gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
E você, quando é que vai trocar o seu Office?
Contribuído por scorpio em 31-12-03 3:26
do departamento officeware
OpenOffice.org WZ|Dunadan escreve "Nesta notícia do Diário Digital pode ler-se o seguinte:

Israel vai trocar o Microsoft Office pelo OpenOffice.org, um pacote completo de produtividade de escritório que fornece um ambiente de trabalho semelhante a outros pacotes de produtividade a preço zero, adianta o Israel National News esta terça-feira.

Esta iniciativa, levada a cabo pelo Ministério das Finanças israelita, tem como principal objectivo libertar o governo das restrições monopolísticas da Microsoft. Assim, já esta semana, começarão a ser entregues cópias gratuitas de OpenOffice.org por todo o país. "
" O OpenOffice.org inclui todas as funções disponibilizadas pelo Microsoft Office tais como o processador de texto (Word), neste caso (Writer), e a folha de cálculo (Excel), (Calc), entre outras. Em Israel o download destas aplicações poderá ser feito, gratuitamente, no site openoffice.org.il.

Durante o ano de 2003 os programas foram traduzidos para hebreu pela Sun e pela IBM, com a ajuda do Ministério da Finanças. O objectivo é baixar os preços e reduzir a discrepância tecnológica entre os ricos e os pobres.


As perguntas da praxe: se lá fora as nações mais desenvolvidas estão a mudar, porque é que Portugal continua a marcar passo?

Serão os custos de formação e educação, tradução dos manuais e programas, duplicação dos respectivos CDs, e aproveitando a boleia, de instalação deste conjunto de programas em todo equipamento informático cliente onde esteja presente o Microsoft Office na função pública assim tão elevados, para que o nosso Ministério das Finanças obtenha o reembolso das licenças do Microsoft e ajude a nossa ministra a cumprir os apertados limites de um défice que é apenas para alguns?

Será Portugal um feudo fiel e vassalo do Polvo do Tio Bill?

Será comodismo e falta de dinamismo?

Estarão os nossos políticos actualmente no governo à espera que a França e/ou Alemanha e/ou Espanha, adoptem medida semelhante?

Ou será antes: "O que é isso do OpenOffice?"... "

Wikipedia precisa de ajuda | What's next ?  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • WZ|Dunadan
  • notícia do Diário Digital
  • Mais acerca OpenOffice.org
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    quanto é que se poupa? (Pontos:3, Interessante)
    por joao em 31-12-03 5:12 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://www.nonio.com
    Serão os custos de formação e educação, tradução dos manuais e programas, duplicação dos respectivos CDs, e aproveitando a boleia, de instalação deste conjunto de programas em todo equipamento informático cliente onde esteja presente o Microsoft Office na função pública assim tão elevados, para que o nosso Ministério das Finanças obtenha o reembolso das licenças do Microsoft e ajude a nossa ministra a cumprir os apertados limites de um défice que é apenas para alguns?

    Quanto é que o estado português gasta em software?

    Qual é o peso dessa despesa na despesa pública?

    ----
    joao
    nonio.com - ciência, tecnologia e cultura

    Re:quanto é que se poupa? (Pontos:1)
    por Init em 31-12-03 12:23 GMT (#7)
    (Utilizador Info)

    Mais importante que diminuir os custos, parece ser livrar-se do monopolio e promover a integração da população na sociedade de informação. Quanto a obter o reembolso da m$ parece fantasia, no maximo vão conseguir um desconto, ou umas ofertas quaisquer.


    Re:quanto é que se poupa? (Pontos:2)
    por McB em 02-01-04 11:25 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Mas ainda não reparaste que isso não é o objectivo primário de quem detem os ¤¤¤¤?

    Ou julgas que o governo israelista agora olhou para o movimento de Software Livre e achou que aquilo encaixava muito bem com o que vinha no Talmud?
    Se assim fosse, podiam já ter parado com a merda toda que fazem na Palestina...

    Yours,
    McB!
    They told me it need Windows 95 or better, so I chose Linux
    As razões (Pontos:2)
    por taf-7arte em 31-12-03 5:59 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://taf.net

    Eu diria que os problemas são:
    1) ignorância
    2) comodismo
    3) prioridades erradas na UMIC

    Sugiro que se mande mail para lá. ;-)

    bush amigo (Pontos:1)
    por Carnelian em 31-12-03 7:03 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.alface.de
    Parece que o homem afinal percebe daquilo e quer ajudar o Gates... É a única explicação óbvia que encontro para ele ter feito tanta merda em Israel :(

    Aqui em Portugal nínguem sabe o que é o OpenOffice, os funcionários públicos estão-se a cagar para o dinheiro que se gasta em licenças (sem ofensa)
    Seriam os custos assim tão elevados, a tradução já é feita por alguns portugueses e já há um software para ajudar na tradução, dos autores da Caixa Mágica penso eu de que. A reprodução de CDs podia sair cara sim, mas é um investimento que tem que se fazer quer com o OOo quer com o MS Office..


    The Stone Dance of the Chameleon :)

    Re:bush amigo (Pontos:1)
    por Init em 31-12-03 12:27 GMT (#8)
    (Utilizador Info)

    Mas a reprodução não tem que ser feita através de cd'... Pelo menos em todos os casos...


    Para responder à notícia =) (Pontos:1)
    por Kmos em 31-12-03 9:52 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://Kmos.TondelaOnline.com
    Já troquei em windows desde que saiu a v1.1, e até agora não faço contas de trocar =)

    Portugal gosta muito de se acomodar e depois só vai fazer algo quando uma grande parte da Europa for 10 anos à frente.

    I'm a lost soul in this lost world...
    a marcar o passo, ou não... (Pontos:4, Esclarecedor)
    por vd em 31-12-03 10:29 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt/~vd
    As perguntas da praxe: se lá fora as nações mais desenvolvidas estão a mudar, porque é que Portugal continua a marcar passo?

    Portugal não está a marcar o passo. Está a andar de acordo com a sua realidade.
    A comunidade de utilizadores está a crescer. Vejo isso no forum onde já possuimos 30 inscritos e outros tantos registados no site pt.openoffice.org. Por outro lado o questionário aquando instalação do OpenOfffice.org diz-nos que existem cerca de 1000 utilizadores portugueses.
    Por cá, algumas autarquias estão a mudar, outras quantas empresas e até mesmo organismos públicos (novidades para breve).

    Serão os custos de formação e educação, tradução dos manuais e programas, duplicação dos respectivos CDs, e aproveitando a boleia, de instalação deste conjunto de programas em todo equipamento informático cliente onde esteja presente o Microsoft Office na função pública assim tão elevados, para que o nosso Ministério das Finanças obtenha o reembolso das licenças do Microsoft e ajude a nossa ministra a cumprir os apertados limites de um défice que é apenas para alguns?

    Sim, são efectivamente elevados. Não a nível tecnologico, mas sim de mentalidades de quem usa o MSFT Office. Mas, o OpenOffice.org ainda não é efectivamente para todos. Existem questões que estudantes de fisica/quimica necessitam ver resolvidas, mas para 80% dos seus utilizadores a mudança é pacifica e de acordo com as suas necessidades.
    De notar que 45% dos utilizadores do OpenOffice.org são de Windows e não de Linux, onde somos o software office único e de eleição.

    Ainda em 2004, a questão dos manuais vai ser uma realidade. Talvez ai se possa concretamente efectivar a aprendizagem do OpenOffice.org.

    Será Portugal um feudo fiel e vassalo do Polvo do Tio Bill?

    Mas que raio! A MSFT não é uma instituição de solidariedade social ou organismo público, é uma empresa privada com o objectivo do lucro a curto prazo. Eles fazem o que devem fazer. O OpenOffice.org é uma comunidade aberta de utilizadores que partilham o gosto pelo pacote aplicacional.

    Será comodismo e falta de dinamismo?

    O OpenOffice.org possui 3 anos de vida. O MSFT Office possui 13. É mesmo por falta de conhecimento.


    Ou será antes: "O que é isso do OpenOffice?"... "


    OpenOffice.org

    //vd
    Re:a marcar o passo, ou não... (Pontos:2)
    por CrLf em 31-12-03 15:11 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    Será Portugal um feudo fiel e vassalo do Polvo do Tio Bill?

    Mas que raio! A MSFT não é uma instituição de solidariedade social ou organismo público, é uma empresa privada com o objectivo do lucro a curto prazo. Eles fazem o que devem fazer. O OpenOffice.org é uma comunidade aberta de utilizadores que partilham o gosto pelo pacote aplicacional.


    A MS não é instituição de solidariedade social mas nem é isso que está subjacente à pergunta. A realidade é que em Portugal muito pouca gente tem profissionalismo ou tomates para fazer escolhas com pés e cabeça (mesmo que no final até pudessem escolher soluções MS) preferindo ir pelo que o vizinho do lado usa, com medo de ser ridicularizado (ou pior, com medo de sair da segurança do habitual). A isto chama-se o espírito de manada e é uma epidemia que grassa no sector tecnológico português.

    Bem, na realidade o espírito de manada está por todo o lado em Portugal e não só no sector das TI, basta ver que andamos sempre a fazer o que já deu provas lá fora (supostamente) nunca inovando. O resultado é que andamos sempre a implementar o que os outros já consideram obsoleto (vamos ver como será quando o TGV entrar em operação).

    -- Carlos Rodrigues
    Uso para documentos pessoais (Pontos:3, Interessante)
    por TarHai em 31-12-03 12:11 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    simplesmente para nao ter de ser forcado a adquirir o windows e o office daqui a uns anos para poder imprimir os documentos que escrevo hoje.

    A ultima grande falha do OOo que sentia era a falta de um gestor de biblografia com pesquisa online como o endnote. Parece que o pybliographer esta quase la, o que e excelente.


    ## I should be working...
    OpenOffice em ambiente empresarial (Pontos:3, Informativo)
    por joaorf em 31-12-03 13:17 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    Conheço uma empresa que, pelo menos, há 3 anos que tem usado exclusivamente StarOffice/OpenOffice nos computadores de todos os seus funcionários. E o que é curioso é que muitos dos funcionários, ao fim de algum tempo, acabam por substituir o MS Office pelo OpenOffice nos seus computadores pessoais em casa.

    Lembro que o StarOffice 7 é gratuito para estudantes e professores.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]