gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Choque tecnológico e os maus exemplos do "Estado"
Contribuído por scorpio em 02-06-05 9:06
do departamento cá-por-casa
Portugal ossportuga escreve " Ao navegar no "site" das Finanças para obter algumas informações, constatei que muitas das ligações não funcionavam... Bem... será que é o meu filho que está a ocupar a largura de banda toda cá de casa? Mas o PC dele até está desligado.Se calhar... deixa lá ver???
Olha é mesmo... mais um site institucional que só funciona bem com o navegador MXPTIEO. Porreiro mais uns quantos euros dos meus impostos (os tais do site que eu estava a tentar consultar ;) que estão a ser garantidos ao Mr. BG, da empresa MXPTO.
Deixando esta introdução suave e a tentar ser cómica e passando á dura realidade, a que até dá vontade de chorar.
Quando é que os meus colegas do estado, que têm responsabilidades na área dos sistemas de informação, sobretudo quando orientados para o cidadão, acordam para a realidade e percebem que:
- O Português médio, que a muito custo comprou um PC a prestações, muito possivelmente têm um sistema operativo MXPTO "clonado", usa o navegador MXPTIEO e vai poder aceder ao site das finanças. Isto claro, se os virus e os spammers ainda não lhe tomaram conta da "máquina".
- O Português mais dedicado a estas coisas da "informática", que montou o PC ás "peças" têm um sistema operativo não MXPTO e utiliza aquele que é reconhecido como o melhor navegador actual, não consegue aceder ao site da Finanças. "
" Será que o 2º cidadão não é igual ao primeiro?
Não é não senhor... É que o 1º é um "criminoso" que incentivado pelo facto de só com o Sistema Operativo de um determinado produtor poder aceder a um site que é pago por ambos, continua a fazer e usar cópias ilegais de software, violando umas quantas leis e deixando ainda por cima de pagar o IVA sobre o software comercial. O 2º é um cidadão que cumpre integralmente a lei mas que com isso se vê impedido de aceder à mesma informação que o 1º.
De forma simples significa que:
O estado Português obriga os seus cidadãos e as suas empresas a utilizar um determinado produto comercial, se quiserem estar legais e em igualdade com os restantes. Numa altura em que o défice é a palavra mais ouvida, em que o Sr. Presidente da Republica apela ao Nacionalismo e em que estamos todos à espera para perceber o que será o "Choque tecnológico", será que não é altura para mudar este tipo de situações? De economia percebo pouco, mesmo muito pouco, pois tal como a maior parte dos Portugueses, só sei associar a economia ao desporto, correndo para o Banco ao fim do mês e fazendo "ginástica "até ao mês seguinte. No entanto tentei perceber o que é o défice e aqui fica para esclarecimento dos meus compatriotas:

DEFINIÇÃO DE DÉFICE PÚBLICO PARA EFEITOS DO PROCEDIMENTO RELATIVO AOS DÉFICES EXCESSIVOS
Para efeitos de apresentação pelos Estados-Membros de relatórios à Comissão ao abrigo do procedimento relativo aos défices excessivos estabelecido no Regulamento (CE) nº.3605/93 do Conselho ( ),entende-se por “défice orçamental” o saldo da rubrica “Capacidade/necessidade líquida de financiamento” das administrações públicas, incluindo os fluxos de juros resultantes de contratos de swap e de garantia de taxas. Este saldo é codificado como EDPB9.Para este efeito, os juros incluem os referidos fluxos e são codificados como EDPD41.

Em "Jornal Oficial das Comunidades Europeias - 28/12/2001"
OK. Fiquei quase na mesma… mas é algo do tipo, só podes gastar o que tens. (Ou então não poupas, gastas o mesmo e o mexilhão paga mais impostos.) Mas tanto quanto sei existe uma grande percentagem de situações em que é possível substituir sem qualquer risco e a custo reduzido, as soluções fechadas e proprietárias, baseadas num modelo de negócio em que a oferta das empresas é do tipo “pagas agora a licença e depois voltas a pagar sempre que eu quiser” por soluções de software aberto em que aquilo que é na realidade necessário é conhecimento e partilha de conhecimento. Estas soluções abertas e mais económicas têm a vantagem de serem implementadas na sua quase totalidade com normas também abertas e de grande adopção, pelo que na maior parte das vezes são os “standards” universalmente” aceites. (será que os Marcianos e Venusianos também utilizam a net e TCP/IP;) Repetindo de forma mais simples… MAIS económicas, MAIS eficientes, MAIS seguras.. Algum com produção nacional. Hello ? Está ai alguém?
OK eu sei a esta hora já há pessoas a dizer que o software livre é uma coisa esquisita que é mantida por uns quantos “chinocas (foi aquilo que ouvi de uma responsável pela “Informática” de um Instituto Público”). Para essas pessoas só quero perguntar o seguinte; Já utilizaram, já instalaram, já testaram ???
Esta situação recorda-me quando após ter alguns anos de administração de VM/ESA e de uma “Máquina” mais alta do que eu, ouvia alguns “especialistas” a dizer que os “mainframes” eram uma coisa do passado e que um PC fazia a mesma coisa. Ficavam era normalmente sem resposta quando lhes perguntava:

- Desculpe lá. Por acaso o Sr. já trabalhou com algum “mainframe”. Se a atitude dos nossos antepassados fosse a dos actuais decisores nesta área, ainda hoje estávamos a chegar ao Farol do Bugio, na foz do Tejo e tínhamos perdido a oportunidade de confraternizar com as brasileiras, as Indianas e as Africanas. Há “ganda” Zé povinho. Ser ignorante não é desconhecer, ser ignorante é não querer aprender. "

IE e os Standards | Guru da segurança Eugene Kaspersky em Portugal  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • ossportuga
  • Mais acerca Portugal
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    ! TRUE (Pontos:1)
    por ContraBass em 02-06-05 10:08 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Nunca tive qualquer problema em aceder ao site e-financas.gov.pt com Firefox ou Mozilla.
    Re:! TRUE (Pontos:1)
    por ContraBass em 02-06-05 10:12 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    s/e-financas/www.e-financas/
    Re:! TRUE (Pontos:2)
    por Mindstorm em 02-06-05 10:34 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.mndnet.org/
    O e-financas, apesar de ser talvez o de maior exposição, não é o site "das finanças". Aliás é até partilhado pela DGCI e a DGAEIC (Alfândegas). E nas ultimas versões está muito compatível, apesar de no ano passado também não ter toda a funcionalidade com o firefox - antes da introdução do novo método de preenchimento com um applet java do tamanho do WTC.

    Anyway os sites de informação das finanças são o do ministério [min.financas.pt] e o da DGCI [dgci.min-financas.pt]. E a julgar pela referência ao número de dead links, suponho que o poster esteja a falar do da DGCI.

    Só vos digo uma coisa, não é surpresa. A DGITA tem o pessoal mais incompetente e menos trabalhador dos serviços publicos portugueses (espero eu). Se algo na informática tributária funciona é por causa dos excelentes funcionários da Accenture, que fazem mais num dia que os da casa numa semana. Mas mesmo assim não podem fazer tudo...

    Mindstorm
    Re:! TRUE (Pontos:1)
    por ruisim em 02-06-05 13:13 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Excelentes funcionários da Accenture???
    Ó jovem tá quieto, não te metas nisso,tá-me a entender?
    São tão bons como os das outras empresas que prestam serviço na Dgita que por sua vez tambem tem bons funcionarios, talvez necessitem é de ser motivados.
    Voces quando a coisa dá para o torto andam logo a procurar culpados, o que o país necessita é soluções e nao de culpados, para isso que nos pagam, é isso que faço todos os dias(porque gosto de o fazer).
    O que seria da informatica se isto não servi-se para ninguem????
    Deixa-te de pensar que és um Deus, a AC tem mais histórias que eu sei lá, umas boas e outras más, tal como todos nós.

    Re:! TRUE (Pontos:2)
    por blacksheep em 02-06-05 13:50 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://rpmcruz.planetaclix.pt/
    São tão bons como os das outras empresas que prestam serviço na Dgita que por sua vez tambem tem bons funcionarios, talvez necessitem é de ser motivados.

    Precisam de ser motivados? E que tal uns despedimentos para ver se anima a malta, ah?

    Religion, the only confort left in a world splited by religion. (The Daily Show)
    Re:! TRUE (Pontos:1)
    por Pirlas em 02-06-05 15:05 GMT (#12)
    (Utilizador Info) http://www.durao.net
    Não me parece que seja dessa forma que se resolvem os problemas. Quanto muito despedindo os que não fazem realmente nenhum (é bom para as contas publicas, e nao prejudica o já mau trabalho realizado), mas não me parece que isso vá motivar alguma coisa. A motivação dessas pessoas passa por outros factores, nomeadamente serem deslocadas para áreas consoante as suas competências e não os colocaram onde ficaram parados no tempo, ou simplesmente lá estarem. That's the true... O meu sonho é ser funcionário público ... NOT !
    Edgar Durao
    Re:! TRUE (Pontos:3, Interessante)
    por bêbado em 02-06-05 22:54 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    Precisam de ser motivados? E que tal uns despedimentos para ver se anima a malta, ah?

    Bom, essa seria a última opção. Antes poderiam sempre 1) advertir; 2) achincalhar em privado 3) achincalhar em público; 4) sovar; 5) espancar severamente; 6) chicotear; 7) mutilar; 8) e, se ainda assim o malogrado funcionário público ainda se recusasse a trabalhar, então seria despedido com justíssima causa.
    Melhor ainda: era posto na prateleira ao lado dos 700 gajos nomeados nos últimos 3 meses e dos milhares de sanguessugas nomeados pelo governo anterior que entretanto se alaparam à função pública.

    Eu, como calculo que seja o que acontece com a maior parte das pessoas, para ser motivado, basta que me paguem o preço justo pelo meu trabalho, coisa que raramente acontece.

    Quando se é mal pago, só mesmo à chapada é que se trabalha com 'motivação'.

    Com esta conversa não estou a desculpar os calões, preguiçosos, presunçosos, carreiristas, acomodados ou os lambe-botas. Esses existem tanto na função pública como na 'função privada'.

    O que me preocupa verdadeiramente é que é sempre o desgraçado que menos recebe que arca com o ónus do prejuízo. A responsabilidade parece que nunca é de quem manda no serviço - que, regra geral, é mais bem pago.

    ~~~ O vinho é q'induca e o fado é q'instrói ~~~
    Re:! TRUE (Pontos:2)
    por Mindstorm em 02-06-05 20:05 GMT (#20)
    (Utilizador Info) http://www.mndnet.org/
    Parece que toquei nalgum ponto fraco... Eu não disse que não havia outras empresas (e seus funcionários) a prestar bons serviços, disse que os da accenture o faziam e que os da casa não.

    Mindstorm
    Re:! TRUE (Pontos:2)
    por Mindstorm em 02-06-05 20:07 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://www.mndnet.org/
    E estou obviamente a fazer uma generalização, dado que da mesma forma que existem bons funcionários da DGITA também existirão maus das empresas. Mas como estamos a falar do global e não de pessoas específicas, vamos ficar por aí.

    Mindstorm
    Re:! TRUE (Pontos:1)
    por hybriz em 02-06-05 16:13 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    Accenture? porra. até parece que não existem la mais empresas a fazer bom trabalho.... por acaso, só por acaso até trabalho para uma delas.....
    Re:! TRUE (Pontos:2)
    por Mindstorm em 02-06-05 20:11 GMT (#22)
    (Utilizador Info) http://www.mndnet.org/
    Mesma resposta que ao comentário de cima, peço desculpa por não ter feito referência a todos os individuos que lá trabalham mas fui pelos casos que conheço melhor. A tua empresa também faz um bom trabalho (espero).

    Mindstorm
    Re:! TRUE (Pontos:1)
    por quantum em 02-06-05 15:12 GMT (#14)
    (Utilizador Info)
    Na verdade... a última declaração foi entregue com o FireFox. Eu que contava com o ter de usar o IE para a entregar. Afinal este acabou por não funcionar (se bem que a culpa me pareceu ser da JVM e não do IE, mas não deu para explorar a fundo).
    Re:! TRUE (Pontos:2)
    por Init em 03-06-05 21:20 GMT (#31)
    (Utilizador Info)

    http://www.e-financas.gov.pt/simulador/2003

    http://www.e-financas.gov.pt/simulador/20 04/index.html


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:! TRUE (Pontos:1)
    por Kwisatz em 08-06-05 9:31 GMT (#35)
    (Utilizador Info)
    Eu também não tive qualquer problema em aceder com o Firefox ...
    Linux dune 2.6.10-gentoo-r6 #4 SMP Sat Jan 22 04:38:02 UTC 2005 x86_64 Mobile AMD Athlon(tm) 64 Processor 3000+ AuthenticAMD GNU/Linux
    tantas contas.... (Pontos:2)
    por bêbado em 02-06-05 11:06 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    O patamar dos 3% imposto pela UE não tem fundamentação económica. Assenta, antes, em razões políticas:
    1. Os Estados da União têm de manter regimes económicos capitalistas;
    2. Os Estados da União têm de manter sistemas políticos demo-liberais;
    3. Por consequência, os Estados da União têm de liberalizar as suas economias, desregular e desregulamentar as suas políticas laborais e reduzir a intervenção do Estado em áreas sociais;
    4. A União tem de manter o equilíbrio de forças em termos de potências europeias.

    Ora, como o pilar mais forte da União é precisamente o pilar económico, não o social nem o político, impôr um limite de 3% para o défice público de um Estado é forçar esse Estado a adoptar, no campo das decisões políticas internas, medidas económicas que assegurem o cumprimento dos pressupostos que referi. Assim tem sido e, infelizmente, irá continuar por mais alguns anos.

    O curioso, no meio disto tudo, é que aqueles que são quotidianamente depauperados, aqueles que já perderam tudo e aqueles que vão perder o pouco que ainda têm nos tempos mais próximos, continuam a dar aval a políticos e políticas que os prejudicam sistematicamente.
    O ónus do pagamento do défice cai, uma vez mais, sobre os que não foram beneficiados pelas razões que levaram à situação actual.

    Se houvesse justiça, os decisores políticos responsáveis pela degradação sistemática da qualidade de vida de milhões de pessoas estariam presos. Só que, na União dos Bananas, prejudicar as condições de vida de muitos em favor de mais benefícios para poucos não é crime: é uma honra.

    Um dia, quando o povo se zangar e mandar esta corja embora, hão-de vir, aqueles que hoje beneficiam, lamentar-se e falar em 'excessos revolucionários'. Nessa altura se verá se os 'excessos' são ou não merecidos.
    Até lá, haja persistência, clarividência e capacidade de indignação.

    Pergunta de retórica: o que é que o Firefox, o IE, o site do ministério das finanças, o software Livre/Aberto e o défice têm em comum?

    ~~~ O vinho é q'induca e o fado é q'instrói ~~~
    Re:tantas contas.... (Pontos:2)
    por MacLeod em 02-06-05 11:22 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    O objectivo não é 3%. O objectivo é 0%. Os 3% são um patamar intermédio.

    Se houvesse justiça, os decisores políticos responsáveis pela degradação sistemática da qualidade de vida de milhões de pessoas estariam presos. Só que, na União dos Bananas, prejudicar as condições de vida de muitos em favor de mais benefícios para poucos não é crime: é uma honra.

    Não podia concordar mais. Especialmente os mentirosos que anunciam valores falsos do défice e os oportunistas que sob a desculpa "não sabiamos que isto estava tão mal" aproveitam para quebrar promessas e aplicar pseudo-medidas para "apertar o cinto".

    Re:tantas contas.... (Pontos:0)
    por tonidosimpostos em 02-06-05 14:57 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Essa razões politicas nao tem nada a ver com os 3%. A liberalizacao da economia e redução do peso do Estado è visto à muito tempo como factor de maior eficiência e consequentemente producao de mais riqueza.

    Por outro lado, está demonstrado economicamente, que o défice excessivo é prejudicial para a economia. Isto é um ponto assente. O que não é ponto assente, é a quantificação do que é défice excessivo. Uma das razões para os 3%, aliás para o PEC, foi ser uma "imposição" do Bundesbank (o Banco Central Alemão), dado que temia pela estabilidade e força da moeda única caso não existisse um limite. Basicamente os 3% foram quase atirados para o ar... No entanto, eles nao deixam de ter alguma razão, porque como se vê agora, a maioria dos países nao controlam as suas contas e deixam tudo a derrapar.

    Claro que o PEC é inflexível, o que em alturas de crise não é bom, mas o euro precisava de ganhar credibilidade... Afinal, não é facil criar uma moeda única do dia para a noite e ganhar credibilidade no mercado cambial.
    Julgo que tb se pode ver a inflexibilidade do PEC, como um travão à receita "clássica" de investimento público em tempos de crise. Vai contra o objectivo de redução do peso do Estado na Economia. Num mundo perfeito, essa tarefa deveria estar reservada à iniciativa privada, mas como nós somos exemplo, isso é apenas uma miragem...

    E assim vai o país ao fundo...

    Linux Growth in the Workplace Slowing :"The biggest reason for the slow down according is due to the hidden cost of consultants."

    Pois... testar... erms... (Pontos:2)
    por Cyclops em 02-06-05 11:39 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Para essas pessoas só quero perguntar o seguinte; Já utilizaram, já instalaram, já testaram?
    Já, mas o Microsoft Internet Explorer e o Microsoft Office não correm, logo não está apto :)

    Porque é que isto é uma tautologia? Porque os documentos estão todos em Microsoft Office e custa muito mudar e corrigir.

    Porque os "remedy"s e outras tretas on-line só funcionam em Microsoft Internet Explorer e outras tecnologias proprietárias e custa muito mudar e corrigir.

    Infelizmente não há é tomates para cobrar estes custos às bestas envolvidas na criação do problema (desde o mexilhão a quem o papa), logo apenas será feita uma mudança com muita vontade política.
    Re:Pois... testar... erms... (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 02-06-05 14:50 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://www.dehumanizer.com/

    Já, mas o Microsoft Internet Explorer e o Microsoft Office não correm, logo não está apto :)

    Não é "Microsoft Internet Explorer". É "a internet". Pelo menos em linguagem de utilizador comum. :D

    "abre aí o browser..."
    "abro o quê?"
    "(suspiro) o Internet Explorer!"
    "o quê???"
    "(suspiro longo) a internet!"
    "ah! porque é que não disseste logo?"

    Suspiro ainda mais longo...


    You should know better than to pick up a duck in a dungeon. Lose 2 levels.

    Re:Pois... testar... erms... (Pontos:1)
    por Pirlas em 02-06-05 15:07 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://www.durao.net
    Está a ver o icone do seu browser no desktop?
    Browser o quÊ?
    Err... Um E azul no desktop, aquilo em que clica para ir à Internet !!!

    LOL
    Edgar Durao
    Re:Pois... testar... erms... (Pontos:2)
    por grumpy bulgarian em 02-06-05 15:20 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://10.10.11.2
    bem... em casa de uma amiga minha passou a ser um ícone "Firefox - INTERNET" e outro "Internet with viruses and popups - USE ONLY IF FIREFOX DOESN'T WORK!!!"

    eu nunca tinha visto um PC com tanta trampa antes desse :)
    Grumpy B)

    Re:Pois... testar... erms... (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 02-06-05 15:26 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://www.dehumanizer.com/

    Antes de ter implementado isto, o que fazia em casa era o seguinte: o ícone chamava-se "Windows Update", e abria logo o mesmo.

    Ainda antes disso, quando instalei o PC de outra pessoa, o ícone do IE tinha como start page um html local que chamava nomes à pessoa por estar a usar aquele browser, e dizia que se voltasse a ter problemas, eu já não ajudava. :)

    (podia até ter ido ao ponto de fazer com que esse html fosse remoto, mais precisamente no meu servidor caseiro, e assim saberia se a pessoa fez m*rda :) )


    You should know better than to pick up a duck in a dungeon. Lose 2 levels.

    Re:Pois... testar... erms... (Pontos:1)
    por ruisim em 02-06-05 15:20 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Essa mudança pode e deve se ser feita, mas tendo em conta que existe uma grande quantidade de aplicações , não se pode fazer tudo de uma só vez.
    Quando falamos na informatica das finanças, temos que ter sempre em consideração que isto não é uma aplicação de facturação meus senhores, esta macacada é bem bem mais complexa, envolve legislação,constantes alteraçãoes a legislação, integração entre todos os impostos, milhares e milhares de utilizadores,uffff, isto não é facil, nada facil.
    Quando á adopção openSource e seus derivados, vai-se adoptando(ainda bem),mas temos que ter presente que o patrimonio de aplicações é enorme ENORME.
    Tenham calma... o opensource vai pegar e não largar hehehe ;)
    ... (Pontos:1, Interessante)
    por tonidosimpostos em 02-06-05 14:49 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    Está muito lindo mas tem um pressuposto errado para começar, que deturpa tudo o resto. Porque é que o portugues que percebe alguma coisa de informática, é tido como utilizador do não MXPTO e nao MXIEXPTO ? É que o portugues que percebe alguma coisa, normalmente é aquele que está mais activo naquele crime de copyright, que sabe utilizar os P2P, e troca juarez com frequência. Os que utilizam nao MXPTO, não são essa 2a maioria como queres fazer querer... The usual bullshit... Isto já parece campanha politica... Ver quem prega mais e melhnor..

    Linux Growth in the Workplace Slowing :"The biggest reason for the slow down according is due to the hidden cost of consultants."
    Re:... (Pontos:2)
    por Perky_Goth em 04-06-05 2:32 GMT (#33)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    eu a pensar q ainda te ia moderar o outro comentário para cima... ah well...
    agora são só os utilizadores de P2P q pirateam... lol.

    +1, funny
    -----
    Windows: Agora com ecrãs azuis... vermelhos...
    desde quando... (Pontos:2, Esclarecedor)
    por hybriz em 02-06-05 16:10 GMT (#18)
    (Utilizador Info)
    ...é que é obrigatório ter internet para ser um cidadão cumpridor neste pais?

    está mal com o e-gov? tente o gov normal.
    está mal com os dois? tente outro gov.

    não é por acaso que se está a assistir a uma balda em massa de pessoal da IT para outros paises mais 'civilizados' da UE.
    Re:desde quando... (Pontos:2)
    por 4Gr em 02-06-05 20:30 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/~ei02069/blog
    Bem, não me parece que faça muito sentido emigrar só porque o site das Finanças não foi feito correctamente. Emigrar é, grande parte das vezes, fugir. Quem fica sempre pode dar uma força e, neste caso, pressionar o gabinete das Finanças a agir em conformidade com as boas práticas que deveria ser o Governo, e não nós, a difundir.

    Remember: If M$ has it now, someone had it before!
    Dominus vobiscum
    Re:desde quando... (Pontos:2)
    por Mindstorm em 02-06-05 21:29 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://www.mndnet.org/
    LOL realmente o site não é razão por emigrar, mas por outro lado penso que esta "fuga" não tem nada de mal. IMHO só revela inteligencia procurar o melhor para si e para os seus, e se isso implicar viver noutro país, so be it.

    Mindstorm
    Re:desde quando... (Pontos:0)
    por tonidosimpostos em 03-06-05 1:15 GMT (#26)
    (Utilizador Info)
    Ainda deves viver no tempo do Salazar, ou nao perdeste essa mentalidade. Emigrar numa economia cada vez mais global, é das melhores coisas que se pode fazer. Basta ver que isso é apreciado pelas empresas. Mas pronto, ha sempre os broncos da nação, com palas de burro nos olhos e na mente, que confundem a saida do país com deserção e traição à patria e à bandeira... Geez... Grow up kid...

    Linux Growth in the Workplace Slowing :"The biggest reason for the slow down according is due to the hidden cost of consultants."
    Re:desde quando... (Pontos:1)
    por hybriz em 03-06-05 9:16 GMT (#27)
    (Utilizador Info)
    DESERTOR!!!!
    HÁS DE QUEIMAR NO INFERNO!
    NAO TENS ORGULHO NO TEU PAIS?
    6.83 DE DEFICE, ISTO É QUE É UM PAIS!

    .......é de manhã, dêm desconto.
    Re:desde quando... (Pontos:2)
    por 4Gr em 03-06-05 10:50 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/~ei02069/blog
    Sim, porque realmente Portugal é camada intrínseca e profunda nessa economia global, onde até agora participam dois: as grandes potências, e os países em vias de se tornarem grandes potências.

    O conceito de economia global em Portugal é muito interessante: se a mão de obra é mais barata, fica-se, se não vamos ali para a República Checa.

    Eu acredito que ficando em Portugal contribuis MUITO mais do que indo para o estrangeiro. Isto não implica que não possas fazer formação lá fora e aprender directamente na "fonte". Isso é totalmente recomendável.

    Remember: If M$ has it now, someone had it before!
    Dominus vobiscum
    Re:desde quando... (Pontos:0)
    por tonidosimpostos em 03-06-05 16:40 GMT (#30)
    (Utilizador Info)
    Nao sei nao, mas o Bangladesh por exemplo nao é uma grande potencia nem está em vias de lá chegar. Tenho que voltar a analisar as estatisticas...

    O conceito de economia global, nao é aplicado para Portugal, é global. A deslocalização de mao de obra é um fenomeno que acontence já ha muitos anos, que aumentou com a maior facilidade de transportes e comunicações. As empresas vão para a Republica Checa e afins, porque a mão de obra é mais barata. Só que mao de obra mais barata, não é apenas relativa ao salário. A produtividade do tipico tuga é reles, logo para esse nivel de produtividade os salários são elevados. Porque raio vai uma empresa estar a pagar mais por pior ? Tu não fazes isso, porque ha-de fazer uma empresa ?

    Ficar num país burocrata, corrupto, hipocrita, em que as cunhas passam à frente do mérito, é contribuir para a minha desvalorizacao. Basta ver o que se passou na última década, e ver que isto ate 2009 vai estar enterrado e sem sinais de andar para a frente...

    Linux Growth in the Workplace Slowing :"The biggest reason for the slow down according is due to the hidden cost of consultants."

    OT: UE vs Microsoft (Pontos:2)
    por blacksheep em 03-06-05 9:35 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://rpmcruz.planetaclix.pt/
    Off-topic, mas alguém sabe como vai o caso da UE contra a Microsoft? Pelo que sei, a Microsoft tinha que apresentar uma proposta qq e o prazo já acabou...

    Religion, the only confort left in a world splited by religion. (The Daily Show)
    Re:OT: UE vs Microsoft (Pontos:1)
    por quantum em 04-06-05 1:13 GMT (#32)
    (Utilizador Info)
    Apresentou e a Comissão está a analisar. Espera-se que se pronuncie lá para Julho.
    Re:OT: UE vs Microsoft (Pontos:2)
    por Perky_Goth em 04-06-05 2:34 GMT (#34)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    claro que se a comissão n gostar, têm que pagar os milhões todos em dívida.
    n é q n tivessem esperado até ao último minuto...
    -----
    Windows: Agora com ecrãs azuis... vermelhos...
    Re:OT: UE vs Microsoft (Pontos:1)
    por assassino de spam em 08-06-05 21:29 GMT (#36)
    (Utilizador Info)
    Com o Furão Durroso ao leme a Micro$oft não tem nada que se preocupar...

    Smith: "Why, Mr. Anderson, why do you persist?" - Neo: "Because I choose to."

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]