politica para que as mesmas ocorressem e não fruto de uma decisão consciente de melhorar as condições de vida dos que trabalham em actividadades ligadas directamente á produção. Claro que aqui também poderiamos falar na necessidade que se tem de melhores salários para que se possa adquirir mais produtos e desta forma o consumo ser estimulado, mas parece-me que esta ligação entre consumidores e trabalhadores é mais produto da melhoria de salários do que de uma decisão consciente de evolução (que é alias uma contradição pois para maximizar os lucros as empresas pretendem obviamente pagar sempre o menor salário possível.. por outro lado como os seus produtos estão dependentes dos consumidores, necessitam também que os salários subam para aumentar o consumo).

    --
    What, Me Worry?

    Re:EU vs UE (Pontos:2)
    por joao em 16-12-02 20:15 GMT (#31)
    (Utilizador Info) http://www.nonio.com
    Claro que aqui também poderiamos falar na necessidade que se tem de melhores salários para que se possa adquirir mais produtos e desta forma o consumo ser estimulado, mas parece-me que esta ligação entre consumidores e trabalhadores é mais produto da melhoria de salários do que de uma decisão consciente de evolução (que é alias uma contradição pois para maximizar os lucros as empresas pretendem obviamente pagar sempre o menor salário possível.. por outro lado como os seus produtos estão dependentes dos consumidores, necessitam também que os salários subam para aumentar o consumo).

    A economia como pescadinha de rabo na boca é fascinante. Quem já tentou aprender física, engenharia ou economia já deve ter percebido que o problema fica muito mais fácil quando se define o que é o sistema e quais são as forças exercidos pelo resto do universo no sistema. Agora, quando o sistema é uma pescadinha de rabo na boca em que o interior e o exterior se confundem não se percebe nada.Afinal, se os empresários vendem os seus produtos em troca dos salários que eles próprios pagam, de onde vem o lucro?

    ----
    joao
    nonio.com - ciência, tecnologia e cultura

    Linha de acção (Pontos:2, Esclarecedor)
    por plexar em 16-12-02 17:04 GMT (#29)
    (Utilizador Info)
    Exacto -- tal e qual como tu como individuo, procurar maximizar o teu lucro seguindo as seguintes accoes (se nao o fazes sugiro que o facas): Procurar actividades/empregos que te permitam controlar uma maior riqueza (i.e., um salario maior), Investir a tua riqueza (poupancas) de uma forma mais eficiente (i.e., taxas de juro maiores), Maximizar a tua riqueza, nao a gastando de formas que gerem desperdicio (i.e., compras o produto mais barato que faca o que procuras).

    Eu, como pessoa, também sigo essa linha de acção. Mas com um ponto adicional:

    - a concretização de todas anteriores acções dependem dos meus critérios de ordem moral.

    Sei que poderia maximizar a minha produção de riqueza, mas simplesmente não o faço. Não me sinto nem mais estúpido ou mais burro por isso. E não há teoria ou ciência socio-económica que me faça mudar de opinião (fundamentalista, eu sei...).


    Plexar.
    O problema está nos despachantes (Pontos:4, Informativo)
    por Astrónomo em 15-12-02 23:27 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Cuidado, os despachantes alfandegários têm vindo a ludibriar muitas pessoas. Se a encomenda vier em teu nome (não no de uma empresa) e tiver um valor inferior a US$ 150 então tu podes tratar do despacho pessoalmente na alfândega, evitando pagar os honorários e alcavalas altíssimas dos despachantes. Só que as empresas privadas de transportes (FedEx, Airborne, etc.) não te informam disso: entregam logo a encomenda a um despachante a eles associado!

    Aqui vai um micro-HowTo de como encomendar de fora da União Europeia:

    • Encomendar em nome pessoal (não no de uma empresa).

    • Escolher correio normal (air-mail ou, se não tiveres pressa, surface-mail). Não escolhas empresas privadas como Airborne, Federal Express, etc! Quando a encomenda vem pelos correios, é encaminhada para um departamento da alfândega chamado de Serviço Alfandegário Postal que aplica regras mais transparentes. A probabilidade de pagares elevadas quantias pelo desalfandegamento numa encomenda entregue pelos Correios é muito mais baixa do que pelos transportadores privados.

    • Se tiveres mesmo que escolher um transportador privado, e se a encomenda for inferior a US$150 (se fores um importador esporádico, podes ir até aos US$ 250), quando te contactarem da transportadora e disserem que a encomenda tem que ser desalfandegada, diz que te entreguem os documentos pois queres tratar disso pessoalmente. As alfândegas têm um procedimento designado de "Declaração Verbal" destinado a permitir que pessoas que façam importações de baixo valor possam desalfandegar a encomenda sem precisarem de contratar um despachante oficial.

    ----
    aqui porque não deves utilizar IE, Outlook, Windows Media e Messenger.

    Re:O problema está nos despachantes (Pontos:2)
    por ribeiro em 16-12-02 7:57 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://ruka12.tripod.com
    eh, é isso mesmo que se está a passar. Eu mais um amigo escolhemos a FedEx, e o assunto foi remetido para um despachante.
    O que se passa é qie o despachante qdo inicialmente falou com o meu amigo, não se identificou como tal. Dai este artigo.
    Até agora temos pedido descrição detalhada do que estamos efectivamente a pagar, coisa que o despachante tem-se negado categoricamente. Apenas descreve algo tão vago como taxas de alfandega.
    É um boa oportunidade para praticar o inglês a escrever para a FedEx nos US e para a bookpool...
    Rui
    --
    Re:O problema está nos despachantes (Pontos:1)
    por hununu em 16-12-02 11:30 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://dequim.ist.utl.pt
    Como já aqui disseram, o truque é mesmo mandar vir pelo correio normal. Se vai via DHL e afins... está tudo estragado na alfândega. :-)

    Btw, tu podes ir lá e tratar daquilo.. aparece-te um gajo mal educado e encarado pela frente, mas despachas aquilo numa horita numa tarde se tiveres sorte. Aquilo fica no aeroporto quase.

    Bruno Afonso,
    Biological Eng. Undergraduate
    LTI-DEQ@IST, Portugal
    Re:O problema está nos despachantes (Pontos:2)
    por ribeiro em 17-12-02 16:54 GMT (#34)
    (Utilizador Info) http://ruka12.tripod.com
    "quando te contactarem da transportadora e disserem que a encomenda tem que ser desalfandegada, diz que te entreguem os documentos pois queres tratar disso pessoalmente. "
    Pois bem, foi o que fizemos. No entanto, o despachante só nos dá os documentos em troca de 36 Euros...

    --
    Re:O problema está nos despachantes (Pontos:2)
    por joaorf em 17-12-02 19:37 GMT (#35)
    (Utilizador Info)
    Eu tenho um caso semelhante ainda pendente. Solicitei o apoio da DECO (sou sócio) mas eles ainda não responderam. A DECO não deve ter consciência da quantidade de pessoas que são ludibriadas pelos despachantes. Se soubessem, actuavam. E quando a DECO actua, normalmente dá resultado.

    Comunica ao despachante que não aceitas a mercadoria e que queres que ela seja devolvida ao remetente.

    Re:O problema está nos despachantes (Pontos:3, Informativo)
    por megas em 16-12-02 1:02 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Não?

    Tenho uma experiência muito desagradável,
    precisamente por a DHL entregar encomendas a
    parasitas despachantes.

    Na altura, o livro - Programming Perl 2d Edition - custava uns 10 contos que paguei em VISA..

    Aparece-me para pagar uma conta de 13 contos de emolumentos e ivas...

    Felizmente e bem à portuguesa, conhecia o marido duma funcionária da alfândega, que me aconselhou a escrever uma carta ao director da alfândega, indicando que o livro em questão era para fins educativos.

    Acabei por pagar os 5% aplicados aos livros.

    Ao contrário do que se disse aqui no gildot, pagam-se os impostos do DESTINO e não da ORIGEM.

    É um dos motivos pelo qual há o retorno do IVA para viajantes.

    JP
    mais uma vitima... (Pontos:2)
    por Lowgitek em 16-12-02 13:46 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://www.youthinkwedo.com
    Mais uma vitima da falta de informação...

    Se lesses mais o gildot verias que isso não é caso único, alguem se lembra do artigo que propuz "O ladrão de frotneiras", onde ia chegar a pagar um dvd que o seu custo inicial era de 3 cts que quando ca chegou custou os mesmos 3 cts mais 17 cts só de impostos ???

    Pois, bem os homens andam doidos, querem comprar coisas na america ou fora da UE ? Então força! mas prepara logo a carteira, se for por ctt ainda podes ter sorte de não vir tão caro porque o preço par ao despache é bem menor, de qualquer maneira o melhor mesmo e tentar comprar dentro da UE se não... só Deus sabe, visto que as taxas variam bastantes é é sempre dificil ficar-se a saber o preço final das coisas, uma coisa é sempre certa fica sempre muito mais caro e se for por transportadora es nitidamente roubado a força toda.

    E já agora se falarmos em produtos electronicos lembrem-se sempre que a garantia desses produtos na america, tal como placas dvb's e afins só possuem normalmente 6 meses de garantia e não 1 ano como em todo espaço comunitário (dentro em breve passará a ser de dois anos). E que os livros que tragam cd's normamente são taxados como software, o que é sempre porco da parte deles.

    E procurem tambem comprar em sites que tenham algum representante nacional ou pelo menos dentro do espaço comunitário.

    Em relação ao IVA se for fora da UE podes pedir a insenção do mesmo mas dependerá de quem to vende e a agravar o produto quase de certeza ira parar na alfândega por isso, em relação a paises comunitarios podes sempre pedir para pagar o IVA ca, sempre que compense claro (tou a lembrar me por exemplo de paises como a Irlanda ou UK) mas mesmo assim ainda dependerá de quem te vende.

    Bom fica então mais uma vez o aviso INFORMEM-Se bem antes de mandar vir qualquer coisa la de fora, o barato pode sair bem caro.

    []'s

    Elton Machado.
    Taxas alfandegarias (Pontos:0, Informativo)
    por Anonimo Cobarde em 17-12-02 3:10 GMT (#32)
    Na pesssoa de alguem que já se dedicou à importação de material informatico, penso que posso esclarecer algumas coisas.

    Quando estas coisas acontecem a culpa é em 99% dos casos das pessoas que expediram a encomenda.

    Em primeiro lugar, as taxas de IVA ou o equivalente em qq pais, teem sempre regimes de excepcao para a exportacao e, se o vendedor que enviou a mercadoria fizer bem o seu trabalho de casa, ou seja, se preencher a papelada toda, ficas isento de pagfar os impostos do pais de origem (isto aplica-se tanto na UE como nos USA como na Asia).

    Em segundo lugar, os produtos sao taxados de acordo com uma "classificação pautada" e a taxa de direitos depende apenas da descrição (e do valor) que o vendedor escreveu na factura / carta de porte.

    O pessoal da alfandega age de forma automatica: leem o que vem escrito e procuram a descricao que mais se aproxima na pauta e depois aplicam a taxa correspondente.

    Para terem uma idea, quando eu importava placas graficas e motherboards, se viessem com a descricao de "computador" ou apenas "equipamento informatico" pagava cerca de 15% de direitos. Mas a mesma coisa, se viesse com a descricao de "peças para computador" só já pagava 4%.

    Tive de aprender a custa de muitos erros...

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]