gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
O que eu odeio na tua linguagem de programação
Contribuído por BladeRunner em 14-05-03 21:13
do departamento minimalista-mas-interessante-de-facto
Rapidinhas Lello Minsk escreve "Este artigo encontrado no Slashdot parece-me ser uma boa matéria de discussão aqui no GilDot e o link para o artigo."

HP, INTEL e Verizon - World News | Software Proprietário no Ensino Superior  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • gildot
  • link para o artigo
  • Mais acerca Rapidinhas
  • Também por BladeRunner
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    O meu caso... (Pontos:2)
    por ^magico^ em 15-05-03 9:15 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Sempre achei essa história de "a minha linguagem é melhor que a tua" uma verdadeira palhaçada!
    Eu tenho a minha preferência (Delphi), apenas e unicamente por ter bastante experiência nessa linguagem, por lhe conhecer as "entranhas", por ser o meu bichinho de estimação.

    Mas as linguagens são apenas ferramentas, e da mesma forma que não se deve usar um martelo para aparafusar um parafuso, também não se deve forçar uma linguagem inadequada numa tarefa.

    Está bem, que pode ser fazivel, não digo o contrário, mas estar a perder tempo para quê? Nós como programadores temos o dever de analisar bem uma tarefa e escolher a ferramenta que mais rapidamente nos permitirá conclui-la dentro dos parametros exigidos.

    Tenho o prazer de poder contar com algumas linguagens - que uso regularmente, para tarefas diferentes - na minha bagagem. Mas se tenho que resolver um problema não estou à espera que os meus gostos pessoais prevaleçam.

    Por curiosidade, para o caso de alguém perguntar, usei as seguintes linguagens:
    * numa aplicação de gestão client/server, Delphi para o GUI (120.000 LOC) e SQL no server (80.000 LOC)
    * outra aplicação de gestão para intranet, ASPX e C# em code-behind usando o .NET Framework
    * página pessoal (ainda não está online) em PHP
    * o resto... bem, são apenas conhecimentos em outras linguagens como por exemplo C, Javascript não usadas regularmente
    Re:O meu caso... (Pontos:1)
    por sab em 15-05-03 10:00 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://virtual.inesc.pt/~sab/
    De qualquer forma é sempre bom saber quais os prós e os contras das várias linguagens, não concordas? O Delphi em termos comerciais está morto. Qualquer dia vais ter que dar o salto para outra coisa qualquer (ou porque o SO não suporta, ou porque o Delphi não faz o que queres). De certeza que é bom saberes o que é bom e menos bom numa linguagem.

    Tenho experiência em c, c++, php, java, perl e lisp. Contudo as três linguagem que mais me impressionaram foram sem dúvida o Perl, o Python e o PHP pela dinâmica que têm tido. Recordo que são linguagens que não foram desenvolvidas no âmbito de nenhuma empresa (como seja o JAVA, c# - java com outro nome -, ou os ASP - que a microsoft comprou a uma empresa pequenina que tinha desenvolvido a ideia - andei à procura do link mas não encontrei).

    Para mim numa linguagem de programação, para além do domínio que tenho da linguagem, o que é mais importante é o que a linguagem me dá (de borla). O que me poupa de trabalho. E não é uma questão de esta é melhor que aquela, há linguagens que têm muito, muito mais trabalho já feito e que se pode reaproveitar (o perl com CPAN é um caso disto). Como digo neste aspecto o perl, php e python são fanstásticos (já está tudo feito é só saber usar).


    -Sab
    "Um mundo melhor é deixado como um exercício para o leitor, Paul Graham"

    Re:O meu caso... (Pontos:3, Esclarecedor)
    por ^magico^ em 15-05-03 10:50 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    Claro que se deve saber o prós e contras de uma linguagem, e eu não disse o contrário. Se assim não fosse também não conseguiria escolher a linguagem mais adequada para uma determinada tarefa.

    Numa questão mais filosófica, o Delphi estar morto ou não, é relativo!
    Enfatizaste a importância de uma linguagem nos dar o mais possivel com o minimo de esforço, e o Delphi enquadra-se nessa categoria.

    Em termos técnicos, e pelo exemplo que dei, eu já dei o salto para outra coisa qualquer.
    Poderia ter muito bem usado o Delphi para desenvolver uma aplicação web usando algumas librarias existentes. Porque não o fiz? Simplesmente porque não achei adequado e suficientemente maturo para essa tarefa.

    A aplicação actual que está em Delphi é apenas o interface, terei de dar o salto no futuro? Provavelmente sim, visto que a necessidade de reutilizar vários componentes entre várias aplicações vai existir.
    Mas o que vai mudar nesta alteração? Pouca coisa, o mais provavel será manter o Delphi como linguagem e apenas passar de uma base em VCL para .NET Framework

    Eu já passei pela fase de que a linguagem é que é importante. Na realidade o importante é o conceito e a escolha das bases de construção.
    Leitura recomendada (Pontos:2)
    por cgd em 15-05-03 11:09 GMT (#4)
    (Utilizador Info)

    O artigo está muito bom. Vê-se que a pessoa tem, pelo menos, alguma experiência no uso das linguagens que menciona.

    Um ponto muito "insightful" é o facto de muitas vezes ser confundido a "bondade" das linguagens com factores que não estão relacionados com a linguagem propriamente dita, como a existência de bons IDEs, bibliotecas vastas e uma boa comunidade de suporte. Embora, de um ponto de visto pragmático, todas essas coisas afectem o dia-a-dia de quem as usa e suponho que faça algum sentido serem metidos no mesmo saco, embora a bondade da linguagem per se não dependa desses factores.

    Em relação às diversas linguagens propriamente ditas... O C, apesar de alguns defeitos, é uma excelente linguagem para quem sabe programar. Confesso que o meu grande pesadelo é ter que mexer em código feito em C por outras pessoas, no entanto em termos pessoais, considero-a uma excelente linguagem para quick hacks, alguns "proof-of-concepts" ou para projectos de qualquer dimensão, desde que se possua uma boa base de código de suporte (bibliotecas genéricas). Reparem, por exemplo, que naquelas concursos de programação onde se pode escolher entre pascal,c,c++ e java, a linguagem mais usada para resolver os problemas é C, mesmo tendo uma enorme desvantagem em relação ao tal código de suporte disponível em relação ao java e c++ (ex: se queremos uma hashtable, temos que a fazer para o concurso, enquanto em java já está disponivel).

    Quanto às outras linguagens, considero que o mundo seria bem melhor se mais projectos fossem desenvolvidos em python :-) [e se paralelamente se investisse em massa no desenvolvimento do pychecker]. Python é sem dúvida uma das melhores linguagens que anda por aí, e é facil provar isto: quando se pensa num algoritmo, ou numa forma de resolver problemas, faz-se pseudo código-- normalmente o pseudo-código é uma forma clara, mas simultaneamente precisa, de definir um processo, uma ideia, mas que nos alivia do fardo de uma implementação real. Acontece que o python em si é uma linguagem real que reúne as caracteristicas de pseudo-code. Por exemplo, o livro de algoritmos de Brassard e Bratley, de 1988 (anterior ao python portanto), usa um pseudo-codigo inventado por eles, que é muito análogo ao python (com uns toques de pascal)...

    O java, considero um mal necessário. Foi uma linguagem imposta, "vendida" por um valor que não tem (como acontece com os espanhóis, por exemplo). Mas pegar em código desenvolvido em java por outros, é bem melhor que apanhar código desenvolvido em muitas outras linguagens populares (VB, C, C++) por outros!

    Considero o lisp tb muito interessante, e tendo em conta que os seus grandes apologistas estão entre as pessoas mais inteligentes que se dedicam ao desenvolvimento, deve haver qualquer mistica lá (que eu ainda não apanhei, diga-se se passagem). Seja como for, já temos um lisp muito popularizado, cheio de hype, mas sem semântica: chama-se xml :-)


    Re:Leitura recomendada (Pontos:2, Interessante)
    por sentriun em 15-05-03 13:18 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    " Considero o lisp tb muito interessante, e tendo em conta que os seus grandes apologistas estão entre as pessoas mais inteligentes que se dedicam ao desenvolvimento, deve haver qualquer mistica lá (que eu ainda não apanhei, diga-se se passagem)."

    Fiquei especialmente agradado por ver um comentario positivo 'a "minha linguagem". :) Nao estou com certeza entre as pessoas mais inteligentes que se dedicam ao desenvolvimento, mas realmente o lisp e os seus 45 anos de vida(McCarthy - 1958) tem uma mistica muito especial. Infelizmente, foi uma invençao antes de tempo e, como tal, ficou com alguns mitos associados (e' lenta, e' para IA, etc..). Citando um dos developers de uma das maiores empresas que comercializam compiladores de common lisp, num seminario sobre web development, respondendo a uma pergunta sobre os problemas do garbage collection e quais as vantagens em relaçao ao .Net:"Os problemas q eles(microsoft) estao a ter agora, ja' nos tivemos ha 20 anos". :)
    Na minha modesta visao, as linguagens tendem para lisp:) infelizmente, uma das vantagens que o lisp tem e' dificil de incorporar nas outras linguagens por questoes de sintaxe, as macros!
    Espero que em breve hajam melhores ferramentas para manipular codigo lisp (ja houve, mas perderam-se... IA Winter, etc..) e que esta comece a ser mais usada por outros que nao nao os "cromos da IA" e por meia duzia de gajos conhecidos.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]