gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Estágios
Contribuído por scorpio em 11-08-03 11:08
do departamento werk
News O_Xis escreve "Um conhecido meu contou-me alguns episodios que ocorreram durante o seu estágio, que fazia no seu ultimo ano de curso. Segundo ele, na empresa que o acolheu recebeu por várias vezes tarefas que de trabalho informático tinham pouco (p.e. tirar fotocopias) e muitas vezes tinha de fazer trabalhos de programação rotineiros e repetitivos.
Acho então que se podia fazer uma discussão à volta deste tema. Que tal são (ou foram) os vossos estágios (se os tiveram)? Até que ponto consideram um estágio em que apenas se fazem trabalhos de rotina essencial para a formação de um informático? Será que há por aí pessoal prestes a licenciar-se em Informática que tem de ir buscar café ao "patrão do estágio"? "

UnitedLinux numa situação dificil | Cursos (procuro opiniões)  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Mais acerca News
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Nem 8 nem 80... (Pontos:3, Interessante)
    por DomusOnline em 11-08-03 11:43 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://bandalarga.domus.online.pt/
    Ir buscar café ou tirar fotocópias não me parece útil nem para o estagiário nem para a empresa.

    Mas algum trabalho dito "rotineiro" parece-me bastante bom. Funciona como um banho de realidade que será bem útil ao estagiário. Percebo que ele não goste...

    Claro que tudo isto depende do curso. Mas a maioria dos informáticos em Portugal não irão fazer projectos para a NASA. Irão fazer, manter e/ou gerir sistemas já delineados e porventura implementados num dia a dia que forçosamente terá algo de rotineiro.

    Pessoalmente nunca fiz estágio nem orientei nenhum. Mas vejo muita gente "nova" com postura de cientista em situações onde isso me parece completamente despropositado. E frequentemente vejo que fazem tudo como rotina sem se preocuparem devidamente. Muitas vezes a rotina esconde pequenos momentos de ciência ;)

    Cumprimentos.
    Re:Nem 8 nem 80... (Pontos:1)
    por plexar em 11-08-03 15:26 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    Pessoalmente, o que mais de interessante tirei do estágio, foi a possibilidade de compreender como funciona uma empresa, tanto pelo lado bom como pelo lado mau. É um tipo de experiência que não se obtêm num ambiente protegido como o da universidade (no meu caso). cumprimentos.
    Plexar.
    Tempo é dinheiro. (Pontos:1)
    por netcrash em 12-08-03 23:46 GMT (#15)
    (Utilizador Info)
    No meu estágio uma coisa que aprendi é q se o
    trabalho é repetitivo deve-se sempre arranjar um
    método automatico para ele ser feito , poupa tempo e dinheiro .

    E como um Engenheiro me disse:

    "O engenheiro prefere ter todo o trabalho no inicio do que depois estar a ter mais durante ou no fim do mesmo ".


    Abaixo o trabalho repetitivo para isso temos as máquinas.
    Tal como todos os outros... (Pontos:2, Informativo)
    por shadowseeker em 11-08-03 13:18 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://no-web-page.sorry
    Eu tive a sorte de nunca o fazer. No entanto tenho algumas consideracoes sobre o assunto, pelo que vejo a minha volta:

    - deixou de haver aquele "estigma positivo", em que havia a classe dos informaticos (os sortudos) e todos os outros
    - os estagiarios normalmente sao considerados lixo, e com tarefas de fotocopias e portadores de cafeina, os informaticos estao a ir pelo mesmo caminho...

    Ou seja... ja' nao ha falta de mao de obra qualificada no mercado (centenas de licenciados/ano) e o mercado de trabalho em geral esta mau!
    A isto, ainda acresce que existem *milhares* de profissionais"?" que teem formacao em outras areas, mas tiveram a sorte de se encaixarem na informatica no tempo em que havia falta de mao de obra [mesmo que a qualidade fosse ma era a unica que existia...]

    Resultado: quem sai de uma formacao universitaria no ambito da informatica esta a batalhar e a sofrer tanto como todos os outros de gestao/direito/letras/...

    Re:Tal como todos os outros... (Pontos:1)
    por Madonna em 11-08-03 16:07 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    De facto a grande chave é ter sorte na empresa... Colegas meus que fizeram estágio no D Notícias passaram três meses no caderno imobiliário, outros andaram nas necrologias em jornais regionais. Já no Independente ou no Público, estagiário trabalha como gente grande, e de graça. Acaba por ser uma boa rampa de lançamento, se correr bem; nesta profissão os contactos são importantes. Como eu costumo dizer, não interessa saber, mas ter o telefone de quem sabe. Cpts
    Dá a surpresa de ser
    Re:Tal como todos os outros... (Pontos:2)
    por vd em 11-08-03 16:30 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Como eu costumo dizer, não interessa saber, mas ter o telefone de quem sabe.

    Olha, também eu :)

    //vd
    Re:Tal como todos os outros... (Pontos:2)
    por racme em 12-08-03 23:38 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://www.linuxjournal.com/
    Como eu costumo dizer, não interessa saber, mas ter o telefone de quem sabe.

    Olha, também eu :)


    A velha vitamina C, que alimenta e fortifica o espirito do portugues.


    Make World; Not War;
    Re:Tal como todos os outros... (Pontos:2)
    por McB em 16-08-03 11:49 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    É engraçado, noutro dia estava a ler um artigo sobre procura de emprego em diversos países da União Europeia (não consigo encontrar o link...) e falava lá precisamente nisso..

    A importância da rede de contactos em Portugal é enorme, aparentemente, quando comparada com o resto da Europa!

    Yours,
    McB!
    They told me it need Windows 95 or better, so I chose Linux
    Nao necessariamente em Informatica (Pontos:2)
    por TarHai em 11-08-03 13:50 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    Mas em muitos estagios de cursos cientificos, os estagioraos caem sao considerados mao de obra gratuita qualificada. Pior, como tem que acabar o estagio, muitos deles tem que se submeter a uma serie de tarefas sem a minima relevancia para o grau academico que pretendido. Tudo isto (muitas vezes) sem remuneracao ou com remuneracao simbolica e ssem garantias de autoria/compensacao pelo trabalho desenvolvido.


    ## I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    rotina (Pontos:1)
    por nbk em 11-08-03 17:48 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://www.mrnbk.com/
    Boas.

    "...e muitas vezes tinha de fazer trabalhos de programação rotineiros e repetitivos."

    É bom para abrir os olhos. Os nabos continuam eternamente na rotina, os iluminados aplicam-lhe o belo script que faz tudo por eles e ficam com mais tempo livre para ir buscar o café. :-)

    @785, Nbk

    Re:rotina (Pontos:2)
    por jorgelaranjo em 11-08-03 21:41 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://lesi.host.sk/
    Só o tempo que perdes a tentar fazer um script para te escrever o código rotineiro...
    É que ser rotineiro não quer dizer que seja Copy & Paste.
    Já tive trabalho rotineiro em que cada ficheiro era diferente dos outros.
    Eram baseados num template mas tinham de sofrer ligeiras alterações.
    Trabalho extremamente chato mas alguém o tem de fazer.
    E como eu era a única pessoa a fazer o projecto... tinha de ser eu... :D

    Cumprimentos,
    Jorge Laranjo
    01100110 01110101 01100101 01100111 00110000
    http://pocketBlog
    Re:rotina (Pontos:1)
    por Antonio Manuel Dias em 12-08-03 13:12 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://maracuja.homeip.net
    Mesmo perdendo o mesmo tempo a fazer o script do que o que levaria a fazer o trabalho que o script irá executar, normalmente prefiro fazer o script. Pelo menos a fazer o script não me aborreço :)
    Antonio Manuel Dias http://maracuja.homeip.net - hold fast to the one noble thing -
    Re:rotina (Pontos:2)
    por mlopes em 12-08-03 14:06 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    E da próxima vez que for preciso fazer o trabalho, o script já lá está....
    Mas posso dizer por experiência que quando aparecem trabalhos chatos e repetitivos quase sempre rende fazer um script, já me aconteceu pensar o contrário e começar a fazer algo repetitivo e a determinada altura parar e fazer um script porque vejo que rende muito mais.

    No woman ever falls in love with a man unless she has a better opinion of him than he deserves.

    Re:rotina (Pontos:2)
    por jorgelaranjo em 12-08-03 14:33 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://lesi.host.sk/
    Ok.
    Eu não me expliquei bem.
    No meu caso era um trabalho repetitivo mas que tão cedo não me vejo a repetir pois era um caso muito 'personalizado'...

    Cumprimentos,
    Jorge Laranjo
    01100110 01110101 01100101 01100111 00110000
    http://pocketBlog
    Estágio e Estagiários (Pontos:2)
    por vd em 11-08-03 21:52 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Viva.

    O estágio serve, no meu ponto de vista, para o estudante ter contacto com duas coisas:

    - mercado de trabalho global - aka "selva"
    - sua área de especialização

    Na primeira não me choca alguem ter de ir buscar café, de facto serve para aprender que a vida não é simples, que custa a ganhar e que o mercado não é rosas nem tão pouco como o pintam na faculdade.
    Se uns estágios servem como forma de oficializar o final do curso, então ter-se-à de engolir muitos sapos, pois as coisas são realmente dificeis.

    A segunda é diferente. Diferente porque se um estagiário for por considerar que vai aprender muito, desengane-se. Nunca ninguem aprendeu o primeiro ponto em 6 meses (ou 1 ano) para chegar a gostar deste meu ponto dois. Por sua vez, pensar que se chega e começa-se logo a piar de alto, também é errado.

    Coisa comum em todos os estagiários que já tive nas mãos, foi que por pensarem que estava quase a acabar o curso são mais, melhor e superiores de quem os "contrata". Muitos deles recebem o que o teu colega recebeu.
    Humildade aqui é o ponto chave.

    Pessoalmente não ligo muito a um estágio. Na área de informática, um emprego é um estágio. Também sou apologista, como o Nicolas Negroponte é de um informático conhecer várias empresas, compreender o seu esquema interno, andar a "saltitar" e depois compreender melhor o que gosta e o seu lugar na informática.
    Isto para dizer a um estagiário, ele responde-nos logo: "AH! Mas eu já sei o que quero fazer".
    Não, não sabe. Ainda tem muito que aprender.

    Pessoalmente considero que o teu colega, ou não se soube enquadrar, ou não sabe que os estágios são complicados, ou apanhou uma má empresa, ou então é demasiado importante para fazer trabalhos humildes. Se for a última, está arrumado logo à partida. A vida de informático é sem dúvida fazer aquilo que os outros não querem a horas que ninguem quer.

    //vd
    Estágio (Pontos:1)
    por bigbug em 12-08-03 3:25 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://mega.ist.utl.pt/~sfbs
    Eu fiz um curso profissional na Escola Profissional Gustave Eiffel e no nosso plano curricular está previsto um estágio de 1 mês numa empresa. Tenho exemplos de colegas meus alguns muito positivos outros menos, mas no geral, acho que foi uma boa experiencia para todos. No meu caso tive a fazer o que gosto, integraram-me numa equipa de desenvolvimento pequena e a pouco e pouco me integrando. Neste contexto a ideia de estágio é um pouco subjectiva porque é apenas um mês mas deu para ter uma ideia de quais são as exigencias do mercado de trabalho e como se trabalha numa empresa; e afinal era esse o objectivo daquele estágio.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]