gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Intrusões em máquinas de Debian
Contribuído por scorpio em 22-11-03 13:46
do departamento intrusões
Debian Manuel escreve "Já o pai falava da história há umas horas, com ligação para o anuncio oficial.

Algumas das máquinas afectadas são nas que estão a web principal, listas, BTS e o arquivo de pacotes com actualizações de seguridade; alguns destes serviços não estão ainda nesta altura disponíveis. É importante dizer que em princípio a intrusão não afectou aos pacotes, e que não é fácil fazê-lo mesmo com acesso ao arquivo, salvo sendo um/a desenvolvedor/a. A nota também diz que se adiará um bocadinho a nova versão estável, a v3.0r2 que estava pronta nos servidores não se pode anunciar esta manhã como se pensava.

GNU, Debian e mais alguns projectos de software livre já foram comprometidas nos últimos tempos.. qual o seguinte? Mas enfim, pelo menos com estes projectos sabemos o que se passa, nem quero imaginar o que fariam algumas empresas dessas que têm de publicar actualizações de segurança que se diz que arranjam as falhas das actualizações de segurança anteriores ;) "

Java Desktop & Looking Glass | Novo Nokia 6600 : Tem tudo e mais alguma coisa  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • gildot
  • Debian
  • Manuel
  • Já o pai falava da história
  • anuncio oficial
  • não é fácil fazê-lo mesmo com acesso ao arquivo
  • Mais acerca Debian
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    E que tal... (Pontos:0, Informativo)
    por karamelo em 22-11-03 16:15 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    ...agora em português?
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por André Simões em 22-11-03 18:31 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    Porquê? Há ali algum erro de ortografia ou de sintaxe? Ah, já entendi: estavas à espera de que, como é costume ver-se aqui, tivesse 1 erro por cada 3 palavras. Como não os tem e está num português irrepreensível, estranhas.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por TarHai em 22-11-03 20:51 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    Portugues? Nao te esqueces que em media, o portugues e brazileiro ;)
    ## I see offline people.
    Re:E que tal... (Pontos:3, Esclarecedor)
    por bracaman em 22-11-03 23:37 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://bracaman.netcanvas.net
    Que eu saiba aquilo é Português. Foi escrito por um irmão do outro lado do oceano... e depois?

    --
    "Muda, que quando a gente muda, o Mundo muda com a gente" -- Gabriel, o Pensador
    Re:E que tal... (Pontos:0)
    por karamelo em 23-11-03 0:45 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Tantos gajos inteligentes :) pois é mas o tipo é galego. Não é brasileiro.
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por bracaman em 23-11-03 1:05 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://bracaman.netcanvas.net
    Por acaso fiquei na ideia que era brasileiro :)
    Sorry (mas acho que o PT tá bem bom)

    --
    "Muda, que quando a gente muda, o Mundo muda com a gente" -- Gabriel, o Pensador
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por jorgelaranjo em 23-11-03 1:46 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://lesi.host.sk/
    Bastava ir aqui para ler «Português (Galego)» :D

    Cumprimentos,
    Jorge Laranjo
    01100110 01110101 01100101 01100111 00110000
    http://pocketBlog
    Re:E que tal... (Pontos:1)
    por simul em 23-11-03 2:35 GMT (#10)
    (Utilizador Info)
    Ai sim? E isso quer dizer que não percebeste o que ele escreveu? ou o teu comentário inicial:"E que tal... agora em português?" foi só para no fim poderes dizer que o moço até é Galego? É como escreves, és um bom karamelo. Enfim... quem não tem nada interessante para dizer, faz estes comentários e também estas respostas a estes comentários (onde também me incluo :-) Hughs!
    Re:E que tal... (Pontos:0, Gozão)
    por karamelo em 23-11-03 13:44 GMT (#13)
    (Utilizador Info)
    Sim admito foi só para chatear :P
    :*
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 23-11-03 16:17 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Sim admito foi só para chatear :P
    :*


    nao havia nexexidade..
    galiza e' povo irmao, os outros sao apenas nossos vizinhos.



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por bgravato em 23-11-03 4:16 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Assim num português de 6 anos entenda para que tu seja compreensível por ti também?

    Se aquilo não é português então tu deves falar russo...

    A única palavra que me fez confusão foi "seguridade"

    De resto se não fosse o teu triste comentário nem sequer tinha descoberto que quem fez a submissão não era português...

    Eu não vou muito à bola com os espanhois, porque já fui vítima de xenofobia por parte deles várias vezes, mas tu consegues ser bem pior. É triste ver que há (pseudo-)portugueses assim.


    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 23-11-03 16:01 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Eu não vou muito à bola com os espanhois, porque já fui vítima de xenofobia por parte deles várias vezes, mas tu consegues ser bem pior. É triste ver que há (pseudo-)portugueses assim.

    eu nao sei onde e' que tu raio vais a' bola,
    mas ya, os espanhois sao todos uns tipos de 2metros, louros e de olhos azuis, qualquer portugues de bigode, de metro e meio, castiço e moreno no meio deles e' logo spotada a milhas de distancia.

    Os complexo de inferioridade so os tem quem quer,

    a nao ser que sejam jogos do Badajoz ou do Real de Madrid mas ai tens razoes para ser apupado.. :)




    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por bgravato em 23-11-03 17:51 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    mas ya, os espanhois sao todos uns tipos de 2metros, louros e de olhos azuis, qualquer portugues de bigode, de metro e meio, castiço e moreno no meio deles e' logo spotada a milhas de distancia.

    Sinceramente não sei o que é que isto tem a ver com o assunto...

    Que eu tenha reparado não disse que fui discriminado por causa da minha aparência física, mas sim por causa da minha nacionalidade.

    Se há dúvidas em relação ao significado da palavra xenofobia... do dicionário:

    xenofobia

    do Gr. xénos, estrangeiro + phob, r. de phobein, ter aversão

    s. f., aversão às pessoas ou coisas estrangeiras.


    Os complexo de inferioridade so os tem quem quer,


    Tens? Eu não tenho...

    a nao ser que sejam jogos do Badajoz ou do Real de Madrid mas ai tens razoes para ser apupado.. :)

    Questões futebolísticas passam-me ao lado.


    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 23-11-03 18:43 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Sinceramente não sei o que é que isto tem a ver com o assunto...

    ?
    nao foi o bgravato que escreveu o comentario anterior?
    se nao e's discriminado pela aparencia fisica so o podes ser quando abres a boca, que outra maneira tem um espanhol saber que e's portugues?

    agora se dizes o que nao deves ou se vais pra bancada dos espanhois com um cachecol das quinas em jogo de selecoes isso e' outra historia. Porque pelo aspecto fisico nao consegues distinguir um portugues de um espanhol de um frances de um italiano de um marroquino ou de um grego. Logo a ironia do comentario


    Os complexo de inferioridade so os tem quem quer,
    Tens? Eu não tenho...


    queixaste de ser vitima de xenofobia pelos espanhois. Eu vou mil e uma vezes a espanha e nem por sombras senti qualquer aversao por ser portugues, antes pelo contrario :D
    Logo no sou eu que os tenho.

    a nao ser que sejam jogos do Badajoz ou do Real de Madrid mas ai tens razoes para ser apupado.. :)
    Questões futebolísticas passam-me ao lado.

    E isso nao parte mais do que senso comum, e' sobejamente conhecido que o presidente do badajoz "era" portugues e que levou o clube a descer de divisao ou a nao subir, pouco importa. Do mesmo modo que e' sobejamente conhecido q o treinador do Real Madrid, que levou 4 secos do sevilha recentemente, e' tambem portugues.

    Mas curti dessa leviandade de despresso, "futebol passame ao lado.. "
    Quando ia jurar que foste tu mais uma vez a falar em futebol

    Eu não vou muito à bola com os espanhois, porque já fui vítima de xenofobia por parte deles várias vezes, mas tu consegues ser bem pior. É triste ver que há (pseudo-)portugueses assim.




    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2, Esclarecedor)
    por Anonimus Cobardis em 23-11-03 19:36 GMT (#18)
    (Utilizador Info)
    Err. E se voltasses atrás e lêsses o comentário original do 'bgravato' ?

    Aliás, para te poupar trabalho até vou transcrever aqui a parte que parece ter originado isto tudo:

    > Eu não vou muito à bola com os espanhois, porque já fui vítima de xenofobia por parte deles
    > várias vezes, mas tu consegues ser bem pior. É triste ver que há (pseudo-)portugueses
    > assim.

    Francamente não percebo como é que o futebol veio para aqui misturado. A expressão "não vou à bola" não tem /rigorosamente/ nada que ver com futebol, simplesmente significa que não se gosta particularmente, ou não se nutre simpatia especial por determinada coisa.

    Quanto ao resto, por motivos profissionais desloco-me amiúde a Espanha e posso constatar que, de facto, tudo o que não seja espanhol é tratado um bocado como se fosse de segunda categoria. Não é à toa que existem inúmeras anedotas de espanhóis que versam exactamente isso, por exemplo "11 em cada 10 espanhóis julgam-se melhores que os outros" ou "porque é que todos os espanhóis nascem prematuros? porque nem as mães os conseguem aguentar durante 9 meses", etc etc.

    Ainda há dias, em conversa com uma amiga, veio à baila precisamente o (aparente) complexo de superioridade de que, infelizmente, muitos espanhóis parecem sofrer, e contou-me ela que num teste a cervejas conduzido por "nuestros hermanos" deram a provar a várias pessoas um determinado número de cervejas, sem que o provador soubesse a marca. Resultado final, ganhou a portuguesa SuperBock (olé! :). Quando confrontados com as marcas, numa segunda degustação, curiosamente a SuperBock ficou num dos últimos lugares...

    Já agora, lê isto e isto. São assuntos reais.

    Só um último reparo, quem introduziu a aparência física na discussão foste tu, não foi o 'bgravato'. Torna a ler o que ele escreveu, vais ver que ele disse apenas que tinha sido discriminado devido à sua nacionalidade (xenofobia), não falou em racismo. Ah, e já agora, sim, é possível distinguir um português dum francês ou dum marroquino ou mesmo dum grego apenas pela aparência física. Como não somos todos originários da mesma região todos temos traços físicos particulares e distintivos. Óbviamente que não é 100% seguro (isso só olhando para o passaporte, mesmo), mas é bastante preciso. Depois de passares mais uns verões de mochila às costas por esse mundo fora, vais ver que te tornas num perito em encontrar o português no meio da multidão ;). Só mais uma achegazita, e esta em tom de provocação para os nossos irmãos espanhóis, ao que parece os preservativos que a Durex põe à venda no mercado português são maiores que os que se encontram no mercado espanhol, por isso todas as outras discussões são secundárias -- naquilo que realmente interessa nós levamos vantagem ;)

    Quanto ao futebol, cada vez mais partilho da opinião dele: passa-me ao lado. E não é leviandade, como tu dizes, simplesmente não me interessa. Provávelmente dezenas de coisas que a mim me interessam sobejamente a ti te passam ao lado. O futebol parece interessar-te sobremaneira, a outros... nem por isso. É como diz o Clint Eastwood, as opiniões são como o olho do cu: cada um tem um(a).

    E com isto, vou é dormir... o "pouca-terra-pouca-terra" do combóio está a dar-me sono. Cumprimentos a todos.


    --
    © 1982 Sinclair Research Ltd
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 23-11-03 22:13 GMT (#20)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Eu não vou muito à bola com os espanhois,

    e' mais comum do jargao portugues dizer ir a' bola para referir que vai a um encontro de futebol
    do que dizer ir a' bola no sentido figurativo prejurativo de ir na cantiga com.
    Se ele tem explicado no 2º post isso talvez o meu teria sido desnecessario, mas nao preferiu atirar postas de pescada. So te agradeco por teres explicado o que ele nao conseguiu. ASsunto resolvido move on nothing to see.

      Qt aos portugueses serem discriminados em espanha e as noticias de jornal que ai colocaste em link

    «Em termos de salários o que nos foi dito é que os trabalhadores iam para lá ganhar cerca de 300 contos, sem horas extra. Eles fazem horas extra e ganham nem chega a 200 contos, enquanto que os trabalhadores espanhóis recebem mais de 300 contos», denuncia o sindicalista.

    A noticia por si so nao siginifca nada, dizer que portugueses em espanha ganham 200 contos enquanto em portugal a taxa de desemprego andas no 8%. Em que 450 mill nao tem emprego tem que se lhe diga.
    Onde e' que esta o contrato assinado? Qual o valor que la vem estipulado? Como esses trabalhadores nao estao la obrigados, de certo sabiam quanto iriam receber, senao e' aquilo conbinado e' o direito deles rescindir contrato e exigir a diferenca.

    Podias alias ter lido os comentarios e ai sim terias uma percepcao mais real do que pensam os portugueses.
    Destaco este mui sui generis por acaso

    Sexta-feira, 14/11/2003 às 11:25
    acho que se enganaram no titulo , deve ser , trabalhadores portugueses discriminados em portugal


    quanto a do clint eastwood da mochila, do pouca terra e do futebol, veste o habito, o colarinho branco, e vai pra sacristia dar a missa a outro.



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por bgravato em 23-11-03 23:34 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    Acho que o significado de "não ir à bola com" foi bastante claro e parece que só tu é que não percebeste. No jargão da "minha terra" não ir à bola com não tem a ver com ir ao futebol. Talvez a origem da expressão venha daí, mas normalmente não se usa nesse sentido. E quer-me parecer que tu percebeste isso muito bem e estás só a fazer-te de desentendido proposidamente só para implicar, mas enfim... há quem se divirta assim...

    quanto a do clint eastwood da mochila, do pouca terra e do futebol, veste o habito, o colarinho branco, e vai pra sacristia dar a missa a outro.

    O mesmo se pode dizer a ti quando vens com os teus brilhantes comentários futebolísticos, entre outros.


    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 24-11-03 0:09 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Acho que o significado de "não ir à bola com" foi bastante claro e parece que só tu é que não percebeste. No jargão da "minha terra" não ir à bola com não tem a ver com ir ao futebol.

    pois para ser mais correcto na minha terra "nao ir a bola com " nem sequer existe, existe sim "e' nao dar bola a"

    E quanto ao, do saber e ser minha intencao apenas implicar, fica a saber que nao. Foi apenas uma percepcao que tirei do contexto.

    1- muitos elementos de extrema-direita participam em jogos de futebol de forma organizada
    2- com mais portugueses a jogar em espanha e' normal que existam mais portugueses a assistir aos jogos

    quanto ao resto ja ficou tudo dito nao vale a pena continuar com esta discussao



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:1)
    por Anonimus Cobardis em 24-11-03 2:13 GMT (#27)
    (Utilizador Info)
    > e' mais comum do jargao portugues dizer ir a' bola para
    > referir que vai a um encontro de futebol do que dizer ir a'
    > bola no sentido figurativo prejurativo de ir na cantiga com.

    Bom, eu toda a minha vida ouvi dizer isso, "não vou à bola com..." para expressar desagrado em relação a algo, e não com o sentido de ir ao estádio ver um jogo de futebol (obviamente que também há essa interpretação, mas em contextos absolutamente diferentes). E também não tem qualquer sentido pejorativo, pelo menos que eu encontre. É apenas e só uma manifestação de gosto pessoal. Como tal é subjectivo, sim, mas pejorativo, não. O facto de eu gostar de alguma coisa e tu não não faz com que eu esteja automáticamente certo e tu errado, ou vice-versa. Já agora, "ir à bola" não é jargão, é uma expressão popular.

    Entretanto noutra resposta falaste em "não dar bola a ", mais uma vez, isso não tem /rigorosamente/ nada que ver com "ir à bola com". "Não dar bola", significa não dar conversa a, não ligar a.

    "Não vou muito à bola com espinafres" == não gosto de espinafres.
    "O João queria treta, mas eu não lhe dei bola" == não lhe dei conversa.

    > A noticia por si so nao siginifca nada, dizer que portugueses
    > em espanha ganham 200 contos enquanto em portugal a
    > taxa de desemprego andas no 8%. Em que 450 mill nao tem
    > emprego tem que se lhe diga.

    Diz-me lá, o que é que o facto de haver 450 mil desempregados em Portugal tem que ver com o facto? Tem tanta relevância como dizer "Em Portugal a sinistralidade rodoviária é muito elevada, mas na Alemanha a Mercedes vende centenas de milhar de automóveis por ano". Até podia haver 9 milhões, o que não alteraria um milimetro que fosse a imoralidade desta situação. Estavam a trabalhar mais 20 horas semanais (pelo menos, contando com uma semana laboral de 5 dias, que na realidade era mais) que os trabalhadores espanhóis e a receber menos. Os factos são esses. É o suficiente para deixar qualquer pessoa de bem indignada por haver tal discriminação baseada somente na nacionalidade. Mas não nos enganemos, isto também acontece cá, e não é por isso que é menos desprezível e digno de condenação. Ou julgam que os empreiteiros que contratam os ucranianos, moldavos e africanos lhes pagam o mesmo que aos portugueses? Tá bem, tá.

    De rescindirem o contrato e voltarem, pois, óbviamente que sim. Mas também não és tu que dizes que em Portugal há cerca de meio milhão de desempregados? Então vinham para cá engrossar as filas do desemprego, não era? E considerando que são trabalhadores do ramo da construção civil (não que implique só possam trabalhar nisso, mas pronto), actualmente em Portugal há um grande excedente de mão de obra exactamente porque não há obras de grande monta a decorrer: estádios do Euro, todos prontos, ou quase prontos; A2, pronta; Alqueva, pronto. A única obra de grande envergadura em curso, actualmente, é a construção do metro no Porto. Poderá eventualmente haver em breve a construção da terceira ponte sobre o Tejo, o novo aeroporto de Lisboa, o falado aeroporto de Beja. Mas o facto é que as grandes obras que empregavam milhares de pessoas foram concluidas recentemente. Por isso é normal que muitos tenham ido trabalhar para fora. Quanto ao ter lido os comentários, li sim senhor, mas depois de ter lido pérolas como "mandem para lá os pretos e os ucranianos" ou "é bem feito", acho que não vale a pena dizer nada. Esses comentários do "é bem feito" só demonstram que nunca tiveram de trabalhar para se sustentarem, senão sabiam bem o que custa. Como diz alguém lá nos comentários, é a livre circulação de pessoas e bens. Ir trabalhar para outro país que, supostamente apresenta melhor nível de vida é um aspiração legítima. Afinal de contas, porquê estar aqui a ganhar 50 quando pode ir para outro lado fazer o mesmo ganhar 100? O problema é que em vez dos 100 prometidos só pagam 50, em condições muitas vezes infra-humanas.

    Quanto ao vestir o hábito e o colarinho branco, só tenho a dizer-te: whatever. A citação do Clint Eastwood "Opinions are like assholes, everybody has one" quer dizer isso mesmo -- todos temos opiniões e gostos diferentes. Se não consegues aceitar isso, paciência. Se te sentiste ofendido, mais uma vez, paciência, não posso fazer nada quanto a isso, além de dizer-te que não foi com essa intenção. O comboio, bom, como dizer-te isto, eu estava dentro de um comboio! Surpresa, surpresa! Se leste nisso mais do que estava lá, mais uma vez, paciência. Do futebol, não respondo mais porque não vale a pena. Não me diz nada, ponto final. Se tu gostas, óptimo, ainda bem para ti, fico feliz por isso. Não tentes é impingi-lo aos outros, ok? Eu gosto muito de bolo de noz, mas nem por isso ando aí a advogar que toda a gente devia comer. E quanto à mochila, mantenho tudo o que disse, não altero uma vírgula. Fazia-te bem pegares na mochilinha e ires por aí fora ver o mundo, alargar os horizontes, ver coisas novas. Acredita. A mim fez-me um bem enorme, nos meus tempos de jovem inconsciente.

    E, já que estás com a mão na massa, vê lá se controlas um bocadinho essa agressividade. Tens sorte de não seres meu filho, senão ficavas de castigo ;)


    --
    © 1982 Sinclair Research Ltd
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 24-11-03 3:59 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Diz-me lá, o que é que o facto de haver 450 mil desempregados em Portugal tem que ver com o facto? Tem tanta relevância como dizer...

    tem a mesma relevancia que dizer que os portugueses sao mal tratados em espanha.

    pro resto da prossa, haja paciencia



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:1)
    por Anonimus Cobardis em 24-11-03 13:39 GMT (#33)
    (Utilizador Info)
    Não consigo perceber. Explica-me devagarinho qual é a relação de causa/efeito de haver muitos desempregados em Portugal e haver trabalhadores portugueses que são explorados em Espanha. É que, francamente, eu não consigo perceber o que é que uma coisa tem que ver com a outra.

    O facto de haver sensivelmente meio milhão de desempregados em Portugal faz com que automáticamente todos os trabalhadores portugueses em Espanha têm de ser explorados? Mas, pensava eu em toda a minha ingenuidade que éramos todos cidadãos europeus de plenos direitos. Se calhar isto da União Europeia e da livre circulação de pessoas e bens é uma fraude, é isso que queres dizer? Humm, sabes alguma coisa que eu não saiba? Por favor, partilha!

    Quanto à prosa, de facto, tens razão. Não vale a pena discutir nada contigo porque tu é que sabes ;) Deixa lá, isso com a idade passa.


    --
    © 1982 Sinclair Research Ltd
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 24-11-03 14:26 GMT (#35)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Quanto à prosa, de facto, tens razão. Não vale a pena discutir nada contigo porque tu é que sabes ;) Deixa lá, isso com a idade passa.

    tambem ia jurar que te tinhas ido deitar ontem (domingo) as 9 horas e pelos vistos nao...



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por MacLeod em 23-11-03 20:01 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    Porque pelo aspecto fisico nao consegues distinguir um portugues de um espanhol de um frances de um italiano de um marroquino ou de um grego.

    Há sempre excepções, mas garanto-te que na maior parte dos casos consigo distingir portugueses, franceses, marroquinos e gregos pelo aspecto físico.

    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 23-11-03 22:25 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Porque pelo aspecto fisico nao consegues distinguir um portugues de um espanhol de um frances de um italiano de um marroquino ou de um grego.

    Há sempre excepções, mas garanto-te que na maior parte dos casos consigo distingir portugueses, franceses, marroquinos e gregos pelo aspecto físico.


    sim somos muitos diferentes e serve tambem pra responder ao anterior.
    somos tao diferentes que ate os iraquinos se parecem com os portugueses, basta ligar a tv.

    Paises tipicamente latinos mediterraneos com alimentacao baseada em peixe legumes e vegetais tem tracos comuns, so na faixa franco/belga alemao ou polaco se comeca a distinguir pela tonalidade do cabelo e tom de pele, os avermelhados e depois os alourados e respectiva tonalida mais palida da pele, caracteristica dos paises do norte da europa.

    Os vossos argumentos de "Eu quase 99% acerto na origem de determinado fulano" e' falsa.
    Basta pegar em duas pessoas proximas de cada lado da fronteira.

    Alguem consegue olhando para um transmontano ou um galego, um habitante de elvas ou um de badajoz distinguir se este e' portugues ou espanhol?
    O mesmo se aplica entre um lisboeta um portuense, um madrileno ou um catalao. Alguem consegue garantir 100% qual a sua origem?
    claro que nao, por isso deixem -se de demagogias bagogas.





    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por MacLeod em 24-11-03 10:41 GMT (#31)
    (Utilizador Info)
    Respondias melhor se tivesses lido o meu comentário. Eu não disse que conseguia distinguir facilmente portugueses de espanhóis de italianos. Nem disse que conseguia garantir 100% a origem de ninguém...

    somos tao diferentes que ate os iraquinos se parecem com os portugueses, basta ligar a tv.

    Se ver na tv é a tua maneira de comparar, então vou ali e já venho. Provavelmente nunca foste a Marrocos, mas deixa-me que te diga que os árabes são de facto muito mais escuros, têm uma maior predominância de cabelos tipo encaracolados, traços fisionómicos diferentes, etc. Já para não falar que Marrocos não é um país latino...

    Em relação aos franceses, acho que já admitiste que se conseguem distinguir

    so na faixa franco/belga alemao ou polaco se comeca a distinguir pela tonalidade do cabelo e tom de pele

    Em relação ao que dizes sobre alimentações iguais e áreas geográficas semelhantes, acho que nunca ninguém concluiu que são hábitos alimentares diferentes que levam à formação de etnias diferentes. E mais, dizer que um grego é semelhante a um português (fisicamente) não só revela ignorância mas também muita cultura tipo "ver na tv". Os gregos são bastante mais parecidos com os turcos (aliás, é muito difícil de distinguir entre os dois físicamente) e têm muitas vezes traços eslavos, fruto da influência da convergência de povos/culturas naquela zona geográfica. Mas como dizes, se calhar basta pegar em duas pessoas próximas de cada lado da fronteira Luso-grega e provavelmente encontram-se semelhanças...


    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 24-11-03 14:13 GMT (#34)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Se ver na tv é a tua maneira de comparar, então vou ali e já venho.

    sim ou tu vais muitas vezes ao iraque em congressos internacionais ou entao es um daqueles que la anda de G3 de bigode a patrulhar as ruas de baghdad.

    A vossa incoerencia vai ao ponto de dizer que sim e' facil distinguir e depois lancam atoardas que afinal um grego ja se parece com um turco. Se um grego e' parecido com um turco e e' muito dificil distinguir entre os 2 porque raio um portugues e' assim tao diferente de um espanhol?

    Os franceses na faixa "RED" sao os do norte acima de paris. Porque mete la um marselhense, um lionenese ao pe de um lisboeta e vais a diferença estre os 2. NENHUMA

    A comida influencia a fisionia e traco de um povo. Por alguma razao a "carne" abunda no norte na europa enquanto no sul sao os peixes, legumes etc como referi




    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por MacLeod em 24-11-03 16:12 GMT (#36)
    (Utilizador Info)
    sim ou tu vais muitas vezes ao iraque em congressos internacionais ou entao es um daqueles que la anda de G3 de bigode a patrulhar as ruas de baghdad.

    Estava a falar de árabes e não de iraquianos em particular. E já estive em alguns países árabes, não é de ver na tv.

    A vossa incoerencia vai ao ponto de dizer que sim e' facil distinguir e depois lancam atoardas que afinal um grego ja se parece com um turco. Se um grego e' parecido com um turco e e' muito dificil distinguir entre os 2 porque raio um portugues e' assim tao diferente de um espanhol?

    Mais arrogância... Eu nunca disse que um português era assim tão diferente de um espanhol, nem percebo porque continuas a usar o plural. Uma "atoarda" dizer que um grego é parecido com um turco? Só quem não esteve lá pode dizer isso. Os gregos e turcos são muito parecidos tanto culturalmente como fisicamente, mas obviamente não vou perder tempo a explicar-te isso.

    Em relação aos dois últimos parágrafos, brilhante! Devias escrever um livro sobre etnias, dietas e geografia.

    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 24-11-03 19:09 GMT (#39)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    Em relação aos dois últimos parágrafos, brilhante! Devias escrever um livro sobre etnias, dietas e geografia.

    eu?
    eu sou um pobre coitado que nunca saiu de casa.

    nao e's tu e o outro da mochila que sao os viajados?
    "ja fui ao brasil.. goa e bissau angola mçambique macau e timor ...aai foi um conquistador...."





    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por bgravato em 23-11-03 23:59 GMT (#23)
    (Utilizador Info)
    A maneira como se é identificado como sendo português é absolutamente irrelevante. O que é relevante é o facto de se ser discriminado por causa da nacionalidade.

    Continuo a não perceber porque achas que eu tenho complexos de inferioridade, lá porque os espanhois se sentem superiores não quer dizer que eu me sinta inferior, pelo contrário.

    Tu é que pareces insistir num sentimento de superioridade também (ou como se diz "na minha terra" estás armado em bom), e pareces querer insinuar que eu sou inferior por ter sido discriminado em espanha e tu não.

    Eu acho que pessoas que pensam assim é que são inferiores.

    Lá porque nunca aconteceu contigo não quer dizer que não aconteça com os outros.

    Uma das últimas vezes que estive em espanha (já lá vão uns anitos) foi em Lloret de Mar e comigo estavam mais uns 50 portugueses, e fomos todos vítimas de xenofobia no hotel onde estavamos por parte de alguns funcionários, o que valeu uma queixa formal à agência de viagens e hotel onde ficámos hospedados.
    Portanto não foi só aqui o "coitadinho" (segundo o teu ponto de vista tacanho) que foi discriminado.

    Tal como os há maus, também há bons e já conheci espanhois que não nutrem desses sentimentos xenofobos. Até me recordo de conhecer um espanhol (penso que era de Barcelona) há uns meses atrás, que ele próprio reconheceu que os espanhois eram mais xenófobos em relação aos portugueses que os portugueses em relação a eles.

    Quanto ao futebol... quem tem tido uma atitude de "leviandade de desprezo" desde o início desta discussão tens sido tu.
    Quando disse que o futebol me passa ao lado, quis somente dizer que os meus conhecimentos futebolísticos não me permitem comentar esse tipo de analogias.

    Mas não deixa de ser curioso que as pessoas com pensamentos tacanhos como tu, são geralmente grandes aficionadas do futebol...

    Como já ouvi uma vez alguém dizer "o nível cultural/intelectual/etc de um povo pode-se medir pela importância que dão ao futebol"

    Não vou comentar tal afirmação, mas cada um que tire as suas conclusões...


    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por racme em 24-11-03 0:18 GMT (#25)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    A maneira como se é identificado como sendo português é absolutamente irrelevante. O que é relevante é o facto de se ser discriminado por causa da nacionalidade.
    Continuo a não perceber porque achas que eu tenho complexos de inferioridade, lá porque os espanhois se sentem superiores não quer dizer que eu me sinta inferior, pelo contrário.


    o relevante e' aplicar rotulos que foi o que tu fizeste.
    Dizer que um povo e' xenofobo, nao faz de ti menos xenofobo.

    Como já ouvi uma vez alguém dizer "o nível cultural/intelectual/etc de um povo pode-se medir pela importância que dão ao futebol"
    Não vou comentar tal afirmação, mas cada um que tire as suas conclusões...


    ja chega o papel de vitima, tas na grande intarweb e o erro ja foi reconhecido.

    Como já ouvi uma vez alguém dizer "o nível cultural/intelectual/etc de um povo pode-se medir pela importância que dão ao futebol"

    eu diria que pelos comentarios que dao.



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:E que tal... (Pontos:2)
    por bgravato em 24-11-03 4:52 GMT (#29)
    (Utilizador Info)
    o relevante e' aplicar rotulos que foi o que tu fizeste.
    Dizer que um povo e' xenofobo, nao faz de ti menos xenofobo.


    Não, não fiz, nem disse isso. Se foi o que pareceu, não era essa a minha intenção, pelo contrário, foi precisamente isso que eu quis criticar no post inicial.

    Quis mostrar o meu desagrado por alguém estar a ser xenófobo em relação a quem submeteu o artigo só por ser espanhol.

    Que eu me lembre nunca disse que os espanhois eram todos xenófobos, apenas disse que tinha sido vítima de xenofobia por parte de alguns e que, apesar disso, e precisamente por não gostar de rótulos, achava errado (e mesmo vergonhoso) alguém estar a implicar com outra pessoa só por ser espanhola.

    Como a conversa depois descambou para outros lados, o sentido original do meu primeiro comentário acabou por se perder no meio de discussão.

    E parece que nós os dois continuamos com algumas falhas de comunicação que já geraram vários mal-entendidos. E falamos os dois a mesma língua (se bem que às vezes nem parece), tomara se falássemos línguas diferentes...


    tal e coiso.. (Pontos:1)
    por Manuel em 24-11-03 0:53 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://sindominio.net/~manuel/
    como já alguém disse por aí, para ser um galego (!= espanhol) que como o resto foi a uma escola em castelhano, ou nas últimas épocas ter 2 ou 3 disciplinas no ensino obrigatório em um invento de laboratório que chamam de "galego" (e é na realidade castelhano com algumas palavras e morfologia por vezes portuguesa, outras castelhana e outras inventadas..) violando leis que obrigam a ministrar mais em "galego"; não ter a oportunidade de ver rádio ou tevê portuguesa nem ler imprensa em papel e só ter estado em total da minha vida menos de 8 dias em Portugal, acho-me muito feliz porque a gente me tenha confundido com um brasuca. felizmente, não sou o único galego afectado por confusões. outros não são afectados por confusões, mas reconhecidos como portugueses plenamente. altamente, irmãos! ;)
     
    mas neste caso também podias ir mirar nalgum dicionário, pex http://www.priberam.pt/dlpo/dlpo.aspx e ver que é palavra aceite. as palavra é derivada da latina "securitate" assim que "-dade" é uma das evoluções possíveis, como a de muitas outras palavras que terminam assim, e neste caso seria uma evolução "mais natural" do que "segurança". que seja mais habitual em uma língua uma derivação ou outra de uma palavra nem sempre significa que seja incorrecta, embora talvez neste caso em Portugal sim seja. mas por enquanto, em Brasil acho que também se fala português, assim que esse agora em português? é um bocadinho incorrecto.
     
    de todas maneiras, obrigado por assinalares a gralha, sempre disposto a aprender, e desculpas se incomodar!
     
     
    PS: quem queira saber mais sobre o tema pode ler aqui: Por que falamos galego? Uma resposta medieval (um bocadinho longo, mas..)

    --
    Pela ribeira do rio cantando
    ia la virgo d'amor: quen amores
    à como dormirá, ai bela frol!
    Re:tal e coiso.. (Pontos:2)
    por cgd em 24-11-03 11:25 GMT (#32)
    (Utilizador Info) http://cgd.sdf-eu.org/

    O teu texto estava bom. Basicamente o securitate e o desenvolvedor juntos é que devem ter feito faísca. Securitate pelos vistos existe. Deve ser uma forma antiga de seguro. Quando a "desenvolvedor" é que tenho as minhas dúvidas, mas tem-se introduzido tanta bosta no dicionário que já não digo nada :-)

    carlos

    Re:tal e coiso.. (Pontos:1)
    por Manuel em 24-11-03 17:50 GMT (#37)
    (Utilizador Info) http://sindominio.net/~manuel/
    pois agora já nem sei se estarão mais tolos os desenvolvedores de/da/do Debian, ou gente de toda a parte, ou então será que a gente do gildot acha que developer é mais português do que desenvolvedor... (embora muitas dessas aparecem porque a palavra "developer" faz parte dos URLs, em outras notícias não é assim).
     
    e o estádio do Dragoum,
    será Português ou noum? ;)
     
     
    PS: Bib'ò norte, carago!

    --
    Pela ribeira do rio cantando
    ia la virgo d'amor: quen amores
    à como dormirá, ai bela frol!
    Re:tal e coiso.. (Pontos:2)
    por cgd em 24-11-03 18:30 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://cgd.sdf-eu.org/
    Segundo a tua teoria, portanto, um volvedor é aquele que se volve; um devolvedor é aquele que devolve, etc... Já agora como é que traduzes "maintainer", aquele que mantém? Mantedor?! Ou seja, todas as formas verbais em português têm um substantivo associado que representa uma profissão ou um modo de agir. Muito bem. O que vale é que esta gente do norte sabe escrever bem...

    Já agora, a próxima vez que tentares descobrir coisas sobre português no google, por favor, adiciona um "-br" "-brazil" "-brasil", ou alternativamente podes usar a opção "páginas localizadas em portugal" (visível na 1a página do google.pt), caso contrário apanhas demasiado lixo que não é português de Portugal. E é este último que me interessa.

    carlos

    Re:tal e coiso.. (Pontos:2)
    por André Simões em 24-11-03 22:51 GMT (#40)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    "Mantedor", que seria a forma correcta em português, não existe, mas existe o castelhanismo "mantenedor". "Devolvedor" parece não existir. "Desenvolvedor" não encontrei, mas "desenvolvente" existe. Não há portanto regras absolutas. Contudo, entre "desenvolvedor" e "developer" votaria sem hesitar na primeira.

    Adicionar o "-br" porquê? O português do Brasil é menos correcto do que o de Portugal? Podes não gostar dele (eu também não gosto de muitas coisas dele), mas não deixa de ser português de corpo inteiro, tal como o dos países africanos ou como o da Galiza.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:tal e coiso.. (Pontos:1)
    por Manuel em 25-11-03 2:25 GMT (#41)
    (Utilizador Info) http://sindominio.net/~manuel/
    homem, eu não sou especialista em criar palavras, mas parece-me que é evidente que os neologismos se criam assim:
    • ora adaptando a palavra estrangeira que não significa nada à pronuncia do país, o caso de foot-ball -> futebol
    • ora acrescentando um significado a uma palavra existente dando-lhe uma nova acepção, como pode ser ligação (acrescentar esse significado de "unir" dois hiper-textos da web, pois o conceito é parecido/igual com um anterior), ou elevador
    quanto ao que dizes, não é "volvedor" porque não há nenhuma necessidade de dizer isso, nem se me ocorre nada para poder utilizar "devolvedor", mas como diz o André utilizam às vezes mantenedor que é castelhanismo, além de o mais ajeitado para traduzir "maintainer", utilizando a segunda aproximação que disse acima para criar a palavra devia era ser assim: "mantedor".
     
    e desenvolver é uma palavra perfeita para definir "develop", e desenvolvedor é uma possível forma (a melhor?) para definir o que faz um "developer". em Brasil, que por enquanto falam português (e que se existe o Yahoo em português é por eles e não por vcês), utilizam isso. ora, que tu aches que é mais português "developer" e "maintainer".. já se sabe que cad'um é cad'um, e a mim pex não me interessa que te interesse a ti ou não o "lixo que apanho no google" :)
     
    vamo-q-vamo mano, inté aê caras!

    --
    Pela ribeira do rio cantando
    ia la virgo d'amor: quen amores
    à como dormirá, ai bela frol!
    Acho reconfortante (Pontos:2)
    por TarHai em 22-11-03 16:57 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    Pelo menos devido ao contrato social da Debian sabe-se do que se passa, por mais embaracoso que possa ser.


    ## I see offline people.
    Comprometimentos... (Pontos:1)
    por liberdade em 22-11-03 18:48 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://wideopenbsd.org
    GNU, Debian e mais alguns projectos de software livre já foram comprometidas nos últimos tempos.. qual o seguinte? Mas enfim, pelo menos com estes projectos sabemos o que se passa, nem quero imaginar o que fariam algumas empresas dessas que têm de publicar actualizações de segurança que se diz que arranjam as falhas das actualizações de segurança anteriores ;)

    Infelizmente, nem em todos os projectos de software livre sabemos o que se passa...alguns ainda tem um ego grande demais para admitir intrusões, como a que aconteceu no cvs.openbsd.org quando o Theo foi para o IRC a partir de lá :))
    Felizmente casos como este ainda vão sendo raros em projectos de software livre...
    Um belo dia... (Pontos:1)
    por grilo em 23-11-03 11:31 GMT (#12)
    (Utilizador Info)

    Falava eu com um familiar, e começámos a debater sobre software livre. E eu disse-lhe:

    - "Desde o 3.1 até ao 3.2, mais de 20.000 bugs foram corrigidos."

    Ele retorquiu: - "Porra, isso não deve valer nada. 20.000 bugs?"

    Ao que eu respondi: - "Sim, mas é exactamente o contrário de não valer nada. É tão bom, que muitos mais passaram a usá-lo... Isso representa mais denúncias de bugs, consequentemente um Desktop Environment muito melhor.".

    Se acham que o Winblows é bom, imaginem então se fosse Open-Source! ;)

    Um bug encontrado é um decréscimo na probabilidade da aplicação ir pelos ares. E acho muito bem que muitos sejam encontrados, e quantos mais, melhor.


    Re:Um belo dia... (Pontos:2)
    por mpinho em 25-11-03 22:06 GMT (#43)
    (Utilizador Info)
    E tem mais ! Se alguém descobre um bug do Windows ele normalmente quer mais é que ele continue e dê muito prejuízo para a M$ ou, mesmo que não deteste a M$, também não denunciaria o bug pois não ganha nada em troca...

    Já com linux eu faço questão de relatar o bug e, quem sabe, até mandar a solução do problema pois eu e todos ganhamos com isso.

    Deixem me falar de algo off-topic.. (Pontos:2)
    por Lowgitek em 24-11-03 10:06 GMT (#30)
    (Utilizador Info) http://www.youthinkwedo.com
    Alguem já reparou realmente no artigo ??

    Sim porque acho que realmente o problema aqui não é como foi escrito o artigo ou em que língua, mas do que realmente o mesmo se trata... Claro se fosse algo com a microsoft ou com alguma versão dos BSD já tava tudo a cair a matar...

    BTW. João já ca tenho o freebsd a bombar no lugar do debian.. ;)


    Ao Orgulho segue-se a ruína, e a arrogância vem antes da queda (Prov. 16:18)
    Re:Deixem me falar de algo off-topic.. (Pontos:2)
    por racme em 25-11-03 12:34 GMT (#42)
    (Utilizador Info) http://vendetta.guildsoftware.com
    BTW. João já ca tenho o freebsd a bombar no lugar do debian.. ;)

    btw quem e' o joao ?



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:Deixem me falar de algo off-topic.. (Pontos:2)
    por Lowgitek em 28-11-03 8:38 GMT (#44)
    (Utilizador Info) http://www.youthinkwedo.com
    Um gajo que tb para por estas zonas ;)

    []'s In-side.
    Elton Machado
    Ao Orgulho segue-se a ruína, e a arrogância vem antes da queda (Prov. 16:18)

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]