gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Distribuição Linux Nacional?
Contribuído por pjn em 23-03-00 13:35
do departamento ? + ? = R
Linux CryptoMate diz "Estou de volta em Portugal (vindo do Silicon Valley) e estou a estudar montar uma empresa para desenvolver e comercializar uma distribuição Linux nacional. Gostaria de obter comentários e sugestões construtivos dos utilizadores e programadores de Linux na nação Lusitana sobre o assunto. Eis as minhas questões: - Como utilizador Linux considerarias comprar, utilizar e aconselhar uma distribuição nacional? - Como programador/utilizador Linux gostarias de ter os comandos da shell em Português? - O programa de Instalação e Configuração deveria ser gráfico(X/Qt/GTK/Motif/Java) ou CLI (ncurses)? - Ser reconhecido como produto nacional é uma des/vantagem? - Gostarias de trabalhar para uma empresa deste genero? - Qual é a tua opinião em relacão ao software livre (GPL vs proprietário)? - O que procuraras mais numa distribuição: Código-fonte, programas de CLI, programas de Desktop, deamons? - Em Portugal o maior grupo de utilizadores Linux é: Entusiastas, Curiosos, Estudantes de Informática, Programadores Profissionais, SysAdmin, PMEs ou Grandes empresas? Obrigado, CryptoMate "

SCO: da arrogância ao desespero | Linux na FNAC  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
(Anónimo) Sem assunto (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 14:06 GMT (#4)
(Utilizador Info)
Distro nacional? Cool ... eu usava já... desde que fosse tão boa como as de referência (Debian, RH...) e o preço fosse assecível... só poupar o trabalho de configurar teclados, consola, X, tipos de letra e caracteres de impressora para português já era cinco estrelas!!!!!

Era melhor pores o teu questionário como form na web... há para aí muitos sites grátis... sempre era mais prático??
(The Dehumanizer) Mandrake 7.0 :) (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 22:12 GMT (#302)
(Utilizador Info)
é a primeira vez que vejo uma distro configurar tudo bem só por dizeres que estás em Portugal.

Sim, estou a contar com teclado correcto em consola *e* X, incluindo acentos c/ dead keys (fica igual ao windoze, portanto).

(GwaiN) Era giro (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 14:27 GMT (#26)
(Utilizador Info)

A sua ideia até é gira, embora tenha conhecimento que tal distro ja esta a ser tratada. Alguns aspectos a ter em consideração seriam, scripts para ppp e ippp ja pre-preparados para ISP´s nacionais, so uma uma insterface para colocar username, password e strings extras (ie: atx3 para netlines e voice mails), a festa podia mesmo ser feita com uma interface utilizando o dialog em consola. Preferia não um metodo de instalação grafico, mas em texto utilizando uma consola SVGA 800x600x16 por exemplo. Quanto as paginas de man e manuai de comandos, eu pessoalmente prefiro em ingles, ate pq ha termos que podem induzir a erro ou mesmo nao haver um traduçao correcta para os mesmos, caso de "device" ;p (traduçao para frame buffer device ???). Outro dos aspectos a considerar sera a base da mesma distro, Red Hat ?? Debian ?? Slackware ?? Não queremos que uma distro nacional volte a provocar "guerras santas" entre distros. Finalmente uma distro optimizada para Processadores i586 ?? ou mantendo a base i386 ??? De qualquer maneira é sempre de louvar tais iniciativas...

Nelson
(Drake) Re: Era giro (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 10:24 GMT (#376)
(Utilizador Info)
concordo
(Anónimo) Sem assunto (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 15:23 GMT (#44)
(Utilizador Info)
Conseguias vender... hummm... uns 3 CD's...
(Anónimo) Re: Sem assunto (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 21:30 GMT (#254)
(Utilizador Info)
A ti so' te interessa o dinheiro?!. Então não pertences a este grupo
(Anónimo) Re: MS?? (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 22:06 GMT (#292)
(Utilizador Info)
Vender n é tudo, aperfeiçoar o sistema e conhecimentos do mesmo tb contam.

Pela tua filosofia deves ser um programador da Microsoft.

(jmce) Complementar uma distribuicao existente... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 15:28 GMT (#54)
(Utilizador Info)
Fazer uma distribuicao de raiz nao e' tarefa para qualquer um (individuo ou mesmo grupo grande). Mais interessante seria colaborar com os esforcos gerais de internacionalizacao em curso e uma ou mais das distribuicoes existentes, o que nao impede que se ganhe dinheiro apostando nisso e acelerando o processo de adaptacao para portugues (fica-se com a fama e os conhecimentos). Solucoes fechadas (talvez com a intencao de maximizar o lucro) construidas em cima de Linux serao vistas como oportunismo e correrao serios riscos de mediocridade tecnica.

Ter vindo do Silly Icon Valley e' suposto ser um atestado de competencia? :)
(Anónimo) Re: Complementar uma distribuicao (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 15:57 GMT (#78)
(Utilizador Info)
Tendo em conta que nem sabe escrever daemon, nao me parece q tenha conhecimentos para fazer uma distro.
(Marco Lopes) Re: Complementar uma distribuicao ex (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 16:07 GMT (#116)
(Utilizador Info)
estranho era se esses inuteis que não fazem nada, não enviassem este tipo de comentários destrutivos.

Vai tabalhar, torna-te util!!!!
(Anónimo) Re: Complementar uma distribuicao (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 17:16 GMT (#136)
(Utilizador Info)
Já só cá faltava a Edite Estrela...
(Nuno Tavares) Re: Complementar uma distribuicao e (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 18:53 GMT (#456)
(Utilizador Info)
Nao percebo muito de linux, mas vigio atentamente o seu desenvolvimento (infelizmente cada vez mais comercial). Sou da opiniao que nao vale mesmo a pena apostar numa (outra) distribuicao portuguesa. Por exemplo, a SuSe (pelo menos) fez um optimo trabalho, e sinceramente mais do que isso entraria em conflito. Ja' viram o que era estar a traduzir shell scripts (e afins) para portugues ?

Bem, a' parte disso, sou tambem da opiniao que se deveria deveria investir mais na internacionalizacao e traducao de material (educativo/documentado) 'rather than' readaptar o que ja' existe.

A solucao mais pratica, se esse projecto fosse avante, era criar patch's para distribuicoes ja' existentes, como por exemplo (como alguem referiu) scripts de pppd, etc.

Gostei da ideia, mas como neste momento estou dentro de OOP, gostaria de deixar uma nota: Não reinventem a roda!

(Marco Lopes) Sem assunto (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 16:03 GMT (#98)
(Utilizador Info)
acho bem, mas POR FAVOR não traduzas os comandos da shell nem nada disso para português!!!! (se isso acontecer perdes já um potencial utilizador)
(Eduardo Luis) Re: Aí vão 2 (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 18:21 GMT (#450)
(Utilizador Info)
Aí vão 2.
(Anónimo) Sem assunto (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 17:22 GMT (#154)
(Utilizador Info)
Nao acho bem responder ao questinario aqui.
Se nao puseres o questionario "em-linha" :) respondo-te por e-mail.
A ideia e' de louvar, mas nao te esquecas do suporte tecnico para as PME's.

Abracos
(Paulo Laureano) Distribuição em Português... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 17:32 GMT (#166)
(Utilizador Info)
Julgo que seria melhor estratégia criar uma tradução para ser incluída numa distribuição existente e concentrar os esforços todos na dita tradução (por oposição a manutenção de pacotes) de man faq's e howtos (nunca do comandos).

Julgo que a tua empresa ser distribuídora desses pacotes faz mais sentido em termos económicos.

A acrescentar "mais que o Português" sugiro que se concentre a atenção no suportes aos ISP's nacionais, configuração de servidores para que OPCIONALMENTE se possam utilizar versões portuguesas nas mensagens de erros/default.

Se fores para a sempre com a ideia e estiveres interessado em ter parceiros eu disponho de alguns meios (servidores) que posso oferecer.
(buffer) weee (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 17:58 GMT (#172)
(Utilizador Info)
Bem, acho que +e de louvar..

mas os senhores ja repararam que sempre que alguém tenta fazer alguma cena em .pt voces so sabem criticar ?? se criticassem bem.. agora dizer k nao sabe escrever xx ou que la pk vem da silas eetc...


ja na reboot foi assim..

enfim.. cerebro .pt .. nao avança..

b2k
(chbm) É a serio ? (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 18:13 GMT (#194)
(Utilizador Info)
Se for fala com os tipos da Conectiva Brasil. Eles supostamente teem um conectiva pt_PT +- feita.
(jmce) Respostas... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 18:44 GMT (#210)
(Utilizador Info)

Como utilizador Linux considerarias comprar, utilizar e aconselhar uma distribuição nacional?

Como utilizador, instalador, e tudo o mais, uso distribuições internacionais, já que raramente as boas soluções nesse campo vêm de um único país (há alguma puramente nacional?). Pessoalmente prefiro a distribuição Debian, embora reconheça que não é a mais simpática para grande parte dos instaladores principiantes. Evito distribuições fortemente comerciais, por as sentir sujeitas a agendas de colocação no mercado nem sempre compatíveis com a qualidade que espero de um sistema Linux e por me parecer que, salvo excepções ligadas a um ou outro componente de que nunca precisei, se destacam sobretudo por tentarem ser "amigáveis" para o instalador principiante (o que pode ser meritório) conseguindo por vezes atrapalhar a vida do administrador experiente. Para mim, uma "distribuição nacional" digna de algum interesse resultaria de uma distribuição já existente com adição de contribuições fortes nacionais para os projectos de tradução em curso, libertadas para a comunidade. Uma empresa que apostasse nisso de forma tecnicamente competente mereceria o respeito de quem desenvolve e utiliza, sem deixar de ter algumas vantagens no mercado. Além de puras traduções, há outros aspectos de localização interessantes (como o facilitar de ligação a ISPs nacionais já mencionado por outros).

Como programador/utilizador Linux gostarias de ter os comandos da shell em Português?

Traduzir o nome dos comandos não é necessariamente boa ideia, excepto alguns menos normalizados ou alguns específicos de uma distribuição. Traduzir a documentação e o texto nas interfaces é importante para muitos utilizadores. Pessoalmente, desde há muito tempo que até comento o meu código em inglês, pelo que eu não seria um dos clientes finais da coisa (embora a pudesse instalar para outros).

O programa de Instalação e Configuração deveria ser gráfico (X/Qt/GTK/Motif/Java) ou CLI (ncurses)?

Motif e Java eu recomendaria que ficassem numa fundo de uma gaveta, nesse domínio. Quanto à interface gráfica versus a baseada em caracteres (não necessariamente sinónima de "linha de comando"...), o mundo é complicado, e o mundo da arquitectura dos "PCs" mais complicado ainda. Uma interface gráfica pode ser interessante, mas nem sempre irá funcionar, pelo que uma alternativa mais simples apenas com caracteres (ncurses ou outra) tem geralmente de existir. Já para não falar em utilizadores com necessidades ou limitaçõs especiais. Um bom programa de instalação também deveria ir mostrando o que está a fazer, deixar o utilizador principiante ir tomando contacto com o que se passa na realidade "por baixo" da interface mais simples --- o oposto do que a MS tem vindo a fazer.

Ser reconhecido como produto nacional é uma des/vantagem?

É uma desvantagem quando um produto nacional é impregnado dos maus vícios nacionais (incluindo os manifestos do tipo "é bom porque foi todo feito lá fora" ou "sob direcção de engenheiros alemães" ou "nas instalações da Grande Multinacional JKL" ou "é bom porque feito pela nossa fantástica e jovem equipa 100% nacional e 200% genial e ganhou um prémio do ciber-pasquim DEF e um chorudo subsídio do ministério MNO"). Exceptuando isso, trabalho competente pode encontrar-se por todo o mundo (mesmo que aparentemente certas culturas tenham uma maior propensão a aparecer nas listas de contribuições para o software livre e o software de qualidade em geral; e não necessariamente em resultado da dimensão do país). A única vantagem "óbvia" de forte presença nacional na elaboração de uma distribuição seria no campo da localização/internacionalização: terminologia bem adaptada ao país, por exemplo. Mas com tantos exemplos tristes que se vêem, mesmo nesse campo não é automático que o que "é nacional é bom" (só como exemplo, quem faz a melhor historiografia da ciência portuguesa são... estrangeiros). O que interessa é que o trabalho fique bem feito.

Gostarias de trabalhar para uma empresa deste género?

Qual género? (Bom, algumas das questões postas dão uma imagem de recém-chegados ao Linux que não entusiasma muito...)

Qual é a tua opinião em relacão ao software livre (GPL vs proprietário)?

Simples: quase sempre a favor da licença GPL. Tolerando, raramente, licenças mais restritivas em casos de software já muito específico para grandes serviços/instalações industriais, por exemplo, onde não há necessariamente um algoritmo essencial e novo a ser "protegido" mas onde há muito trabalho "chato" extensivo, onde o custo da coisa é pouco importante e não se impede a liberdade de outros criarem serviços parecidos; ou, por exemplo, no caso de alguns "suplementos" a software livre para "clientes endinheirados" que precisam de "hand-holding" (como acho ser o caso de software adicional existente para ajudar a configurar o sendmail) ou de adaptações especiais de software livre para necessidades muito particulares.

Há alguma tentação de fazer uma distribuição "portuguesa" à custa da adição de software não livre ou de restrições ilegítimas de licenças? Se sim, isso seria rápida e justamente rotulado de oportunismo provinciano de patos-bravos recém-caídos de pára-quedas no mundo do Linux, e o fim merecido viria rapidamente (se ainda há justiça neste mundo). Essa parece ser uma tentação nacional comum a vários domínios, daí falar dela. Daqui a umas semanas espero dar um exemplo importante do nacional-ridículo em que se cai sistematicamente tentando espremer feijões até aos últimos tostões.

O que procuraras mais numa distribuição: Código-fonte, programas de CLI, programas de Desktop, deamons?

Estabilidade, robustez, todas as "peças" em versões minimamente testadas e bem integradas umas com as outras (é essa afinal a tarefa de uma distribuição, evitar que o utilizador tenha de integrar/instalar tudo "manualmente", excepto uma ou outra ferramenta com que seja mais exigente). E liberdade de acesso ao código, tanto para mim quando precisar como para a comunidade em geral, que assim pode sempre melhorar os produtos (e tomar conta deles se o autor original deixar de o fazer). Programas de CLI versus programas de "desktop" (no sentido de interfaces graficas, suponho)? Isso para mim é uma dicotomia irrelevante. O que interessa é ter boas interfaces para utilizadores principiantes (se possível) e para utilizadores experientes. Uma boa interface é nuns casos uma de "linha de comando", e, outras vezes, gráfica (por vezes para um mesmo programa). E claro que espero a colecção habitual de daemons, ora essa... (estranha pergunta, verdade?).

Em Portugal o maior grupo de utilizadores Linux é: Entusiastas, Curiosos, Estudantes de Informática, Programadores Profissionais, SysAdmin, PMEs ou Grandes empresas?

Não sei. Convém é não esquecer que alguns dos entusiastas curiosos estudantes de agora vão ser os programadores/sysadmins de PMEs e grandes empresas. Sempre me pareceu que isso ia determinar boa parte do sucesso do Linux, e acho que o efeito do entusiasmo de há alguns anos já se vê agora, à medida que muitos dos utilizadores iniciais vão passando para o mundo profissional e conseguindo poder de decisão.

(Ricardo Manuel Oliveira) Re: Respostas..., ou a r (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 10:17 GMT (#362)
(Utilizador Info)
Ocasionalmente, este nosso editor presenteia-nos com uma resposta que tem mais de editorial do que de resposta :).
Obviamente que não são as respostas propriamente ditas que me fascinam (até porque, ocasionalmente, não partilho da mesma opinião), mas a forma cuidada, precisa e fundamentada como estas são expostas. Sem dúvida, um exemplo a seguir.

E porquê este meu comentário agora? Talvez porque esteja a ficar farto de comentários de duas linhas, onde se fala de tudo menos do artigo original, e onde o insulto barato tende a aparecer (infelizmente) cada vez mais vezes.
Por favor, elevemos o nível dos comentários, elevando a própria comunidade Linux Portuguesa (que se reflecte, de algum modo, no Gildot, ainda que parcialmente) e poupemos o dedo censurador dos editores, que por muito desagradável que seja por vezes é absolutamente necessário.
As opiniões expressas são da minha responsabilidade, e podem reflectir (acredito que, pelo menos, parcialmente) as opiniões da maioria (se não totalidade) dos editores do Gildot.
(leOn) Re: Respostas... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 13:33 GMT (#414)
(Utilizador Info)
Subescrevo as linhas do Jmce.
Para dar um pouco de mais enfase à tradução dos comandos shell...

gato texto.txt | cabeça ???

think not. =)
(jmce) Re: Respostas... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 23:10 GMT (#496)
(Utilizador Info)
Direi mais... MIAO!

Apenas comandos muito especiais e pouco ou nada normalizados poderiam merecer traducao (pelo menos a existencia de um link simbolico traduzido). Nao me ocorrem muitos candidatos... Talvez "ajuda" para invocar um "help" interactivo especialmente concebido para uma distribuicao?

De qualquer forma, nao vejo essas nuvens no horizonte. So' por exemplo, quando primo [tab][tab] na bash, aqui no laptop, sou informado de que tenho 2585 comandos para invocar directamente (no PATH ou intrinsecos da shell). Traduzir a documentacao? Optimo para quem tem dificuldades com o ingles (e para defender a diversidade das linguas). Mas ter 2585 nomes de comandos alternativos como "traducao" de comandos cujo nome nem sempre tem necessariamente a ver com qualquer lingua?
(Anónimo) Re: Respostas... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 16:35 GMT (#444)
(Utilizador Info)
Concordo a 99%
Uso linux para os servidores. Gostaria muito de por linux nos desktop, mas nao posso.
Falta-me um CAD e um Office, e nao me digam que ha' o X ou o Y que da' conta do recado, porque e' um bit + complicado, na mediad em que tem de ser transparente para os utilizadores e ha' que preservar a troca de informacao com terceiros.
Dirao alguns: "Faz tu isso e disponibiliza para o povo". Digo eu: "E' mais barato comprar a mer^H^H^H o windows". Desculpem ser pouco romantico...mas e' aqui que esta' o nicho para uma distro nacional, IMHO.
Quando uma distro responder a estes anseios considera'-la-ei, por enquanto o slack chega e sobra.
O que nao quer dizer que nao ache de louvar todas as iniciativas de levar o linux a um maior numero de pessoas.
(jmce) Re: Respostas... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 23:00 GMT (#484)
(Utilizador Info)
O problema da falta de algum software (por vezes um falso problema, mas compreendo as dificuldades e as resistencias de muitos utilizadores; tambem as vejo desde que comecei a divulgar Linux entre colegas e amigos e clientes) nao tem muito a ver com a questao de uma distribuicao nacional... Excepto, novamente, no que diz respeito a traducoes.

Algumas solucoes de CAD e Office (e, mais seriamente que nos Offices da moda, processamento de texto a valer) existem. O problema e' convencer algumas pessoas a mudar, especialmente aqueles que foram treinados e condicionados para se sentir bloqueados em tudo o que nao e' um ambiente muito especifico. A MS sabe disso e as nossas instituicoes de ensino acabam por treinar utilizadores de produtos finais muito especificos em vez de ajudar a interiorizar conceitos mais genericos e solidos que permitiriam uma maior flexibilidade.

`As vezes, o problema e' mesmo falso. Diz-se que "toda a gente sabe usar Windows" mas quando se olha mais de perto ve-se muita gente, alguma com experiencia de anos de interfaces antigas de mainframes e MS-DOS, ficar bloqueada. Especialmente `a medida que o software em Windows vai ficando cada vez mais infectado de "featuritis" concebida para as reviews de produtos mas que confunde o utilizador final e introduz instabilidades. "Transparencia" nem sempre sera' a palavra apropriada. Para compor texto profissionalmente, por exemplo, aprendizagem necessita-se sempre. Em Word e em TeX. A aparencia de facilidade e' uma armadilha que ajuda a vender produtos aos gestores sem corresponder necessariamente a uma solucao melhor, e cujos efeitos alguem devia medir seriamente.

De qualquer forma, desconfio que muitos produtos agora dominantes, e ainda nao existentes em Linux, la' chegarao em breve. A Adobe, por exemplo, continua timida mas suspeito que nao podera' adiar muito mais tempo... Ainda todos devem ter na memoria recordacoes frescas do que foram aquelas semanas em que como pecas de domino varios grandes fornecedores de bases de dados anunciaram produtos para Linux uns a seguir aos outros. E isso agora ja' e' historia antiga...
(Anónimo) Re: Respostas... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 12:02 GMT (#568)
(Utilizador Info)
Eu nao estou a por em causa a qualidade das aplicacoes desktop para linux. O problema continua a ser a troca de informacao com terceiros. Quando a empresa que detem o monopolio tem uma postura de fechar os protocolos de que nos vale ter o sistema melhor?
Quando falo em transparencia nao me refiro 'a (aparente) facilidade de utilizacao, mas sim 'a abstracao do SO que um utilizador final deve ter. Nesse sentido o desktop linux (ainda) nao corresponde 'as minhas expectativas mas evolui a passos largos. Nao quero dizer com isto que o sitema dominante corresponda!
Quanto ao CAD a Autodesk ja' teve um Autocad para X que infelizmente foi descontinuado. Se fosse hoje desconfio que nao o faria.
Desculpem ter-me desviado do assunto inicial, mas, quem sabe, se daqui se pode diagnosticar necessidades de uma empresa potencial cliente de uma distro nacional.
Tanto no papel de gestor de rede como de utilizador caseiro de linux nao sinto necessidade dessa distro.
(Bandit) distro pt (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 19:03 GMT (#214)
(Utilizador Info)
Bem... se realmente tiveres capacidades tanto tecnicas como organizativas de modo a puderes ir para a frente com um projecto desse tipo... e sair uma coisa bem feita.. axo que a ideia e excelente.
quanto a traducao dos comandos da shell deverias por como opcao.. visto que muita gente prefere em ingles (como eu)
(Mario Valente) Empreendedorismo (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 20:14 GMT (#218)
(Utilizador Info)


Se estiveres interessado em alguma capacidade de capital e participacao na sociedade nao so' em termos financeiros mas tambem em know how, contacta-me. Eu e alguns colegas temos estado a planear uma coisa dessas mas partindo de contactos com a Conectiva (distro brasileira) que nao teem corrido muito bem.

Cumprimentos

-- Mario Valente

(Cyclops) Traducao de comandos? Erro desastroso... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 20:51 GMT (#222)
(Utilizador Info)
Viva, Ha MUITOS, mas mesmo MUITOS motivos pelos quais traduzir os comandos e uma ideia *MUITO* ma. Cito alguns:
  • A meioria dos scripts que existem por ai deixariam de funcionar devido a um nacionalismo triste
  • Demasiadas dores de cabecas para a assistencia. Porque raios e que os tecnicos de informatica se vao ter de especializar em traducao para poderem fazer assistencia a comandos cujos nomes forem trocados para termos portugueses +- obscuros em relacao ao seu equivalente ingles?


Em vez disso, e muito mais recomendavel que:
  • Se facam versoes LOCALE'izadas das man pages, info pages, etc...
  • Se faca o software com UI grafica ou texto (mas NUNCA de linha de comando) LOCALE'izavel


Porque defendo esta opiniao? Porque os unicos pobres coitados que poderiam precisar de comandos de linux em portugues, nao querem saber da linha de comandos, so querem saber do interface grafico, porque nao querem uma coisa tao encriptica que precise de comandos escritos a mao.

O que estas pessoas querem, e poderem fazer um clik aqui e um clik ali, e terem a cronica ou o relatorio prontos para entrega, e nao querem fazer um ls -laF mas sim abrir uma shell grafica e ver os ficheiros com iconezinhos, e trinta por uma linha.

Uma versao com programas cujo nome de execucao na linha de comandos for traduzido para portugues, tem tambem outra miseravel desvantagem, manutencao do software.

Pessoalmente, eu NUNCA recomendarei a ninguem o uso de um SO utilizado a nivel mundial cujos comandos tenham sido traduzidos so para satisfazer meia duzia de imbe^H^H^H^Hgajos feios que nunca os vao usar.

Ja agora nao querem tambem traduzir as system calls e a source do kernel para os gajos feios que nao sabem programar poderem le-las? Isto e uma hiperbole, mas e mesmo aplicada para reforcar o ridiculo que e traduzir comandos... ate ja estou a imaginar... cd => tdd, cat => mostra, more => mais, less => menos (nomes, ja de mais, tao perfeitamente descritivos como os seus nomes originais), XF86Config => ConfiguraXL86... need I say more
(Duckie) Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 21:13 GMT (#244)
(Utilizador Info)
Já na é novidade...
Mas sinceramente na vejo o interesse... Kual o interesse em traduzir "Segmentation fault" pra portuga?
Falta de segmentação?? Bah lame!
Curti akel tóto da dist de "referencia como o Debian e RH" dists mais lames... daki a pouco o rh torna-se num windows... com mais um dono arrogante como o billzilho...

Get real... Dist linux nacional, soh pra kem na percebe caralho de inglês...
Jah há mts merdas pra português... Na precisamos duma dist nacional cheia de bugos...
(Anónimo) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 21:33 GMT (#264)
(Utilizador Info)
Quanto tiveste a Portugues?!
Nao achas melhor voltar para a escola?
(Mário Gamito) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 21:54 GMT (#274)
(Utilizador Info)
Além de seres mal-educado, num local onde essa linguagem é rara e de não saberes escrever português, ainda te dás ao luxo de mostrar a todos a tua ignorância na língua de Shakespeare. "Fault" significa "falha" e não "falta".

Com uma lavagem de boca com sabão azul,
Mário Gamito
(Anónimo) errr... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 22:01 GMT (#284)
(Utilizador Info)
No que toca às traduções estás enganado, Mário:

fault = falta, failure = falha.

Quanto ao resto tens toda a razão:

Duckie = mal educado
(Mais um...) Re: errr... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 10:02 GMT (#342)
(Utilizador Info)
Desculpa lá, mas o Mário tem razão:

fault = falha, falta desportiva
failure = fracasso, frustração

quanto ao resto teem os dois razão:

Duckie = sem comentários, já tá tudo dito
(String) Re: errr... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 19:28 GMT (#458)
(Utilizador Info)
fault s. falta, culpa, erro, delito, imperfeiçao

in Dicionario Ingles/Portugues/Ingles
Porto Editora
(Anónimo) Re: errr... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 20:24 GMT (#460)
(Utilizador Info)
Wow! I'm impressed! Dicionario Portugues/Ingles da Porto Editora e' realmente uma fonte fidedigna! Arrgh! Vai e' ver o Oxford English Dictionary, ou o Webster's. Fault = falha, at least in this context, trust me on this one, I've lived in the UK for quite a few years.
(String) Re: errr... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 21:47 GMT (#474)
(Utilizador Info)
>Wow! I'm impressed! Dicionario Portugues/Ingles da Porto Editora

Dicionario Ingles/Portugues - Portugues/Ingles
(jmce) Re: errr... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 23:26 GMT (#516)
(Utilizador Info)
Recordando a San Andreas fault, talvez uma expressao tambem usada para designar feridas nao ficasse completamente despropositada:
solucao de continuidade :) (half-joking...)

Acho que a palavra portuguesa "falta" tambem e' usada no sentido de "erro" e "falha". Espero nao estar a entrar em falta...

Solucao de continuidade de segmentacao: nucleo despejado.
(Anónimo) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 22:14 GMT (#322)
(Utilizador Info)
Enfim, so' um comentario: BEHOLD THE MASTER!

Oh Duckie, va' la'... segue os teus instintos de "duck"(ie) e migra para o sul, mas nao pares antes da Australia, esta' bem? Manda-nos postais de la'!
(Nelson Marques) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 23-03-00 23:41 GMT (#338)
(Utilizador Info)

O meu amigo, nao era preciso insultar o homem, afinal tudo o que ele fez foi apresentar um projecto e tentou pedir ajuda a todos os interessados, ja agora Core Dumps ja vi alguns Segmentation Fault nem por isso... 1 ou 2 no X... Outra quase que estou certo que Sua Senhoria Herr Duckie, era capaz de fazer melhor, afinal para falar com essa arrogancia toda é porque percebe bues disto, sugiro entao que utilize toda a sua sabedoria para ajudar quem procura ajuda se assim quiser, agora andar ai a mandar postas de pescada nesses termos é que nao!!!
(JohnnyBigodes) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 21:41 GMT (#466)
(Utilizador Info)
Nelson, nunca disseste nada com tanto juízo na tua vida. Deves estar a ficar doente... :)
(buffer) entao patinhop ?? (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 11:18 GMT (#396)
(Utilizador Info)
Entao duck ? que foi ?? tavas mal disposto ? eh kulpa do kha0s ?? tse tse.. efeitos...

patinho feiu

enfim.. moderate ;-)


from your loving friend (moi..) ..
(Duckie) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 18:46 GMT (#588)
(Utilizador Info)
Ainda bem q compreenderam o significado da mensagem...

Akeles tótos do Português incorrecto soh kero dizer q são... tótos *g*

Ao do Inglês icorrecto... És dakele tipo de pessoas q critica tudo o q tah incorrecto (gramaticalmente), mas na viu o significado da mensagem... tsktsk

Pro resto do pessoal (se tão a pensar q vos vou mandar pro ca***, na vou), soh vou dizer q se isto é pra dar opinião, eu dou a minha opinião, mesmo q na seja a das mais correctas. Posso ser asneirento mas na eh para insultar ng, sou do Porto e tenho cah as minhas raizes, e ao contrário de outras cidades do sul, nós cah dizemos mt palavrões (excepto alguns betos e cotas).

Pro buffa jinhos more *****
(buffer) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 19:13 GMT (#590)
(Utilizador Info)
" os vou mandar pro ca***, "

can.. nal ??


se for pro #coders (pub)

lovya kid..

b2k(I.love.a.beautifulllllll.girl);
(Anónimo) Re: Bah (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 23:41 GMT (#642)
(Utilizador Info)
Bem, sim senhor! Estamos no auge! Estas, por alguma razao absurda a tentar desculpar a tua falta de educacao pelo facto de teres nascido/vivido/crescido na cidade do Porto? Desculpa la', mas eu sinto-me ofendido com isso! 'Es uma vergonha para todos em geral e para os portuenses em particular. Se os teus papas nao te souberam/conseguiram dar educacao, nao temos minimamente culpa disso, agora, nao venhas por ai' alardear que 'es uma pobre e inocente vitima cultural, manietada pelo ambiente circundante! So' te fica mal, alem de ofender esta belissima cidade que e' o Porto. Educa-te, o' jovem!
(Ruben) Empresas livres (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 24-03-00 13:39 GMT (#426)
(Utilizador Info)
Por falar em empresas portuguesas. Alguem conhece alguma que esteja a contratar programadores para desenvolverem software livre? Nao quero saber de empresas de formacao nem das que vendem CD's. Estou interessado em empresas que dao algo em troca para a comunidade desenvolvendo software livre.
(LUIS ANDRADE) distri nacional ? era boa ideia !!! (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 1:33 GMT (#538)
(Utilizador Info)

Para já penso que a tua ideia é louvável e necessária para que o linux se desenvolva mais aqui em Portugal, principalmente no mercado doméstico.
Também concordo com os outros que os comandos não devem sêr traduzidos para português.
O que mais faz falta mesmo para as PME são os manuais(aqui tens o poli que está a traduzir),os programas tais como o GIMP,o Star-Office,o koofice,programas tais como o Kppp tão útil para os novatos configurarem a sua ligação á rede,etc,etc.
Qual a versão ? bem e que tal sermos nós os portugueses a fazerem uma ?
é que programadores já temos, tradutores também e uma comunidade forte também !
será que temos que estar agarrados sempre aos estrangeiros ???
boa sorte para o teu projecto !!!

Luis Andrade
(jmce) Think again... (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 11:37 GMT (#548)
(Utilizador Info)
Nao temos de ter complexos e pensar que "os estrangeiros fazem sempre melhor", mas criar e manter uma distribuicao completa e' tarefa realmente pesada. Ao participar numa distribuicao ja' existente esta'-se a aproveitar a contribuicao de dezenas ou centenas de responsaveis de manutencao e o feedback de milhares de utilizadores em todo o mundo, que vao contribuindo para eliminar bugs e melhorar a coisa. Por muita competencia que haja em Portugal e muita gente que estivesse disponivel para trabalhar (nao sei de numeros...), dificilmente conseguiriamos desenvolver isoladamente uma distribuicao com o mesmo nivel da Debian, por exemplo. Ate' por razoes puramente estatisticas. Nem vejo vantagem em o fazer, por razoes "patrioticas" ou outras... Afinal podemos aproveitar as vantagens do codigo aberto... e assim concentrarmo-nos em:

1. software novo (nao apenas para Portugal),
2. contribuicoes para o software existente, adaptando-o para Portugal,
3. juntar novos responsaveis por manutencao de distribuicoes `as equipas ja' existentes (o que permitiria zelar pela localizacao para Portugal no interior dessas distribuicoes),

em vez de tentarmos reinventar a roda (varias rodas) em nome de um patriotismo algo suicida...

A quem nao seguiu algumas das longas discussoes associadas ao nascimento de uma distribuicao pode ser um pouco dificil perceber a extensao dos problemas que e' necessario resolver. Segui alguma da historia da Debian (nunca muito por dentro, mais sobretudo as discussoes que transbordavam para a lista "debian-users") e recomendo a quem se acha capaz de criar uma distribuicao a partir do "nada" que consulte os arquivos dessas discussoes, no minimo para ter ideia dos problemas tecnicos e organizacionais a resolver. Convem notar que com a passagem do tempo a tarefa torna-se mais complexa, nao mais simples, ate' pela riqueza crescente do software a "empacotar" e pela explosao de packages alternativas e novas plataformas a suportar.

(LUIS ANDRADE) Re: CÉREBROS EXISTEM,DINHEIRO É QUE (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 19:16 GMT (#612)
(Utilizador Info)

eu estou inscrito em várias maillings list da debian,corel,suse,red hat e pelo que eu vejo existem portugueses que participam activamente nelas dando conselhos,pedindo ajuda,é assim a nossa comunidade...talvez a comunidade de informáticos mais unida mundialmente e que se chama "comunidade linux" :))
quanto ao facto de ser tempo de apostar em nós,concordo que o dinheiro não abunda por estas zonas,apesar de já se fazer muito a favor do linux mas a nível universítário.
nas empresas o linux ainda não se encontra muito divulgado é preciso novos cursos,escolas que queiram disponibilizar cursos,apostar em quem sabe o que diz e não naqueles que fazem um mini-curso e depois são chamados de doutores mas não sabem nada ou não percebem nada do assunto,é aqui que se pode começar...a criar bases,a oferecer informação,a desenvolver projectos.
também é nas lojas de informática que a comunidade tem de trabalhar,porque se eu quiser um computador doméstico com o linux de base,poucas o fazem ou não têm técnicos para o instalarem!
geralmente o linux é associado a hackers mas este conceito é meio falso pois nem só de hackers o linux vive mas a ideia de que para se trabalhar com o linux é necessário saber informática/programação está bem actualizada hoje em dia e temos de concordar que os verdadeiros hackers percebem do assunto,estão a um nível de ciência bem superior!
se por acaso for a uma empresa onde o windows é rei e se pedir a um técnico que faça o "shutdown" manualmente em linhas de comandos...poucos o sabem fazer e muitos pedem para explicar como se faz,e são técnicos de informática com cursos mas que a partir do momento que começaram a trabalhar só pensam em windows,só comem windows,só ouvem windows e só utilizam o rato ou os "atalhos" quase religiosamente,isto é a realidade,crua e nua para quem queira ouvir.
por isso aplaudo esta iniciativa e nunca poderia deixar de sugerir o apoio aos programadores portugueses que utilizam o linux e porque não os que utilizam o windows...também não somos assim tão fanáticos porque todos são bons,são reconhecidos lá fora e metem Bill e C&limitada a um canto e ...sem bugs :))

cumprimentos

luis andrade
(Franky) Sem assunto (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 20:16 GMT (#622)
(Utilizador Info)
Penso que a ideia é excelente. Pois é uma grande oportunidade de aprofundar conhecimentos sobre Linux.
Mas, por outro lado, vejo que já há no mercado inumeras distribuições de Linux, facto que, no meu entender, desprestigia este SO, pois cada distribuição tem as suas características especificas, incompatíveis umas com as outras. Por exemplo já se vêm programas especificos para o RedHat, outros para o SuSE, Debian, etc...
Ou seja, se se pertende que o Linux seja um SO, para o utilizador comum e que faça verdadeira concorrência ao Windows, não podemos estar a criar distribuições, assim sem mais nem menos, mas sim contribuir para a unificação das várias distribuições existentes. Caso contrário acabamos por cair no mesmo erro da industria dos DVD's, que apesar de ser muito melhor que os CD's, poucos o compram, porque há varias normas e são incompatíveis umas com as outras.

(Anónimo) Re: Sem assunto (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 25-03-00 23:45 GMT (#654)
(Utilizador Info)
Estas enganado, nao ha' programas especificos para a distro X ou Y, ha' isso sim,pacotes pre-compilados/configurados e prontos a instalar, especificos das varias distribuicoes, tais como os .rpm da RedHat, ou os .deb da Debian
(fox_murder) Vai em frente! (Pontos:0)
por Utilizador do gildot em 27-03-00 5:48 GMT (#674)
(Utilizador Info)
Uma distribuição portuguesa de Linux?! FIXE!!!!!!

 

 

[ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]