gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Resultados das Eleições do FreeBSD
Contribuído por npf em 26-06-02 14:15
do departamento do-comité-de-eleições-no-freebsd
Free BSD MavicX escreve "De acordo com uma noticia do Daemon News as eleições para o FreeBSD core team já terminaram e os resultados já foram publicados.

Mas mais do que os resultados este post serve para explicar o processo de desenvolvimento do FreeBSD e como ele difere do Linux. A chamada Core Team é quase como um concelho de administração do FreeBSD são eles que decidem o que vai ser o FreeBSD. De dois em dois anos existem eleições para esse orgão maximo, e quem pode votar são os varios contribuintes ( committers ) do FreeBSD, que são 341 . Este ano á votação apresentaram-se 22 candidatos sendo apenas eleitos 9. aqui ficam os resultados"

Re-eleitos:
* Greg Lehey
* Warner Losh
* Robert Watson
* Peter Wemm

Novos eleitos:
* John Baldwin
* Jun Kuriyama
* Mark Murray
* Wes Peters
* Murray Stokely

Um português na LinuxTag 2002 | Duvida ligação de uma jukebox a um servidor Linux  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • noticia
  • Mais acerca Free BSD
  • Também por npf
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Rumo a um FreeBSD melhor (Pontos:1)
    por hununu em 26-06-02 14:24 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://dequim.ist.utl.pt
    Com este estilo democrático, quiçá um pouco burocrático demais, FreeBSD terá sempre um rumo que interessa a quem nele participa e não o que interessa a empresas. Esta é a diferença do FreeBSD para quase todos os outros SOs (não confundir com kernels).

    Força FreeBSD :)


    hununu, LTI-DEQ@IST, Portugal
    Todos tem o mesmo peso, mas... (Pontos:2)
    por MavicX em 26-06-02 15:53 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Existem algums nomes que se destacam. Desde a saida de um dos mentores o Jordhan Hubard para o darwin project. O principal nome é o do Robert Watson um investigador da DARPA podem ver mais sobre ele aqui:

    http://election.uk.freebsd.org/candidates.html#rwatson

    Pedro Esteves

    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:1)
    por freax em 26-06-02 18:40 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://guilherme.host-valley.com
    Talvez seja porque não se consegue fazer dinheiro com o freeBSD como se faz com o linux

    Não é bem assim. Para negócio, talvez a licença do FreeBSD seja melhor já que podes fechar o código e vender tal como a Microsoft fez com algum código.

    []'s
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:3, Informativo)
    por vaf em 26-06-02 18:53 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    De facto o esquema de desenvolvimento do FreeBSD tem algumas vantagens, senão mesmo quase só vantagens, nisso concordo plenamente contigo. Os problemas (que justificm e menor visibilidade do FreeBSD) são outros.

    NMO, primeiro vem a licença. A "BSD license" permite que os trabalhos derivados se fechem, isto é, não obriga a que todos os trabalhos derivados se mantenham livres. Isso pode parecer um pormenor que não tem nada a ver com o facto de haver menos gente "à volta" (menos "aroundware"), mas torna-se um factor decisivo na altura de decidir investir num desenvolvimento que se sabe à partida que pode vir a ser fechado e aproveitado sem qualquer crédito à comunidade, por oposição a um desenvolvimento GPL, em que sabemos que todos podem vir a beneficiar dele, mas ninguém o pode fechar.

    O Mozilla, o OpenOffice, o XFS e outros investimentos empresariais no Software Livre não seriam possíveis com a licença BSD.

    Este pequeno pormenor leva não só a que os tais grandes pensem duas (ou três) vezes antes de contribuirem, como também leva pequenos individuais a escolherem outra licença para o seu código ou simplesmente não contribuir para código BSD.

    Outro problema, NMO derivado deste, é que o BSD é menos acessível. Certamente que há espaço para todos os tipos de nicho de mercado, desde o end-user ao supra-sumo da tecnologia. O que isto quer dizer é simplesmente que acaba por estar num nicho menos acessível e isso traz menos gente, só isso.

    Outra coisa discutível é a integração entre a distribuição e o desenvolvimento dos vários pacotes específicos, como o kernel. Terá vantagens prácticas, como a facilidade de administração da distribuição, mas parece-me talvez um pouco limitador. Por norma acho que prefiro a separação entre a distribuição/empacotamento e o desenvolvimento. Não estou totalmente certo quanto a este ponto.

    Mas de facto, o FreeBSD tem uma grande vantagem que é o seu modelo de desenvolvimento, que me parece ser muito melhor que o do Linux. Aliás, este é o principal problema do Linux (kernel) neste momento. Um modelo com uma core team eleita de entre os seus pares, parece-me um esquema bem melhor e mais ""democráctico"".

    É certo que a equipa que tem poder decisório sobre o que entra ou não entra no código tem de se manter pequena sob pena de perder o controlo, mas não tem é de ser sempre a mesma. Gosto muito do Linus, mas aprecio um pouco mais de "democracia". Democracia não será o melhor termo, mas acho que se entende.
    Pergunta (Pontos:2)
    por raxx7 em 26-06-02 19:26 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    O modelo de desenvolvimento do FreeBSD é catedral ou bazar?

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Pergunta (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-06-02 21:09 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    Boa pergunta. Acho que se pode dizer que é uma catedral aberta. Mais ou menos como o Emacs.


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:1)
    por Mulder3 em 26-06-02 22:15 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    É certo que a equipa que tem poder decisório sobre o que entra ou não entra no código tem de se manter pequena sob pena de perder o controlo, mas não tem é de ser sempre a mesma. Gosto muito do Linus, mas aprecio um pouco mais de "democracia". Democracia não será o melhor termo, mas acho que se entende.
    Concordo, mas repara, se isso fosse no Linux, o Linus fazia sempre parte da core team, quer o elegessem ou não, ele tomaria sempre as decisões, o Linus detem o nome/marca Linux, não sei quem detem o nome FreeBSD, mas deduzo que quem detem o nome/marca do FreeBSD tem sempre o poder de decisão final... ou estou enganado?
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:2)
    por vaf em 27-06-02 18:37 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    deduzo que quem detem o nome/marca do FreeBSD tem sempre o poder de decisão final... ou estou enganado?

    Acho que estás enganado. O poder de decisão sobre o que entra ou não entra é mais solto e oficioso do que parece. Ninguém te impede de fazer uma bifurcação no desenvolvimento e tomares tu as opções a partir daí, afinal estamos a falar de alterações a ficheiros de texto. A única coisa que pode acontecer é o Linus não te deixar chamar a esse fork "Linux", mas isso talvez não seja o essencial.

    A questão tem mais a ver com aquilo que se assume ser o kernel. Neste momento assumimos que o kernel a usar é o do Linus, mas poderíamos amanhã achar que o que conta é um dos experimentais que existem (directoria people/ no ftp) paralelamente.

    O problema é que começa a existir uma pressão para que as coisas mudem. E se essa pressão for suficientemente grande (ainda não é), corre-se o risco de haver um desses forks e a consequente imagem externa de descoordenação e duplicação de esforços. (Será só imagem?...)

    Convém ainda distinguir entre releases paralelas e um fork. Uma release/árvore paralela vai acompanhando a original e mais tarde ou mais cedo faz uma fusão entre o código das duas, como acontece com os kerneis experimentais do Alan (se ainda os fizer, já não sei...) ou doutros. Um fork é uma mudança de direcção em que as duas cópias evoluem por caminhos diferentes não se encontrando mais.

    Se bem me lembro o principal problema da antiga licença da biblioteca QT é que não permitia este tipo de liberdade, o de bifurcar o desenvolvimento.
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:1)
    por hununu em 27-06-02 0:34 GMT (#13)
    (Utilizador Info) http://dequim.ist.utl.pt
    Outra coisa discutível é a integração entre a distribuição e o desenvolvimento dos vários pacotes específicos, como o kernel. Terá vantagens prácticas, como a facilidade de administração da distribuição, mas parece-me talvez um pouco limitador. Por norma acho que prefiro a separação entre a distribuição/empacotamento e o desenvolvimento. Não estou totalmente certo quanto a este ponto.

    Se achas limitador gerenciar 300 máquinas à distância sem ter de mexer o cu da cadeira, ao invés de ires meter 300cds com a *nova* distro de linux _por cima_, não sei o que diga :)

    De linux, só tenho interesse neste momento brincar com o gentoo. Porquê? Porque tem a abordagem que todos os SOs deviam ter deste tipo. Upgrades totais sem estragar configurações, com opções ao utilizador, *a partir da source*.

    E porquê linux? Porque quero aproveitar as últimas novidades de Samba que me são necessárias :-) Sim, é essa a única razão.

    Coisas como winbind e ACLs não existem ainda como opção em FreeBSD. Apenas ACLs com o FreeBSD-current (próximo 5.0). No entanto, tive a falar com o responsável do port do samba e ele disse-me q já se tem falado da necessidade cada vez mais premente de implementer ao nivel de nsswitch o que falta para o winbind.

    Como nota final, só quero dizer que apesar de todos os prós e contras, cada um deve usar o que precisa e essencialmente, o SO com que trabalha *melhor* e com o qual lhe dá mais *gozo*.

    Não há um SO perfeito, assim como não há carros perfeitos. Podes ter o $ todo o mundo, e podes gostar tanto de um carrera gt2 que não gastas mais $ num Bentley :)

    hununu, LTI-DEQ@IST, Portugal
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:2)
    por vaf em 27-06-02 18:42 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    Se achas limitador gerenciar 300 máquinas à distância sem ter de mexer o cu da cadeira, ao invés de ires meter 300cds com a *nova* distro de linux _por cima_, não sei o que diga :)

    Eu não disse isso. Eu disse que talvez fosse limitador serem as pessoas/organização que fazem do desenvolvimento os mesmos a fazer a distribuição.

    O facto de algumas (ou a maioria das) distribuições não te permitir fazer isso, é apenas uma limitação delas, não do modelo separado desenvolvimento<->distribuição que eu prefiro. Aliás, se não me engano, a Debian permite fazer o que dizes.
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:2)
    por raxx7 em 26-06-02 19:52 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/

    Qualquer destas pessoas eleitas tem mais anos anos disto do que o linus e o puto brasileiro juntos.

    A junventude dos rapazes é tudo o que tens a criticar?

    Só tenho pena que não exista a hype toda que existe em torno do Linux e o numero de programadores que o markting consegue obter.

    O hype, o marketing e o interesse comercial só surgiram porque o Linux já era popular. Pergunta-te a ti próprio porquê...

    Talvez seja porque não se consegue fazer dinheiro com o freeBSD como se faz com o linux, com todas as distribuições a tentar sacar o maximo dos users e cada vez a serem menos free.

    O teu problema é confundires Free (livre) com free (grátis)...
    As distribuições comerciais de Linux não tiram nada ao Linux. Acrescentam ao que o voluntariado produz trabalho pago com os seus lucros. E muito desse trabalho pago acaba por ser disponibilizado gratuitamente.
    E porque é que não se consegue fazer dinheiro do FreeBSD? As distribuições de Linux têm de lidar com uma licença muito mais agressiva e conseguem-no.


    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:1)
    por Mulder3 em 26-06-02 22:25 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    Pah, mas o OpenBSD faz o mesmo, e digo-te mais, eu compreendo as razões que levam a suse/mandrake a não porem a isos na net, elas também não vivem de ar!
    Re:FreeBSD e algumas ideias (Pontos:2)
    por raxx7 em 27-06-02 1:49 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Mas essa é que é a beleza da coisa.
    Se eu quiser uma distro 100% grátis, baseada em software livre tenho Debian GNU/Linux -- embora a minha preferência pela Debian se deva muito pouco a isso -- tal como tenho o FreeBSD
    Mas se eu quiser algo "mais" e estiver disposto a pagar por isso também tenho: SuSE, RedHat, Mandrake. Elas usam métodos mais ou menos simpáticos para obter receitas e canalizam esse receitas para o seu produto. Sem o "mais" não há receitas e sem receitas não há o "mais".
    Dizem que isto viola o espirito do Linux. Mas que espirito é esse? Onde está escrito? Quem é o seu guardião?
    A verdade é que enquando as distribuições não violarem as licenças do software que contém, estão no seu direito.
    Afinal, são as licenças que ditam como é que os outro podem usar o software que fazemos. O criador do software deve escolher uma licença que adequada ao seu espirito. E se não o fizer, e confiar na boa vontade de outros em respeitar um espirito que ninguém sabe muito bem o que é, é burro.
    Portanto, se isto te incomoda, distribui o TEU software sob uma licença que evite isto e não contribuas para software que usa licenças que não o façam.
    E depois há sempre o beneficio extra: uma vez que as distribuições de Linux não existem isoladas, têm a necessidade de que o Linux evolua como um todo. Como resultado, parte das receitas comerciais acabam por resultar em desenvolvimentos disponibilizados gratuitamente.
    Mas acho que já me estou a repetir...

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Acerca das diferenças entre Linux e *BSD (Pontos:2, Informativo)
    por henrique em 27-06-02 3:26 GMT (#15)
    (Utilizador Info)
    A grande diferença entre o Linux e os *BSD, é que o Linux é um software político, enquanto que os *BSD não.

    A licença BSD deixa que qualquer indivíduo ou entidade se aproprie do código e use-o para fazer software closed-source. Num certo sentido, é uma licença um bocado burra mas, por outro, permite que coisas lindas como o MacOSX possam existir.

    Para a maioria dos utilizadores, o Linux é um sistema muito mais atraente do que os *BSD. Em primeiro lugar, porque não existe uma evidente vantagem tecnológica nos *BSD face ao Linux. Segundo, existem muito mais drivers de hardware disponíveis para Linux, assim como software.

    Re:Acerca das diferenças entre Linux e *BSD (Pontos:1)
    por henrique em 27-06-02 3:37 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Existe o mito de que o FreeBSD tem melhor desempenho do que o Linux. Os mais recentes benchmarks não confirmam uma supremacia do FreeBSD, mostrando que ambos os sistemas se equivalem. Um exemplo.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]