gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Projecto e-U: Vamos lá escolher laptops
Contribuído por scorpio em 10-06-03 13:55
do departamento compras
Hardware grumpy bulgarian escreve "Olá pessoal,
O projecto e-U e os seus campus com wireless LAN prometem não só alterar o dia-a-dia das universidades, como dar um considerável ânimo às vendas de laptops.

Em paralelo, tem vindo a ser promovida com alguma intensidade a Mobile Connect Card da Vodafone e da Option, que no fundo é um modem GPRS numa placa PCMCIA.

Para podermos enviar SMS e usar ICQ em qualquer casa de banho pública do país só falta um PC laptop! E aí temos que fazer escolhas.
Pessoalmente, eu ficava satisfeito com um laptop só com disco rígido, sem diskettes, cds, DVDs. 2 portas USB chegavam para os meus periféricos actuais e potenciais. a porta serie, paralela e a PS2 já ganharam o seu lugar na História e podem lá ficar. Falta só a placa de rede 10/100 e a ligação Wi-fi, claro. Se a maquina tivesse o aspecto e tipo de construção do Siemens ME45 eu largava já a bela nota de 1000."

"No entanto, parece que esta máquina não existe. pesquisando a lista de fabricantes associados ao e-U, o preço mínimo é à volta de €1100, linux só na Inforlândia, que é a única que vende laptops "de marca branca". Fui lá ver esse material em pessoa e fiquei a saber que é raro venderem maquinas com o linux (Mandrake) instalado, que habitualmente as maquinas saem sem OS. Perguntei que tipo de instalação é feita, responderam que é a default que vier no CD da distribuição. Perguntei se o som e a rede wireless eram bem suportados na instalação default e fiquei a saber que não se sabe.

Ficam as questões:
Como é o vosso laptop ideal?
Se V.Exas. fossem a comprar um laptop, que marcas e caracteristicas estariam no topo das preferências?
Placas de rede wireless PCMCIA vs. Embutidas no laptop. Experiências, opiniões, palpites?
Que outras casas conhecem a pré-instalar Linux em laptops?"

IVA sobre serviços Internet | XQuery junta IBM e ORACLE  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • Inforlândia
  • e-U
  • Mobile Connect Card
  • Option
  • Siemens ME45
  • Mais acerca Hardware
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    A onda dos portáteis (Pontos:4, Esclarecedor)
    por MiguelA em 10-06-03 14:35 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://anetmorreu.blogspot.com
    Caro,

    agora que com a iniciativa dos Campus Virtuais se instaurou a onda frenética da posse de equipamentos portáteis, vamos novamente assistir a uma tendência de compras que nada correspondem às necessidades.

    As pessoas, pelo menos na sua grande maioria, não sabe adquirir um equipamento informático de acordo com as suas necessidades. A grande teoria de compra dos portugueses, quer seja em relação a equipamentos informáticos quer seja em relação a tudo o resto, é a de comprar o mais possível pelo menos possível. No final do dia lá acabam por escolher aquilo que lhes for possível comprar dentro de um orçamento préviamente determinado.

    A aquisição de um portátil implica hoje em dia dois factores determinantes. O primeiro é a sua utilização quotodiana. O que é que de facto se vai fazer com o dito equipamento. Ora, com a iniciativa Campus Virtuais, surge agora este novo mercado massiço que são os universitários. Ora, 90% dos universitários vão precisar de um portátil para quê ? Aceder à Internet, produzir documentos em Word e meia dúzia de aplicações relativamente básicas. Só os restantes 10% é que vão necessitar de usar as chamadas "processing intensive" aplicações. E depois existe sempre o niche que pretende instalar Linux nas máquinas. E atenção que existem muitas máquinas certificadas para Linux (Red Hat e Suse, no caso da Fujitsu Siemens).

    O segundo grande critério que surge actualmente na compra de um portátil é infelizmente o "fashion statement". Como hoje em dia é fino ter um bom portátil, vai-se assistir a uma corrida quase frenética à aquisição de topos de gama da HP, IBM e Dell. Porque é uma forma de mostrar a capacidade de financiamente de cada um, face aos que infelizmente não têm orçamentos que esticam e esticam (ou fontes de rendimentos que não as suas).

    Ah, e esperem pela segunda "Wave", em que os mais estilosos ou capacitados financeiramente vão deixar de andar de Notebook para andarem com o seu Tablet PC. Mas isso só a partir de 2004.

    No meio desta revolução surge o Centrino, essa nova tecnologia que supostamente vêm permitir aos portáteis menor consumo e mais autonomia. Mas será os estudantes universitários aqueles que mais vão benefeciar desta tecnologia ? É que pessoalmente não estou a ver os estudantes universitários (excepto alguns) a dar um uso de 3, 4 ou 5 horas seguidas a um notebook. Se um estudante vier a utilizar o seu equipamento na Universidade por um período total de 2 horas, eu até já acho bastante. O resto do tempo será usado em casa, onde a alimentação eléctrica existe.

    O facto dos equipamentos possuirem Wireless integrado é vantajoso, porque é menos uma peça que anda perdida numa mochila. Sei que ainda existem muitos que não conseguem perceber a vantagem de se trabalhar em ambientes Wireless, mas diz quem experimentou (e é de facto assim) que depois de se usar, não se quer outra coisa.

    O resto é conversa. Um bom processador, memória quanto baste, um bom disco rígido, DVD com CDRW e mais meia dúzia de berlioques fazem a festa. Depois é uma questão de peso e de dinheiro.

    A título pessoal, a minha escolha recai sobre uma Mobile H, até porque dá para jogar Medal of Honour (entre muitos outros jogos) em qualquer lado :)

    Cumps,
    Miguel Albano
    If Spam was Money...then I'd be filthy Rich... But I'm not, so why try to sell me anything ?!?
    Re:A onda dos portáteis (Pontos:1)
    por jamaica em 12-06-03 9:05 GMT (#59)
    (Utilizador Info) http://latencias.pt.vu
    era suposto escolher dentro dos portáteis abrangidos pela "promoção".. :)
    ---------------------
    The worst moment for the atheist is when he is really thankful and has nobody to thank. Dante Rossetti
    Re:A onda dos portáteis (Pontos:2)
    por sincronia em 13-06-03 11:41 GMT (#83)
    (Utilizador Info) http://www.haxmen.org/
    Numa única frase: Numa sociedade desinformada a tendência principal é o comportamento de manada, o líder aponta, a manada segue.

    Cada vez mais me convenço que o país foi tomado por pintas, é tudo muito lindo, mas cadê o conteúdo?

    I want to know the reason why!!!

    Tenho dito.

    Been there, done that, didn't wake up with the t-shirt...
    Smaller the better (Pontos:2)
    por Strange em 10-06-03 14:38 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.no-ip.org/
    Ja fui adepto de portatil como substituto de pc de secretaria, mas a verdade e' q nunca chega a se-lo.

    Por isso agora sou adepto dum destes: Compaq Evo N200, < USD$900; ou Evo nc4000, > USD$1699

    Ninguem me quer oferecer um?

    hugs
    Strange

    PS (Pontos:2)
    por Strange em 10-06-03 14:39 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.no-ip.org/
    os portateis da mactek tb nao tem sistema operativo de base.

    hugs
    Strange

    Linux em Notebooks (Pontos:2)
    por MiguelA em 10-06-03 14:42 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://anetmorreu.blogspot.com
    Caro,

    em relação ao Linux nos portáteis. A grande maioria dos fabricantes, desde de há um ano que têm como opção a entrega dos equipamentos sem sistema operativo (antigamente tinha tudo que vir com Windows, mesmo que as pessoas não quisessem). Não sei até que ponto é que os fabricantes estão a possibilitar esta opção ao consumidor final, visto que até à pouco tempo era uma opção para os clientes "Corporate".

    Relativamente aos equipamentos Fujitsu Siemens, posso dizer-te que a grande maioria deles suporta (de origem e certificados) as distribuições Red Hat e SuSe (7.3 no caso da RH, da SuSe terei de checkar). Agora, isto é em relação aos equipamentos normais e não os mais recentes Centrino. Não sei até que ponto é que estes equipamentos já foram testados e certificados para Linux, que é sempre um processo lento.

    Cumps,
    Miguel Albano
    If Spam was Money...then I'd be filthy Rich... But I'm not, so why try to sell me anything ?!?
    apple ibook (Pontos:2)
    por pcardoso em 10-06-03 14:52 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://insomni.org
    pela descrição do PC que queres, parece quase um apple ibook (www.apple.com/ibook).. não é de marca branca, mas é branco na totalidade! :)

    comprei um em janeiro e estou satisfeito a 100% com a máquina... o mais barato que consegues comprar de momento tem um proc g3 a 800mhz, gráfica radeon mobility com 32mb ram, 128 ram (q é mto pouco e recomenda-se o upgrade para mais.. tenho o meu com ibook com os máximos 640mb), cd-rom, 20gb HD, 2x usb, 1x firewire, audio/vga/tv out, rede 10/100, modem 56k, sem floppy.. a bateria dura-me sempre umas boas 4 ou 5 horas de utlização intensiva.. se o utilizar moderadamente só o ligo novamente à corrente de volta a casa... e é extremamente bonito.. onde quer que o leve há sempre quem se ponha a olhar para ele... já me falaram que parece um computador de brinquedo da vtech.. opiniões... :) Ah! E custa 1290 euros, com iva..

    mas o melhor mesmo deste computador é sem duvida o sistema operativos.. o MacOS X é fenomenal... tenho o yellow dog linux e o gentoo/ppc, mas para quê usar o linux se o OSX é um Unix? Tenho tudo o que gosto do linux e tudo o que preciso do windows (office, principalmente).. Mas posso sempre tirar por completo o OSX e meter um Linux.. Debian, Mandrake, Gentoo, Yellow Dog... Pessoalmente prefiro o OSX e usar o Fink (apt-get para mac) para ir buscar as tralhas que gosto no linux... Tenho o KDE3.1 instalado, embora só use o Quanta e mais uns programas de linux, mas existe mta coisa de linux portada para OSX...

    Problemas com o mac? O processador não parece muito comparado com os últimos da amd/intel, mas o meu ibook é o modelo anterior (g3 a 700 com gráfica de 16mb de VRAM) e sinceramente chega-me. Tenho todo o eye-candy ligado (e acreditem, é muito!) e o sistema é extremamente rápido. Num dos novos a 800 ou 900mhz com placas com 32mb de ram há-de ser muito melhor, ou o havendo dinheiro, um powerbook com um g4 ainda melhor!

    Tens em http://www.apple.com.pt/e-u/index.html a página e-u da apple. Os ibook/pbook comprados no âmbito do e-u já trazem a placa wireless incluida...

    Para acesso sem rede, uso o meu ericsson t68i e um dongle usb bluetooth.. Não uso GPRS, já que é roubo à mão armada pelos preços que praticam, mas uso o GSM normal a 9.6kbps.. Não dá para mto, mas é suficiente para o email e a 5 escudos/minuto (tarifário vitamina P antiga) não me chateio com isso...

    Falasta da inforlandia... Se a loja que foste é uma das de aveiro, eu sou de lá e se quiseres diz qq coisa e faço-te um live demo da máquina durante um fim de semana...

    Espero que isto tenha servido para alguém.
    Pedro
    I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por m3thos em 10-06-03 15:45 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://mega.ist.utl.pt/~mmsf
    tenho um, estou muito contente, o suporte do hardware e' excelente em linux.
    Isto porque o hardware e' de boa qualidade.
    Ja' tive Debian Woody no iBook.
    E agora tenho gentoo, alias.. estou neste preciso momento a usar o dito iBook com o dito gentoo, a usar wireless para fazer este post.
    Linux suporta aceleracao 3d (glxgears da'-me 1000FPS), e faz cpu throtling para poupanc,a de energia, suporte de sleep/wakeup tambem funciona e bem.

    Para que usar linux quando se tem OSX que e' unix?
    Begin of ranting

    Bem, talvez porque o OSX e' lento como a merda, tem um VM com muito por afinar e porque o windowmanager e' pesadao.
    Quem nega isto, das duas uma, ou nao sabe o que diz e nunca usou isto como deve de ser, ou e' mentiroso.
    Alias e' coisa digna, ver o osX a usar 1.75Gigas de memoria virtual porque criamos um email com 10 jpegs grandes, e depois swapar tanto, mas tanto, que basicamente, temos mesmo de fazer um hard reboot.
    Mas gostos nao se discutem. :)
    E qual OS tem o melhor kernel tambem nao.

    End of ranting
    Conclusao, nao podia estar mais contente, talvez ate' pudesse, se o cpu fosse mais potente, e se tivesse suporte para flash em linux/ppc, que nao existe.

    no entanto, um bom x86, com centrino e hardware de qualidade, que e' como quem diz, com bom suporte em linux tambem rende.
    Mas nunca sera' tao bonito! =)


    Miguel F. M. de Sousa Filipe
    handle: m3thos
    More Human than Human.

    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por pcardoso em 10-06-03 16:35 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://insomni.org

    O OSX é pesado, sem dúvida, mas não tanto como falas...

    O meu ibook é mais lento que o teu (g3/700) e tenho aberto o X11 a correr o Quanta, MSWord com um relatório grande, Mail, Safari, Address Book, iPhoto, MSN Messenger, iTunes e várias outras aplicações pequenas e fiz o teu teste de criar um email com JPGs grandes.. O maior que tenho por cá são JPGs da minha máquina digital (+-500k cada) e meti num email à 30 deles... O top indica-me ainda 170mb livres e 0 pageins e pageouts.. Se as tuas imagens são maiores, acho que não é realista enviar ficheiros tão grandes por email, mas claro, YMMV.

    O computador está bastante rápido (a dock e o genie effect estão ainda muito suaves) e tirando o Word (que mmo num duplo G4 é lento como tudo, está tudo muito rápido... Há coisas que podia estar melhores, como o word e o iphoto que demora mto tempo a arrancar, mas está bom qb.

    Uso o Linux também, mas acho que actualmente um mac com o osx é uma plataforma superior. As coisas funcionam simplesmente sem ter de andar a inventar muito. É preciso instalar um programa? Arrasta-se para as Applications e está feito. Desinstalar? Trash com elas e está feito... É preciso fazer alguma coisa obscura? Abre-se o terminal e faz-se da mma maneira (ou quase) q em linux/bsd... Com o fink temos um conjunto de aplicações enorme disponível..

    As coisas funcionam, e bem. Há espaço para melhorias? Claro que sim, como em tudo o resto. Tenho um computador que é confortável de utilizar e isso não é medido pelos Mhz do processador nem pela memória que consome a fazer X ou Y.

    Não me interpretes mal, porque antes de usar OSX usava Linux num x86 e continuo a usá-lo, mas não vejo vantagens em usar Linux num mac além do factor geek...
    I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.

    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por henrique em 10-06-03 21:18 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    MSWord com um relatório grande
    Experimenta o OpenOffice para OS X. Está perfeitamente usável, e tem um interface mais decente do que o MS Office para Mac.
    porque antes de usar OSX usava Linux num x86 e continuo a usá-lo, mas não vejo vantagens em usar Linux num mac além do factor geek...
    Isso equivale a dizer que não há vantagens em usar Linux em vez de Windows num x86 para além do facto geek...
    MacOS X tem um interface gráfico bonitinho, mas quando se começa a usá-lo a sério vemos que é uma jaula, e sentimos logo saudades de um KDE. O GUI do MacOS X está feito para utilizadores básicos, aos quais é preciso vedar, a todo o custo, qualquer contacto com o lado mais técnico de um sistema operativo. Para alguém habituado a "sujar as mãos" em Linux e que gosta de saber como as coisas funcionam por detrás dos wizards, o MacOS X revela-se uma jaula deprimente.
    E há lacunas de software e drivers. Não conheço uma única marca de webcams USB que lance drivers para OS X: quem os quiser tem comprá-los a terceiros. Em Linux, há vários drivers livres para webcams. Não conheço uma única aplicação livre para MacOS X interoperável como o Netmeeting. Em Linux, há o Gnomemeeting.
    Ao MacOS X falta um filesystem com journalling. Falta um boot "verbose" em que o utilizador mais avançado veja o que o sistema está a fazer no arranque, em vez de ver apenas uma rodinha a girar.

    Acho o MacOS X um avanço considerável em relação às versões anteriores, e apraz-me ver a atenção que a Apple tem votado ao software livre (FreeBSD e KHTML, mais propriamente). Mas o MacOS X isola demasiado o utilizador do sistema, o que para um utilizador avançado não é agradável.

    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por pcardoso em 10-06-03 22:25 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://insomni.org
    o openoffice para osx ainda está em beta, e não ainda tem muitas deficiências a nível de interface... o rendering das fonts está mto fraco ainda, e tem coisas que não fazem sentido num mac, como o menu dentro da própria aplicação..

    em relação ao kde, sinto falta da algumas coisas (especialmente os modifiers CTRL e ALT para fazer o redimensionar e mover das janelas sem andar a perder tempo a apontar o ponteiro do rato para o contorno das janelas), mas por muito bom que o kde seja (e é bom), a nível de interface está muito fraco... "less is more", não esqueçam... o kde sobrecarrega o utilizador com tanta opção em simultâneo... falta organizarem as coisas de uma forma sensível, como por exemplo o menu de contexto de um ficheiro no konqueror.. é tanta a escolha que se acaba por perder tempo a procurar a que se pretende...

    em relação a não haver vantagens de usar linux num x86, não foi o que eu disse... eu disse que usar linux num mac não tem vantagens porque o OSX é um unix e é possível correr directamente aplicações de linux sobre o OSX... em x86 com o windows não é a mesma coisa...

    e temo que isto comece a degenerar numa flamewar e não é por onde quero enveredar... não há um computador/SO "one size fits all"... depois de passar por windows, os/2, beos e linux, encontrei no OSX a mistura certa do que gosto em todos estes sistemas operativos (e continuo a apreciar todos os outros, especialmente o linux), mas é esta a minha opinião..
    I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por TarHai em 10-06-03 23:42 GMT (#25)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    A velocidade, tal como a intuicao, e relativa ao sujeito.

    Tenho um 2xG4/800/256Mb de ram na secretaria e quando ele comeca a usar o swap nota-se e bastante bem. Aparece o 'beach ball of death' a girar e nunca mais para. E preciso a maquina estar muito mal de CPU e memoria para q os (idiotas dos) efeitos comecem a saltar.

    O fink e sem duvida o salva-vidas. Gracas a ele tenho o xemacs a funcionar e um terminal (konsole) que compreende o shift+pageup, ALT+w e afins, e me permite usar o emacs em modo de texto via ssh.

    Quanto a facilidade de utilizacao... O macosx antes do jaguar (que melhorou um bocado) seguia a filosofia que se so ha uma maneira de fazer as coisas, essa e a maneira intuitiva de o fazer. A instalacao de programas tambem podia ser melhor. Irrita-me um bocaodo nao poder fazer "word doc1 notes/*.doc" na linha de comando.

    Porque nao uso linux? Porque preciso do office e porque nao morro de amores pelo windows.


    ## I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por pcardoso em 11-06-03 7:27 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://insomni.org
    ei! conheço essa sig! :)
    I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:apple ibook (Pontos:1)
    por taf em 11-06-03 14:21 GMT (#34)
    (Utilizador Info)
    Explica-me porque razão, alguém no seu perfeito juízo compra um dual G4 só com 256MB de ram...?

    Típico comprador de Mac ignorante das specs da máquina que vai comprar?
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por TarHai em 11-06-03 15:26 GMT (#35)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    compraram-mo, que queres q eu faca?

    PS: Nao sou nem nunca fui um comprador mac, e nao sei se o virei a ser.
    ## I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por m3thos em 12-06-03 20:07 GMT (#74)
    (Utilizador Info) http://mega.ist.utl.pt/~mmsf
    faz algo simples e eficiente:

    COMPRA RAM! tipo.. um pente de 512
    Miguel F. M. de Sousa Filipe
    handle: m3thos
    More Human than Human.
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por TarHai em 13-06-03 10:57 GMT (#81)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    :)
    ## I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por TarHai em 10-06-03 16:00 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    O macosx e que oferece um excelente balanco para quem precise de office e de unix bem integrado e com muito bom aspecto. Ja gostei menos do sistema.

    Tendo em conta que, se nao se faz number crunching nem se se joga os ultimos jogos, qualquer CPU serve, os poucos MHz dos G4 nao tem tanta importancia como isso.

    PS: Os caixotes 2xG4 da apple sao giros. A performance de cada processador nao e nada por ai alem, mas os 2 juntos fazem o java voar.


    ## I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por ^S^ em 11-06-03 7:53 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://www.zbit.pt/~luis
    Em "cada pouco Mhz" de um G4 podem correr ate' 4 instrucoes de relogio, o que nao acontece em x86.

    Para mais informacao e uma breve comparacao ver este documento.

    Cheers.
    ^S^
    Re:apple ibook (Pontos:2)
    por TarHai em 11-06-03 8:52 GMT (#30)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    Sim, e mais ou menos a mesma historia com os athlon, centrino e hammer, quando comparaos com o p4.

    Em c++, em calculo de virgula flutuante, o meu duron 900/gcc 3.2 era ligeiramente mais rapido que um G4 900 / gcc 2.95. Era quase ela por ela e suspeito que se o G4 900 tivesse o gcc 3.2 era o G4 que ganhava se bem que por pouco.

    Esta simulacao em particular nao involvia grandes matrizes, logo nao dependia grandemente do tamanho da cache dos CPUs.


    ## I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    "Radiações"... (Pontos:2)
    por jadrian em 10-06-03 15:32 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Não percebo nada do assunto portanto é bem possível que o meu comentário seja muito ingénuo... Com tanto wireless por aí pergunto-me se não poderá eventualmente ser prejudicial para a saúde.

    Existem estudos sobre o assunto? Indicadores, conclusões, qualquer coisa?

    J.A.
    Re:"Radiações"... (Pontos:2)
    por ruben dig em 10-06-03 16:11 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://www.floppy.com.pt
    A teoria da conspiração diz que na verdade faz mal mas como é só daqui a 15 ou 20 anos que se vai sentir os efeitos por essa altura já nem sabes se a causa do tumor no cérebro foi o telemovel o wireless ou aquele teste de matemática no 12 º ano...
    Re:"Radiações"... (Pontos:3, Interessante)
    por mvalente em 10-06-03 18:46 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Com tanto wireless por aí pergunto-me se não poderá eventualmente ser prejudicial para a saúde.

    O WiFi funciona na faixa de frequencias 2.4GHz a 2.5GHz (microondas) sensivelmente a mesma faixa que o forno micro-ondas lá de casa. A diferença é que forno tem uma potencia de 650-900 Watts e as placas wifi nao podem ultrapassar (por lei) os 100 miliwatts.

    Portanto nao te preocupes muito com o wireless... preocupa-te mais com o cházinho quente pela manhã...

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:"Radiações"... (Pontos:2)
    por hununu em 10-06-03 23:11 GMT (#24)
    (Utilizador Info)
    Portanto nao te preocupes muito com o wireless... preocupa-te mais com o cházinho quente pela manhã...

    Não percebo porquê. A radiação apenas serviu para lhe abanar as moléculas de água presentes no chá. :-)

    Agora, por mais pequenita que seja a potência do WiFi, o certo é que estão a interagir com _as tuas moléculas_ do *teu* corpo. Em doses pequenas é certo, mas estão. É impossível pedir estudos disto a longo prazo porque não existe esta tecnologia a ser testada em pessoas há muitos anos.

    Conclusão: É esperar para ver (se se tiver vivo ;). Pode-se ser crente e achar que o telemóvel não faz nada à nossa cabeça ou pode-se ver imagens das ondas EM na cabeça de uma pessoa a conversar ao telemóvel. Não conheço ninguém que tenha deixado de usar telemóvel após ver as imagens no entanto..incluindo eu. Hey, ao menos "morro" always in touch :]

    http://www.absolutbsd.org/
    Re:"Radiações"... (Pontos:2)
    por Strange em 11-06-03 19:52 GMT (#47)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.no-ip.org/
    "Agora, por mais pequenita que seja a potência do WiFi, o certo é que estão a interagir com _as tuas moléculas_ do *teu* corpo"

    Assim como toda a radiacao proveniente do espaco e do interior da Terra, e esta, segundo algumas teorias, seria parte da razao da rapidez evolucionaria das especies neste planeta. Nao te deixa esta radiacao mais preocupado que a wifi? :)

    Alem disso, tecnologia de radio nao e' assim tao recente... Se nao te aproximares das maiores antenas, nao deveras ter problemas.

    hugs
    Strange

    Re:"Radiações"... (Pontos:2)
    por hununu em 12-06-03 11:49 GMT (#62)
    (Utilizador Info)
    Assim como toda a radiacao proveniente do espaco e do interior da Terra, e esta, segundo algumas teorias, seria parte da razao da rapidez evolucionaria das especies neste planeta. Nao te deixa esta radiacao mais preocupado que a wifi? :)

    Eu não usaria a radiação para justificar a evolução, acho muito mais plausível os erros que existem na duplicação de DNA, emparelhamento durante o crossing-over, etc. Em laboratório, usando a "brute-force" usa-se radiação UV nas células para causar mutações. Depois faz-se selecção para criar um ambiente de evolução dirigida.

    Alem disso, tecnologia de radio nao e' assim tao recente... Se nao te aproximares das maiores antenas, nao deveras ter problemas.

    A diferença é que com o telemóvel, tens a antena o mais junto possível à tua cabeça. :-)

    http://www.absolutbsd.org/
    Re:"Radiações"... (Pontos:2)
    por Strange em 12-06-03 18:32 GMT (#72)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.no-ip.org/
    Nota que eu nao uso a rediacao para justificar a evolucao, apenas refiro uma teoria em que esta e' parte responsavel pela rapidez da evolucao.

    hugs
    Strange

    Re:"Radiações"... (Pontos:2)
    por hununu em 12-06-03 20:16 GMT (#76)
    (Utilizador Info)
    Que teoria é essa?

    http://www.absolutbsd.org/
    Re:"Radiações"... (Pontos:2)
    por Strange em 14-06-03 18:46 GMT (#85)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.no-ip.org/
    Nao sei se ha' uma teoria formulada sobre esse assunto. E aproveito para dizer que nao sou fonte "oficial" sobre teorias de desenvolvimento da vida no nosso planeta.

    Sendo assim, relativamente ao que disse, essa opiniao (e talvez nao passe disso, dum palpite) e' visivel nalgumas obras de ficcao cientifica (ex Isaac Asimov) e de BD. Obviamente, nao se tratam de fontes fidedignas.

    Tenho a ideia de que uma opiniao semelhante se encontra num livro + fidedigno que ando a ler, mas nao tenho a certeza e de momento nao tenho a disponibilidade para verificar.

    De qualquer modo, essa ideia nao me parece ser descabida de todo, ja' que uma maior taxa de mutacoes tornara' possivel um maior numero de mutacoes beneficas.

    hugs
    Strange

    racionalidade económica (Pontos:3, Interessante)
    por joao em 10-06-03 17:40 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://www.nonio.com
    A racionalidade económica deste programa é muito duvidosa. Algumas ideias sobre este programa:
    • um aluno universitário típico não parece muito disposto a arriscar o seu próprio dinheiro para comprar um portátil. E na minha opinião tem muito boas razões para tomar essa opção;
    • o estado está a gastar milhares de contos em publicidade com o objectivo de influenciar as opções individuais;
    • grande parte das universidades já tem uma rede fixa e salas de computadores com acesso a essa rede.
    • Sendo este um programa nacional com recursos nacionais, as faculdades não têm autonomia para gerir o dinheiro. Se tivessem, optariam por usar esse dinheiro neste tipo de programas?
    • segundo a página da e-U "Através de uma rede sem fios, que permite a transmissão de dados em banda larga, será possível ter acesso a aulas, artigos, trabalhos, notas, serviços e internet." Mas isso pode ser feito com as actuais redes fixas.
    • curiosamente, as universidades que já mexem são aquelas que têm uma boa rede fixa.

    Resumindo: mais um programa que usa dinheiro público para tornar as opções das pessoas e das instituições universitárias mais irracionais.

    ----
    joao
    nonio.com - ciência, tecnologia e cultura

    Re:racionalidade económica (Pontos:2)
    por vd em 11-06-03 17:52 GMT (#43)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    um aluno universitário típico não parece muito disposto a arriscar o seu próprio dinheiro para comprar um portátil. E na minha opinião tem muito boas razões para tomar essa opção;
    Verdade. Não estou a ver muitos prescindirem de 5 contos mensais de borga para um portatil, onde não arranjam gajas.

    o estado está a gastar milhares de contos em publicidade com o objectivo de influenciar as opções individuais;
    Discordo. Está a "ajudar" certos alunos a possuirem um portatil mediante condições vantajosas e a equiparem as escolas com wireless. Para mim, é uma boa coisa. Pode não ser prioritária, mas é um bom impulso para o uso do wireless em Portugal.

    Os restantes pontos prendem-se no factor investimento. Se por um lado as que já mexem são as que possuem "rede fixa", são também as que mais investimentos fizeram. Parece-me que se tivessem de um lado o investimento para o fixo e para o wireless, optariam (agora) pelo wireless.

    Falta também referênciar que para ter acesso às aulas, apontamentos, artigos e etc, é necessário ter os docentes a utilizar o sistema. Até mesmo aqueles que dão mineralogia em certos institutos. :)

    //vd
    Re:racionalidade económica (Pontos:1)
    por jmo em 11-06-03 21:20 GMT (#49)
    (Utilizador Info) http://aveirolx.blogspot.com/
    Caro Joao Desde já digo que estou a responder em nome da UMIC, entidade que criou este programa. E não concordando, nem a titulo individual nem a titulo profissional, permite-me mostrar os meus pontos de vista: - O estado pretende dotar as universidades com MAIS UMA rede. Uma rede sem fios, que permite usar computadores em espaços onde antes não era possível, pelo menos em rede. - o Estado não influencia, sugere. Pretende claramente influenciar as universidades a modernizarem-se na colocação de conteudos online, na divulgacao cientifica e na criacao de equipas em rede. - É claro que a maior parte das universidades já tem salas de computadores. Mas tb é verdade: com quantos computadores nessa sala? Qual a comodidade de ir ver o seu email na ponta oposta do campus? E chegar lá e a sala estar a abarrotar de pessoal? Que por acaso ou nao pode estar a fazer tudo menos aplicar-se? -Este é um programa que usa fundos comunitarios e nacionais. Um fundo que serviu para as universidades concorrerem. Não as obrigou. Elas concorreram porque, para além de outras razões, entenderam que sem esta rede serão menos competitivas. - 2/3 dos fundos atribuidos às universidades nao sao para a rede wireless mas sim para a webização dos seus conteudos -Estamos a tentar dar o exemplo. A campanha televisiva que ves foi oferecida pelas televisões. - Sim, as universidades que já mexem foram seleccionadas como pilotos EXACTAMENTE porque já tinham um espirito de acesso e divulgacao via web, já proporcionavam serviços. Mas as outras farão o mesmo, não tenhas duvidas! Um abraco Joao Oliveira
    Re:racionalidade económica (Pontos:2)
    por vaf em 11-06-03 23:57 GMT (#51)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    Pela minha parte, mas julgo que por mais pessoas, obrigado pelos esclarecimentos.

    Só mais uma questão que espero poder ser respondida: O software de gestão académica via web (que também se vê no anúncio), é desenvolvido de raíz, ou aproveitaram-se outros projectos existentes desenvolvidos pelas universidades por sua iniciativa?

    Por exemplo a minha faculdade (FCT/UNL) tem practicamente toda a gestão administrativa informatizada e acessível via web. Desde lançamentos de notas a pagamentos de propinas, horários, inscrições, planeamento, ...

    (Tudo desenvolvido em Prolog, para os curiosos)

    Pérolas como esta foram aproveitadas ou escreveu-se o software de raíz?
    Re:racionalidade económica (Pontos:1)
    por tuxe em 12-06-03 0:52 GMT (#52)
    (Utilizador Info)
    UAU! Prolog tambem é usado para coisas uteis? ;) hehehe

    Na minha faculdade (FEUP) temos o chamado SIFEUP, que faz literalemente tudo, a excepção de tirar cafes.... :D

    AH! E é galardoado que é uma coisa doida...

    Agora resta saber se usaram esta(s) soluções, desenvolveram uma completamente nova, ou cada um fica com o que tem??


    Re:racionalidade económica (Pontos:1)
    por joaoncastro em 12-06-03 9:51 GMT (#60)
    (Utilizador Info)
    Eu trabalho directamente com o projecto e-U.

    Um pequeno ponto de situação: Neste momento as universidades e politécnicos apresentaram candidaturas com os projectos que pretendem desenvolver. Esses projectos estão a ser avaliados e assim que sejam aprovados dá-se inicio aos trabalhos de campo.

    Só para esclarecer... :)

    Respondendo à última questão:
    Há várias instituições que têm sistemas de informação bastante avançados (UP, UMinho, UAveiro, Católica, Lusíada, UTL, UNL, e muitos outros...)

    No nosso entender, não seria boa opção deitar fora todo o trabalho feito (e bom!!). E uma das nossas premissas foi deixar a máxima liberdade às instituições para escolherem a ferramenta que consideram ser mais útil para o seu trabalho (gerir uma escola) e para os seus "habitantes". Contudo exigimos algumas funcionalidades e isso é o que estamos a avaliar.

    Além disso, vai haver alguma interoperabilidade ao nível de conteúdos para que as escolas possam partilhar materiais pedagógicos entre elas. Existe aqui o potencial de se criar uma fonte única de acesso ao material académico produzido em Portugal.


    Mobilidade? (Pontos:1)
    por pns em 10-06-03 17:46 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    Estou mesmo a ver esta coisa da "mobilidade" e da maluqueira por portateis, o pessoal a instalar fichas electricas por tudo quanto é lado.
    Para quando electricidade WiFi? ;)

    Pedro.
    Importante é o peso mesmo (Pontos:1)
    por Shriek7 em 10-06-03 17:46 GMT (#13)
    (Utilizador Info)
    Isso mesmo, para quem (como eu) já tem um desktop em casa penso que esses jumbos q existem agora a 2/2.8 GHz + 256MBRAN + DVDCDRW COMBO +XTRAS XTRAS XTRAS não fazem falta nenhuma e o preblema é mesmo o peso e o preço. Realmente ando atraído pelo ibook há algum tempo e desde que ouvi a iniciativa eU voltei a ficar intusiasmado com isso (infelizmente a FCT ainda não aderiu ao eU); ele é leve, ele é pekeno, ele é...prático(?) Nunca trabalhei com um Mac antes (nunca tive um) e antes os jogos falavam mais alto. Agora que preciso de uma makina para trabalhos e net penso que posso finalmente 'migrar' pra mac. Gostaria era de saber s existe algum incoveniente de maior na 'sincronização' entre um ibook e um desktop x86(com winxp)? Não que essa sincronização fizesse grande falta mas nunca se sabe. Pra mim o desktop tornar-se-ia numa makina d jogos e de rendering, já que ela pode ser actualizada. É a vantagem dos desktops, mesmo actualmente.
    Re:Importante é o *PREÇO* mesmo (Pontos:2)
    por grumpy bulgarian em 10-06-03 20:05 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://10.10.11.2
    A mim o iBook suscita curiosidade mas sobretudo reservas quanto ao "bang for the buck".
    Posso ser cego quanto aos Mhz do CPU, mas há testes na cNet onde se mostra que a codificar de WAV para MP3, há uma diferença de 30, 40% entre o Motorola e o equivalente x86 (equivalente em €€€, não em Mhz). Pelos vistos não arranjaram ainda software de benchmark que funcione em Mac e Windows, pelo que não sei de melhor comparativo do que isto...
    como o OS é diferente, não sei que impacto pode ter a diferença em RAM, sendo certo que para configurações com preço similar, o iBook leva 128M e os x86 levam 256...

    o disco rígido do iBook de origem tem 20mb. Posso ver de que tamanho é o OS e os executáveis das aplicações habituais, mas tenho a certeza que os JPG, Mpeg, .doc, .RTF, ... não devem inchar nem desinchar ao passar de uma sistema para o outro.

    o tamanho do HD não me preocupa grandemente, a questão toda é qualidade/quantidade vs. preço. Parece-me que em todos estes parametros o iBook vale menos e custa mais. Se Bang&Olufsen fizer um portátil a coisa fica feia para a Apple :)
    desconfio que a Apple é mais competitiva com os seus Powerbooks vs. os topos de gama x86.


    Grumpy B)

    Re:Importante é o *PREÇO* mesmo (Pontos:2)
    por grumpy bulgarian em 10-06-03 20:15 GMT (#19)
    (Utilizador Info) http://10.10.11.2
    esqueci-me de escrever que o ecran do ibook de €1290 tem uma diagonal de 12" vs. as 14 dos seus concorrentes. para o bem e para o mal são 5cm.
    Grumpy B)
    SMS precisa de laptop? (Pontos:1)
    por foo em 10-06-03 18:15 GMT (#14)
    (Utilizador Info)
    Para podermos enviar SMS e usar ICQ em qualquer casa de banho pública do país só falta um PC laptop! E aí temos que fazer escolhas.

    eu já consigo enviar SMS a partir de qualquer casa de banho pública do país :)

    Re:SMS precisa de laptop? (Pontos:2)
    por grumpy bulgarian em 10-06-03 19:50 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://10.10.11.2
    Errata: "com a comodidade de um teclado de 100 teclas" :)


    Grumpy B)

    Re:SMS precisa de laptop? (Pontos:2)
    por pcardoso em 10-06-03 20:53 GMT (#20)
    (Utilizador Info) http://insomni.org
    100 teclas só se ligares um teclado externo ao portátil! :)
    I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Mas estão a fazer ao governo um desconto (Pontos:1)
    por jobezone em 10-06-03 19:06 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Mas não sabeis que estão a fazer ao governo o desconto dos 5 dedos? Ou seja, companhias do e-comercio a fazer massa à fartura, e a rirem-se, enquanto o governo pensa que isto criará datas de bill gates universitários. É de facto ridiculo, as univs já têm redes fixas. Já poderemos estar na retrete da escola a ver as notas, que bom!
    Re:Mas estão a fazer ao governo um desconto (Pontos:2)
    por pcardoso em 10-06-03 20:55 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://insomni.org
    a julgar pelos sites que vejo de vez em qdo o pessoal da minha escola a ver descaradamente, era bom que fossem para a casa de banho ver algo mais que as notas...

    sempre eram menos.. ahem.. detritos capilares e outras substâncias nos teclados e ratos da escola...
    I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    sentido da iniciativa (Pontos:2)
    por racme em 11-06-03 0:52 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://www.freebsdtips.com/
    1- o governo a tentar motivar a economia numa altura de recessao apelando as familias por si so ja endividadas e a quem nao o tem para gastar
    2- se o governo anterior meteu a internet nas escolas este mete tambem a internet mas pelo ar
    3- depois da declaracao do aumento das propinas para o proximo ano lectivo, e todas as alteracoes a reforma educativa, esta atitude so pode ser uma verdadeira brincadeira de mau gosto

    Algo que nao faz sentido
    Quero ver depois desta "iniciativa" que melhorias reais se vai verificar nas universidades deste pais.


    Make World; Not War;
    e-u (Pontos:1)
    por nbk em 11-06-03 5:49 GMT (#27)
    (Utilizador Info) http://www.mrnbk.com/
    Boas.

    Esta coisa do E-U está a ficar um pouco descontrolada. Já ando a receber spam certificado pelo programa governamental e-u...

    Pior, no outro dia recebi um prospecto de uma empresa a vender serviços e-u enabled....

    Valha-nos... Deus! :->

    @285, Nbk

    Financiamento, Portáteis, etc (Pontos:2)
    por jmv em 11-06-03 10:13 GMT (#31)
    (Utilizador Info)
    Muitos de nós que já andam nisto há alguns anos, nos lembramos destas fases (que me lembre esta á a quarta) em que uma inicitiva local ou governamental incentiva inflacionariamente o consumo de material informático à base essencialmente de promessas de financimento facilitado.
    As consequências são as esperadas: o consumo dispara, os preços aumentam, não há uma definição clara de necessidades, as pessoas criam uma dívida a longo prazo e, porque o equipamento se desvaloriza mas a dívida não, o valor da dívida rapidamente ultrapassa o valor do equipamento.
    De qualquer forma tem a vantagem de as pessoas se sentitem bem durante, digamos, 15 dias!!
    jmv
    Vaio Z (Pontos:1)
    por fmt em 11-06-03 12:03 GMT (#32)
    (Utilizador Info) http://www.sensocomum.com/
    Eu "contentava-me" com este: PCG Z1 :-)

    Filipe Miguel Tavares

    Não há dúvidas. Portugal é grande! (Pontos:4, Interessante)
    por ^magico^ em 11-06-03 13:13 GMT (#33)
    (Utilizador Info)
    Não sei se hei-de rir ou chorar.

    Apetecia-me olhar para esta "campanha" e sorrir de satisfação, por ver o nosso pequeno país a fazer algo grandioso como sempre nos habituou nos vários séculos de existência. No entanto quando vejo estatísticas como estas só me apetece chorar de raiva. Claro que o governo disponibiliza outros números.

    Gostava de sentir orgulho numa campanha deste calibre que trará mais regalias para os nossos estudantes, permitindo-lhes uma melhor aprendizagem para o bem do futuro do nosso país. Entretanto, paro e penso um pouco. Mas será que os nossos futuros licenciados serão melhores profissionais na sua actividade por terem tido acesso às tecnologias de informação? Talvez sim, visto que assim um varredor de ruas poderá sempre fazer as contas aos metros de estrada que já varreu, tudo isto usando o wireless disponivel em qualquer ponto publico.

    Os governos sempre apostaram na educação, e este ministério até foi a menina dos olhos do governo anterior. Mas então, a quantidade é melhor que a qualidade? De que vale ao país ter 100% licenciados se a maioria não tem qualidade para exercer a sua actividade profissional? Por outro lado será uma maioria que tem experiência em como jogar (cada um com o seu portátil) em vários pontos da universidade.

    Vejo que Aveiro (como vários outros pontos do país) vai ter um estádio para o Euro. Fico feliz por isso, mas por outro lado... penso que quando eu estiver doente e tiver de ir ao hospital não vou ficar muito feliz por demorar 3 horas a ser atendido num matadouro.

    No fim de contas, poucos serão os países que se poderão gabar (daqui a alguns anos) que têm mendigos com conhecimentos de informática e com o seu próprio portátil, para contabilizar (o dinheiro que recebem) numa folha de excel da maior software house do mundo. Isto se depois do euro-2004, não tiverem um acidente e morram num matadouro qualquer que exista por este país fora, sem condições para tratar doentes.
    Re:Não há dúvidas. Portugal é grande! (Pontos:2)
    por MiguelA em 12-06-03 15:02 GMT (#68)
    (Utilizador Info) http://anetmorreu.blogspot.com
    Mas devias ficar feliz de saber que o Hospital de Aveiro tem tecnologia Wireless :).

    É assim, a vida...

    Cumps,
    Miguel Albano
    If Spam was Money...then I'd be filthy Rich... But I'm not, so why try to sell me anything ?!?
    e-U e tu? (Pontos:1)
    por von em 11-06-03 16:14 GMT (#36)
    (Utilizador Info)
    Reparei nos anúncios recentes que divulgam este "programa" na televisão e pareceu-me interessante, apesar de não frequentar uma universidade. Consultar as notas e tratar dos papeis pela net, sempre se poupam uns minutos de secretaria (que se forem como umas quantas secretarias de escolas secundárias, não são só minutos).

    Fui então consultar o site da iniciativa. E... então que é preciso fazer para não perder tempo na secretaria, para ter acesso aos apontamentos e às notas enquanto estou debaixo duma arvore à espera que a maça caia? Um computador portatil e uma placa wireless. Ok. E quem não tiver um, não tem nada que temer: a e-U pensou nisso e arranjou uns financiamentos fixes.

    Pergunto eu: será que as pessoas vão investir num portatil para terem acesso a meia dúzia de coisas? É que um portatil é um investimento forte, e como equipamento informático que é, vai-se desvalorizar com o tempo. Aqueles que já andam para comprar um e que precisam de arranjar mais um par de motivos para o fazer, acredito que esta iniciativa os convença. Todos os outros para os quais o computador só serve para entregar os trabalhos com um aspecto decente, não sei se vão pegar nisto.

    Mas, como é óbivo, quem manda gostas de ficar bem visto. E nada melhor que um programa que promova a compra de material TI e que meta umas quantas palavras caras no vocabulário de uns quantos universitários e que tenha pinta de high tech para dar essa imagem. Afinal, nós apostamos no futuro. Devemos ser bons.

    Campanha e-U (Pontos:1)
    por 4Gr em 11-06-03 16:29 GMT (#37)
    (Utilizador Info)
    Saudações!

    Julgo que existem duas posições em relação à campanha e-U, e que se têm demarcado claramente nos diversos comentários: a primeira, considera a campanha em si um desperdício de recursos, que poderiam ser usados em bens mais importantes - saúde, melhor ensino, etc. Os outros, valorizam a iniciativa e, por sermos pioneiros, ainda tem mais charme.

    Não quero demarcar uma posição: simplesmente, como estudante universitário que sou, gostei de terem instalado novas tecnologias como o WiFi. Devo realçar que parte desta iniciativa vem de fundos comunitários subsidiados pela CE.

    Também quero alertar para os ditos "financiamentos" que alguns bancos, nomeadamente BPI, andam a fazer! São propostas ridículas, com preços bastante inflaccionados, que em nada fazem jus ao nome e sentido da campanha. Portanto, se algum de vocês estiver interessado em adquirir um portátil, muito cuidado ao fazê-lo! Sugiro que aguardem mais um pouco, porque é muito provável que os preços dos portáteis caiam drasticamente nos próximos tempos, e com o alargamento da campanha (=> mais concorrência), a tendência é para a descida.

    Embora existam muitos que vão comprar um portátil apenas para ter um, o facto é que muitos outros realmente necessitam do computador. Não é que seja uma necessidade de primeira ordem ou de segunda, mas é capaz de rentabilizar - e muito - o seu tempo. Para aqueles que sempre quiseram um e não tinham capacidade financeira, os métodos de pagamento facilitam.

    Relativamente à escolha do portátil, sinceramente, os que mais me agradaram foram os da Fujitsu-Siemens! Confesso que tenho visto portáteis ENORMES, PESADOS, com a última artilharia.. e tendo em conta que nem 30% da capacidade de processamento desses portáteis é utilizada, prefiro comprar um portátil pequeno, leve, que dignifique o nome de "portátil"!
    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por ^magico^ em 11-06-03 17:56 GMT (#44)
    (Utilizador Info)
    Não é que seja uma necessidade de primeira ordem ou de segunda, mas é capaz de rentabilizar - e muito - o seu tempo.

    É verdade! Com actividades tão interessantes como praxes, tunas, bejecas, noitadas, jogatina, vale realmente a pena rentabilizar o tempo.
    Não sei se é o teu caso, mas conheço vários (leia-se duas dezenas) estudantes universitários que passam a vida na borga. E facilmente se resume a vida académica a passar os primeiros anos na borga e os ultimos a tentar fazer as cadeiras.

    Não sei se é a maioria, mas gostava imenso de saber! É que não fico nada contente em saber que o dinheiro que pago de impostos anda a sustentar "borgistas". O acesso à universidade deveria ser restrito a todos aqueles que demonstram qualidade, e não estar aberto a toda a cambada de miudos que por não terem mais nenhum plano na vida, vão para a universidade porque é giro.
    Espero que as coisas mudem ou continuem a mudar (se é que estão), mas não é nada elegante para o estado e para os próprios alunos entrar na universidade com 6 valores no exame de matemática. E também não é nada bonito ver um aluno a mudar 3 vezes de curso! Afinal, vão para a universidade fazer o quê? Curtir a vida?!

    E já que estou a falar de "curtir", espero bem que as propinas aumentem! Eu se tenho casa pago-a, se tenho automóvel pago-o e pago as portagens por onde passo. A escolariedade obrigatória é o 9º ano, a partir daí os estudantes devem pagar a "regalia" que têm. São bons alunos e os pais não têm posses? Existem as chamadas bolsas de estudo para os bons alunos sem posses.
    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por pcardoso em 11-06-03 19:11 GMT (#45)
    (Utilizador Info) http://insomni.org
    conheço bastantes pessoas q passam a vida na borga como dizes... eu estou no 5º ano do meu curso, 7ª matricula, e tenho amigos que entraram cá no mesmo ano que eu e ainda estão no 1º ano.. são casos extremos, mas existem bastantes ainda, infelizmente...

    sobre o aumento das propinas, concordo em parte... temos um ministro da educação que quer ao mesmo tempo aumentar propinas e vem dizer que o ensino superior em portugal não tem qualidade.. então se não tem qualidade ainda havemos de pagar mais pelo dito "previlégio"? tenho visto cada barbaridade a nível de ensino que mete dó ter professores que passam por perfeitos ignorantes... o inverso também existe, tenho conhecido professores excelentes do melhor que pode haver...

    depois há também a questão de pagar os estudos... eu trabalho há 3 anos e é rara a aula que posso assistir... um trabalhador estudante vê-se grego para fazer o curso... ironicamente, um dirigente associativo pode fazer um exame por mês como compensação do seu ahem.. trabalho.. um trabalhador estudante tem apenas uma época adicional... e eu faço descontos, pago IRS e as propinas.. poder-se-ia criar condições que permitisse (e incentivasse) a um estudante trabalhar em alguma coisa nem que fosse a virar hamburgers no mcdonalds...
    I live the way I type; fast, with a lot of mistakes.
    Re:Campanha e-U (Pontos:1)
    por Shriek7 em 11-06-03 23:12 GMT (#50)
    (Utilizador Info)
    aumentar propinas e vem dizer que o ensino superior em portugal não tem qualidade.. então se não tem qualidade ainda havemos de pagar mais pelo dito "previlégio"?

    Esta 'teoria' seria válida se o ensino superior fosse UMA simples loja onde entrássemos e viamos produtos sem qualidade. Davamos meia volta e saíamos por onde entrámos para procurar outra.

    No caso do ensino superior (em portugal) não é bem assim. Qual é a alternativa ao ensino publico (patrão = Estado)? O ensino privado/cooperativo (ou, excepcionalmente, a catolica). Será que a privada em pt é uma verdadeira alternativa à publica? deixo aki a pergunta.

    Se calhar é mais correcto pensar que as proprinas servem precisamente para q o pouco de bom que temos não desapareca e talvez, a longo prazo, possa melhor ainda mais.

    As teorias do ensino gratuito são tão bonitas como as do comunismo. Mas não funciona em Portugal (e provavelmente, em lado nenhum do mundo)


    Tudo na vida tem um preço...
    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por ^magico^ em 12-06-03 8:41 GMT (#58)
    (Utilizador Info)
    Que idade tens? Trabalhas? Alguma vez tiveste de trabalhar para pagar os teus estudos? Alguma vez tiveste de pagar as tuas borgas com o suor do teu trabalho e sem precisar da mesada do papá? Tens casa? Pagaste essa casa com o dinheiro do teu trabalho, sem precisar da prenda do papá? Tens carro? Foi uma prenda de anos, ou pagaste-o tu?

    O que eu tenho consegui às minhas custas e não com prendas nem bonificações, e não fico nada contente em ver miúdos na universidade que se queixam das propinas, mas que os papás têm dinheirinho para comprar pópós. Assumindo um valor de propinas de 750 euros, e sabendo que se compra um carro por 7500 euros, chega-se à conclusão que o dinheiro do automóvel dá para pagar 10 anos de propinas.
    E fico revoltado, com o facto de esses miudos usufruirem de regalias pagas com o dinheiro do meu trabalho.

    O ensino superior deve ser superior em qualidade e exigência e não permitir que qualquer mânfio entre lá, fazendo uma selecção rigorosa e qualitativa. Entra quem quiser... desde que tenha qualidade!
    Re:Campanha e-U (Pontos:1)
    por von em 11-06-03 19:36 GMT (#46)
    (Utilizador Info)
    Não sei se é o teu caso, mas conheço vários (leia-se duas dezenas) estudantes universitários que passam a vida na borga. E facilmente se resume a vida académica a passar os primeiros anos na borga e os ultimos a tentar fazer as cadeiras.

    Para muita gente o ensino superior é uma "prolongação da juventude", ou seja, é adiar a altura em que se começa a trabalhar...

    Espero que as coisas mudem ou continuem a mudar (se é que estão), mas não é nada elegante para o estado e para os próprios alunos entrar na universidade com 6 valores no exame de matemática.

    Isso é complicado de analisar porque depende de muita coisa. Pode ser alguém que teve a trabalhar e resolve voltar a estudar. Vai fazer o exame de matemática para tentar entrar, nem sempre as coisas correm como se quer. Pode ser alguém que teve maus professores... enfim, a lista continua. E nem sequer é bom indicador: conheço quem tenha entrado com boas notas às especificas e que se tenha afogado e conheço quem tenha entrado com notas "mais ou menos" e se tenha safado.

    E já que estou a falar de "curtir", espero bem que as propinas aumentem!

    Já somos dois. Assim como concordo com as propinas dependerem do curso e com os limites de tempo para concluir o curso.

    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por BlueNote em 11-06-03 21:18 GMT (#48)
    (Utilizador Info)
    Só algumas achegas para pensares um pouco, se assim o entenderes:
    A realidade é um pouco mais complexa que esses borguistas e os execráveis morcegos de meia tigela FDPs que pululam por aí nas folcloradas.

    Eu paguei propinas bem mais pesadas que as actuais (no cavaquismo), tinha um orçamento apertadíssimo e não tinha direito a bolsas de estudo.

    É que em Portugal só se atribuem bolsas a quem das duas uma: é muito pobre ou aldraba no IRS.
    E ainda à casos como colegas meus que tinham direito a uma bolsa que só dava para lhes pagar o passe do autocarro... enquanto que outros colegas cujos pais eram médicos ou empresários recebiam bolsas de algumas dezenas de contos porque o IRS dos papás dizia que eram uns pobrezinhos...
    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por ^magico^ em 12-06-03 8:29 GMT (#57)
    (Utilizador Info)
    E ainda à casos como colegas meus que tinham direito a uma bolsa que só dava para lhes pagar o passe do autocarro... enquanto que outros colegas cujos pais eram médicos ou empresários recebiam bolsas de algumas dezenas de contos porque o IRS dos papás dizia que eram uns pobrezinhos...

    Quando se trabalha em equipa deve-se exercer a função particular que nos foi atribuida com a máxima precisão e eficiência. Se os papás ganham muito e declaram pouco, deve a equipa de fiscais das finanças andar de olho em cima de todos eles. Ah, e como estamos num país democrático sempre podes ir até às finanças fazer a denúncia de casos de abuso... basta apresentares provas.
    Infelizmente a máquina fiscal ainda não funciona muito bem, mas isso não é desculpa para abrir "brechas" na atitude correcta a tomar. E essa atitude é disponibilizar um sistema educativo que eduque futuros profissionais.
    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por BlueNote em 12-06-03 18:45 GMT (#73)
    (Utilizador Info)
    Nunca fui bufo, obrigado.

    Quanto ao sistema educativo que eduque, isso é fairly independent das questões de propinas e bolsas... basta olhar para os países Europeus... com propinas no ensino superior público só pt, uk, irlanda e mais dois que não me lembro...

    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por ^magico^ em 12-06-03 20:14 GMT (#75)
    (Utilizador Info)
    Nunca fui bufo, obrigado.

    Se vires alguém a cometer um crime, por exemplo homicidio, não te diriges à polícia?
    Se vires alguém a praticar uma burla, ou a assaltar um banco ficas impávido e sereno?
    Se souberes de alguém que burla *descaradamente* o estado, vais ficar calado?

    ...basta olhar para os países Europeus...

    Sim, tens razão. Mas essa comparação não é muito válida, visto nos outros países a qualidade de vida ser bastante diferente. No entanto, podes candidatar-te a Oslo, e entretanto dá uma olhadela aqui.
    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por BlueNote em 12-06-03 23:07 GMT (#79)
    (Utilizador Info)
    Uma boa sugestão para uma post-graduação, se souberes onde arranjar uma bolsa, agradeço ;)

    Agora fora de tangas: eles não precisam de exigir as 80000 NOK aos seus próprios cidadãos, o estado Norueguês providencia meios de subsistência a todos os seus cidadãos. Claro que a estrangeiros têm de exigir meios de sobrevivência, só em países da treta como o nosso se permite aos estrangeiros permanecerem no país de qualquer maneira.

    Acabo por não perceber bem essa referência ao nível de vida... quem tem melhor nível de vida melhor pode financiar os seus próprios estudos. No caso que falas, é precisamente o contrário que se passa, o que quer dizer que as duas coisas não andam ligadas. São opções de outra ordem, não têm que ver com dinheiro, têm que ver com política e com concepções de vida em sociedade.

    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por ^magico^ em 13-06-03 10:18 GMT (#80)
    (Utilizador Info)
    Acabo por não perceber bem essa referência ao nível de vida... quem tem melhor nível de vida melhor pode financiar os seus próprios estudos. No caso que falas, é precisamente o contrário que se passa, o que quer dizer que as duas coisas não andam ligadas. São opções de outra ordem, não têm que ver com dinheiro, têm que ver com política e com concepções de vida em sociedade.

    O caso da Noruega é que é um dos países onde o nível de vida é melhor, mas também onde o estado cobra mais impostos aos cidadãos. No entanto, o próprio espirito incutido nos noruegueses é que isso é necessário para que lhes sejam dadas as "regalias" e a qualidade de vida pretendida.

    Um melhor nível de vida em sociedade, permite ao Estado margem de manobra no uso dos dinheiros públicos
    Re:Campanha e-U (Pontos:2)
    por BlueNote em 13-06-03 11:00 GMT (#82)
    (Utilizador Info)
    Ok, já percebi o que querias dizer. Mas afinal parece que estamos os dois de acordo...

    O grande problema deste país é que ninguém quer os custos mas toda a gente quer os benefícios.

    Re: Propinas e hipocrisia (Pontos:2)
    por cgd em 12-06-03 11:24 GMT (#61)
    (Utilizador Info)

    Meu caro mágico, eis uns pontos que eu gostava que considerasses...

    Um estudante passa tanto tempo na borga como outra pessoa qualquer com a mesma idade. Provavelmente até menos. Por uma questao de corpo (os estudantes são identificados como "estudantes") pensa-se que a vida dos estudantes em geral são borgas. Desafio-te a acompanhares a vida de uma pessoa com 18 ou 20 anos que tenha começado a trabalhar qd acabou o 12o ano e compara o numero de borgas por mes que faz em relacao às que faz um estudante univ.

    Por outro lado, como é óbvio, nem tu nem os teus impostos pagam borguistas! Quem paga essas borgas são os estudantes ou quem lhes dá dinheiro. O que tu pagas são as despesas correntes das escolas (aguas, electricidade), equipamentos e salarios de quem la trabalha. Salarios esses que representam a maior fatia da despesas das universidades. Quanto eu estava no IST penso que correspondia a 85%, sendo que desse $ a maior parte é para pagar os salarios dos docentes. Docentes esses que, em alguns casos, ensinam 1/3 do tempo e ocupam os outros 2/3 do seu tempo em tarefas muito importantes sim senhor, mas que nao têm nada que ver com o aluno (investigacao, por exemplo). No limite teorico maximo, um aluno nunca podera pagar mais que um terço do chamado "custo por aluno", porque é esse realmente o seu custo. Mas se isso acontecer, a escola foi privatizada. O que é um paradoxo. Teres uma escola superior publica com ensino privado e investigacao publica... Para isso, digo eu, mais vale separar completamente a investigacao e desenvolvimento das escolas, transferindo-as por completo para institutos e laboratorios nacionais (como o inesc, ineti) e privatizar as escolas (como o ist), que passam apenas a ser um conjunto de salas e laboratórios onde se reunem alunos e professores.

    acesso à universidade deveria ser restrito Esse acesso já é restrito. Existe um numero maximo de vagas por curso, quem tiver as melhores notas entra. Tao simples quanto isso. Agora o que me preocupa é ver grandes craques entrarem no IST e na faculdade de medicina, por exemplo, e afundarem-se. Pessoas que fizeram os 12 anos anteriores sem dificuldades e com boas notas. Esses são os melhores alunos que temos!! Como é que se justifica que hajam exames de análise matemática em que passem 90 alunos em 850 (been there!)? Como se justifica isto senão pelo mau funcionamento das escolas, modelos esgotados, excesso de numero de aulas?! Quando se fala primeiro em dinheiro e depois de qualidade ensino, só uma delas é que cresce... se pensarmos em propinas sabemos qual é.

    espero bem que as propinas aumentem E eu espero que todos os impostos que não me afectem aumentem, ou todos os serviços que eu não use passem a ser taxados. Assim eu passo a pagar muito menos, e quem os usa paga muito mais. O que faz sentido se pensarmos bem. O que não faz sentido é pagar sempre mais. Quando as propinas foram aumentadas pela primeira vez, representavam na altura 10 milhoes de contos por ano. De um ponto de vista meramente macroeconomico, o que se tratou de facto foi de uma transferencia de dinheiro das familias dos alunos para os professores. Aos portugueses idiotas que se queixam que andam a pagar X para Y, quando Y passa a ser pago ou na totalidade (autoestradas) ou parcialmente (ens superior), não lhes é devolvido esse X. Esse X continua a ser pago por eles e gasto pelo estado, em outras coisas. E quem diz que esses portugueses concordam com a aplicacao do seu $ nessas coisas?! Nao concordam nem deixam de concordar, porque nao sabem onde vai ser gasto. Vai desaparecer na maquina do estado. Por isso é que cada vez que os governantes hipocritas vao falar dos desgraçadinhos que pagam determinadas coisas a outras pessoas, estao a dar grandes tiros nos pés: é que a logica dos impostos baseia-se em alguem pagar coisas a alguem. Se se taxam novos servicos com a desculpa que nao se deve pagar coisas aos outros (principio utilizador pagador), entao o edificio dos impostos cai por terra. Outro erro ainda é pensar que quem beneficia de determinados servicos não contribui. Era engracado agora os alunos que pagaram propinas virem 10 anos mais tarde, que trabalham e pagam impostos, dizer que nao senhor, os nossos impostos nao vao servir para pagar subsidios aos agricultores de tras os montes porque estes nao puderam pagar 12 escudos por mes para os filhos de outras pessoas andarem no ensino superior há uns anos (desculpa de entao do couto dos santos, ministro da educacao).


    Re: Propinas e hipocrisia (Pontos:2)
    por ^magico^ em 12-06-03 13:14 GMT (#63)
    (Utilizador Info)
    Desafio-te a acompanhares a vida de uma pessoa com 18 ou 20 anos que tenha começado a trabalhar qd acabou o 12o ano e compara o numero de borgas por mes que faz em relacao às que faz um estudante univ.

    Essa pessoa posso ser eu? Se achares que mereço ser "objecto" de comparação posso te detalhar aqui a minha vida para poderes comparar.

    Por outro lado, como é óbvio, nem tu nem os teus impostos pagam borguistas! Quem paga essas borgas são os estudantes ou quem lhes dá dinheiro.

    Neste parágrafo, explicas que o dinheiro dos nossos impostos não é gasto com os estudantes, mas sim nos docentes. Concordo contigo... em parte.
    Nota1: quando se encontra um problema geral, devemos abstrair esse problema e focarmo-nos em áreas especificas. Seguindo esta perspectiva, não vou falar na docência para não complicar já o longo raciocinio.
    Nota2: um outro problema nas dissertações é usar números recolhidos na experiência vivida, em algumas estatisticas ou apenas lançar para o ar. Não estou a criticar os teus valores, mas apenas a justificar que o que eu vou dizer a seguir é apenas... uma dessas explicações com pouco teor válido.

    Pelas estatisticas podemos saber que existem 1.711.000 alunos no ensino regular, mais 394.000 no ensino superior.
    Por aqui é possível ver que Portugal tem 5.100.000 pessoas na sua força de trabalho dos quais a percentagem de homens/mulheres ronda praticamente os 50%/50%. Sabemos ainda, pela imprensa e televisão que temos 450.000 funcionários públicos.
    Descontando os trabalhadores/estudantes, por cada estudante universitáro temos 13 trabalhadores o que corresponde a cerca de 34.700 universitários filhos de funcionários públicos. Apontando uma percentagem optimista de 25% de borguistas, dá-nos uma módica quantia de 7.000 universitários que directamente e indirectamente vivem às custas dos nossos impostos, sem retríbuir para a sociedade o que lhes é exigido (esforço na aprendizagem que deve resultar num profissionalismo de qualidade).

    Como é que se justifica que hajam exames de análise matemática em que passem 90 alunos em 850 (been there!)? Como se justifica isto senão pelo mau funcionamento das escolas, modelos esgotados, excesso de numero de aulas?!

    De acordo com a Nota1 anterior, não vou entrar por esse caminho, que daria mais pano para mangas, no entanto gostaria de realçar que o futuro somos nós! E quando a mentalidade é a de borga, direitos e regalias sem retribuição de trabalho, responsabilidades e obrigações... vamos continuar no patamar dos coitadinhos que precisam de ajuda e não sabem cuidar de si.
    Já de longe vem a ideia de que para se ser bom tem de se passar por dificuldades e provas (dignas desse nome). Não é com "coitadinho, vamos baixar a dificuldade para ele passar" que chegaremos a ser alguém.
    O sistema está mal! Definitivamente a responsabilidade é do sistema, mas com grandes culpas para o pensamento incutido nas cabeças de pássaro que andam nas nossas faculdades e que nem o resultado de 1+1 sabem.

    Todas(?) as pessoas sabem que está mal, mas poucas actuam. E quando alguém actua é criticado por isso. Tenho ideias e actuo na conformidade do "poder" que tenho. Existem problemas? Só não vê a solução quem não quer ou quem não pode, pelos mais variados motivos.

    E eu espero que todos os impostos que não me afectem aumentem...

    Vou resumir este teu paragráfo - já escrito com raiva (nota-se no tom) - no seguinte: os impostos, ao longo dos séculos, foram sempre sobre "algo". A coisa sobre a qual incide o imposto é especifica e não geral. Assim, se um serviço existe (fora do âmbito do obrigatório requerido pelo estado) deve ser pago com os meios e de forma adequada.
    Compro casa, pago-a e os respectivos impostos.
    Compro carro, pago-o e os respectivos impostos.
    Uso uma auto-estrada. Existem alternativas viáveis? Se sim, devo pagar o beneficio do uso da auto-estrada.
    Estou no ensino superior. Faz parte da escolariedade obrigatória? Se não, devo pagar o beneficio de me ser possivel formar melhor.

    Como é que esses impostos serão usados é outra parte do problema. O que me interessa é que sejam usados adequadamente. O que é o "adequadamente"? Prefiro dizer o que não é adequado (problemas concretos)!
    * Não é adequado usar os impostos para formar médicos que só querem ficar no litoral e é preciso virem espanhois para o interior.
    * Não é adequado usar os impostos para formar médicos que num hospital nos obrigam a esperas de 3 e 4 horas, quando os vemos na salinha a descansar!
    * Não é adequado usar os impostos para construir estádios de futebol, quando existem "matadouros" como o Hospital de Aveiro.
    * Não é adequado usar os impostos para pagar "tristes" licenciados que saem para o mercado de trabalho e têm de ir para o fundo de desemprego.
    * Não é adequado usar os impostos para pagar rendimento mínimo a "tristes" de 25 anos que com capacidade psicológica e fisica, apenas não querem trabalhar.
    * Não é adequado usar os impostos para "criar" licenciados sem experiência profissional, visto o Estado pensar que a qualificação académica é suficiente e que a responsabilidade de "pagar" a experiência a esses licenciados deve ficar a cargo da entidade patronal.
    * Não é adequado usar os impostos para pagar docentes que apenas fazem mestrados e doutoramentos... porque não sabem fazer mais nada na vida () e são pagos a peso de platina.

    Toda a gente tem telhados de vidro, e acima de tudo devemos ser frontais e directos nos problemas. Tudo isto para resumir que esta campanha e-U é desnecessária. Existem muitos mais problemas no ensino superior, e o resultado desta campanha será apenas mais um divertimento para a maioria dos alunos.

    Como nota final, quantos alunos no ensino superior é que cumprem estes objectivos.
    Re: Propinas e hipocrisia (Pontos:2)
    por cgd em 12-06-03 14:06 GMT (#65)
    (Utilizador Info)

    Como dizes em cima, o tema é longo e este não é o melhor espaço para o debater. Se quiseres aprofundar o tema, manda-me o teu mail (meu: cjgd@iol.pt) para eu te responder mais detalhadamente.

    Quero apenas ressalvar que nada do que escrevi foi com raiva nem (assim o espero) insultuoso, pelo menos não era o propósito.

    Re: Propinas e hipocrisia (Pontos:2)
    por ^magico^ em 12-06-03 14:18 GMT (#66)
    (Utilizador Info)
    O "raiva" era irónico, tipo quando estamos numa discussão acesa a defender os nossos pontos de vista, com paixão e os nervos à flor da pele.

    Foi o que me pareceu o teu último paragráfo, não o tomei como insultuoso ;)
    Funcionários Públicos e Hipocrisia (Pontos:2)
    por joaobranco em 12-06-03 14:51 GMT (#67)
    (Utilizador Info)

    Pelas estatisticas podemos saber que existem 1.711.000 alunos no ensino regular, mais 394.000 no ensino superior.
    Por aqui é possível ver que Portugal tem 5.100.000 pessoas na sua força de trabalho dos quais a percentagem de homens/mulheres ronda praticamente os 50%/50%. Sabemos ainda, pela imprensa e televisão que temos 450.000 funcionários públicos.

    Descontando os trabalhadores/estudantes, por cada estudante universitáro temos 13 trabalhadores o que corresponde a cerca de 34.700 universitários filhos de funcionários públicos. Apontando uma percentagem optimista de 25% de borguistas, dá-nos uma módica quantia de 7.000 universitários que directamente e indirectamente vivem às custas dos nossos impostos, sem retríbuir para a sociedade o que lhes é exigido (esforço na aprendizagem que deve resultar num profissionalismo de qualidade).


    O que os "funcionários públicos" fazem com o dinheiro que recebem é da sua exclusiva responsabilidade. Não aceito que a sociedade tenha qualquer direito (ou responsabilidade) sobre o dinheiro que é fornecido a um individuo como pagamento pelo seu trabalho, para além dos impostos sobre rendimentos devidos (trabalhe esse individuo directamente para o estado ou não).

    Se achas que os funcionarios públicos recebem a mais, estás no teu direito de tentar fazer o governo alterar as remunerações. Agora "nacionalizar" os salários deles, após terem sido atribuídos, é demais.

    Cumps, JB

    Re:Funcionários Públicos e Hipocrisia (Pontos:2)
    por ^magico^ em 12-06-03 15:48 GMT (#69)
    (Utilizador Info)
    Desculpa, mas em nenhuma parte do meu comentário eu falei em "nacionalizar" os salários dos funcionários públicos.

    Pelo teu comentário vejo que não percebeste o exemplo que dei, no contexto em que foi dado e ainda por cima com um aviso que estava a jogar com números sobre algo nunca quantificado.

    Não queria estar a entrar por este caminho, pq a questão dos funcionários públicos é outro problema, no entanto...
    Um funcionário público não recebe a mais e quem o afirmar não sabe o que diz. O salário está bem estabelecido (falo com conhecimento de causa), o problema surgiu quando começaram a ser preenchidos lugares para os quais não eram necessários... o que fez aumentar o numero de funcionários e reduziu a imperceptivel produtividade em média por cada um.

    O dinheiro que está a ser investido no e-U bem que podia ser canalizado para uma mais rápida informatização da função pública, em que assim seriam dispensados funcionários públicos do seu "trabalho" rotineiro e podessem procurar novas perspectivas de vida, com as seguintes vantagens: a poupança no pagamento a esses funcionários poderia ser canalizado para outras campanhas; a taxa de desemprego em Portugal passaria a ser mais real; a produtividade em Portugal aumentaria visto que esses funcionários iriam trabalhar para empresas onde o seu serviço faria entrar dinheiro.

    Vou terminar por aqui, porque a questão dos funcionários públicos não é tão simples e directa, visto que existem várias áreas na função pública. A solução passa numa primeira fase, pelo controlo mais apertado do trabalho de cada funcionário e pela dispensa dos funcionários com trabalhos rotineiros (que podem ser processados informaticamente). Estes últimos em grande parte trabalham nas finanças.
    Re:Funcionários Públicos e Hipocrisia (Pontos:2)
    por joaobranco em 12-06-03 16:20 GMT (#70)
    (Utilizador Info)
    Quando para dizer em que é que o dinheiro dos teus impostos está a subsidiar "borgas", fazes as contas em que os filhos dos funcionários públicos que andam na "borga", "directamente e indirectamente vivem às custas dos nossos impostos", estás a dizer que o dinheiro que o funcionário público recebeu não é dele, e sim "de todos nós", que temos o direito de decidir em que é que ele o vai gastar (ou exigir que seja "bem gasto" e não seja usado em "borgas"). Isso é uma nacionalização implicita do ordenado do pai, sim.

    E é errado. O dinheiro foi dado ao pai, para ele fazer o que quiser dele (e se quiser pode qeimá-lo, porque EU não subsidio essa queima - ele é que a pagou, com o seu próprio dinheiro).

    Cumps, JB

    ASUS (Pontos:2)
    por Branc0 em 11-06-03 16:31 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://www.syners.org
    Alguém tem alguma informação sobre os portateis da ASUS? Têem uns preços convidativos, mas alguém tem experiência daquilo com Linux?

    Estou para comprar um portatil há algum tempo e o e-U está quase a fazer-me gastar dinheiro :)


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:ASUS (Pontos:1)
    por Noviço em 11-06-03 17:49 GMT (#41)
    (Utilizador Info)
    Meu caro Estou neste momento aos comandos do meu Asus L2000D, comprado o ano passado, e que neste momento corre Mandrake Linux 9.1, sem qualquer problema a nível de placa gráfica, som e placa ethernet (on-board). Como tinha lá em casa um modem externo (Conceptronics já com alguns anos), nunca me dei ao trabalho de (tentar) configurar o winmodem que esta coisa traz dentro. O gravador de CD's funciona na perfeição (uso o k3b), bem como a leitura de DVDs (xine). Coisas mais exóticas como o firewire, ainda não usei. All the best, Noviço
    TMN (Pontos:2)
    por vd em 11-06-03 17:33 GMT (#39)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    A TMN ja' possui disponivel o Nokia D211, que é uma placa PCMCIA que permite ligação GPRS e Wireless.

    http://www.tmn.pt/e-u.shtml

    " Características
    - Combina GPRS, GSM e wireless LAN;
    - Funciona em redes GSM 900/1800
    e em WLAN's compatíveis com a norma
    IEEE802.11.b ;
    - Compatível com sistemas operativos
    Windows 98 Second Edition, ME, 2000 e XP; "

    //vd
    Re:TMN (Pontos:1)
    por Shriek7 em 11-06-03 17:52 GMT (#42)
    (Utilizador Info)
    É uma placa interessante só que por esse preço...! Acho que aliada ao credito bonificado (k nem é tao bonificado quanto isso) devia haver uma escolha cuidada de material mais acessivel e, já agora, algum desconto. Não vejo vantagem nenhuma em comprar os portateis ou equipamentos WiFi pela no ambito da eU além do credito. Por vezes chega a parecer-me que os preços são demasiado altos (q é posssivel arranjar igual, mais barato)
    Opinião (Pontos:2)
    por vd em 11-06-03 17:41 GMT (#40)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Como é o vosso laptop ideal?
    Leve, com uma boa bateria, com um bom monitor e uma boa placa gráfica, aliado a um bom processador e (!!!!) com as teclas Crtl e Fn no sitio certo!

    Se V.Exas. fossem a comprar um laptop, que marcas e caracteristicas estariam no topo das preferências?
    Tenho um Compaq e um HP. Tenho boas experiências com ambos (agora unidos). No entanto quer-me parecer que hoje em dia, qualquer marca branca serve as necessidades mais exigentes. Eu optei recentemente por uma marca branca que integra o Centrino - por uma questão de preço / componentes.

    Placas de rede wireless PCMCIA vs. Embutidas no laptop. Experiências, opiniões, palpites?
    Nenhuma experiência nesse campo. Mas duvido que haja complicações em qualquer uma das opções. Eu pessoalmente vou optar por um embutida, dado que não gosto de andar com mais coisas dentro da mala.

    Que outras casas conhecem a pré-instalar Linux em laptops?
    Errr.. O truque aqui é comprar um portatil mais "standard" possivel nos pontos chave, meaning, placa grafica mais usual e wireless normalissimo (centrino ainda não incluido - eu próprio vou penar porque o meu novo portatil é centrino).
    Relativamente ao resto, não vejo grande complicação.

    //vd
    Re:Opinião (Pontos:1)
    por tuxe em 12-06-03 1:02 GMT (#53)
    (Utilizador Info)
    Qual a "marca branca" por que optou?

    Tambem ando a procura de um portatil centrino barato e bom, mas está difcil. Gostei bastante do Satelite pro M-10 da toshiba, tem tudo que se pode querer( centrino, disco grande,ecra grandem, gravador cd's, muita ram, blutooth, etc etc) só é pena o preço exorbitante (+3000€) :(
    Re:Opinião (Pontos:2)
    por vd em 12-06-03 8:17 GMT (#55)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Este:
    Tsunami Runner 2 MCL50H
    Com mais 256mb de ram.

    //vd
    Re:Opinião (Pontos:1)
    por Simplesmente Anonimo em 12-06-03 16:58 GMT (#71)
    (Utilizador Info)
    Esse portátil dá-se bem com linux? Existe alguma pagina com o status do suporte linux nele? Parece-me muito boa compra, mas queria ter a certeza que as coisas funcionavam...
    A placa wireless interna é a da Intel, ou é outra ?
    Obrigado
    Re:Opinião (Pontos:2)
    por vd em 14-06-03 0:48 GMT (#84)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Existe alguma pagina com o status do suporte linux nele?
    Talvez na proxima semana, se houver tempo.

    queria ter a certeza que as coisas funcionavam...
    Parece-me tudo material "standard", à excepção da tecnologia centrino.

    A placa wireless interna é a da Intel, ou é outra ?
    Interna da Intel, caso contrário não era Centrino.

    //vd
    notebuck (Pontos:1)
    por nbk em 12-06-03 7:02 GMT (#54)
    (Utilizador Info) http://www.mrnbk.com/
    Boas.

    Espero que ainda vá a tempo:

    http://www.sharp-business.com/notebooks.asp

    Para desktop replacement, Actius RD10. :)
    Light version: Actius MM10. :)

    @336, Nbk

    Re:notebuck (Pontos:2)
    por vd em 12-06-03 8:25 GMT (#56)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Um desktop replacement com um monitor que so' faz 1024x768 ?...

    :)

    //vd
    Estou a ver mal? (Pontos:2, Interessante)
    por aleph em 12-06-03 13:43 GMT (#64)
    (Utilizador Info)
    Mas afinal isto não será apenas uma tentativa dissimulada de transferir para os alunos (e familias) estes encargos? Por cada portatil comprado o Estado não vai comprar menos um equipamento para a escola? A longo prazo as escolas não terão apenas equipamentos minimos e desactualizados? Os portateis não passarão a ser uma "obrigação" do aluno? Trata-se de uma propina adicional, ou não?
    opinião de aluno! (Pontos:1)
    por gass em 12-06-03 21:41 GMT (#77)
    (Utilizador Info)
    Sou estudante de 2º ano na Universidade de Aveiro, pioneira no assunto. A rede interna é espectacular, devido a restrições que produzem efeito e a sua ligação ao exterior tb é excelente, é pena o controlo pela fccn.

    Possuo um desktop e. como estou em engenharia mecânica, não me estou a ver comprar um portatil novo, pois não tÊm, por exemplo, monitores de 19'' e 21'', para desenho.

    por outro lado, existem bastantes alunos que nem pc têm e a única opção é utilizarem os pc's da universidade, que até são alguns, porém, muitas vezes utilizados por irc'iados. A Universidade fecha portas, no max (uma sala de cerca de 30 pc's) à meia noite, todas as outras fecham às 8.
    é pouco comodo utilizar os pc's assim.
    para mim os laptops são uma boa alternativa, pois permitem, com algum endividamento, comprar laptops a preços bastante acessíveis (lembro-me de ver laptop's tipo celeron's, aki à um mês custarem os olhos da cara e ao fim de um ano de pagamento já quase pagava metade de outro, que era suposto pagar em 2 anos.

    Por isso defendo esta medida, que, dar para a venda de alguns portáteis, deve ser bem recebida, pois muitas vezes o que vai acontecer é que irão ser o novos licenciados a acabar de pagar os ditos.
    Isto, associado à rede wireless, que permite, entre outros, fazer apresentações utilizando a internet e os livros, comodamente, na biblioteca, ou até mesmo fazer trabalhos e trocar impressões sobre o trabalho, com os colegas, pelo irc, icq, etc, no Café da uni.

    São comodidades e acessibilidades que podem ser proporcionadas por quem tem menos recursos monetários, pois quem tem esses recursos já comprou portátil à muito e à muito que comprou a milagrosa placa wireless IEEE 802.11b
    opinião de aluno! (Pontos:1)
    por gass em 12-06-03 21:49 GMT (#78)
    (Utilizador Info)
    Sou estudante de 2º ano na Universidade de Aveiro, pioneira no assunto. A rede interna é espectacular, devido a restrições que produzem efeito e a sua ligação ao exterior tb é excelente, é pena o controlo pela fccn.

    Possuo um desktop e. como estou em engenharia mecânica, não me estou a ver comprar um portatil novo, pois não têm, por exemplo, monitores de 19'' e 21''.

    por outro lado, existem bastantes alunos que nem pc têm e a única opção é utilizarem os pc's da universidade, que até são alguns, porém, muitas vezes utilizados por irc'iados. A Universidade fecha portas, no max (uma sala de cerca de 30 pc's) à meia noite, todas as outras fecham às 20.
    É pouco comodo utilizar os pc's assim.
    para mim os laptops são uma boa alternativa, pois permitem, com algum endividamento, comprar laptops a preços bastante acessíveis (lembro-me de ver laptop's tipo celeron's, aki à um mês custarem os olhos da cara e ao fim de um ano de pagamento já quase pagava metade de outro, que era suposto pagar em 2 anos.

    Por isso defendo esta medida, que, dar para a venda de alguns portáteis, deve ser bem recebida, pois muitas vezes o que vai acontecer é que irão ser o novos licenciados a acabar de pagar os ditos.
    Isto, associado à rede wireless, que permite, entre outros, fazer apresentações utilizando a internet e os livros, comodamente, na biblioteca, ou até mesmo fazer trabalhos e trocar impressões sobre o trabalho, com os colegas, pelo irc, icq, etc, no Café da uni (CUA).

    São comodidades e acessibilidades que podem ser proporcionadas por quem tem menos recursos monetários, pois quem tem esses recursos já comprou portátil à muito e à muito que comprou a milagrosa placa wireless compatível com 802.11b.

    wireless UA

    Cumps-

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]