gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Anacom proíbe novo telefone fixo da Optimus/Novis
Contribuído por joao em 27-11-04 14:32
do departamento regulação-e-concorrência
Portugal Anacom proibiu o novo telefone fixo da Optimus/Novis alegando que um número começado por "2" não pode ser atribuído a um aparelho telefónico que usa tecnologia GSM para comunicar.

Microsoft promove sem querer o browser Firefox | 2010: O Preço da Informação  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • proibiu
  • Mais acerca Portugal
  • Também por joao
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Uiii... (Pontos:1)
    por Ricash em 27-11-04 14:57 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Até a mim doeu...
    Próximas cenas da telenovela... (Pontos:1)
    por rncp em 27-11-04 15:36 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    ...num browser perto de si!

    Comunicado oficial da Anacom

    Sinceramente não percebi se foi precipitação da novis/optimus no lançamento, ou má-fé da Anacom na deliberação...

    Re:Próximas cenas da telenovela... (Pontos:2)
    por CrLf em 27-11-04 16:28 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    Quando as deliberações são contra outro operador que não a PT, aparece sempre a hipótese de má fé, esquecendo que as regras são para todos e não só para a PT.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:Próximas cenas da telenovela... (Pontos:0, Lança-chamas)
    por rncp em 27-11-04 17:26 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    'Flamando' um pouco, aqui vai: para a próxima não gastes tempo a escrever um comentário zelota, além de diminuirem o rácio S/R, não contribuem em nada para uma discussão saudável...

    Voltando ao que interessa:

    Há que ver que a Anacom só agiu após queixa da Oni, ou seja, numa primeira fase (aquando da entrega da proposta, etc etc etc) a Anacom não se pronunciou, após ter aparecido a campanha (e respectivas queixas) lá foi desenterrar os pareceres e decretos-lei que invalidam a oferta.

    Ah, e de volta 'a PT, aqui fica a prova que as nossas "Baby-Bells" não crescem devido 'a PT, mas sim a elas proprias...(e não, este não e' o primeiro caso que demonstra a validade desta afirmação)

    Concordo! (Pontos:3, Interessante)
    por Raman em 27-11-04 16:49 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://jpinto.homeip.net
    Sinceramente, e apesar de todos os anticorpos em relação à Anacom que tenho, acho que neste caso têm alguma razão, o que é tão raro que não pode deixar de ser louvado. A originalidade técnica de tentar contornar a falta de investimento no "lacete local" com GSM vai efectivamente quanto a mim contra a filosofia do nosso código de numeração telefónica.

    Além disso, pode induzir os potenciais clientes em erro uma vez que não se trata de uma verdadeira alternativa ao telefone fixo, já que não suporta serviços como por exemplo a instalação de ADSL, por motivos óbvios.

    Já acho, por exemplo, esta notícia particularmente mais gravosa: "Anacom manifesta-se contra separação das redes cobre e cabo da PT", e mais consentânea com o que a Anacom nos tem vindo a habituar, ou seja, à total falta de coragem em regular.
    Re:Concordo! (Pontos:2)
    por Presley em 28-11-04 10:34 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://www.diasatlanticos.com
    Além disso, pode induzir os potenciais clientes em erro uma vez que não se trata de uma verdadeira alternativa ao telefone fixo, já que não suporta serviços como por exemplo a instalação de ADSL, por motivos óbvios.

    Também eu já fui induzido em erro pela PT a pensar que podia ter ADSL.
    Re:Concordo! (Pontos:2)
    por blacksheep em 28-11-04 12:41 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://rpmcruz.planetaclix.pt/
    Your point being? Só porque foste enganado pela PT é correcto que a Optimus faça o mesmo?
    Re:Concordo! (Pontos:2)
    por Presley em 28-11-04 15:52 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://www.diasatlanticos.com
    Que a anacom devia rever essa lei, pois quero lá saber se a ligação vai pelo ar ou pela terra, desde que vá.

    Ter menos ou mais serviços não deve ser limitação, pois se bem vistas as coisas, o facto de não terem de pôr mais postes e fios pendurados na rua deveria ser visto como uma mais valia.
    Anacom (Pontos:1)
    por spigaz em 27-11-04 18:25 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Acho que a Anacom se precipitou e aparentemente julgou sem ouvir todos os intervenientes. Em primeiro lugar é preciso ter em conta uma coisa. Qual é afinal o significado de um número 2? Se for que o telefone está num local pré-determinado então não há problema. Não acredito que que signifique é que a ligação à central mais próxima seja por cabos de cobre. Por favor. Uma ligação telefónica não é toda efectuada por cabos de cobre, sempre que justifique qualquer operador utiliza cabos de fibra óptica ou outras tecnologias, algumas delas rádio. Por exemplo nos EUA. um operador utiliza uma tecnologia wireless, com pontos de retransmissão ao longo da linha férrea. Se a ligação até à central fosse por cobre não existiria esta discussão. A questão da ligação à central não permitir que o cliente tenha internet por ADSL é pretinente. No entanto é preciso não esquecer do que se está a passar noutros países, WIFI à escala de cidades/estados a custos ridiculamente baixos. Agora cada pessoa tem de analisar que produto melhor satisfaz as suas necessidades, se de facto for esse, então porque não? Cada vez mais as pesssoas têm de pensar por si e optar por quais são as melhores soluções para si. Será que um smart tradicional não pode ser considerado um carro porque um dia as pessoas podem querer ter filhos e estes não podem ser transportados à frente? O trabalho de uma entidade reguladora é muito complicado porque está muito dinheiro envolvido, muitas pressões, e por vezes é muito complicado perceber quem é que está a falar verdade. É certo e sabido que o serviço de ADSL da PT e revendedores sempre foi muito lento. Claro que tem de ser, desse modo, a Banda Larga da PT por cabo fica muito melhor vista. É muito mais rápida. Por exemplo, por ADSL o normal que eu consigo é 40K, embora o teórico seja 64, via NetCabo o normal é muito perto de 80K, e o teórico é 80K... É certo e sabido que se a PT quisesse disponibilizava o ADSL a 8Mbits, porque basta aumentar os limites do serviço. E assim tenha resposta para a Novis. Mas será que para o serviço de cabo seria assim tão simples? Claro que não... E o motivo é simples, no serviço ADSL a ligação à central não é partilhada com mais clientes, logo ao se desbloquear os limites actuais, basta na central aumentar a largura de banda para o exterior. O problema é que no cabo, a ligação até à central é partilhada com outros clientes, e frequentemente está com utilizações muito elevadas. Ora a PT para fazer esse upgrade na Netcabo teria de desenbolsar uma autêntica fortuna, o que obviamente não interessa. Sim, agora vêm os defensores da separação das duas redes dizer, por isso é que a Anacom deveria separar as duas. Pois, não sei, era melhor, mas é preciso ter uma coisa em conta, o facto de existir 3 operadores de telemóveis não faz com que tenhamos preços mais baratos de telecomunicações móveis. Se formos ver à muito tempo que os tarifários entre as diferentes redes são praticamente iguais. Não existe concorrência em termos de preços. Como tal nada garante que quem comprasse a rede fixa ou a de cabo fizesse exactamente o mesmo que se está a passar com os telemóveis. Para além do mais, toda a gente já reparou como a Tele2 tem chamadas muito mais baratas que os restantes operadores? Como é que é possível um entrante ter mais poder que os que já estavam estabelecidos? Uma vez um comercial chamou a isto o jogo da panelinha, os operadores juntam-se nuns cantos a combinar os preços. De certeza que não é isso que se passa, mas a verdade é que se fosse, qual seria a diferença? Os operadores móveis não se juntaram todos para impedir a entrada de outro operador? Mas afinal onde está a livre concorrência? Mas isto tudo é muito complicado, porque têm de ser salvaguardados os interesses de todos os envolvidos. No entanto não deixo de reparar uma coisa, em portugal temos as telecomunicações mais caras, a electricidade mais cara, mas a PT e a EDP são empresas bastante importantes no paranorama internacional... Não estará um pobre país, minúsculo a sustentar grandes grupos, para estes competirem com grandes empresas de grandes potências económicas? Que consequências é que isso tem para a própria economia portuguesa?
    Re:Anacom (Pontos:2)
    por chbm em 28-11-04 14:34 GMT (#22)
    (Utilizador Info) http://chbm.net/
    O plano de numeração que separa os telefones *fixos* de todos os outros existe em mais ou menos todos os países por uma razão muito simples, para distinguir os negócios que tem uma porta onde os clientes podem ir bater dos outros.
    Anacom (Pontos:2, Interessante)
    por spigaz em 27-11-04 18:27 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Acho que a Anacom se precipitou e aparentemente julgou sem ouvir todos os intervenientes.

    Em primeiro lugar é preciso ter em conta uma coisa.
    Qual é afinal o significado de um número 2?

    Se for que o telefone está num local pré-determinado então não há problema.

    Não acredito que que signifique é que a ligação à central mais próxima seja por cabos de cobre.

    Por favor.
    Uma ligação telefónica não é toda efectuada por cabos de cobre, sempre que justifique qualquer operador utiliza cabos de fibra óptica ou outras tecnologias, algumas delas rádio. Por exemplo nos EUA. um operador utiliza uma tecnologia wireless, com pontos de retransmissão ao longo da linha férrea.

    Se a ligação até à central fosse por cobre não existiria esta discussão.

    A questão da ligação à central não permitir que o cliente tenha internet por ADSL é pretinente. No entanto é preciso não esquecer do que se está a passar noutros países, WIFI à escala de cidades/estados a custos ridiculamente baixos.

    Agora cada pessoa tem de analisar que produto melhor satisfaz as suas necessidades, se de facto for esse, então porque não?

    Cada vez mais as pesssoas têm de pensar por si e optar por quais são as melhores soluções para si.

    Será que um smart tradicional não pode ser considerado um carro porque um dia as pessoas podem querer ter filhos e estes não podem ser transportados à frente?

    O trabalho de uma entidade reguladora é muito complicado porque está muito dinheiro envolvido, muitas pressões, e por vezes é muito complicado perceber quem é que está a falar verdade.

    É certo e sabido que o serviço de ADSL da PT e revendedores sempre foi muito lento. Claro que tem de ser, desse modo, a Banda Larga da PT por cabo fica muito melhor vista. É muito mais rápida.

    Por exemplo, por ADSL o normal que eu consigo é 40K, embora o teórico seja 64, via NetCabo o normal é muito perto de 80K, e o teórico é 80K...

    É certo e sabido que se a PT quisesse disponibilizava o ADSL a 8Mbits, porque basta aumentar os limites do serviço. E assim tenha resposta para a Novis.

    Mas será que para o serviço de cabo seria assim tão simples? Claro que não...

    E o motivo é simples, no serviço ADSL a ligação à central não é partilhada com mais clientes, logo ao se desbloquear os limites actuais, basta na central aumentar a largura de banda para o exterior.

    O problema é que no cabo, a ligação até à central é partilhada com outros clientes, e frequentemente está com utilizações muito elevadas.

    Ora a PT para fazer esse upgrade na Netcabo teria de desenbolsar uma autêntica fortuna, o que obviamente não interessa.

    Sim, agora vêm os defensores da separação das duas redes dizer, por isso é que a Anacom deveria separar as duas.

    Pois, não sei, era melhor, mas é preciso ter uma coisa em conta, o facto de existir 3 operadores de telemóveis não faz com que tenhamos preços mais baratos de telecomunicações móveis.
    Se formos ver à muito tempo que os tarifários entre as diferentes redes são praticamente iguais. Não existe concorrência em termos de preços.

    Como tal nada garante que quem comprasse a rede fixa ou a de cabo fizesse exactamente o mesmo que se está a passar com os telemóveis.

    Para além do mais, toda a gente já reparou como a Tele2 tem chamadas muito mais baratas que os restantes operadores? Como é que é possível um entrante ter mais poder que os que já estavam estabelecidos?

    Uma vez um comercial chamou a isto o jogo da panelinha, os operadores juntam-se nuns cantos a combinar os preços.

    De certeza que não é isso que se passa, mas a verdade é que se fosse, qual seria a diferença?

    Os operadores móveis não se juntaram todos para impedir a entrada de outro operador? Mas afinal onde está a livre concorrência?

    Mas isto tudo é muito complicado, porque têm de ser salvaguardados os interesses de todos os envolvidos.

    No entanto não deixo de reparar uma coisa, em portugal temos as telecomunicações mais caras, a electricidade mais cara, mas a PT e a EDP são empresas bastante importantes no paranorama internacional...

    Não estará um pobre país, minúsculo a sustentar grandes grupos, para estes competirem com grandes empresas de grandes potências económicas?

    Que consequências é que isso tem para a própria economia portuguesa?
    Re:Anacom (Pontos:2)
    por CrLf em 27-11-04 22:47 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    Em primeiro lugar é preciso ter em conta uma coisa. Qual é afinal o significado de um número 2?

    Se for que o telefone está num local pré-determinado então não há problema.


    Estás a esquecer-te que a Optimus opera uma rede GSM por ter uma licença para tal. Licença essa que indica o que eles podem ou não fazer.

    Quando falas de redes FWA (Fixed Wireless Access), estás a falar de outra licença.

    É certo e sabido que o serviço de ADSL da PT e revendedores sempre foi muito lento. Claro que tem de ser, desse modo, a Banda Larga da PT por cabo fica muito melhor vista. É muito mais rápida.

    Por exemplo, por ADSL o normal que eu consigo é 40K, embora o teórico seja 64, via NetCabo o normal é muito perto de 80K, e o teórico é 80K...


    Eu tenho ADSL da Telepac e tenho sempre os limites teóricos do serviço, que não são 64Kb/s como dizes, são 54.4Kb/s, porque o ADSL baseia-se em ATM com AAL5 o que implica um overhead de mais ou menos 15%.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:Anacom (Pontos:2)
    por RJLouro em 28-11-04 2:44 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    Eu pensei que por ser uma ligação ponto por ponto (embora sobre ethernet) que a razão da velocidade inferior se devesse aos bits de sincronização, start bit e stop bit, o que faria com que a velocidade máxima de uma ligação ppp fosse a dividir por 10 e não por oito. A minha teoria é assim tão furada?

    Antes que comecem a chover as bocas, isto é uma pergunta, não uma afirmação ou insinuação.
    É mais complicado (Pontos:2)
    por CrLf em 28-11-04 3:38 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    Infelizmente... sim :)

    O ADSL, sendo ATM, funciona por células, que não são mais que pacotes de tamanho fixo, ou seja:

    Um pacote de tráfego será dividido por uma série de células caso não caiba em apenas uma. O espaço que sobrar na última célula é desperdiçado. (1ª perda de banda, mas desprezável, normalmente)

    As células ATM "crú" têm 53 bytes, mas neste caso é necessário usar uma camada para poder transportar pacotes IP (PPP neste caso), a AAL5 (ATM Adaptation Layer 5), o que reduz o espaço útil para 48 bytes. (2ª perda de banda, a mais importante)

    Em cima do ATM, ainda temos o PPP que implica mais uns quantos bytes "desperdiçados" (por pacote TCP/IP e não por célula ATM, valha-nos Deus). (3ª perda de banda, pequena)

    Por fim, temos o desperdício dos headers IP (desprezável também)

    Conclusão, o ATM aqui consome uma grande parte da banda disponível por ter células minúsculas com um overhead medonho por causa do AAL5. Talvez se tivessem usado outro protocolo isto fosse mais rápido, mas aí não teriam a facilidade de enfiar o tráfego directamente nas linhas que partem da central. E daí, talvez o ADSL funcione sobre ATM por ter sido desenvolvido no tempo em que toda a gente achava que o ATM ia engolir todas as outras tecnologias de transporte.

    Já agora, para mais detalhes ver a wikipedia.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:É mais complicado (Pontos:2)
    por raxx7 em 28-11-04 11:56 GMT (#16)
    (Utilizador Info)

    Nitpicks:
    Uma célula ATM tem 53 bytes: 5 para cabeçalho e 48 de payload "raw". Os AAL incorrem num overhead extra.
    Além disso, muita gente usa não PPPoA mas sim PPPoE, adicionando ainda mais overhead.

    E, hmm.. o ATM engoliu mesmo os outros protocolos de WAN layer 2.


    Re:É mais complicado (Pontos:2)
    por CrLf em 28-11-04 15:06 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    Uma célula ATM tem 53 bytes: 5 para cabeçalho e 48 de payload "raw". Os AAL incorrem num overhead extra.

    É verdade.

    Além disso, muita gente usa não PPPoA mas sim PPPoE, adicionando ainda mais overhead.

    Em Portugal só é possível PPPoE, daí eu não ter especificado.

    E, hmm.. o ATM engoliu mesmo os outros protocolos de WAN layer 2.

    Sim, apesar de ainda haver ofertas de Frame Relay e haver muito SDH. Mas o ATM era suposto ser a solução para tudo, incluíndo LANs (havia, e ainda devem existir placas ATM), e por esse ponto de vista falhou rotundamente.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:É mais complicado (Pontos:2)
    por raxx7 em 28-11-04 15:17 GMT (#27)
    (Utilizador Info)

    Há PPPoE e PPPoA. Uso PPPoA em Linux mas o Windows usa PPPoE e nunca me preocupei em descobrir como se muda.

    Com muito desse Frame Relay a ser transportado em ATM e muito ATM em SDH..
    Mas sim, essa ideia de tentar usar o ATM nas LANs foi uma aberração.


    Re:É mais complicado (Pontos:1)
    por NeVErMinD em 28-11-04 22:38 GMT (#33)
    (Utilizador Info)
    Os AAL incorrem num overhead extra

    8 bytes se bem me lembro, ou seja, por célula tens 40 bytes de payload, o que faz com que o overhead por pacote devido aos frames do PPP, do ethernet (caso PPPoE) e do TCP/IP seja desprezável.
    Re:É mais complicado (Pontos:2)
    por raxx7 em 29-11-04 0:07 GMT (#35)
    (Utilizador Info)
    O overhead do AAL5 são 8 bytes + padding, mas esse overhead não é por célula, é por pacote AAL5 (que se pode estender por várias células e ter até 64k de payload). Neste caso, cada pacote AAL5 transporta um pacote PPP (PPPoA) ou uma frame Ethernet (PPPoE). Portanto, o AAL5 acaba por ser o menor de todos os overheads.

    Re:É mais complicado (Pontos:1)
    por NeVErMinD em 29-11-04 16:47 GMT (#46)
    (Utilizador Info)
    Tens razão, o overhead do AAL5 são 8 bytes+padding por pacote AAL5 e não por célula :)
    Mas o menor overhead não é do PPP (PPPoA) apenas com 2 bytes?
    Re:É mais complicado (Pontos:2)
    por raxx7 em 29-11-04 17:03 GMT (#47)
    (Utilizador Info)
    Tens razão. Com VCmux, o overhead do PPP são apenas 2 bytes + padding. por frame PPP. Com LLC (que se usa por cá) são 6 bytes.

    Re:Anacom (Pontos:1)
    por spigaz em 29-11-04 11:52 GMT (#43)
    (Utilizador Info)
    Tudo bem, então o facto de eles não publicitarem o serviço com a largura de banda útil, faz com que seja publicidade enganosa.

    É verdade que os protocolos implicam sempre overhead, é certo e sabido, em termos do ADSL desconhecia que a largura de banda publicitada fosse em bruto.

    Estratégia que pelos vistos não fazem nem com o cabo, nem com o GPRS. Estranho, será que estes protocolos não têm overhead ou terá a ver com o facto de a PT ser o único fornecedor de ADSL?

    Isto porque mesmo a Novis, usa a infraestrutura PT da central ao cliente.

    Interessante assim em vez de 8Mbits, teriamos 6,8, e em vez de 512K, 435, o que seria mais real e menos enganoso...

    Eu nesse aspecto sinto-me enganado, porque contratei 512k e ninguém me avisou, nem em letras miudinhas que a largura de banda útil era 15% inferior.
    Re:Anacom (Pontos:2)
    por CrLf em 29-11-04 17:20 GMT (#48)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    A largura de banda é 512. Só que nesses 512 vão bytes de overhead dos protocolos. E no cabo também há overhead, tanto no downstream como no upstream.

    Não é publicidade enganosa, é mesmo assim.

    Publicidade enganosa são os discos de 120G que na realidade só têm 115 porque os fabricantes fazem as contas x1000 e não x1024.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:Anacom (Pontos:2)
    por raxx7 em 29-11-04 23:31 GMT (#52)
    (Utilizador Info)
    *cof*
    Os 512k do ADSL também são 512000 bit/s, não 524288 bit/s.
    E tal como no caso dos discos, sempre podem dizer que estão a respeitar o sistema de internacional de unidades..

    Re:Anacom (Pontos:2)
    por CrLf em 30-11-04 15:24 GMT (#56)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    Não é a mesma coisa.

    A capacidade dos discos é sempre medida em bytes, e as quantidades de bytes são tradicionalmente potências de 2, enquanto que as quantidades de bits são tradicionalmente potências de 10 (e isto é algo que confunde sempre o pessoal que contacta com o teorema de Nyquist pela primeira vez).

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:Anacom (Pontos:2)
    por raxx7 em 30-11-04 19:17 GMT (#58)
    (Utilizador Info)
    Isso pensas tu. Exemplo. Num texto sobre RAM poderia aparecer algo do género.: Um DIMM de 512 MB é compostos por 64 DRAMs de 64 Mbit. ... A taxa de transferência teórica de DDR-400 são 3,2 GB/s. Neste caso:
    512 MB = 512 * 1024² bytes
    64 Mbit = 64 * 1024² bits
    3,2 GB/s = 3,2 * 1000³ bytes/s

    Ou seja.. é uma grande confusão.


    Re:Anacom (Pontos:2)
    por raxx7 em 29-11-04 23:36 GMT (#53)
    (Utilizador Info)
    Todos os protocolos têm overheads.
    Além disso, estás sempre sujeito a que, algures no caminho, tenhas menos largura de banda do que a anunciada.
    Não há uma definição simples de "largura de banda usável".

    O Bicho (Pontos:2, Engraçado)
    por assassino de spam em 27-11-04 21:35 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Parece que o bicho preto, gordo, com 40 patas e grandes dentolas vai continuar...

    Smith: "Why, Mr. Anderson, why do you persist?" - Neo: "Because I choose to."
    Re:O Bicho (Pontos:2)
    por André Simões em 27-11-04 23:31 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    O bicho é muito divertido. Mas nunca entendi uma coisa: se a assinatura mensal da PT é um "bicho", então o "consumo mínimo" do serviço da Optimus é o quê?

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:O Bicho (Pontos:2)
    por Kmos em 28-11-04 12:52 GMT (#18)
    (Utilizador Info)
    É um bixo que custa menos a manter... BIXO GRANDE vai ser agora reembolsar toda a gente e os custos em publicidade/aparelhos que a Optimus teve de gastar.. mas não me parece que fique por aqui.

    I'm a Lost Soul in this Lost World...
    Re:O Bicho (Pontos:2)
    por chbm em 28-11-04 14:41 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://chbm.net/
    Considerando que "consumo mínimo" num aparelho GSM é uma roubalheira muito maior que a "assinatura" numa rede de cobre (que tem que ser reparada) se calhar é uma Alien. Ou um Predator.
    Re:O Bicho (Pontos:2)
    por Kmos em 28-11-04 14:44 GMT (#24)
    (Utilizador Info)
    Considero um "Alien preto e feio", aos preços que se praticam para se fazer uma chamada para outro telemóvel ou enviar uma simples SMS (mesma rede).

    I'm a Lost Soul in this Lost World...
    Re:O Bicho (Pontos:1)
    por spigaz em 28-11-04 15:02 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    Acho que vocês deviam dar uma olhadela aos tarifários antes de fazer esses comentários.
    Re:O Bicho (Pontos:2)
    por André Simões em 28-11-04 16:05 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    É exactamente o que eu penso. Acho que a despesa será sempre muito maior, com o "consumo mínimo" do que com a assinatura.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:O Bicho (Pontos:1)
    por CREMAToRIO em 29-11-04 18:10 GMT (#50)
    (Utilizador Info)
    Desculpe, não percebi o seu ponto...

    Estará a dizer que 25 euros obrigatórios em chamadas de dois em dois meses são uma despesa maior que 15 euros por mês sem chamada nenhuma?

    Re:O Bicho (Pontos:1, Gozão)
    por Karlus em 28-11-04 16:07 GMT (#30)
    (Utilizador Info) /del/null
    É um consumo que é convertivel em chamados ao contrario do bicho da PT. Topas a diferenca ?
    Desnecessário (Pontos:1)
    por tiagoskid em 27-11-04 22:35 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    Se a Optimus vendesse o mesmo produto que me permite
    telefonar para a rede fixa a 5c/min e quem me liga paga o preço duma ligação normal para fixo não me interessa muito se o numero comeca por 2 ou por 9..

    (Mas realmente dava jeito nao ter que tar a explicar as pessoas que podem ligar sem "medo"..:))
    Re:Desnecessário (Pontos:3, Esclarecedor)
    por grumpy bulgarian em 29-11-04 10:32 GMT (#42)
    (Utilizador Info) http://10.10.11.2
    interessa muito se o numero comeca por 2 ou por 9..

    Este aparente "detalhe" não o é, é pelo contrário crucial.

    Quando um operador leva tráfego para dentro de uma rede alheia, existem preços máximos que foram negociados entre os operadores e 'ratificados' pela ANACOM.

    Embora haja quem discuta a justiça destas regras, é facto que vigora uma tabela de preços que (AFAIK, com valores do ano passado) determinava que o máximo que os operadores GSM podiam cobrar a quem lhes deixasse tráfego na rede era qualquer coisa como ¤0,2 por 100segundos de comunicação. Na rede fixa, este valor máximo é bastante inferior, rondando os ¤0,01. Grosso modo, pode-se dizer que o operador que cobra o preço da chama soma esta parcela que descrvei a uma outra que é composta pelos seus próprios custos.

    Ora bem, a Sonaecom detém a Novis e a Optimus, que possuem (entre outras provavelmente) licenças para operar serviços de voz e dados sobre rede fixa, rede GSM, UMTS e FWA, sendo este ultima uma forma de fazer ligações de banda larga, em circuitos PPP por via aérea, útil para cobrir a ultima milha entre a rede e o cliente final.

    Com base na licença GSM e UMTS eles podem 'criar' clientes com números 9xxxxxxxx, com as outras licenças podem 'criar' clientes com número 2xxxxxxxxx. Aos acrescentar clientes à rede pública, são obrigados a cumprir com as regras de interligação das redes de acordo com o tipo de cliente que criaram.

    Aquilo que à primeira vista a Optimus quis fazer parece acesso indirecto à rede da Novis (em tudo idêntico ao serviço que a novis presta com o prefixo 1010) via a rede GSM da Optimus, em substituição do operador de acesso directo PT Comunicações. Admitindo que não há regras que o impeçam, isto é legítimo, *desde que* o prestador de acesso directo utilize a numeração que legitimamente pode usar, no caso "93xxxxxxx". Não é isto que a Optimus promete. Aparentemente prometem vender 'telemóveis', ligados à rede GSM, mas com numero 210xxxxxxx, da rede fixa da Novis, aproveitando a capacidade GSM instalada para substituir a PT no caminho entre o cliente final e a rede da Novis, e havendo lugar a pagamento e recebimento de preços de interligação de acordo com as regras da rede fixa.

    Em que é que isto é grave? É, no sentido em que havendo esta hibridação dos serviços, de forma descontrolada, poderia suceder no futuro os operadores trasferirem tráfego uns para os outros pela tabela que mais lhes conviesse, o que teria a meu ver alguns efeitos:

    1) demonstrar que o regime de interligação actual está ultrapassado, que bytes são bytes independentemente de voarem ou de correrem por cabo;

    2) prejudicar gravemente as empresas que montaram as suas operações com base no pressuposto que fixo é fixo e móvel é móvel, e que é sustentável ter uma empresa só com licença GSM ou só com licença de rede fixa;

    3) acelerar a migraçao para um mundo de telecoms VoIP

    4) baixar os custos de interligação

    Nem todas estas consequências são 'más', como é óbvio. É no entanto importante pensar se quebrar as regras é a forma eficiente de as contestar, neste contexto empresarial.

    No dia em que tive conhecimento deste lançamento, achei estranhíssimo, achei que "os gajos da Optimus de certeza que sabem algo que eu não sei, para este serviço ser legal". Na volta, talvez não soubessem. Ou então, numa perspectiva de "teoria da conspiração", se calhar é intenção da Optimus levar as pessoas a pensar que eles é que são bonzinhos, que até acabavam com o bicho feio da assinatura, mas os senhores maus da PT/ONI/... não os deixaram. Ouvi dizer que o lançamento custou-lhes qualquer coisa como ¤4M, em período de promoções de Natal, pelo que a 1ª opção, por surpeendente que seja, se calhar está certa.

    Como descalçar a bota? Se Optimus tiver que cancelar o serviço, terão que fazer o saldo entre o efeito "somos bonzinhos, a PT é um bicho feio" que terão criado na mente das pessoas; e o efeito "estes gajos venderam-me uma merda que afinal não é permitida". Se quiserem corrigir a mão, terão que atribuir números 93 a cada Optimus Home que venderem, tornando óbvio que afinal é um telefone GSM como outro qualquer, com as suas vantagens e limitações. Acho que deram barraca, estou desiludido...
    Grumpy B)

    Re:Desnecessário (Pontos:1)
    por tiagoskid em 29-11-04 12:45 GMT (#44)
    (Utilizador Info)
    Cada nova "invenção" que surge há sempre empresas
    que se tornam obsoletas e saiem prejudicadas,não
    acho isso mau,os bons adaptam-se..li algures e não
    duvido nada que já andaríamos todos em carros movidos
    a energias alternativas se as petroliferas não tivessem
    o poder que têm..
    Se a optimus arranjou uma maneira inteligente de contornar as
    regras sem as quebrar não acho que devam ser penalizados por isso!
    Pelo contrário!
    licença (Pontos:1)
    por RaTao em 28-11-04 4:45 GMT (#14)
    (Utilizador Info)
    Acho que o cerne da questão é a licença (o que permite ou não fazer) da Optimus.

    Imaginemos que sai agora um voipog (voip over gsm). Seria possível à Optimus vender aparelhometros que, não tendo número de telefone (público, pelo menos -- pensem em números de tlf 192.168.xxx.xxx ou 930000000xxxxxxxx internos à Optimus), tivessem um IP e, através da rede IP, permitissem aos utilizadores fazer e receber chamadas para outros telefones, sejam eles fixos, móveis, voip e/ou voipog? Ou vender este tráfego IP, ou permitir que esses aparelhometros se liguem à telecom-da-esquina.com (que tem as suas licenças de voip. fixo, whatever)?
    Isto é, será que a Optimus não pode vender apenas tráfego na sua rede GSM? Os aparelhos têm que ter um número? Sempre, sempre? E tem que começar por 93 e ter 9 dígitos no total? Será que não podem vender o número 930000000000000012345678? (só acessível dentro de parte da rede Optimus, claro).

    Eu não li a licença (e mesmo que lesse não ia adiantar... IANAL) mas parece-me que limitar um operador a utilizar a própria rede APENAS para comunicações as-standard-as-it-gets é limitativo...

    Um exemplo ao contrário:
    Será que se a REFER, que penso não ter licença para oferecer o serviço de telefone fixo, alugasse tráfego na rede de FO deles à PT, a ONI podia pedir à ANACOM que deliberasse que a PT tinha que parar de oferecer serviço de telefones fixos? :-)
    (Ou deixar de utilizar a rede da REFER...)

    Outra coisa: a parte de não poder ter adsl é bem vista, é... mas não nos esqueçamos que mesmo para os fixos "normais" é preciso verificar se temos a possibilidade de ter adsl, já que nem todos têm.

    Hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

    paz,
    ratao
    Re:licença (Pontos:2)
    por blacksheep em 28-11-04 12:53 GMT (#19)
    (Utilizador Info) http://rpmcruz.planetaclix.pt/
    Outra coisa: a parte de não poder ter adsl é bem vista, é... mas não nos esqueçamos que mesmo para os fixos "normais" é preciso verificar se temos a possibilidade de ter adsl, já que nem todos têm.

    Parece-me que as linhas telefónicas ditas fixas "normais" têm sempre possibilidade de ter ADSL, apenas poderá ainda não ter os cabos necessários para o seu uso.
    Re:licença (Pontos:2)
    por raxx7 em 28-11-04 13:00 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    Não. Em linhas demasiado longas ou de má qualidade não dá.

    Re:licença (Pontos:2)
    por CrLf em 28-11-04 20:19 GMT (#31)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    A licença não limita propriamente o que o operador pode fazer com a sua própria rede, mas limita-o quando entra em concorrência com outros operadores que têm uma licença distinta. Ora a licença de operação para redes móveis e fixas é diferente, e é por isso que a Optimus não pode vender este serviço.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:licença (Pontos:1)
    por RaTao em 28-11-04 23:15 GMT (#34)
    (Utilizador Info)
    Mas pode a NOVIS vender acessos fixos que são suportados em parte por uma rede qualquer (neste caso a rede gsm da optimus)?

    OK, outro exemplo: Imagina que a telecom-da-esquina, com a devida licença para telefones fixos, aluga à NETCABO uma "frequência" e que uns aparelhómetros usam esta "frequência" para fornecerem telefone fixo *da* telecom-da-esquina.

    Poderia a ANACOM suspender este serviço?

    Eu não ando por dentro destas "jogadas" nas telecomunicações, mas o que me parece é que "trocas" deste tipo estão sempre a acontecer.

    Hmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

    paz,
    ratao
    Re:licença (Pontos:2)
    por CrLf em 29-11-04 0:19 GMT (#36)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    No primeiro caso não pode, porque a Optimus não pode vender acessos fixos. A Novis também não poderia instalar uma rede GSM porque não tem uma licença para tal.

    No segundo caso não sei se haveria problema, mas acho que não, pois não está em causa nenhuma licença de uso de um bem público como as frequências GSM. No entanto também deverão haver regras quanto ao tipo de serviços.

    O objectivo aqui não é impedir a criação de novos serviços, mas sim controlar o uso do espectro de frequências alocado ao GSM. Além do mais, a Optimus estaria a fazer uso de uma numeração que não está alocada à rede GSM e também estaria a fazer interligação entre a rede fixa e GSM sem obedecer às regras que controlam a forma como esta interligação é "paga".

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:licença (Pontos:1)
    por RaTao em 29-11-04 1:10 GMT (#37)
    (Utilizador Info)
    No primeiro caso não pode, porque a Optimus não pode vender acessos fixos.

    OK, aqui estou (sempre estive) de acordo. Parece-me senso-comum. Repara que *só* estou a falar do que a licença da optimus permite ou não.

    A Novis também não poderia instalar uma rede GSM porque não tem uma licença para tal.

    Como eu disse, não estou a falar da novis instalar uma rede GSM. Estou a especular acerca da novis alugar serviços a outra empresa qualquer para transporte de tráfego (seja gsm, seja fo, seja par de cobre da PT).
    O que estou a pensar/sondar é que me parece lógico que este produto avançe mas com o nome "novis home".

    No segundo caso não sei se haveria problema, mas acho que não, pois não está em causa nenhuma licença de uso de um bem público como as frequências GSM.

    Este caso é exactamente o mesmo que o caso novis/optimus, só que trocamos os nomes dos operadores e o meio de transporte.

    De qualquer modo as frequências GSM são realmente um bem público. Por outro lado para utilizar GSM é necessário instalar antenas... E para passar fios é preciso esburacar/utilizar o chão... Hmmm qual é a diferença?

    O objectivo aqui não é impedir a criação de novos serviços ...etc

    Acho que esta parte nem tem discussão, como já disse acima. Parece-me bem que a optimus não possa usar números 2xxxxxxxx. Vou dizer mais uma vez: só estou a pensar nos tipos de utilização que a optimus pode (ou não) fazer da sua rede gsm, caso se avance com o tal "novis home".

    paz,
    ratao
    Re:licença (Pontos:2)
    por CrLf em 29-11-04 1:40 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    O que estou a pensar/sondar é que me parece lógico que este produto avançe mas com o nome "novis home".

    Mesmo assim não pode, porque a Optimus não pode fornecer este serviço aos utilizadores finais nem a outro operador.

    E para passar fios é preciso esburacar/utilizar o chão... Hmmm qual é a diferença?

    A diferença é que consegues passar cabos em propriedade privada. Daí que exista uma licença de rede fixa, que provavelmente tornará mais fácil passar cabos por propriedade pública. Mas não consegues usar uma frequência de rádio sem impedir que outros o façam, mesmo que a antena esteja em propriedade privada.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:licença (Pontos:1)
    por RaTao em 29-11-04 2:09 GMT (#39)
    (Utilizador Info)
    Mesmo assim não pode, porque a Optimus não pode fornecer este serviço aos utilizadores finais nem a outro operador.

    Os utilizadores finais não interessam. Como disse só estou a especular acerca do "novis home". E parece-me um contra-senso que aches que a netcabo possa alugar a rede deles à telecom-da-esquina para transportar tráfego dos fixos deles e não aches que a optimus possa alugar trágefo gsm à novis.

    Tens essa opinião mesmo só porque as ondas rádio são um caso especial?

    A diferença é que consegues passar cabos em propriedade privada.

    Podes colocar antenas em propriedade privada.

    Daí que exista uma licença de rede fixa, que provavelmente tornará mais fácil passar cabos por propriedade pública.

    Acho que nem tens facilidades destas para terrenos públicos, no que respeita à colocação de antenas.

    Mas não consegues usar uma frequência de rádio sem impedir que outros o façam, mesmo que a antena esteja em propriedade privada.

    Exacto. É por isso mesmo que existem licenças. Mesmo em tua casa não podes usar GSM, tens que usar as bandas ISM (aka livres). De qualquer modo a optimus tem uma licença e pode utilizar a banda. Utiliza-la muito ou pouco não interessa. Está-me a escapar algo? Porque é que a optimus não poderia vender tráfego à novis?


    paz,
    ratao
    Re:licença (Pontos:2)
    por CrLf em 29-11-04 3:36 GMT (#40)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    Porque é que a optimus não poderia vender tráfego à novis?

    Porque a banda GSM é um bem público licenciado à Optimus para um determinado efeito, após concurso. Repara que o facto da banda ser pública é essencial, pois não se trata de um cabo com dono, o espectro GSM é do estado, só está licenciado ao operador.
    Se o operador pudesse fazer o que lhe apetece, os concursos não serviriam para nada. Um tipo ganhava e depois os outros pagavam-lhe para fazer o que lhes apetecesse.

    Quanto às antenas em propriedade privada, para terminar. Podes meter antenas do que te apetecer em propriedade privada, só que não as podes por a emitir sem licença. Por outro lado, podes meter cabos e usá-los em propriedade privada, se bem te apetecer.


    --
    Carlos Rodrigues
    Re:licença (Pontos:1)
    por RaTao em 29-11-04 3:49 GMT (#41)
    (Utilizador Info)
    Acredito que seja assim. De qualquer modo parece-me limitativo. Será que a optimus não pode vender tráfego IP, que passe pela rede gsm deles, à telecom-da-esquina? Hmmmm

    De qualquer modo obrigado pelas respostas :-)

    paz,
    ratao
    Re:licença (Pontos:2)
    por Lowgitek em 30-11-04 12:17 GMT (#54)
    (Utilizador Info)
    Em relação as antenas é quase inteiramente verdade o que disseste, embora, haja obviamente faixas do espectro que possas usar livremente conforme os fins e a potência estipuladas por lei.
     
    Ao Orgulho segue-se a ruína, e a arrogância vem antes da queda (Prov. 16:18)
    Re:licença (Pontos:2)
    por CrLf em 30-11-04 17:08 GMT (#57)
    (Utilizador Info) http://tudo-sobre-nada.blogspot.com
    São as bandas do cidadão, uma delas à roda dos 2.4GHz, onde operam alguns electrodomésticos e os 802.11{b,g}.

    --
    Carlos Rodrigues
    Re:licença (Pontos:2)
    por Lowgitek em 30-11-04 23:44 GMT (#59)
    (Utilizador Info)
    precisa de teres licença para operares na banda do cidadão.

    Deverias estar a referir aos PMR's e compania limitadas.


    Ao Orgulho segue-se a ruína, e a arrogância vem antes da queda (Prov. 16:18)
    Re:licença (Pontos:2)
    por Lowgitek em 30-11-04 12:22 GMT (#55)
    (Utilizador Info)
    Já não haveria qualquer problema se o meio de transporte fosse FWA. O problema é realmente utilizarem uma numeração fixa para um serviço baseado sobre GSM.

    Resta dizer, que realmente, a Oni soube a altura certa que deveria começar a ter dúvidas sobre o tal serviço recém lançado... Foi mesmo evil.

    Vamos ver como os tipos descalçam a bota :p


    Ao Orgulho segue-se a ruína, e a arrogância vem antes da queda (Prov. 16:18)
    Re:licença (Pontos:1)
    por g0ga em 29-11-04 15:48 GMT (#45)
    (Utilizador Info)
    A ReferTelecom (via NetRail) tem licença para fornecer serviços fixos de Voz.

    cumps,
    .g0ga
    Re:licença (Pontos:1)
    por RaTao em 29-11-04 19:32 GMT (#51)
    (Utilizador Info)
    Era só um exemplo. Podes trocar os nomes dos operadores e/ou transportes livremente.

    De qualquer modo não sabia que a refer podiafornecer serviços de voz, obrigado.

    paz,
    ratao
    Proibiu?!? (Pontos:2)
    por Kmos em 28-11-04 14:28 GMT (#21)
    (Utilizador Info)
    Oni quer oferta de voz da SonaeCom esclarecida pela Anacom

    A Oni pediu à Anacom – Autoridade Nacional das Comunicações esclarecimentos sobre a oferta de voz lançada no início da semana passada pela SonaeCom sob a denominação Optimus Home.

    Em declarações ao Jornal de Negócios, fonte oficial da Oni diz que o novo produto da sua rival levanta algumas questões e o pedido foi no sentido de que o regulador esclareça acerca da sua interpretação de uns quantos pontos legais relativamente ao mesmo, sem especificar quais.

    O diário considera, contudo, que uma das dúvidas a que a operadora pretende obter resposta diz respeito ao nível de utilização do plano de enumeração e que uma segunda está relacionada com as tarifas de interligação.

    Confrontada com este pedido de esclarecimento ao produto, a SonaeCom diz estar segura quanto à perfeita legalidade do serviço e salienta que já esperava reacção deste tipo de "alguns sectores que não suportam a concorrência".

    A Anacom, por sua vez, confirmou estar a analisar o Optimus Home, mas esclareceu que esta é uma prática normal cada vez que um operador introduz uma oferta pioneira no mercado.

    O Optimus Home foi lançado no passado dia 15 de Novembro e baseia-se na rede de transmissão e distribuição da Novis e na infra-estrutura da Optimus, o Optimus Home oferece telefonia fixa, sem assinatura mensal (ver Notícias Relacionadas)

    Fonte: TEK SAPO

    I'm a Lost Soul in this Lost World...
    News (Pontos:1)
    por karamelo em 28-11-04 20:56 GMT (#32)
    (Utilizador Info)
    http://ultimahora.publico.pt/shownews.asp?id=1209499

    Empresa transforma venda do produto em serviço de pré-registo
    A Sonaecom vai limitar-se a transformar a venda do Optimus Home, o seu serviço de telefone fixo sem assinatura, num pré-registo de adesão até poder prestar esclarecimentos ao regulador Anacom, que ontem ordenou a retirada do mercado daquele produto.

    Segundo Paulo Azevedo, presidente da Sonaecom, a "holding" "vai lançar hoje um pré-registo para o Optimus Home, o que significa que não há custos para o cliente até haver lugar à prestação do serviço”.

    A promoção do produto foi ainda reforçada, com a empresa a oferecer aos clientes o valor total do telefone (69,90 euros) em chamadas, em vez dos 15 euros inicialmente oferecidos.

    Esta foi a forma encontrada pela "holding" de telecomunicações da Sonae para manter o novo telefone fixo no mercado, face à decisão da Autoridade Nacional de Comunicações (Anacom) ter decidido ordenar a retirar o produto do mercado.

    Paulo Azevedo revelou que a Sonaecom já pediu uma audiência de emergência com a entidade reguladora para perceber as razões da Anacom e prestar todos os esclarecimentos.

    A empresa "estudou com muito detalhe antes de lançar o Optimus Home e está confiante que cumpre todos os requisitos", por isso, ficou surpreendida com a decisão, adiantou o responsável, que afirma haver no mercado outros produtos, incluindo um produto da Portugal Telecom, PT Mobiles, que usa tecnologia móvel (GSM) e tem uma numeração fixa.

    A Anacom argumenta que usando o telefone com tecnologia GSM não pode ter um número do Plano Nacional de Numeração, que tem um prefixo começado por 2.

    O presidente da empresa diz também ter ficado surpreendido com o facto de não ter sido ouvido antes da decisão da Anacom. "É difícil entender que o regulador alegue interesse público para não ouvir a Sonaecom antes de tomar a decisão. Se há produto que defende o interesse público é o Optimus Home, por criar uma verdadeira concorrência no mercado das infra-estruturas fixas", salientou.

    A empresa está confiante que conseguirá chegar a acordo com a Anacom, mas alerta que não aceitará "cobrar muito mais ao cliente".

    A Sonaecom cobra 5 cêntimos por minuto em chamadas para a rede fixa e 33 cêntimos para a rede móvel.

    Os preços só conseguem ser tão baixos porque o telefone tem numeração fixa, apesar de usar também a rede móvel. A empresa poderia lançar o produto com o prefixo 93, mas como as tarifas de terminação móveis são reguladas, quem ligasse para o cliente pagaria o preço de uma chamada móvel.
    Re:News (Pontos:1)
    por latrine em 29-11-04 17:58 GMT (#49)
    (Utilizador Info) http://latrine.ispropt.com
    Acho que o mobilé tinha os dois sistemas fixo (dect) e móvel (GSM) que era preciso "desligar"... não era automático nem funcional

    A Vodafone já teve um destes (Mobifix) mas era totalmente GSM em número e preços e que foi retirado do mercado por falta de clientes, esta oferta estava totalmente de acordo com a licença que possuíam... inclusivamente na fixação dos preços, que é o que está em questão... é que o número é apenas uma das questões...

    o facto de poderes ligar para um PT HOME (GSM) de um telefone fixo (outra rede) ao preço de uma chamada fixo-fixo a Optimus está a praticar dumping, já que a propria optimus estipula o preço de interligação fixo-movel (telemóvel) para os outros operadores...em 5 vezes mais

    Como tudo na vida que é misto... é dúbio


    "Leio a Playboy pelo mesmo motivo que leio a National Geographic: Gosto de ver sítios que sei que nunca visitarei!"
    VoIP (Pontos:1)
    por polido em 01-12-04 6:10 GMT (#60)
    (Utilizador Info) http://localhost
    hmmmm...

    E se começarmos mas é a pensar em soluções VoIP ?

    Já agora... alguem me pode dizer se VoIP over Wifi networks funciona bem?!
    e alternativas ao Linux PBX Asterisk ? (www.asterisk.org) alguem konhece?
    Thnx.


    Ya_Ba - Theres no right or wrong, only Fun and boring...

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]