gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Mesa redonda: Science and its critics
Contribuído por jmce em 25-07-03 14:59
do departamento hermenêutica-relativista-pós-desconstrutiva
News Aproveitando a presença em Portugal de Jean Bricmont e Alan Sokal, autores do livro Imposturas Intelectuais [prefácio], a conferência ICMP 2003 inclui uma mesa redonda aberta ao público em geral, "Science and its critics", na Aula Magna da Universidade de Lisboa, em 31 de Julho, a partir das 21:30. Além de Sokal e Bricmont, participarão Nuno Crato, Boaventura de Sousa Santos, Desidério Murcho e (como moderador) João Caraça. [contexto no desenvolvimento]

Como um pequeno teste aos padrões de rigor intelectual de alguns círculos de "estudos culturais", Sokal experimentou enviar para a revista Social Text um pseudo-artigo: "Transgressing the Boundaries: Towards a Transformative Hermeneutics of Quantum Gravity".

Era uma paródia do "discurso pós-modernista/pós-estruturalista/social-construtivista", apresentando uma misturada sem sentido de conceitos (como as implicações políticas da gravidade quântica) mas indo de encontro às preferências de estilo e ideológicas que tinha observado em publicações do género. A "respeitável" Social Text engoliu o isco e o artigo foi publicado em 1996; mais tarde, a Social Text recusou-se a publicar outro artigo que expunha as razões para o primeiro, alegando (relata Sokal) que este artigo "não ia de encontro aos padrões intelectuais da revista". Muita da controvérsia seguinte pode ser vista através da página pessoal de Sokal.

Aqui em Portugal tivemos a controvérsia que se seguiu ao aparecimento do livro O Discurso Pós-Moderno Contra a Ciência, que inclui uma crítica [excerto em PDF] de António Manuel Baptista a Um Discurso sobre as Ciências de Boaventura de Sousa Santos. A mesa redonda promete...

Falta de sensibilidade para com o Windows! | Faster Cryptanalytic Time-Memory Trade-Off  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • teste aos padrões de rigor intelectual
  • "Transgressing the Boundaries: Towards a Transformative Hermeneutics of Quantum Gravity"
  • outro artigo
  • página pessoal de Sokal
  • controvérsia
  • O Discurso Pós-Moderno Contra a Ciência
  • excerto em PDF
  • prefácio
  • ICMP 2003
  • "Science and its critics"
  • Aula Magna
  • Mais acerca News
  • Também por jmce
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    O Mistério do Bilhete de Identidade (Pontos:1)
    por jp em 25-07-03 18:19 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Há um livro, O Mistério do Bilhete de Identidade e Outras Histórias, de Jorge Buescu, muito jeitoso para ler nas férias, onde, entre outras coisas, se fala da polémica Sokal vs Social Text. Achei esse capítulo hilariante.
    Re:O Mistério do Bilhete de Identidade (Pontos:2)
    por racme em 26-07-03 3:51 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://www.linuxjournal.com/
    O que significa aquele misterioso algarismo que se segue ao número do bilhete de identidade? Qual é a relação do jogo Minesweeper com o problema mais importante da matemática? Por que é que a investigação sobre números primos pode provocar o colapso dos sistemas financeiros, tal como há alguns anos humilhou o gigante da electrónica Intel? O que é a teleportação quântica? Por que é falso e completamente absurdo o mito segundo o qual os seres humanos «usam apenas 10% do seu cérebro»?

    Deveras interessante, realmente abriu o apetite.


    Make World; Not War;
    Re:O Mistério do Bilhete de Identidade (Pontos:2)
    por Arrepiadd em 26-07-03 10:19 GMT (#3)
    (Utilizador Info)

    O livro não é mau, mas acho que é demasiado pequeno. Acho que haviam pontos que mereciam mais detalhe. Sinceramente já não me lembro que pontos eram esses, mas havia assuntos que eu gostava de ter visto mais descritos. De qualquer das formas não deixa de ser interessante.

    Relativamente à Intel, se bem me lembro, ele faz referência à primeira geração da primeira geração :) de processadores Pentium que tinham um erro e que calculavam mal a factorização de números.

    Não deixa de ser interessante um outro pormenor no livro na parte que trata do BI, e isto mais para os que não forem ler, porque os outros encontrarão a resposta mais detalhada. O dito número é como é óbvio um algarismo de controlo. Com um algoritmo simples que eles lá usam é suposto o resultado ser sempre um múltiplo de 11, ou seja, dar resto zero quando dividido por 11. Acontece que, é necessário somar, quantias entre 0 e 10 (e é este o significado do algarismo de controlo) para que depois os números sejam realmente múltiplos de 11. Só que como a nossa numeração é decimal e aquilo só tem uma casa, era suposto haver um outro símbolo para o 10 [o ISBN dos livros usa um algoritmo semelhante e tem algarismos 0-9 e o X para somar 10]. Alguma mente brilhante, deve ter achado que o X era perfeitamente desnecessário, que era mais bonito com um 0 e portanto, o algarismo 0 é usado, quando é preciso somar 0 (ou seja, o número do BI, de acordo com o dito algoritmo já é múltiplo de 11) ou então quando é preciso somar 10. Temos portanto um sistema de controlo que não controla, porque tem um erro.

    O problema do Minesweeper é um famoso problema de P=NP que é um dos problemas do século (XX) que tem um prémio de 1 milhão de doláres para quem o resolver. Não tentem no entanto, que está tudo muito mais seguro enquanto ele não for resolvido (se for resolúvel). Se por acaso aquilo for resolvido, a factorização de primos passa a imediata e a encriptação passa a mais um formato normal de guardar documentos (deixa de ser segura).


    Re:O Mistério do Bilhete de Identidade (Pontos:2)
    por MacLeod em 26-07-03 11:18 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    O BI usa mesmo o algoritmo do ISBN. Acho que não puseram o X porque depois as pessoas sentiam-se marcadas.
    Re:O Mistério do Bilhete de Identidade (Pontos:2)
    por jmce em 26-07-03 16:10 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    A factorização de primos já costuma ser imediata, mas já o Gates (ou quem escreveu o Road Ahead por ele) tinha tido o mesmo deslize... :-)
    Re:O Mistério do Bilhete de Identidade (Pontos:2)
    por Arrepiadd em 26-07-03 19:59 GMT (#7)
    (Utilizador Info)

    Tens razão. Mais acima no artigo falo em factorização de números e pensei mesmo "Oops, ia escrevendo factorização de primos." Afinal, acabei por escrever mesmo, só que em vez de no princípio do artigo, foi no fim. É óbvio que a factorização dos primos é imediata...

    O que eu queria dizer era a factorização de grandes números. Eu não estou muito a par de técnicas de criptografia mas, tanto quanto sei, pelo menos algumas baseiam-se no facto de a factorização ser um problema demorado. E se este problema do P=NP fosse verificado como correcto, os números em que se baseiam as ditas técnicas de criptografia seriam facilmente quebrados e a mensagem (not so secret anymore) facilmente revelada.

    Disse porcaria agora?


    Re:O Mistério do Bilhete de Identidade (Pontos:1)
    por z em 26-07-03 19:38 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    o primeiro artigo do livro (sobre o misterioso numero do BI) pode ser lido na integra aqui

    e para quem achar que o livro e' pequeno, pode sempre adquirir o novo, dentro do mesmo estilo, mas que aborda novos temas

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]