gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Patentes de software também na Europa
Contribuído por dario em 24-09-03 13:46
do departamento vamos-ver-o-que-vai-sair-daqui
News A votação sobre patentes de software na União Europeia decorreu hoje. O resultado? Mais ou menos aquele que já se esperava: a directiva foi aprovada, mas com algumas modificações de última hora. Podem seguir a discussão no slashdot ou ler uma das primeiras notícias aqui (en français).

Onde e' que esta' o Wi-Fi? | Ainda as Patentes  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • gildot
  • slashdot
  • aqui
  • Mais acerca News
  • Também por dario
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Sugestão (Pontos:2, Engraçado)
    por von em 24-09-03 14:02 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Sugiro que mudem de curso para direito: Advogado de patentes é uma profi$$ão apelativa.
    Parlamento Europeu vota por Limites Reais (Pontos:2)
    por Cyclops em 24-09-03 14:41 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    Parlamento Europeu vota por Limites Reais à Patenteabilidade From: PILCH Hartmut
    To: news@ffii.org
    Subject: [ffii] Europarl votes for Real Limits on Patentability
    Date: Wed, 24 Sep 2003 15:38:08 +0200

    FFII News -- For Immediate Release -- Please Redistribute
    +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++ +++

    Ver
    http://swpat.ffii.org/#news

    Agora vamos ter de ver se a Comissão Europeia está dedicada à
    "harmonização e clarificação" ou apenas aos interesses dos detentores de patentes.

    As ameaças emitidas ontem, por Bolkestein, ao Parlamento Europeu
    sugerem a segunda hipótese.

    Os resultados detalhados estão disponíveis no nosso site:
    http://swpat.ffii.org/news/03/plen0923/

    Agora o nosso trabalho será ajudar o Parlamento Europeu a
    defender-se contra as tentativas, de Bolkestein e dos advogados
    de patentes que vestem os chapéus dos governos nacionais, de
    esmagar o projecto de directiva.

    O texto actual contem ainda algumas contradições, mas o impulso
    foi invertido. Tornou-se agora na nossa directiva, que temos de
    ajudar o Parlamento Europeu a defender. Também se trata da questão
    do papel do Parlamento Europeu na emergente Europa democrática.
    No geral, são muito boas notícias para a UE.

    --
    Hartmut Pilch, FFII & Eurolinux Alliance tel. +49-89-18979927
    Protecting Innovation against Patent Inflation
    http://swpat.ffii.org/
    270,000 votes 2000 firms against software patents
    http://noepatents.org/

    Não quero estudar para advogado... (Pontos:0, Lança-chamas)
    por liberdade em 24-09-03 14:53 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Não há nenhuma organização em pt que tenha emitido um esclarecimento sobre a situação? ANSOL (que ainda não actualizou o site desde o último protesto), ASSOFT (aka fiscais da m$)... alguém?
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:4, Informativo)
    por Cyclops em 24-09-03 15:17 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    A ASSOFT, que é apenas o equivalente da BSA e não um "pau-mandado", é contra as patentes de software como estavam a ser propostas. A posição deles é pública e encontra-se neste momento no Fórum do INPI.

    As páginas da ANSOL serão actualizadas assim que possível, o foco principal neste momento são as patentes de software.
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por racme em 24-09-03 15:33 GMT (#10)
    (Utilizador Info) vendetta.guildsoftware.com
    Não há nenhuma organização em pt que tenha emitido um esclarecimento sobre a situação? ANSOL (que ainda não actualizou o site desde o último protesto), ASSOFT (aka fiscais da m$)... alguém?

    se a votacao decorreu hj tas a espera do que?



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:4, Informativo)
    por jneves em 24-09-03 15:35 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://silvaneves.org/
    O site vai sendo actualizado (em particular o wiki). Infelizmente entre telefonemas para a UMIC, contactos com jornalistas, tradução de documentos e telefonemas para os eurodeputados e uma lista de voto que foi feita, traduzida e enviada hoje às 6 da manhã, dá um desconto ao pessoal, ok?

    Já agora, podes ver a notícia do Público de segunda-feira (entre outras - desculpa, mas ainda não actualizei no wiki).

    O estranho é que agora apoiamos a directiva. Podia ser melhor, mas a situação actual era considerada impossível há menos de um mês atrás.

    Patenteabilidade de software, por definição, foi eliminada. Apenas afecta a utilização industrial. Existe uma definição real do que é uma invenção (aka contribuição técnica). Para fins de interoperabilidade não necessitas de patente. Aumentos de eficiência não tornam um programa patenteável.

    Estou à espera de uma análise mais profunda por tipos que percebem muito mais disto do que eu ;). Mas as notícias são boas.
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por jneves em 24-09-03 15:42 GMT (#12)
    (Utilizador Info) http://silvaneves.org/
    Esqueci-me. Patentes de modelos de negócio estão fora de questão ;).
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:1)
    por taf-7arte em 24-09-03 15:47 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://taf.net

    " Esqueci-me. Patentes de modelos de negócio estão fora de questão ;)."

    Tudo boas notícias, então! :-)
    Há alguma má?

    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por higuita em 24-09-03 17:22 GMT (#17)
    (Utilizador Info)
    bem, talvez existitem patentes mesmo...

    pessoalmente acho que o mundo era melhor se ouvesse partilha ao maximo de conhecimentos sem restricoes, assim toda a humanidade evoluia mais depressa...

    um pouco tipo o software livre, mas para todos os conhecimentos e areas

    o problema e' que isto vai contra os modelos sistemas de negocio implementados actualmente...
    dar a volta a isto implicava que os laboratorios e centros de investigacao em vez de concorrerem, se ajudessem uns aos outros... algo impossivel actualmente por varias razoes

    talvez um dia, quando se mudar as mentalidades, um sistema parecido com o comunismo e o capitalismo, mas sem nada a ver com eles.. apenas com o melhor de um...
    ...quem quer inventar um novo sistema economico? ;)

    pronto, ta' bem, chamem-me la' sonhador crente (mais um comuna de mente limitada como o mvalente por vezes chama ao pessoal 8)

    mas eu hoje aceito, hoje deu-me para sonhar com varias coisas boas, ainda que improvaveis, talvez por estar cheio de sono...

    Higuita
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:1)
    por taf-7arte em 24-09-03 17:47 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://taf.net

    "um sistema parecido com o comunismo e o capitalismo, mas sem nada a ver com eles.."

    Não há nada como a clareza de ideias... ;-)

    "mais um comuna de mente limitada como o mvalente por vezes chama ao pessoal"

    E pelos vistos cheio de razão, hehehe :-)


    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por higuita em 25-09-03 11:27 GMT (#30)
    (Utilizador Info)
    "um sistema parecido com o comunismo e o capitalismo, mas sem nada a ver com eles.."

    Não há nada como a clareza de ideias... ;-)


    8)

    a clareza que tenho e' que ambos os sistemas teem muitas vantagens, mas tambem muitas falhas e perigos... logo e' claro que nenhum deles directamente serve, seria preciso algo totalmente novo que fosse baseado nas licoes aprendidas sobre estes dois sistemas

    E pelos vistos cheio de razão, hehehe :-)

    tem dias ;D

    Higuita
    Re: Voto nisso (Pontos:1)
    por ncs em 24-09-03 18:25 GMT (#19)
    (Utilizador Info) http://www.uol.com.br/cgi-bin/mensagens/mostra_texto.cgi?day=2003-09-11
    Concordo contigo. Voto num esquema desses.

    Mas neste momento, com o que o mvalente tem vindo a dizer, já começo a duvidar que esse esquema tenha pernas para andar ;-).

    No entanto tenho esperança nas novas gerações.
    Cumps,
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:1)
    por 4Gr em 24-09-03 19:07 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    Da mesma forma que sugeres que a partilha de informação é vantajosa para o desenvolvimento de todas as áreas - desde a económica, financeira, social e principalmente tecnológica -, e note-se que eu concordo com a tua posição, o facto de haver concorrência também faz com que as coisas evoluam.

    Um atleta só tende a esforçar-se mais para ser melhor que os outros. Um nadador nada mais horas por dia para nas olimpíadas ser o melhor.. um estudante estuda mais para ser melhor que o outro - e agora o importante, embora também estude com colegas. Ou seja, da mesma forma que a partilha de conhecimento é vantajosa, a vontade de cada um se superar a si mesmo e principalmente ao outro é tão ou mais importante que a partilha de conhecimento. Por exemplo, muitas invenções na Europa, como é o caso da luz a azeite, sabe-se hoje que também existiam na China há muitos anos atrás. Consecutivamente, podemos conluir que, embora não tenha havido partilha de conhecimento, ambos chegaram ao mesmo fim. Da mesma forma, mesmo não havendo partilha de conhecimento, se estiverem duas coisas - objectos, pessoas, pedaços de software, etc.. - em competição (Linux vs Windows por exemplo) a tendência será cada um esforçar-se o mais possível para bater o outro.

    Transpondo isto para o plano das patentes, quero com isto dizer que as patentes como modelo inicialmente discutido à mesa da comissão Europeia era inviável e extremamente desastroso. No entanto, como está agora - pela análise vertical que fiz - justifica-se, não prejudicando o actual modelo de negócios, nem prejudicando o software livre em detrimento de quem tem mais dinheiro. Continuamos no direito de escrever o nosso software, e sobretudo continuamos no direito de poder competir com o próximo, mesmo usando tecnologias semelhantes!


    ---------------------
    O meu maior inimigo ofereceu-me uma cópia do Windows pelo Natal...
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por higuita em 25-09-03 23:25 GMT (#31)
    (Utilizador Info)
    Eu nunca disse que nao haveria concorrencia, mas acho que esta seria mais saudavel, nao tao selvagem como muitas vezes acontecem actualmente

    Concordo com a concorrencia, a partilha de conhecimento nao invalida a concorrencia, mas seria baseada em somos melhores/mais rapidos que os outros e nao "vamos esconder isto e assim so' nos sabemos fazer isto e principalmente, lixamos os outros"

    nesta concorrencia, saberia-se mesmo quem eram os bons e quem eram os que seguiam as manadas

    e' ao mesmo estilo do desenvolvimento do software livre, existem varios programas a fazer o mesmo, mas o qualquer um pode ir estudar como o outro resolveu o problema e tentar melhora-lo no seu programa

    se algo nao tem problemas, nao ha' muita vontade de arranjar alternativas, mas se tem, entao as alternativas vao aparecer
    algo semelhante acontece agora, nao existem quase investigacao em areas que nao teem problemas, estabilizadas

    Higuita
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por leitao em 24-09-03 19:08 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/blogger.html
    pessoalmente acho que o mundo era melhor se ouvesse partilha ao maximo de conhecimentos sem restricoes, assim toda a humanidade evoluia mais depressa...

    Acredites ou nao, nao e' a partilha de conhecimentos que cria a inovacao. A partilha de conhecimentos consegue nivelar os diferenciais de conhecimentos atraves da divulgacao do que ja' se conhece (como aconteceu depois do Gutenberg e da impressao economica e em massa) -- mas o que verdadeiramente cria a inovacao e' a competicao.

    Basta veres dois exemplos (que talvez nao sejam os melhores mas sao ilustrativos): a corrida ao espaco nos anos 40/50/60, e o culminar da guerra fria nos anos 70 e 80.

    A tecnologia actual deriva quase exclusivamente de dois eventos:

    Pensa nisso...


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    [off-topic]Re: Pensei que a base era a necessidade (Pontos:1)
    por ncs em 24-09-03 20:16 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://www.uol.com.br/cgi-bin/mensagens/mostra_texto.cgi?day=2003-09-11
    A partilha de conhecimentos consegue nivelar os diferenciais de conhecimentos atraves da divulgacao do que ja' se conhece...

    Sim, e é graças à partilha dessa informação que estamos a evoluir de forma mais rápida, tecnologicamente. Porque existem mais pessoas com acesso a esse conhecimento podendo dar o seu contributo para a evolução.

    mas o que verdadeiramente cria a inovacao e' a competicao

    Em parte concordo contigo. Mas concordo mais com aquela máxima de que a necessidade é que desenvolve o engenho.

    A necessidade de ser melhor talvez seja uma forma de motivação. Mas penso que não será a única.
    Até pode ter sido uma competição, mas não tenho ideia que o Gutenberg andasse a competir com alguém quando fez a sua invenção.
    E tb a competição por si só não é sinal de inovação com "interesse" para a humanidade - veja-se os canais portugueses.
    Cumps,
    Re:[off-topic]Re: Pensei que a base era a necessid (Pontos:2)
    por leitao em 24-09-03 21:37 GMT (#27)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/blog/blogger.html
    Sim, e é graças à partilha dessa informação que estamos a evoluir de forma mais rápida, tecnologicamente. Porque existem mais pessoas com acesso a esse conhecimento podendo dar o seu contributo para a evolução.

    A partilha da informacao e' condicao necessaria para a evolucao, mas nao e' suficiente. A competicao (quer se goste ou nao) e' a "faisca" que empurra as coisas para a frente -- um exemplo disto e' a ex-USSR, embora toda a gente tivesse acesso 'a educacao, o pais nao permitiu propriamente a inovacao ao ponto critico de melhorar a vida uniformemente pela sociedade. Isto nao aconteceu precisamente porque a "faisca" nao estava la'.

    O mesmo processo acontece na natureza -- a evolucao natural necessita de formas de partilhar e disseminar a informacao (genes), o mecanismo e' a reproducao do DNA e troca de informacao (recombinacao) atraves de reproducao sexuada. Mas a "faisca" para a evolucao e' a competicao e a seleccao natural: comeres, ou seres comido.

    Até pode ter sido uma competição, mas não tenho ideia que o Gutenberg andasse a competir com alguém quando fez a sua invenção. E tb a competição por si só não é sinal de inovação com "interesse" para a humanidade - veja-se os canais portugueses.

    Nao disse que o engenho nao pode ser altruistico -- mas o Guttenberg certamente que nao desenvolveu a impressa a pensar altruisticamente, mas sim porque queria expandir o negocio dele imprimindo e vendendo livros mais baratos.

    Quanto aos canais portugueses -- eles competem pela audiencia portuguesa. Se Big Brothers e afins sao o que as pessoas procuram, e' o que eles usam para competir -- inovacao != qualidade.


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Um pouco off topic (Pontos:1)
    por taf-7arte em 24-09-03 19:30 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://taf.net

    "hoje deu-me para sonhar com varias coisas boas"

    Permitam-me uma pequena divagação filosófica...

    O problema destes sonhos é que normalmente se baseiam em pressupostos errados, a saber:
    1) que as pessoas agem sempre bem, em prol da comunidade;
    2) que as pessoas não "amolecem" mesmo que não sejam premiadas pelo desempenho;
    3) que somos todos iguais.

    Comecemos pelo último.
    É evidente que partilhamos os mesmos direitos e a mesma dignidade, mas não possuimos todos as mesmas capacidades nem a mesma vocação.
    Por isso, não há maior injustiça do que tratar da mesma maneira situações e pessoas completamente diferentes. Esse é um dos erros básicos do comunismo: não perceber que um dos direitos é o direito à diferença, e em particular à possibilidade de cada um gerir os _seus_ bens da forma que melhor entender, tirando daí o prémio/castigo correspondente.

    Vem isto a propósito das patentes (genéricas, não apenas de software, que é um caso muito especial), e da defesa da sua ausência.
    Uma situação destas implicaria uma visão totalmente comunitária da sociedade, em que os benefícios seriam directamente e igualitariamente distribuidos por todos. Se não houver propriedade industrial, qualquer pessoa pode apropriar-se do trabalho de qualquer outra, por muito investimento que isso tenha implicado. Isso é justo?

    Poder-se-á dizer: mas se o investimento também tiver sido comunitário, assim todos lucram por igual. E aqui está precisamente o problema: é errado tratar toda a gente da mesma maneira porque somos todos diferentes! Eu não quero ser obrigado a chegar a um consenso sobre aquilo em que devo investir. Eu quero ter a liberdade de gerir o meu próprio dinheiro, de o aplicar da forma que EU considerar mais benéfica para o mundo.

    Mais: se o fulano A se esforça mais do que o B, não há-de ser recompensado por isso? Não se lhe deve dar mais dinheiro e portanto mais responsabilidade? E não se lhe deve até dar a possibilidade de tomar opções erradas, desde que não colidam com as liberdades dos outros?

    No caso das patentes de software o caso é diferente apenas porque é impraticável implantar um sistema semelhante. Os custos são claramente superiores aos benefícios para a sociedade. E há métodos alternativos de protecção do investimento que são mais eficazes.

    Moral da história: de boas intenções está o Inferno cheio! Querer o melhor para a sociedade mas recorrer aos meios errados é contraproducente.
    As utopias são muito bonitas mas não se podem transformar em ditaduras! Já tenho visto aqui defender, por exemplo, que só se devia usar software livre. Porquê? Eu não tenho o direito de pagar por software proprietário se assim quiser? E, por outro lado, se eu trabalho para produzir software, não estou no meu direito de cobrar por isso? Há algo de eticamente errado aqui?

    O problema do capitalismo é quando ele é selvagem, ou seja, não tem mecanismos que garantam a compensação dos excessos.
    Por isso as sociedades mais "civilizadas" tenham convergido para paradigmas semelhantes, que no fundo é "social democracia" (independentemente do nome dos partidos...) com maior ou menor ênfase em aspectos específicos, mas sem implicações estruturais radicalmente diferentes.

    A minha utopia é por isso dentro destes moldes melhorar o sistema. Não é fazer nenhuma revolução.

    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:3, Engraçado)
    por biduxe em 24-09-03 19:56 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    ...quem quer inventar um novo sistema economico? ;)

    Se inventares algum não te esqueças de patentear ;)
    ------ EOFim.
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:0, Lança-chamas)
    por taf-7arte em 24-09-03 16:00 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://taf.net

    "O estranho é que agora apoiamos a directiva."
    (...)
    "Estou à espera de uma análise mais profunda por tipos que percebem muito mais disto do que eu"


    Não quero ser chato e também não vou recomeçar a discussão de há tempos, mas estas tuas frases ilustram perfeitamente o perigo para o qual eu alertei antes: o "comportamento de manada". "Apoiamos"?! Mas se ainda não viste com atenção as alterações já achas normal ter uma posição?

    Uma coisa é ouvir com atenção as pessoas em quem se confia do ponto de vista de competência e honestidade, outra é seguir cegamente as opiniões do "partido", estilo "bons" contra "maus".
    Eu recuso-me a ser assim, quando emito uma opinião é porque analisei pessoalmente o caso com cuidado.

    Mas aparentemente está tudo a correr bem no Parlamento Europeu. :-)

    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por Cyclops em 24-09-03 16:59 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Uma coisa é ouvir com atenção as pessoas em quem se confia do ponto de vista de competência e honestidade, outra é seguir cegamente as opiniões do "partido", estilo "bons" contra "maus".


    As análises mais profundas trazem a justificação melhor formada, mas digamos que confiar na opinião da FFII não é a mesma coisa que confiar na opinião do Zé da Esquina. A parte que salientei a grosso é precisamente no que se enquadra a nossa posição a respeito destas boas novas. Agora é tempo de reflectir e ajudar o Parlamento Europeu a limar as arestas.

    Não há até hoje nenhum motivo para duvidar da credibilidade ou seriedade da FFII, para que à partida ficarmos na dúvida.

    O estranho advém da situação ser caricata. É estranho ter conseguido um sucesso tão grande perante o poderio económico com quem nos debatemos.
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por racme em 24-09-03 18:51 GMT (#20)
    (Utilizador Info) vendetta.guildsoftware.com
    O estranho advém da situação ser caricata. É estranho ter conseguido um sucesso tão grande perante o poderio económico com quem nos debatemos.

    parece que tudo resultou dos protestos no final do mes de agosto.
    pelos vistos a mensagem de protesto em paginas, como o armagetron, o vim, o kde ou o originalissimo protesto do MPLAYER, diga-se um dos principais prejudicados com as patentes de software,se descobrirem porque enviem-me um mail sff :D, ou em todas as outras vertentes do software opensource etc etc parece que resultou!

    A propria Euronews a semana passada passou varias vezes ao dia uma mini reportagem sobre a questao das patentes, os protestos e em que as perguntas que os eurodeputados respondiam eram todas centradas na questao das patentes software.

    Will Vim still be free next year?

    parabens a eurolinux e a' ffii pelo excelente trabalho



    Those who do not understand Unix are condemned to reinvent it, poorly.
    -- Henry Spencer
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por Cyclops em 24-09-03 18:57 GMT (#21)
    (Utilizador Info)
    ou o originalissimo protesto do MPLAYER, diga-se um dos principais prejudicados com as patentes de software,se descobrirem porque enviem-me um mail sff :D

    Cono não tenho a certeza de se estás a brincar ou não, sugiro que vejas as lindas listas de patentes sobre mpeg2, ou mpeg4, apenas para listar algumas...
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:2)
    por jneves em 24-09-03 21:40 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://silvaneves.org/
    Não quero ser chato e também não vou recomeçar a discussão de há tempos, mas estas tuas frases ilustram perfeitamente o perigo para o qual eu alertei antes: o "comportamento de manada". "Apoiamos"?! Mas se ainda não viste com atenção as alterações já achas normal ter uma posição?
    O "apoiamos" referia-se a mim, à FFII e à ANSOL. Sim, continuo à espera de análises mais aprofundadas (em particular do Xavier Trudi e François Pellegrini, que considero especialistas em patentes de software). No entanto eu conheço as emendas de trás para a frente e sei o que foi aprovado. A minha posição está tomada a não ser que um destes dois descubra uma "backdoor" chocante que nos tenha passado despercebida.
    Re:Não quero estudar para advogado... (Pontos:1)
    por liberdade em 25-09-03 9:17 GMT (#29)
    (Utilizador Info)
    obrigado pelas respostas, mas qual será o melhor sítio para me manter actualizado sobre o que se passa... a ansol podia manter uma página desse tipo (hint)
    Já agora parabéns pelo trabalho da ANSOL... o 'lança-chamas' de há pouco foi só para o pessoal reparar ;)
    Ganhamos esta batalha (Pontos:1)
    por Santo Ignucio em 24-09-03 16:03 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://www.gnu.org
    Alguns comentários esclarecedores na slashdot, por pessoas que estiveram a noite toda no Parlamento Europeu:

    Re:Massive victory for Open Source campaign

    Story is complete misinformation


    Santo Ignucio
    Re:É preciso analisar com calma... (Pontos:3, Esclarecedor)
    por Cyclops em 24-09-03 14:51 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    E também me parece mais difícil a posição de quem até agora defendeu que "tudo" seria patenteável uma vez que, para nos protegermos a todos, vai ter que passar a defender que afinal não é bem assim...


    Pelo contrário. A maneira como acabou por ser emendada, foi graças à informação detalhada prestada, pelas pessoas que tanto criticas, aos Eurodeputados, órgãos dos media e outras pessoas, bem como 2 milhões de PMEs que concordam conosco e mais de 200000 subscritores.
    Re:É preciso analisar com calma... (Pontos:2)
    por Cyclops em 24-09-03 14:52 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Algumas emendas foram transcritas literalmente das propostas da FFII.
    Re:É preciso analisar com calma... (Pontos:0, Lança-chamas)
    por taf-7arte em 24-09-03 14:57 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://taf.net

    "A maneira como acabou por ser emendada, foi graças à informação detalhada prestada, pelas pessoas que tanto criticas, aos Eurodeputados, órgãos dos media e outras pessoas, bem como 2 milhões de PMEs que concordam conosco e mais de 200000 subscritores."

    Eu nunca disse o contrário, também prestei informação e também fui um dos subscritores. Acontece é que não concordo contigo em imensas coisas e acho que estás contra a directiva pelas razões erradas...
    Mas isto é conversa passada, não vamos recomeçar.

    Re:É preciso analisar com calma... (Pontos:2)
    por Cyclops em 24-09-03 15:00 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Acontece é que não concordo contigo em imensas coisas e acho que estás contra a directiva pelas razões erradas...


    Não podes discordar dos meus motivos contra as patentes de software sem discordar dos motivos da FFII e dos subscritores por ela representados. Uma vez que são os mesmos.

    Agradeço que não desconverses, por favor.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]