gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Site português "à la Kuro5hin"
Contribuído por npf em 10-07-02 8:17
do departamento novo-site
News samcruise escreve "Foi lançado, há alguns dias, um site colaborativo de informação e opinião. Chama-se Correspondente.net e pretende ser um espaço de publicação aberta e debate de ideias. O site baseia-se no modelo do site americano Kuro5hin (que alguns devem conhecer e que até tem sido falado aqui ultimamente) e é agora apresentado no Gildot!"

O que distingue este site dos outros semelhantes, que existem cá em Portugal, é o facto de ser a comunidade de utilizadores (aberta a todos) a enviar artigos e a decidir (votando) se os artigos enviados são, ou não, publicados no site. Portanto, é um funcionamento quase autónomo, sendo que os artigos podem ser de informação, opinião, crítica, reflexão, divulgação, até de estilo jornalístico (pretende-se que exista uma componente de jornalismo amador), etc.. Todos os artigos têm espaço para comentários e podem até ter votações.

Em Portugal já temos sites colaborativos como o Gildot, Nónio, O Cidadão, Akademia, etc.. Só que, no Correspondente, é a própria comunidade que vota nos artigos e espera-se também que os artigos sejam algo trabalhados e não-imediatistas (como no Kuro5hin). A ideia, assim, não é competir com os sites já existentes, mas sim proporcionar um novo espaço com características diferentes, até porque o Correspondente.net tem como orientação preferida os temas mais gerais.

O site vai ser acompanhado na perspectiva de uma investigação sobre jornalismo digital (ou informação digital), mas terá a continuação assegurada, assim a comunidade o queira. A questão da comunidade é uma incógnita. Será que isto resulta em Portugal? A única comunidade razoável que conheço é mesmo a do Gildot, não conheço outra assim tão dedicada e participativa.

É utilizado no site o software do Kuro5hin, que se chama Scoop e assenta sobre módulos de Perl, Apache e MySQL. Tentou-se simplificar a utilização do site ao máximo para não complicar a vida às pessoas não-tecnólogas (para já, até se tiraram as opções dos comentários) e está tudo traduzido para português (foi a primeira tradução do software Scoop), ao limite, para que o ambiente seja totalmente nacional.

Opiniões, críticas e questões são bem-vindas :-) "

[npf: e o resultado da tradução não volta à comunidade? ]

Modelo de negócio para o 7 arte | Queremos o nosso SPAM!  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Nónio
  • O Cidadão
  • Akademia
  • samcruise
  • Correspondente.net
  • Kuro5hin
  • Mais acerca News
  • Também por npf
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Comunidades (Pontos:5, Informativo)
    por ajc em 10-07-02 11:57 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Para começar, as nossas boas vindas para o novo site.

    A parte difícil começa agora: criar comunidade. Como eu expliquei na "História do Gildot" esse foi o nosso grande problema no início, e é provável que o seja para todos os sites deste tipo.

    Além dos exemplos citados - dos quais o O Cidadão parece estar morto - não se podem deixar de referir também o PTnix e o startux, que estão bem vivos.

    Quanto a saber se existe alguma comunidade de um site colaborativo mais forte do que a do Gildot a resposta é sim, basta ver o relvado.com (Disclaimer : é uma iniciativa comercial de empresas às quais estou ligado). O tem em média 5 vezes mais artigos e 3 vezes mais comentários que o Gildot, bem como 3 vezes mais utilizadores inscritos (1400 vs 4100)

    A parte mais curiosa da comparação Gildot vs Relvado é o facto do primeiro se dirigir a uma comunidade alvo imensamente mais pequena do que o segundo, mas ter custado mais ao relvado atingir massa critíca que ao gildot.

    Isto faz-me pensar que quanto mais generalista for o site, mais dificuldade tem em criar comunidade, embora tenha mais possibilidades de expansão. Por isso sites mais específicos têm vantagem no ínicio. Um caso extremo é o startux, que ainda é mais específico que o Gildot ou o PTnix, uma vez que trata só de Linux, e só de dúvidas. O startux foi um site que criou comunidade quase desde o primeiro dia. No entanto o crescimento destes sites está naturalmente limitado pela reduzida audiência alvo.

    Quanto ao correspondente.net, está na outra ponta da escala, por isso prevejo grandes dificuldades na criação de comunidade, mas se conseguirem, então o céu é o limite.

    Re:Comunidades (Pontos:4, Esclarecedor)
    por Gamito em 10-07-02 12:24 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://www.gamito.org/
    "Isto faz-me pensar que quanto mais generalista for o site, mais dificuldade tem em criar comunidade, embora tenha mais possibilidades de expansão."

    Isto leva-nos a outro ponto que é a dificuldade de gerir "a" comunidade (whatever this means).
    O startux.org por exemplo é muito arrumadinho e bem educado e eu pretendo que continue assim.
    Já no Gildot por exemplo é muuuuito mais complicado gerir a comunidade (whatever this means again) e sobram exemplos.

    Na minha opinião e da experiência que tenho destas coisas, quando se atinge a tal comunidade há vários aspectos que sobressaem, como por exemplo:
    1. O sentir por parte da comunidade que o site lhes pertence de facto. Uma má gestão da comunidade leva a tentativas (por virtuais que sejam) de takeover do site, ou melhor da sua linha de orientação.
    2. Começarem a existir diversas facções entre a comunidade com interesses distintos e que reclamam o seu share no site.
    3. A pressão sobre os editores do site num sentido ou noutro consoante o exposto no ponto 2.
    4. Como gerir os artigos que contenham matéria sensível. Por exemplo, denúncias de situações obnóxias :-) (têm fonte ? Não têm ? São credíveis ? Não são ? Que riscos se está disposto a correr ao publicar um artigo deste tipo ?). É complicado.
    5. Saber dar um murro na mesa quando o caos ultrapassa os limites definidos pela Organização Mundial de Saúde, por muito que custe à facção A ou B ou a todos. Em resumo, não ceder a aos princípios básicos do site, quer estes estejam apenas implícitos ou explícitos. A longo prazo dá mais lucro cortar a direito quando fôr necessário do que sucumbir à tentação das pressões para agradar a gregos e troianos.
    6. Por fim, ter sempre em mente que legalmente a publicação da submissão de um artigo é da co-responsabilidade de quem o escreveu e de quem o aprovou. os comentários já são da exclusiva responsabilidade de quem os escreve. Isto leva-nos de volta ao ponto 4.
    7. Ufff!
    Bem, boa sorte para o vosso projecto.

    Mário Gamito
    www.gamito.org
    Re:Comunidades (Pontos:2, Esclarecedor)
    por rollerball em 10-07-02 14:01 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    Antes de mais, quero dar-te os parabens pela tua analise. Está bem feita e demonstra bem a perspectiva de quem já sentiu esses aspectos na pele.
    No entanto , em relação ao ponto "1. O sentir por parte da comunidade que o site lhes pertence de facto. Uma má gestão da comunidade leva a tentativas (por virtuais que sejam) de takeover do site, ou melhor da sua linha de orientação" não percebi se o referiste como uma qualidade, uma qualidade com efeitos perversos ou simplesmente um defeito.
    Eu penso que é sem duvida uma qualidade e que é o auge que um site deste genero pode atingir! E penso que a comunidade querer orientar o site é o melhor que lhe pode acontecer. Claro que tem que haver quem agrupe as ideias da comunidade, papel que é normalmente desempenhado pelos editores. Assim o site manterá sempre a sua comunidade que é quem de facto "faz" o site.
    Chamo atenção que isto não está relacionado com ideais comunistas de propriedade colectiva pois eu até sou de direita, mas quando este site é feito por e para a comunidade o mais natural é ser a propria comunidade a decidir o seu caminho!

    Rollerball - The world most dangerous game !
    Re:Comunidades (Pontos:2)
    por Gamito em 10-07-02 14:48 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://www.gamito.org/
    Eu escrevi a tua citação com o sentido de ser algo de perverso.
    Devia ter escrito o "de facto" a bold.
    Um site tipo Gildot, IMHO é feito de e para a comunidade. Mas não lhe pertence.

    Mário Gamito
    www.gamito.org
    Re:Comunidades (Pontos:2, Informativo)
    por rollerball em 10-07-02 15:01 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Tudo depende do que considerares um site!
    Se estiver a falar de "scr1pts do slashcode que estão alojados e num servidor web com o dns gildot.org a apontar para lá", provavelmente tens razão. Mas este ponto é o unico em que a comunidade não é de facto dona do gildot!
    O gildot vale pelos seus comentários e pelas pessoas que os fazem, logo o unico proprietario possivel tem que ser uma entidade abstracta, neste caso a comunidade.


    Rollerball - The world most dangerous game !
    Re:Comunidades (Pontos:2)
    por Gamito em 10-07-02 19:11 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://www.gamito.org/
    NIMHO, o Gildot é dos seus fundadores.

    Mário Gamito
    www.gamito.org
    Re:Comunidades (Pontos:2)
    por nmarques em 10-07-02 20:49 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://morgul.xpto.org
    "O startux.org por exemplo é muito arrumadinho e bem educado e eu pretendo que continue assim. Já no Gildot por exemplo é muuuuito mais complicado gerir a comunidade (whatever this means again) e sobram exemplos."

    Er... o startux nao tem qualquer credibilidade, pelo menos depois de encomendar uma distro e nem sequer receber um mail de volta, simplesmente ignorado... se nao fazem shiping para o estrangeiro metem uma nota. De qualquer forma nao entendo o "Paradoxo Gamito", o homem defende a liberdade, seja la' o que isso for, chama "estupido" e afins em publico, e depois diz que e' dificil gerir a comunidade... um pouco de meditacao no assunto "mas serei eu melhor que eles ?" nao lhe fazia mal nenhum!... De qualquer forma, umas vezes promoves a liberdade e tambem a censura... Talvez por isso nao gostes de salazaristas, uma posicao dessas e tinhas a PIDE em cima :P Forte de Caxias ou Tarrafal!...

    --------------------------------------------
    If there is such a thing as too much power...
    I've not discovered it.../I
    Re:Comunidades (Pontos:3, Informativo)
    por Gamito em 10-07-02 21:10 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://www.gamito.org/
    Caro Nelson,

    Eu estive para nem responder, mas a ver se pomos um ponto final nas nossas flames cá vai:

    "Er... o startux nao tem qualquer credibilidade, pelo menos depois de encomendar uma distro e nem sequer receber um mail de volta, simplesmente ignorado..."
    Tu realmente encomendaste um RH (salvo erro) para a Holanda. Achas mesmo que iamos enviar ? Será necessário ter uma nota a dizer que não vendemos para o estrangeiro ?
    Realmente devia ter-te enviado um mail. Mea culpa.
    Quanto a achares que o startux não tem credibilidade, tenho pena.

    "chama "estupido" e afins em publico"
    Essa ficou-te atravessada. Salvo erro disse isso por desconheceres que qualquer militar eleito Presidente da República é automaticamente promovido a General (nem de outro modo podia ser, uma vez que é o Chefe Supremo das Forças Armadas), mas isto nem interessa para o caso.
    Em matéria de insultos no Gildot, quem estiver sem pecado que atire a primeira pedra.
    A mim, a coberto do anonimato já me chamaram bem pior.
    De qualquer modo, como te chamei estípido em público e ficaste ofendido, aqui deixo igual e publicamente o meu pedido de desculpas perante ti.

    "Paradoxo Gamito"
    Como não sei bem a que te referes, dou-te de barato que tenhas razão e apenas posso dizer que a contradição faz parte da natureza humana.

    Quanto aos meus gostos, nada sabes deles, pois mal nos conhecemos. Peço-te portanto que te escuses a adivinhá-los.

    Bem, espero que entendas este mail como tendo sido escrito de boa vontade e para encerrar de vez as nossas flames.

    Acho que ambos temos mais o que fazer.

    Mário Gamito
    www.gamito.org
    Re:Comunidades (Pontos:1)
    por SlickFox em 10-07-02 16:49 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    A parte mais curiosa da comparação Gildot vs Relvado é o facto do primeiro se dirigir a uma comunidade alvo imensamente mais pequena do que o segundo, mas ter custado mais ao relvado atingir massa critíca que ao gildot.

    Provavelmente isso tem a ver co o facto da comunidade do Gildot andar muito mais pela internet ... quase todos os dias aparecem utilizadores no Relvado a refilarem com os pontos que são atribuídos aos seus comentários, demonstrando um total desconhecimento do sistema.

    Depois a comunidade do Relvado não é nada exigente (basta ver o caso dos links do JN, são gerados erradamente à meses e ainda ninguém se mexeu) o que obriga os editores a terem uma participação quase marginal..

    Enfim, são duas comunidades diferentes, penso que não podem ser comparadas!

    Cumps
    Re:Comunidades (Pontos:1)
    por samcruise em 10-07-02 21:12 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Já estive a ler por alto a vossa "História do Gildot" e realmente lá está o problema a resolver: haver uma progressão em onda que motive os pioneiros e que seja apanhada pelos seguintes para gerar massa crítica... Que é complicado, já percebi :)

    O facto de ser generalista pode realmente tornar a evolução mais complicada, mas não iria querer fazer algo semelhante aos (bons) sites que já existem. A perspectiva é haver um site no qual se possa escrever e discutir temas que, sobretudo, não aparecem nos já existentes, com a política, a cultura, os Media, o Mundo, etc.. E mesmo nas áreas em que há sobreposição com o Gildot, Nónio e outros (ex: Net, Tecnologia, Ciência, etc.) que a abordagem seja diferente, ou seja, dirigida a um público menos conhecedor. O caso do relvado.com (que não conhecia) é muito interessante, mas uma vez atingida a tal massa crítica não me admira que seja muito frequentado. Afinal, o país quase não vive sem futebol :)

    Não conhecia também o startux, mas mesmo comparando com o PTnix (já muito técnico), acho que o Gildot tem um volume de posts/comentários bastante superior em média. Com a diferença importante dos seus utilizadores variarem muitas vezes para temas que só superficialmente são técnicos. Sei de outro site que utiliza um software deste género que é o www.bubix.net mas também o ritmo não é muito grande. É o velho dilema entre ter pouco ou ter um volume exagerado de comentários que a certa altura já nem se lêem (como o Slashdot e por vezes o Kuro5hin).

    Em termos de balanço, e como exemplo da progressão da comunidade, o site deve ir já acima dos 150, 160 (não tenho agora os números, mas é uma estimativa por alto) utilizadores registados, o que é muito bom (denota curiosidade). A participação ainda tem uma taxa baixa, mas encorajante. No entanto, hoje já se começam a notar efeitos sobretudo nos comentários. Isto penso, devido à divulgação no Gildot, newsgroups, etc., junto de pessoas que gostam de discutir e escrever na Net.

    Já agora, um obrigado pelos diversos comentários. O filtro e as análises do Gildot são sempre importantes :)
    Comunidade sim, Comunidade não... (Pontos:2, Interessante)
    por vd em 10-07-02 16:57 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    npf: e o resultado da tradução não volta à comunidade?

    Muito bom comentario...

    Cumprimentos,
    vd
    Resultado do software traduzido (Pontos:1)
    por samcruise em 10-07-02 21:37 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    [npf: e o resultado da tradução não volta à comunidade? ]

    Bem, o site foi desenvolvido com a última versão stable do Kuro5hin. Já não é bem a que está no site, mas também não quis arriscar perder algum tempo com bugs eventualmente complicados. Do que falei com os principais developers (rusty, hurstdog,...) a combinação que lhes sugeri e tem ainda de ser oficializada, é este software utilizado no Correspondente.net vir a ficar disponível a pedido para quem quiser. Isto para evitar uma proliferação de sites com forks no código e versões antigas, que eles não gostam muito.

    No caso do Correspondente, como a próxima versão do Scoop ainda estava longe, eles gostaram da ideia da tradução mas acharam que era complicado fazê-lo em pouco tempo e sugeriram usar até outro software, o Drupal, que tem algumas semelhanças e suporte para línguas. Mas, decidi mesmo assim avançar com o Scoop, com umas dicas da parte deles, porque dava garantias de estabilidade e era exactamente o modelo que procurava.

    Quanto ao Scoop, neste momento está a ser alterado para poder incorporar traduções e, aqui, é que entra esta nossa experiência em termos de código mais tricky para traduzir, algumas modificações especiais a fazer, etc.. Guardei umas notas ao longo do processo, para agora poder contribuir para o projecto de tradução do Scoop. É a forma de retribuição por ter um software tão cool à disposição!

    Em resumo, se alguém quiser construir um site já, poderá (com o acordo dos developers do Scoop) pegar no código, mas o procedimento encorajado é utilizar a próxima versão do Scoop.


     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]