gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Conferência - Software Aberto
Contribuído por vd em 09-09-04 14:44
do departamento para-assistir
News Cricket escreve "A Unidade de Missão Inovação e Conhecimento (UMIC) realiza no Taguspark, no dia 29 de Setembro, um workshop sobre Software Aberto na Administração Pública. Mais informações aqui.

Eu vou estar lá, e tu?!

"P.S- Desta vez a notícia veio bem a tempo, não há desculpas! "

À Procura de Simon | A fundação X.org anunciou o X11 v6.8.0  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • UMIC
  • Taguspark
  • aqui
  • Mais acerca News
  • Também por vd
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Talvez apareça (Pontos:2)
    por The CodeMaker em 09-09-04 15:11 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Se for uma conferência aberta a toda a gente, é muito provavel que lá apareça.

    --
    CodeMaker
    Re:Talvez apareça (Pontos:1)
    por Cricket em 09-09-04 15:16 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Não diz nada em contrário no site, por isso tás como eu, se for aberta vou.
    .:Q:.
    Re:Talvez apareça (Pontos:1, Despropositado)
    por Kmos em 09-09-04 17:02 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://Kmos.TondelaOnline.com
    "aberta"? pra isso vais as putas, senão és enrrabado por um Sr. da M$...

    I'm a Lost Soul in this Lost World...
    Re:Talvez apareça (Pontos:2)
    por smsp em 09-09-04 19:25 GMT (#17)
    (Utilizador Info)
    Tanta eloquência num só post até me surpreende.

    «You cannot steal a gift, which is what code released under the BSD license is.»

    lá estão vocês! (Pontos:1)
    por grumpy bulgarian em 09-09-04 15:19 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://10.10.11.2
    lá por que é aberto, não quer dizer que seja grátis.. vocês são sempre a mesma coisa, pá... fooooooogo...
    Grumpy B)
    Re:lá estão vocês! (Pontos:2)
    por The CodeMaker em 09-09-04 16:05 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    Não te entendi... quem é que falou em "grátis"?

    --
    CodeMaker
    Re:lá estão vocês! (Pontos:2)
    por Init em 09-09-04 16:34 GMT (#7)
    (Utilizador Info)

    (Livre || Aberto) != Grátis


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Damn... (Pontos:1)
    por soska em 09-09-04 16:07 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Raios... ja e' o terceiro evento ao qual vou faltar... So volto das terras eslavas a 30 de Setembro...
    DAMN!


    SINCLAIR ZX SPECTRUM+2
    128K RAM
    COMBO TAPE READER/RECORDER ONBOARD
    CRT 12" WITH SPEAKER
    Mas afinal... (Pontos:2)
    por Init em 09-09-04 16:33 GMT (#6)
    (Utilizador Info)

    ... o que raio é software aberto???
    A referência que encontro a Open Software no Google, é uma especificação do W3C, curiosamento proposta pela micro$oft em 1997. No entanto esta especificação não é uma forma de licenciamento, nem sequer um modelo de desenvolvimento, mas sim um uma definição de uma aplicação de xml.

    A falta de precisão na utilização da linguagem dá azo à confusão e ao abuso encapotado, por isso tenham cuidado com a forma como dizem as coisas e insistão para que os outros também tenham, é que num ambiente em que todos estamos dentro do mesmo contexto pode ser dificil acontecerem problemas, mas nem todos estamos dentro de contextos e lá por ser dificil não quér dizer que não aconteçam problemas.

    Tratem as coisas pelo nome Software Livre no caso do Free Software (definição da FSF), Software de Código Aberto no caso do Open Source Software (definição do OSI), etc...
    Falar de coisas indefinidas é um risco demasiado alto, e torna-se facil desviarmo-nos do caminho ou alguém aproveitar-se e mudar o destino por estarmos demasiado preocupados com o caminho e não no caminho como um meio para atingir o fim.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por The CodeMaker em 09-09-04 17:00 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Eu enterpretei "software aberto" como "software de código aberto". Entendo que "software aberto" é um título bem mais fácil de usar que "software de código aberto". E se virmos bem, o título até se encaixa bem desde que não se esteja a falar de software livre ou software grátis.

    --
    CodeMaker
    Re:Mas afinal... (Pontos:1)
    por soska em 09-09-04 17:31 GMT (#10)
    (Utilizador Info)
    enterpetaste ou interpretaste?


    SINCLAIR ZX SPECTRUM+2
    128K RAM
    COMBO TAPE READER/RECORDER ONBOARD
    CRT 12" WITH SPEAKER
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por The CodeMaker em 09-09-04 17:35 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Se sabes a resposta porque é que estás a perguntar?

    --
    CodeMaker
    Re:Mas afinal... (Pontos:1)
    por soska em 10-09-04 8:24 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    Porque e' de bom tom cuidar da lingua portuguesa?


    SINCLAIR ZX SPECTRUM+2
    128K RAM
    COMBO TAPE READER/RECORDER ONBOARD
    CRT 12" WITH SPEAKER
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Init em 09-09-04 17:40 GMT (#12)
    (Utilizador Info)

    O facto de tu sempre teres interpretado dessa forma não garante que os outros o façam.

    Não, não encaixa bem. Software Aberto pode ser algo completamento destinto de Software de Código Aberto, como nome é ainda pior que Software de Código Aberto, pois permite ser definido de ainda mais formas. Alias já vi o nome Software Aberto a ser utilizado para definir outras coisas que não Software de Código Aberto aqui no gildot.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por The CodeMaker em 09-09-04 18:31 GMT (#13)
    (Utilizador Info)
    Eu não disse que *sempre* interpretei. Aliás, não me lembro de alguma vez ouvir ou ler essa expressão.

    Então e que outras coisas eram essas?

    Às vezes temos que abdicar de certos preciosismos para que a mensagem atinja um público mais vasto. No entanto, se o objectivo do título é referir o software livre, então acho que o título está mal.

    Mas não há nada como perguntar...

    --
    CodeMaker
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Init em 09-09-04 18:34 GMT (#14)
    (Utilizador Info)

    Então e que outras coisas eram essas?

    Software que utilizava API's abertas. Mas pior ainda podemos tar a falar de arquitectura do software, etc...

    Às vezes temos que abdicar de certos preciosismos para que a mensagem atinja um público mais vasto.

    Neste caso não, porque facilmente deturpa a mensagem. A comunicação tem de ser clara para que haja um entendimento claro.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por The CodeMaker em 10-09-04 18:39 GMT (#27)
    (Utilizador Info)
    Mas não há nada como perguntar...

    Mandei um email a perguntar a que é que se referia Software mas parece que não me respondem :(

    --
    CodeMaker
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Init em 10-09-04 19:28 GMT (#28)
    (Utilizador Info)

    Dá-lhes tempo...


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Tintim em 09-09-04 18:52 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://paulo.trezentos.gul.pt
    Os termos acabam por ser cunhados à medida da sua utilização.
    "Software Livre" é de facto a expressão mais utilizada em Portugal mas não me choca que se empreguem outras. Desde que fique esclarecido o que * não * é Software Aberto: Shared Source, shareware, freeware, etc...

    Um pouco na brincadeira, escrevi 11 máximas que me passaram na cabeça sobre Software Livre para o site www.linux-portugal.org (Dia 28.8.2004) em que a máxima 4 era sobre isso.


    As 11 Máximas do Software Livre




    1 (Objecto)-O Software Livre é um modelo de desenvolvimento, não é uma religião.




    2 (Missão)-O Software Livre é um meio, não é um fim.


    Ou seja, serve para resolver realidades concretas do nosso quotidiano e não para resolver os nossos problemas de afirmação ou existenciais.
    Corolário Geek: há vida para além do Software Livre.



    3 (Posse)-O Software Livre não é de Esquerda ou de Direita, do partido X ou do partido Y, é de quem o desenvolve e para quem o utiliza.


    Contudo, o modelo é presidido por valores e tem impacto social derivado da sua aceitação.




    4 (Terminologia)-Software Livre, Software Aberto, Software de fonte-aberta ou Software de código aberto são tudo faces da mesma moeda.


    Isto é, código que respeita as 4 liberdades enunciadas por RMS. Shared-source não é portanto Software Livre ou Software Aberto.




    5 (Implicação)-Um software não tem necessariamente qualidade apenas por ser Software Livre.


    Apesar do modelo contribuir para a sua melhoria, um mau programador escreverá sempre um mau programa.




    6 (Evolução das espécies)-O Software Livre de qualidade prevalece sobre o Software Livre sem qualidade.


    Assim, apesar de haver SL com e sem qualidade (Máxima 4) é o primeiro que prevalece e o utilizador final acaba apenas por lidar com esse.






    7 (Generalização)-O Software Livre não é o Linux, mas o Linux é Software Livre.


    O facto de um Software Livre em concreto ter muito sucesso não nos deve fazer esquecer que "está sentado ao ombro de gigantes".




    8 (Concorrência)-Para uma necessidade é sempre melhor dois projectos de software Livre do que apenas um.


    Ou seja, é bom termos Gnome e KDE, Mozilla e Konqueror, OpenOffice e Abiword / Gnumeric porque a concorrência estimula a qualidade.



    9 (Custo)-A distribuição do Software Livre não tem de ser gratuita.


    Apesar de não ser possível colocar barreiras à livre distribuição, é possível cobrar por o meio em que se coloca o Software Livre. Da mesma forma, o modelo do Software Livre permite cobrar por serviços. Destas duas razões nascem os modelos de negócio rentáveis que alicerçam as companhias que operam neste mercado.




    10 (Coexistência)-O Software Livre tende a ser interoperável com software proprietário.

    Existem mercados muito segmentados em que o software proprietário continuará a existir. Pela sua natureza aberta, é natural que a interoperabilidade seja assegurada no sentido do Software Livre para o Software Proprietário. O contrário não é verdade.



    11 (Prevalência)-Em caso do Software Livre igualar em pertinência o Software Proprietário, então o primeiro será escolhido.


    O utilizador tenderá a optar pelo software que melhor responda às suas necessidades numa equação complexa que envolve: preço, funcionalidades e qualidade. Se a equação retornar um valor semelhante entre os diferentes tipos de software, ele escolherá o Software Livre porque terá sempre um maior nível de independência e evolução futura de utilização.


    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por The CodeMaker em 09-09-04 18:58 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    4 (Terminologia)-Software Livre, Software Aberto, Software de fonte-aberta ou Software de código aberto são tudo faces da mesma moeda. Isto é, código que respeita as 4 liberdades enunciadas por RMS. Shared-source não é portanto Software Livre ou Software Aberto.

    eu substituiria "Shared-source não é portanto Software Livre ou Software Aberto" por "Shared-source não é portanto Software Livre nem Software Aberto" para ficar mais claro ;)

    --
    CodeMaker
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por leitao em 09-09-04 22:42 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    O utilizador tenderá a optar pelo software que melhor responda às suas necessidades numa equação complexa que envolve: preço, funcionalidades e qualidade.

    Falhaste um numero de factores que sao tao ou mais importantes que esses: suporte, continuidade, complexidade.


    I can live with doubt and uncertainty and not knowing. I think it is much more interesting to live not knowing than to have answers that might be wrong.

    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por [Cliff] em 09-09-04 23:09 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://www.yimports.com
    concordo com o suporte, mas porque incluiste específicamente a continuidade e a complexidade?
    AFAIK, o Software Livre pode considerar-se eterno(?).
    Sobre a complexidade: complexidade de? Instalação/manutenção? Utilização?
    É curiosidade pura...

    ---
    MS Windows, há 10 anos que a taskbar no topo do ecrã gera um bug.
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Tintim em 10-09-04 9:22 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://paulo.trezentos.gul.pt
    É verdade. Fica para a versão 1.1. :-) Ainda acrescentaria mais alguns: documentação, base de utilizadores e facilidade de utilização / administração. A importância de cada um dos factores da equação depende da utilização que se dá ao software.
    Re:Mas afinal... (Pontos:1)
    por bêbado em 10-09-04 10:32 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    Quantas vezes a selecção um software não resulta de uma análise criteriosa de cada um e do conjunto de factores que referem?

    Quantas vezes essa selecção está pré-condicionada por factos e decisões externas e anteriores à própria necessidade de adopção de um novo software?

    Quantas vezes a selecção de um software implica a total reformulação de decisões anteriores?

    O que eu pretendo evidenciar é que nem sempre a escolha resulta (ou tenderá [esta parece-me uma formulação mais polida e segura] a resultar) de uma racionalização (complexa, sem dúvida) dos factores que referem.


    ~~~ O vinho é qu'induca e o fado é qu'instrói! ~~~

    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Init em 09-09-04 22:51 GMT (#19)
    (Utilizador Info)

    Por acaso já tinha lido esse texto.

    O Software Livre é um modelo de desenvolvimento, não é uma religião.

    Não é não! É um modelo de licenciamento de direito de autor que te permite escolher livremente modelos de desenvolvimento (incluindo comunitários), modelos de negócios.
    Mesmo que hajam modelos de desenvolvimento muito utilizados na maioria do software licenciado desta forma não deixa de ser APENAS um de modelo de licenciamentos de direito de autor.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Tintim em 10-09-04 9:31 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://paulo.trezentos.gul.pt
    Não estou a ver porque é que a afirmação "é um modelo de desenvolvimento alicerçado numa licença de direito de autor" é menos correcto que "é uma licença que te permite escolher livremente modelos de desenvolvimento...".

    O meu focus é no modelo de desenvolvimento / distribuição porque a abordagem legalista parece desvirtuar o que está em causa, ou seja, a nova forma de produzir software.
    Quem ouve falar pela primeira vez de SL e lê a sua definição como uma "licença" fica com a ideia que é igual ao software proprietário mas mais permissivo quanto à utilização / distribuição.
    Se o foco for no Modelo de desenvolvimento, perceberá que tudo o que está englobado no modelo de desenvolvimento é diferente (organização da equipa, garantia, suporte, comunidade de utilizadores, etc ).

    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Init em 10-09-04 11:13 GMT (#26)
    (Utilizador Info)

    O meu focus é no modelo de desenvolvimento / distribuição porque a abordagem legalista parece desvirtuar o que está em causa, ou seja, a nova forma de produzir software.

    Isso é o que interessa a quem tem uma visão semelhante ao OSI, a mim o que interessa é a liberdade, por tanto não uma forma especifica de produzir software.

    Quem ouve falar pela primeira vez de SL e lê a sua definição como uma "licença" fica com a ideia que é igual ao software proprietário mas mais permissivo quanto à utilização / distribuição.

    Fica com a noção de que é livre e que pode utilizar modelos de desenvolvimento, em que se mete num quarto sozinho a programar ou se quiser desenvolve comunitáriamente, de acordo com o que achar que é melhor para cada caso.

    Se o foco for no Modelo de desenvolvimento, perceberá que tudo o que está englobado no modelo de desenvolvimento é diferente (organização da equipa, garantia, suporte, comunidade de utilizadores, etc ).

    Mas o que interessa é a liberdade não modelos de desenvolvimento, é esta a diferença entre a visão do Open Source e do Software Livre.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:Mas afinal... (Pontos:2)
    por Init em 09-09-04 22:56 GMT (#20)
    (Utilizador Info)

    Os termos acabam por ser cunhados à medida da sua utilização.

    Pois mas já vi várias utilizações para o termo software aberto e imagino mais umas quantas possíveis. Por isso e por não encontrar nenhuma definição que seja uma convenção, continua a ser um termo a evitar por ser vago a respeito do licenciamento, alias estou já a supor, (e por tanto a arriscar a falhar) que se trata de licenciamento pois em lado nenhum isso (neste caso nem no sitio web da UMIC, nem em mais nenhum) está escrito, pelo menos que eu tenha visto.

    Afinal o que é?


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:Mas afinal... (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 11-09-04 23:23 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    software aberto é, por exemplo, o IE... :D
    -----
    Microsoft has funded 13 studies over the past year comparing Linux with its own products. Guess what: All of them come out in favor of Microsoft.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]