gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
MS nas escolas Portuguesas
Contribuído por vd em 09-12-03 9:59
do departamento "show-me-da-money"
Verdinhas BlueNote escreve "No suplemento Computadores do jornal Público de hoje noticia o lançamento do Class Server da Microsoft, destinado às escolas.

O jornal refere ainda que

«o Class Server 3.0 tem já vindo a ser experimentado através de um projecto-piloto levado a cabo pela Malha Atlântica, entidade que agrega diversas escolas dos distritos de Lisboa, Cascais, Oeiras e Sintra, e que funciona como centro de competências integrado no programa Nónio Século XXI, do Ministério da Educação. Jorge Borges, responsável pela Malha Atlântica, considera que este projecto, baseado no Classe Server 2003, "está a ter excelentes resultados" e recorda que, embora experimental, a iniciativa abarca já 24 escolas e envolve 7500 pessoas, entre professores, alunos e encarregados de educação.»
[vd: Continua ...]

Duas achegas para a discussão:
a) lá se foi definitivamente (se é que havia algumas dúvidas...) a possibilidade de as escolas portuguesas usarem alguma coisa que não produtos Microsoft.

b) para que diabo serve as Universidades desenvolverem este tipo de soluções para uso próprio (já há vários exemplos...) se depois não as fornecem aos outros organismos públicos de educação? Soluções deste tipo já podiam estar implantadas nas escolas hoje, não era preciso comprá-las/pedinchá-las ao abrigo de patrocínios e em troca de futuras compras de soluções no resto da administração pública à MS!! "

Navegação WAP nos Mozilla | Open-Source Campus Party  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Computadores
  • Público
  • noticia
  • Class Server
  • Mais acerca Verdinhas
  • Também por vd
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Querem uma resposta simples? (Pontos:3, Esclarecedor)
    por Cricket em 09-12-03 10:58 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Todos em portugal regem-se pelo caminho mais fácil, porquê fazer software se existe já feito e é tão fácil compra-lo?
    E perguntam voçês: "E o dinheiro ?"
    E eu respondo: "Vem dos contribuintes, mas disso não tenham a menor dúvida e quando não chega, fica-se em dívida, porque se não pagam eles, alguém há-de vir ... e assim empurram-se as responsabilidades de uma porta para outra. (Parece as nossas visitas à Segurança Social, grr)"
    Quanto a este software especifico, não me admiro nada que as faculdades adiram. Na minha faculdade só se usa Microsoft, se falo em *nix ficam logo com os olhos em bico e não promovem nenhum tipo de actividade relacionada com o Open Source. A burocracia toma conta daquilo... é incrivel como as pessoas têm tanta dificuldade em alargar os horizontes...
    .:Q:.
    Re:Querem uma resposta simples? (Pontos:1)
    por CoolMaster em 09-12-03 23:58 GMT (#27)
    (Utilizador Info) http://coolmaster.webhs.org
    Concordo contigo, felizmente nem todos pensam como na tua faculdade, eu estou numa escola profissional e temos dual-boot (windows/mandrake), onde até se promove uso de open souce, o modulo de C é feito no mandrake usando o Anjuta. Não sei até que ponto a minha escola tem liberdade de fazer isto por ser uma profissional. Não sera possivel existir dual-boot em escolas basicas/secundarias?
    Re:Querem uma resposta simples? (Pontos:1)
    por Cricket em 10-12-03 10:10 GMT (#31)
    (Utilizador Info)
    Claro que é possivel, mas pelo que vejo na escola onde a minha é professora, quem dá assistência aos computadores são alguns professores que se interessam pela matéria. Se houver iniciativa por parte dos alunos, tenho a certeza que os professores não se vão recusar.

    Aproveita a tua sorte, porque eu na faculdade só vi linux na cadeira de Sistemas Operativos e mesmo assim eu e mais um colega meu ainda tivemos que estar a "ensinar" o professor...
    .:Q:.
    Maior acesso para as universidades (Pontos:1, Redundante)
    por rsantos em 09-12-03 11:46 GMT (#2)
    (Utilizador Info)

    ...para que diabo serve as Universidades desenvolverem este tipo de soluções para uso próprio (já há vários exemplos...) se depois não as fornecem aos outros organismos públicos de educação?

    As universidades são centros de conhecimento e devem passar esse conhecimento para a sociedade. Mas não têm de o fazer necessáriamente no sentido do desenvolvimento de soluções práticas. O que não significa que isso não possa acontecer e, em muitas situações, pode ser benéfico. Infelizmente, no nosso País, quando mudamos de Governo, todos os projectos de investigação em que se investiram milhões de euros são postos na gaveta e não chegam a ser verdadeiramente úteis para a sociedade. Este é um fenómeno que se verifica acima de tudo nos páises latinos (porque será?)

    O que me parece que merece ser realçado é o facto da Microsoft ter decidido disponibilizar um maior acesso por parte das Universidades ao código fonte do seu Software.

    Esta medida revela que a Microsoft, como empresa que ambiciona o lucro, acha que o melhor modelo para o desenvolvimento científico-tecnológico ao nível académico (onde não há objectivo do lucro) pode ser algo próximo do open-source.


    Is this the meaning of life?....Ah! It's Lear again!
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:3, Esclarecedor)
    por Pink em 09-12-03 11:53 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.PinksWorld.8m.com
    Esta medida revela [abrir trechos do fonte] que a Microsoft [...] acha que o melhor modelo para o desenvolvimento científico-tecnológico [...] pode ser algo próximo do open-source.

    Vc ainda não leu os termos do Shared Source, leu??

    []s,
    Pink@Manaus.Amazon.Brazil.America.Earth.SolarSystem.OrionArm.MilkyWay.Universe

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:3, Informativo)
    por quantic_oscillation em 09-12-03 13:37 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://fs-oss.cjb.net
    de certeza que não leu....

    Shared Source: A Dangerous Virus
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por elmig em 09-12-03 18:01 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://www.DebianPT.org
    Faz-me lembrar aquela boca da MS: Open Source: A cancer...

    "Big brother is watching you, and little brother is too. When big brother goes to sleep, little brother goes through his stuff."

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:1)
    por quantum em 09-12-03 20:06 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    Mais um que não sabe ler (ou transcrever). A "boca" da MS foi para a GPL e não para o open-source. E não foi "cancer", mas sim "viral".
    O que, para o bem e para o mal, até que é verdade...
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por elmig em 09-12-03 21:21 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://www.DebianPT.org
    A "boca" do cancro refere-se às declarações de Steve Ballmer referindo-se a Linux. "Linux is a cancer that attaches itself in an intellectual property sense to everything it touches,".

    E não, não sei ler nem transcrever, eu sou daqueles que transcreve subemarino e élicópetro.

    "Big brother is watching you, and little brother is too. When big brother goes to sleep, little brother goes through his stuff."

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:1)
    por quantum em 09-12-03 21:51 GMT (#24)
    (Utilizador Info)
    Exacto: "Linux is a cancer" e não "Open Source: a cancer". Tem a ver com o GPL e não o Open Source como, como tinhas transcrito. A minha "boca" é que veio cedo de mais no que diz respeito à patologia, as minhas desculpas por isso.

    Mundie: 'Open Source isn't the issue'

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por rsantos em 09-12-03 18:45 GMT (#16)
    (Utilizador Info)

    Essa resposta revela o grande problema da comunidade informática: a dificuldade em escrever ou interpretar um texto.

    Não disse que o shared source é igual ao open source. Apenas disse que se aproxima do Open Source, pelo menos mais do que o software de código fechado, que não é nada próximo do open source, como é óbvio.

    Ah! Pois... Já me esquecia!
    A Microsoft é o diabo e temos de seguir à risca os profetas do bem, sem reflectir sequer sobre o que de facto está em causa.
    Peço desculpa por me ter esquecido disso.


    Is this the meaning of life?....Ah! It's Lear again!
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:1, Lança-chamas)
    por 4Gr em 09-12-03 19:36 GMT (#17)
    (Utilizador Info)
    A Microsoft é o diabo e temos de seguir à risca os profetas do bem, sem reflectir sequer sobre o que de facto está em causa.
    Peço desculpa por me ter esquecido disso.


    Com efeito, não está muito longe disso... num sentido mais figurativo, uma pitada de imaginação, é isso!


    Dominus vobiscum
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:3, Esclarecedor)
    por Pink em 09-12-03 21:50 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://www.PinksWorld.8m.com
    Essa resposta revela o grande problema da comunidade informática: a dificuldade em escrever ou interpretar um texto.

    Que se torna ainda pior quando esta incapacidade impede que se entenda os termos de uma Licença.

    Bote os olhos num código Microsoft protegido pela Shared Source, e vc nunca mais poderá desenvolver nada parecido sem correr o risco da Microsoft cair em cima de você.

    À menos que trabalhe para a Microsoft.


    []s,
    Pink@Manaus.Amazon.Brazil.America.Earth.SolarSystem.OrionArm.MilkyWay.Universe

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por rsantos em 10-12-03 0:11 GMT (#28)
    (Utilizador Info)

    Lá estão outra vez a bater na mesma tecla.

    Eu nem sequer cheguei a considerar a notícia do "Computadores" como positiva. Apenas a considerei importante. É, de facto, importante. Positivo ou negativo, mas importante.

    É a disto que me refiro quando falo da má interpretação do texto.


    Is this the meaning of life?....Ah! It's Lear again!
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por Pink em 10-12-03 21:56 GMT (#49)
    (Utilizador Info) http://www.PinksWorld.8m.com
    Não havia entendido desta forma, perdão...

    []s,
    Pink@Manaus.Amazon.Brazil.America.Earth.SolarSystem.OrionArm.MilkyWay.Universe

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por chbm em 10-12-03 10:49 GMT (#33)
    (Utilizador Info) http://chbm.net/
    A EU como qualquer burocracia que se preza está a aceitar todo o tipo de "contributos técnicos" dos lobbies que praí andam (sim, porque eles andam aí!) para ajudar a fazer a legislação sobre patentes e IP (desculpa lá RMS).
    A MS obviamente está a pensar a longo prazo atacando a faculdades europeias com o Shared Source. Quando finalmente tiver errmm.. guiado a EU na direção da legislação "compativel" vai ter uma catrefada de "engenheiros" no mercado de trabalho todos devidamente tainted e obviamente alvos fáceis. Depois, é só disparar a frota de advogados em todas as direções e ver o dinheiro a entrar.
    Portugal, como costume, caí que nem pato (ou peru bebado considerando a época) e acolhe de braços abertos o "parceiro de inovação". Depois não digam que não os avisei.
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:1)
    por tOkIo em 10-12-03 20:02 GMT (#47)
    (Utilizador Info)
    isso nao e um bocado paranoia?

    __tOkIo
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por Pink em 10-12-03 22:04 GMT (#50)
    (Utilizador Info) http://www.PinksWorld.8m.com
    Falou-se a mesma coisa sobre quando se disse que o Internet Explorer estava corroendo os padrões abertos da WWW, ou que estava destruindo o mercado de Browsers.

    Hoje a Netscape is no more, e "lá fora" tem uma paulada de sites (alguns do próprio governo!!!) que só são corretamente visualizados no I.E. (graças às suas tags não padrozizadas - quando não proprietárias).

    Quem não estuda a História (mesmo que recente) está condenado à repeti-la.

    []s,
    Pink@Manaus.Amazon.Brazil.America.Earth.SolarSystem.OrionArm.MilkyWay.Universe

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por leitao em 10-12-03 22:39 GMT (#51)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    Hoje a Netscape is no more, e "lá fora" tem uma paulada de sites (alguns do próprio governo!!!) que só são corretamente visualizados no I.E. (graças às suas tags não padrozizadas - quando não proprietárias).

    Nao foram as extensoes proprietarias da Microsoft que acabaram com a Netscape, foi o modelo da Netscape, e o facto de que (quer gostes quer nao) os utilizadores nao estao exactamente interessados em saber que browser correm.


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por Pink em 11-12-03 1:37 GMT (#53)
    (Utilizador Info) http://www.PinksWorld.8m.com
    Não concordo que foi o modelo da Netescape que a implodiu, mas concordo em outra coisa que disseste:

    Sim, as pessoas não dão a mínima para o browser que usam, e é graças à isto que as extensões proprietárias do IE estão boicotando o estabelecimento de novos padrões abertos.

    Paciência. Se a maioria das pessoas tivesse que efetivamente pagar pelas licenças dos softwares que usam, talvez a situação fosse outra.

    []s,
    Pink@Manaus.Amazon.Brazil.America.Earth.SolarSystem.OrionArm.MilkyWay.Universe

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:1)
    por von em 11-12-03 19:14 GMT (#66)
    (Utilizador Info)
    Sim, as pessoas não dão a mínima para o browser que usam, e é graças à isto que as extensões proprietárias do IE estão boicotando o estabelecimento de novos padrões abertos.

    Paciência. Se a maioria das pessoas tivesse que efetivamente pagar pelas licenças dos softwares que usam, talvez a situação fosse outra.

    A mim o que me preocupa mais não são propriamente os utilizadores caseiros, mas sim o facto de haver estudantes de cursos superiores de informática que não estão minimamente informados (nem preocupados) sobre os problemas que resultam de tácticas tipo embrace and extend e do uso de extensões proprietárias por quem desenvolve software.

    Se houvesse uma preocupação por parte de quem desenvolve software em seguir os standards, as coisas seriam diferentes. Infelizmente em muitos casos isso não acontece. Para começar acho que era uma boa ideia tentar passar essa mensagem aos estudantes, aqueles que daqui a algum tempo vão estar no mercado a "bater código", a gerir projectos, ou a assinar cheques...

    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por chbm em 12-12-03 23:34 GMT (#68)
    (Utilizador Info) http://chbm.net/
    Não, é o que acontece nos USA.
    Re:Maior acesso para as universidades (Pontos:2)
    por CrLf em 10-12-03 13:49 GMT (#39)
    (Utilizador Info) http://crodrigues.webhop.net
    O que me parece que merece ser realçado é o facto da Microsoft ter decidido disponibilizar um maior acesso por parte das Universidades ao código fonte do seu Software.

    Sim, realçado como extremamente pernicioso. Só espero que haja gente com dois dedos de testa para não se deixar contaminar por essa coisa do Shared Source.

    -- Carlos Rodrigues
    Open Source (Pontos:0)
    por dmaster em 09-12-03 12:24 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    Eu lembro-me de um debate no canal Parlamento, onde foi discutida a hipótese da função pública -- que agora, finalmente sai da idade média e suas penas e tinta -- poder usar software livre para suporte nacional das suas infrastuturas. Acho que a proposta tinha partido do PS e BE mas não sei em que pé ela está.

    Mas com este governo não me admira é ver XPs pagos a peso do euro com skins por ministério e wallpapers com os respectivos ministros em fundo. :]
    Re:Open Source (Pontos:3, Esclarecedor)
    por dINAMItE em 09-12-03 15:32 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://www.ferro.eu.org
    A proposta era exclusivamente do BE e pecava, largamente, pelo fundamentalismo exarcebado. (http://www.gildot.org/articles/03/10/15/1137224.shtml) Quanto a "este governo" deves estar confundido...
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por dmaster em 09-12-03 16:15 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Obrigado pelo link.
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 09-12-03 18:44 GMT (#15)
    (Utilizador Info)

    A proposta de que falas previa excepções e volto a repetir previa excepções e mencionava a obrigação de utilizar Software Livre onde possivél e volto a repetir: onde possivél, por isso não percebo como falas de fundamentalismo. É claro que mecânismos, prazos, poderiam não estár adequados, mas é por isso que podem ser mudados depois de discutidos, talvês pudessem mesmo serem modificados ou acrescentados parâmetros nas excepções.

    O unico fundamentalismo que veijo é naqueles que defendem linearmente a proposta do BE (normalmente nem apoio o BE, nem qualquer outro partido). E vejo hipocrisia naqueles que dizem defender o Software Livre, mas são contra todas as medidas que são propostas a favor do Software Livre...


    Re:Open Source (Pontos:3, Esclarecedor)
    por leitao em 09-12-03 19:52 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    A proposta de que falas previa excepções e volto a repetir previa excepções e mencionava a obrigação de utilizar Software Livre onde possivél e volto a repetir: onde possivél, por isso não percebo como falas de fundamentalismo.

    E como e' que defines onde possivel ? E quando e' possivel, mas onde pode nao ser a solucao mais economica ?


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:Open Source (Pontos:0)
    por Init em 10-12-03 12:03 GMT (#34)
    (Utilizador Info)

    Não me vou alargar aqui na defenição, mas deve ser algo relativamente semelhante a: existe e satisfaz minimamente as necessidades minimas, ou pode em curto espaço de tempo de desenvolvimento satisfazer essas necessidades. Software Livre é sempre a solução mais economica, porque é impossivél ao software proprietário atingir o valor do que é oferecido com a liberdade


    Re:Open Source (Pontos:1)
    por mrmv em 10-12-03 12:31 GMT (#37)
    (Utilizador Info)
    Bullshit ;o)

    "The difference between 'involvement' and 'commitment' is like an eggs-and-ham breakfast: the chicken was 'involved' - the pig was 'committed'." - unknown
    Re:Open Source (Pontos:2)
    por leitao em 10-12-03 13:26 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    existe e satisfaz minimamente as necessidades minimas,

    "minimamente as necessidades minimas", i.e., nao satisfaz necessidade nehuma (0.1/0.1 = 0.01).

    ou pode em curto espaço de tempo de desenvolvimento satisfazer essas necessidades.

    E qual o criterio que define esse "curto espaco de tempo" ? E' que se levares essa definicao a um Analista informatico minimamente competente ele vai-te dizer que isso nao e' definicao nenhuma. Sugiro que leias sobre um conceito muito interessante chamado SMART. E' a base de qualquer metodo que tenta medir o progresso de um projecto e quer dizer:

    • Specific,
    • Measurable,
    • Achievable,
    • Realistic,
    • Timely.

    Agora diz-me como e' que aplicas a tua definicao a qualquer projecto de IT.

    Software Livre é sempre a solução mais economica, porque é impossivél ao software proprietário atingir o valor do que é oferecido com a liberdade

    Repara o numero de absolutos que conseguiste meter numa so' frase: sempre e impossivel -- leva isso a qualquer gestor de IT com um minimo de experiencia de vida e vez onde ele te diz onde podes meter os 4 principios do software livre.


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 10-12-03 13:59 GMT (#40)
    (Utilizador Info)

    As necessidades minimas o espaço de tempo seriam defenidas de acordo com as necessidades especificas de cada uma das instituições da administração pública, e colocadas no caderno de encargos do concurso, são dados exclusivamente tecnicos e por isso devem ser defenidos pelas proprias entidades (se bem que sobre fiscalização superior para assegurar que não haverá concursos feitos à medida).


    Re:Open Source (Pontos:1)
    por mrmv em 10-12-03 14:21 GMT (#41)
    (Utilizador Info)
    És um lirico de um inexperiente... nitidamente não sabes do que falas.


    "The difference between 'involvement' and 'commitment' is like an eggs-and-ham breakfast: the chicken was 'involved' - the pig was 'committed'." - unknown
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 11-12-03 12:22 GMT (#58)
    (Utilizador Info)

    Ou então tens medo de tomár decisões, ou tomar posições de levem à mudança.


    Re:Open Source (Pontos:2)
    por leitao em 11-12-03 14:14 GMT (#62)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    Ou se calhar o mrmv ate' e' um gajo pragmatico que sabe reconhecer como as coisas de facto funcionam e nao tem medo de o dizer.


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:Open Source (Pontos:2)
    por racme em 11-12-03 1:43 GMT (#54)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Agora diz-me como e' que aplicas a tua definicao a qualquer projecto de IT.
    Software Livre é sempre a solução mais economica, porque é impossivél ao software proprietário atingir o valor do que é oferecido com a liberdade
    Repara o numero de absolutos que conseguiste meter numa so' frase: sempre e impossivel -- leva isso a qualquer gestor de IT com um minimo de experiencia de vida e vez onde ele te diz onde podes meter os 4 principios do software livre.


    Estamos a falar de Gestores de TI que trabalham com o erario publico certo?
    Pra reflexao,

    Darl McBride,
    "There is a group of software developers in the United States, and other parts of the world, that do not believe in the approach to copyright protection mandated by Congress," SCO Chief Executive Officer Darl McBride wrote in an open letter posted on SCO's Web site Wednesday.
    The letter argues that Linux's GPL (GNU General Public License) software license is "exactly opposite in its effect from the 'copyright' laws adopted by the US Congress and the European Union."
    It accuses the creators of the GPL, the Free Software Foundation (FSF) and Red Hat Inc. of seeking to eliminate the profit motive from software development, and argues that the profit motive "underpins the constitutionality of the (U.S.) Copyright Act."


    United States Code, CHAPTER 1 - SUBJECT MATTER AND SCOPE OF COPYRIGHT
    A ''food service or drinking establishment'' is a restaurant, inn, bar, tavern, or any other similar place of business in which the public or patrons assemble for the primary purpose of being served food or drink, in which the majority of the gross square feet of space that is nonresidential is used for that purpose, and in which nondramatic musical works are performed publicly.
    The term ''financial gain'' includes receipt, or expectation of receipt, of anything of value, including the receipt of other copyrighted works.
    A work is ''fixed'' in a tangible medium of expression when its embodiment in a copy or phonorecord, by or under the authority of the author, is sufficiently permanent or stable to permit it to be perceived, reproduced, or otherwise communicated for a period of more than transitory duration. A work consisting of sounds, images, or both, that are being transmitted, is ''fixed'' for purposes of this title if a fixation of the work is being made simultaneously with its transmission.


    [1]McBride letter continues SCO's Linux attack
    [2]U.S. Code, Copyright Act.
    [3]GPL is no hippie dream

    Nao e' inconstitucional, quer seja a lei dos Estados Unidos, quer seja em Portugal. A proposta de lei do BE como estava redigida e' que estava incorrecta e nao respondia a todas as necessidades da administracao publica, mas sobre isso foram alertados no devido tempo.
    Agora dizer que o GPL nao tem lugar e' completamente ridiculo.

    Ainda esta semana foi anunciado que o windows 98 vai ser retirado de circulacao, so quero ver por mais quantos anos a Microsoft vai dar suporte a este (pseudo) Sistema Operativo.

    O propria EOL da redhat que foi muito contestado para as versoes 7 e 8, ja teve o desenlace. 2 ou 3 empressas ja se chegaram a' frente e assumiram que o vao manter.

    E tudo isso gracas a ...?

    Tambem nao vou la muito com a GPL (per si) mas nao podia deixar passar a tua arrogancia exacerbada nesta materia leitao



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 11-12-03 13:20 GMT (#59)
    (Utilizador Info)

    O suporte gratuito, já acabou, o que ainda não acabou é o suporte pago, e esse acaba no inicio do ano que vem.


    Re:Open Source (Pontos:2)
    por Cyclops em 10-12-03 19:43 GMT (#44)
    (Utilizador Info)
    E como e' que defines onde possivel ?
    Evidentemente nunca leste o defunto projecto-lei.

    Quanto a não ser a solução mais económica, certamente esse não é o único factor que um governo deve considerar, certo?
    Re:Open Source (Pontos:2)
    por Cyclops em 10-12-03 19:45 GMT (#45)
    (Utilizador Info)
    E quando e' possivel, mas onde pode nao ser a solucao mais economica ?
    The cost of freedom is responsability, but that's a bargain, since freedom is priceless.
    O custo da liberdade é a responsabilidade, mas isso é uma pechincha dado que não há dinheiro que pague a liberdade!
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por quantum em 09-12-03 20:14 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    obrigação de utilizar Software Livre onde possivél

    Parece-me a mim que possível é praticamente em todo o lado. Logo a parte da obrigação anda ali perto do fundamentalismo.

    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 10-12-03 12:08 GMT (#35)
    (Utilizador Info)

    Então se o Software Livre pode subsituir o software proprietário, para quê, manter o estado dependente de empresas, para quê fomentar monopolios, para quê com um concurso de aquisição de um produto, oferecer ao vencedor inerentemente um contracto de prestação de serviços? Para quê submeter o estádo a estes e outros problemas das licenças de software proprietário. A obrigação tem excepções e se não houvesse esta obrigação continua tudo na mesma porque recomendações não obrigam ninguém a nada, nem responsabilizam ninguém. A prova disto é que essas recomendações existem e são completamente ignoradas.


    Re:Open Source (Pontos:2)
    por leitao em 10-12-03 17:03 GMT (#42)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/
    A tua insistencia em nao perceberes que "possivel" != "recomendavel" demonstra o tal fundamentalismo de que se fala.


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 10-12-03 18:46 GMT (#43)
    (Utilizador Info)

    A minha insistência baseia-se no simples facto de o licenciamento proprietário é um perigo para o correcto funcinamento do estádo e o Software Livre é a unica alternativa aceitavél, para assegurar que tecnicamente as necessidades são satisfeitas existem as excepções temporárias até que exista uma alternativa satisfatoria que seja Software Livre.

    Fundamentalismo veijo eu naqueles que dizem que o projecto de lei não serve em absoluto, sem no entanto se oporem: à utilização de Software Livre na administração pública e usando argumentos, não os principios fundamentais do projecto, mas sim aspectos secundários que podem perfeitamente ser alterados.

    A modificação da forma como o sistema de excepções é implementado, a necessidade de clarificação de conceitos e por ventura mais algum ponto, são pontos perfeitamente aceitaveis, pois não desvirtuam o espirito da proposta inicial e também não justificam a reprovação do projecto lei mas sim a sua alteração.

    Este impeto em destruir envês de melhorar é que é um fundamentalismo, o Bloco de Esquerda e penso que a maioria das pessoas favoráveis a este projecto de lei nunca foram contra a introdução de melhorias ao projecto lei.


    Re:Open Source (Pontos:1)
    por quantum em 10-12-03 23:13 GMT (#52)
    (Utilizador Info)
    Com a adopção de software livre em detrimento da prática actual veríamos um exponencial aumento de "quintas" dos que dominam mais a tecnologia.
    Se o custo é de facto a preocupação, primeiro gostaria que o Estado se libertasse dalguns verdadeiros sorvedores de dinheiro que não são apenas entidades externas, mas também - e principalmente - grupos internos que tornam o custo de qualquer tecnologia, open ou proprietária, absolutamente astronómico com o desperdício de recursos que gastam.
    A tecnologia em si não é - e não pode ser - um fim em sim, mas um meio. Quem dela tira partido é que deve ser "optimizado".
    Re:Open Source (Pontos:2)
    por Cyclops em 11-12-03 8:40 GMT (#55)
    (Utilizador Info)
    Com a adopção de software livre em detrimento da prática actual veríamos um exponencial aumento de "quintas" dos que dominam mais a tecnologia.

    Explica-me onde é que é mau que quem presta um melhor servico tenha mais sucesso?
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por quantum em 11-12-03 10:01 GMT (#56)
    (Utilizador Info)
    Eu não disse que prestavam um melhor serviço...
    Re:Open Source (Pontos:2)
    por Cyclops em 11-12-03 10:08 GMT (#57)
    (Utilizador Info)
    Sim. Mas habitualmente quem domina melhor uma certa tecnologia presta melhor serviço sobre ela...
    Re:Open Source (Pontos:2)
    por dINAMItE em 10-12-03 9:50 GMT (#30)
    (Utilizador Info) http://www.ferro.eu.org
    A obrigação parece-me um fundamentalismo, na medida que as teias burocráticas das tais possiveis excepções iriam invialibizar algo que não fosse open-source.
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 10-12-03 12:11 GMT (#36)
    (Utilizador Info)

    A lei éra sobre Software Livre e não sobre Open Source.

    Os mecânismos de excepções poderia ser modificados para serem funcionais e para isso não éra preciso chumbar o projecto de lei, bastava modifica-lo depois da discussão, por isso não é por aí que o gato vai às filhoses.


    Re:Open Source (Pontos:2)
    por Cyclops em 10-12-03 19:48 GMT (#46)
    (Utilizador Info)
    Porém em vez de discutir e melhorar o projecto de lei, os nossos deputados seguiram a via da rejeição absoluta.

    Isto acompanhado de argumentos sem qualquer espécie de consistência da parte do Gonçalo Capitão...
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por MortH2O em 10-12-03 10:46 GMT (#32)
    (Utilizador Info) http://go.to/mortagua2000
    A proposta do BE é, aos olhos de alguns, fundamentalista, na mesma medida em que a constituição não é democrática.

    Ou seja, se não permite fazer o que nos der na real gana - leia-se dar e receber os respectivos tachos e luvas (e não são daquelas para o tempo frio que atravessamos) -, então não serve para os portugueses.

    Maiorias são muito bonitas, principalmente porque podemos fazer o que bem nos entender, sem ter que dar explicações a ninguém... pelo menos, até às próximas eleições!

    Não me lembro de ver uma discussão no Parlamento em que realmente se debatesse algo com verdadeiro interesse para o país, sem as tricas hipócritas do tipo "se a proposta foi apresentada pela oposição, é chumbada, mesmo que tenha real interesse nacional." ou "Onde já se viu um partido/maioria de direita aprovar ou concordar com uma proposta de esquerda? Nem pensar! Ficamos mal vistos! E para onde vão os tachos, depois?". E isto aplica-se aos principais partidos que lá estão, sejam de esquerda, centro ou direita!

    Fundamentalista? Radical? Comuna ?(aqueles que, para muitos de vocês, ainda comem criancinhas - aliás, actualmente, alguns senhores estão na prisa por "comerem" criancinhas e não me admirava nada que alguns até sejam da vossa ala ideológica!) Libertino? Lirista? Não, meus amigos. também defendo a individualidade, a liberdade de escolha e actuação, mas que exista uma forte ligação do indivíduo à sociedade (ou comunidade!) e que se levantem os interesses sociais e comunitários aos interesses egoístas, quando estes últimos irão prejudicar mais indivíduos do que aqueles que irá benificiar. Software livre na Administração Pública, nas Escolas e Empresas deste Portugal será assim um mal tão grande? Talvez. Para os lobbies, os tachos instalados, para aqueles que ainda acham que software livre é coisa de idealistas (de preferência, de esquerda!), que é brincadeira de putos ou de gajos contra o sistema.

    Não sejamos tacanhos nem curtos de vista! Porquê impor algo a alguém sem argumentos válidos para tal, tendo, isso sim, outros argumentos de interesse individual ou corporativistas? Porque não dar o direito de escolha a quem vai usar as ditas tecnologias? Ah, pois é! Isso de direitos e liberdades de escolha é anti-democrático! E a culpa é da Constituição!

    Sinceramente... Não sejamos TÃO individualistas, nem TÃO egoístas! Lembrem-se: não somos todos iguais nem todos temos as mesmas posses. Mas não admito que hajam uns que nasçam para mandar e que outros nasçam para serem mandados sem liberdade de escolha! Isto é que não!

    MortH2O

    Re:Open Source (Pontos:2)
    por raxx7 em 10-12-03 20:33 GMT (#48)
    (Utilizador Info)

    Ter Software Livre na Administração Pública não é mau. Contudo, aquele projecto de Lei era a solução errada para os problemas certos.

    O erro começa no facto de os problemas que atribuem ao uso de software proprietátio na AP não serem sequer exclusivos do software. Logo, não acho que uma Lei específica para software seja o ponto de partida certo.

    Focando a questão do software, identificam-se dois problemas (além da questão económica) com o software proprietário: 1) a impossibilidade de o Estado analizar o software que usa e 2) o facto de o Estado estar dependente de fornecedores externos. O software Livre resolve estes problemas, em quaisquer circunstâncias que consiga imaginar.
    Mas a "Administração Pública" pode incluir uma variedade infindável de software e usos. E "licenças não Livres" também inclui uma infindade de licenças. É portanto lógico que nalgumas circunstâncias software não Livre possa satisfazer os requesitos do Estado nos aspectos 1 e 2. Logo, esta lei restringe desnecessariamente as possibilidades de escolha.

    O outro problema é que este projecto de Lei se baseava na premissa de que existe software Livre para satisfazer as necessidades da AP ou que este pode ser desenvolvido em pouco tempo. Mas quando se discute acerca de algo como a AP, não é possivel assumir nada sobre as necessidades de software, presentes e futuras.
    E embora o projecto de Lei prevesse execpções, o mecanismo de excepções, que requeria a autorização de um organismo central, foi concebido de forma a *dificultar* o uso de software não Livre, baseado na premissa (correcta) que se fosse menos radical a Lei seria inútil. O problema é que na AP não se usa software só para gastar o dinheiro dos contribuintes, o software também tem alguma função. E a consequência lógica de tornar dificil o uso de software não Livre é tornar dificil fazer algo para o qual seja software não Livre.


    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 11-12-03 13:36 GMT (#60)
    (Utilizador Info)

    Só identificas esses problemas? Pois, conhecendo-te minimamente já éra de esperar :) No entanto não são apenas esses os problemas, esses são apenas alguns dos causadores dos problemas, e garantir a eleminação extrita desses dois factores, não resolve os problemas, todos e ainda vai causár novos problemas.

    Outros problemas, como se ficamos de alguma forma atados depois de olhar para o codigo, olhar para o codigo é muito bonito, mas e depois? Posso altera-lo? Posso altera-lo um bocadinho? Posso altera-lo muito? Tenho de pedir a alguem para fazer alterações? Tenho de notificár alguem de que fiz alterações? Se fizer alterações em que casos é que tenho que fornecer e a quem o codigo fonte? São estes e outros problemas, como o risco de não poder vir a trabalhar no desenvolvimento de mais nenhum software minimamente semelhante, que as licenças que não são Software Livre (incluindo algumas licenças certeficadas pelo OSI), não resolvem convenientemente e é por isso que só se deve utilizar Software Livre na administração pública.

    A lei baseia-se na premissa de que existe Software Livre. Se não houver, ou se não servir minimamente, vai-se para o sistema de excepções. Ou seja, a lei baseia-se em mais que uma premissa.

    Se os gestores da administração pública não sabem quais as suas necessidades actuais, então algo grave se passa. E se não são capazes de fazer uma previsão a curto prazo de quais vão ser as necessidades das entidades em que trabalham, então também se passa algo grave.

    A forma como está implementado o sistema de excpeções e o seu proposito não é algo central no projecto lei e pode perfeitamente ser alterado. Alias sabendo eu que assististe na TV à discussão na Assembleia da República, não se te recordas mas o proprio Françisco Louçã disse isso, apenas colocaram o sistema assim porque trata-se de uma afirmação politica de apoio ao Software Livre e que sabiam que o projecto lei não iria na mesma ser aprovado pela maioria, por ser uma iniciativa do BE.


    Re:Open Source (Pontos:1)
    por Init em 11-12-03 13:42 GMT (#61)
    (Utilizador Info)

    «eleminação extrita», passa a eliminação estrita.


    Re:Open Source (Pontos:2)
    por raxx7 em 11-12-03 14:56 GMT (#63)
    (Utilizador Info)

    ... olhar para o codigo é muito bonito, mas e depois? Posso altera-lo? Posso altera-lo um bocadinho? Posso altera-lo muito? Tenho de pedir a alguem para fazer alterações? ...
    Obviamente que tudo isto são variantes do mesmo problema: dependência do fornecedor.

    Se os gestores da administração pública não sabem quais as suas necessidades actuais, então algo grave se passa. E se não são capazes de fazer uma previsão a curto prazo de quais vão ser as necessidades das entidades em que trabalham, então também se passa algo grave.
    «os gestores das administração pública» é algo muito vago. Neste caso, estamos a falar de deputados a propor uma Lei para regular a AP. Portanto, cabe-lhes a eles mostrar um estudo adequado sobre as necessidades de software da AP no presente e a curto prazo e que essas necessidades podem ser adequadamente satisfeitas no contexto da Lei proposta.

    A forma como está implementado o sistema de excpeções e o seu proposito não é algo central no projecto lei e pode perfeitamente ser alterado.
    O problema é que, na minha opinião, qualquer sistema de excepções suficientemente flexível é demasiado susceptível a abusos, tornando a Lei inútil. Este país não precisa de mais leis para não serem cumpridas. O problema do uso de software não Livre por parte do Estado não é o software não Livre. É a corrupção e incompetência por parte de quem toma decisões na aquisição de bens e serviços por parte do Estado. O que nos leva à primeira coisa que disse no post anterior: o problema não é sequer específico do software.


    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Open Source (Pontos:2)
    por Cyclops em 11-12-03 16:03 GMT (#64)
    (Utilizador Info)
    Obviamente que tudo isto são variantes do mesmo problema: dependência do fornecedor.

    Não dependes de um fornecedor se podes pagar a outro. Para além disso, também podes não depender de nenhum fornecedor se preferires contratar alguém para uma tarefa, ou recrutar alguém de entre os funcionários actuais.

    Que parte é que não se entende de que com software não-livre normalmente se depende exclusivamente do fornecedor original, pois todos os outros limitam-se a redistribuir (acordos de revenda) e a ter mais ou menos experiência de _utilização do software.

    Apenas o fornecedor original pode fazer algo sobre o código, e por vezes não é uma questão de não haver capacidades técnicas mas por não haver condições legais que as prmitam ser aplicadas.
    Re:Open Source (Pontos:2)
    por raxx7 em 11-12-03 17:24 GMT (#65)
    (Utilizador Info)
    DUH! Vou explicar com todas as letras.
    No primeiro post, enumerei dois problemas relativos à utilização de software não Livre na AP: o facto de o Estado não o poder analizar devidamente e o facto de estar dependente de um fornecedor. Também disse que o software Livre, por definição, satisfaz quaisquer exigências possíveis e imaginárias que o Estado possa ter nestes dois aspectos.
    O Init achou que eram poucos problemas relativos ao uso de software não Livre e enumerou mais alguns. Mas tudo o que ele enumerou se resume a um mesmo problema dos que enumerei no primeiro post: o Estado estar dependente do fornecedor (criador se preferires). Dependente não só no aspecto da licença e suporte mas também, como disseste, no aspecto das necessidades de modificar o software e corrigir bugs e tudo o mais que se possa imaginar.
    Acho que não consigo ser mais claro.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    malha atlantica.. que grande malha (Pontos:0)
    por Pensador em 09-12-03 13:40 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Esse servidor da malhaatlantica nao é assim grande exemplo...
    Aqui a um ano além de estar quase sempre em baixo corria windows 98 e a ligaçao era uma netcabozita..
    Têm isso lá numa escola em carnaxide
    Acho este tipo de iniciativa uma perfeita estupidez. Está provado que os servidores que correm opensource dão muito menos probelmas e sao muito mais produtivos..
    Um exemplo simples. A maior parte do pessoal jovem que conheço e que coda scripts server side, utiliza o php e despreza o asp. Porque sermos obrigados a utilizar o que nao temos acessivel o que nao nos dá jeito utilizar.. Tudo bem que nos pcs de secretaria se use windows.. agora em servidores?? mas será que quem está a frente nao v~e o que grande parte das pessoas realmente repara?!?

    Re:malha atlantica.. que grande malha (Pontos:2)
    por dINAMItE em 09-12-03 14:12 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://www.ferro.eu.org
    mas será que quem está a frente nao v~e o que grande parte das pessoas realmente repara?!?

    Tens dois tipos de pessoas que "estão à frente":

  • Os que não vêm porque simplesmente não têm capacidade;
  • Os que não vêm porque não lhes dá jeito ver.
  • Quanto à "grande parte" que referes, infelizmente ainda não é suficientemente grande.

    Re:malha atlantica.. que grande malha (Pontos:1)
    por mrmv em 09-12-03 16:40 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    "Um exemplo simples. A maior parte do pessoal jovem que conheço e que coda scripts server side, utiliza o php e despreza o asp."

    Simples e Limitado ao teu circulo de conhecidos, de facto não é grande exemplo...


    "The difference between 'involvement' and 'commitment' is like an eggs-and-ham breakfast: the chicken was 'involved' - the pig was 'committed'." - unknown
    Re:malha atlantica.. que grande malha (Pontos:3, Engraçado)
    por fhc em 09-12-03 23:07 GMT (#25)
    (Utilizador Info)

    Os servidores e clientes que correm em Open Source dão sempre mais problemas aos directores de compra. Tudo por causa das respectivas mulheres. Vejamos como o Open Source dá dores de cabeça aos compradores de TI:

    Se o Manel João tem de comprar Open Source, irá receber menos por fora para escolher uma solução. Logo a mulher dirá: és um fraco, e atirar-se-á de cabeça nos braços de outro. O homem ficará portanto numa situação de cuco, gastando ainda mais dinheiro para criar o rebento do outro.

    A mensagem que a Microsoft deveria apregoar é:

    Só gosta de Open Source quem tem dor de corno.

    Francisco Colaço, só neste sentido, espero bem, o maior de todos os cornos no Gildot.


    Re:malha atlantica.. que grande malha (Pontos:2)
    por elmig em 10-12-03 0:15 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://www.DebianPT.org
    Lol... nunca pensei desejar isto a ninguém mas assim sendo com o relacionamento de cornos Open Source que referes: UM GRANDE PAR DE CORNOS. Que não se caiba sequer nas portas. lol.

    "Big brother is watching you, and little brother is too. When big brother goes to sleep, little brother goes through his stuff."

    Re:malha atlantica.. que grande malha (Pontos:1)
    por von em 11-12-03 19:40 GMT (#67)
    (Utilizador Info)
    Um exemplo simples. A maior parte do pessoal jovem que conheço e que coda scripts server side, utiliza o php e despreza o asp. Porque sermos obrigados a utilizar o que nao temos acessivel o que nao nos dá jeito utilizar.. Tudo bem que nos pcs de secretaria se use windows.. agora em servidores??

    Não seja por causa do/das ASP: há PHP para Windows.

    É por estas e por outras que os nossos vizinhos... (Pontos:2)
    por quantic_oscillation em 09-12-03 13:44 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://fs-oss.cjb.net
    espanhóis vão anos à nossa frente:

    Spain's poorest region boots into the fast lane with computer freeware, also connecting everyone in high school to the internet.

    GNU/LINEX
    Re:É por estas e por outras que os nossos vizinhos (Pontos:2)
    por quantic_oscillation em 09-12-03 13:45 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://fs-oss.cjb.net
    só agora é que reparei, o "freeware" é mais uma das habituais calinadas de pseudo-jornalista....
    Re:É por estas e por outras que os nossos vizinhos (Pontos:3, Esclarecedor)
    por elmig em 09-12-03 18:05 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://www.DebianPT.org
    A diferença é que o Portuga, (na generalidade) limita-se a criticar em vez de deitar a mão á obra. É só ver o caso dos trabalhadores da Câmara, Juntas e Taxistas. Os gajos são capazes de passar o dia todo no local de trabalho só a mandar bocas. Qualquer taxista que se preze resolve o problema do Médio Oriente numa corrida da Sta- Apolónia à Praça do Comércio... O que quero ilustrar é que em Portugal fala-se muito e faz-se pouco.

    Guilty as charged...

    "Big brother is watching you, and little brother is too. When big brother goes to sleep, little brother goes through his stuff."

    Re:É por estas e por outras que os nossos vizinhos (Pontos:1)
    por WZ|Dunadan em 16-12-03 14:03 GMT (#69)
    (Utilizador Info) http://www.G4mers-Zone.net
    O nosso problema não é de diagnóstico, mas sim de terapia. :)


    G4mers
    Forum-Zone
    Re:É por estas e por outras que os nossos vizinhos (Pontos:3, Engraçado)
    por 4Gr em 09-12-03 21:32 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    "Os espanhois dizem que em 10 anos vão ultrapassar a Alemanha, e certamente o farão.

    Portugal em 10, consegue ficar 10 anos ainda mais atrasado.."

    JRA, 2003


    Dominus vobiscum
    Há dois anos beirávamos o abismo. (Pontos:3, Engraçado)
    por fhc em 09-12-03 23:10 GMT (#26)
    (Utilizador Info)

    Hoje démos um passo em frente.

    Francisco Colaço


     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]