gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Oportunidade para divulgar o software livre
Contribuído por jmce em 30-03-05 11:45
do departamento do-choque
Portugal José Simões sugere: "Com um novo governo, e com ecos da frase `choque tecnológico', acho que a comunidade que suporta o `software livre'(SL) deveria preparar um `abaixo assinado' para entregar ao ministro que estiver com esse dossier, informando-o que é uma possibilidade do governo ajudar as empresas nacionais suportando quem desenvolve software livre que cubra as necessidades dessas empresas, que isso tornará Portugal (ou Portugal+Galiza?) um case study nos media (isto impressiona sempre os ministros) e que recolherá apoios em todo o mundo da laboriosa e sempre disposta a ajudar comunidade de programadores-utilizadores de SL, e que distinguirá Portugal dos milhares de países e regiões que tiverem essa ideia do `choque tecnológico' e estão em vantagem em relação a nós porque tiveram essa ideia ANTES."
[José Simões continua:]

"Isto com uns pozinhos de `redes sem fios' (afinal uma grande percentagem de routers wi-fi usam SL, graças à popularidade dos produtos Linksys) e do facto de o movimento de SL-`não às patentes de software' ter mostrado alguma capacidade de manobra junto do parlamento europeu. E claro, é necessário algum cuidado na verificação dos factos citados.

Acho que a ocasião dificilmente poderá ser mais apropriada e que tão cedo não voltará a haver outra oportunidade assim, pelo que acho que um esforço é apropriado.

Acho que isso devia feito com algum cuidado nomeadamente a nível de texto para não parecer muito `geek' (se for uma petição on-line, deveria pedir número de BI ou contribuinte) para se poder defender da acusação que são sempre os mesmos a votar muitas vezes, mas pessoalmente acho que recolher assinaturas em papel (muito mais trabalhoso) tem um impacto maior.

Cuidado com imposições do género `todos os departamento de estado são obrigados a usar...'. Isso é uma coisa sem pés nem cabeça, que na prática levaria à total paragem de alguns sectores e criaria imediatamente algumas justas oposições (incluindo a minha!) que na prática acabariam como oposições ao SL."

Spammer na bancarrota | Controlo de acessos a sites de internet numa empresa  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • José Simões
  • Mais acerca Portugal
  • Também por jmce
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2)
    por [Cliff] em 30-03-05 13:31 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://www.yimports.com/~cpinto
    "informando-o que é uma possibilidade do governo ajudar as empresas nacionais suportando quem desenvolve software livre que cubra as necessidades dessas empresas,"
    E qual seria a forma de suporte? Throw money at it? Não me parece a melhor solução, já que já está mais que provado que não resulta.
    Numa apresentação a que assisti na 5a feira passada, um dos donos de uma micro-empresa nacional de muitíssimo alta-tecnologia sediada em Vila do Conde, dizia e muito bem algo como "não queremos dinheiro, queremos oportunidades".

    [José Simões continua:]
    E eu também :-) "Cuidado com imposições do género `todos os departamento de estado são obrigados a usar...'. Isso é uma coisa sem pés nem cabeça, que na prática levaria à total paragem de alguns sectores e criaria imediatamente algumas justas oposições (incluindo a minha!) que na prática acabariam como oposições ao SL."
    Noutras conversas, disseram-me que esse tipo de posições intransigentes são benéficas no início de uma negociação.
    Este é um dos motivos pelos quais não vou à bola com a ANSOL, mas depois de escutar essas explicações, até acho bem que exista alguém que tem esse tipo de exigencias.
    Algo do tipo: "todos os departamentos do Estado, no prazo de 4 anos devem iniciar a migração da base dos seus serviços para software livre" não seria muito mau. Quatro anos é tempo mais que suficiente para se fazerem levantamentos e recolher os apoios necessários para a operação.
    Se não houverem exigencias a coisa nunca mais muda...

    ---
    Este espaço pode ser seu...
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:0)
    por tonidosimpostos em 30-03-05 15:38 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Subscrevo inteiramente o teu 1o paragrafo. Esta mais do que provado do que dar dinheiro como forma de impulso à inovacao é pura e simplesmente desperdicio de dinheiro. A inovação/invenção não surge apenas porque ha mais dinheiro. Alias, estou bastante curioso por saber como eh que o governo vai realizar o chamado choque tecnologico, se é por essa via tradicional de esbanjar dinheiro. Parece a medida de enfiar os mil licenciados nas empresas, caidos do ceu, apenas porque o Estado comparticipa os custos desses "funcionários". Quer dizer, vao as empresas do dia para a noite criar postos tecnologicos, só para sacar uns quantos trocos. Assim, ja podem ter alguem para tirar fotocopias e cafés :)


    O Gildot é um site de notícias, onde se transcreve um conteúdo de uma notícia, quanto muito traduz-se e reporta-se a fonte.
    by 4GR
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2)
    por [Cliff] em 30-03-05 16:28 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.yimports.com/~cpinto
    Ainda há pouco comentava com um colega que também acredito piamente que vá ser esse o caminho, infelizmente.

    ---
    Este espaço pode ser seu...
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2, Interessante)
    por rmachado em 30-03-05 16:43 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    Exacto... É só ver os planos anteriores para a SI. E vejaml á se não é esbanjar $$$. Existem uns oportunistas que lucram imenso, quem faz o trabalho ganha algum, mas no fim perdemos todos pois nada ou muito pouco é aproveitado... mas isto sou eu...
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2)
    por Perky_Goth em 31-03-05 0:53 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    claro q para isso dar dinheiro tinha q ser a única coisa que se ia fazer, o que claramente n é (a menos que o barco vire...).
    se dar alguma coisa a alguém nunca pode dar resultado, porque é q temos serviço nacional de saúde?
    dar $ por dar, como muito aconteceu nestes últimos tempos c o dinheiro europeu, de facto não resulta. mas nada invalida que, sei lá, dar prémios por inovações não resulte. ou dar dinheiro a startups, como tem acontecido c os fundos europeus. se n tem dado resultado, é analisar os problemas, que a mim se aparentam mais burucráticos que outra coisa.
    -----
    Windows isn't done until Lotus won't run.
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:1)
    por lonecoder em 30-03-05 21:29 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Qualquer posição de possível adopção em massa de Software Livre na administração pública seria de imediato atacada pela "vocês sabem de quem estou a falar", com base nos seguintes "argumentos":

  • o Bloco de Esquerda já propôs a coisa, logo, é uma ideia "radical" e de "extrema-esquerda";
  • o Software Livre tem um TCO superior aos produtos fantásticos da "vocês sabem quem" - e há n estudos que o comprovam;
  • o custo de reciclar centenas de milhar de funcionários públicos para usar SL é muito elevado;
  • se for preciso, será oferecido um desconto brutal para que os sistemas fiquem como estão;
  • (espaço para inserir o vosso argumento FUD preferido)

  • Na minha opinião, a única via para o "choque tecnológico" é através da educação - ensinar aos putos do 9º ano em diante a usar um sistema operativo (e não o Windows), uma folha de cálculo (e não o Excel), um processador de texto (e não o Word), uma base de dados (vou-me abster de falar do Access, não o considero uma BD), etc.
    Na prática, por exemplo, para usar uma folha de cálculo de uma forma produtiva um utilizador tem que saber muito mais do que clicar no botão de formatar o texto e colocar borders... mas é isso que é ensinado aos putos! E pronto, já sabem usar o Excel... conheço um caso de uma miúda do 12º ano que preenchia os dados todos muito bonitinhos no Excel, mas fazia as somas numa calculadora à parte e introduzia os resultados!
    Mas realmente o mais provável é que esta miúda um destes dias seja colocada numa empresa para tirar fotocópias. Afinal, é isso que o nosso sistema de ensino produz.

    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:0)
    por mrmv em 31-03-05 0:06 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://spaces.msn.com/members/shadeofwindows
    ensinar aos putos do 9º ano em diante a usar um sistema operativo (e não o Windows), uma folha de cálculo (e não o Excel), um processador de texto (e não o Word), uma base de dados (vou-me abster de falar do Access, não o considero uma BD), etc.

    Já agora gostava de saber o seguinte, se estes produtos fossem oferecidos "tu sabes por quem" ;o) continuavas a pensar que nem nesse caso deveriam ser os produtos escolhidos?

    My son is now an "entrepreneur." That's what you're called when you don't have a job.
    Ted Turner
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2)
    por Perky_Goth em 31-03-05 0:49 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    precisas de perguntar? :)
    só o facto de obrigar um menor a concordar com uma EULA que ninguém sabe bem a validade legal n combina bem com um ensino democrático.
    -----
    Windows isn't done until Lotus won't run.
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:0)
    por mrmv em 01-04-05 14:11 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://spaces.msn.com/members/shadeofwindows
    No exemplo da escola a EULA não é aceite pelo estudante mas sim pelo estabelecimento de ensino, e em relação ao conteúdo da EULA é só ler.

    My son is now an "entrepreneur." That's what you're called when you don't have a job.
    Ted Turner
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2)
    por Perky_Goth em 01-04-05 15:04 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    e ele fora das aulas pratica onde? ou não vai kerer akele que aprende nas aulas, logo, piratear?
    -----
    Windows isn't done until Lotus won't run.
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:0)
    por mrmv em 01-04-05 22:27 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://spaces.msn.com/members/shadeofwindows
    Não é forçoso que queira o que aprendeu, como diz o nosso amigo anterior, ele aprendeu a usar uma folha de cálculo o resto requer apenas alguma adpatação, ele vai querer aquilo para o qual tiver dinheiro para pagar, quem não tem dinheiro não tem vicios... ;o)
    My son is now an "entrepreneur." That's what you're called when you don't have a job.
    Ted Turner
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:1)
    por lonecoder em 31-03-05 8:15 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    A questão é que não deve ser ensinado um produto, mas sim uma técnica; claro que em concreto tem que se ensinar com base num produto. O que eu digo é que tem que lhes ser ensinado a usar QUALQUER folha de cálculo, QUALQUER processador de texto, e não apenas aqueles que nós sabemos.
    Já agora, se aqueles produtos que nós sabemos fossem oferecidos, quando na empresa ao lado têm que ser pagos, julgo que isso equivale, hm, er, a suborno.
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:0)
    por mrmv em 01-04-05 14:07 GMT (#12)
    (Utilizador Info) http://spaces.msn.com/members/shadeofwindows
    A questão é que não deve ser ensinado um produto, mas sim uma técnica; claro que em concreto tem que se ensinar com base num produto. O que eu digo é que tem que lhes ser ensinado a usar QUALQUER folha de cálculo, QUALQUER processador de texto, e não apenas aqueles que nós sabemos.

    Por isso é que estar a dizer que tem de ser outro produto que não o Word ou o Excel, não faz muito sentido nem é coerente no teu discurso (era a motivação no teu discurso que eu queria perceber, e acho que já percebi ;o) )

    Já agora, se aqueles produtos que nós sabemos fossem oferecidos, quando na empresa ao lado têm que ser pagos, julgo que isso equivale, hm, er, a suborno.

    Não é suborno nenhum, imagina que é para combater a info-exclusão, nesse caso só mesmo se o software for oferecido porque de outra forma nunca seria comprado.

    My son is now an "entrepreneur." That's what you're called when you don't have a job.
    Ted Turner
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2)
    por blacksheep em 31-03-05 10:33 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://rpmcruz.planetaclix.pt/
    Na minha opinião, a única via para o "choque tecnológico" é através da educação - ensinar aos putos do 9º ano em diante a usar um sistema operativo (e não o Windows), uma folha de cálculo (e não o Excel), um processador de texto (e não o Word), uma base de dados (vou-me abster de falar do Access, não o considero uma BD), etc.

    A meu ver, eu acabava com as cadeiras do ensino superior sobre Microsoft Word e pôrras do género. É ridículo.
    Também acho que há demasiada informática agora: é na primária, no ciclo, no liceu, no superior. Há até quem ponha os filhos nos cursos de computadores para crianças... A sério, será mesmo preciso estar sempre a bater na mesma tecla? Eu nunca tive aulas de informática e sei utilizar estilos num processador de texto, funções em folhas de cálculo, etc. E até digo mais, forçar os alunos a decorar os ícones da toolbar e a fazer testes sobre isso é contra-producente porque ficam sem conseguir usar outros programas (ou basta um upgrade para já não saberem nada) e parece-me que nem percebem bem como aquilo funciona.

    Religion, the only confort left in a world splited by religion. (The Daily Show)
    Re:Comentário curto que estou sem tempo (Pontos:2)
    por jmce em 31-03-05 18:07 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    Testes sobre ícones?? OUCH! Há muito mais coisas vis a passar-se nesta terra do que o meu pessimismo desconfiava... :-(

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]