gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Ocre, reconocimiento de textos, v0.010
Contribuído por scorpio em 23-07-03 20:18
do departamento OCR
News Anonimo Cobarde escreve "(Ruego a los editores lo traduzcan al portugues). Ya está disponible la decima entrega de ocre un programa de reconocimiento de caracteres (OCR) que se distribuye según la GPL. Quitados algunos errores, liberada alguna memoria, con unicode para dar soporte a otros juegos de caracteres y soprote a ingles, español y polaco. Se ofrece servicio post-download. Con un poco de vuestra ayuda, podrá reconocer caracteres especificos del portugues. Muchas gracias. "
[scorpio: Parece-me desnecessária a tradução para Português; o texto percebe-se perfeitamente.]

Samsung : M400 & CPU S3C2440 CPU @ 533MHz | Hotspots WiFi a nível nacional para uma Iniciativa  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Anonimo Cobarde
  • ocre
  • Mais acerca News
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por galego em 24-07-03 1:56 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    [scorpio: Parece-me desnecessária a tradução para Português; o texto percebe-se perfeitamente.]

    Scorpio, um respeito pela língua!! nao é o mesmo castelhano q português!!
    Na Galiza estamos a lutar por erguer a língua galega (irma da portuguesa) pela opresao cultural sofrida pelo castelhano.
    Com comentários coma o teu das-lhe a razao aos castelhanos q dim q o galego (e o portugues) sao lingua inferiores, q nao tenhem utilidade.
    Combido-te a visitares a Galiza e conhecer a situaçao de submetimento linguistico q estamos a sofrer pela culpa do castelhano e da gente q pensa coma ti!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por André Simões em 24-07-03 3:01 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://hesperion.catus.net
    Só uma curiosidade "científica". Usas a ortografia reintegracionista habitualmente, ou apenas por estares a escrever numa página portuguesa? Um saúdo muito especial de alguém que por motivos profissionais e por conviver diariamente com uma grande amiga galega reintegracionista está especialmente sensível a estas questões :)

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 8:19 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    Um galego que tem um usuário em Gildot (um website português), quer dizer, que o lê habitualmente, e que escreve para defender a língua do espanhol... bem, eu aposto o que for a que ele também é reintegracionista ;-)
    Nunca Mais!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:3, Engraçado)
    por ruben dig em 24-07-03 8:22 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://www.floppy.com.pt
    das-lhe a razao aos castelhanos q dim q o galego (e o portugues) sao lingua inferiores, q nao tenhem utilidade
    Eu até diria mais o galego o portugues e o castelhano são linguas inferiores. Long live the english language ... Malditos acentos
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 8:26 GMT (#5)
    (Utilizador Info)

    Não, não, o inglês não... o chinês é a língua superior, que tem tantos utentes como o espanhol, o inglês e o português juntos ;-)

    Pode-se ver aqui: http://www.fasile.net/ridey/as25mais.htm


    Nunca Mais!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por leitao em 24-07-03 8:32 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Nao conheco nenhuma lingua chamada "chines" -- conheco Mandarim e Cantones.


    "I triple guarantee you, there are no American soldiers in Baghdad.", Mohammed Saeed al-Sahaf, Iraqi Minister of Information

    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 8:42 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Efectivamente, peço desculpas pela minha falta de rigor... estava a falar do chinês mandarim O:-)
    Nunca Mais!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por Shriek7 em 24-07-03 18:11 GMT (#24)
    (Utilizador Info)
    " os linguistas chineses classificaram-na em sete grandes dialectos: o dialecto do Norte(??), o Wu(?), o Xiang(?), o Gan(?), o Kejia(??), o Min(?) e o Yue(?), sendo este último o usado na Província de Guangdong, Macau e Hong Kong. "

    Tirado deste artigo
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por zaroastra em 24-07-03 9:03 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    amigo, coido que es um pouco xenofobo, deverias ter mais coidado com o que dizes, pois as tuas opinions non son compartidas nem por todos os galegos e moito menos pelos (poucos) que ainda se consideram espanois.

    Todo o que dizes non passa de orgulho ferido e de um sentimento de nacionalismo fascista, similar ao que o propio franco, salazar, hitler, stalin ou mussolini cultivaram nos seus paises a seu tempo.

    Portanto evolui a tua mentalidade, e diste isto um amigo basco, filho de galegos, que cresceu em portugal, trabalha na suiza e mora na francia.

    O que eu me sinto? Europeu. (Non um cidadan do mundo, porque para isso tinha que me identificar com os americanos, o que seria pedir moito para mim)


    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por André Simões em 24-07-03 13:12 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://hesperion.catus.net
    Bom, se defender a sua cultura e a sua língua é ser fascista e xenófobo, então acho que somos todos fascistas e xenófobos por aqui. Não estás tu a ser um pouco radical? Não vi ali xenofobia nenhuma. De qualquer forma é curioso chamar fascista ao nacionalismo galego, que é claramente de esquerda, o que com efeito é insólito no contexto dos nacionalismos tradicionais. Também não acho que haja qualquer incompatibilidade com o sentir-se europeu e sentir-se tambem galego, ou português, ou sueco, ou grego. Eu até acho que só me posso sentir verdadeiramente europeu se a minha língua e a minha cultura se en contrarem devidamente defendidas. Nessa medida, acho que o utilizador "galego" está apenas a tentar defender o que é dele. E talvez tu, como eu e como a quase totalidade dos utilizadores do Gildot, não tenhamos a real noção nem o real entendimento da revolta dele porque não vivemos na Galiza, e no caso dos Portugueses tivemos a sorte de nascer num país independente onde a nossa língua é protegida e a nossa cultura reconhecida. Nem todos se podem gabar do mesmo.
    P.S.: assino por baixo o teu parágrafo final:
    O que eu me sinto? Europeu. (Non um cidadan do mundo, porque para isso tinha que me identificar com os americanos, o que seria pedir moito para mim)

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por zaroastra em 24-07-03 14:19 GMT (#17)
    (Utilizador Info)
    > Não vi ali xenofobia nenhuma.
    Ora bem, o texto estava em espanhol. toda a gente compreende minimamente espanhol em portugal. como tal o editor nao o traduziu. o gajo veio logo a reclamar que nao havia respeito pela lingua.
    Esse problema so existe na cabeca dele, para nos (que entendemos) esse problema nao existe.
    A forma extremista como ele defendeu a sua lingua (que nem sequer estava a ser posta em causa) demonstra total xenofobia pelos espanhois que falam castelhano (toda a espanha excepto galiza, catalunha e pais basco)

    >De qualquer forma é curioso chamar fascista ao nacionalismo galego, que é claramente de esquerda
    Como podes ver pela minha lista de fascistas, stalin era um facista, e da pior especie, para mim o fascismo nao esta aliado a esquerda ou direita, mas sim a forma de pensar

    >E talvez tu, como eu e como a quase totalidade dos utilizadores do Gildot, não tenhamos a real noção nem o real entendimento da revolta dele porque não vivemos na Galiza,
    Eu (IMNSHO), mais que tu, os utilizadores do gildot, e o nosso amigo, tenho uma visao clara e bastante neutra do processo. Sou basco, passei grande parte da minha vida em vigo, onde tenho grande parte da familia. Ja sofri na pele na catalunha a desvantagem da pseudo-identidade cultural (como um aparte, como se sentiria o nosso amigo, se a pedir informacoes numa rua de espanha (em castellano claro, nao vamos assumir que eles falam galego) e eles te respondessem em catalao? E que pensaria quando apos dizer que nao comprendia catalao lhe respondessem apreende? tudo isto por alguem que percebe e fala catalao sempre que precissa?)
    Nao senti em ninguem (pah, tambem nao vou a confraternizacoes de terroristas galegos) a revolta que tanto falas.
    A opresao que dizes, eh algo que nao foi sentido por ninguem que tenha nascido depois de 1970. Desde entao que os galegos sao libres de falarem o que lhes der na gana, tal como todas as pessoas de uma sociedade libre e democratica. Ha ja muitos anos que o galego eh lingua oficial, eh ensinada nas escolas e universidades.
    (idem aspas para a catalunha e euskadi)
    Revolta? isso eh um mito! Deve ser como aquela frase que ja ouvi muitas vezes em portugal que os galegos querem ser portugueses... ainda estou pra encontrar um desses...

    > tivemos a sorte de nascer num país independente
    E agora o reverso, ja ouvi muitos portugueses dizer que para ter a qualidade de vida dos espanhois bem que se estavam a cagar pra independencia.

    Cheers

    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 15:01 GMT (#18)
    (Utilizador Info)

    Vejamos, eu penso que ele só criticava a decisão do editor, que interpretou como "para que utilizar português podendo utilizar o espanhol" (que eu também penso excessiva para este caso, mas não necessariamente extremista ou xenófoba).

    O motivo disto é que na Galiza os pensamentos desse tipo ("o galego não é útil, falemos espanhol"), são os que estão a fazer que o galego perca falantes. Evidentemente toda pessoa é livre de falar a língua que quiser, mas ele o que lamenta é que se deixe de falar o galego entre os próprios galegos por esse tipo de atitudes. Não diz que odeie à gente que fala espanhol na Galiza (não sei se o faz). Podes chamar-lhe orgulho ferido, possivelmente é uma boa definição, mas não necessáriamente xenofobia

    Respeito à opressão do espanhol sobre o galego, o facto de o galego ser língua oficial desde há uns anos não implica que não esteja oprimido. Se se pode falar duma invasão cultural do inglês (que afecta enormemente ao léxico tanto do espanhol como do português, como todos os informáticos sabemos), com muita mais razão se pode falar do mesmo para o caso espanhol-galego, onde o galego é de facto um dialecto social do espanhol, e mesmo se grafa como tal (mesmas letras, normas de acentuação, etc.) em vez de utilizar a portuguesa que lhe corresponde, por ser o galego mais uma variedade desta língua.


    Nunca Mais!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por zaroastra em 24-07-03 15:22 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    >O motivo disto é que na Galiza os pensamentos desse tipo ("o galego não é útil, falemos espanhol"), são os que estão a fazer que o galego perca falantes.

    E? Se as pessoas nao querem falar vao obrigalas? (ah! eh verdade, ja me esquecia mas eh mesmo isso que fazem)
    A maior parte dos galegos nao falava galego. (leia-se, nos tempos de franco, e porque na altura sim ERAM oprimidos) E muito menos o galego de academia que agora se fala.
    O galego tal como se fala agora, indo buscar as raizes do portugues arcaico para entrar no acordo ortografico, nao respeitou a evolucao da lingua, eliminando anos de evolucao. (basta leres castelao ou rosalia de castro para constatares isso)
    Mas estou me a distrair do meu ponto:
    Se as pessoas nao querem falar galego por opcao? eh justo obrigalas? Nao eh exactamente o equivalente do que franco fez?

    >Se se pode falar duma invasão cultural do inglês
    Falo portugues, espanhol e ingles fluentemente, um frances menos mau e um italiano pior um bocado. (tambem falo galego claro, mas pra mim nao eh uma lingua, mais um dialecto, sem ofensa)
    Consigo passear pelo mundo sem grandes problemas, mas nem toda a gente eh tao priviligeada como eu. Nao seria melhor se toda a gente falasse pelo menos uma lingua comum? Eu nem sequer me importava que fosse o ingles.
    Pralem disso, depois cada qual falava o que lhe saisse dos tomates. E ninguem obrigava ninguem a falar uma lingua so porque sim (ou para preservar a identidade cultural ou os argumentos que costumam utilizar).

    Apreender uma lingua devia ser um gosto, nao uma obrigacao. E isso eh algo que os fundamentalistas/extremistas/nacionalistas das regioes que nao falam castelhano em espanha se costumam esquecer.

    Eh o que eu digo, passaram de uma situacao na qual, oprimidos, nao podiam falar uma lingua, para uma na qual querem que toda a gente fale, nem que seja oprimidos, essa mesma.
    O problema eh que ao fazer isso estao a ser tao maus como os primeiros, e nao dao por ela porque nao tem a issencao e neutralidade que deveriam (poderiam) ter.

    No extremo chegamos a situacao da catalunha, onde se nao sabes falar catalao nao arranjas emprego, nao podes ir a aulas de universidade, etc.
    Isso eh nitidamente discriminacao. Nao racial, mas social. Mas nao deixa de ser menos fascista pro isso.
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 15:52 GMT (#20)
    (Utilizador Info)

    > E? Se as pessoas nao querem falar vao obrigalas?

    Já falei disso na mensagem anterior:``Evidentemente toda pessoa é livre de falar a língua que quiser, mas ele o que lamenta é que se deixe de falar o galego entre os próprios galegos por esse tipo de atitudes. Não diz que odeie à gente que fala espanhol na Galiza''. Eu também gostaria de que muita mais gente na Galiza falasse galego, mas não por isso ameaço nem obrigo a ninguém. Lamento os baixos índices de leitura da população mais jovem. Não vou com uma pistola numa mão e um livro na outra. Aqui falamos de lamentar uma situação, penso que ninguém falou aqui de obrigar.

    Por outra parte, a maior parte dos galegos falava e fala galego (embora cada vez menos, e Vigo ou Corunha não são precisamente exemplos de galegofonia). O galego de academia é só um padrão, não quer dizer que a gente fale assim (pela mesma razão, os andaluzes também não falam espanhol da RAE).

    Respeito da língua comum, eu também penso que é útil, sem dúvida, e eu gosto da língua espanhola e da inglesa, mas isso não quer dizer que goste de estrangeirismos desnecessários, que é do que falava aqui. Quando falo de invasão do inglês não falo de bani-lo.


    Nunca Mais!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2, Esclarecedor)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 16:09 GMT (#22)
    (Utilizador Info)

    > No extremo chegamos a situacao da catalunha, onde se nao sabes falar catalao nao arranjas emprego

    Se vais à Catalunha e não falas espanhol vais ter o mesmo problema. Qual é a diferença?


    Nunca Mais!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por zaroastra em 25-07-03 7:23 GMT (#30)
    (Utilizador Info)
    A diferenca eh que enormemente mais pessoas sabem falar espanhol que catalao. Inclusivamente todas as pessoas que falam catalao. Ao fazerem isso estao a aproveitar-se da lingua como ferramenta de discriminacao e xenofobia.
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 25-07-03 12:39 GMT (#32)
    (Utilizador Info)

    > A diferenca eh que enormemente mais pessoas sabem falar espanhol que catalao.

    Dentro da Catalunha? Estamos a falar de diferenças enormes? Penso que não. O importante não é se o catalão se fala habitualmente menos ou mais do que o espanhol em Catalunha, mas se o catalão é uma língua de uso maioritário pela população catalã. E como a resposta é afirmativa, não vejo por que tem que ter menos direitos do que o espanhol. Só entenderia a sua não-obrigatoriedade pelo facto de ser uma língua falada por uma parte muito reduzida da população catalã. Não é o caso.


    Nunca Mais!
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por Shadlan em 24-07-03 18:41 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://alunos.uportu.pt/~al18420/
    Isso do galego ser dialecto tem muito que se lhe diga, é o mesmo que dizer que o mirandez é um dialecto e não uma lingua por si mesmo.
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por Manuel em 27-07-03 3:47 GMT (#36)
    (Utilizador Info) http://sindominio.net/~manuel/
    Já comentou lá o Galego Petroleado que não é o galego a língua minoritária na Galiza hoje (está a um passo só de sê-lo parece.. mas ainda não é), nem muito menos nos tempos de Franco. Com isso já nem sei se devia de perguntar-te mais coisas, porque é fútil debater com quem anda só a barulhar (com licença, é o que me parece que estás a fazer) mas... tenho curiosidade: dizes que o galego esse é dialecto... mas é dialecto de qual língua?

    Por certo, há muitas maneiras de obrigar à gente a falar outra língua. Por exemplo os USA conseguindo co-oficializar o inglês em Porto Rico, para que progressivamente se utilize mais e chegará um momento no que se deixará de falar castelhano.

    Tu estás a falar em processos de imperialismo cultural (que afinal são sempre por motivos económicos e comerciais, é claro) como se fosse escolha própria.. isso é trampa! Ou é que a gente escolhe livremente aprender inglês como segunda língua? Será porque tem mais prestígio socialmente, porque economicamente é o país mais potente economicamente e à vez é a que se prima como segunda língua nas escolas? Qual é a língua de prestígio na que se ministam aulas na Galiza, e qual é a língua secundária? Qual a proporção de utilizazão nas aulas de uma e outra? Imprensa em galego e castelhano? É tudo neutral, verdade?

    (Tem cuidado ao responderes estas últimas, igual acabas dizendo que o governo não-nacionalista-mas-nacionalimperialista espanhol e a sua delegação na Galiza incumprem as leis que eles pŕoprios aprovaram...).
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por Manuel em 27-07-03 3:51 GMT (#37)
    (Utilizador Info) http://sindominio.net/~manuel/
    Já comentou lá o Galego Petroleado que não é "o galego" (ou as falas galegas) a língua minoritária na Galiza hoje (está a um passo só de sê-lo parece.. mas ainda não é), nem muito menos nos tempos de Franco. Com isso já nem sei se devia de perguntar-te mais coisas, porque é fútil debater com quem anda só a barulhar (com licença, é o que me parece que estás a fazer) mas... tenho curiosidade: dizes que o galego esse é dialecto... mas é dialecto de qual língua?

    Por certo, há muitas maneiras de obrigar à gente a falar outra língua. Por exemplo os USA conseguindo co-oficializar o inglês em Porto Rico para que seja totalmente legal utilizá-lo, e para que assim progressivamente se utilize mais e chegará um momento no que se deixará de falar castelhano lá.

    Tu estás a falar em processos de imperialismo cultural (que afinal são sempre por motivos económicos e comerciais, é claro) como se fosse escolha própria.. isso é trampa! Ou é que a gente escolhe livremente aprender inglês como segunda língua? Será porque tem mais prestígio socialmente, porque economicamente é o país mais potente e à vez é a que se prima como segunda língua nas escolas, não podendo escolheres pex o japonês? Qual é a língua de prestígio na que se ministam aulas na Galiza, e qual é a língua secundária? Qual a proporção de utilizazão nas aulas de uma e outra? Imprensa em galego e castelhano? É tudo neutral, verdade?

    (Tem cuidado ao responderes estas últimas, igual acabas dizendo que o governo não-nacionalista-mas-nacionalimperialista espanhol e a sua delegação na Galiza incumprem as leis que eles pŕoprios aprovaram... :)
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2, Interessante)
    por André Simões em 24-07-03 16:00 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://hesperion.catus.net
    Ele defendeu da mesma forma que muitos aqui defendem - e bem - o português quando se aprovam - mal - posts em inglês. Nunca vi ninguém chamar fascista nem xenófobo a quem protesta por não estar na sua língua. Quero ver-te a chamar xenófobos aos que protestarem quando se aprovar um artigo em inglês, língua que toda a gente percebe. Continuo a não considerar xenofobia alguém revoltar-se por ver um documento escrito em língua estrangeira. Então o Estado Português não fica nada a dever a Hitler, Mussolini, Franco e Estaline, quando proibe expressamente publicidade em língua estrangeira e instruções de uso e outros documentos sem tradução, e estará a ter atitudes xenófobas para com os países de origem desses produtos. Tens por aí o e-mail do primeiro-ministro para lhe chamares fascista? Não deve ser difícil de achar.

    Eu não falei em opressão, estamos aqui a confundir planos. O que eu quis dizer é que nós não precisamos de dizer que existimos, que falamos a nossa língua, que ela existe: é um dado adquirido. Mas tu, já que viveste em Vigo, sabes que nas ruas das cidades galegas, com algumas excepções, como Santiago, o que se ouve é o castelhano. Já ouviste algum jovem, algum miúdo falar galego? Eu realmente já, mas muito, mesmo muito poucos. Quero com isto dizer: não é por ser língua oficial que se a protege. O mirandês também é língua oficial em Portugal e é ensinado nas escolas, o que não impede que esteja praticamente extinto.

    Revolta é um mito? Posso apresentar-te os muitos galegos que conheço que têm essa revolta, uns mais do que outros, podemos até fazer um jantar. Temos é de marcar num restaurante grande, e com alguns dias de antecedência. Não são assim tão poucos. Ou então eu tenho a sorte de realmente serem muito poucos e de eu conhecê-los a todos... Em contrapartida, se quiseres fazer um jantar com os que conheço que não têm essa revolta, pode ser até no próprio dia, pois só conheço, que me lembre, dois. Não quero extrapolar os números dos meus conhecimentos pessoais para a realidade galega, no entanto. É natural que eu conheça mais reintegracionistas que espanholistas, na medida em que frequento sobretudo círculos reintegracionistas. Espero que não me chames terrorista por isso!

    Eu também não conheço galegos que queiram ser portugueses (só se fossem parvos), mas sei que os há, ainda que uma minoria residual, olhada de lado pelos restantes. Lembro-me no entanto de um, numa cerimónia académica em Santiago, reconhecido "lusista", que forçava a aproximação de tal forma que pronunciava os nossos "-ão" em vez do galego "-om", o que não só soava forçado como era recebido com desconforto pelos restantes galegos, muitos deles reintegracionistas. Lembro-me ainda da primeira visita que o Sampaio fez à Galiza, quando foi recebido por uma manifestação de "lusistas", que tinham cartazes a dizer coisas como "Somos todos portugueses". São uma minoria, residual, insignificante talvez, mas existem.
    Tenho conhecido sim muitos galegos reintegracionistas que vêm para Portugal com a ilusão de que serão recebidos aqui como irmãos, e quando cá chegam têm uma desilusão imensa, porque não os reconhecem dessa forma, mas sim como espanhóis que falam de uma maneira esquisita.

    Quanto ao que referes sobre a Catalunha, acho que é uma maneira de defender a sua cultura, e tão ridícula como a do português que acha que os estrangeiros quando cá vêem têm de "se esforçar" para falar uma língua que nunca puderam aprender. Há muitos portugueses que defendem isso. Mas deixa-me contar-te uma história:
    em 2001 estive na Corunha, com uma amiga reintegracionista de lá, e presenciei estas cenas caricatas: na maioria dos sítios aonde íamos (cafés, restaurantes, lojas) os empregados realmente falavam-me em galego, quando percebiam que eu era português. À minha amiga, no entanto, quando ela lhes falava muito naturalmente em galego respondiam-lhe invariavelmente em castelhano. Não achas mais grave do que a situaçãoque relataste?

    Mas já agora: "pseudo-identidade" catalã? Pões em causa a identidade de um povo que tem uma língua e uma cultura riquíssimas e antiquíssimas, que produziu monumentos literários na sua própria língua numa altura em que os castelhanos preferiam escrever em galego-português, língua culta da Idade Média peninsular, ainda que no dia a dia falassem a sua língua? De um estado que foi independente até ao século XVI e chegou a ter um pequeno império no mediterrâneo? É que no meu dicionário "pseudo" quer dizer que não é a sério, e em grego significa algo como "mentira", o que acho que só com muita má fé se pode aplicar a riquíssima cultura catalã. Aí sim, é uma atitude xenófoba, de menorização cultural de todo um povo.

    Terroristas galegos? Quem falou disso? Há bombas a rebentar em Santiago, Vigo, Corunha, Ourense? Houve realmente grupos nacionalistas armados, salvo erro nos anos 70, mas nunca tiveram grande expressão, e encontram-se desmantelados há muito tempo. Ou és daqueles que confundem nacionalismo com terrorismo, apenas porque uma parte minoritária do nacionalismo basco e irlandês optou por essa via, e metes no mesmo saco os terroristas da ETA, a conservadora e moderadíssima CiU catalã, o BNG galego e mesmo o conservador PNV basco? Se sim, nem vale a pena continuar esta discussão, porque revelaria uma falta de conhecimento tão grande que seria escusado. Mas estou em crer que não é o caso.

    Finalmente, e porque realmente não ficou claro nos meus comentários anteriores:
    1) não tenho nenhum parti pris contra o castelhano; pelo contrário sou um castelhanófilo convicto, estudei a língua e sou um admirador embasbacado da riquíssima literatura castelhana; sou no entanto também um admirador confesso da cultura catalã e da sua belíssima língua, e tenho pela Galiza um amor imenso, não só por ser cultural e linguisticamente nossa irmã, mas porque do que conheço adoro-a enquanto paisagem cultural, humana e física;
    2) não vejo mal nenhum em não se ter traduzido o artigo, mas acho que também não custava nada. Apesar disso, compreendo a irritação do "galego", tendo em conta tudo o que acima expus. Acho muito mais irritante quando se publicam artigos em inglês. Espero que isso não faça de mim um fascista xenófobo.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por Manuel em 27-07-03 3:23 GMT (#35)
    (Utilizador Info) http://sindominio.net/~manuel/
    Assino eu tb este comentário, se tu me deixares :)

    Apenas gostava acrescentar que eu (23) e a minha prima de agora 12 anos já temos sido repreendidos na escola ("não fales assim, isso é de 'paletos' / não serve para nada", paletos é castelhano e significa algo do género de "baixo nível cultural", identificação frequente que faz alguma gente do Reino da Espanha com a gente galega e mesmo a portuguesa) tanto por familiares quanto por professoras na escola... Não sei as experiências que viveu o zaroastra em Vigo, mas acho que muito os olhos ou as orelhas não abriu. Suponho que conhecerão o ditado esse que diz que não há pior surdo que quem não quer ouvir.

    Enfim, avante fascistas terroristas xenófobos galaico-portugueses!! ;)

    --
    Um outro galego "revoltoso"
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por André Simões em 27-07-03 3:55 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://hesperion.catus.net
    Viva! É sempre bom conhecer mais um galego terrorista ;) E viva também a nossa língua galego-portuguesa, e todos os esforços que forem feitos para defendê-la! Vou já reaproveitar o "banner" da tua página para pôr na minha :)

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por Manuel em 27-07-03 18:30 GMT (#39)
    (Utilizador Info) http://sindominio.net/~manuel/
    Fixe! ;)
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por nuts em 24-07-03 9:07 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    O que scorpio disse só dá razão a que acabem com o castelhano - um idioma fraco com uma fonética reduzida e que permite que galegos e portugueses entendam "perfeitamente" castelhanos e quejandos, e que eles não entendam patavina do que digamos ou escrevamos. :)

    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por jmce em 24-07-03 10:32 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    O facto de o scorpio ter achado desnecessária a tradução não me parece sinal de qualquer desrespeito, mas de ele ter achado que a mensagem seria perceptível a todos. Isso é mau? E se sem tradução conseguirmos perceber, não é melhor para a promoção da língua galega que apareça mais material escrito com ela? Ou a promoção do valor da língua galega exige fingirmos de forma "politicamente correcta" que os portugueses não a percebem?
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:2)
    por mazevedo em 24-07-03 10:42 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://mazevedo.welcome.to
    Acontece que o artigo está escrito em Castelhano e não em Galego...

    O ponto dado pelo nosso amigo galego, era esse mesmo.
    ----
    //\anuel /|zevedo

    OOOOOOPS (Pontos:2)
    por jmce em 25-07-03 3:12 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    Ooops, nabice minha, começando por não estar com atenção e ainda assim comentar. Não faço ideia como não reparei devidamente na língua do artigo. Se não faço férias depressa, isto ainda acaba mal...
    Re:um respeito pela língua!! (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 11:20 GMT (#13)
    (Utilizador Info)

    Ou a promoção do valor da língua galega exige fingirmos de forma "politicamente correcta" que os portugueses não a percebem?

    Como já disse alguém, estava-se a falar do Espanhol, não do Galego :-) Fingir que os portugueses não percebem o galego (ou vice-versa) já sería o cúmulo, penso eu.


    Nunca Mais!
    Para a próxima... (Pontos:1)
    por Shriek7 em 24-07-03 18:33 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    ... é melhor não dizer nada e submeter o artigo tal como está (sem msgs do genreo: Parece-me desnecessária a tradução para Português; o texto percebe-se perfeitamente).

    Depois, se o artigo fosse em inglês ninguem dizia nada mas como era em castelhano (k nem me fascina nada, muito pelo contrário) e foi deixada essa nota no fim....

    PS. Obviamente q deve haver bom senso: não se vai submeter um artigo em chines (até pk a maioria nem iria conseguir ver os caracteres) ou em filipino (aka tagalo) mas neste caso o artigo em castelhano era perfeitamente compreensivel por kem tem mais de 2 dedos d testa e percebe minimamente portugues

    PPS. A lingua é cada vez mais uma forma de arte na sociedade global, podiamos perfeitamente eskecer os nacionalismos, adoptar uma lingua apátria (esperanto?) e tornar tudo mais eficaz. Seria mais fácil preservar a (existencia da) lingua se ela for encarada como parte da história, como ...arte.
    Re:Para a próxima... (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 24-07-03 18:52 GMT (#27)
    (Utilizador Info)

    > podiamos perfeitamente eskecer os nacionalismos, adoptar uma lingua apátria (esperanto?)

    O inglês já está a desempenhar essa função. Para quê desfazer o caminho andado?


    Nunca Mais!
    Re:Para a próxima... (Pontos:1)
    por Shriek7 em 24-07-03 20:34 GMT (#28)
    (Utilizador Info)
    O inglês não, precisamente, porque ainda existem discussões como estas. O problema é k as linguas naturais (as existentes) trazem consigo a História q por vezes pode não ser agradável aos eventuais falantes.
    Apesar de (na minha opinião) a maioria dos portugueses não ter problema de adoptar o ingles como lingua secundaria (SECUNDÁRIA, é disto que estou a falar) não me parece k isso possa acontecer com outros Europeus, principalmente os que tiveram 'desavenças' graves com os Ingleses no passado. Uma lingua artificial como o esperanto é neutral (foi para isso que foi criada).

    Depois, o inglês é mais fácil que o Português, que o Francês, que o Castelhano...etc... mas não é propriamente a lingua mais fácil e objectiva do mundo. Não, com essas variantes todas que existem ('Americano', 'Canadiano', 'Anglo-Escocês', 'Australiano'...etc)
    Re:Para a próxima... (Pontos:1)
    por GalegoPetroleado em 25-07-03 13:15 GMT (#33)
    (Utilizador Info)

    > Uma lingua artificial como o esperanto é neutral (foi para isso que foi criada).

    Sim, e teve o êxito que teve. Na minha opinião, é muito complicado que a população tenha interese por uma língua criada da nada. Penso que a gente quer aprender uma língua quando lhe vê utilidade, e isto sempre é quando o país ou países que a falam têm uma grande presença política e/ou económica. Se a China fosse uma grande potência cultural mundial, possívelmente existiria um maior interese por aprender a língua chinesa (bem, alguma delas ;)) em vez de outras com um número de utentes muitíssimo menor (o alemão, por exemplo).


    Nunca Mais!
    Re:Para a próxima... (Pontos:2)
    por André Simões em 26-07-03 13:17 GMT (#34)
    (Utilizador Info) http://hesperion.catus.net
    Tem havido imensos protestos (e bem) sempre que são submetidos artigos em inglês.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:Para a próxima... (Pontos:2)
    por McB em 28-07-03 1:32 GMT (#40)
    (Utilizador Info)
    Obviamente q deve haver bom senso: não se vai submeter um artigo em chines (até pk a maioria nem iria conseguir ver os caracteres) ou em filipino (aka tagalo)

    Só um pequeno aparte: o "TAGALOG" é apenas um dos imensos dialectos falados nas Filipinas, tendo sido adoptado como língua oficial, muito embora grande parte da população urbana e na área turística fale inglês - um inglês ranhoso, saliente-se, e tem que se falar com sotaque americano, senão não nos entendem! :D

    Salamat po (que é como quem diz, "obrigado") pela atenção.

    Yours,
    McB!
    They told me it need Windows 95 or better, so I chose Linux
    traduzir ou não... (Pontos:3, Esclarecedor)
    por scorpio em 24-07-03 11:01 GMT (#12)
    (Utilizador Info) http://eurotux.com/
    Ou esta gente toda está demasiadamente sensível a esta questão, ou não tem nada que fazer. Como sabem, o pouco tempo que os editores vão arranjando (cada um dentro da sua realidade) para aprovar||escrever artigos é utilizado na óptica de prestar um melhor "serviço" aos leitores.

      Entre traduzir o artigo (que iria demorar mais do que 30 segundos, ou seja, candidato a ficar na prateleira até outro editor o aprovar) e aprová-lo com o Meu Ponto de Vista Sobre a Tradução (TM) (R) (C) imediatamente, escolhi a segunda. É possível que outro editor estivesse online passados alguns segundos ou minutos e o traduzisse e/ou complementasse, mas decidi correr o "risco".

      Deixem de assumir que por trás de cada frase ou palavra está implícita uma ofensa a línguas/ideias/whatever... há gente que tem muito mais em que pensar.

    Os meus 0.2¤.
    Re:traduzir ou não... (Pontos:2)
    por vd em 24-07-03 16:11 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Cá para mim, deviamos de criar mais um assunto que em nada ajuda o tema principal - que pasmem-se os arautos das "linguas alheias", é o que está em discussão.

    //vd
    ocr (Pontos:1)
    por K` em 24-07-03 12:23 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://www.geocities.com/alex_j_p
    não tenho scanner mas gostaria de saber como está scanners e ocr no linux

    talvez alguem se podia dar ao luxo de comentar a mensagem , e não como a mensagem está escrita
    Re:ocr (Pontos:2)
    por [Cliff] em 24-07-03 14:00 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Sobre OCR não te consigo elucidar, mas sobre scanners podes consultar o SANE.
    Nesse site também podes consultar a lista de scanners suportados (ou não) e daí tirar algumas conclusões sobre o scanner que vais comprar caso ainda não o tenhas feito.

    ----------
    Este post foi publicado segundo a licensa IDC (I Don't Care).
    Re:ocr (Pontos:1)
    por tca em 25-07-03 11:22 GMT (#31)
    (Utilizador Info) http://alf1.cii.fc.ul.pt/~charters
    Um vez tentei usar o clara OCR...mas por falta de tempo não fiz mais nada :(


    "For if a thing is not diminished by being shared with others, it is not rightly owned if it is only owned and not shared.", 397 Ag

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]