gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Ciberdúvidas vê luz ao fundo do túnel
Contribuído por scorpio em 30-04-02 9:59
do departamento dúvidas sobre ciberduvidas
Portugal Filipe escreve "Segundo este artigo da TSF, o futuro do «Ciberdúvidas da Língua Portuguesa» mantém-se incerto.
O encerramento estava marcado para hoje (terça-feira), mas as negociações com a Sociedade de Língua Portuguesa ainda não terminaram. "

Storewidth = Storage + Bandwidth | Som em Linux  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Filipe
  • artigo
  • TSF
  • «Ciberdúvidas da Língua Portuguesa»
  • Mais acerca Portugal
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    boas novas... (Pontos:4, Interessante)
    por cgd em 30-04-02 13:19 GMT (#1)
    (Utilizador Info)

    Ora eis uma boa notícia. Representa o "e não só" do lema do gildot, é actual, fresquinha e muito suculenta... Muito bem.

    Fico bastante, ou pelos menos razoavelmente, satisfeito, se o ciberduvidas se mantiver em actividade, no entanto, este é um dos casos sobre os quais convem reflectir: este tipo de serviços (leia-se: iniciativas, para generalizar), não devem estar dependentes de instituições casuais que se possam interessar, ou de "nichos de mercado" que nem se aplicam.

    Começa-se a formar uma classe média em portugal ,capaz de manter vivas determinadas iniciativas (como em cima). Para isso, é necessário que hajam instrumentos que permitam que isso aconteça. Por exemplo, era muito interessante, se todos os portugueses tivessem a oportunidade de deduzir no IRS, digamos, até um máximo de 50 contos por ano (à colecta), em contribuições para serviços de utilidade pública (ou semi-pública, ou outra classificação que fosse mais célere de avaliar e conceder). Os trabalhadores por conta de outrem, estão muito limitados no que e a quem, podem contribuir, obtendo proveitos com isso.

    No fundo, o estado deve é possibilitar a cada indíviduo que oriente uma parte das duas contribuições fiscais, para algo que seja útil e que lhe interesse. Talvez assim se acabassem com caça-ó-subsídio, comissões-de-avaliações-quem-dá-mais, et al... e dessa forma, talvez as coisas funcionassem melhor, houvesse mais karma para todos, e mais pessoal a ter pontos de moderação no gildot.

    cya


    -- carlos

    Re:boas novas... (Pontos:2)
    por leitao em 30-04-02 14:37 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://www10.brinkster.com/nunol/
    No fundo, o estado deve é possibilitar a cada indíviduo que oriente uma parte das duas contribuições fiscais, para algo que seja útil e que lhe interesse.

    Deves ser a unica pessoa do planeta que quer pagar mais impostos.


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:boas novas... (Pontos:3, Esclarecedor)
    por Strange em 30-04-02 14:45 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.yi.org/
    "Orientar" é diferente de "aumentar". "Contribuição" é diferente de "imposição".

    De que fala ele é de dedução nos impostos, que poderão ir para o que não nos interessa, de contribuições para o que nos interessa.

    hugs
    Strange

    Re:boas novas... (Pontos:2)
    por leitao em 30-04-02 16:08 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://www10.brinkster.com/nunol/
    ok -- nesse caso quem e' que vai definir as "boas causas" para onde os teus impostos vao ? Ou vai ser cada um escolhe a sua ?

    Tanto a "auto-seleccao" como a "pre-seleccao" teem problemas obvios (corrupcao, arranjinhos, etc) -- e e' por isso que os teus impostos devem ir para o *essencial* (saude, educacao) e nao para esquemas mirabolicos para fundear causas perdidas que nenhum privado quer financiar.

    Regards,

    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc
    Re:boas novas... (Pontos:2)
    por GdoL em 30-04-02 16:50 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://www.gazetadolinux.com
    Na Alemanha, o contribuinte escolha determinados fins para onde parte dos seus impostos devem ir. Tal como a percentagem destinada a apoiar entidades religiosas. Se o Estado deve apoiar estas entidades e' outra histo'ria.

    eBoX:email

    Leiam a Linux Gazette

    Re:boas novas... (Pontos:2)
    por leitao em 30-04-02 17:40 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://www10.brinkster.com/nunol/
    Nao deste um bom exemplo -- a alemanha e' tambem o pais europeu com a maior divida do estado em relacao ao GDP (mais que o Portugues com 58.10%/GDP).

    A alemanha tambem tem um dos maiores problemas de balanca orcamental da comunidade europeia -- pior que o de Portugal.

    Resumindo -- se na alemanha um esquema como descrito nesta thread nao parece estar a fazer muito bem 'as financas do estado -- achas que ia funcionar em .pt ?


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Re:boas novas... (Pontos:2)
    por GdoL em 30-04-02 19:52 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://www.gazetadolinux.com
    Mas quem diz que a divida de PT e' comparave 'a Alemanha? A Alemanha tem essa relacao fundamentalmente devido aos grandes invstimentos do estado na reconstrucao da Alemanha de Leste. Enquanto pt nao fizer o mesmo nas regioes atrasadas do pais, vide todo o pais com excepcao de LVT, nao compares. Divida devido a investimento e' uma coisa (DT) divida por ma gestao e' outra (PT)

    eBoX:email

    Leiam a Linux Gazette

    Re:boas novas... (Pontos:2)
    por leitao em 30-04-02 23:22 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://www10.brinkster.com/nunol/
    Concordo contigo -- mas nao e' bem assim. De facto a reconstrucao da alemanha do leste afectou consideravelmente a o equilibrio economico do pais -- mas existem muitos outros factores que adveem de pura azelhice economica:
    • a crise economica dos anos 70 e a reaccao do governo alemao da altura (imprimir mais dinheiro -- repara no efeito disto nos niveis de inflacao alemaes e europeus nos anos 70/80),
    • o efeito que esta politica teve na balanca comercial alema nos anos 70/80,
    • a forma como muitas empresas do estado foram privatizadas nos anos 80,
    • a estrutura economica alema (o que os alemaes chamam um "mercado enomico-social" -- uma boa contradicao de termos ;-)) e a forma como esta estrutura se adaptou 'a alemanha de leste.

    Sugiro a seguinte leitura: isto e isto.


    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc

    Falta de apoios (Pontos:1)
    por mvitorino em 30-04-02 20:51 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    Viva!

    "ok -- nesse caso quem e' que vai definir as "boas causas" para onde os teus impostos vao ? Ou vai ser cada um escolhe a sua ?"

    É isso. + ou -. Imagina que determinados projectos Web nacionais com qualidade e conteúdos inéditos concorrem ao estatuto de "site de interesse público certificada pelo Ministério X ou Y".
    A partir daí os investimentos dos cidadãos nesses projectos passariam a ser dedutíveis total ou parcialmente no IRS.
    Com um plafond máximo que é para evitar as "chico-espertezas" nacionais, claro.

    Podem é aqui haver contornos complicados em termos das directivas fiscais da União Europeia.

    um abraço,

    m i g u e l   v i t o r i n o, Blog

    Re:Falta de apoios (Pontos:2)
    por leitao em 30-04-02 22:46 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://www10.brinkster.com/nunol/
    De facto -- sim, nesse caso podia ser um bom esquema. Mas continuo a achar que algo como o Ciberduvidas deve ser suportado privadamente e nao com dinheiros publicos.

    Regards,

    echo '[dO%O+38%O+PO/d00]Fi22os0CC4BA64E418CE7l0xAP'|dc
    Re:boas novas... (Pontos:1)
    por joaobranco em 30-04-02 17:42 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Neste momento já podes deduzir os donativos que fazes a instituições de solidariedade, e outras de utilidade pública no teu IRS (estatuto do mecenato) e ainda acrescida em certos casos. O limite não é muito grande, penso, mas não consegui encontrar online qual o valor exacto total de donativos que se pode fazer por ano. Atenção: não se esqueçam de pedir recibos.

    JB

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]