gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Modéstia não fica mal...
Contribuído por npf em 14-08-02 11:06
do departamento to-be-or-not-to-be
Links mvalente escreve "Não tendo podido participar na recente discussão sobre o assunto, não queria deixar de referir alguns links com o ponto de vista oposto ao excelente post do js.

Pessoas tão eminentes como o matemático Norbert Wiener dizem precisamente o contrario: "Modesty Is Not a Virtue" no seu livro "Invention : The Care and Feeding of Ideas".

A "virtude" da modéstia (e outras "virtudes" como o "dar a outra face", "pobreza", "humildade", etc) não são mais do que artefactos de uma ética platonista e da sua sucessora, a ética religiosa/judaica/cristã. Este é, aliás, a grande fraqueza do artigo do js: os poucos argumentos que apresenta são "religion-oriented" (i.e. a citação de S. Tomás de Aquino e as referências à Summa Theologica). O que não deixa de ser estranho para um "homem de esquerda" :-)..."

Essa ética/moral vigente não muda o facto de outros filósofos gregos, como Aristóteles, terem diferente opinião. Ou que filósofos mais recentes cheguem a afirmar: "[The virtue of pride] means one's rejection of the role of a sacrificial animal, the rejection of any doctrine that preaches self-immolation as a moral virtue or duty.... ".

Cumprimentos

Mario Valente

Novo site de linux | Edição de Video Não Linear em Linux  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • terem
  • diferente opinião
  • filósofos mais recentes
  • mvalente
  • recente discussão sobre o assunto
  • "Modesty Is Not a Virtue"
  • Invention : The Care and Feeding of Ideas
  • ética religiosa/judaica/cristã
  • Mais acerca Links
  • Também por npf
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    I can't fucking believe it! (Pontos:2, Esclarecedor)
    por leitao em 14-08-02 11:22 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Hammm... portanto, vamos recalcar ainda mais o assunto ? Ja' nao chegou ?

    Cada um tem direito 'a sua propria interpretacao pessoal sobre o facto de a modestia ser uma virtude ou nao -- faz parte da sua cultura e "belief system" de cada individuo.


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:0, Despropositado)
    por macTeK em 14-08-02 12:04 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Hammm... portanto, vamos recalcar ainda mais o assunto ? Ja' nao chegou ?

    Cada um tem direito 'a sua propria interpretacao pessoal sobre o facto de a modestia ser uma virtude ou nao -- faz parte da sua cultura e "belief system" de cada individuo.

    Começo a achar que este senhor é o barrabotas de serviço cá no GilDot. Desculpem, mas é que bronco mais bronco não há. AS CULTURAS E OS SISTEMAS DE CRENÇAS DEVEM SER PERMANENTEMENTE POSTOS EM CAUSA !!! Foi graças a esse problema que o nazismo e os fascismos surgiram na Europa Ocidental democrática.

    Alguém devia dizer a este senhor Leitão que não deve deitar cá para fora bacoradas deste tipo sem ler primeiro Aristóteles, Nietzsche, Foucault ou Isaiah Berlin. Sim, porque a vida não é só "A Bola" e os jornais e telenovelas da TVI. Tenho dito.

    Eis aqui a minha contibuição para o início de um manifesto anti-Leitão. Porquê? porque é o protótipo do português dos primeiros anos do século XXI: pensa-se culto mas nunca leu um livro de Filosofia, Ciência Política ou Sociologia até ao fim - já para não falar nas obras-primas da literatura -; mete a colher em tudo mas não percebe nada a fundo.
    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2, Gozão)
    por leitao em 14-08-02 12:57 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Eis aqui a minha contibuição para o início de um manifesto anti-Leitão. Porquê? porque é o protótipo do português dos primeiros anos do século XXI: pensa-se culto mas nunca leu um livro de Filosofia, Ciência Política ou Sociologia até ao fim - já para não falar nas obras-primas da literatura -; mete a colher em tudo mas não percebe nada a fundo.

    Excelente ideia! Ficava muito lisonjeado se fizeres um texto "anti-leitao" -- a serio! Se me mandares o texto acredita (prometo!) que o ponho no meu web-site, nunca na vida tive um manifesto contra os meus pontos de vista.

    Fantastica ideia! Obrigado!


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2)
    por Lowgitek em 15-08-02 16:43 GMT (#58)
    (Utilizador Info) http://www.ideiasdigitais.co.pt
    O teu clube de fans esta a crescer ;)

    (Sim sem o tal rosto anonimo)
    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:1)
    por McB em 20-08-02 11:07 GMT (#65)
    (Utilizador Info)
    DISCLAIMER: THIS IS SUPPOSED TO BE FUNNY! Sempre achei as contribuições do Sr. Leitão muito válidas neste forum!
    Se me mandares o texto acredita (prometo!) que o ponho no meu web-site

    Ó Nuno, depois tinhas que retirar a seguinte frase do teu site...

    If you wish to flame me for some reason, then please redirect your frustrations to /dev/null or some other suitable place. :)))


    They told me it need Windows 95 or better, so I chose Linux
    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2)
    por Branc0 em 14-08-02 14:01 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://www.syners.org
    Queres discutir filosofia tas no forum errado... já não bastava a parvoíce que foi a discussão no artigo anterior ainda tinham que fazer um artigo só para parvoíce... vá lá... o pessoal tá de férias aproveita para se divertir.


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 14:06 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    Ninguém te obriga a abrir o artigo...

    Há muitos artigos no Gildot que não me interessam minimamente... Uns fazem parte do "Linux", outros do "e não só", mas não protesto por nenhum. Não me interessa, não abro.

    Já agora, os links que o MV incluiu são excelentes. Mas não são sobre sistemas operativos, hacking, defacements e afins, por isso suponho que quase ninguém os vai ver... :(


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2)
    por Branc0 em 14-08-02 14:11 GMT (#22)
    (Utilizador Info) http://www.syners.org
    Mas abrir o artigo é giro... dá-me a oportunidade de assistir a violência gratuita...

    Deve haver qualquer coisa com o leitão que sempre que oiço alguém falar dele dá-me sempre uma vontade enorme de rir... se eu não abrisse o artigo teria que ficar aqui casmurro no trabalho com uma porcaria de ar condicionado que já deu o que tinha a dar :)


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2)
    por TarHai em 14-08-02 14:46 GMT (#27)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    Nao compreendo de onde vem tanta animosidade para com o Leitao.

    Se chegares a fazer o manifesto nao te esquecas de contextualizar devidamente, para que todos nos possamos perceber exactamente o que se passa.

    Eu dava +10 ao Leitao. Nao e todos os dias que se consegue uma explosao deste tipo... ainda por cima aparentemente sem querer.

    ---
    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2)
    por leitao em 14-08-02 15:06 GMT (#29)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Nao compreendo de onde vem tanta animosidade para com o Leitao.

    :-) Eu percebo... mas nao vou dizer.


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:I can't fucking believe it! (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 15:37 GMT (#34)
    (Utilizador Info)
    Por essa lógica, quem realmente provocou a "explosão" foi o Mário Valente... :)


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    ???? (Pontos:1, Redundante)
    por mlopes em 14-08-02 12:10 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    Mas o que é isto? Com 43 artigos pendentes (já sei que "blá blá blá e esse numero não corresponde à realidade blá blá blá") não tinham nada mais interessante para publicar do que uma lavagem de roupa suja?

    Existe uma coisa chamada comentários e um link na palavra "responder" por baixo de cada comentário, que deveria servir para fazer o que está a ser feito aqui!

    If you don't have time to do it right, where are you going to find the time to do it over?

    Foda-se! Esta merda e publicada ? (Pontos:0, Interessante)
    por Anonimo Cobarde em 14-08-02 12:46 GMT (#6)
    Estou eu e mtos de nos aqui com artigos muito mais interessantes para serem publicados...
    Nao me dou mais ao trabalho de propor artigos...
    Cr0m0s como o mvalente publicam artigos sobre coisas que ja foram extremamente discutidas...

    Tenham juizo... E assim que querem chamar os utilizadores ao site e novos utilizadores?

    Sim... porque se nao vieram novos... o Linux n pode crescer muito mais...

    fika!
    Re:Foda-se! Esta merda e publicada ? (Pontos:3, Interessante)
    por Dehumanizer em 14-08-02 13:05 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Agora repete isso com o teu utilizador registado, se é que o tens. Ou não tens coragem para tanto?


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Modéstia? (Pontos:3, Interessante)
    por Dehumanizer em 14-08-02 13:10 GMT (#9)
    (Utilizador Info)

    Tenho de concordar com o Mário aqui, pelo menos no essencial. O facto de ter lido Ayn Rand recentemente provavelmente também ajudou. :)

    Basta ver pela quote na minha assinatura que não acredito na modéstia (pelo menos na sua definição mais usual) como virtude. Já agora, a quote completa é:

    I cannot agree with those who rank modesty among the virtues. To the logician all things should be seen exactly as they are, and to underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers.

    Agora, o que é a modéstia? Primeiro, muita gente confunde modéstia com humildade. E não são a mesma coisa - modéstia refere-se à capacidade, enquando humildade (contrário de arrogância) tem a ver com importância.

    Para mim (e para o Sherlock Holmes, pela quote dele), a modéstia é ser-se X, saber-se que se é X, mas transmitir ao mundo que se é apenas uma fracção de X.

    Obviamente, "não vou nessa" - é algo que não faz sentido, não é lógico ou racional, é apenas algo "politicamente correcto", algo que se faz para não ofender/humilhar outros.

    Claro que há muita gente que, pegando na minha definição anterior, dirá "somos todos X, ninguém é melhor do que ninguém, e portanto quem não seja suficiente modesto está a ter a ousadia de se considerar melhor do que os outros."

    Obviamente, não concordo com isso - posso assumir que temos todos a mesma importância (não tenho o direito de sacrificar os outros a meu proveito - nem obrigação de me sacrificar pelos outros), mas nunca vou aceitar que temos todos as mesmas capacidades. Alguém que ache isso 1) quer artificialmente subir ao nível de quem é bem melhor, e/ou 2) recusa-se a abrir os olhos para a realidade.

    Repare-se também que não estou a falar de "raças/nações/grupos superiores" ou de baboseiras semelhantes, refiro-me apenas a indivíduos melhores ou piores, com mais ou menos capacidades.

    Há ainda quem vá mais longe e ache que ao sermos (ou admitirmos que somos) melhores do que seja quem for, ou do que a "média", estamos a ser cruéis e desumanos, porque isso "inferioriza" quem não o é. Não há resposta possível a isso, para mim, a não ser abanar a cabeça...

    Estou-me a afastar um pouco, mas a minha conclusão é esta: reduzirmo-nos NÃO é bom. Devemos, todos, ver-nos a nós próprios exactamente como somos, sem nos afastarmos da realidade tanto para "baixo" como para "cima". Qualquer afastamento dessa realidade é uma mentira, mesmo que seja com uma intenção que a sociedade actual considera "boa".

    Repare-se que com isto tudo não quero dizer que ache certo andarmos por aqui a apregoar as nossas qualidades aos quatro ventos, ou coisa parecida - isso não é falta de modéstia, é mais um sintoma de insegurança. :) Mas nunca nos devemos reduzir (ou exagerar).


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes

    Re:Modéstia? (Pontos:2)
    por leitao em 14-08-02 13:45 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Obviamente, "não vou nessa" - é algo que não faz sentido, não é lógico ou racional, é apenas algo "politicamente correcto", algo que se faz para não ofender/humilhar outros.

    Claro que há muita gente que, pegando na minha definição anterior, dirá "somos todos X, ninguém é melhor do que ninguém, e portanto quem não seja suficiente modesto está a ter a ousadia de se considerar melhor do que os outros."

    Nao, nao... nao tem nada a ver com "somos todos X". Tem a ver sim com boa "gestao pessoal" -- ser modesto nao e' te reduzires (i.e., fraccionar o teu valor) mas sim reconheceres que o teu valor na maioria dos casos depende inteiramente do valor dos outros.

    Os verdadeiros grandes (Isaac Newton, Richard Feynman, Robert Oppenheimer, Paul Erdos, Srinivasa Aiyangar Ramanujan, etc.) reconheceram este facto e brilharam. Os que nao o fazem fecham-se na sua concha e arranjam este tipo de argumentos para defenderem o seu proprio ego inflacionado.

    Regards,


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:Modéstia? (Pontos:2)
    por js em 15-08-02 18:26 GMT (#60)
    (Utilizador Info)
    "Para mim (e para o Sherlock Holmes, pela quote dele), a modéstia é ser-se X, saber-se que se é X, mas transmitir ao mundo que se é apenas uma fracção de X.

    A tua descrição tem duas partes e ambas têm problemas terríveis.

    Primeira parte: Ser-se X e saber-se que se é X.

    Salvo situações excepcionais, é muito difícil saber-se o que se é. Por exemplo, é muito fácil saber-se que se é o recordista mundial dos 100m (pois existem registos exaustivos), mas é muito difícil saber-se que se é o autor dum bom poema ou que se é um mecânico auto acima da média. No caso do poema, a avaliação é subjectiva, e no caso no mecânico simplesmente não há dados para saber, pois não há nenhuma estatística da qualidade dos mecânicos auto do Mundo.

    Aquilo que se faz é avaliar mais ou menos o que se é olhando para o que se conhece. Um gajo considera-se bom ou mau numa certa coisa comparando-se com os exemplos que encontra à sua volta. Por exemplo, um compositor de música pode considerar-se bom comparando-se com exemplos que conhece (e apoiando-se em opiniões que considere de confiança). No entanto, basta o compositor entrar numa loja de CDs para se aperceber de que não tem a mínima hipótese de conhecer mais que uma ínfima porção dos trabalhos de composição realizados. Se o compositor for sábio entende isto, e se for prudente evita avaliar-se como "bom" porque simplesmente não tem dados para o fazer.

    Ou seja, na maior parte dos casos é impossível saber-se que se é X. É giro pensar na relação entre isto e o provérbio: "Em terra de cegos, quem tem um olho é rei"!

    Segunda parte: Transmitir-se ao mundo que se é apenas uma parte de X.

    Isto para mim traduz uma confusão importante, pois não considero este elemento como parte do problema. Ou, se se relaciona com o problema, a relação acaba por ser inesperada...

    Suponhamos que, apesar das dificuldades da primeira parte, temos um caso em que o indivíduo é X e sabe que é X. O mais certo é que o Mundo se esteja a cagar para isso, portanto é pouco inteligente dizer ao Mundo que se é X. Imagina o pouco interesse que terias na conversa dum amigo que passasse a vida a dizer-te que ele teve nota X no exame Y, que teve X propostas de trabalho com salários bestiais, que conseguiu engatar a filha da namorada e andar com as duas ao mesmo tempo, que foi o melhor na demonstração de Aikido do clube, enfim, que passasse a vida a falar dele próprio...! Na verdade, a gente quase nunca tem interesse no que as pessoas dizem de si próprias. Aliás, dizem os sociólogos que a maioria do tempo de conversa é ocupada com mexericos, ou seja, com comentários sobre *outras* pessoas -- não sobre as próprias!

    A situação que descreves na tua frase não é modéstia. É estupidez (se a comunicação (a segunda parte) for feita a despropósito), ou hipocrisia (se a comunicação for feita num contexto apropriado).

    Suponhamos então novamente que um gajo é X e sabe que é X. Ser modesto é ficar-se por aí, comunicando a coisa apenas às pessoas que ele sabe antecipadamente que têm interesse em saber -- orientando a decisão de comunicar ou não pelo interesse *dos outros*, em vez de pela necessidade de satisfação da própria vaidade.

    Claro que é muito difícil saber de antemão se uma coisa interessa aos outros ou não, mas isso é outra questão. O ponto importante aqui é que o procedimento correcto ("virtuoso") é orientar a decisão pelo interesse (suposto) dos outros. Este tipo de atitude é, afinal, um componente duma coisa mais geral, a que eu chamo "respeito".

    Pode calhar o indivíduo em causa ficar envolvido numa situação em que se torna evidente que o assunto "ele ser X" interessa aos outros (o caso mais evidente é uma pergunta directa). Nesse caso, claro que a coisa correcta a fazer é dizer que se é X e não mentir. Mentir seria uma hipocrisia despropositada. No fundo, esta atitude não tem nada a ver com o problema da modéstia. Esse problema foi ultrapassado por outra coisa mais importante: O interesse que *os outros* têm em saber que "o indivíduo é X".

    Em suma, não considero que ser modesto seja proceder como descreves. A tua descrição é muito incompleta (pois não tem em conta o interesse dos outros na informação) e tremendamente enganadora. O que descreves é hipocrisia e não modéstia. Ou se calhar nem hipocrisia é -- é apenas cretinice!

    Há outra maneira de abordar o problema. A modéstia é uma atitude e não uma acção. Ou seja, a mesma acção pode ser modesta ou não, dependendo da atitude de quem toma a acção. Exemplifico com uma história:

    A história era muito conhecida no meio xadrezistico lisboeta há uns 15 anos. Nunca soube se era real, mas não interessa. Passa-se num avião, e sentado ao lado dum conhecido xadrezista nacional (vou chamar-lhe Manuel) estava um gajo com um tabuleiro de xadrez, a ler uma revista de xadrez e a reproduzir um jogo no tabuleiro. Como a viagem era longa e o vizinho tinha interesse óbvio no jogo, o Manuel perguntou ao desconhecido se ele queria jogar um jogo. O desconhecido concordou. Então o Manuel disse-lhe que, para ser honesto, ele não era amador; tinha sido campeão num torneio regional em Portugal, pelo que se ele fosse amador, se calhar o jogo ia ter pouco interesse. E o desconhecido disse que também não era amador, e que já tinha sido campeão do Mundo...

    A história termina aqui, mas podemos aproveitá-la para o nosso tema: Se a atitude do Manuel era modesta, ele deve ter ficado todo contente por ter uma oportunidade de jogar com alguém tão forte, mas se a atitude dele era orgulhosa, deve ter ficado tão satisfeito como se lhe despejassem uma banheira de água gelada pelas costas abaixo!

    Por vezes é muito complicado distinguir entre modéstia e hipocrisia. Outras vezes é muito complicado saber se alguém está a ser modesto ou não. Mas nesta história o Manuel pode saber imediatamente em que situação ele próprio estava! Apesar de nós não sabermos...

    Re:Modéstia? (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 16-08-02 13:17 GMT (#63)
    (Utilizador Info)
    Excelente resposta... mais logo respondo-lhe "a sério".


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:Modéstia? (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 13:56 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Claro que tenho. E por ser fictício, tudo o que "disse" deixa imediatamente de ter qualquer valor?


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:Modéstia? (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 14:47 GMT (#28)
    (Utilizador Info)
    Acredites ou não, eu cheguei mesmo a pensar em incluir um

    (*) Sim, eu sei que o Holmes é um personagem fictício! :)

    no post... mas depois pensei "nááá... ninguém ia pensar que eu..."

    Mas pronto, ambos nos enganámos em relação ao outro... tu pensaste que eu desconhecia o carácter ficítio do personagem, e eu pensei que tu querias dizer que um personagem não real nunca poderia em caso algum "dizer" algo com relevância para a vida real. We were both mistaken. :)


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:Modéstia? (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 16:32 GMT (#41)
    (Utilizador Info)
    Não preferes umas Guinesses? :)

    Ah, e não é como dantes, é *mais*. Apesar de não fazer a mínima ideia de quem és. :)


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:Modéstia? (Pontos:2)
    por mlopes em 14-08-02 15:25 GMT (#31)
    (Utilizador Info)
    De qq modo a frase existe e se é atribuida ao Sherlock Holmes então provávelmente tem origem no seu autor Sir Arthur Conan Doyle!

    If you don't have time to do it right, where are you going to find the time to do it over?

    Moderação (Pontos:3, Interessante)
    por Gimp em 14-08-02 13:13 GMT (#10)
    (Utilizador Info)
    Que peixeirada...olha, porque não haver também moderação nos artigos aceites?


    "No comments"

    Será então uma vantagem? (Pontos:2)
    por Psiwar em 14-08-02 13:47 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://www.netcode.pt
    Na sequência do excelente post do dehumanizer (não aquele de 1 linha que foi considerado interessante mas o outro mais extenso que é verdadeiramente interessante), fica o seguinte no ar:

    Tendo em conta que uma esmagadora maioria das pessoas, quer por questões religiosas, quer por questões filosóficas, ou simplesmente por acreditar em ditados, considerar que ser modesto é uma virtude, não classifica automaticamente esta capacidade como vantajosa?

    Ou seja, se uma pessoa, ao demonstrar um certo grau de modéstia, o ajudar a interagir melhor com as pessoas e a resolver os problemas, não passa a modéstia a ser uma virtude por estar a ser usada por uma pessoa virtuosa e com mais capacidades?

    Logo, considero a modéstia uma virtude, apenas pelo facto de aproximar pessoas que à partida não estão ao mesmo nível. Isso só por si evita divisões e conflitos desnecessários que iriam surgir pela falta de comunicação entre um ser "inferior" e um ser "superior". E como tem todos que viver no mesmo planeta, é bom que se entendam...


    o email existe ou nao? (Pontos:1)
    por jorgelaranjo em 14-08-02 14:18 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://fueg0.tk/

    Apenas para dizer o seguinte:
    Eu e o André Simoes tivemos uma discussão aqui.
    Como aquilo já estava demasiado grande e já só nos interessava a nós ... passamos a trocar emails e não viemos para o GILDOT encher isto de posts.
    Dá que pensar, ou não ?



    Cumprimentos,
    Jorge Laranjo
    01100110 01110101 01100101 01100111 00110000
    http://fueg0.tk
    Re:o email existe ou nao? (Pontos:2)
    por mlopes em 14-08-02 15:35 GMT (#32)
    (Utilizador Info)
    Fizeste mal, vês!!!! Devias ter submetido um artigo para continuar uma discussão que já não interessava nada a ninguêm!

    Agora a sério, se todos fizessemos isto e se os editores aprovassem imparcialmente os artigos então qq dia mais valia o Gildot mudar de nome para "A Travessa do Cotovelo Dot" - "Noticias sobre cusquices, vizinhas a discutir à janela e não só...."!!!!

    If you don't have time to do it right, where are you going to find the time to do it over?

    Re:o email existe ou nao? (Pontos:2)
    por mvalente em 14-08-02 18:45 GMT (#46)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    Dá que pensar, ou não ?

    Dá. Se eu tivesse o email do js era o que tinha feito. Como nao tinha E achei que os leitores do Gildot poderiam beneficiar de um ponto de vista diferente e de algo mais do que linux, tecnologia e outros (e já que o Gildot inclui o "e não só...") resolvi submeter os links à aprovação de um outro editor.

    Pelos vistos o post foi aprovado. E pelos vistos há interesse no assunto. Apareceram algumas respostas bem mais interessantes do que noutros posts mais "l33t".

    Aos pobres dos ACs que têm sempre que protestar contra um Mário ou contra outro ;-) podia reagir com um "deixem lá então que não volto a postar nada que a vossa pobre inteligencia não atinja e mando antes por email". Seria certamente o que desejariam. Mas, afinal, não passam de pobres ACs. É ignora-los e nem lhes responder sequer. Quem quer lê; quem não quer não lê.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:o email existe ou nao? (Pontos:1)
    por jorgelaranjo em 14-08-02 20:04 GMT (#48)
    (Utilizador Info) http://fueg0.tk/

    Caro Mário, deixa-me tecer algumas considerações acerca deste teu post:

    "Dá. Se eu tivesse o email do js era o que tinha feito. Como nao tinha E achei que os leitores do Gildot poderiam beneficiar de um ponto de vista diferente e de algo mais do que linux, tecnologia e outros (e já que o Gildot inclui o "e não só...") resolvi submeter os links à aprovação de um outro editor."

    Não acredito que a tua pessoa, que trabalha com computadores à tanto tempo não consiga encontrar o email do js...
    Passou-te na ideia de postar apenas algo do tipo:
    "Js... escreve para o meu email?"??

    "Pelos vistos o post foi aprovado. E pelos vistos há interesse no assunto. Apareceram algumas respostas bem mais interessantes do que noutros posts mais "l33t"."

    Quando ao ser aprovado... não tenho nada contra, apenas que acho que é despropositado visto ter sido discutido à relativamente pouco tempo e visto terem surgido algumas novidades mais interessantes. Mas atenção, o que é interessante para mim pode muito bem não o ser para a restante comunidade.

    "Aos pobres dos ACs que têm sempre que protestar contra um Mário ou contra outro ;-) podia reagir com um "deixem lá então que não volto a postar nada que a vossa pobre inteligencia não atinja e mando antes por email". Seria certamente o que desejariam. Mas, afinal, não passam de pobres ACs. É ignora-los e nem lhes responder sequer. Quem quer lê; quem não quer não lê."

    Quanto à carapuça...
    cada um que a enfie quando fôr mais apropriado...
    enfiar a carapuça—: aplicar a si a crítica ou a censura que acaba de ser feita;

    E sim... a modéstia é uma virtude... mas como tudo... depende! Depende da sociedade em que estás inserido.... e até de outros factores.
    Se estiveres interessado em discutir tais factos... o meu email deve estar por ai.. no GILDOT



    Cumprimentos,
    Jorge Laranjo
    01100110 01110101 01100101 01100111 00110000
    http://fueg0.tk
    Re:o email existe ou nao? (Pontos:1)
    por jorgelaranjo em 14-08-02 20:43 GMT (#49)
    (Utilizador Info) http://fueg0.tk/
    E interessante é isto.. por exemplo.
    Mas o que é interessante para mim...

    Cumprimentos,
    Jorge Laranjo
    01100110 01110101 01100101 01100111 00110000
    http://fueg0.tk
    Re:o email existe ou nao? (Pontos:2)
    por leitao em 14-08-02 22:39 GMT (#53)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Por acaso, uma excelente noticia. Acho que o Norte de Portugal precisava ja' 'a uns tempos de um parque tecnologico/negocios como deve ser. Em Lisboa existem o Tagus Park e outros -- mas no norte nao conheco nada que os possa rivalizar.

    O que espero de facto e' que a ligacao entre as universidades/industria se faca como deve ser -- e' o ponto dificil, mas provavelmente o mais importante.

    Best Regards,


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:o email existe ou nao? (Pontos:1)
    por jorgelaranjo em 14-08-02 23:24 GMT (#54)
    (Utilizador Info) http://fueg0.tk/
    Só espero é que seja publicada aqui no GILDOT.
    Acho que daria uma boa discussão...
    Eu já submeti o artigo mas não tenho muitas esperanças que ele seja publicado em tempo útil, que seria um ou dois dias...

    Cumprimentos,
    Jorge Laranjo
    01100110 01110101 01100101 01100111 00110000
    http://fueg0.tk
    Disseram-me uma vez: (Pontos:2)
    por TarHai em 14-08-02 14:33 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    "If you cannot impress them with your brilliance, dazzle them with your bullshit"

    A modestia e isto, tirando a parte de "brilliance" e "bullshit".


    ---
    Re:Disseram-me uma vez: (Pontos:2)
    por leitao em 14-08-02 15:08 GMT (#30)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Brilhante!


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:Disseram-me uma vez: (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 15:36 GMT (#33)
    (Utilizador Info)
    A questão da modéstia NÃO tem a ver com impressionar ou não seja quem for.

    Tem apenas a ver com darmo-nos *ou não* o nosso devido valor.


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:Disseram-me uma vez: (Pontos:2)
    por js em 15-08-02 17:17 GMT (#59)
    (Utilizador Info)

    Na minha opinião, modéstia não tem a ver com o valor que damos a nós próprios, mas com o propósito ou despropósito com que o ostentamos perante outros.

    Mas pode ser que esteja enganado. De facto, é inevitável que uma discussão desta natureza acabe dominada pela semântica, pois assim que se começam a aprofundar os conceitos descobre-se que cada pessoa usa as palavras com um significado diferente...

    Re:Disseram-me uma vez: (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 16-08-02 11:39 GMT (#61)
    (Utilizador Info)
    Pois, acho que tens razão quanto à questão da semântica. O que é modéstia para uns pode ser (por exemplo) humildade para outro, ou "meekness" para outro, ou...

    Para mim... bem, é melhor dar um exemplo.

    Se o Kasparov disser que é um grande jogador de xadrez, está a dizer a verdade.

    Se eu disser que sou um grande jogador de xadrez, é "false pride", é descrever-me como muito mais do que eu sou, e por isso é errado.

    Se o Kasparov disser que NÃO é um grande jogador de xadrez, está (para mim) a ser modesto... além de mentiroso... além de (no caso dele) ridículo.

    A é A. As coisas dizem-se como são, não nos devíamos desviar nem "para cima" (false pride) nem "para baixo" (modéstia?).


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Um reparo a mim mesmo (Pontos:3, Interessante)
    por js em 14-08-02 17:31 GMT (#45)
    (Utilizador Info)

    Nunca pensei que considerassem o tal post "excelente", ou mesmo "interessante"... de facto, o que sucedeu foi que eu pensei: Que raio, alguém deve ter *dito* que modéstia é uma virtude, e fui procurar no google. No entanto *não* encontrei nada que considerasse satisfatório. O link para a Catholic Encyclopedia é quanto muito a ponta de uma meada, pois lendo o que lá vem entende-se que a "modéstia" de que lá se fala (muito pouco, por sinal) talvez seja outra. Ali apenas se fala de modéstia como "algo relacionado com a virtude da Temperança" (essa sim, uma das 4 virtudes cardinais, junto salvo erro com a Justiça, a Coragem e a Sabedoria).

    Foi por isso que eu escrevi que a discussão podia ficar rapidamente dominada pela semântica. Depois limitei-me a fugir dos autores clássicos e a expôr atabalhoadamente o meu próprio ponto de vista.

    Por esta razão, e pela forma como o post acabou por ficar construído, ele pode ser entendido como uma "fraude intelectual": Faço uma citação "bombástica" com nomes como Platão e S. Tomás de Aquino, mas de facto a citação não é claramente favorável ao meu ponto de vista! É como se quisesse colar ilegitimamente, numa citação incorrecta, os nomes das "autoridades" ao meu ponto de vista...

    Claro que a intenção não foi essa, mas fica a parecer. O facto (surpreendente) de o meu texto ter tido tanto impacto preocupou-me, pois se calhar um conhecedor de Ética e dos trabalhos dos autores clássicos detecta ali um chorrilho de disparates... que podem ter passado despercebidos a quem não tenha lido o texto que citei com atenção.

    Enfim, aproveito agora para fazer este reparo.

    Ainda não li nada deste thread (e agora não tenho tempo)... mas já agora acrescento uma coisa que adivinho que anda para aí a ser mencionada: Modéstia não é, de forma alguma, sinónimo de hipocrisia! Ser modesto não implica ser hipócrita. Ser modesto é bom (digo eu) e ser hipócrita é mau. Curiosamente, a linha que divide os dois e' muito difícil de traçar, e se calhar depende mais da boa ou má consciência da pessoa do que de qualquer outra coisa. Ou seja, se calhar, a única pessoa capaz de saber se uma atitude é modesta ou hipócrita é o próprio indivíduo, ao "meter a mão na consciência"...

    Religião não! (Pontos:2)
    por js em 14-08-02 18:52 GMT (#47)
    (Utilizador Info)

    Ainda não li o thread, só agora li o artigo... e há um reparo importante a fazer:

    A bem da clareza do raciocínio, preferia deixar completamente de fora *qualquer* associação a *qualquer* religião. Mas claro que isso não significa ignorar o *pensamento* de pessoas religiosas! A referência a S. Tomás de Aquino deve ser entendida como a referência a um estudioso, não como a referência a um religioso. A referência a Platão foi escolhida em parte para marcar um afastamento da religião (nomeadamente cristã ou judaica), pois Platão dificilmente pode ser confundido com um Cristão ou Judeu...

    Eu não me considero religioso. Ou seja, não acredito numa entidade superior que tenha revelado seja o que fôr aos humanos. Mas a religião é uma parte da Cultura Humana. Portanto, acredito que as coisas ensinadas pela religião foram de facto escritas por seres humanos normais. Ora bem, é inegável que essas coisas 1) existem (os livros existem!), e que 2) têm um impacto importante na vida das pessoas (por isso é que integram algo tão poderoso como uma religião!). Assim, a minha tentação é para concluir que as *pessoas* que escreveram aqueles textos/ensinamentos "acertaram na mouche" -- ou pelo menos acertaram em algumas coisas importantes. Neste sentido, as coisas que a religião ensina não devem ser postas de parte à primeira. Muito pelo contrário, devem ser analisadas inteligentemente, e essa análise inteligente não pode deixar de ter em conta que aqueles ensinamentos foram já aceites por mais de cem gerações de seres humanos pensantes e inteligentes. Ou seja, é preciso ter um grande "caparro" para os deitar abaixo!

    A respeito do "homem de esquerda".... enfim, já me chamaram comunista e fascista, mas a maior parte das vezes chamam-me fascista... é muito raro dizerem que sou de esquerda! :^)

    Who're you gonna call? Ghostbusters! (Pontos:3, Interessante)
    por jmce em 14-08-02 23:47 GMT (#55)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/

    Estou sem pachorra para entrar a fundo no que por esta altura se deve ter transformado numa meta-conversa :-) e nem vou ler os outros comentários 8-], mas já agora não resisto por uma vez a atirar alguns cêntimos para o que parece mais uma sessão de pantufada Ayn Randismo versus outros-ismos (não que a maior parte dos ismos me convença muito nem que eu ache que tenho uma Solução Teórica Melhor Toda Minha (TM) (R)). No gráfico modéstia-versus-competência-e-outras-boas-qualidades há exemplos para preencher bem os quatro quadrantes (QUADRANTES no sentido GEOMÉTRICO, no gráfico). No gráfico altruísmo/egoísmo-versus-contribuição-para-o-bem-da-humanidade também. E a hipocrisia não é um elemento descartável: o que se diz-ou-teoriza e o que se faz não têm de coincidir. Bom, mas isto são banalidades. Adiante.

    A ética (e outras coisas...) judaica e a sucessora cristã não são sucessoras da platonista. A católica (e mais algumas releases revistas, conciliadas e platonizadas tutti-frutti do mesmo tema) sim, em parte. Claro que posso estar errado. Quem sou eu perante a ominisciência simplificativa da Deusa Rand. Rand dixit, it must be true, may our conscience live in peace, be selfish and have faith in thermodynamics and self-regulation in dynamic systems. Quanto a éticas e sistemas de valores fundamentais supostamente não "religion-oriented" provavelmente são, no fundo, tão "religion-oriented" (em termos da natureza das referências últimas, nem que seja por algum postulado de negação de tudo em que não se possa colidir com o nariz) como outra qualquer, embora gostem de mostrar o nariz empinado a insistir que não "porque parece mal e nós somos modernos, científicos e superiores a essas coisas" (o que deve ser um argumento do caraças tendo em conta algumas das sumidades que pouco mais apresentam para se fundamentar). O que quer que as éticas advoguem, dizer que o fazem com base estritamente ou predominantemente científica (Biologia? Física? Matemática? Economia?? Ciências (OUCH) sociais?!) parece-me tipicamente assinalar de forma bem marcada ou má ciência (quando não pura ignorância científica) ou má filosofia. Ou, com azar, pós-modernismo do mais assanhado. Sim, daquele capaz de usar linguagem (sorry, linguajar) de Relatividade e Mecânica Quântica para descrever o processo de criação artística, migalhas de Mecânica de Fluídos para explicar as relações entre os (ai) "Actores Sociais" e blá-blá psico-sociológico parra descrrreverr a forrrmação do Univerrrso.

    Enfim, como resumir a coisa? Entre outras fontes eruditas, parece-me que o melhor resumo dos novos fundamentos éticos foi o dado pelo Dr. Peter Venkman (numa obra curiosamente influenciada pelo platonismo):

    Back off, man. I'm a scientist.

    Pois.

    Re:Who're you gonna call? Ghostbusters! (Pontos:2)
    por leitao em 15-08-02 10:22 GMT (#57)
    (Utilizador Info) http://scaletrix.com/nuno/
    Muito bem dito... impecavel!


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:Who're you gonna call? Ghostbusters! (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 16-08-02 11:41 GMT (#62)
    (Utilizador Info)
    É um óptimo post... mas se calhar, se tivesses LIDO a thread, terias respondido à mesma, em vez de a um assunto completamente diferente, como fizeste. :)

    Mas suponho que também não vais ler isto, não é?


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:onde esta o animal? (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 16:13 GMT (#39)
    (Utilizador Info)
    Queres que ele responda a comentários tão inteligentes e produtivos como o teu? :)

    E, já agora, porque é que continuas a fazer reload a esta discussão? Será que, apesar das queixas, bocas, insultos, etc., estás assim tão interessado? :)


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes
    Re:onde esta o animal? (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 14-08-02 16:48 GMT (#44)
    (Utilizador Info)
    Nunca o vi na vida...


    "To underestimate one's self is as much a departure from truth as to exaggerate one's own powers"
    - Sherlock Holmes

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]