gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Kiss Technology acusada de violar a licença GPL
Contribuído por AsHeS em 05-01-04 14:30
do departamento mostra lá o codigozinho
Notícias Parece que o ano não começou da melhor maneira para o conhecido fabricante Kiss Technology. Segundo esta notícia, os "developers" do mplayer descobriram que a Kiss utiliza código GPL "roubado" das sources do mplayer, para usarem no firmware dos seus leitores de DVD/MPEG-4. No site do mplayer, é demonstrado como realmente chegaram a essa conclusão. Como a kiss não forneceu o seu código fonte para que pudessem esclarecer a situação, resolveram tornar público esse facto. E coincidência, ou não, dois dias depois surge uma nova queixa. Desta vez, são acusados de "copiarem" o codec audio MPEG, MAD (libmad). O codec é usado por muitos leitores, entre eles o conhecido mpg123. A Kiss, ao que parece, apenas diz que usa as sources do Kernel e busybox. Se forem verdade, estas acusações são graves.

Linux Kernel 2.6.1-RC1 acabou de sair | SixXS IPv6 Tunnel Broker em Portugal  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Kiss Technology
  • notícia
  • conclusão
  • queixa
  • Mais acerca Notícias
  • Também por AsHeS
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Slashdot (Pontos:1)
    por ashes em 05-01-04 14:36 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://joao.joane.org
    Só depois de escrever o artigo é que reparei que saiu tambem no slashdot. Aqui fica o link para a discussão.

    HoDiE MiHi CrAs TiBi

    Pois... (Pontos:3, Informativo)
    por CrLf em 05-01-04 15:02 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Temos assistido a muitas situações destas nos últimos tempos. Muitas empresas acham que lá porque é open source já é permitido apropriarem-se sem dar cavaco a ninguém. Há uns tempos foi a linksys, agora é a KISS e existem muitos routers/APs wireless por aí, de diversos fabricantes, que também usam linux e que não disponibilizam as sources em lado nenhum e nem sequer referem que é linux que está a correr lá dentro (um exemplo é a ASUS).

    -- Carlos Rodrigues
    Poucas são visíveis... (Pontos:3, Informativo)
    por jneves em 05-01-04 19:32 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://silvaneves.org/
    As violações conhecidas são uma pequena parte das que são resolvidas e discutidas normalmente.
    hum (Pontos:3, Interessante)
    por racme em 05-01-04 16:01 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    A Kiss, ao que parece, apenas diz que usa as sources do Kernel e busybox. Se forem verdade, estas acusações são graves.

    bahh sao graves.. nunca vi nenhuma situacao dessas na barra dos tribunais, codigo gpl violado.

    k tirando agora SCOs, aqui prevaleve o mediatismo e a pressao publica, mais tarde ou mais cedo eles cedem e lancam no mercado o seu trabalho.

    Mas a kiss tem tb ou mostrou algum nervosismo nos ultimos tempos, so isso explica o terem enviado emails e pressionado sites para abdicarem de disponibilizarem para download firmwares suas ou alteradas.



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:hum (Pontos:3, Interessante)
    por Dehumanizer em 05-01-04 18:30 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://www.dehumanizer.com
    As acusações *são* graves. O facto de normalmente as empresas cederem é independente da gravidade.

    Normalmente estes casos são 1) ignorância ("open source... quer dizer que é grátis e posso usar, certo?"), ou 2) "vamos fazer figas para que ninguém repare"...


    "It is every citizen's final duty to go into the tanks and become one with all the people."
    - Chairman Sheng-ji Yang, "Ethics for Tomorrow"
    Re:hum (Pontos:2)
    por moonrider em 05-01-04 19:51 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://127.0.0.1
    nunca vi nenhuma situacao dessas na barra dos tribunais

    Eu penso que isso raramente acontece porque quem escreveu o código não se sente suficientemente lesado para o fazer, dá chatices, problemas, trabalho ( é necessário apresentar exactamente as linhas de código copiadas, mas até se ter acesso ao código da empresa que o copiou... )... se estivesse uma grande empresa por detrás do caso ( SCO, anyone ? ), certamente seria mais mediático e não passaria tão despercebido ou impune...
    Re:hum (Pontos:4, Informativo)
    por joaobranco em 05-01-04 20:30 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Eu penso que isso raramente acontece porque quem escreveu o código não se sente suficientemente lesado para o fazer, dá chatices, problemas, trabalho ( é necessário apresentar exactamente as linhas de código copiadas, mas até se ter acesso ao código da empresa que o copiou... )
    Por esta razão, se desenvolverem código GPL e não tiverem problemas "morais" em fazê-lo, o melhor é mesmo transferirem o copyright do vosso código para a Free Software Foundation. A FSF ficará assim com os meios legais para poder garantir que quaiquer violações de GPL possam ser tratadas por ela.

    Mas, dizem vocês, isso não significa perder o direito a usar o vosso código como quiserem? Não, a FSF depois dá-vos uma licensa irrevogável que permite fazerem o quiserem com o vosso código (incluisive podem incorporá-lo, se quiserem, em software proprietário que desenvolvam). Claro que isso afecta apenas o vosso código e não quaisquer outras contribuições feitas por outrem sobre o vosso código (mas claro que o mesmo já ocorreria nesse caso - se alguém contribuir para um código GPL fica com o copyright da sua contribuição, e se outros quiserem fazer com esse pedaço de código algo que não seja permitido pela GPL, terão de obter licensa dele).

    Cumps, JB

    Re:hum (Pontos:2)
    por fhc em 06-01-04 10:02 GMT (#9)
    (Utilizador Info)

    Justo é justo, e o seu a seu dono. Se eu desenvolvo código, então devo poder usá-lo como bem entender, dentro da minha área de influência e irrespectivamente de ter ou não fornecido o código à FSF. Sou um fervoroso crente na licença GPL. Esta excepção está lá. E as liberdades estão lá.

    Em compensação, o que é feito pela pirataria de software (e quem de entre nós nunca usou software pirata)? É roubo, apropriação ilegítimado trabalho de outros para os seus próprios propósitos, sem nada dar em troca. Quem de entre nós defende as virtudes do MS 2003 Server faça o favor de mostrar a licença (que custa muito mais de 4000¤ com o SQL server). Quem de entre nós acredita nas virtudes do Linux mostre o código que fizer, as contribuições que tiver dado, ou simplesmente use e comente positivamente e ajude os programadores a melhorar o sistema.

    Se não podem mostrar uma ou outra, a licença ou as contribuições e comentários, mais vale estarem caladinhos e pedir aos céus que o Santo Bill nunca venha a descobrir que lhe roubaram a caixa de esmolas.

    Francisco Colaço

    P. S.: eu não tenho partição de Windows no meu computador pessoal. E o do emprego tem Windows XP Pro, devidamente pago por mim, e até com uma licença de MS Office devidamente paga optei pelo open office e mozilla e mozilla mail e gaim. Mas o Windows vai embora se eu conseguir que o Wine corra o programa de facturação e o modem ADSL funcionar.


    Re:hum (Pontos:2)
    por ^magico^ em 06-01-04 10:48 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://fsilva.online.pt/
    Qual é o programa de facturação? É que pode ser que se possa arranjar uma outra solução... mais nativa!

    Cumprimentos,
        Fernando Silva
    Re:hum (Pontos:2)
    por fhc em 06-01-04 18:28 GMT (#12)
    (Utilizador Info)

    O Empresa da TeT. São baratos e pelo menos posso vendê-los aos meus clientes em vez da Primavera, que se tornou cara como a gaita. Foi feito em Delphi, mas não pensam sequer em fazer testes com o kylix. Como sempre, fala a voz do prudente que não saiu de casa em Pompeia com medo de apanhar demasiado sol.

    Mas se há uma boa solução mais nativa, gostaria de a acrescentar ao meu portafolio. Quero vender sistemas Linux na Covilhã, e essa era uma maneira de o fazer. Tem é de ser simples de configurar e adaptado à esquisita realidade legal portuguesa --- já viram quantas maneiras há de se pagar uma factura neste país?

    Nenhum de vós imagina quanto procurei por essa solução. Uma coisa simples, robusta, funcional e atractiva em software de gestão seria vendida aos pontapés se corresse em Linux. Ainda hoje um colega da Universidade me dizia que o cunhado, contabilista, mudaria o escritório todo para Linux se encontrasse um bom programa de contabilidade que ali corresse.

    Francisco Colaço


    Re:hum (Pontos:2)
    por racme em 07-01-04 12:53 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Mas se há uma boa solução mais nativa, gostaria de a acrescentar ao meu portafolio. Quero vender sistemas Linux na Covilhã..

    ja aqui se falou, procura pelo termo facturacao pode ser que encontres algo que se adeque ou consigas adptar, de acordo com as tuas necessidades




    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:hum (Pontos:1)
    por Init em 07-01-04 14:01 GMT (#16)
    (Utilizador Info)

    Uma das coisas que mais gosto no Software Livre é que se pode fazer sempre com que se adeque às necessidades (com mais ou menos trabalho).


    Re:hum (Pontos:2)
    por joaobranco em 06-01-04 15:24 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Justo é justo, e o seu a seu dono. Se eu desenvolvo código, então devo poder usá-lo como bem entender, dentro da minha área de influência e irrespectivamente de ter ou não fornecido o código à FSF. Sou um fervoroso crente na licença GPL. Esta excepção está lá. E as liberdades estão lá.
    Claro que se o código é (unicamente) teu podes fazer o que quiseres com ele... Desde que não cedas os direitos de autor dele a outrem (o GPL não obriga a ceder os direitos de autor). Claro que se o teu projecto incorporar partes que não são da tua autoria, ele não é unicamente teu, como compreendes.

    O que eu apontei é que se quiseres que a FSF possa fazer POR TI o trabalho de defender a licensa GPL do teu código, tens de lhes dar os meios (legais) para isso. Como nos EUA só o detenter do Copyright pode levantar acções por violação de Copyright, isso significa ceder o Copyright à FSF. Mas isso apenas se o quiseres fazer, para permitir à FSF proteger o teu código.

    O que eu indiquei por fim é que isso não te retira os direitos que tenhas, porque a FSF, como nova detentora do Copyright te passará uma licensa para usar o "teu" código como muito bem quiseres. Agora, ninguém é obrigado a nada... Aliás, tenho a certeza que a FSF não gostaria nada de ser "guardiã" de muito código GPL que existe por aí (só as questões logisticas associadas a isso não devem ser pequenas).

    Cumps, JB

    Re:hum (Pontos:2)
    por fhc em 06-01-04 18:30 GMT (#13)
    (Utilizador Info)

    Mas eu estava a concordar contigo... :-(

    Francisco Colaço


    Re:hum (Pontos:2)
    por joaobranco em 06-01-04 18:37 GMT (#14)
    (Utilizador Info)
    Eheh...

    Não compreendi :-)

    Desculpa pelo tom.


    Cumps, JB

    O lema deles é... (Pontos:1)
    por Kmos em 05-01-04 22:37 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://Kmos.TondelaOnline.com
    KISS = Keep It Simple Stupid e só aí já dizem tudo com esse tipo de atitudes =)

    I'm a lost soul in this lost world...

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]