gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
O que fazer no Grupo PT para melhorar a sociedade
Contribuído por BladeRunner em 08-02-03 17:17
do departamento show-me-the-way
telecom Um PT critico escreve "Caros Gildotianos

Talvez não tenha o grau de conhecimento de muitos de vocês na area das TI, mas gosto de acompanhar alguns threads deste vosso/nosso site, gostaria de lançar um desafio de crítica construtiva a esta comunidade. Sendo o Grupo PT um dos maiores grupos empresariais portugueses, e que entra na casa de quase todos os portugueses, influenciando positiva ou negativamente a qualidade de vida de muitos de nós, gostaria que lançassem aqui alguns contributos sobre as áreas de TI em que acham que o Grupo PT poderá dar um contributo importante no desenvolvimento da sociedade da informação em Portugal.
Sou suspeito, mas ainda acredito que no Grupo PT há muita gente capaz e com vontade de fazer um trabalho de qualidade. Talvez o maior erro seja precisamente o quase abandono em que as TI estão dentro do Grupo, originando ineficiências que se reflectem no relacionamento com os clientes e não só!
Todas as críticas são válidas, mas as que também apontam um caminho serão sempre as mais interessantes!"

Linux no Irão com KDE 3.1 !! | Novo howto Siemens ADSL em Linux  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Mais acerca telecom
  • Também por BladeRunner
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Acabar com o "grupo"... (Pontos:4, Interessante)
    por mvalente em 08-02-03 18:01 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    gostaria que lançassem aqui alguns contributos sobre as áreas de TI em que acham que o Grupo PT poderá dar um contributo importante no desenvolvimento da sociedade da informação em Portugal.

    Acabar com o grupo, separando-o em várias unidades empresariais geograficas (PT Norte, PT sul?) e/ou funcionais (TI para um lado, cabo para outro, telecom para outro) seria o melhor contributo para o desenvolvimento da sociedade de informacao em Portugal.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:2, Interessante)
    por ptcritico em 08-02-03 21:28 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Mário, achas sinceramente que dada a dimensão do país, partir em PT geograficas é uma opção? O mercado não parece ter capacidade para uma miriade de empresas de TI's, infelizmente.

    Quanto às PT's funcionais pode até fazer sentido (alias, na teoria é o que existe, se bem que na pratica... :), em particular se isso potenciar sinergias com outros parceiros nacionais e realmente potenciar o aumento de conhecimento e caminhar para soluções de excelência. Diga-se de passagem que muito do que se vê nesta área em Portugal, é tudo menos um exemplo de excelência.

    Quanto à questão de partir o "grupo", concordo apenas com as aspas, pois realmente de grupo pouco se tem visto, pelo menos do ponto de vista interno ;-). Porém, não é só com bota-abaixo e com falta de realismo económico que se resolve o problema, daí ter lançado este thread.


    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:2)
    por mvalente em 09-02-03 1:11 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    As baby PTs (vamos chamar-lhes assim, à lá Baby Bells...) não poderiam "jogar" para o mercado português, mas sim para o europeu. Por isso, sim acho que partir a PT em PT geograficas era uma solucao; isto porque a mira nao deve estar apontada à dimensao do pais mas sim à dimensao da Europa.

    Por outro lado, claro que o pais nao tem espaco para uma miriada de empresas de TI e telecomunicacoes. Algumas dessa baby PTs iriam falir ou ser adquiridas; assister-se-ia a uma consolidacao do mercado; mas natural, resultado da seleccao "natural" das empresas, e nao uma "consolidacao" imposta, resultado de um monopolio "historico".

    Eu sei que o "grupo" PT não joga muito bem como grupo (internamente falando). Mas isso nao muda o facto que o "grupo" joga no mercado, como um todo, de forma monopolista, impedindo a são concorrencia e actuando de conluio cartelizando algumas áreas. O que não é bom para o mercado, para os concorrentes, para os consumidores e para o pais. E ironicamente, em ultima analise tb não é bom para a PT (perda de valor nos monopolios, etc e tal para quem deu economia)

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:1)
    por leitao em 09-02-03 21:01 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    As baby PTs (vamos chamar-lhes assim, à lá Baby Bells...) não poderiam "jogar" para o mercado português, mas sim para o europeu. Por isso, sim acho que partir a PT em PT geograficas era uma solucao; isto porque a mira nao deve estar apontada à dimensao do pais mas sim à dimensao da Europa.

    Nao sei se estas a tentar ser engracado... mas conseguiste.


    "Arguing on the Internet is like running in the Special Olympics -- Even if you win you're still retarded."

    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:2)
    por fog em 09-02-03 21:40 GMT (#15)
    (Utilizador Info) http://www.fog.nu/
    Onde está a graça?! Será aqui, ou aqui?
    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:1, Esclarecedor)
    por leitao em 10-02-03 1:32 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Hamm... curiosamente a Marconi, como referes, tem um "website" (nao vi mais nada) em franca e na suica (paises de imigracao pesada de portugueses)... big deal.

    Mas qualquer sugestao de que a PT (ou pior ainda, baby PT's) poderia competir num mercado de telecomunicacoes que cada vez mais se consolida, e onde todos os dias as margens diminuem parece-me ser tirado de um livro de ficcao.


    "Arguing on the Internet is like running in the Special Olympics -- Even if you win you're still retarded."

    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:2)
    por MacLeod em 10-02-03 2:20 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    Um bocadinho offtopic, essas páginas (para além de serem aparentemente iguais) têm o horrível defeito de abrir a página seguinte numa nova janela -- logo de início. Às vezes dou comigo em páginas que internamente já me vão na 3ª nova janela aberta. Será que os webmasters não se apercebem de que é irritante ter mais janelas abertas?

    Ainda por cima usando javascript, o que quer dizer que abrir numa nova tab não funciona.

    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:2)
    por chbm em 09-02-03 0:20 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    > e/ou funcionais (TI para um lado, cabo para outro, telecom para outro)

    tipo PTSI, PTCom e TVCabo ? :)
    Re:Acabar com o "grupo"... (Pontos:2)
    por mvalente em 09-02-03 1:04 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Pois, mas sem pertecencerem ao mesmo grupo e sem tocarem todas a mesma "musica" monopolista e anti-concorrencia.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Baixem lá as flames um pouquito... (Pontos:4, Informativo)
    por Endymion em 08-02-03 18:51 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    Estou certo que muita gente terá razões de queixa ou criticas à PT. Mas a questão foi posta aqui com educação, e quem sabe, talvez algo constructivo possa advir desta discussão. Assim, controlem-se um bocado e pensem no assunto seriamente. Quem sabe?

    Eu por mim, não me posso pronunciar relativamente a temas vitais. Sou cliente da netvisão tanto em serviços de web como de telefone já há imenso tempo, logo já me esqueci de como eram os meus tempos PT...

    É difícel (Pontos:4, Interessante)
    por biduxe em 08-02-03 21:58 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://bdx.no-ip.info
    É difícel a PT melhorar, especialmente em Portugal.
    Na conjectura actual, de liberalização dos mercados no mundo inteiro, às companhias de telefone "bandeiras nacionais" só existe uma estratégia possível, que passo a descrever:

    As companhias "bandeiras nacionais", vão perder ou já perderam no mundo inteiro o seu monopólio de estado sobre o seu mercado. Logicamente, quem perde o monopólio, perde também significantes partes de mercado, mas o efeito não é imediato. Entretanto, as companhias aproveitam a mesma situação no estrangeiro para invadir o mercado das suas congêneres estrangeiras.

    Para conseguir "roubar" clientela às companhias ex-monopolistas, é preciso ter uma política comercial agressiva, praticar preços e serviços que beiram o dumping, vender a perdas, o que acareta um prejuízo importante, considerado como um investimento para futuros ganhos sobre o mercado conquistado. Os clientes mais atentos (e os mais sortudos, que moram nos grandes centros urbanos), têm agora uma oferta mais alargada, o que lhes permite escolher os melhores serviços aos melhores preços, quase sempre propostos por empresas estrangeiras. No entanto alguma inércia na clientela faz com que muitos não aproveitem esta concorrência e fiquem aínda por bastante tempo clientes do seu ex-monopolista.

    Entretanto, esta mesma inércia é um trunfo para cada uma das empresas no seu país de origem, já que facilita a defesa do seu mercado. Defender o mercado, torna-se assim menos dispendioso, não sendo necessário propôr os mesmos preços e serviços do que as empresas estrangeiras. Para além disso, o facto de já ter a infraestrutura colocada faz com que o mercado interno, mesmo que seja aos pouco erodido pela concorrência, junto dos clientes mais atentos, continue muito, mas muito rentável. Isto é uma benêse, já que é preciso muito dinheiro para sustentar a política agressiva levada a cabo no estrangeiro.

    Resumindo, as empresas nacionais são qualitativas e competitivas no estrangeiro, enquanto praticam preços altos para um serviço degradado a nível nacional. A PT não escapa a esta regra, com se tem visto em Portugal (vide as flames que vão aparecer nesta thread), e no estrangeiro em particular no Brasil, que é um mercado de mais fácil acesso para o nosso Portugal periférico da Europa, mas virado para o atlântico.

    Por isto, não espero nenhumas melhorias da PT cá em Portugal, e ninguém pode nada contra isso, já que não seguir a estratégia actual seria uma espécie de suicídio, ou de entrega sem luta.
    Melhoria dos serviços de telecomunicações virá em Portugal por intermédio dos privados, e em particular do estrangeiro, e é desses que podemos esperar as melhorias por que tanto anseiamos.

    Bom para o cliente dirão os pró-globalização. Eu não acho, é apenas bom para os clientes privilegiados que moram nos grandes centros urbanos, e para os quais a relação entre investimento e retorno permite uma política de preços atraente. Os outros continuarão a ter de escolher entre um ex-monopolista, que continua a ter um monopólio que lhe permite aplicar preços de extorsão, mas que para além disso deixou de ter os deveres de serviço público que a sua condição de monopolista impunha. Para além disso, a empresa deixa de ter a função de serviço público, que permitia uma política que beneficiasse a população. Submetida às regras do mercado, a PT deixa de poder tomar decisões que não estejam sujeitas à necessidade de serem rentáveis. É a ditadura da rentabilidade, que me parece bem mais grave do que a ditadura do monopólio.
    ------ EOFim.
    Re:É difícel (Pontos:2)
    por Gimp em 10-02-03 11:03 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    "Para conseguir "roubar" clientela às companhias ex-monopolistas, é preciso ter uma política comercial agressiva, praticar preços e serviços que beiram o dumping, vender a perdas, o que acareta um prejuízo importante, considerado como um investimento para futuros ganhos sobre o mercado conquistado."

    Aproveito o teu post pra dar uma achega ao post original e de caminho dar a minha achega de como isto não se passa em PT. "Roubar" clientes à PT só se faz sentir no mercado empresarial, já que lacete local aberto nem vê-lo. Para o mercado doméstico, das duas uma, ou enterra-se cabo ou então mete-se antenas fwa. A Maxitel foi a única que se atreveu a apostar no mercado doméstico e a falta de fundos para uma operação a médio-longo prazo condenou-a. Que solução resta? Alugar circuítos à PT. O nosso mercado é demasiado pequeno para tantas empresas e os custos para operar a rede própria devem ser elevados, digo eu, mas até que ponto não funciona como desculpa para que os operadores não invistam? A PT não melhorará internamente se não tiver incentivos externos, leia-se concurrência a sério. Mas quando todos parecem estar satisfeitos, apesar dos "lamentos", com o status quo...


    "No comments"

    para começar... (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 08-02-03 22:55 GMT (#7)
    ...podiam dar pequenos passos muito simples, como providenciar serviços de ADSL com kits domésticos plataform-independent, i.e., "modems" com interface ethernet para não estarem a condicionar a clientela... neste momento os clientes não podem ser users Apple, Linux ou BSD.
    Re:para começar... (Pontos:1)
    por Arrepiadd em 10-02-03 1:50 GMT (#18)
    (Utilizador Info)
    Podem... para alguns dos modems (o do Clix Turbo e tanto quanto ouvi dizer o do sapo) já têm um driver para linux. O driver pode não ser a coisa mais maravilhosa que existe, mas estou em linux com ADSL. Por isso, os clientes podem ter (pelo menos) Linux. Precisam é de um pouco mais de esforço. É óbvio que os drivers não vieram com o modem e tive de ir à internet buscá-los o que implica, das duas uma, ou uma instalação anterior de um outro sistema operativo suportado (infelizmente apenas windows) ou então um outro modem suportado pelo linux (56k por exemplo)
    Questões operacionais (Pontos:3, Interessante)
    por joaorf em 09-02-03 2:18 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    A sociedade de informação em Portugal tenderá a dar mais atenção ao software livre. A PT, como grande grupo na área das TI, poderá ter um papel importante em facilitar ou dificultar este processo.
    Estou certo que haverá quem centrará a sua intervenção em questões estratégicas. Eu vou apenas apontar alguns problemas a nível operacional:
    • Promover um concurso anual como o JetNet, que pretende premiar os melhores da Web portuguesa, e o próprio site do concurso não funcionar senão em Internet Explorer é, no mínimo, lamentável.
    • Adoptar como formato de streaming, o Windows Media, é outra opção infeliz do grupo PT. Com efeito, o WM é um formato proprietário e muito pouco interoperável. Os utilizadores de Linux, e a maioria dos restantes sistemas Unix (à excepção, por enquanto, de Solaris) não têm software para acederem a este conteúdo. Esta escolha é desnecessária quando existe um formato como o RealMedia que, pese embora os codecs sejam proprietários, dispõe de players para múltiplos sistemas operativos. Por isso a BBC e a CNN adoptaram-no.
    • O grupo PT, por intermédio dos seus fornecedores de acesso Netcabo, Telepac e Sapo, presta o pior serviço de News em Portugal. Os respectivos servidores estão tão mal configurados que ou recusam conexões, ou perdem metade dos posts. Há mais de 2 anos que a situação se arrasta, os utilizadores fartam-se de reclamar, mas a situação não melhora. Isto tem um nome: incompetência.
    • Como se explica que o tráfego Internet entre o grupo PT e a Netvisão seja internacional, quando entre a Netvisão e os restantes ISPs portugueses não o é? É impressão minha ou está a passar-se aqui um fenómeno de concorrência desleal?

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]