gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Os mitos do open source no plano comercial
Contribuído por scorpio em 18-03-04 21:08
do departamento bedtime-reading
News ^magico^ escreve "Defendo o opensource em especial ao nível tecnológico. Os principais argumentos que utilizo nesta defesa, é a abertura evolutiva que o opensource proporciona bem como um sistema de desenvolvimento distribuido que (correctamente estabelecido) permite criar produtos com qualidade superior a produtos closed source.

A CIO Magazine - Information technology resources for executives tem disponível um artigo (The Myths of Open Source) que analisa o opensource num panorama comercial:
* 1 - O atractivo é o preço
* 2 - A poupança não é real
* 3 - Não existe suporte
* 4 - É o campo de minas legal
* 5 - Opensource não é aplicações criticas
* 6 - Opensource não está preparado para desktop

Noutro campo de batalha, o The Network Administrator questiona se o Linux pode salvar os empregos TI nos EUA. Será o Linux o motor para a salvação de uma area económica em declínio, devido a gigantes corruptos, egoistas e demasiado ambiciosos? "

Soluções de Data Warehousing | Graphical User Interface gallery  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • ^magico^
  • CIO Magazine - Information technology resources for executives
  • The Myths of Open Source
  • The Network Administrator
  • Linux pode salvar os empregos TI nos EUA
  • Mais acerca News
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    ANSOP (Pontos:4, Esclarecedor)
    por henrique em 19-03-04 1:47 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Considero bastante pernicioso para a expansão do Linux a mentalidade anti-software proprietário que grassa na comunidade. Encontro frequentemente, em fóruns, utilizadores a perguntarem qual o melhor software para esta ou aquela tarefa, e as respostas só mencionam software open-source, ignorando por completo a existência, por vezes, de software proprietário para Linux mais adequado ao que o utilizador pretende. Outras vezes, o software proprietário para Linux é mencionado, mas quase sempre com desprezo, como de algo malígno se tratasse.

    Na convicção de que o software proprietário é um componente essencial para a expansão do Linux, tanto no meio empresarial como no meio doméstico, e que:

    1. O software proprietário é, em média, melhor do ponto de vista técnico.
    2. O software proprietário tem, quase sempre, muito melhor documentação.
    3. O software proprietário é mais fácil de instalar e, de um modo geral, está mais polido em termos de apresentação.
    4. O software proprietário tem, em média, menos bugs.
    5. O software proprietário é responsável pela quase totalidade da inovação que se faz em software.
    6. O software proprietário adequa-se melhor ao preenchimento das necessidades de nichos de mercado.
    7. O sistema operativo não deve ser controlado por uma só empresa (como acontece com o Windows) porque leva a abuso da posição dominante. Por isso, o futuro deverá ser o desenvolvimento de software proprietário em cima de um sistema cujos componentes base são, na maioria, open-source: o Linux.
    lanço aqui a ideia da criação da ANSOP, Associação Nacional de Software Proprietário (para Linux). Esta associação encarregar-se-ia de divulgar o software proprietário para Linux, promover o "port" para Linux de aplicações disponíveis apenas em outros sistemas operativos, de convencer as software-houses portuguesas a apostarem no Linux e, claro, de promover a adopção do Linux pelas empresas, universidades e utilizadores individuais em Portugal.

    Agradeço comentários, propostas e sugestões.

    Re:ANSOP (Pontos:2, Esclarecedor)
    por nbk em 19-03-04 6:09 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://www.mrnbk.com/
    Boas.

    Eu suponho que o teu comentário seja para rir, mas não vá o diabo enganá-lo, aqui vai.

    "1. O software proprietário é, em média, melhor do ponto de vista técnico."

    Em que te baseias para dizer tal coisa? Queres dar exemplos práticos?

    "2. O software proprietário tem, quase sempre, muito melhor documentação."

    Lol. You're nuts. Se me disseres que ela está mais bem organizada, ainda aceito, agora melhor...

    "3. O software proprietário é mais fácil de instalar e, de um modo geral, está mais polido em termos de apresentação."

    Tem a ver com a plataforma (as suas widgets) e não com o software em si.

    "4. O software proprietário tem, em média, menos bugs."

    Keep dreaming.

    "5. O software proprietário é responsável pela quase totalidade da inovação que se faz em software."

    Não tem nada a ver. A inovação não tem a ver com o facto de o software ser proprietário ou não. Ser "proprietário" é uma consequência, e não uma causa.

    "6. O software proprietário adequa-se melhor ao preenchimento das necessidades de nichos de mercado."

    Pelo contrário, pelo contrário.

    @300, Nbk

    Re:ANSOP (Pontos:3, Lança-chamas)
    por leitao em 19-03-04 11:31 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    "1. O software proprietário é, em média, melhor do ponto de vista técnico."

    Em que te baseias para dizer tal coisa? Queres dar exemplos práticos?

    Exemplos ? Ha' muitos:

    Qualquer RDBMS comercial (Oracle, MS SQL, Sybase, DB2) bate de longe as open-source (MySQL, Postgres) em termos de funcionalidade. Outro exemplo de comparacao e' o Zeus versus Apache, ou o Microsoft Office versus o OpenOffice.

    "2. O software proprietário tem, quase sempre, muito melhor documentação."

    Lol. You're nuts. Se me disseres que ela está mais bem organizada, ainda aceito, agora melhor...

    Bom, nao e' que discorde contigo, mas nao tenho duvidas que em geral software proprietario vem melhor documentado. Nem que seja precisamente porque o facto de nao incluir a fonte implica que a documentacao tenha que ser mais completa.

    "5. O software proprietário é responsável pela quase totalidade da inovação que se faz em software."

    Não tem nada a ver. A inovação não tem a ver com o facto de o software ser proprietário ou não. Ser "proprietário" é uma consequência, e não uma causa.

    Queres-me dar exemplos de inovacao no software open-source se faz favor ?


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:ANSOP (Pontos:1, Redundante)
    por 4Gr em 19-03-04 11:40 GMT (#12)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    Queres-me dar exemplos de inovacao no software open-source se faz favor ?

    Queres-me dar exemplos de inovação no software proprietário se faz favor?

    Como já concluiste há muitos anos atrás, as inovações são exactamentas as mesmas porque não dependem da licença em que o software é publicado mas sim em quem o concebe. Só quiseste foi deixar mais uma acha na fogueira.. :-)

    Dominus vobiscum
    Re:ANSOP (Pontos:2, Despropositado)
    por leitao em 19-03-04 13:56 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    Queres-me dar exemplos de inovação no software proprietário se faz favor?

    Quantos e' que queres ?

    • Java,
    • O conceito de "spreadsheet" (Lotus 1-2-3, Visicalc),
    • Word-processing,
    • O GUI (Apple, rings a bell?),
    • As bases de dados relacionais (Oracle) e o SQL (IBM).

    Quantas mais queres ?


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Software proprietário versus patentes (Pontos:2)
    por grumbler em 19-03-04 15:01 GMT (#33)
    (Utilizador Info)
    Por acaso, à excepção do Java, os exemplos que referes relacionam-se mais com conceitos e ideias do que com o software por si mesmo. E se por exemplo os tipos da Visicalc se tivessem lembrado de patentear o conceito de folha de cálculo muito provavelmente o mesmo conceito não se teria tornado tão popular como é actualmente. Ou se os tipos do Xerox PARC se tivessem lembrado de patentear o sistema WIMP a Apple nunca teria tido o sucesso que teve. Claro que software proprietário não é exactamente o mesmo que o patenteamento de algoritmos, conceitos e ideias, mas últimamente a tendência parece-me estar a ser cada vez mais ténue.

    --
    What, Me Worry?
    Re:ANSOP (Pontos:2, Redundante)
    por 4Gr em 19-03-04 15:21 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    Isso são conceitos.. a linguagem de programação Java, como tu dizes o conceito de "spreadsheet" etc, desenvolvidas por empresas. Não são inovações que advêm de o software ser proprietário.

    Continuo à espera de exemplos Dr Nuno.. ou anda desactualizado?

    Dominus vobiscum
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por leitao em 19-03-04 16:33 GMT (#50)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    Isso são conceitos..

    Hammm... conceitos ? Entao inovacao em software e' o que ? E' que se inovacoes em software e' o software em si, entao a inovacao acabou com estes livrinhos.


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:ANSOP (Pontos:1, Redundante)
    por grumbler em 19-03-04 16:51 GMT (#53)
    (Utilizador Info)
    Como referi, se esses conceitos tivessem sido mantidos como conceitos proprietários o impacto dessa inovação teria sido muito diminuto. Pelo contrário, os conceitos que referiste, embora tivessem sido de facto sido desenvolvidos por iniciativas privadas tiveram sucesso por não ter sido conceitos proprietários no verdadeiro sentido da palavra (ou seja, ninguém ficou com a propriedade desses conceitos).. tanto assim é que a Apple capitalizou no conceito WIMP criado no Xerox PARC, ou a Microsoft pegou no conceito de folha de cálculo criado pelos tipos que desenvolveram o Visicalc.

    Por outro lado, toda esta questão seria irrelevante se o computador não tivesse sido desenvolvido, e que me recorde os primeiros não o foram num ambiente "proprietário", mas sim com fundos públicos.

    --
    What, Me Worry?

    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:25 GMT (#60)
    (Utilizador Info)
    # O GUI (Apple, rings a bell?),
    XeroX, IBM :P
    # As bases de dados relacionais (Oracle) e o SQL (IBM)
    isso não é aplicar álgebra relacional a software?

    as inovações em software não são tangíveis, há melhorias, adaptações, agora algo que revolucione é díficil dizer que lado se safa melhor.

    agora dizer que nenhum inova é burrice (sim, não foste que disseste...)
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:3, Informativo)
    por Cyclops em 19-03-04 11:47 GMT (#14)
    (Utilizador Info)
    Queres-me dar exemplos de inovacao no software open-source se faz favor ?
    Pelo menos falando de Software Livre posso apontar o GNU Radio, por exemplo.

    Q: What's the point of GnuRadio?

    It does signal processing in free software. This means you can learn from it, and modify it to do new things. The big idea is to give ordinary software people easy access to 'hack' the electromagnetic spectrum, that is, to understand the radio spectrum and think of clever ways to use it.

    [the ideological stuff aside, what is the point of GnuRadio? what does it offer that ordinary hardware radio doesn't? and what is really the difference?]

    GnuRadio offers reconfigurability. Spending $1000 on a piece of radio hardware buys you access to whatever that particular radio is configured for. If you have adequate generic GnuRadioHardware, the radio processing can be done in software. Currently only a few forms of radio are duplicated in GnuRadioSoftware, but if you understand the math of a radio transmission system, you can reconfigure your GnuRadio to receive it.

    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por raxx7 em 22-03-04 1:55 GMT (#103)
    (Utilizador Info)
    LOL, até parece que o mundo não está carregado de DSPs.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 22-03-04 8:19 GMT (#104)
    (Utilizador Info)
    Não sei se estás a perceber, mas a diferenca entre uma placa de rádio e uma placa de hdtv (em termos de GNU Radio) é inteiramente no software... basta um DAC.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por raxx7 em 22-03-04 11:47 GMT (#108)
    (Utilizador Info)
    Eu percebi. Só não percebo qual a inovação disso. Minimizar o hardware especializado e transferir o máximo de trabalho para processadores programáveis é algo comum. Até os telemóveis, que são produzidos em grandes volumes recorrem a DSPs.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 22-03-04 15:26 GMT (#109)
    (Utilizador Info)
    Consegues mais mínimo que um DAC? Como? Eles estão a simular inclusivé os circuitos em software, necessitando, evidentemente, de um simples Digital/Analog Converter porque o software não interage com as forcas da natureza.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por raxx7 em 22-03-04 18:55 GMT (#111)
    (Utilizador Info)

    Se continuasses a ler a FAQ para lá do primeiro ponto, vias que continuam a precisar de mais do que apenas ADCs e DACs.

    As for GnuRadioHardware, you'll need two things: an RfFrontEnd and an AnalogToDigitalConverter (A/D). Together, these items allow you to build a receiver. To build a transmitter, a DigitalToAnalogConverter? (D/A) is required, along with a PowerAmplifier? (PA). The exact design of these things depends on the particular kind of radio you want to mess around with.
    Isto é canónico.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 23-03-04 9:29 GMT (#112)
    (Utilizador Info)
    Em que é que isso me contradiz? O RfFrontEnd e o PowerAmplifier são analógicos, e quando falava de DAC estava a assumir que referia os 2 sentidos (não sou um perito de electrónica).
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por raxx7 em 23-03-04 14:59 GMT (#113)
    (Utilizador Info)

    De volta ao principio: Tu apontaste o projecto GNU Radio como exemplo de inovação, apontado como inovação a estratégia de usar hardware genérico e minimalista e colocar a diferença no software.
    Na verdade, a estratégia que eles usam é a mais comum hoje em dia:
    Num receptor: Amplificador RF se necessário -> Conversão para frequência intermédia -> A/D -> Processamento digital de sinal.
    Num emissor é praticamente o inverso.

    A diferença é que os receptores comerciais normalmente não te permitem alterar o software e o hardware é concebido para satisfazer apenas as necessidades. No GNU Radio tens acesso ao software e podes recorrer a hardware tão flexivel quanto estejas disposto a pagar. Mas com um Develpment Kit para DSP também.
    No fundo, é uma questão de custos (como habitual).


    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por quantic_oscillation em 19-03-04 13:21 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://fs-oss.cjb.net
    Queres-me dar exemplos de inovacao no software open-source se faz favor ?

    Sun Looking Glass 2, por exemplo....
    Re: Inovacao em Open Source (Pontos:1)
    por CREMAToRIO em 19-03-04 14:01 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    >> Queres-me dar exemplos de inovacao no software open-source se faz favor ?

    Por exemplo, uma funcionalidade que estou a usar agora e que ma dá muito jeito: Os tabs no browser (vamos lá ver até quando a M$ resiste a colocar uma funcionalidade parecida no seu IExplorer).

    Apenas um exemplo.
    Ps: já agora, a barra lateral com os processos e carga de processador que tá pa sair (ou já saiu) numa qq versão do windows.
    Ps2: Acho que as barrinhas com tarefas e icones que podemos criar em qq canto e recanto de qualquer Desktop Open Source ...
    Re: Inovacao em Open Source (Pontos:2, Informativo)
    por cfduarte em 19-03-04 14:07 GMT (#23)
    (Utilizador Info)
    Os tabs apareceram com o Opera, que está MUITO LONGE de ser OS.
    Re: Inovacao em Open Source (Pontos:1)
    por CREMAToRIO em 22-03-04 11:30 GMT (#107)
    (Utilizador Info)
    Obrigado pela correcção.
    Não sabia disso.
    Obrigado

    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 19-03-04 14:11 GMT (#24)
    (Utilizador Info)

    Queres-me dar exemplos de inovacao no software open-source se faz favor ?

    Basta olhares para o mozilla e para o konqueror...


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por spyder em 19-03-04 23:55 GMT (#73)
    (Utilizador Info)
    Basta olhares para o mozilla e para o konqueror...
    Que sao excelentes browsers, mas com pouca ou nenhuma inovacao (standard-compliance nao conta como inovacao neste contexto). A unica coisa inovadora que me ocorre no Mozilla e' _talvez_ o XUL, e no Konq nao ha nada.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 20-03-04 12:43 GMT (#79)
    (Utilizador Info)

    Conheçes mal os browsers... Só o mozilla tem várias pequenas features que são inovadoras para um browser como find as you type e outras...


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:3, Esclarecedor)
    por grumbler em 19-03-04 15:37 GMT (#41)
    (Utilizador Info)
    Queres-me dar exemplos de inovacao no software open-source se faz favor ?

    Parece-me que o melhor exemplo de inovação devido ao facto de não ser um conceito proprietário (e aqui como proprietário penso que se pode entender algo como exclusivo de um determinado "vendor") é a Internet. É certo que se pode falar exactamente de open-source quando se refere da mesma, mas isso não significa que não exista um paralelismo entre a questão do software livre versus software proprietário e a questão da Internet versus redes proprietárias (MSN, Compuserve, Prodigy, etc).
    Além disso, que me recorde, a maioria dos protocolos utilizados são não proprietários, a começar pelo TCP/IP e acabando no HTTP que todos utilizamos para aceder aqui ao gildot.
    Aliás, já que se fala de HTTP, a própria WWW tem como base o trabalho do Tim Berners Lee, o qual não pode ser considerado software proprietário.

    --
    What, Me Worry?

    Re:ANSOP (Pontos:0, Redundante)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:33 GMT (#61)
    (Utilizador Info)
    1) SSH, FireFox, MPlayer, Perl...

    não se mede, são demasiadas áreas.

    2) é verdade, em muitos casos. por outro lado, o suporte e documentação a certo software é para parvinhos (point&click), ou dispendioso. ao menos com google, newsgroups e irc resolve-se.
    não é ideal e está a ser trabalhado...

    5) LDAP, SSH, Kerberos, Kioslaves, Samba, I18N, Python, JYthon...
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:4, Esclarecedor)
    por Init em 19-03-04 7:25 GMT (#3)
    (Utilizador Info)

    Que tal apresentares numeros?

    1. O software proprietário é, em média, melhor do ponto de vista técnico.

    Falso. Não só não é verdade, como a unica distinção entre Software Livre e proprietário é uma licença de software não aspectos tecnicos.
    Há bom Software Livre e bom software proprietário, só que os termos das licenças de software propriteários são de facto bastante pergisos.

    2. O software proprietário tem, quase sempre, muito melhor documentação.

    Porquê está escrito na licença que tem de ser assim?

    3. O software proprietário é mais fácil de instalar e, de um modo geral, está mais polido em termos de apresentação.

    Usando Debian Unstable não tenho qualquer problema a instalar qualquer software, ao contrário do que acontece aos meus colegas que usam sofftware proprietário. Mas mais uma vês não há nada nas licenças que obrigue a isso ou há?

    4. O software proprietário tem, em média, menos bugs.

    Em defenitivo não é essa a minha experiência, mas junta ainda o facto de a detecção e correcção dos bugs ser geralmente muito mais rapida em Software Livre do que em software proprietário.

    5. O software proprietário é responsável pela quase totalidade da inovação que se faz em software.

    Não acho que seja verdade, principalmente se fizeres uma comparação em percentagem.

    6. O software proprietário adequa-se melhor ao preenchimento das necessidades de nichos de mercado.

    Acho precisamente o contrário, o facto de o Software Livre ser independente de empresas, permite que um numero restricto se junte e desenvolva o software a baixissimo custo e que quem quisér o adeque a necessidades muito especificas.

    7. O sistema operativo não deve ser controlado por uma só empresa (como acontece com o Windows) porque leva a abuso da posição dominante. Por isso, o futuro deverá ser o desenvolvimento de software proprietário em cima de um sistema cujos componentes base são, na maioria, open-source: o Linux.

    Qualquer licença de software proprietário é um possivél abuso seja aplicada a software para sistemas proprietários seja para sistemas Software Livre, alias são as aplicações que fazem a maior parte do lock-in e não o sistema operativo.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:2, Informativo)
    por henrique em 19-03-04 11:32 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    Falso. Não só não é verdade, como a unica distinção entre Software Livre e proprietário é uma licença de software não aspectos tecnicos. Há bom Software Livre e bom software proprietário, só que os termos das licenças de software propriteários são de facto bastante pergisos.

    Como mostrei aqui à custa de uns exemplos, o software proprietário é geralmente melhor do ponto de vista técnico. Quanto às licenças, há as perigosas e há as inócuas.

    2. O software proprietário tem, quase sempre, muito melhor documentação.
    Porquê está escrito na licença que tem de ser assim?

    Decorre do modelo de desenvolvimento. Em particular, dos objectivos empresariais por detrás da sua produção. Grupos sem fins lucrativos espontaneamente organizados não têm, a maior parte das vezes, quaisquer obrigações para com o cliente. E a documentação do software proprietário é incomensuravelmente superior à do software livre.

    Usando Debian Unstable não tenho qualquer problema a instalar qualquer software, ao contrário do que acontece aos meus colegas que usam sofftware proprietário.

    Os utilizadores querem um GUI. Qualquer solução que não envolva GUI é rejeitada liminarmente pelo utilizador comum. O utilizador quer ir à loja comprar o hardware que saiu ontem, ligá-lo, meter o CD dos drivers, e em 5 minutos ter o hardware a funcionar. Isto simplesmente não é possível em Linux.

    Em defenitivo não é essa a minha experiência, mas junta ainda o facto de a detecção e correcção dos bugs ser geralmente muito mais rapida em Software Livre do que em software proprietário.

    É mais rápida, sem dúvida. Mas também é mais rápido o seu lançamento antes de terem sido realizados os testes necessários. Por isso é que estão sempre a sair novas versões de software livre.

    5. O software proprietário é responsável pela quase totalidade da inovação que se faz em software.
    Não acho que seja verdade, principalmente se fizeres uma comparação em percentagem.

    Napster, Postscript, PDF, Flash, VMware, Winamp, Real Audio, MP3, ICQ, Visio, "offices", Java, etc. etc. Todas inovações de peso que nasceram num ambiente proprietário.

    Re:ANSOP (Pontos:2, Informativo)
    por Cyclops em 19-03-04 13:13 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    E a documentação do software proprietário é incomensuravelmente superior à do software livre.
    Só se te referes a livros empacotados ou a ganhar pó nas livrarias. Aí sim, concordo. Felizmente existe a Internet...

    Usando Debian Unstable não tenho qualquer problema a instalar qualquer software, ao contrário do que acontece aos meus colegas que usam sofftware proprietário.
    Os utilizadores querem um GUI. Qualquer solução que não envolva GUI é rejeitada liminarmente pelo utilizador comum. O utilizador quer ir à loja comprar o hardware que saiu ontem, ligá-lo, meter o CD dos drivers, e em 5 minutos ter o hardware a funcionar. Isto simplesmente não é possível em Linux.
    O Synaptic é o quê, um substituto para as sinapses nos neurónios? Não, é uma GUI para o apt-get... wo-hoo... afinal não falta uma GUI para os utilizadores... e nem precisam ir à loja!

    Quanto a drivers, para a larga maioria do hardware nem precisam ir a loja nenhuma. Mas algum hardware específico que não colabora com a comunidade (tipo nVidia, ATI -- já foi melhor -- e outras) não é bem suportado, mas o problema não é falta de drivers... é por falta de apoio a quem poderia fazer os drivers. Se para na inexistência de drivers sem questionares porquê, então és demasiado superficial na análise de um problema.

    É mais rápida, sem dúvida. Mas também é mais rápido o seu lançamento antes de terem sido realizados os testes necessários. Por isso é que estão sempre a sair novas versões de software livre.
    Por isso é que normalmente as distribuições de GNU/Linux não alteram a versão do software mas sim a release do pacote. Apenas acrescentam o patch que tapa o bug, testa a eficácia do patch e publica nos repositórios oficiais (e pouco depois está nos mirrors).

    Um utilizador lerdo à partida raramente se alguma vez na vida irá instalar outra coisa que não o que vem nos CDs ou através do software de gestão de pacotes disponível na sua distribuição, por isso é incomparável.

    O problema é que as pessoas em vez de procurarem um PDF Viewer procuram o Acrobat Reader, depois queixam-se que não podem ver PDFs... às vezes a falta de perspicácia de alguns utilizadores abisma-me.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 19-03-04 14:15 GMT (#26)
    (Utilizador Info)

    Como mostrei aqui à custa de uns exemplos, o software proprietário é geralmente melhor do ponto de vista técnico. Quanto às licenças, há as perigosas e há as inócuas.

    Demonstraste nada.

    Não há licenças de software proprietário inoquas.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 19-03-04 14:29 GMT (#30)
    (Utilizador Info)

    Decorre do modelo de desenvolvimento. Em particular, dos objectivos empresariais por detrás da sua produção. Grupos sem fins lucrativos espontaneamente organizados não têm, a maior parte das vezes, quaisquer obrigações para com o cliente. E a documentação do software proprietário é incomensuravelmente superior à do software livre.

    Software Livre é um modelo de licenciamento e não um modelo de desenvolvimento. Há empresas na àrea do Software Livre com objectivos, não há so grupos espontaneamente organizados e sem fins lucrativos, mas mesmo a propósito destes, deixa-me só dar uns exemplos como a FSF, a Apache Foundation, Gnome Foundation, Mozilla Foundation, Internet Systems Consortium, que são grupos não espontaneos sem fins lucrativos que desenvolvem Software Livre, também há empresas, são tão sobejamente conhecidas que nem vale a pena mencionar. Já agora e para que dês um pouco mais de uso ao teu cerebro, um grupo como entidade, pode não ter objectivos lucrativos, mas isso não invalida que os seus constituintes tenham objectivos lucrativos.

    Os utilizadores querem um GUI. Qualquer solução que não envolva GUI é rejeitada liminarmente pelo utilizador comum. O utilizador quer ir à loja comprar o hardware que saiu ontem, ligá-lo, meter o CD dos drivers, e em 5 minutos ter o hardware a funcionar. Isto simplesmente não é possível em Linux.

    É possivel e ou és ignorante ou és mentiroso. No meu Debian Unstable, não realizo qualquer tarefa que não seja no GUI, a não ser quando me aptece e mesmo assim tenho ferramentas para fazer tudo no GUI. Todo o meu hardware foi detectado e suportado sem problemas e automáticamente.

    É mais rápida, sem dúvida. Mas também é mais rápido o seu lançamento antes de terem sido realizados os testes necessários. Por isso é que estão sempre a sair novas versões de software livre.

    Em alguns casos talvês o seja, mas na maioria não é assim, na maioria é por ter uma equipa de desenvolvimento mais vasta e que não tem de obedecer a calendários comerciais.

    Inovação não depende do modelo de licenciamento. Mas o Software Livre ao permitir a modificação por qualquer um está mais exposto à inovação. Desde quando é que o winamp é inovador?
    Á medida que forem mudando mais programadores para o mundo do Software Livre a tendencia para a inovação tem tendencia a aumentar, mas de qualquer forma pedi percentagens e não exemplos.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:3, Informativo)
    por higuita em 19-03-04 16:19 GMT (#49)
    (Utilizador Info)
    Napster, Postscript, PDF, Flash, VMware, Winamp, Real Audio, MP3, ICQ, Visio, "offices", Java, etc. etc. Todas inovações de peso que nasceram num ambiente proprietário.

    rebatendo ponto a ponto:
    irc (com o dcc) e bittorrent, tex, formatos xml do openoffice,SVG ,wine e boch, sound servers (esd, artsd, e outros), divx ,ogg , jabber,xfig , emacs, perl e python, etc, etc

    alguns foram criados por multiplas entidades, nomeadamente que produzem software proprietario, mas ao partilharem a informacao estou a produzir formatos livres
    tens coisas tao antigas que eram livres (por filosofia da epoca) que nao terias metade das coisas que tens hoje sem elas... coisas como o unix propriamente dito, antes de ficar fechado e ter servido de ideal para o GNU), X11, entre outros

    basicamente a licenca nada tem a ver com a inovacao, a inovacam e' de quem se lembra 1º de fazer algo e nao se os outros podem ou nao ver essa coisa

    dado que o software proprietario e' mais antigo, tem a tendencia para ter mais inovacoes, ja' que o software livre em muita coisa acaba por ainda estar a fazer o jogo do apanha
    outra pormenor e' que varias coisas comecam como software livre e dado o sucesso que teem sao transformados em software proprietario, de forma a dar mais lucro

    mais uma vez, as licencas nada teem a ver com a maioria das qualidades (ou falta delas) apontadas, isso depende muito mais de quem esta' a frente do programa/projecto, dos recursos humanos disponiveis (e o tempo disponivel destes) e do codigo base usado

    Higuita
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 19-03-04 16:43 GMT (#52)
    (Utilizador Info)
    Olha ele!

    Concordo plenamente: as ideias não têm nada a ver com a licença! E isso é para os dois lados: nem o OS é inerentemente mais inovador, nem o contrário. Isso depende das pessoas, não de ONDE elas o fazem.
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:38 GMT (#62)
    (Utilizador Info)
    OSS sff, OS é o sistema operativo.
    só para evitar confusões...
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 20-03-04 16:26 GMT (#83)
    (Utilizador Info)
    :) É justo!
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por joaorf em 19-03-04 23:06 GMT (#72)
    (Utilizador Info)
    É mais rápida, sem dúvida. Mas também é mais rápido o seu lançamento antes de terem sido realizados os testes necessários. Por isso é que estão sempre a sair novas versões de software livre.

    Não é por isso. Nos bons projectos de software livre há muito cuidado no anúncio de versões stable (a Debian até ainda traz o kernel 2.2 na sua versão stable!). O que leva a que o software livre tenha uma frequência de lançamentos maior é a própria natureza do desenvolvimento. Nos projectos comerciais, quando uma versão é terminada, é frequente os programadores serem assignados a outros projectos. O programador não sente o software como obra sua, ele meramente foi um executor. A obra é da empresa. No software livre os programadores sentem um vínculo emocional muito maior com o produto e, como há um contacto muito mais próximo com o utilizador final e como a gestão de projecto é tipicamente uma autogestão :-) o programador sente-se na obrigação de introduzir melhorias frequentes.

    Re:ANSOP (Pontos:1, Esclarecedor)
    por henrique em 19-03-04 11:12 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Gostava de saber o que passou pela cabeça de quem classificou a minha mensagem de "lança-chamas"... Há gente que ainda não compreendeu o que significa moderar.
    Re:ANSOP (Pontos:1, Esclarecedor)
    por ^magico^ em 19-03-04 11:38 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Por acaso também não percebi! Até colocaste questões bem interessantes... mas não te preocupes que também já tive posts meus moderados erroneamente.

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:39 GMT (#63)
    (Utilizador Info)
    isto é quase aleatório...
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:3, Despropositado)
    por Cyclops em 19-03-04 11:21 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Só declarações atiradas para o ar sem qualquer fundamento.

    O Software Livre é melhor porque:
    1) tens a liberdade de o executar para quaisquer fins;
    2) tens a liberdade de o estudar e adaptar conforme as necessidades;
    3) tens a liberdade de distribuir cópias
    4) tens a liberdade de publicar versões melhoradas beneficiando a comunidade

    É por isto que o Software Livre é _sempre_ melhor que o software não-livre.

    Após nivelar a escolha de software ao que respeita estas quatro liberdades (fundamentais na minha opinião de muitos outros), tens uma gama enormíssima de software à escolha. Se não me engano Debian GNU/Linux tem mais de 10000 programas apenas contando com a sua própria base de dados de software.

    Deve chegar para fazer comparações técnicas entre software, certo? Assim de repente vem-me logo à cabeça Sendmail vs Postfix.

    Deixa-me agora explicar-te porque é que o software proprietário em GNU/Linux é tão mau e desaconselhável indicar:
    a) por norma não te autoriza nenhuma daquelas 4 liberdades (mas a que mais frequentemente autoriza é apenas e únicamente a primeira -- para já... porque cada vez mais software não-livre acrescenta restrições ao uso... exemplo típico, o Microsoft FrontPage) -> liberdade 1 em risco

    b) como não tens autorização para o estudar e adaptar às tuas necessidades, quando fizeres um upgrade à glibc (por exemplo a instalar uma nova versão da tua distribuição) o mais provável é que o programa não-livre nem sequer funcione. -> liberdade 2 muito raramente autorizada, ficas completamente dependente do suporte que essa companhia te quiser dar.

    c) como não autorização para distribuir cópias aos teus amigos, é dificultada a maneira de os ajudar. -> a inexistência generalizada da liberdade 3 significa que, por exemplo, as distribuições de GNU/Linux não podem sequer distribuir esse software

    d) como não tens autorização para publicar versões melhoradas, não podes alterar os binários para que funcionem melhor para outras pessoas.

    Achas que é bom atirar as pessoas para as feras? Achas? A sério? Que interesse tens nisso?

    A quem interessa a promoção do Software Livre não interessa a promoção deste ou aquele específico software, mas que as pessoas todas tenham 4 liberdades que lhes são fundamentais no contexto do software.

    Como a sociedade é cada vez mais dependente de software, este contexto é cada vez mais extremamente importante:

    a) aceitarias canetas que não pudesses utilizar para escrever uma carta de censura ao governo? Antes do 25 de Abril se o fizesses ainda eras torturado pela PIDE. Certamente que não o aceitarias hoje. Então porque aceitas isso no software? Se não aceitas, então deves defender a liberdade 1.

    b) aceitarias que não pudesses aprender uma matéria porque alguém acha (completamente arbitráriamente) que tu não tens nada com isso e deverias mas é continuar a ser trolha? Certamente que não aceitarias uma coisa dessas, portanto deverias defender também a liberdade 2.

    c) se no meio da montanha após algumas horas de passeio com um amigo se apercebessem que só tinhas tu trazido água, e o teu amigo está completamente morto de sede. Aceitarias que alguém te proibisse de lhe dar alguma da tua água? Certamente que não, porque a partilha é uma coisa boa, faz parte das bases da nossa educação e é essencial à sobrevivência humana. Então deverias defender também a liberdade de distribuir cópias!

    d) se descobrisses um caminho melhor para ir da terra X à terra Y, que poupava tempo, gasolina e desgaste no carro, aceitarias que te proibissem de o comunicar aos teus amigos? Certamente que não, é absurdo. Então deverias defender também a liberdade de publicar versões melhoradas.


    Se respondes não a alguma destas situações, meu caro, não há nada a fazer, tens muito pouco respeito pelos teus companheiros humanos.
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 19-03-04 13:54 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    a) Que eu saiba, o Word não te impede de escrever uma carta a reclamar da Microsoft... Nem o VS de programares uma worm dirigida à MS. Logo, a tua comparação não tem ponta por onde se lhe pegue.

    b) Tu podes aprender a matéria que quiseres: agora se quem desenvolveu essa matéria acha que não tem obrigação de te fazer a papinha toda, estão no direito deles! Reverse engineering é legal à muito tempo!

    c) Pois, só que a sede mata e as cópias não. Não conheço nenhum caso de alguém que morreu por não ter acesso a um software! Além disso a água não é licenciada... logo, a comparação não é realista.

    d) Portagens? Não sei se sabes, mas um dos motivos porque elas existem é esse mesmo! Inclusivé podem restringir quem as usa! (Tenta ir de carro de bois numa autoestrada... ou a pé!)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 19-03-04 15:12 GMT (#37)
    (Utilizador Info)
    Que eu saiba, o Word não te impede de escrever uma carta a reclamar da Microsoft
    Mas o Front Page sim. Para muita gente, fazer páginas na Web == Front Page

    Reverse engineering é legal à muito tempo!
    Quê? Alteraram a Lei Portuguesa? É que cá não!

    logo, a comparação não é realista.
    É difícil fazer comparações com algo equivalente a uma mítica cornucópia de comida. Há replicação constante a custo semi-zero e sem deterioração do digital.

    Portagens?
    Eu falei de portagens?? Tou?
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 19-03-04 16:19 GMT (#48)
    (Utilizador Info)
    O Frontpage impede-te de escrever uma página? AHAHAHAHAHAHAH Manda um mail à MS, ESSE é o bug do século!!!

    A Lei Portuguesa PERMITE reverse engineering e sempre permitiu. O que não permite é infrigir patentes ou copyright.

    Ok, então arranja outra comparação.

    Errr deixa cá ver: estradas rápidas, permissão para as usar... a mim soa-me a autoestradas!
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 19-03-04 18:31 GMT (#54)
    (Utilizador Info)
    O Frontpage impede-te de escrever uma página? AHAHAHAHAHAHAH Manda um mail à MS, ESSE é o bug do século!!!
    Lê a licença. Lembra-te que se não concordas com algum ponto da licença e carregas no aceitar para usar a aplicação, então falsificaste o acordo. Está escrito na licença do Front Page.

    A Lei Portuguesa PERMITE reverse engineering e sempre permitiu.
    Mentira. Não permite. Se queres discordar mostra o artigo e lei, sff.

    O que não permite é infrigir patentes ou copyright.
    Isso nenhum país que tenha assinado e comprido diversos tratados ao nível da OMPI.

    Errr deixa cá ver: estradas rápidas, permissão para as usar... a mim soa-me a autoestradas!
    Não serve a estrada nacional cheia de trânsito e a municipal com menos curvas e menos trânsito?

    Não chega as instrucções que vêm num guia turístico, e recomendas outro caminho ligeiramente diferente mas mais bonito ou mais rápido?

    Porque te limitas a auto-estradas? (até porque nem sei pq vieram ao barulho).

    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 19-03-04 18:32 GMT (#55)
    (Utilizador Info)
    Perdão pelo bold que ficou mal fechado e não me apercebi.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 19-03-04 18:41 GMT (#57)
    (Utilizador Info)
    O Frontpage impede-te de escrever uma página? AHAHAHAHAHAHAH Manda um mail à MS, ESSE é o bug do século!!!
    Lê a licença. Lembra-te que se não concordas com algum ponto da licença e carregas no aceitar para usar a aplicação, então falsificaste o acordo. Está escrito na licença do Front Page que não podes criar páginas que digam mal da Microsoft e empresas associadas, ou algo parecido (não me lembro de cor dos termos exactos).

    A Lei Portuguesa PERMITE reverse engineering e sempre permitiu.
    Mentira. Não permite. Se queres discordar mostra o artigo e lei, sff.

    O que não permite é infrigir patentes ou copyright.
    Isso nenhum país que tenha assinado e comprido diversos tratados ao nível da OMPI.

    Errr deixa cá ver: estradas rápidas, permissão para as usar... a mim soa-me a autoestradas!
    Não é mais rápida do que uma estrada nacional esburacada e cheia de trânsito uma estrada municipal com menos curvas, piso menos estragado e com menos trânsito?

    Não chega as instrucções que vêm num guia turístico, e recomendas outro caminho ligeiramente diferente mas mais bonito ou mais rápido?

    Porque te limitas a auto-estradas? (até porque nem sei pq vieram ao barulho).
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 19-03-04 18:42 GMT (#58)
    (Utilizador Info)
    E nem sequer falei em permissão para utilizar...
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 19-03-04 19:32 GMT (#59)
    (Utilizador Info)
    Para alguém que é tão fanático pelo OS e não conheces alternativas ao FrontPage estamos mal! Olha, "copy con index.html", para o mais básico dos básicos em Windows! Ou queres uma lista de software que "também dá"? Com todas as licenças que imaginares!!! Não é por nada, mas foste escolher um dos piores exemplos possíveis. É preciso ter pontaria!!!

    Mentira? Então diz-me aonde proíbe. Sim, porque a lei funciona para criar excepções à livre iniciativa do indíviduo e não ao contrário! Mas como eu sou boa pessoa, fiz uma pesquisasinha e aqui tens a parte relevante da directiva comunitária, de 1991 (Directiva 91/250/CEE do Conselho, de 14 de Maio de 1991), que já foi mais que transposta para a legislação portuguesa:

    Artigo 5° Excepções aos actos sujeitos a autorização
    ...
    (autorização por parte do detentor dos direitos)

    3. Quem tiver direito a utilizar uma cópia de um programa pode, sem necessidade de autorização do titular do direito, observar, estudar ou testar o funcionamento do programa a fim de apurar as ideias e princípios subjacentes a qualquer elemento do programa quando efectuar operações de carregamento, de visualização, de execução, de transmissão ou de armazenamento, em execução do seu contrato.

    No artigo 6o vai mais longe: podes "descompilar" o programa de forma a implementar interoperabilidade... o que não podes é usar engenharia inversa para criares uma cópia do programa que use propriedade intelectual do mesmo.

    -
    Não é mais rápida do que uma estrada nacional esburacada e cheia de trânsito uma estrada municipal com menos curvas, piso menos estragado e com menos trânsito?
    -

    É, e é por isso que pagas portagens. Tás-me a dar razão, é?
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:50 GMT (#64)
    (Utilizador Info)
    não tem lógica, o governo tem obrigação de permitir a comunicação e o negócio, tendo assim que fornecer boas estradas.
    a questão, e não sendo eu um "fanático", é que todo este tempo de software proprietário trouxe um estado de coisas incomportável e que impedem o avanço e o progresso da indústria. também não me parece que as comparações estejam bem feitas, mas tens que pensar nas implicações das 4 liberdades não serem cumpridas, principalmente em software generalista. muito disto podia ser resolvido com standards abertos não ditados por monopólios e não patenteados.
    é que é fácil entrar numa espiral de controlo como a microsoft entrou e toda a gente aceitar a falta de segurança e estabilidade como algo inerente aos computadores, quando tal é falso e só atrasa.
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 20-03-04 16:33 GMT (#84)
    (Utilizador Info)
    Eu não sou tão pessimista quanto tu e se provavelmente mais "liberal" em relação à regulação do mercada: se a comunidade OSS conseguir oferecer melhores produtos, acredito que é uma questão de tempo até as pessoas mudarem para eles. Sou da opinião que uma regulamentação (ou intervenção) estatal só deve ser feita para "corrigir" distorções externas ao mercado (imagina, a PT, que é um monopólio artificial) e não fenómenos internos; estes regulam-se por si!

    O meu ÚNICO ponto de vista no meio disto tudo é que o OSS não é inerentemente melhor que o software proprietário: ambos têm vantagens e desvantagens e, na maior parte dos pontos, até são equivalentes; ter uma posição de que o OSS é panaceia para todas as maleitas, além de ser um posição fanática, acaba por afectar o próprio OSS no fim! As pessoas não "gostam" de fanáticos, especialmente fanáticos de causas desconhecidas, e que as tentam converter, não mostrando que é melhor, mas porque eles é que estão "correctos" e o resto do mundo errado! É preciso paciência e perseverança e não radicalismos.
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 21-03-04 20:01 GMT (#100)
    (Utilizador Info)
    em relação ao liberal, concordo plenamente, está na definição de capitalismo. só não concordo é que funcione automaticamente em todos os casos. o que se passa é que há práticas da indústria que são demasiado normais e se for possível, vai ser um grande esforço para mudar.
    a mais relevante é a possibilidade de formar lobbies para DMCA, EUCD e patentes. se toda a gente patentear o formato dos documentos, à lá microsoft, ou do sistema de ficheiros lá se vai a interoptabilidade e a auto-regulação... claro que isto só é passível em monopólios, mas a verdade é que eles existem e como tal certas coisas não podem ser permitidas.

    quanto ao radicalismo, sim, muito verdade. mas a liberdade é demasiado difícil de explicar, estranhamente. e para muita gente, pcs é windows, é office, a internet é o ícone no desktop...
    se é verdade que as pessoas não devem ter que ter grandes conhecimentos de computadores para o usar, neste momento é uma necessidade. e quem tem mais recursos para o deixar de o fazer, prende os utilizadores nessa plataforma.

    e explicar isto é complicado...

    (desculpa a cena da licença no outro thread, mas parecia-me que o que querias era usar o trabalho dos outros. não sei se é o caso, mas irritei-me demasiado.)
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 20-03-04 9:50 GMT (#76)
    (Utilizador Info)
    Bem me parecia, não está no código do Direito de Autor e dos Direitos Conexos, Art. 189 - Das Utilizações Livres, logo não é uma utilização livre.

    Sabes que as directivas têm de ser transpostas para as leis nacionais, não sabes?

    Toma lá morangos, ó espertinho...
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 20-03-04 12:35 GMT (#78)
    (Utilizador Info)
    Decreto-Lei n.º 252/94, de 20 de Outubro

    Publicado no D.R. n.º 243 (Série I-A), de 20 de Outubro.

    (Não dispensa a consulta da versão integral do documento em formato PDF, disponível no final desta página)

    --------------------------------------------------------------------------------

      Presidência do Conselho de Ministros

    O presente diploma transpõe para a ordem jurídica interna a Directiva n.º 91/250/CEE, do Conselho, de 14 de Maio, relativa à protecção jurídica dos programas de computador.

    Sabes, a ignorância é quase sempre voluntária, mas quando ela é militante, até assusta!
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 21-03-04 1:59 GMT (#88)
    (Utilizador Info)
    E Engenharia Reversa que podes praticar se tiveres uma licença de cópia do programa serve de alguma coisa para protocolos?

    E ER que não podes comunicar a terceiros serve para alguma coisa?

    E ER que não podes fazer fora de um conjunto de âmbitos que pouco mais ultrapassa que o académico serve de alguma coisa?

    É mais um claro caso de algo que está lá, mas não está. Tal como na proposta do governo de implementação da EUCD, os detentores dos direitos não podem limitar os actos legítimos, mas dá-se-lhes o poder prático de o fazer. Quem quer ir a tribunal por cada ebook ou por cada dvd?
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 20-03-04 9:54 GMT (#77)
    (Utilizador Info)
    Para alguém que é tão fanático pelo OS e não conheces alternativas ao FrontPage estamos mal!
    O Quê? Quer dizer que ainda não percebeste que:
    a) não falo nem defendo a perspectiva "open source"
    b) falo de Software Livre

    ?

    Será que também não percebes que a maioria das pessoas apenas conhece o que vem no computador e lhes foi ensinado nos cursitos? Que ensinam Microsoft Office, nomeadamente o Front Page?

    Para essas pessoas (não para mim, que na realidade quando edito HTML utilizo um simples editor de texto) não existe mais nada.

    Tu já começavas a usar os neurónios para perceber o que te dizem, não?
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 20-03-04 16:38 GMT (#85)
    (Utilizador Info)
    Ahhhh tu apenas defendes software livre, mesmo que este seja closed source (p. ex., freeware)? Desde que não pagues, é sempre melhor... sim, senhor, excelente perspectiva! Já agora, recusa a receber salário, porque, afinal, de "graça" é que deve ser...

    E qual é o problema de ensinarem FrontPage? Sabias que nos cursos do mesmo ensinam HTML básico (tags e afins) sem Frontpage, antes de entrarem no editor propriamente dito? Que as pessoas não são estúpidas e sabem disso? Que se calhar PREFEREM usar Frontpage ou outro editor HTML WYSIWYG? Concordo que se calhar não conhecem alternativas e ISSO é a obrigação de quem advoga o OSS de divulgar; mas entrar numa posição de "não conhecem, são estúpidas" é o primeiro passo para as pessoas NÃO quererem saber.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 20-03-04 18:37 GMT (#86)
    (Utilizador Info)

    Ahhhh tu apenas defendes software livre, mesmo que este seja closed source (p. ex., freeware)? Desde que não pagues, é sempre melhor... sim, senhor, excelente perspectiva! Já agora, recusa a receber salário, porque, afinal, de "graça" é que deve ser...

    Vai aprender o que é Software Livre pois esse pareçe ser o teu problema. O Software Livre não pode por defenição ser closed source, livre é diferente de gratuito.

    Aqui está uma defenição de Software Livre escrita em português, com isso e com muitas faq's talvês tu entendas...


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 21-03-04 9:11 GMT (#93)
    (Utilizador Info)
    É bom, por norma, ler a thread toda antes de emitir comentários.

    O meu post era um comentário (irónico) a um do Cyclops aonde ele dizia que não falava ou defendia o Open Source mas sim o software livre... ora como os dois estão intimamente interligados, havia uma contradição de ideias e daí o meu post.

    Já agora, software livre como definido pelo Stallman não é livre... software livre é BSD e afins, aonde tens a liberdade de fazer o que quiseres com ele, incluíndo fechá-lo ou fechar trabalho derivativo. A GPL é, por definição, uma licença restritiva, logo não é "livre".
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 21-03-04 11:52 GMT (#95)
    (Utilizador Info)

    Eu li a thread toda. Mas nem éra preciso para comentar os tamanhos disparates que estás para ai a dizer.

    Open Source Sofware e Free Software não são exactamente a mesma coisa (nem tudo o que é Open Source é Software Livre). Daí que muita gente diz como o Cyclops e eu diz que defende o Software Livre e não o Open Source Software. Concordo com o Software Livre, mas não concordo com o Open Source porque é um conceito demasiado abrangente em relação ao tipo de licenciamento, demasiado virado para a sustentação de um modelo de desenvolvimento e o proprio nome leva à varias situações de confusão.

    A defenição de Software Livre da Free Software Foundation é uma defenição de Software Livre que inclui não só as licenças com copyleft, como as do estilo BSD, por tanto estás a contradizer-te.
    Para haver liberdade tem de haver responsabilidade e tem que haver mecânismos de garantia da liberdade, as licenças com copyleft são licenças que garantem a liberdade, o respeito a responsabilidade, não vão contra o conceito de direito de autor, mas isso não quer dizer que não seja Software Livre, é livre porque tem as 4 liberdades e porque garante a liberdade e respeita os autores e é responsável, tem um bom equilibrio. Tal como a GPL a BSD também é uma licença de Software Livre só que diferente, os autores que publicam sobre essa licença não se importam que a liberdade seja retirada aos outros nem de ver o seu trabalho utilizado de formas menos eticas e morais.

    A GPL não é um licença restritiva é uma licença responsável, a liberdade na sociedade é um equilibrio entre os interesses de vário individuos e é isso que a GPL faz bastante bem, embora hajam sempre espaços para melhoramentos, à medida que o ambiente muda e à medidade que se vai verificando o que funciona melhor e o que funciona pior, é por isso que se trabalha na criação de futuras versões da GPL.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 21-03-04 13:07 GMT (#99)
    (Utilizador Info)
    Já agora, software livre como definido pelo Stallman não é livre...,
    Acho que não tens nada que te qualifique como mais capaz para definir o que é o Software Livre, dado que a definição de Software Livre da FSF (que é a aceite pela comunidade) nada tem a ver com a GNU GPL em particular.

    software livre é BSD e afins, aonde tens a liberdade de fazer o que quiseres com ele, incluíndo fechá-lo ou fechar trabalho derivativo. A GPL é, por definição, uma licença restritiva, logo não é "livre".
    A GNU GPL restringe-te impedindo-te de remover a liberdade a qualquer utilizador. O que se depreende do teu discurso é que não só o teu interesse é ter poder sobre os outros, como também que gostas de exercer o teu poder sobre os outros.

    A GNU GPL acrescenta esta simples restricção para que o software licenciado dessa forma nunca deixe de ser Livre.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 21-03-04 2:10 GMT (#89)
    (Utilizador Info)
    Ahhhh tu apenas defendes software livre, mesmo que este seja closed source (p. ex., freeware)?
    O robot cfduarte evidentemente esqueceu-se de um memset(brain,0,size_t(amoeba)) e o apontador foi dar para locais absurdos. core dumped

    É uma pré-condição do Software Livre ter livre acesso ao programa na forma preferível para edição do mesmo da parte de programadores: código fonte.

    EU falo de Software Livre, que é algo que atesta a liberdades para os utilizadores sejam eles programadores ou não, e não de algo que se foca num modelo de desenvolvimento de código alegadamente melhor (a teoria do opensource).

    E qual é o problema de ensinarem FrontPage?
    Porque o Frontpage inclui restrições ao âmbito do uso (não podes fazer páginas que digam mal da Microsoft, por exemplo) e não auxilia a criação de HTML standard e acessível a pessoas com dificuldades (visuais, motoras, etc...).

    mas entrar numa posição de "não conhecem, são estúpidas" é o primeiro passo para as pessoas NÃO quererem saber.
    Só te falta admitir que também sofres do "NÃO querer saber".
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 21-03-04 2:13 GMT (#91)
    (Utilizador Info)
    erms... s[size_t[size[
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por cfduarte em 21-03-04 9:31 GMT (#94)
    (Utilizador Info)
    E continuam os ataques "ad hominem"... Quando tens dificuldade de sair de uma enrascada em que te meteste, talvez por precipitação na escrita, resolves "atacar" as outras pessoas; isso é má ideia, apenas revela desespero. Portanto, mantém isto a um nível civilizado e não faças passar de ti uma imagem diminuída.

    A "teoria do opensource" é a teoria do software livre: são as mesmas! Podem, eventualmente, existir "open sources" que não são livres (se considerares, por exemplo, o shared source da MS), mas isso já começa a meter muita semântica ao barulho e é melhor deixar bem sossegado!

    Em relação à EULA, fui ler a mesma (e "descobri" que, surpresas das surpresas, que a palhaçada começou, para variar, no /.) e não diz nada disso: o que diz é que não podes usar Web Components (que são extensões proprietárias da MS para ver na WWW ficheiros de Excel, aceder a partes específicas do MSNBC, etc) para atacar a MS. Não tem absolutamente nada a ver com HTML ou páginas!!! Em relação ao auxiliar à criação de HTML para pessoas com dificuldades, se fosse a ti ia ver o site do Frontpage...

    Em relação ao isso do não querer saber, podes ter a certeza que não se aplica à minha pessoa. Já ando há mais que tempo nisto... agora digo-te: cada vez que pessoas como tu aparecem, em diversos sítios, a destilar ódios e disparar insultos a torto e a direito, é mais uma oportunidade perdida para a comunidade do OSS mostrar que o seu software vale pelo que vale e não por qualquer ideologia ou religiosismo bacoco.

    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 21-03-04 12:15 GMT (#96)
    (Utilizador Info)

    A teoria do Open Source não é a mesma do Software Livre. O Software Livre baseia-se nas vantagens da liberdade e nas vantagens que a liberdade despoleta. Já o Open Source baseia-se em não falar de liberdade, mas sim nas vantagens do desenvolvimento em que o codigo é aberto e por isso permite a existência de licenças restritivas, que não poderiam nunca ser consideradas como Software Livre mas que são consideradas Open Source.

    A Shared Source da m$ não pode ser qualificada como Software Livre nem como, Open Source Software, no entanto podes dizer que é open source (atenção à capitalização), porque se pode ver o codigo, mas as semelhanças com o Software Livre e com o Open Source Software terminam ai e mesmo assim a semelhança nem chega a ser uma igualdade parcial, porque nem te é mostrado todo o codigo para todas as aplicações (por não ser propriedade da m$ e por motivos de segurança).
    Caso não tenhas reparado vives num mundo de diferenças em que a diferença mais subtil pode não ter importância para ti, mas isso não quér dizer que para os outros não tenha. Não cometas a arrogancia de pensár que todos pensam como tu e que todos damos a mesma importância às coisas a que tu das.

    Não cabe a uma EULA fazer restrições sobre a utilização de software por essa utilização ser ilegal (um ataque informático é ilegal), isto apenas serve para introduzir confusão na licença de forma a que um advogado abilidoso defina ataque de uma forma diferente da que estás a entender e utilize para fazer por exemplo uma restrição semelhante à que o cyclops disse.

    Isto não é religiosismo.
    O teu problema é que ainda não percebeste que as ideologias surgem a partir de experiências reais, são soluções para problemas que afectam a sociedade e não são dogmas religiosos. Também já vi que o teu problema é que não consegues entender que algumas pessoas dão mais importância à capacidade de manter a sua independencia e por isso a sua abilidade de continuar a fazer as coisas nos seus termos, do que em fazer as coisas de uma maneira facil e rapida por não quererem correr riscos (devagar se vai ao longe). Aplicando algo que talvês entendas melhor, as ideologias resultam de um ponderação custo/beneficio.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 21-03-04 12:46 GMT (#97)
    (Utilizador Info)
    Portanto, mantém isto a um nível civilizado e não faças passar de ti uma imagem diminuída.
    Há várias maneiras de mostrar uma imagem diminuída, uma delas são as constantes baboseiras e infantilidades que escreves.
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 21-03-04 20:15 GMT (#101)
    (Utilizador Info)
    independentemente disso, ele tem muitíssima razão. eu próprio me enervei demais. se achas que não vale a pena, não fales.
    já foi discutido vezes sem conta que isto prejudica o movimento. por favor, reconsidera.
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 21-03-04 13:02 GMT (#98)
    (Utilizador Info)
    A "teoria do opensource" é a teoria do software livre: são as mesmas!
    Não. A teoria do Software Livre é liberdade para todos, enquanto que a do Open Source é a de um modelo de desenvolvimento melhor.

    Isto é uma diferença muito pouco detalhada, podes ler mais em Nós falamos de Software Livre, por exemplo.

    Podem, eventualmente, existir "open sources" que não são livres (se considerares, por exemplo, o shared source da MS), mas isso já começa a meter muita semântica ao barulho e é melhor deixar bem sossegado!
    Pelo contrário, há que não deixar sossegado, especialmente com mais uma MENTIRA desse género. Não é nada semelhante a open source, software livre ou seja o que for. Não passa de um Non-Disclosusure-Agreement onde tens acesso a _algum_ código, e é bom que a tua companhia ou tu nunca tentem participar em algum software concorrente sob pena de serem processados até ao fim da vida

    Em relação à EULA, fui ler a mesma (e "descobri" que, surpresas das surpresas, que a palhaçada começou, para variar, no /.) e não diz nada disso: o que diz é que não podes usar Web Components (que são extensões proprietárias da MS para ver na WWW ficheiros de Excel, aceder a partes específicas do MSNBC, etc) para atacar a MS. Não tem absolutamente nada a ver com HTML ou páginas!!!
    Para além de em tudo ter a ver com páginas www (embora talvez não standard), são resrições aos fins da execução do programa. Certo ou errado? Porque tentas desviar a conversa para pequenos pormenores em vez de te focares no importante?

    Em relação ao isso do não querer saber, podes ter a certeza que não se aplica à minha pessoa.
    A avaliar pelas asneiras repetidas que insistes em dizer, apesar de tentarem esclarecer...

    Já ando há mais que tempo nisto...
    Só te falta dizer e o meu papá também.

    agora digo-te: cada vez que pessoas como tu aparecem, em diversos sítios, a destilar ódios e disparar insultos a torto e a direito
    Tu forças-te-me a baixar de nível. É impossível aturar quem quer enganar os outros (porque dificilmente acredito numa estupidez tão grande).

    é mais uma oportunidade perdida para a comunidade do OSS mostrar que o seu software vale pelo que vale e não por qualquer ideologia ou religiosismo bacoco.
    Eu não falo pela comunidade do OSS. Essa é precisamente a ideologia do OSS: o software vale pelo que vale. Eu falo de Software Livre, foco-me em que todos tenhamos a oportunidade de correr o software para qualquer fim, estudar e adaptá-lo, distribuir cópias, melhoradas ou não. Estas 4 liberdades levam frequentemente às vantagens técnicas que o OSS assume como sendo o motivo pelo qual é bom, mas que sinceramente, quando a luta fica ao nível técnico, tens sempre excepções, e nada é sempre tecnicamente melhor nalgum aspecto para sempre.
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 21-03-04 2:10 GMT (#90)
    (Utilizador Info)
    Ahhhh tu apenas defendes software livre, mesmo que este seja closed source (p. ex., freeware)?
    O robot cfduarte evidentemente esqueceu-se de um memset(brain,0,size_t(amoeba)) e o apontador foi dar para locais absurdos. core dumped

    É uma pré-condição do Software Livre ter livre acesso ao programa na forma preferível para edição do mesmo da parte de programadores: código fonte.

    EU falo de Software Livre, que é algo que atesta a liberdades para os utilizadores sejam eles programadores ou não, e não de algo que se foca num modelo de desenvolvimento de código alegadamente melhor (a teoria do opensource).

    E qual é o problema de ensinarem FrontPage?
    Porque o Frontpage inclui restrições ao âmbito do uso (não podes fazer páginas que digam mal da Microsoft, por exemplo, o que implica de imediato que não seja Software Livre dado que viola a primeira liberdade, correr o programa para qualquer fim) e não auxilia a criação de HTML standard e acessível a pessoas com dificuldades (visuais, motoras, etc...).

    mas entrar numa posição de "não conhecem, são estúpidas" é o primeiro passo para as pessoas NÃO quererem saber.
    Só te falta admitir que também sofres do "NÃO querer saber".
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Cyclops em 19-03-04 11:26 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Outras vezes, o software proprietário para Linux é mencionado, mas quase sempre com desprezo, como de algo malígno se tratasse.
    E é verdade! Sendo o software tão essencial à sociedade é verdadeiramente maligno que não sejam generalizadas quatro liberdades fundamentais a todos os membros da sociedade sem excepções: as liberdades do Software Livre.

    Ninguém afirma que em _todos_ os casos haja intenção de fazer mal. Essencialmente é uma má escolha de negócio, ie, trás rapidamente muito dinheiro, mas é má para a sociedade. Acarreta muitos malefícios.

    Há muito poucas empresas que, hoje em dia penso que é intencionalmente que o fazem, actuam com maldade. A desculpa de que há que satisfazer os accionistas não serve. Provavelmente também satisfazes a tua família se apareceres com milhões de Euros em casa. Mas e se para teres esses milhões de Euros tiveste de assaltar uns bancos? Achas isso bom?
    Re:ANSOP (Pontos:3, Esclarecedor)
    por quantic_oscillation em 19-03-04 13:30 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://fs-oss.cjb.net
    O software proprietário é, em média, melhor do ponto de vista técnico.

    algumas pessoas não concordam contigo....

    Defect assessment study demonstrates superiority of Linux TCP/IP stack

    Estudo revela que modelo open source produz código de melhor qualidade

    In the Executive Summary, the paper explains open source, describes its significance, compares open source to traditional commercial off-the-shelf (COTS) products, presents the military business case, shows the applicability of Linux to the military business case, analyzes the use of Linux, discusses anomalies, and provides considerations for military Program Managers.

    e ainda o imprescindivel... Why Open Source Software / Free Software (OSS/FS)? Look at the Numbers!
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por mrmv em 21-03-04 8:26 GMT (#92)
    (Utilizador Info)
    Acreditas mesmo nisto?
    "The difference between 'involvement' and 'commitment' is like an eggs-and-ham breakfast: the chicken was 'involved' - the pig was 'committed'." - unknown
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por joaorf em 19-03-04 15:24 GMT (#39)
    (Utilizador Info)
    As coisas não são assim tão lineares. Há muito software open-source superior a equivalentes proprietários. O problema é sobretudo de escala. Há poucos projectos open-source de grande dimensão, envolvendo largas dezenas ou centenas de programadores. A maior parte do software open-source é feito por menos do que 3 pessoas, com a ajuda pontual e esporádica de um ou outro contribuinte. Por isso não é justo compará-lo com sucedâneos proprietários que são desenvolvidos por equipas numerosas. Além disso, é feito normalmente nas horas livres, enquanto que o software proprietário ocupa, pelo menos, 8 horas por dia aos seus programadores. Por esta razão, o software open-source tende a centrar mais a sua atenção nas funcionalidades "core", deixando de lado as coisas que os programadores tipicamente acham chatas: a usabilidade e a documentação.

    O que me agrada mais no software open-source é a proximidade que há com os desenvolvedores. Colocamos uma dúvida numa mailing-list e somos capazes de receber uma resposta de um developer, às vezes logo com um patch para resolver o nosso problema. Outras vezes, se ninguém nos ajudar, nós podemos "meter mãos à obra" e resolver o problema por nós mesmos. E isto é muito difícil, senão impossível, de acontecer no software proprietário-comercial.

    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:52 GMT (#65)
    (Utilizador Info)
    este endende... :)

    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:ANSOP (Pontos:1)
    por henrique em 20-03-04 1:59 GMT (#74)
    (Utilizador Info)
    Há muito software open-source superior a equivalentes proprietários.

    Podes especificar?...

    O problema é sobretudo de escala. Há poucos projectos open-source de grande dimensão, envolvendo largas dezenas ou centenas de programadores.

    Isso é assim porque o software open-source revela dificuldades notórias em organizar-se a partir de algumas dezenas de developers.

    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por CrLf em 20-03-04 3:41 GMT (#75)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    É mais cego aquele que não quer ver. Queres uma bengala?

    -- Carlos Rodrigues
    Re:ANSOP (Pontos:2)
    por Init em 20-03-04 12:55 GMT (#80)
    (Utilizador Info)
    Será que estes:
    Mozilla, konqueror, GCC (pode não ser superior a todos mas é superior a muitos), synaptic, gnu make, gnu tar, snort (não conheço melhor, mas talvês haja), mplayer, evolution, GNU PG, airsnort...
    Chegam-te?

    Sim como por exemplo o Linux, o Apache, o Mozilla, o Sendmail... Mais uma vês mete na cabeça que um modelo de licenciamento, não é um modelo de desenvolvimento, não é um modelo de negocios, nem é um modelo de organização.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Humm? (Pontos:2, Redundante)
    por leitao em 19-03-04 10:02 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    Será o Linux o motor para a salvação de uma area económica em declínio, devido a gigantes corruptos, egoistas e demasiado ambiciosos?

    WTF are you going on about ?


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:Humm? (Pontos:2, Interessante)
    por ^magico^ em 19-03-04 11:33 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    heheheh são precisos três posts para participares! Já tava com saudades da tua participação.

    Gigantes corruptos são aqueles que usam/usaram estratégias de mercado impróprias, imorais e quasi ilegais para atingir um nível comercial; que não olhando a meios tentam a todo o custo criar uma dominância de mercado regida por ambições económicas varrendo para debaixo do tapete qualquer intuito de inovação per si.

    Mas pondo de lado esta minha veia filosófica, e voltando à questão em si; a realidade é que a MS quando criou inicialmente o Excel tinha como objectivo preencher lacunas de mercado existentes na altura.

    Se bem que o primeiro windows surgiu como uma necessidade de produzir um interface mais intuito e fácil de usar para essa mesma aplicação, a MS (e bem) generalizou para que várias aplicações podessem usar o mesmo sistema. Na altura a dominância de mercado não era da Microsoft, e ninguem deve tirar o mérito à MS de ter trazido os PCs até aos utilizadores (muito à custa de ter dado permissividade à pirataria).

    O problema real começa à pouco mais de 10 anos. O que não passava de uma singela empresa -- que comprava tecnologia a outras -- com um excelente gestor de expectativas, passou a dominar um mercado oferecendo produtos fáceis de utilizar por qualquer leigo sem conhecimentos de informática. Isto originou um boom de oferta ao nível de mão de obra, o que levou as empresas a optarem por produtos MS visto que eram estes os que tinham mais "técnicos" disponíveis para manter os sistemas. Convém salientar que estamos a falar de uma altura em que o software da MS era *muito* mais barato que o da concorrência e em que o software em si era considerado um *addon* e não uma peça fundamental no sistema -- é fácil de lembrar que o hardware chegava a custar dez vezes mais que o software depois usado.

    Neste momento a situação está bem diferente. Com técnicas de produção mais fiáveis, rápidas e económicas o hardware teve uma descida drástica no seu custo, permitindo comprar sistemas informáticas ao preço da chuva. Por outro lado o software teve um incremento exponencial do preço, muito em parte devido à ganância de muitos gestores -- que pretendem ser multi-milionários antes dos 25 anos -- e não tanto por causa das capacidades técnicas do software. Não ajudando à festa o próprio Windows (sendo o sistema dominador do mercado) teve um aumento do seu preço o que torna cada vez mais dificil a sua aquisição tanto por particulares como por empresas. Se bem que no caso empresarial não é tanto o preço inicial do sistema que conta, mas sim, o custo de actualizações muitas delas impostas pelo fornecedor do sistema.

    O que é interessante na actual situação, é que as empresas optam por reduzir os custos cortando nos *técnicos* em vez de cortar naquilo que realmente custo que é o sistema informático. Não estou com isto a querer dizer, "metam o windows fora e deixem os vossos técnicos a fazer as contas à mão", mas sim que equacionem a mudança para sistemas dos quais eles não estejam dependentes para viver. É aqui que entra o software livre, sendo mais "barato" permite que técnicos com capacidade de aprendizagem o possam usar sem gastar muito dinheiro (sim, porque compram livros, fazem cursos, etc...) desta forma permitindo que estes possam pouco a pouco trabalhando com software livre e impulsionando o seu uso. A grande vantagem do sofwtare livre é que o mesmo fundamenta o seu revenue comercial nos serviços prestados pelas pessoas, o que é fantástico para todos nós técnicos... mas que é de dificil compreensão pelos gestores que vivem à custa do trabalho dos outros.

    Espero que assim se possa voltar ao sistema correcto, de que os sistemas informáticos existem para servir as pessoas e não o contrário.

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Humm? (Pontos:3, Informativo)
    por henrique em 19-03-04 11:46 GMT (#13)
    (Utilizador Info)
    a realidade é que a MS quando criou inicialmente o Excel tinha como objectivo preencher lacunas de mercado existentes na altura.

    Quais lacunas? A primeira versão do Excel surgiu para Macintosh em 1984. Mas a primeira folha de cálculo foi o VisiCalc, que surgiu em 1979. Quatro anos antes do Excel surgiu também o Lotus 123 que dominou o mercado durante a maior parte dos anos 80.
    A única eventual inovação do Excel foi ter adoptado um interface gráfico cujos elementos eram controlados por rato, enquanto as folhas de cálculo que existiam na época eram controladas por teclado.

    Re:Humm? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 19-03-04 12:41 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Quem te moderou para informativo, não deve ter ido até ao Wikipedia.

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Humm? (Pontos:1)
    por henrique em 19-03-04 14:31 GMT (#31)
    (Utilizador Info)
    «Excel offers a large number of user interface tweaks, but its essence is little different from the original spreadsheet, VisiCalc.» (Wikipedia)

    A que mais te referes?...

    Re:Humm? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 19-03-04 14:49 GMT (#32)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Para nos entender-mos vou explicar direitinho o que eu quis dizer com o preencher uma lacuna.
    É um facto que existiam vários produtos do género, mas também era verdade que todos eles (actualmente aos meus olhos) eram arcaicos, e o Excel veio mudar isso.

    Aqui está um resumo sobre a história das folhas de cálculo, donde se pode ler:

    Excel was one of the first spreadsheets to use a graphical interface with pull down menus and a point and click capability using a mouse pointing device. The Excel spreadsheet with a graphical user interface was easier for most people to use than the command line interface of PC-DOS spreadsheet products

    E fico por aqui, é apenas a minha opinião. Haviam outros produtos é um facto, mas um novo produto que introduz coisas novas e importantes, facilitando a vida ao utilizador é merecedor de uma nota favorável.

    Finalmente fica aqui um link para um FAQ bastante completo sobre folhas de cálculo incluindo diversos links para a história dos mesmo.

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Humm? (Pontos:2)
    por joaorf em 19-03-04 15:09 GMT (#34)
    (Utilizador Info)
    Excel was one of the first spreadsheets to use a graphical interface with pull down menus and a point and click capability using a mouse pointing device. The Excel spreadsheet with a graphical user interface was easier for most people to use than the command line interface of PC-DOS spreadsheet products

    Ou seja, é aquilo que eu disse: «A única eventual inovação do Excel foi ter adoptado um interface gráfico cujos elementos eram controlados por rato, enquanto as folhas de cálculo que existiam na época eram controladas por teclado.»

    O Excel foi a primeira folha de cálculo com GUI. Interessante, sem dúvida, mas nada assombroso tendo em conta que todo o software para Mac OS tinha que ter forçosamente GUI. A Microsoft apenas adiantou-se aos concorrentes ao introduzir algo que era inevitável alguém fazer.

    Re:Humm? (Pontos:2)
    por joaorf em 19-03-04 15:11 GMT (#36)
    (Utilizador Info)
    Gralha: (...) aquilo que ele disse (...)
    Re:Humm? (Pontos:1)
    por igod em 19-03-04 13:54 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    O que é que ele disse de tão grave que não deva ser moderado informativo ?
    Pela wikipédia, o Visicalc surgiu em 1979 logo a Excel não teve nada de inovador.
    Re:Humm? (Pontos:3, Esclarecedor)
    por ^magico^ em 19-03-04 14:20 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Do dicionário pode-se ler:

    inovação
    s. f., acto ou efeito de inovar;
            coisa introduzida de novo;
            renovação.


    Interpretem como quiserem, mas para mim "inovar" é diferente de "inventar".

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Humm? (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:53 GMT (#67)
    (Utilizador Info)
    e mais barata e menos produtiva.
    onde é que já vi isto? :)
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:Humm? (Pontos:0, Despropositado)
    por Gimp em 19-03-04 14:15 GMT (#27)
    (Utilizador Info)
    "heheheh são precisos três posts para participares! Já tava com saudades da tua participação."

    Y'a, bué!´Uns quantos WTF e o pessoal fica logo animado. Será que há uma coletânea do calão hip-hop e rap? Isso era mortal!


    "No comments"

    Re:Humm? (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:57 GMT (#69)
    (Utilizador Info)
    WTF?
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:Humm? (Pontos:2)
    por leitao em 19-03-04 21:28 GMT (#71)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    "What the Fuck"


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:Humm? (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 21-03-04 20:22 GMT (#102)
    (Utilizador Info)
    tá, eu deixo de tentar fazer piadas...
    *resmungo*
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:Humm? (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:57 GMT (#68)
    (Utilizador Info)
    dos malandros que abusam de monopólios (várias maneiras, não interessa quais), que impõem DMCA, EUCD, patentes rídiculas e alimentam o sistema.
    além do mais, deixam os clientes sem hipótese de migrar porque são gananciosos e insistem que não podem perder clientes, mesmo que a imagem e a satisfação vá pela montanha abaixo.
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Como disse? (Pontos:1, Lança-chamas)
    por Gimp em 19-03-04 14:11 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    Há umas semanas atrás, o caro ^mágico^ dizia que o software proprietário é que dava as melhores garantias, agora vem dizer que o open-source é que é bom técnicamente. Alguém ficou confuso?


    "No comments"

    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 19-03-04 14:15 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Podes dar o link para o sitio onde eu disse isso?!

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Gimp em 19-03-04 15:11 GMT (#35)
    (Utilizador Info)
    Tás a brincar não? Ou então tens memória curta...


    "No comments"

    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 19-03-04 15:31 GMT (#40)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Sempre disse que o modelo de desenvolvimento distribuido que o opensource permite é uma mais valia tecnológica pois permite evoluir mais, bem como construir sistemas informáticos mais sólidos e robustos.

    Por outro lado, também me lembro de ter dito que o software que tenha por detrás dela uma empresa (habitualmente o software proprietário) dá uma sensação (legal) de credibilidade junto dos clientes, pois se alguma coisa correr mal estes têm alguém quem processar... os clientes têm mais garantias...

    Sinceramente não me lembro de ter dito algo diferente, nem qual é a contradição entre estas duas ideias: uma tecnológica e outra legal/comercial.

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Gimp em 19-03-04 15:40 GMT (#42)
    (Utilizador Info)
    "pois se alguma coisa correr mal estes têm alguém quem processar... os clientes têm mais garantias...

    Vamos esclarecer isto de uma vez por todas: alguém alguma vez processou uma empresa de software pela merda que este era? Alguém alguma vez foi bem sucedido a processar a empresa de software que é avisada de um problema grave e nunca tomou providências para resolvê-lo e só o fez porque alguém o publicitou?


    "No comments"

    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 19-03-04 16:03 GMT (#45)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    O meu comentário #25 deste artigo explica o que eu penso sobre as "garantias" que o software proprietário suportado por uma empresa dá a um cliente.

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Gimp em 19-03-04 16:06 GMT (#47)
    (Utilizador Info)
    Uh? Então aqulea treta do suporte personalizado da Oracle e os outros, etc e tal?


    "No comments"

    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 19-03-04 16:42 GMT (#51)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Definitivamente *nunca* referi a Oracle em qualquer post que tenha feito no Gildot! Penso que estamos esclarecidos :)

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por CrLf em 19-03-04 20:52 GMT (#66)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Aquela treta de suporte bem-pagante?

    -- Carlos Rodrigues
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Cyclops em 19-03-04 18:35 GMT (#56)
    (Utilizador Info)
    Nem pode fazê-lo sem perder direito à Licença, na maioria dos casos. É que a licença com a qual se concordou dita que não são oferecidas garantias. Não concorda? Não instala.

    Uma grande vantagem do Software Livre é que é uma concessão unilateral da parte do autor de 4 liberdades: executar para qq fim, estudar e adaptar, distribuir cópias, e pulbicar versões melhores.
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Gimp em 19-03-04 15:43 GMT (#43)
    (Utilizador Info)
    "Sempre disse que o modelo de desenvolvimento distribuido que o opensource permite é uma mais valia tecnológica pois permite evoluir mais, bem como construir sistemas informáticos mais sólidos e robustos."

    Como é?!!! Então não foi o caro ^magico^ a dizer que o desenvolvimento centralizado na empresa produtora era más fácil de gerir, desenvolver e que apresentava mais estabilidade e garantias?


    "No comments"

    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 19-03-04 15:55 GMT (#44)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Nunca disse isso! E se alguma vez disse algo que te levou a induzir essa ideia, mostra exactamente o sitio onde o disse.

    Pauto-me por admitir os meus erros, e se me mostrares o sitio onde disse isso, com toda a certeza admitirei o meu erro, pois sinceramente acredito que o método de "desenvolvimento distribuido e aberto" permite criar produtos bem mais robustos que o método centralizado e fechado.

    Não vale a pena continuar esta discussão até me mostrares o sitio onde supostamente leste isso que eu disse...

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Gimp em 19-03-04 16:03 GMT (#46)
    (Utilizador Info)
    Tá...


    "No comments"

    Re:Como disse? (Pontos:1)
    por Perky_Goth em 19-03-04 20:59 GMT (#70)
    (Utilizador Info)
    "tá?" se te lembras das palavras googla e depois ris-te dele. não vale o esforço?
    ---
    Trolls, nem respondam porque não vos ouço.
    Que Bush vos abençoe.
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Gimp em 22-03-04 8:41 GMT (#105)
    (Utilizador Info)
    Nem sempre tenho a pachorra para isso. Eu sei o que ele disse e isso basta-me.


    "No comments"

    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por ^magico^ em 22-03-04 11:26 GMT (#106)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Deves ser daqueles que lança cuspo pró ar para ver se cai em algum lado. Só é chato quando te cai em cima de ti! Espero que não tornes a levantar suspeitas sobre mim, porque das duas uma: ou vais até ao fim e se alguém tiver que admitir os factos perante as evidências, fá-lo; ou então calas-te antes de andar para aqui a fazer insinuações. (ponto final parágrafo, time to another thread)

    Este comentário foi publicado ao abrigo de leis internacionais "How to handle a Troll".
    Re:Como disse? (Pontos:2)
    por Gimp em 22-03-04 17:42 GMT (#110)
    (Utilizador Info)
    Insinuo tanto como CrLF...


    "No comments"

    Isto tinha de ser dito! (Pontos:1, Despropositado)
    por 4Gr em 20-03-04 13:39 GMT (#81)
    (Utilizador Info) http://www.fe.up.pt/freefeup
    Ah, magnífica vicissitude de pertencer a um país onde ainda reina a liberdade de expressão, mas cujos traços são tão dilatados que outros se julgam capazes de se impôr, arrogante, presunçosa e barbarizantemente, perante a nossa opinião.

    Felicidade de crêr, ainda que inocentemente, que a exerção desta mesma liberdade, que apenas remonta poucos anos atrás -- séculos ainda depois da escravatura -- feita com preserverança, honestidade e educação me deixaria conquistar amigos e nunca inimigos, que inundasse o espírito dos mais dogmáticos e despertasse os mais cépticos.

    Oh, tamanho erro o meu! Não seja essa mesmo liberdade que os demais têm, que os torna inócuos e facciosos, longe da racionalidade e com um risinho lateral, empragnado de maldade. Mísera inocência a minha, julgar que no seio de uma comunidade como esta as coisas ainda se jogavam pela justa.

    Mas não, não é assim que se passa. E se Deus me deu o direito de falar, a pátria a lei, então que se faça jus e eu fale. Exerca eu o meu direito, ainda correndo o risco de ser, à semelhança de muitos dos meus congéneres, erroneamente moderado, avassaladoramente restrito aos meus pensamentos para me, myself and I. Mesmo sabendo isto, corro aqui o risco.

    Por favor, façam uso da isenção e imparcialidade e percorram todos os posts desta mesmo notícia e revejam a barbaridade de moderações que aqui foram enterradas. Não é que eu me importe de ser moderado negativamente, importo-me sim de deixar de ter a tanta liberdade que me apraz nesta pátria, a Liberdade de Expressão, e de a ver subjugada perante a dos outros, ainda que injustamente.

    Mário Lopes, ansioso por isenção de moderação, e à espera de ter este post moderado negativamente, suspirando por novos ares...

    Dominus vobiscum
    Re:Isto tinha de ser dito! (Pontos:1, Despropositado)
    por fhc em 20-03-04 14:28 GMT (#82)
    (Utilizador Info)

    Meu caro amigo, vives, vivemos até, num país onde todos têm opinião sobre tudo. Isto é, o Zé (pode ser o do PSD) vê os atentados de Madrid e diz: «olha que se fosse eu a mandar isto não acontecia. Pendurava-os todos pelos (escondido de olhares mais infantis) e deixava-os apodrecer ali.» Ou, «o problema para os incêndios é todo o mesmo: deitam-nos (os incendiátios, presume-se) todos cá para fora. Se fosse eu, deixava-os morrer lá.» Lá que existam pessoas cuja formação lhes permite conhecer mais a fundo estes problemas, disso ninguém pode perceber. O que interessa, é que se fosse eu a mandar...

    Porque é que o Gildot seria diferente?

    Francisco Colaço, que se fosse ele a mandar, empalava os que escrevem para o Gildot e resolveria assim o problema das bocas.


    Re:Isto tinha de ser dito! (Pontos:2, Interessante)
    por leitao em 20-03-04 22:57 GMT (#87)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    WTF are you going on about ?!


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]