gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Vulnerabilidades da Microsoft?
Contribuído por jmce em 23-10-02 15:15
do departamento tragam-depressa-os-facões-vamos-abrir-com-cuidado
Microsoft ^magico^ escreve "Está disponível na news.com um boletim especial onde é analisada a actual situação da Microsoft. "  O artigo discute possíveis vulnerabilidades em quatro frentes: software livre, a concorrência nas aplicações empresariais, os riscos da aposta em serviços e .Net: marketing e licenças.

Search King processa Google | Xandros: Windows Killer?  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • News.com
  • news.com
  • boletim especial
  • software livre
  • concorrência nas aplicações empresariais
  • riscos da aposta em serviços
  • .Net: marketing e licenças
  • Mais acerca Microsoft
  • Também por jmce
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    usem este login (Pontos:2)
    por ribeiro em 23-10-02 15:44 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://ruka12.tripod.com
    Para fazer donwload do pdf, é necessariário realizar um login, com prenchimento de dados num form.
    Usem o login chatos@sapo.pt, com a password chatos.

    --
    Concorrencia e a falta dela. (Pontos:4, Informativo)
    por leitao em 23-10-02 17:41 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    A M$ nao e' parva, e esta' a tentar crescer em mercados onde tradicionalmente e' Rei -- estes sao fundamentalmente as pequenas/medias empresas, e os sectores das grandes empresas onde sabe que pode ganhar.

    Aplicacoes empresariais como ERP (SAP, PeopleSoft, etc) sao uma area onde a Microsoft nunca teve uma presenca forte como um vendedor de produtos, mas onde tem influencia como fornecedor de servicos -- esta posicao nao e' nova, e' a mesma estrategia da Sun por exemplo, fazer partnerships com as "big guns" do software empresarial e ganhar dinheiro em servicos. Como tal, a SAP, PeopleSoft, etc. nao sao necessariamente concorrentes da M$.

    Fundamentalmente existem duas frentes de combate da Microsoft:

    • A Sun e o mundo Java (que inclui a IBM, Oracle e outras) no Middleware,
    • A IBM Global Services no sector dos servicos,

    Todos os outros ou ja' estao na cama com a M$ de uma maneira ou de outra, ou sao demasiado especificos/pequenos.

    Um erro comum de alguns analistas (principalmente daqueles que polarizam a "guerra do software" entre a Microsoft e o open-source) e' que a M$ ja' nao e' uma empresa que se baseia em 2 ou 3 produtos (WindowsXX e Office), mas sim um gigante que cada vez mais se esta' a espalhar por outros sectores (incluindo cada vez mais a 'area dos servicos e outsourcing). Nao existe uma "guerra" real entre a Microsoft e o open-source -- e' mais uma artimanha imaginada por jornalistas com falta de visao do que algo com que o duo Ballmer/Gates realmente se preocupem diariamente. A razao disto e' simples: e' muito dificil de fazer dinheiro com o open-source a nao ser que se produtize bem e depressa -- e depois se passe para um modelo de servicos. O unico exemplo de nota disto e' a RedHat (a maior empresa baseada puramente em "Linux"), que comecou com produtos e agora se esta' a transformar para um modelo de "services based on products".


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.

    Re:Concorrencia e a falta dela. (Pontos:3, Interessante)
    por jmce em 23-10-02 18:16 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    Qualquer que seja a dificuldade de outros fazerem dinheiro com software livre, a Microsoft talvez se preocupe mais com o seu próprio dinheiro, nos sectores onde o software livre lhe puder tirar quota de mercado (independentemente de haver empresas concorrentes no processo ou de estas terem qualquer lucro). Mesmo que a preocupação não seja diária nem a "dentada" significativa, a atenção dada ao SL parece ter passado há algum tempo a que seria dada a uma mosca a zunir...
    Re:Concorrencia e a falta dela. (Pontos:3, Informativo)
    por ^magico^ em 23-10-02 18:20 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    esta posicao nao e' nova, e' a mesma estrategia da Sun por exemplo, fazer partnerships com as "big guns" do software empresarial e ganhar dinheiro em servicos. Como tal, a SAP, PeopleSoft, etc. nao sao necessariamente concorrentes da M$.

    A Microsoft está a entrar no mundo dos ERP, devagar mas, com grandes objectivos. Basta lembrar que comprou a Navision e a GreatPlains e que está previsto o lançamento do ERP baseado no GreatPlains dentro de 1 a 2 anos.
    Re:Concorrencia e a falta dela. (Pontos:2)
    por leitao em 23-10-02 18:28 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Sim, sim -- concordo -- o que quero dizer e' que apesar de nao ser uma industria onde a M$ faz tradicionalmente faz dinheiro como um "vendor", faz via servicos.

    E' que SAP e a PeopleSoft preferem vender numa plataforma Windows/Intel onde sobra mais dinheiro para servicos, do que Solaris/SPARC onde nao.


    "Monogamy is for guys that can't get pussy." --Steve-O.

    Re:Concorrencia e a falta dela. (Pontos:3, Interessante)
    por ^magico^ em 23-10-02 19:32 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    e' que apesar de nao ser uma industria onde a M$ faz tradicionalmente faz dinheiro como um "vendor"

    Pois o problema é isso mesmo.

    Em Portugal existe um "grande" número de software-house a produzir software de gestão, e como em Portugal suponho então que noutros países como UK e USA não deve ser diferente.

    Uma software-house tradicional baseia o seu software na plataforma Windows (quantas não usam VB e Access), e apesar de muito desse software não ser um SAP é algo que lhe dá os rendimentos.

    O problema é que a agora a MS está a entrar neste campo a todo comprimento. Não pretende unicamente ser um concorrente ao SAP (para isso adquiria-o), mas sim vai entrar em todo o mercado oferecendo um produto que tanto pode ser vendido em pacote (tipo Primavera), como entra em médias empresas (tipo PHC), atingindo (e trabalhando como) o SAP nas grandes empresas.

    Então e as pequenas software-houses, o que é que lhes acontece? É simples, estas passam a ser as "partners" da MS oferecendo elas os serviços de apoio (implementação) ao cliente.

    A situação não é tão linear assim, mas uma coisa é certa, a MS não tem interesse em manter-se como provider de uma plataforma, mas sim como provider de um sistema 'completo' de gestão para uma empresa. Basicamente o que ela pensa é... "se um cliente precisa da nossa plataforma, e precisa de mais uma data de coisas de outros gajos... porque é que não somos nós a fornecer-lhes isso tudo?"

    Já agora, os "rumores" de que a MS irá adquirir a Siebel, vão aqui e procurem por 'siebel'

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]