gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
CTO da RedHat quer Microsoft Office para Linux
Contribuído por dario em 26-03-02 17:05
do departamento escusam-de-portar-o-clip
Microsoft vd escreve "O CTO da RedHat, Michael Tiemann, defende que deveria de haver um port do Office da MSFT para Linux. Isto foi durante a audiência dos casos de antitrust da MSFT. "Porting Office to Linux would make that operating system attractive to enterprise customers".
É também dito que "Office is the albatross around RedHat's neck", isso todos nós sabemos. Sabemos também que o Linux é o mais sério concorrente da MSFT a nivel de servidores e desktops. Mas peca pela falta de uma "Killer Application", que impulsionaria em grande forma o Linux e o mercado emergente que o rodeia.
A killer app seria o Office da MSFT? Será possível fazer um port (completo)?
O artigo completo aqui."

Liberdades contra Filtros | Europa avança com alternativa ao GPS  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • Red Hat
  • aqui
  • Mais acerca Microsoft
  • Também por dario
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    copy&past ! (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 26-03-02 18:26 GMT (#1)
    Sinceramente acho que não deveriamos depender de uma killer aplicaçãp vinda da m$oft. A comunidade GNU têm bastantes,competentes programadores capazes de desenvolver uma aplicação dessas ou talvez melhor,claro que iria ter custos,os mesmos custos que iriamos pagar a RED-HAT->m$ pelo office em linux,mas não me importava de pagar a uma GNU comunity invês de encher mais os bolsos de m$. Sinceramente começo a ficar farto de falarem de ports de OS só para cativar novos utilizadores , usando para isso botões,janelas muito idênticas ao famoso XP/2000/Millenium AKA KDE... secalhar está na altura do linux começar a fazer dinheiro em aplicações deste porte como o caso de office que envolve muito tempo/trabalho e pessoas à sua volta. Estes programadores também têm que viver certo ? Nestes casos acho muito bem,mas sem ser preciso usar copy&past de uma aplicação do evil empire
    MHO (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-03-02 18:33 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Repetindo o que já disseram e provavelmente vão dizer: acho que isto é errado.

    É admitir que a comunidade de Software Livre não consegue fazer melhor do que a MS.

    Ou, no mínimo, é admitir que, no dia em que o OpenOffice esmagar o MS Office em qualidade, mesmo assim as pessoas serão estúpidas demais para mudar. Muitas até serão... mas será que isso é assim tão importante?


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:MHO (Pontos:2)
    por mlopes em 26-03-02 18:39 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    é importante enquanto o estado estiver a gastar o teu e o meu dinheiro em Software M$, por pura estupidez, ignorância e incompetência.

    Fora isso, cada um sabe de si e gasta o dinheiro onde quiser, se o quiserem fazer para os bolsos do Bill Gates e ainda ficarem contentes com isso, então força!

    "They that can give up essential liberty to obtain a little temporary safety deserve neither liberty nor safety."

    -- Benjamin Franklin, 1759
    Re:MHO (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-03-02 18:43 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    Mas o problema do estado não é a ausência de MS Office em Linux. É a estupidez, pura e dura.

    Um MS Office para Linux não ia mudar nada. Agora, uma revolução... ;-)


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:MHO (Pontos:2)
    por vd em 26-03-02 20:54 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    "É admitir que a comunidade de Software Livre não consegue fazer melhor do que a MS."

    Discordo!
    A Comunidade de Software Livre ja' deu provas, mais que suficiente, de que consegue fazer melhor que a MSFT.

    E' conjungar o melhor de dois mercados.
    Estabilidade (linux) e a aplicacao de todos os dias dos "regular users" (MSFT Office).

    Quem ganha e' a comunidade de software livre, que ao chamar a si uma aplicacao tao usada, cativa tambem utilizadores que passam a conhecer melhor o Linux e provavelmente descubram que o OpenOffice e' melhor que o MSFT Office.
    (Foi um exemplo ;) )

    Cumprimentos,
    vd
    Re:MHO (Pontos:2)
    por NokiaMan em 26-03-02 22:09 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    Desculpa la mas temos que admitir o evidente: nem o StarOffice nem o OpenOffice e melhor que o MS-Office, portanto acho que seria proveitoso ter o office para Linux, claro que nao o ia comprar mas de certo ia utiliza-lo.
    ------------------------------ - BigBrother is Watching You - ------------------------------
    Re:MHO (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-03-02 22:25 GMT (#14)
    (Utilizador Info)

    Discordo!
    A Comunidade de Software Livre ja' deu provas, mais que suficiente, de que consegue fazer melhor que a MSFT.

    Sem dúvida.

    Quem ganha e' a comunidade de software livre, que ao chamar a si uma aplicacao tao usada, cativa tambem utilizadores que passam a conhecer melhor o Linux e provavelmentee descubram que o OpenOffice e' melhor que o MSFT Office.

    Aqui não concordo - concordo que o Linux precisa de um Office *melhor*, mas não necessariamente do *mais usado*.

    Repara que o Linux (ou GNU/Linux, para ser exacto) é um SISTEMA OPERATIVO - não é uma empresa, como a Red Hat. Assim como um músico não é melhor por ter mais fãs ou vender mais discos (Britney, anyone?), um SO não é melhor por ter mais utilizadores (sobretudo utilizadores LERDOS :) ) a usá-lo.

    Quero, sem dúvida, um office bom para Linux. Penso que o OpenOffice está lá quase.

    Os engravatados do piso de baixo recusam-se a usar qq coisa que não seja o MS Office? Tudo bem. Estejam à vontade. Em que é que o que eles usam (ou a burrice deles) contribui para a minha felicidade?


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964

    Re:MHO (Pontos:2)
    por vd em 26-03-02 22:59 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    "Aqui não concordo - concordo que o Linux precisa de um Office *melhor*, mas não necessariamente do *mais usado*."

    Precisa dos dois.

    Porque ?
    Simples!

    Precisa do Office mais usado para trazer "mercado" (utilizadores de trazer por casa e alguns power windows users) e precisa de um melhor... Mas isso ate' a MSFT precisa de um melhor (- bugs, + funcionalidades).

    Um office mais usado tras mais pessoas a usarem o mesmo no linux, e logo mais programadores a desenvolver um melhor office.
    Vem tudo por arrasto.

    "Repara que o Linux (ou GNU/Linux, para ser exacto) é um SISTEMA OPERATIVO - não é uma empresa, como a Red Hat."

    Afirmativo! Mas a RedHat representa uma grande parte da quota de mercado.

    "um SO não é melhor por ter mais utilizadores (sobretudo utilizadores LERDOS :) ) a usá-lo."

    Concordo! Mas sao esses utilizadores que fazem os programadores a desenvolverem mais e melhor.
    60% dos utilizadores de informatica, sao no seus primeiros 2 a 3 anos de informatica, "Lerdos".
    Tornam-se "power users" depois de adquirir alguma pratica no SO ou aplicacoes de trabalho.

    Os utilizadores de Linux, ja' tem pelo menos uma experiencia superior relativamente aos "Lerdos".
    E' preciso existir um meio termo, para que assim o Linux se torne "universal".

    "Penso que o OpenOffice está lá quase. "
    Concordo!

    "Os engravatados do piso de baixo recusam-se a usar qq coisa que não seja o MS Office? Tudo bem. Estejam à vontade. Em que é que o que eles usam (ou a burrice deles) contribui para a minha felicidade? "

    Um administrador de sistemas ja' nao diz o mesmo.
    Se eles usassem um bom sistema operativo e um "bom" suite de office, certamente teria menos problemas na rede, sem contar com os problemas de helpdesk que se reduziam para metade.
    Tomando do pressuposto que o Linux e' bem mais fiavel e seguro que o Windows ;)

    Penso que este exemplo e' um dos muitos casos em que se perdeu um "cliente" Linux.


    Cumprimentos,
    vd
    Re:MHO (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-03-02 23:26 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    É curioso, há pouco tempo atrás teria concordado com a maior parte do que dizes.

    Agora... não sei, deve ser por andar a ler o "The Fountainhead" (isso existe em português? Com que título? Gostava de oferecer a umas pessoas...), mas cada vez acho mais que o Linux NÃO precisa de mais e mais utilizadores.

    Acredito que esta minha posição possa facilmente ser confundida com elitismo ("bastamos nós! que se lixem os outros! nós é que somos bons!"), mas não é o caso.

    O GNU/Linux é um sistema operativo (não, não me apanham a dizer que o "Linux" é um sistema operativo... O Linux é o que está em /boot/vmlinuz e /lib/modules/, apenas). É software. Não é uma empresa (que precisa de clientes e lucro), ou um partido político (que precisa de votos), ou uma pessoa emocionalmente insegura e carente (que precisa de ser aceite pelos outros).

    Não acredito que o sucesso seja medido pelo número de utilizadores, pela popularidade.

    Mais (e aqui vou ser flamado, de certeza, mas por favor evitem o "despropositado" ou o "lança-chamas" - não estou a insultar ninguém): não acho que faça sentido os actuais utilizadores de Linux andarem a fazer toda esta força, ter todo este trabalho, às vezes perder tempo e fazer sacrifícios para "converter" pessoas ao Linux. Deve-se informar as pessoas, sim, e depois quem tem cabeça para ver as vantagens do Linux, vem até este mundo. Quem não quer vir... não devemos insistir. Nem andar com coisas tipo "vejam, o Office corre em Linux!" ou "o Linux não custa nada! Vá láááá!". É absurdo, não achas? Mas parece que é isto que nós (sim, incluo-me nisto) fazemos, ou temos feito.

    A Red Hat está a defender o porting do MS Office para Linux, não para bem do Linux, mas sim para bem da sua facturação. Não quer dizer que haja algum mal nisso, mas é bom não confundir duas coisas diferentes.

    E acho que já falei demais hoje... :) Amanhã vou tentar escrever menos. Boa noite...


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:MHO (Pontos:2)
    por Strange em 26-03-02 23:46 GMT (#21)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.yi.org/

    "O GNU/Linux é um sistema operativo (não, não me apanham a dizer que o "Linux" é um sistema operativo... O Linux é o que está em /boot/vmlinuz e /lib/modules/, apenas)."

    Parece-me que tens os conceitos trocados... Falas de SO como GNU/Linux e não Linux, eu considero o contrário (/boot/vmlinuz e /lib/modules é o sistema operativo).

    E depois falas no sistema todo (aplicações, kernel, bibliotecas, distribuições, etc.) apenas como Linux...

    hugs
    Strange

    Re:MHO (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-03-02 23:57 GMT (#26)
    (Utilizador Info)
    "(/boot/vmlinuz e /lib/modules é o sistema operativo)."

    Não, isso é o kernel. :)


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:MHO (Pontos:2)
    por Strange em 27-03-02 2:37 GMT (#28)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.yi.org/
    Sistema operativo é o responsável por abstrair o hardware e fornecer primitivas básicas e necessárias às aplicações.

    Sob esta definição, o kernel é o SO.

    Mas não falas sobre o resto (chamar Linux quando deverias(?) chamar GNU/Linux).

    hugs
    Strange

    Re:MHO (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 27-03-02 9:16 GMT (#30)
    (Utilizador Info)
    Acho que podemos ficar a discutir isto durante dias. :) E ainda levamos (talvez com justiça) com um "Off-Topic" em cima...

    Eu não vejo o sistema operativo como o que descreves. Isso, sem dúvida, é o kernel (e aí concordamos), mas não acho que seja o SO.

    No caso do MS-DOS, o SO era o que estava em C:\DOS, ou era apenas o C:\IO.SYS e C:\MSDOS.SYS? Eu acho que era a primeira das hipóteses...

    Da mesma forma, acho que o SO (a.k.a. GNU/Linux, mas confesso que muitas vezes lhe chamo só Linux, excepto quando é preciso fazer a distinção entre kernel e SO) é o kernel + a glibc + a shell + as fileutils + algo de que me estou sem dúvida a esquecer. Pelo menos. Já não incluiria um KDE ou um browser no SO, obviamente.

    Quanto ao "resto", acho que é óbvio o que eu penso: o kernel chama-se Linux (e é o /boot/vmlinuz + /lib/modules/), o SO chama-se GNU/Linux, mas chamo-lhe, como quase toda a gente, apenas "Linux" para poupar tempo e para não confundir mais ainda as pessoas. :) Excepto quando (sobretudo aqui) preciso de fazer a distinção, como já disse.


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:MHO (Pontos:2)
    por vd em 26-03-02 23:51 GMT (#24)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Um post longo...

    Bem a minha opiniao nao e' chamar mais utilizadores, mas compreendo que a falta deles se deve a uma killer app.
    Nao quero andar a dizer "Vejam, ja' temos o Office no Linux".
    Mas sim, "Vejam, voces conseguem fazer tudo com o Linux, ate' a MSFT ja tem uma versao do Office para o mesmo".

    Obviamente que para qualquer empresa que vende Linux, um port destes tras, sem duvida, muitos clientes e um mercado mais alargado.
    Falo dos escritorios, redes de utilizadores simples e home users.

    No entanto a outra grande parte que so' tem o windows para jogar, essa ainda vai ficar de fora, mas o Quake ja foi um bom inicio.
    Ja existe, neste campo, um Killer Game portado.
    Falta a Killer App.

    Nao considero o Outlook ou o IE como killer app, como e' obvio ;)

    Cumprimentos,
    vd
    A benção... (Pontos:2, Informativo)
    por aknot em 26-03-02 19:18 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    Acho que aqui o problema é existir algo que as pessoas conhecem, não o programa em si, mas o nome Microsoft associado a Linux.

    Se a Microsot cria-se um port do Office para Linux, era como se estivesse a dar a benção ao sistema operativo livre, e isso sim a M$ não quer.

    A meu ver, era o maior tiro no pé que podiam dar, além de dar a melhor desculpa possível para muita gente que se queixa que só continuam a usar Windows por causa do Office, a mudarem definitivamente para Linux.

    Sem falar do consequente aumento de ports de programas para Linux. Bom para o Linux e BSD's, muito mau para a M$ que ia perder o seu maior ganha pão e arma estratégica, o Windows.

    aknot

    Re:A benção... (Pontos:2)
    por vd em 26-03-02 20:28 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    O port e' complicado..

    Vamos la ver...

    A MSFT, por causa do monopolio que pratica, pode ser por decisao judicial a abrir o seu mercado, a todas as plataformas tecnologicas.
    Ou seja, como abriu 'a Apple (MSFT Office para o MacOS X), pode ou "tem" de abrir ao Linux.
    (hipoteticamente)

    A killer app e' sem duvida o Office!
    E' tambem neste momento o calcanhar de aquiles do Linux.

    Possuimos agora uns bons desktops (Gnome, Kde), bons browsers (Mozilla, Netscape, Galeon, Konqueror), bons clientes de email (Balsa, Mozilla, Mutt), e umas _quase_ boas ferramentas de Office (StarOffice, OpenOffice).

    Ao fazer o port para Linux, nao iriao perder clientes, antes pelo contrario!
    Cada desktop tem os seus clientes e fans.
    A cada um o seu mercado.

    Foi essa a "visao" da RedHat.

    No entanto penso que e' uma questao de dias para saber mais noticias sobre isto...



    Cumprimentos,
    vd
    Re:A benção... (Pontos:2)
    por Strange em 26-03-02 23:49 GMT (#22)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.yi.org/

    O maior ganha pão da Microsoft não é, directamente, o Windows, mas as aplicações que pelo monopólio pode impingir aos utilizadores de windows.

    Não que não ganhe dinheiro com o windows, mas a maior parte das vendas são OEM, em que o preço é bastante baixo.

    hugs
    Strange

    Extremamente perigoso (Pontos:2)
    por Astrónomo em 26-03-02 20:22 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Imaginem o seguinte cenário: a Microsoft lança o Office para Linux e coloca-lhe, propositadamente, uma série de bugs.
    Os utilizadores que vão o utilizar o MS Office for Linux vão pensar que os erros estão no Office ou no Linux?... Adivinhem: «então isto no Windows funciona tão bem, e o mesmo programa no Linux só dá erros? M***a para o Linux!»...

    Conhecendo o historial de falta de ética concorrencial da Microsoft, um cenário destes não é tão irrealista como se possa, à primeira vista, pensar...

    Re:Extremamente perigoso (Pontos:2)
    por vd em 26-03-02 20:46 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    GPL ... does that remembers something ? A MSFT ja abriu _metade_ do codigo. Para o port teria de abrir a outra metade.

    Cumprimentos,
    vd
    Re:Extremamente perigoso (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-03-02 22:26 GMT (#15)
    (Utilizador Info)
    Hã... não entendi essa. Um software não tem de ser GPL para correr em Linux. A MS *nunca* iria usar GPL (nem sequer BSD).


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:Extremamente perigoso (Pontos:2)
    por pls em 26-03-02 23:11 GMT (#18)
    (Utilizador Info) http://pls.mrnet.pt
    Software da Microsoft em GPL?

    Dream on...

    PLS
    Re:Extremamente perigoso (Pontos:2)
    por Gimp em 27-03-02 1:52 GMT (#27)
    (Utilizador Info)
    Concordo. Mas acima de tudo, portar o Office para linux? Mas se os próprios gajos não sabem a 100% como é que o word escreve em disco...


    "No comments"

    Re:Extremamente perigoso (Pontos:2)
    por Strange em 26-03-02 23:51 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.yi.org/
    A Microsoft não precisa de abrir o código de programas para Linux, como ninguém precisa.

    Mesmo que a glibc não fosse LGLP mas sim GPL, sempre teria a solução de criar um binário estático a usar as syscalls directamente.

    hugs
    Strange

    DOJ (Pontos:2)
    por NokiaMan em 26-03-02 22:17 GMT (#13)
    (Utilizador Info)
    se a ms fissese o port do office ou pelo menos desse a source a redhat para fazer o port, era capaz de ficar bem vista no caso DOJ e talvez acabar com ele, se a MS nao fosse orgulhosa a lancasse alguns dos seus produtos para Linux penso que conseguia sair bem do tribinal e nao diminiuia os lucros...
    PS-> o Lindows corre o MS-Office!
    ------------------------------ - BigBrother is Watching You - ------------------------------
    Se existisse um Office decente para Linux... (Pontos:2)
    por jpgm em 26-03-02 22:32 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Se, de facto, existisse um package de Office decente e, acima de tudo, compativel com o MS Office, para Linux eu passava a usar o Linux como desktop...
    Nunca considerei o Linux uma opção viável para desktop (sem pretender começar nova guerra), mas, depois das recentes threads aqui pelo Gildot em que alguns defendiam que eu estava errado, decidi experiemntar, dediquei metade de uma semana a passar todo o meu ambiente de trabalho para Linux... Utilizei o Suse, ocorreram mil e uma dificuldades, quase tudo o que fazia em Windows passei a fazer em Linux, com melhores ou piores resultados, com maior ou menor dificuldade, excepto o Office... Dependo imenso do Office no meu trabalho, e não só para criar novos documentos como, principalmente, para ler e editar documentos que me enviam. O StarOffice não me agradou, era extremamente pesado e tive imensos problemas de compatibilidade. O Open Office era melhor, conseguia ler o que os outros me mandavam relativamente bem, consegui mesmo instalar as fontes habituais do MS Office, infelizmente nada do que eu fazia podia tornara ser visto por um MS Office. Ou seja, era impossivel partilhar trabalho com colegas.
    Ao fim de 2 semanas tive de desistir e voltar ao Windows. De qq modo fiquei relativamente surpreendido com a qualidade do Linux para desktop, se existisse algo REALMENTE compativel com o MS Office, de borla ou não, acho que me mantinha por lá!
    Cumprimentos! zp
    Re:Se existisse um Office decente para Linux... (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 26-03-02 23:29 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    Tens o StarOffice 6.0, que está quase a sair. É comercial, mas prevê-se que vai custar 10-20 contos (o MS custa uns 100, creio eu), e satisfará o que queres.

    O OpenOffice, entretanto, continua a evoluir, e antes do fim do ano, sem dúvida, já terá uma compatibilidade perfeita com o MS Office (pelo menos com o actual, mas a MS também não deve lançar um novo este ano).


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:Se existisse um Office decente para Linux... (Pontos:2)
    por Strange em 26-03-02 23:54 GMT (#25)
    (Utilizador Info) http://strange.nsk.yi.org/

    Conseguias abrir o que os outros te mandavam no formato Office, mas esses outros não conseguiam abrir o que lhes mandavas tu? Então muito provavelmente o problema seria enviares os ficheiros no formato nativo do Open Office. Para a próxima tentativa, experimenta exportar para o formato Office.

    Não precisas de reinstalar o Linux para isso, também existe Open Office para Win32.

    hugs
    Strange

    StarOffice é mais do que decente (Pontos:2)
    por Astrónomo em 27-03-02 4:41 GMT (#29)
    (Utilizador Info)
    Se há segmento de software desktop onde o Linux alcançou um nível equivalente ao Windows e Macintosh é nas aplicações tipo Office.
    A maior parte das pessoas que experimentam o Open Office nem se apercebem da potência que este programa tem. Se tivesse a oportunidade de fazer uma demonstração ao vivo das potencialidades do Star/Open Office, muitos iam decerto ficar boquiabertos.
    O problema é que muitos não encontram os menus e os botões nos sitios a que estão habituados e vai daí dizem que o Star/Open Office não faz isto ou aquilo.

    Quem dera que o resto das aplicações desktop do Linux tivesse o nível de sofisticação do Star/Open Office!

    Re:StarOffice é mais do que decente (Pontos:1)
    por gc em 27-03-02 14:05 GMT (#31)
    (Utilizador Info)
    O problema não é o que faz ou deixa de fazer. O problema é teres de trabalhar numa equipa que só usa MS Word. Se queres trabalhar em linux, o melhor a fazer é importar os .doc no SO. Mas importar docs ainda está longe de ser perfeito. Algumas fontes aparecem trocadas, muitas imagens nem sequer aparecem, ou então as imagens aparecem por cima do texto ou por cima umas das outras, etc.

    Agora se fores usar SO num grupo que tb usa SO, então maravilha! Mas esse caso é pouco comum, infelizmente.

    Para completar.. (Pontos:2)
    por vd em 27-03-02 14:52 GMT (#32)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    "All the system vendors are pushing Linux on the server side, [but] there's really no large company that is ... pushing Linux on the desktop,"

    http://story.news.yahoo.com/news?tmpl=story&cid=75&u=/nf/20020326/tc_nf/16923

    Cumprimentos,
    vd

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]