gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Linux vai ter sucesso no desktop
Contribuído por scorpio em 28-11-07 9:01
do departamento go-tux
Linux RaTao escreve "Há um artigo no site Information Week em que o autor - Nicholas Petreley - expõe alguns pontos sobre o Linux no desktop. Como a minha opinião é muito semelhante à dele resolvi partilhar. "

Bem-vindos ao Século XXI | CBLan Party - Castelo Branco Lan Party  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • artigo no site Information Week
  • Mais acerca Linux
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Volta, estás aperdoado (Pontos:1)
    por RaTao em 28-11-07 19:37 GMT (#1)
    (Utilizador Info)

    Scorpio, meu amigo. Voltaste! :-)

    paz,
    ratao
    Re:Volta, estás aperdoado (Pontos:2)
    por gass em 01-12-07 16:22 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.otiliamatos.ath.cx/~gass
    Podiam era "desarquivar" o artigo sobre o gildot... mas pronto.
    Cumps-
    Gass
    E pur se muove (Pontos:2)
    por André Simões em 30-11-07 10:22 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    Ainda não li o artigo todo, mas não queria deixar de dizer que, pelo menos desde o windowsxp, só com muito má vontade se pode continuar a usar o velho argumento de que o "linux é mais complicado". Então com o novo Vista o grau de complicação, desordem e caos atingiu um nível difícil de igualar, quanto mais de ultrapassar. Hoje em dia, e já desde há muitos anos, instalar e usar um sistema Linux é bastante mais fácil do que um windows. Pelo menos para mim tem sido.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:E pur se muove (Pontos:2)
    por gass em 01-12-07 16:33 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://www.otiliamatos.ath.cx/~gass
    O que aconteceu com o vista foi que a interface entre o SO (gráfico) e o utilizador mudou bastante, criando uma barreira de aprendizagem. Uma coisa de que discordo do artigo é com a "necessidade" de trocar o Gnome pelo KDE nas principais distribuições, face ao novo kde4. A razão pelo que digo isto é pela experiência dada pela mais simplicidade do gnome e a maior qualidade de algumas aplicações para gnome. Mais de resto, parece-me que o linux está encaminhado. A nível empresarial, apenas a dificuldade em encontrar algumas alternativas ao software utilizado que suportem linux o separa de ter sucesso. Além disso, existe uma dependência muito grande de windows nos sectores técnicos, principalmente devido à utilização massiva de biliotecas e programas técnicos que apenas existem em windows.
    Cumps-
    Gass
    Re:E pur se muove (Pontos:2)
    por higuita em 02-12-07 17:28 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Bem, para começar, gnome vs kde e' sempre uma questão de gostos....

    na minha opinião, o gnome é mais simples e limpo, muito bom para quem está habituado ao windows e migrou para linux, pois a simplicidade faz com que o utilizador rapidamente se habitue às coisas "novas"

    Posto isto, considero o gnome é demasiado complicado internamente, as integrações são mais virtuais que outra coisa, muito pouco configuravel, impondo a sua ideia de desktop (que pelo menos no meu caso, nada tem a ver com o ambiente windows/gnome)
    o gnome chega a trazer as piores coisas do windows, erros que de nenhuma forma se consegue corriguir (a não ser que sejas um especialista em gnome) e a bosta do conceito do registry, tao inutil e inacessivel como o original

    o gnome leva quase ao máximo a frase: um sistema tão simples que até um idiota poderá usar, mas que leva a que apenas os idiotas o queiram usar

    finalmente, o suite gnome so' funciona mesmo graças ao ubuntu, pois cada aplicação pouco liga ao desenvolvimento global, são demasiado independentes, provocando um sem número de problemas a quem se aventura a usar um pacote que não vem na distro

    O kde acho muito melhor integrado, e' altamente configuravel e se no passado era mais pesado, hoje em dia é até mais leve que o gnome e as suas 200 aplicacoes/daemons/addons/etc

    os problemas do kde é a sempre maior lentidão no arranque das aplicações, infelizmente, devido aos problemas iniciais da lib QT, não teem tantos programadores, fazendo com que algumas aplicacoes, apesar de funcionais, precisem sempre de um pouco mais de atenção para ficarem boas, arrastando a sensação de inacabado e finalmente, algo que não consigo explicar, no aspecto das apps kde/qt... desconfio do demasiado espaço gasto entre separadores, mas nunca consegui um tema que desse o aspecto mais compacto as apps kde... e ia me esquecendo... no kde existe a ideia idiota de colocar opções em todos os cantos, tornando o kde confuso para qualquer um... ainda nao vi como estao no kde4, mas espero que finalmente coloquem tudo num painel de controlo unico

    se o gnome e' demasiado simplista, o kde ccomlica e duplica as coisas com facilidade

    ambos, odeio a ideia de começarem os programas por g* e k*, separa demasiado as coisas, quando se pode correr qualquer um usando o ambiente "oposto"...teoricamente quer kde, quer o gnome já podem partilhar várias coisas, deviam acabar de partilhas as coisas... mas isto é outra historia, precisam que o xorg e a freedesktop acabem de uniformizar as coisas novas e como e' habito, demora tempo...

    olhando para o xfce, o gnome e kde tinham de aprender a serem mais simples , a não querer ser e fazer tudo

    ps: uso fluxbox com tabs e acabo por usar aplicações tanto gnome (mais gtk genéricas que gnome realmente) e kde/qt

    Higuita
    Re:E pur se muove (Pontos:1)
    por RaTao em 03-12-07 1:54 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Concordo com algumas coisas, mas:

    Eu uso KDE desde o kde beta 1... Já lá vão uns 10 anos. Antes disso usava o afterstep e antes disso o fvwm e antes disso era o owm (? não me lembro do nome... era aquela coisa que vinha com os DECs, com uns borders muito 3D).

    Pelo meio já tentei gnome, mas não me consigo habituar a não ter a integração do KDE (que eu realmente quase não uso... Mas por vezes quero arrastar aquele attach dum mail para o kopete (IM) ou para uma sessão FTP ou CIFS ou ssh e saber que funciona).

    Outro problema grande do gnome é a falta de opções. Como disseste: é simples demais.

    Em relação à performance: nas minhas máquinas o KDE sempre foi mais rápido que o gnome. Mas de longe. E é debian o mais off-the-shelf possível. É relativamente normal o pessoal do gnome pensar que tenho um super maquinão, mesmo quando tinha o pentium 2.6GHz com 1GB de RAM e só com 1 disco.

    Eu acho que a maior parte dos testes de performance são de 5 mins. E em 5 mins provavelmente o gnome parece mais rápido. Mas se deixarem a desktop a correr durante semanas e com umas 60 a 70 janelas (que é o meu normal... Daí nunca rebootar porque senão perco 30 mins a abrir as shells todas e sites e afins), o KDE voa e não come RAM nenhuma.
    (Nas minhas máquinas, pelo menos...)

    Olhando para um top -> M, o que me come mais RAM é o firefox, o xorg e o kopete:

        PID USER PR NI VIRT RES SHR S %CPU %MEM TIME+ COMMAND
      9174 nuno 20 0 268m 132m 26m S 0 6.6 9:34.38 firefox-bin
      7680 root 20 0 165m 114m 10m S 2 5.6 16:43.73 Xorg
      8139 nuno 20 0 117m 39m 24m S 1 2.0 2:03.62 kopete
      8127 nuno 20 0 53688 33m 21m S 0 1.6 1:18.71 konqueror

    E olhando para o RES e SHR, vê-se que o kopete (que é das apps mais gordas do KDE) mesmo assim tem um SHR, percentualmente, bastante alto. Então o konqueror, cuja diferença do resident para o shared são 12MB, chega a ser ridículo, para o monstro de funcionalidade que é o konqueror.

    Até este ano o KDE sempre esteve à frente - por uma boa margem - em termos de utilizadores, mesmo com alguns dos grandes a incluírem o gnome por defeito. Se não fosse o Ubuntu, ainda seria o DE destacado.

    Mas acho que ainda existe mais uma razão porque o gnome é popular por parte de quem faz as distros: Parte do toolkit é LGPL, o que quer dizer que há programas que se podem lá linkar mais facilmente... O KDE por outro lado assenta no QT versão GPLv2 *só* (quem quiser linkar o que bem lhe apetecer ao QT tem que comprar umas licenças). Assim, com o gtk é possível fazer uns installers não GPL e mais umas coisitas aqui e ali.

    Isto levanta outra questão:
    O KDE é mais livre que o gnome? Provavelmente quem gosta mais do GPL, comparando com as licenças BSD, vai ter que concordar :>

    Tanta discussão em 1900 e carqueja por causa do QT não ser GPL e agora nem se fala que a melhor solução GPL é o QT.

    Enfim...

    Venham lá os zealots todos reanimar o gildot com comentários a defender o LGPL e o gnome e o modo de vida Português! (eheheheheh)

    paz,
    ratao
    Re:E pur se muove (Pontos:2)
    por gass em 03-12-07 15:13 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://www.otiliamatos.ath.cx/~gass
    penso que a discussão kde vs gnome não deve existir. Eu prefiro gnome, talvez pelas mesmas razões que tu preferes kde. Talvez algumas coisas como a configurabilidade, eu prefira a pouca de gnome à muita de kde. Eu prefiro um pouco de lógica e simplicidade, existente no gnome. Aliado a isso, prefiro muitas das aplicações existentes para gtk e a sua integração. Integração foi coisa que sempre adorei no kde e que o gnome começou a ter nas versões 2.6/2.8. Detesto o gconf e o modo como foi idealizado (à la registry).
    Cumps-
    Gass
    Re:E pur se muove (Pontos:1)
    por RaTao em 03-12-07 17:16 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    penso que a discussão kde vs gnome não deve existir.

    Concordo. E o que estamos a discutir (embora eu tenha entrado um bocado na "guerra" com o post anterior) é sobre as distros que insistem no gnome.

    Os inocentes (levar pelo lado bom) podem pensar que é por ser mais simples e para idiotas. E se calhar tem alguma influência... Mas nalgumas coisas (a maior parte?) o windows é mais complicado que o gnome e isso não afasta os newbies.

    Eu acho que tem a ver com a) as partes LGPL do toolkit e b) com o controlo que algumas distros querem ter nalguns componentes. E a) e b) pelas piores razões possíveis.

    ...

    paz,
    ratao
    Re:E pur se muove (Pontos:2)
    por MacLeod em 03-12-07 3:02 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Bora lá, uma guerra gnome vs. kde para animar o gildot!

    Devo dizer que concordo na generalidade com o teu post. A primeira vez que usei o kde foi há cerca de 9 anos, no que era então a versão 1.0 (julgo eu). Frustrado essencialmente com a falta de opções de configuração acabei por mudar para o gnome. Nessa altura o gnome era muito mais configurável (nada de merdas à la gconf) -- o que me seduziu. Desde essa altura nunca mais mudei mais para o kde.

    As razões foram várias: a aparente maior lentidão no arranque das aplicações; as limitações da licença de então da QT; o facto de usar mais aplicações gnome que kde (o único software kde que uso regularmente é o k3b, não gosto do konqueror); e por último sempre achei os temas e icons do kde muito mais feios. Mas... isto deverá ser lido com uma pitada de sal. Pois nestes anos nunca passei muito tempo de volta do kde -- dei uma olhada a cada major release, mas não muito mais.

    Com a chegada do Icaza, a chegada do gconf e da mentalidade do gnome empresarial para idiotas (um mercado que nunca existiu) o gnome perdeu muito. Inicialmente era mais configurável que o kde, agora uma caixa negra. Embora nos dias de hoje ache que o gnome ganhou bastante desde esses tempos (por exemplo, acabou-se a dualidade idiota entre temas window manager + metacity, pelo menos explicitamente), o estado actual não é o melhor. Como também uso normalmente distros que têm o gnome como default (Red Hat, Fedora, Ubuntu) a inércia para mudar para kde é acrescida. Esta inércia, conjuntamente com o meu bias inicial têm sido o que me previniu de mudar. Mas talvez o kde4 seja mais apetecível, ao fim destes anos todos finalmente mude.

    Re:E pur se muove (Pontos:1)
    por surrealiz3 em 05-12-07 11:00 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    gnome ??? kde ??? long life to the mad mouse Xfce4 ;)
    Estou de momento a usar o xfce , sempre preferi o gnome ao kde , por amor de deus kde e foleiro ate dizer chega e parece me muito mais pesado , quanto o xfce parece bastante lightweighted ,anyway e esta vai causar disturbios melhor ambiente grafico que conheço atm Xp com xming e putty ssh X11 forwarding console combine the 2 worlds ... duhh !! se só há uma maquina OK OK xfce rulez
    Re:E pur se muove (Pontos:2)
    por higuita em 06-12-07 1:05 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    mordo o isco :)

    bem, se quer light weight, tens de usar *box, fwvm, windowmaker ou até ion ou twm!!

    a minha preferência com disse é fluxbox, leve, simples e tabs são essenciais para o meu uso (não quer dizer que seja bom para o uso de outros), mas concordo plenamente que o xfce e' muito bom...

    agora os icons do kde serem piores?! além de poderes usares os icons do gnome no kde, o kde tem geralmente bons icons... talvez as opções default não sejam as melhores, mas nesse caso, as de gnome também não, há icons do gnome que são uma real bosta

    o kde parecer mais pesado, e' o velho problema de demorar mais a arrancar, apesar de no fim até pode consumir menos memória... mas tens de te lembrar também que arrancar uma app kde usando outro DM/WM e arrancar essa mesma app usando o kde tens diferença, tens uma data de serviços que ele tem de arrancar em background se já não os tem e ler uma data de libs que em kde já estão em cache ou carregadas

    comparar o kde com o xfce e' como eu comparar o flubox contra o xfce, um come 5 a 10 vezes mais recursos que o outro... são campeonatos à parte

    Higuita
    Re:E pur se muove (Pontos:2)
    por André Simões em 08-12-07 16:15 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    Uso KDE desde a versão 1.qualquer_coisa, e antes usava o afterstep. Durante alguns meses, este ano, tentei o gnome, mas acabei por desistir face à sua rigidez e pouca flexibilidade, ainda que em alguns aspectos lhe reconheça qualidades. Não é nem melhor nem pior do que o KDE, é diferente. É uma questão de gosto e hábito.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    ... e o Gildot vai ter sucesso como site de news (Pontos:1)
    por gits em 03-12-07 21:53 GMT (#10)
    (Utilizador Info)
    ... Right

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]