gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Carta aberta a Mário Valente
Contribuído por AsHeS em 07-02-02 16:52
do departamento ctt-para-os-editores
Linux Astrónomo escreve "Caro Mário,
Permite-me que te trate assim, apesar de nunca nos termos conhecido pessoalmente. Faço-o porque é, em parte, a ti que devo o facto de, no longínquo ano de 1995, me ter ligado pela primeira vez à Internet. A Esotérica era o único ISP então que fazia preços acessíveis, e foi através dela que as portas para esta extraordinária criação da humanidade se abriram. Sobretudo por causa deste facto adquiri alguma admiração por ti. Porém, numa intervenção recente no Gildot proferiste algumas afirmações que, tendo em consideração o estatuto de fazedor de opinião (voluntário ou involuntário) que possuis, constituiram um péssimo exemplo para os novos utilizadores. E daí sentir-me obrigado a escrever-te.

O artigo que recentemente aqui coloquei, intitulado «Vícios Privados, Públicas Virtudes» foi um reality shock a todos os níveis. Não só pelas estatísticas que revelou, como pela subsequente discussão que gerou. Quando julgava que a grande batalha da linux-advocacy era convencer os leigos, os reticentes e os comodistas das vantagens práticas e teóricas de usar Linux, ironicamente descubro afinal que a batalha consiste, antes de mais, em convencer aqueles que se afirmam «utilizadores e defensores» do Linux a usarem o Linux!

Alguns pontos que invocaste para não usares Linux como desktop merecem comentários:

porque SEMPRE disse que o Linux é para servidores e nunca será grande "malha" no desktop

Ora aí está um observação curiosa. Consideras então que existe uma deficiência endémica no Linux que o impedirá sempre de ser um sistema operativo de Desktop. Será que a deficiência endémica a que aludes está no modelo Open-Source de desenvolvimento, que consideras ineficaz para a criação de software Desktop? Ou será que as centenas de programadores que desenvolvem o XFree86, o KDE, o Gnome mais todas as aplicações para estes ambientes, não passarão de "básicos fanáticos" que não compreendem que "o Linux é só para servidores" e os clientes devem é utilizar Windows? Achas que essas pessoas só estão a perder o seu tempo e fazer perder o nosso tempo ao insistirem em desenvolver programas que deveriam existir só em Windows? Achas que o futuro da Informática é todos os computadores cliente do mundo correrem Windows e todos os servidores correrem Linux?
Gostava que desenvolvesses mais a tua teoria.

porque uma coisa são os meus servidores; outra é o meu desktop de trabalho; outra é o PC em casa; e outra é o portatil; é neste ultimo que corro Windows e o Eudora e que anda comigo para todo o lado (reunioes,trabalho,casa,ferias,etc) porque funciona como uma especie de "central"

Como contraponto à tua, vou contar-te a minha "história". Dividi-la-ei em pontos para facilitar a leitura.

  • Recentemente actualizei o X-Window do meu portátil para a última versão (4.2.0). Simultaneamente, actualizei o KDE e a biblioteca Freetype (um font engine open-source que suporta todas as fonts True Type e Adobe Type 1). Todo este processo foi tão simples e rápido que qualquer miúdo de 12 anos o executaria. É um prazer utilizar agora o KDE com anti-aliasing. O aspecto das fonts melhorou imenso, o que se faz sentir especialmente nas páginas web.
  • Para além disto, actualizei o OpenOffice, uma suite análoga ao Microsoft Office. Depois de meses a utilizá-lo e dar a utilizá-lo a outros, ainda estou para encontrar uma coisa que o MS Office faça e que o OpenOffice/StarOffice não faça! Estás convencido, como a maioria das pessoas estão, que o Office é uma coisa muito boa que a Microsoft faz. É um bom software, sem dúvida. Mas o que poucos ainda viram é que Linux está muito mais próximo de ter um software tão bom quanto o Office do que de ter um ambiente gráfico tão bem feito e de tão elevada performance quanto o Windows. Por outras palavras, a distância que separa um OpenOffice/StarOffice de um MS Office é muitíssimo mais pequena do que a que separa um Windows de um X+KDE. Mas estou confiante que o X e o KDE chegarão lá também.
  • Divirto-me a escutar MP3s no Xmms, um clone do Winamp. Oiço emissões de rádio e emissões de televisão no Real Player para Linux. E tanto o Xmms como o Real Player suportam também streaming de MP3 (Shoutcast).
  • O winmodem do meu portátil funciona às mil maravilhas em Linux e até envio e recebo faxes com ele!
  • Ligo a minha câmara digital por USB e transfiro fotos para o portátil (e vice-versa) com a mesma simplicidade com que o faço em Windows.
  • Utilizo, também sem problemas, o scanner para digitalizar imagens.
  • Encontro-me com amigos de todo o mundo e troco palavras e uns ficheiros com eles usando o Licq, o clone do célebre programa de instant messaging ICQ. Alguns deles em Windows e eu em Linux. Uma maravilha.
  • Procuro música e todo tipo de ficheiros com o Limewire, o melhor cliente Gnutella que existe. Foi escrito em Java e está disponível em vários sistemas operativos.
  • O meu IDE preferido em Windows é, sem dúvida, o Delphi. Agora posso usá-lo em Linux: é o Kylix. Faço aplicações gráficas com janelinhas, botões, caixinhas e outras mariquices de forma tão rápida e simples como em Windows o faço com o Visual Basic! E posso fazer Apache Shared Modules muito facilmente também. Muitíssimo mais rápido a compilar do que C++ e com uma velocidade de execução equiparável.
  • Java é a melhor plataforma de desenvolvimento da actualidade. É bom poder utilizar o melhor IDE que existe para Java em Linux: o Borland JBuilder.
  • Gosto do PHP como linguagem de scr1pting. Por isso, é bom desfrutar de um editor poderoso e agradável de usar como o Quanta que me realça a sintaxe e até me ajuda a fazer o debugging do PHP sem sair do Quanta. Gostava que ele me ajudasse mais a lembrar-me das zilliões de opções e parâmetros das tags HTML como faz, por exemplo, o Homesite para Windows. Mas acho que lá chegaremos. Aliás, o Homesite é escrito em Delphi, por isso, qualquer dia, a Macromedia lembra-se de o recompilar no Kylix.
  • Para a Web uso três browsers quase em round-robin: Mozilla, Konqueror e Opera. Todos eles têm vindo melhorar a olhos vistos, cada nova versão que surge.
  • Foi pena teres abandonado os newsgroups, Mário. Calculo que tenha sido por causa do invasão de spam e offtopic. Mas a hierarquita pt está muitíssimo melhor agora, acredita. Parece que alguém pôs em prática aquela tua ideia da qual acabaste por desistir. Falo nisto a propósito de um óptimo newsreader para Linux: o KNode. Que maravilha de programa! Até dá mais gosto ler os newsgroups agora.
  • Quanto a email, uso o Kmail. Mas o Ximian é muito bom (baba-te um pouco a ver os screenshots). Entre as muitas features olha só o que aparece: «import and read mailboxes in common mailbox formats, such as Eudora, UNIX mbox, MH, Maildir, Netscape, and Outlook Express.» Os teus megabytes de mails no Eudora estão salvos, Mário!

E poderia, ainda, mencionar gravação de CDs, ligação a Palm, e muitos outros programas úteis e agradáveis de usar e que estão aí agora disponíveis no Linux. Abstive-me propositadamente de mencionar software com o qual estás familiarizado: bases de dados, diversos daemons conhecidos e o Zope de que tu tanto gostas. Quis abordar apenas o desktop com o objectivo último de lançar a pergunta: será que ainda precisas mesmo do Windows, Mário?
Pela minha parte serei franco: admito que possa precisar uma vez ou outra. Há software muitíssimo bom em Windows (de GIS, por exemplo) que, por enquanto, não tem paralelo em Linux. Por isso, mantenho o portátil com dual-boot (ainda não instalei o Vmware). E até coloquei uma partição especialmente em FAT32 que ambos os sistemas operativos podem utilizar para trocarem informação entre si.

O Homem é um animal de hábitos. E isso leva à inércia e à habitual resistência à mudança. E o grau desta resistência à mudança está, em grande medida, ligado ao grau de progresso ou atraso de um povo. Não admira que sejam os países tecnologicamente mais avançados do mundo, aqueles em que a taxa de penetração do Linux é mais alta. E não admira que Portugal, o país mais atrasado tecnologicamente da União Europeia, seja aquele onde a taxa de penetração da Microsoft é mais elevada. Não são meras coincidências, Mário.

O desktop no Linux tem feito muitos progressos nos últimos anos. Com o desenvolvimento de IDEs poderosos como Kylix é muito provável que o ritmo de surgimento de aplicações GUI de qualidade dispare nos próximos tempos. Isto até é confirmado por um estudo recente:

An Evans Data survey published in November 2001 found that 48.1% of international developers and 39.6% of North Americans plan to target most of their applications to GNU/Linux.

Aquilo que me entusiasma no Linux não são apenas aquelas qualidades de que todos falam:

  • Gratuitidade
  • Robustez e segurança.
Já o disse antes, o software Microsoft é gratuito para mim e para mais de 95% dos utilizadores de computadores no mundo. Posso continuar a usá-lo descansadamente pois é altamente improvável que a Judiciária me bata à porta. Para além disso, é um software que, quando bem utilizado, é suficientemente robusto e seguro para me satisfazer e satisfazer qualquer utilizador. Não é essa fictícia falta de qualidade do Windows que impele para o Linux. O que realmente me cativa no Linux são os princípios em que assenta. Essa extraordinária conjungação de esforços de milhares de programadores por todo o mundo que, desinteressadamente, mostram que para fazer bom software não são precisas empresas com recursos faraónicos, doutorados de Stanford pagos a peso de ouro, uma política de secretismo quanto ao código fonte, e estratégias concorrenciais eticamente duvidosas. É a possibilidade que me proporciona, se quiser e tiver capacidade para tal, de poder dar o meu contributo para melhorar um software. É a possibilidade de eu, se quiser aprender como determinado programa foi feito, poder ler o seu código-fonte.
Mas não é só tecnologia. O Linux é, também, uma esperança para todos os que, legitimamente, receiam a concentração de tanto poder nas mãos de uma só empresa. Linux representa, por isso, democracia.
Linux representa liberdade.

Cumprimentods de um (ainda) admirador,
Astrónomo "

Concurso de Programação Google | Que máquina fotográfica comprar?  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • Netscape
  • Vícios Privados, Públicas Virtudes
  • Xmms
  • Quanta
  • aquela
  • Ximian
  • Astrónomo
  • Mais acerca Linux
  • Também por AsHeS
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Bem.. o pior é a inercia..... (Pontos:1)
    por overflow em 07-02-02 17:07 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Gostei.. um post a sério!!! Só não subscrevo porque não uso esses progs todos :)
    moralismo (Pontos:2)
    por vaf em 07-02-02 17:16 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    A minha opinião é que em coisas que não afectem os outros, cada um sabe de si.

    Para moralistas já bastam os Americanos.
    Re:moralismo (Pontos:2, Interessante)
    por joaorf em 07-02-02 19:02 GMT (#15)
    (Utilizador Info)
    O problema é que não são coisas do foro pessoal, rapaz. Afectam outros!

    Eu gostava de poder visitar qualquer site a partir do meu Linux, poder entrar nele e visualizá-lo em condições. A Internet sempre se baseou no princípio de que sistemas diferentes poderiam comunicar com base em protocolos comuns. Há uns anos atrás isso era possível, agora cada vez menos. E porquê? Porque as empresas olham para as estatísticas e concluem que não vale a pena estar a escrever código compatível com uma pequena percentagem de browsers. E o mais chocante disto tudo é que são muitos ditos "entusiastas do Linux" que andam a contribuir para essas estatísticas!

    Mas o que mencionei foi apenas um exemplo entre muitos outros. E a questão é, como disse o Astrónomo, mais vasta. Não tem a ver somente com tecnologia.

    Ora bem... (Pontos:4, Informativo)
    por Cyclops em 07-02-02 17:27 GMT (#5)
    (Utilizador Info) http://greymalkin.yi.org
    Os jornais tambem teem cronicas nao teem?
    Algumas delas ate sao dirigidas a alguem em particular, umas mais directas outras menos.

    Acho que nao faz mal nenhum o gildot ter cronicas, e, fora certas ferramentas proprietarias mencionadas na cronica, devo concordar com o Astronomo.

    Qual e a necessidade real que o Mario tem de usar windows? Porque o comportamento elitista de que o gnu/linux e para servidores e o desktop e windows e para os lerdos?

    Quanto a necessitar usar windows, so se o trabalho o forcar e se ele nao consegue outra oportunidade de trabalho, ai sim compreenderia pois todos nos temos de viver de algo.

    Quanto ao gnu/linux so servir para servidores, eu uso-o como desktop ha uns anos.

    Quanto ao windows ser para os lerdos do desktop, francamente, nao o desejo ao meu maior enimigo, e para alem disso os lerdos usarem windows no desktop acarreta muitas dores de cabeca para os srs admins todos poderosos que so usam servidores.

    Francamente, nao posso concordar com esse ponto de vista, ate porque em muitas tarefas o windows e diversas ordens de grandeza mais complicado do que quase qualquer gnu/linux.

    E mais dificil torna-lo minimamente seguro, e mais dificil instalar impressoras remotas de rede (acham que nao? uma unix printer remota deve ser instalada -- imagine-se -- atraves da opcao local printer e nao da remote printer. Userfriendly hein?).

    Sinto-me livre. Sinto-me bem. Mas gostaria de nao ser o unico a se sentir livre e bem.

    Hugs, Cyke
    Re:Ora bem... (Pontos:0, Despropositado)
    por Anonimo Cobarde em 07-02-02 22:10 GMT (#31)
    Sinto-me livre. Sinto-me bem. Mas gostaria de nao ser o unico a se sentir livre e bem.

    Mas usas Tampax, é? ou preferes OB?
    Re:Ora bem... (Pontos:2, Esclarecedor)
    por Lameiro em 07-02-02 19:56 GMT (#21)
    (Utilizador Info)
    Uma coisa é querer contribuir para a tribo Open Source, outra é poder fazê-lo. Um emprego remunerado é um bem de primeira necessidade na sociedade em que vivemos mas acho que isso não é impedimento para contribuirmoa pra a tribo.
    O problema do desktop (Pontos:5, Interessante)
    por jneves em 07-02-02 17:59 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://silvaneves.org/
    O problema do desktop em GNU/Linux são os programadores. Nesta "carta aberta" nota-se o problema. Um programador preocupa-se com a funcionalidade. Se um utilizador se queixa que o OpenOffice não tem a feature X (X pode ser um conjunto de estilos pré-definidos) é provável que um programador lhe responda com um workaround de como fazer isso.

    Não é isto que é preciso. Se um utilizador sabe como utilizar uma determinada feature, ela deve estar, como o utilizador a espera, não como apeteceu ao programador. É isto que falta, uma interface consistente (não como o windows, mas como algumas aplicações de windows) e uma preocupação com o utilizador final que a maior parte dos programadores (eu incluído) não têm.
    Re:O problema do desktop (Pontos:2, Esclarecedor)
    por henrique em 07-02-02 20:12 GMT (#24)
    (Utilizador Info)
    Pela objecção que levantas, vê-se que ainda não experimentaste o OpenOffice.
    O OpenOffice é excelente em termos de usabilidade. Qualquer leigo em Informática aprende a mexer com ele em pouco tempo dado ser tão intuitivo. E, ainda por cima, é gratuito. Imagina o dinheiro em licenças que o Estado e algumas empresas poderiam poupar...

    Mas sobre essa vaca sagrada, o MS Office, já se está a discutir num outro thread.

    Re:O problema do desktop (Pontos:2)
    por jneves em 08-02-02 12:36 GMT (#97)
    (Utilizador Info) http://silvaneves.org/
    "You assume too much"

    Honestamente prefiro processadores de texto lógicos (LaTeX, Docbook, etc.) a processadores de texto visuais (OpenOffice e outros).

    Claro que não ajuda o facto do OpenOffice que tenho instalado não aceitar acentos. É uma build recente, mas por alguma razão estranha é o único programa de X que tenho que não aceita acentos (leia-se deadkeys - por cut&paste funciona).
    Re: Hello? (Pontos:1)
    por Devils_Advocate em 07-02-02 18:00 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Qual é que é o problema ? Carta aberta é isso mesmo. Nunca leste nenhuma nos jornais ?
    Mas que chatinhos!! (Pontos:4, Interessante)
    por leitao em 07-02-02 18:02 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/

    Mas que chatinhas que algumas pessoas sao!!

    Gostas de Linux no desktop ? Fixe, usa-o. Eu tambem acho o Linux porreiro no desktop, e uso-o para algumas coisas. Para outras coisas, e' uma m**da e recuso-me a usar -- por exemplo, por muito que me tentes convencer que o Staroffice e' tao bom como as ferramentas da Microsoft nao me parece que vas conseguir (e aparentemente 99% do resto da populacao nao concorda contigo).

    O que acho que muita gente ainda nao compreendeu, e' que nem toda a gente tem tempo e pachorra para fazer tudo funcionar com o desktop do Linux. Por exemplo, tenho uma Palm V e podia usar as ferramentas do Linux -- mas nao uso, porque foi muito mais simples meter o CD da Palm na drive, deixar o software instalar, ligar o dongle 'a porta serie e fazer "synchronize".

    Se calhar tu passas 12 horas por dia em frente ao computador e tiras muito prazer de hackar a tua instalacao de Linux para funcionar com todo o hardware e software que tens, mas algumas pessoas preferem passar mais tempo com a namorada, a ver televisao, aprender sobre outras coisas ou simplesmente ir beber uns copos. Se o Mario Valente ou outra pessoa qualquer decide nao usar Linux no desktop, isso nao me diz que e' um convertido 'a Microsoft (nem isso interessa) mas sim alguem que faz qualquer coisa mais na vida do que estar sentado ao computador.

    O Homem é um animal de hábitos. E isso leva à inércia e à habitual resistência à mudança. E o grau desta resistência à mudança está, em grande medida, ligado ao grau de progresso ou atraso de um povo. Não admira que sejam os países tecnologicamente mais avançados do mundo, aqueles em que a taxa de penetração do Linux é mais alta. E não admira que Portugal, o país mais atrasado tecnologicamente da União Europeia, seja aquele onde a taxa de penetração da Microsoft é mais elevada. Não são meras coincidências, Mário.

    Agora estas simplesmente a ser ingenuo (ou burro). O que e' isso da taxa de penetracao do Linux ? Como e' que sabes se e' maior nos US do que em PT ? A taxa de penetracao e' dependente da populacao do pais, e do estado economico/tecnologico desse pais. Se a tal taxa de "penetracao" do Linux e' maior no UK, Franca ou Alemanha isso nao tem nada a ver com o facto de eles serem mais "espertos" que os Portugueses -- tem a ver com o facto de que sao paises economicamente mais ricos, onde o uso de alta tecnologia (e.g., computadores) e' muito maior. Nao tem nada a ver com "mentalidades" ou "resistencia 'a mudanca".

    O facto de muitas pessoas usarem Windows (no desktop) e' similar 'a razao porque eu e tu usamos o controlo remoto da televisao: conveniencia.

    Regards,


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Espírito de manada (Pontos:3, Interessante)
    por henrique em 07-02-02 18:31 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    por muito que me tentes convencer que o Staroffice e' tao bom como as ferramentas da Microsoft nao me parece que vas conseguir (e aparentemente 99% do resto da populacao nao concorda contigo).

    Sou utilizador do Microsoft Office desde o início dos anos 90. Já corri todas as versões. E concordo com o Astrónomo em que o StarOffice faz praticamente tudo e de forma tão simples como o MS Office faz. E o muito pouco que o MS Office faz e que o StarOffice não faz, essa representativa manada de 99% de portugueses na qual te incluis, simplesmente nem sequer usa!

    Quanto à dificuldade de instalação, raramente enfrento qualquer dificuldade na esmagadora maioria das aplicações. Uma rápida consulta ao REAME, seguir a meia dúzia de passos que lá estão (que normalmente são sempre os mesmos) e já está. E quando o programa vem em rpm ou tem wizard de instalação, então é simplicíssimo.

    Há pessoas que estão habituadas ao Windows e julgam que o Linux é muito difícil. Se calhar, se tivessem crescido a utilizar Linux e depois fossem configurar o Windows, sentiam dificuldades. Por isso, não tem tanto a ver com dificuldade, mas com hábito. E as pessoas são preguiçosas e têm medo do Linux.

    E, já agora, já foram publicadas muitas estatísticas sobre a taxa de penetração do Linux e do Windows. Informa-te bem e, depois disso, verás quem está a ser burro...

    Re:Espírito de manada (Pontos:3, Esclarecedor)
    por leitao em 07-02-02 18:59 GMT (#14)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    Sou utilizador do Microsoft Office desde o início dos anos 90. Já corri todas as versões. E concordo com o Astrónomo em que o StarOffice faz praticamente tudo e de forma tão simples como o MS Office faz. E o muito pouco que o MS Office faz e que o StarOffice não faz, essa representativa manada de 99% de portugueses na qual te incluis, simplesmente nem sequer usa!

    Das duas umas -- ou nunca escreveste documentos complexos com o StarOffice, ou entao vives noutro planeta. Vou-te dar varias razoes porque prefiro o Microsoft Office:

    • Mesmo a correr numa maquina virtual VMWare por baixo do Linux, o Office consegue ser mais utilizavel em termos de velocidade que o StarOffice a correr nativamente em Linux.
    • Os filtros .doc do StarOffice apesar de serem bons ainda nao conseguem converter os docs de Word que preciso.
    • Os templates .dot sao muitas vezes convertidos mal.
    • A funcionalidade por vezes e' ainda mais confusa que a da Microsoft.

    Se gostas de StarOffice, be my guest -- ninguem te pediu para mudares.

    Quanto à dificuldade de instalação, raramente enfrento qualquer dificuldade na esmagadora maioria das aplicações. Uma rápida consulta ao REAME, seguir a meia dúzia de passos que lá estão (que normalmente são sempre os mesmos) e já está. E quando o programa vem em rpm ou tem wizard de instalação, então é simplicíssimo.

    Faz assim. Encontra um utilizador medio de Windows, poe-lhe uma maquina com Linux 'a frente, pede-lhe para ele instalar as ferramentas da Palm e ve quanto tempo e' que ele leva.

    E, já agora, já foram publicadas muitas estatísticas sobre a taxa de penetração do Linux e do Windows. Informa-te bem e, depois disso, verás quem está a ser burro...

    Se estas tao convencido disso porque e' que nao incluis um ou dois URL's com estas estatisticas ? Gostava de ver se existem, ou se sao assim tao precisas como tu dizes.


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:Espírito de manada (Pontos:3, Interessante)
    por henrique em 07-02-02 19:53 GMT (#18)
    (Utilizador Info)

    Já fiz documentos complexos em StarOffice. Com frames, tabelas, desenhos, fotos, até geração automática de cartas com nome e endereço provenientes de bases de dados. Fiz também apresentações multimedia no "power point" dele (que tem exactamente as mesmas potencialidades do da MS).

    Mesmo a correr numa maquina virtual VMWare por baixo do Linux, o Office consegue ser mais utilizavel em termos de velocidade que o StarOffice a correr nativamente em Linux.

    Porventura estarás a referir-te ao StarOffice 5.2? Houve progressos desde então. O OpenOffice é o "mozilla" do StarOffice 6. Importa a última versão (também está disponível em Windows). A qualidade de um software não se mede pelo desempenho dos seus filtros para outros formatos, mas a última versão do OpenOffice traz filtros de Office melhorados (incluindo Office XP) e já não inclui integração de desktop. Para além disso, a versão Windows tem um quickstart para arrancar mais rápido (que o MS Office também traz mas que ninguém dá conta). Usa-o durante 15 dias e depois diz-me qualquer coisa.

    A funcionalidade por vezes e' ainda mais confusa que a da Microsoft.

    Porque estás habituado ao MS Office, nada mais. O último StarOffice é excelente em termos de usabilidade.
    Para além disso, traz um módulo Drawing que é muito melhor do que o que vem com o MS Office. Vê só aquilo a fazer rendering de objectos tridimensionais.

    Se estas tao convencido disso porque e' que nao incluis um ou dois URL's com estas estatisticas? Gostava de ver se existem, ou se sao assim tao precisas como tu dizes

    Não foi foi só uma estatística. Já tive a oportunidade de ver até mais do que uma. Mas, infelizmente, não tenho URLs para dar-te.
    E tu tens informações que indiquem o contrário? Se não tens então, para a próxima, é melhor seres menos arrogante e mais comedido na linguagem.

    Muitas pessoas consideram o MS Office uma vaca sagrada, um software de potencialidades tão extraordinárias que não há escapatória senão usá-lo. Isso ainda revela mais ignorância do que julgar que o Windows é o único sistema operativo usável. StarOffice, Corel WordPerfect Suite, Lotus SmartSuite são alguns exemplos de software de escritório de elevada qualidade.

    Re:Espírito de manada (Pontos:2, Despropositado)
    por leitao em 07-02-02 22:35 GMT (#35)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    Não foi foi só uma estatística. Já tive a oportunidade de ver até mais do que uma. Mas, infelizmente, não tenho URLs para dar-te. E tu tens informações que indiquem o contrário? Se não tens então, para a próxima, é melhor seres menos arrogante e mais comedido na linguagem.

    Se nao tens URL's para mostrar entao ou inventaste os factos que indicaste, ou entao esses factos nao sao assim tao solidos como defendes.

    O meu argumento original foi o de que nao existem numeros fiaveis que indiquem qual o nivel de aceitacao do Linux em diversos paises. Tu insististe que ha' "mas nao tenho URL's", logo,se eu fui arrogante tu foste o que ? (parvo talvez)

    Regards,


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:Espírito de manada (Pontos:2, Esclarecedor)
    por HiTek DeVil em 08-02-02 2:06 GMT (#64)
    (Utilizador Info)
    Erm... sorry vir deitar mais lenha para a fogueira, mas da ultima vez que instalei o slackware, um dos "emails" que veem por default ao instalares (tirando a do "congratulations for your new linux slackware mambo jambo instal"), há um "email" com um link para um "questionário sobre a "penetração do linux".... erm... url? não tenho.... apaguei o email... não é que goste de ter lixo na minha inbox... mas se quiseres instala o slackware e vê o "email"... aí tens o url

    P.S. - não tenho a certeza se foi o slackware ou o mandrake, pois não foi no meu pc que instalei, e sim no de um colega meu, e como ele queria experimentar um, e depois o outro, agora não tenho a certeza em qual está.... há ainda a hipotese do redhat, que foi a "distro" com a qual acabou por ficar, portanto, se alguem souber o url dessa estatistica, ou que ainda tenha esse email, poderiam por à disposição do senhor Leitao (e de todos nós) qual a distro e o url...


    HiTek DeVil
    cá vão algumas estatisticas (Pontos:2)
    por quantic_oscillation em 09-02-02 17:33 GMT (#125)
    (Utilizador Info) http://homepage.oninet.pt/095mad/opensourceforever.html
    Eis aqui alguns dados sobre a utilização de OSS/FS, ver penso que o documento nº4
    http://europa.eu.int/ISPO/ida/?http&&&ag.idaprog.org/Indis35prod/doc/333

    Quanto a usar-se windows ou OSS/FS em casa penso que isso só diz respeito a cada um, mas meus amigos comprem as licenças, defendo que sendo Portugal um país de fracos recursos devia de ter legislação que OBRIGASSE a ser usado software OSS/FS na administração pública pelo menos quando existisse software OSS/FS que subsituisse o proprietário, mais ou menos o que afirma o deputado Walter Pinheiro na sua proposta ao congresso Brasileiro, bem como afirma a lei aplicada em França.

    E já agora alguém quer apostar que assim que fôr obrigatório o uso de OSS/FS na administração pública mais pessoas começam a usá-lo??

    E as escolas, as universidades, que eu suponha sejam locais para se aprender, não há a mínima razão para no mínimo haver dual-boots entre diversos sistemas operativos.

    No ISEL para a fazer as matriculas de Civil, resolveram usar windows+oracle, será que é necessário para fazer as incrições e para manter as bases de dados, usar um conjunto de ferramentas tão caro??

    E já agora os programas que uso no GNU/linux:

    - xmms- para mp3 e wav
    - realplayer- para os ram etc
    - windowmaker- que não há melhor que isto para window manager
    - pan- para newsgroups
    - figaro's- para guardar passwords dos sites que a malta vai, é do melhor
    - balsa- para mail, às vezes -kmail-, pelo que li na thread o evolution tem algo para importar o mail do eudora que uso no windowze tenho de experimentar.
    - gimp- para brincar
    - gqview- para ver as moças
    - staroffice 5.2- como não há ADSL nem cabo ainda não se arranjou nada de novo
    - opera, mozilla 0.97, konqueror- para a web, mas a preferência desde 1998 no winodows e agora no GNU/linux vai para o opera, quando algum destes não abre o site, então o site não vale a pena
    - gnumeric- para umas coisitas
    - licq
    - xchat
    Re:Espírito de manada (Pontos:1)
    por joaobranco em 08-02-02 12:49 GMT (#98)
    (Utilizador Info)
    Ainda não vi a nova versão do openoffice (já saiu alguma versão estável?) mas as versões que eu conheço do StarOffice não possuem todas as funcionalidades que eu uso do Office (ou então se possuem estão demasiado escondidas para eu encontrá-las):

    Word: estilo de parágrafos e de letras (não apenas de parágrafos), formatação de tabelas simplificada (no entanto as funções de equações e de referências estão melhores do que no MSOffice)

    Excel: VBScript para a criação de funções (nem tudo é suportado) e principalmente as funções de Data Mining (que estão muito boas no MSOffice)

    PowerPoint: animação temporizada para items individuais, notas para as páginas, suporte para templates diferenciados.

    e falta o Access(não uso o Outlook).

    Não quero dizer que seja impossivel trabalhar com o StarOffice 5.2 (que é o que eu tenho numa máquina Linux com RAM suficiente) mas de uma forma geral, como tenho uma licensa legitima para o OfficeXP, vou continuar a usá-lo até encontrar algo melhor.

    JB

    Re:Espírito de manada (Pontos:1)
    por falco em 08-02-02 20:12 GMT (#117)
    (Utilizador Info)
    oix! É so para dizer ke o star office/openoffice n tem o access (graças a "Tux") mas tem o star base. Durante mto tempo usei o ofice da m$, mas deisde ke uso LINUX uso o star office e n sinto falta de nada... principalmente do paper clip
    Re:Espírito de manada (Pontos:3, Interessante)
    por _Mordor_ em 07-02-02 19:59 GMT (#22)
    (Utilizador Info) http://www.plug.pt/
    Pega num utilizador médio de Linux ou Mac que nunca tenho usado Windows, mete-o a frente do Windows e diz-lhe para ele instalar e configurar as ferramentas do Palm. Talvez o newbie em Linux o faça primeiro.

    Eu nao acho o Linux mais dificil de utilizar no desktop nas aplicações que tem um nivel decente de desenvolvimento. Algumas ainda são muito básicas é verdade. O problema é que as pessoas estão habituadas ao paradigma Windows e a fazer as coisas de uma determinada maneira, e qualquer maneira diferente de fazer é mais dificil. Mesmo que, se partindo do zero, a maneira de fazer no Linux fosse mais fácil.

    Eu estou 100% de acordo com o que diz o Astronomo. No meu PC de trabalho, tenho apenas Linux. Não tenho dual-boot nem VMWave. Faço tudo em Linux e faço-o bem. Em casa tenho dual-boot, por causa dos jogos. Esta é uma das poucas razões que ainda vejo a necessidade de manter um desktop Windows.

    Ele (Astronomo) refere alguns programas que usa para as actividades do dia-a-dia. Eu não uso KDE, mas uso Gnome, e tambem no Gnome posso referir alguns programas, que tinham por objectivo inicial imitar aplicações parecidas do Windows, estão neste momento muito melhores que as aplicações do Windows. Por exemplo, para mim o melhor browser do s vários ambientes que utilizo é o Galeon, e aqui os senhores do KDE tem que dar a mão. Está anos luz á frente do Konkeror (que comparo ao Nautilus), e do IE. Para ler as news uso o Pan. Eles tentaram imitar o Agent do Windows, e isso nota-se na interface, mas neste momento está melhor que o Agent, na minha opinião. Ferramentas do Pilot, prefiro utilizar o jpilot, que para mim estão melhores, mais faceis de utilizar e mais rapidas que as da propria Palm, e não ocupam tanto espaço. O XMMS está optimo, o GRIP, CDroster, e xchat não têm concorrencia. Se estou em windows e quero ir ao irc, uso o xchat (versão windows) e não o mirc ou outras coisas que a canalha tanto gosta, cheia de corzinhas, e "features". Então o Evolution não tém comparação. Andei à procura de um cliente de email funcional, agradável de utilizar e seguro para windows, e não encontrei nada. O Eudora é pouco melhor que o Outlook, se é que é melhor. Até usa as mesmas bibliotecas do IE para fazer display das msgs em html que o Outlook usa, por isso não é mais seguro que o Outlook. Tomara eu ter o Evolution em Windows, para ter um email que possa confiar.

    Resumindo, quer sejas utilizador KDE ou Gnome, tens aplicações para quase tudo o que necessitas, talvez tenhas é que te habituar a uma nova interface e a uma nova maneira de fazer as coisas, mas que no final até se pode revelar como melhor que a que tens utilizado até agora.
    Re:Espírito de manada (Pontos:2)
    por leitao em 07-02-02 22:51 GMT (#38)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    Eu nao acho o Linux mais dificil de utilizar no desktop nas aplicações que tem um nivel decente de desenvolvimento. Algumas ainda são muito básicas é verdade. O problema é que as pessoas estão habituadas ao paradigma Windows e a fazer as coisas de uma determinada maneira, e qualquer maneira diferente de fazer é mais dificil. Mesmo que, se partindo do zero, a maneira de fazer no Linux fosse mais fácil.

    Diz-me, ja' alguma vez te ocorreu que se calhar o interface de utilizador do Windows e' melhor e mais facil de utilizar que os interfaces normalmente usados em Linux e outros Unix, e que seja essa a razao porque o Windows tenha sucesso no desktop ?

    Meu caro, o Linux e' talvez o meu segundo sistema operativo favorito (a seguir a Solaris); uso variantes de Unix's desde 1990; escrevi mais linhas de codigo que correm em Linux do que se calhar consigas imaginar; os computadores que tenho em casa correm Linux, Solaris e HP-UX (nenhum corre Windows); etc, etc, etc. Mas tenta compreender o seguinte: ha' coisas que o Linux faz muito bem, e ha' outras que o Windows faz melhor. Cada um tem o seu espaco, e nao e' preciso andar tudo 'as guerrinhas estupidas e a tentar converter os nativos 'a lei.

    Porra pa' isto e' assim tao dificil de aceitar ?


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:Espírito de manada (Pontos:0, Esclarecedor)
    por Anonimo Cobarde em 08-02-02 0:09 GMT (#49)
    Acaba por ser sempre o mesmo ... Com argumentos ou sem argumentos os gajos ainda não perceberam! enfim eu já desisti de explicar.

    Aqui ninguem está a tentar defender o uso de software da Microsoft ou lá quem seja apenas que há espaço para tudo.

    Respeito a opnião do autor da carta e comprrendo em parte o que ele quer dizer, mas tb compreendo a posição do leitão.

    Em relação a maneira de agir do leitão não quero estar aqui a defendê-lo, mas desde que me conheço no gildot que o conheço dessa maneira.


    Re:Espírito de manada (Pontos:2, Interessante)
    por jpgm em 08-02-02 9:58 GMT (#81)
    (Utilizador Info)
    Exactamente! há espaço para tudo! e bom senso tb!
    quanto à "maneira de agir do leitao" não vejo a que te queres referir! tb ja o conheco do gildot ha muito tempo e já por diversas vezes discordei da sua opinião, não é esse o caso nesta thread, de qq forma não me parece que desta ou de outras vezes tenha agido de uma forma pouco correcta.
    É preferivel entrar numa discussão de uma forma mais "seca" e abrupta do que com argumentos do genero:
    -o evolution é o melhor cliente de mail que existe
    -o star office é muito melhor que o office
    -o ie é uma mer..., o ____(kon..., nets..., moz...) é que é bom
    -o _____(linux/windows/beos/freebsd/macos/...) é o melhor sistema operativo já feito
    ...
    com este tipo de inicio de discussão não há grandes hipoteses de continuar, certo?
    Como diz o povo, e o povo é quem mais ordena:
    gostos não se discutem, lamentam-se! :-)

    Cumprimentos! zp
    Re:Espírito de manada (Pontos:1)
    por Dante em 11-02-02 1:21 GMT (#129)
    (Utilizador Info)
    bah.. ele (o leitao) é um vendido... pelo menos era o que ele costumava chamar aos outros ;-)
    Re:Mas que chatinhos!! (Pontos:2)
    por Branc0 em 07-02-02 22:24 GMT (#34)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    99% da população não conhece o StarOffice.


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:Mas que chatinhos!! (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 08-02-02 15:10 GMT (#100)
    (Utilizador Info)
    A maior parte da população vê fanaticamente telenovelas, futebol, ouve martelinhos e boys bands, conduz sem nunca usar os piscas, e, sim, acha que a Microsoft "inventou os computadores e a internet".

    Your point being...?

    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964
    Re:Mas que chatinhos!! (Pontos:1)
    por jorgelaranjo em 10-02-02 14:44 GMT (#126)
    (Utilizador Info) http://pensamentos.de/fueg0
    Já alguém se lembrou de utilizar LaTeX e gerar files *ps ou *pdf ?
    Nao têm virus de macro, independentes de S.O. e tá a andar...
    e agora digam que o LaTeX não é mais potente que o M$ OFFICE...
    regards,
    Jorge Laranjo
    Webprof
    Re:Mas que chatinhos!! (Pontos:1)
    por Astrónomo em 07-02-02 23:14 GMT (#40)
    (Utilizador Info)
    Tenho em meu poder os estudos de mercado que sustentam as afirmações que fiz. Estão em formato impresso e, tanto quanto eu sei, não estão acessíveis da Web (pelo menos gratuitamente). Estou certo que haverá pessoas que, ao contrário de ti, estão bem informadas e que, talvez, saberão indicar-te endereços de páginas onde, pelo menos, excertos destes estudos se possam encontrar.

    Para além da forma agressiva e grosseira como te exprimes, revelas uma especial dificuldade em desenvolveres uma argumentação lógica e fundamentada. E, como se isso só não bastasse, revelas não compreender nada sobre quais são, realmente, as questões em debate. Talvez uma leitura mais calma do meu artigo original te ajude a chegar lá.

    O que não deixa de ser intrigante são os 4 pontos que foram atribuídos à tua paupérrima intervenção...

    Re:Mas que chatinhos!! (Pontos:2)
    por leitao em 08-02-02 1:06 GMT (#55)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    Tenho em meu poder os estudos de mercado que sustentam as afirmações que fiz. Estão em formato impresso e, tanto quanto eu sei, não estão acessíveis da Web (pelo menos gratuitamente). Estou certo que haverá pessoas que, ao contrário de ti, estão bem informadas e que, talvez, saberão indicar-te endereços de páginas onde, pelo menos, excertos destes estudos se possam encontrar.

    Ca*a-lho pa', se tens essa documentacao, diz-me ao menos de onde e' que ela veio! Nao tens online ? Muito bem, mas nesse caso diz-me a origem para eu poder procurar! Ou se calhar, aplicando o principio de Ocam -- a solucao mais simples e provavel e' que esse estudo ou nao existe ou nao e' de forma alguma conclusivo.

    Para além da forma agressiva e grosseira como te exprimes, revelas uma especial dificuldade em desenvolveres uma argumentação lógica e fundamentada. E, como se isso só não bastasse, revelas não compreender nada sobre quais são, realmente, as questões em debate. Talvez uma leitura mais calma do meu artigo original te ajude a chegar lá.

    Agressiva ? Grosseira -- nahp, nao gosto e' que refiram "estudos dos quais nao encontro o URL" e depois digam que como nao os conheco sou ignorante. E se tu nao ves de que forma a minha thread original se refere ao teu artigo entao sugiro que vas ao medico ver se nao es dislexico.

    O que não deixa de ser intrigante são os 4 pontos que foram atribuídos à tua paupérrima intervenção...

    Se aplicares o principio de Ocam novamente, se calhar concluis que algumas pessoas possam concordar com a tal intervencao -- mas ja' vi pelo teu estilo que es daqueles que gostam de pregar a verdade aos outros.


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:Mas que chatinhos!! (Pontos:2)
    por leitao em 08-02-02 1:56 GMT (#63)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    Olha, encontrei um estudo (este e' real) para ti. Le o seguinte excerto de um artigo de market research da Gartner Research (nao me vais dizer que eles sao um monte de nabos pois nao?) entitulado "Linux-Based Graphical User Interfaces: Perspective" -- se tiveres curiosidade em o ler por extenso diz (eu tenho acesso a toda pesquisa da Gartner e tenho todo o gosto em te mandar uma copia por e-mail).

    Technology Analysis

    Business Use

    Whether KDE and GNOME can help Linux displace Windows on the desktop is hotly debated both inside and outside the open-source community. Linux so far has had most of its success coupled with open-source Apache as a Web server competing with Unix and Windows. It has also competed with Windows as a file-and-print server using the open source Samba implementation of the Microsoft Server Message Block (SMB) file-and-print sharing protocol which turns a Unix or Linux system into a file and print server for Windows clients. KDE and GNOME so far have mostly appeared in technical and specialty workstation markets. In those markets they are either run on Unix displacing CDE with their capability to run Motif as well as their own widget sets or with Linux displacing Unix in competition with Windows on Intel machines.

    More general desktop use on PCs is so far mostly ancillary to Linux-based server environments. User surveys by Ximian, a company distributing GNOME with additions aimed at desktop use, show that programmers developing applications for Linux-based Web and file-and-print server deployments, are the major users. Caldera, one of the two major Linux distributors with a specific desktop version, has also identified system administrators for file-and-print LANs as users. As one route expanding from these "grass roots" uses, Ximian notes that users often still have to keep a Windows box in order to tap into e-mail and other Windows-based corporate infrastructure. It targets eliminating that need with analogous programs that interface to the Microsoft Office set as well as Lotus Domino and others. Another opportunity is opening up as the interface in kiosks with Home Depot having recently chosen Linux for an in-store kiosk network. Ximian sees another emerging market, particularly in Europe and Latin America as governments sponsor the spread of computer use in schools and other public institutions. Others in the Linux community are looking to leapfrog the desktop to make Linux a choice for handheld and other information appliances. To that end, some projects are underway to reduce the size of the X Window System or create a replacement with a smaller footprint.

    Benefits and Risks

    The emergence of these new desktop environments provides Unix users with updated development and user environments compared to now aging Motif and CDE/Motif. They are essential to Linux' success in workstation markets and any move into Windows environments. Unix and Linux users will soon have the option of choosing GNOME from Hewlett-Packard as an alternative to CDE on HP-UX and from Sun for their Solaris workstations, presumably with customary support.

    For more widespread desktop use, Linux faces hurdles. A new, albeit intuitive, user interface may be among the least of these. Even ordinary users can assimilate the differences between a Macintosh desktop and Windows desktop, and Microsoft itself is introducing changes with Windows XP. Distribution, support, availability of peripherals and application readiness is a greater challenge. The KDE League has rightly focused on the need for promotion; witness Dell's recent discontinuation of Linux as a choice on its made-to-order machines through lack of demand. IBM, however, with its strategic commitment to Linux across all its platforms, is now offering Linux with KDE from Caldera on some of its ThinkPad notebooks. IBM is also backing KDE with a port of the Via Voice voice-recognition software for the KDE desktop. It has also donated printer drivers to the open-source community. Others including HP and Epson have begun to offer printer drivers.

    Tira as tuas proprias conclusoes.


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Usablidade do staroffice (Pontos:0, Esclarecedor)
    por Anonimo Cobarde em 07-02-02 23:54 GMT (#45)
    Eu posso dizer que escrevi um livro sobre Linux com cerca de 600 páginas em StarOffice 5.2 e apesar de ser um bocado lento a carregar, depois de estar carregado é extremamente rápido. Em termos de usabilidade, a principio também pensei que era limitado, mas depois, ao longo dos meses em que usei o StarOffice entre 6 a 12 horas por dia, cada dia ia descubrindo cada vez mais funções, shortcuts e formas novas de fazer as coisas (quer dizer, formas diferentes das do MS-Office). Neste momento penso que o StarOffice é um produto melhor que o Office em muitos aspectos e faz tudo o que o Office faz, muitas vezes melhor. Algumas das coisas que inicialmente pensava que o Staroffice não fazia, afinal vim a descobrir que as faz de maneira muito mais evidente que o Office: eu é que estava viciado. Por exemplo, a maneira como o Staroffice faz um master-document para juntar vários capítulos (em documentos diferentes) num só documento, é bastante mais eficaz. Quanto aos filtros, concerteza que os filtros para ler documentos do Office estão muito longe de ser perfeitos, mas em contrapartida qual é a qualidade dos filtros do Office para ler documentos externos ? Fernando Pereira
    Re:Usablidade do staroffice (Pontos:2, Informativo)
    por fmt em 08-02-02 10:48 GMT (#90)
    (Utilizador Info) http://www.fmtavares.net/
    "Em termos de usabilidade, a principio também pensei que era limitado" Isso não é usabilidade, é practicidade. Usabilidade prende-se com a facilidade de uso, não com a quantidade de características. Filipe Miguel Tavares fmt@usabilidade.net

    Filipe Miguel Tavares

    Não concordo com isto: (Pontos:4, Interessante)
    por Branc0 em 07-02-02 18:08 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    Não admira que sejam os países tecnologicamente mais avançados do mundo, aqueles em que a taxa de penetração do Linux é mais alta. E não admira que Portugal, o país mais atrasado tecnologicamente da União Europeia, seja aquele onde a taxa de penetração da Microsoft é mais elevada. Não são meras coincidências, Mário.

    Onde é que foste buscar isto?
    Só assim de repente lembro-me do caso do Brasil... lá porque usa Linux não quer dizer que seja mais evoluído que os outros.
    Até pelo contrário, na maior parte dos casos quando o Linux é massivamente usado (leia-se "utilizadores da função pública") isso só tem duas vertentes:
    1. Não ficar independente de software americano e de software closed source, sem "backdoor checking"
    2.Porque não há dinheiro para pagar as licencas do Windows e tem que se pensar numa solução mais barata.

    O segundo ponto não é claramente um indicador de progresso.

    Diria que no Brasil até será um conjunto dos dois pontos, mas como se pode ver na Europa, até nos países como Portugal em que dava jeito poupar uns trocos em produtos Microsoft não se aplica... mas enfim... isso já é outra política.


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Mas constata-se mesmo (Pontos:2, Interessante)
    por Astrónomo em 07-02-02 20:21 GMT (#25)
    (Utilizador Info)
    Não sei, em média, o Brasil terá melhores ou piores programadores que Portugal. O que é certo é que os melhores deles já subiram mais alto que os melhores nossos. Mas, claro, estamos a comparar países com uma população muito diferente, por isso o teu exemplo foi mau.

    O país mais rico da Europa (Alemanha) é, de longe, o mais activo em desenvolvimento para Linux. E o segundo mais activo, a França, é também o segundo mais rico. Mas, se calhar, achas que isto é coincidência...

    Re:Mas constata-se mesmo (Pontos:2)
    por Branc0 em 07-02-02 22:14 GMT (#33)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    O que é que a qualidade dos programadores tem a ver com o desenvolvimento do país?
    Perdi-me com esse argumento...


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:Mas constata-se mesmo (Pontos:1)
    por Astrónomo em 07-02-02 22:39 GMT (#37)
    (Utilizador Info)
    Está relacionado. Mas isso é tema para um outro debate ;-)
    Re:Mas constata-se mesmo (Pontos:1)
    por Lowgitek em 08-02-02 0:05 GMT (#48)
    (Utilizador Info) http://www.ideiasdigitais.co.pt
    Não ia entrar nesse "debate" por achar que não valia a pena mas ao ver este comentário suscitou me intervir também.

    A ter em conta o que disseste países como a Bulgária, India, Russia entre outros estavam bem desgraçados então isso só para citar alguns. Penso que não precise dizer que a nível mundial são tido como a nata do assunto.
    Re:Mas constata-se mesmo (Pontos:2, Informativo)
    por Astrónomo em 08-02-02 0:23 GMT (#52)
    (Utilizador Info)
    A Rússia e a Bulgária são países em crise económica, não em crise cultural e tecnológica, atenção. A Rússia nunca teve falta de massa cinzenta. E a Bulgária beneficia ainda de um programa governamental de grande escala implementado nos anos 80 que pretendia tornar a Bulgária numa potência na Informática. Fabricavam-se lá clones de PCs, Spectrums, e formaram-se óptimos especialistas de software, também. Quanto à Índia, é um país com mil mihões de habitantes. Pensa bem no que isso é.

    Agora se queres falar em verdadeiras potências na engenharia de software, fala-me de Israel (PHP, ICQ, etc.) com 6 milhões de habitantes, da Noruega com 4.5 milhões (Opera, Qt, Simula, etc.), Finlândia com 5 milhões (Nokia, Linus, etc.)... Isso é que são países!

    Mas, como disse, isto dava um debate à parte.

    Re:Mas constata-se mesmo (Pontos:1)
    por Lowgitek em 08-02-02 19:38 GMT (#114)
    (Utilizador Info) http://www.ideiasdigitais.co.pt
    Contra factos não há argumentos :) tens toda razão ainda não tinha pensado dessa maneira assim.

    My 2 euro ¢
    Re:Não concordo com isto: (Pontos:2)
    por Branc0 em 08-02-02 9:07 GMT (#78)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    As Universidades tiveram sempre um papel activo no mundo Linux, até eu que estudo numa Faculdade privada Microsoft Sponsored tenho vários computadores com o Linux instalado.

    No Brazil, e noutros países (como por ex. a China) não são apenas as Universidades que usam este sistema operativo mas também repartições da Função Publica. Sim, eu sei o que estou a dizer, FUNçÃO PUBLICA.

    Se é toda a função publica ou apenas parte dela, presumo que seja apenas parte. Infelizmente tambm nõ tenho aqui números precisos à mão.

    O que é um facto é que houve despachos do governo brazileiro para que em muitas repartições públicas o software proprietário fosse substituido por software livre.


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:Não concordo com isto: (Pontos:2)
    por Branc0 em 08-02-02 10:09 GMT (#83)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    De inocência ao funcionamento efectivo das coisas vai um grande passo.

    A partir do momento em que o ministério assina o despacho 90% da sua função está comprida (pelo menos em Portugal).
    Restam os outros 10% de supervisão para saber se o despacho assinado foi bem ou mal executado, e se for o último caso: encontrar o problema e/ou responsável pela não aplicação dos despachos.

    Isto tudo faz parte da Democracia, talvez seja um erro mas ainda acredito nela!.


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Vamos la acabar com isto... (Pontos:2)
    por Branc0 em 08-02-02 15:33 GMT (#101)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    Como já disse noutra parte qualquer desta thread que ja vai longa é possível que as coisas no Brasil não estejam tão bem como eu pensava.
    Por vezes as noticias que aparecem podem ser enganadoras e, neste caso, parece que fui um dos enganados.

    No entanto, não haja qualquer duvida que em termos de avanços no caminho do software livre os Brasileiros estão muito mais avançados que os Portuguese e qualquer país da Europa, isso continua a ter uma relação directa com os dois primeiros pontos que apontei no post inicial.

    Quano ao Ministério é forma de falar. Nestas coisas, em Portugal, o funcionamento de um Ministério ou de um pelouro da Câmara é muitas vezes idêntico, salvo as excepções que têem a ver com a dimensão da Câmara e do projecto.
    O pior que pode acontecer é a Câmara necessitar da autorização do Governo.


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Re:Não concordo com isto: (Pontos:2)
    por Branc0 em 08-02-02 12:24 GMT (#96)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    Talvez o quadro Linuxiano não seja tão cor-de-rosa como eu o pintei no Brasil...

    De qualquer das formas alguns municípios é melhor que o que temos em Portugal... Nestas bandas é tudo mais: "Linux? Então e o que é que o Windows faz com isso?"


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

    Na "mouche" (Pontos:3, Interessante)
    por henrique em 07-02-02 18:15 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Um artigo brilhante, uma vez mais. Parabéns.

    E este artigo traz consigo outro tema. Por mais do que uma vez, falou-se na necessidade de se criar um lobby Linux em Portugal. Existe a ideia generalizada em Portugal que lobby é uma organização que existe unicamente com intuito de defender privilégios para, normalmente, deixar as coisas como estão. Um lobby não tem que ser isso. Um lobby pode ser uma organização que leva a cabo campanhas de informação e que, também, exerce influência sobre os orgãos de decisão (políticos ou empresariais). Em Portugal há muito pouca informação sobre o Linux (o que se verifica, como se tem visto, até nos próprios entusiastas do Linux). O ministro da Ciência já demonstrou receptividade à ideia de iniciar uma conversão dos sistemas de informação da admnistração pública para Linux. Esta ideia do ministro não tem encontrado qualquer apoio da comunidade Linux. Ao invés, foi recebida com incredulidade e desconfiança. Esta é a pior atitude que se pode tomar. Se for o governo francês a tomar esta medida, a comunidade Linux portuguesa aplaude. Se for o governo português, é só críticas. Enfim, o ditado "santos da casa não fazem milagres" é a caracterização dessa mentalidade mesquinha ainda muito presente em Portugal, de inveja por quem faz. Se o ministro está receptivo, devemos apoiar a ideia.

    Re:Na "mouche" (Pontos:1, Engraçado)
    por Anonimo Cobarde em 07-02-02 19:54 GMT (#19)
    Tu ainda acreditas no pai natal? A Comunidade apoiar o governo? Achas que vinham para o gildot recrutar pessoal era? Sim, vamos todos doar umas horas de trabalho. Trabalho comunitario em prol do Linux, anti-capitalismo, anti-globalizaçao etc etc... Talvez se uma empresa mostrar uma proposta interessante, aconteça alguma coisa. Se grupo de trabalho do governo fizer mover as engrenhagens necssarias, talvez. Mas Linux no MC, onde?!?!?!? Nos desktops das secretarias? hihihiihihihi..
    Re:Na "mouche" (Pontos:2)
    por jmce em 08-02-02 10:36 GMT (#87)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    Isso tinha-me escapado. Quando é que o ministro demonstrou receptividade?
    Apoiado a 100% (Pontos:2, Informativo)
    por _Mordor_ em 07-02-02 20:05 GMT (#23)
    (Utilizador Info) http://www.plug.pt/
    Ignora as flames dos anormais que para ai' andam a dizer asneiras sobre o que tu escreveste. Estou 100% de acordo com o que escreveste, e acho que fizeste muito bem eu fazer esta carta pública, que embora endereçada ao Mário Valente, se pode aplicar a muitos outros que por aqui andam.
    Re:Apoiado a 100% (Pontos:2)
    por Gamito em 07-02-02 22:51 GMT (#39)
    (Utilizador Info) http://www.startux.org/
    Viva!

    Long time no see...
    Temos que planear qualquer m3*da Linux aqui para Aveiro. Não podemos ficar atrás dos outros :P

    Adiante...
    Eu estou de acordo contigo e com o Astrónomo de uma forma geral.
    Explica-me uma coisa: há uma semana tive uma reunião numa empresa com vista a *eventualmente* ser entregue (e veio a ser) à minha empresa uma web application. Coisa para uns números muito interessantes.

    Linguagem ? qualquer.
    RDBMS ? qualquer.
    Plataforma ? NT/IIS. Absolutamente inegociável.
    Devia ter dito "meus senhores, muito obrigado pelo vosso tempo, mas recuso-me a trabalhar para essa plataforma".

    De modo que estamos a fazer o trabalho em PHP/MySQL em NT/IIS.

    Responde-me agora, e isto sem ironia nenhuma: do teu ponto de vista devia ou não ter aceite o trabalho ?

    P. S.: Felizmente, também sei o prazer que é ter um emprego onde use Linux no desktop e nos servidores sem ter ninguém a perguntar-me o que é isso, desde que funcione, pelo que tenho experiência do ideal e do real.

    Mário Gamito
    Re:Apoiado a 100% (Pontos:1)
    por edsonmedina em 08-02-02 2:56 GMT (#69)
    (Utilizador Info)
    Se vais usar PHP/mySQL então nem vais notar que estás em Windows. A menos que estejas com ideias de fazer chamadas ao sistema, a unica difereça que podes notar é nos paths (isto se usares file io).

    Já fiz várias applicações PHP/MySQL a pensar no Linux que correram em Windows sem mudar uma linha de código sequer.
    -- calço o 40 e uso linux
    Re:Apoiado a 100% (Pontos:1)
    por _Mordor_ em 08-02-02 19:57 GMT (#115)
    (Utilizador Info) http://www.plug.pt/
    Boas.

    Temos que planear qualquer m3*da Linux aqui para Aveiro. Não podemos ficar atrás dos outros :P
    Sim, haja tempo :)

    Plataforma ? NT/IIS. Absolutamente inegociável. Devia ter dito "meus senhores, muito obrigado pelo vosso tempo, mas recuso-me a trabalhar para essa plataforma".

    De modo que estamos a fazer o trabalho em PHP/MySQL em NT/IIS.

    Responde-me agora, e isto sem ironia nenhuma: do teu ponto de vista devia ou não ter aceite o trabalho?


    Tudo depende. Tens outros trabalhos que possas fazer? Se sim diz não! Se não tens mais nada, tens que aproveitar. Felizmente que onde trabalho, não nos falta que fazer, (falta e' quem faça), e podemos dar-nos ao luxo de dizer: "pedimos desculpa, mas recusamo-nos a utilizar esse SO, ou essa DB". Muitas dessas plataformas inegociaveis passaram a ser negociáveis.

    Mas esta lógica não se aplica só a isto. Aplica-se a tudo na vida. Eu gostava que o meu trabalho do dia a dia, fosse testar jogos, e que me pagassem o mesmo que recebo hoje. Como não arranjei um trabalho desses, tenho o que tenho. É tudo uma questão de oferta e procura :)

    A partir do momento em que tenhas trabalhos mais interessantes para fazer, podes mandar 'as favas os menos interessantes.
    Gestao - Contabilidade e Afins... (Pontos:3, Informativo)
    por Anonimo Cobarde em 07-02-02 20:45 GMT (#26)
    Pois é meus caros, o Linux pode ser muito bom, mas existe uma grande falta de software de gestao. Ainda não encontrei "aquele" software que me faça as facturas, me processe os salarios, me controle os stocks, se alguem souber que mo diga. Ah ! E que tenha um minimo de qualidade e que se possivel esteja localizado para Portugues. Os meus Users já tem alguma idade e a maioria não sabe Inglês. Cumprimentos
    Gostei :-) (Pontos:2, Informativo)
    por Vitor Domingues em 07-02-02 21:59 GMT (#29)
    (Utilizador Info)
    Pois claro gostei doque li e de facto não acho que o Linux não preste para certas coisas como disse alguém, ele apenas exige uma gama de conhecimentos que nem toda a gente tem, eu por exemplo, mas também é verdade que o tipo de computador, e aqui entenda-se os seus componentes, pode fazer a diferença entre usar tudo ou não o conseguir fazer como no meu caso.
    XAVALADA (Pontos:0, Esclarecedor)
    por Anonimo Cobarde em 07-02-02 23:26 GMT (#41)
    Nao e' por nada, mas nestas ultimas confusoes, so' se veem ACs e nicks recentes...

    Com que direito veem criticar as ESCOLHAS PESSOAIS DE CADA UM ?!?

    A meu ver, cada um usa o SO que quiser e cada um e' livre de vir ao gil, desde que nao seja para criar confusao (que e' o que tem acontecido ultimamente!).

    O teu browser nao abre determinada pagina? Manda um mail ao webmaster! Agora nao andes e' a apontar pistolas 'a cabeca para usarem o browser que tu gostas!

    Acho vergonhoso esta carta ao mvalente! Depois de tudo o que ele fez pela divulgacao do Linux em Portugal!

    P.S. - E nao me identifico porque ja' tive um m4st3r l33t c0d3r sc1pt3er a melgar-me pelo mail! VERGONHOSO!

    Esta juventude vem com muito sangue na guelra e muito pouca educacao!


    Re:O puto Monge (Pontos:2)
    por raxx7 em 07-02-02 23:50 GMT (#44)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Your point being?
    De uma maneira pouco simpática, mas justificada perante os pseudo-elitismos (e é disto que se trata: se procurares neste thread encontras um post que se refere aos utilizadores vulgares de PCs como "canalhada") que grassam por aqui, ele disse uma grande verdade.
    E para alguém que se apressou a identificar alguém que desejava permanecer anónimo, o facto de te também teres optado por um anónimo só revela hipocrisia. Ou ele tem menos direito ao anonimato que tu?

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:O puto Monge (Pontos:2)
    por raxx7 em 08-02-02 2:47 GMT (#67)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Sim, certos trolls têm um jeitinho especial para me excitar a biqueira das botas!

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:O puto Monge (Pontos:2)
    por monge em 08-02-02 0:22 GMT (#51)
    (Utilizador Info) http://go.to/monk
    Obrigado por esclarecer os restantes leitores o tipo de pessoas que aqui habitam.

    Ja' ando aqui ha' alguns anos e nunca vi tanta falta de educacao. Isto tornou-se no que eu mais temia: um slashdot.

    Nao tenho problema nenhum em que me identifique, ate' porque muita gente aqui ja' me conhece e sabe distinguir criticas construtivas de lixo digital.

    Podia dizer aqui tambem o seu nome, mas aqui o "puto monge" vai e' deixar de aparecer por aqui... :(

    Agradeco a todos os editores e escritores de comentarios, mas isto de ha' um ano para ca', ate' mete pena.

    Um bem haja a todos!

    It doesn't matter who made it... It matters who got the idea (monk)
    Re:O puto Monge (Pontos:0, Despropositado)
    por henrique em 08-02-02 0:30 GMT (#53)
    (Utilizador Info)
    Deixa lá que sem intervenções como a tua passamos nós bem.

    Pronto, chamem-me cruel :P

    Deixem o rapaz em paz (Pontos:5, Interessante)
    por raxx7 em 07-02-02 23:33 GMT (#42)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    «Do what thou wilt. That shall be the whole of the law.»

    Aleister Crowley

    Mas que raios é que alguém tem a ver com o sistema operativo que o Mário Valente usa?
    Que hábito mais irritante de algumas pessoas em julgarem as necessidades dos outros pelas suas próprias.
    Obviamente que se o Mário Valente utiliza Windows no desktop, é porque isso lhe convém mais do que usar Linux. Ou seja, satisfaz as necessidades dele mais eficientemente do que o Linux.
    E a sugestão de que o Mário Valente utiliza Windows por hábito ou preguiça só pode ser feita por alguém que nunca leu coisas como isto.

    Não é tão simples utilizar Linux como por vez parece a quem já tem alguma familiaridade com isto. Ainda é necessário compreender certos conceitos e muitas vezes resolver um sem número de pequenos problemas que para quem está habituado são tão inócuos que nem damos por eles, mas que podem ser um obstáculo enorme para outros.
    Também sou da opinião que o Linux no Desktop sofre de algumas desvantagens em relação ao Windows, a vários niveis. Tanto em questão da plataforma como em questão de aplicações. E as suas vantagens também, é claro.
    Nem interessa quais são. Esta é a minha opinião e é ela que influencia a minha decisão Linux vs Windows. Outros terão as sua opinião e as suas necessidades. E a sua escolha.
    Se uns se sentem perfeitamente satisfeitos, outros não.
    A regra de que 80% dos utilizadores utilizam apenas 20% das funcionalidades do software não deve estar muito longe da verdade. Mas não usam todos os mesmos 20%...

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)

    O rapaz está em paz (Pontos:2, Esclarecedor)
    por Astrónomo em 07-02-02 23:56 GMT (#46)
    (Utilizador Info)
    Mas que raios é que alguém tem a ver com o sistema operativo que o Mário Valente usa?

    Pareces mais incomodado com o meu artigo do que o próprio Mário Valente...
    O Mário Valente é uma celebridade e, segundo muitos, um grande nome do Linux em Portugal. Ora espera-se que os grandes justifiquem as suas opções, sobretudo quando elas parecem colidir frontalmente com o seu estatuto. Foi esse o desafio que coloquei ao Mário Valente e ele penso que compreendeu-o.

    E a sugestão de que o Mário Valente utiliza Windows por hábito ou preguiça só pode ser feita por alguém que nunca leu coisas como isto.

    Quando se é novo corre-se e salta-se. Depois começa-se a engordar e a ficar mais comodista... todos conhecemos o filme. E se esses posts arqueológicos valem alguma coisa, não será de atenuante concerteza, pois o GUI no Linux evolui incrivelmente desde 1993 e agora, menos do que nunca, há razões para um apoiante do Linux não o utilizar.

    Também sou da opinião que o Linux no Desktop sofre de algumas desvantagens em relação ao Windows, a vários niveis.

    Se tens opinião formada, não te esquives a responder às questões que lancei no artigo original...


    Re:O rapaz está em paz (Pontos:2)
    por leitao em 08-02-02 1:26 GMT (#57)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    Pareces mais incomodado com o meu artigo do que o próprio Mário Valente... O Mário Valente é uma celebridade e, segundo muitos, um grande nome do Linux em Portugal. Ora espera-se que os grandes justifiquem as suas opções, sobretudo quando elas parecem colidir frontalmente com o seu estatuto. Foi esse o desafio que coloquei ao Mário Valente e ele penso que compreendeu-o.

    Tu tambem deves assinar a mail-list da ANSOL -- qual "o Mario Valente e' uma celebridade" ? Isto e' a !HOLA! ou que ? Parece e' que te estas a posicionar para lhe roubares o "estatuto".

    Se estas assim tao preocupado com o uso do Linux em Portugal, vai ajudar os tipos da Caixa Magica, escreve um livro ou entao faz um port do S ymbEL que ate' me fazia jeito.


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:O rapaz está em paz (Pontos:1)
    por vd em 08-02-02 1:37 GMT (#58)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Vais-me desculpar, mas nao percebi essa tua associacao com a ML da ANSOL... E' a HOLA do burgo ?

    Cumprimentos,
    vd
    Re:O rapaz está em paz (Pontos:2)
    por leitao em 08-02-02 10:41 GMT (#88)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    E' a "!HOLA!" do software livre :-)

    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:O rapaz está em paz (Pontos:1)
    por vd em 08-02-02 11:49 GMT (#93)
    (Utilizador Info) http://paradigma.co.pt
    Tu pah.. tu pah..
    e's um visionario ;)

    Se fosses brazuca, ainda diria que serias um criativo .. assim sendo ficas pelo visionario :)

    ps: Antes a Hola que a "Maria" ..
    tasjaber ? ;)

    Cumprimentos,
    vd
    Re:O rapaz está em paz (Pontos:2, Interessante)
    por Astrónomo em 08-02-02 1:38 GMT (#59)
    (Utilizador Info)
    A confusão continua a reinar nessa cabeça. Terias voltado a ler o meu artigo original?

    Sobre o Caixa Mágica já me pronunciei há umas semanas atrás e não repetirei argumentos.
    Tenho os meus projectos em prol do Linux. Em momento oportuno serão divulgados. No entanto, o que estou a fazer agora inclui-se na advocacia do Linux, e isto é uma área unanimente reconhecida como importante para o desenvolvimento desta plataforma. Uma linux-advocay fundamentada em argumentos sólidos, não conversa de tasca para onde alguns gostam de a levar.

    Re:O rapaz está em paz (Pontos:1, Gozão)
    por leitao em 08-02-02 10:34 GMT (#86)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    A confusão continua a reinar nessa cabeça. Terias voltado a ler o meu artigo original?

    Pra que? Ja' percebi bem a tua posicao, e o quanto inflexivel e'... e tu ? Ja' leste bem alguns dos posts aqui que estao com maior pontuacao ? Tenho os meus projectos em prol do Linux. Em momento oportuno serão divulgados.

    errmmm... cough, cough... nunca ...cough, cough.


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:O rapaz está em paz (Pontos:1)
    por hununu em 08-02-02 19:15 GMT (#113)
    (Utilizador Info) http://dequim.ist.utl.pt
    Pra que? Ja' percebi bem a tua posicao, e o quanto inflexivel e'... e tu ? Ja' leste bem alguns dos posts aqui que estao com maior pontuacao ?

    No dia em que as pontuações tiverem um significado interessante e reprodutível no gildot poderás invocar isso. Por ora, cais no ridículo.

    Um pouco de moderação não te ficava mal. Parece que um dos mais pontuados ( e consequentemente, pela tua lógica, um dos maiores expoentes a nível de insight interessante para o tópico ) é também dos maiores animadores de tascas. Dá que pensar.

    Um abraço triste, bruno miguel

    hununu, LTI-DEQ@IST, Portugal
    Re:O rapaz está em paz (Pontos:2)
    por raxx7 em 08-02-02 1:44 GMT (#61)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Pareces mais incomodado com o meu artigo do que o próprio Mário Valente...

    Provavelmente estou. Primeiro, acredito profundamente que, enquanto não interferirmos no direito dos outros de fazer o mesmo, temos o direito de fazer o que quiseremos sem dar satisfações a ninguém. Por mais "conhecidos" que sejamos. Qualquer atitude que vá contra isto me incomoda bastante.
    Segundo, o teu artigo não é tanto uma questão pessoal com o Mário Valente mas sim com as ideias dele. Como carta aberta, é natural que encontre eco em qualquer um que se interesse por este assunto.

    ...agora, menos do que nunca, há razões para um apoiante do Linux não o utilizar.

    Sim, absolutamente. Mas isso não quer dizer que não haja razões para o fazer.
    No teu artigo referiste uma lista de coisas que consegues fazer sem problemas no Linux que parece resumir aquilo que necessitas num computador. De mim pode-se dizer o mesmo. Óptimo para nós. Não tenho vontade nenhuma de fazer reboot para o Windows.
    Contudo, esse lista finita do que se pode fazer não prova que o Linux satisfaz todas as necessidades de GUI/Deskop de qualquer um ao ponto de não se utilizar o Windows.

    Ao contrário do Mário Valente eu não afirmo que o Linux nunca será melhor que o Windows em Desktop. Apenas observo várias deficiências actualmente.
    E a apoiar a minha opinioão, existe muito trabalho em curso para melhorar o estado das coisas. Não apenas em relação ao GUI mas em relação à facilidade de instalação/manutenção de um sistema Linux em geral. E cada vez haverá menos razões para usar Windows. Ou pelo menos assim o espero. A não ser que o produtos da Microsoft comecem a melhor substancialemente.
    Um dos problemas do Linux actualmente é a segmentação Gnome/KDE. De maneira alguma sugiro que devemos adoptar a uniformidade do Windows. Mas o Gnome e o KDE são duas plataformas distintas que fornecem algumas funcionalidades semelhantes mas que se pretendem comuns a todo o Desktop. Á medida que se procurar maior integração e interacção entre entre as aplicações, esta segmentação vai-se tornar um problema maior.
    A falta de interacção/integração nalgumas áreas também é um problema.
    Mas aqueles que sentem estes buracos já sabem disso. Os que não sabem é porque não precisam de saber.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)

    Re:O rapaz está em paz (Pontos:1)
    por Astrónomo em 08-02-02 1:54 GMT (#62)
    (Utilizador Info)
    Estás a ver que, quando queres, até escreves umas coisas interessantes? E se leres com atenção o meu artigo original, verás que não contradiz em nada aquilo que acabaste de escrever.

    Se não tivesses sido precipitado e deixado levar pela emoção, terias percebido que o desafio que coloquei ao Mário Valente não era, de modo algum, ofensivo (e ele foi o primeiro a reconhecê-lo). Procurei suscitar um debate alargado onde houvesse uma troca de argumentos inteligentes e, acima de tudo, que se desenrolasse com elevação.

    Infelizmente, isso não sucedeu. Houve bocas reles, provocações torpes, e não compreendo porquê. Pela minha parte, fiz todos os possíveis para que tal não sucedesse.

    Re:O rapaz está em paz (Pontos:2)
    por raxx7 em 08-02-02 2:31 GMT (#66)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    O que me incomoda no teu artigo é a tua postura moralista sobre um assunto que não te diz respeito. Como disseste, dirigiste aquilo ao Mário Valente porque achas que ele é uma pessoa conhecida na comunidade unix. Isso não faz com que perca o direito a usar o SO que bem entender sem ter outros a tecer comentários ou pedir satisfações sobre isso.
    Se quisesses ter um debate alargado, não tinhas endereçado a carta ao Mário Valente.
    A questão do ofensivo é subjectiva. Pessoalmente considero ofensivo quando se metem em assuntos que não devem. Mas também sei que a maioria das pessoas é bastante mais tolerante que eu em relação a isso e aprendi a moderar as minhas reacções.
    Quanto aos comentários reles, não são problema teu. Não és responsável pela falta de educação dos outros.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:O rapaz está em paz (Pontos:1)
    por Astrónomo em 08-02-02 2:56 GMT (#68)
    (Utilizador Info)
    Não concordo que seja um assunto que não me diga respeito pelas seguintes razões:
    1. O MV exprimiu-se publicamente, na qualidade de "defensor do Linux", no sentido que o Linux não serve para Desktop. Este facto é muito importante, crucial mesmo na justificação da minha carta aberta.
    2. O MV, pelo seu estatuto, é uma pessoa com poder para influenciar outras pessoas.
    3. Um recém-chegado ao Linux poderá encarar a posição do MV como um exemplo a seguir. E isto eu não posso permitir. Procurarei, por isso, demovê-lo utilizando, tal como fiz, argumentos racionais.
    4. Interpelar o MV, na forma de carta aberta, sobre as suas ideias face ao Linux, é perfeitamente razoável e, até agora, não tive indicações que ele tivesse ficado incomodado com o facto. Se a seguir, ele quiser publicar uma carta aberta para mim, onde me questiona sobre as minhas opções a nível de software, terei todo o gosto em responder. Não ficarei minimamente chateado com o facto.

    Re:O rapaz está em paz (Pontos:2)
    por raxx7 em 08-02-02 3:26 GMT (#73)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    É aqui que a nossa diferença de opinião chega a um impasse.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:O rapaz está em paz (Pontos:2)
    por leitao em 08-02-02 10:44 GMT (#89)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/
    Infelizmente, isso não sucedeu. Houve bocas reles, provocações torpes, e não compreendo porquê. Pela minha parte, fiz todos os possíveis para que tal não sucedesse.

    O que ja' reparei e' que qualquer comentario que discorde contigo e' imediatamente apelidado de "reles".


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:Deixem o rapaz em paz (Pontos:2)
    por Dehumanizer em 08-02-02 15:50 GMT (#102)
    (Utilizador Info)

    «Do what thou wilt. That shall be the whole of the law.»

    Aleister Crowley

    Citar satânicos é sempre divertido. :)

    E a sugestão de que o Mário Valente utiliza Windows por hábito ou preguiça só pode ser feita por alguém que nunca leu coisas como isto.

    Impressionante, muito impressionante. 93... bons tempos. :) Também fiz umas brincadeiras com o Linux (kernel < 1.0) por essa altura, no meu poderoso 486 de então...

    Tem piada o Mário queixar-se dos 2.5 Mb que as sources do kernel ocupavam. :)


    "We have no choice! Our Communist overlords will slay us if we fail in our mission!"
    - A chinese military officer, "Tales of Suspense" #50, 1964

    Re:Deixem o rapaz em paz (Pontos:2)
    por raxx7 em 10-02-02 20:26 GMT (#127)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Aleiter Crowley não era propriamente um satânico. Se bem que as suas crenças fizessem o pesadelo de qualquer cristão e as suas obras tenham sido utilizadas como referência por grupos satânicos. As suas crenças colocam-no um tanto à parte da mitologia cristâ/satânica. Se bem que... mas o homem nunca fez 100% sentido. De qualquer maneira gosto do espirito daquela frase. Sem levar a sua interpretação a extremos, é claro.
    2.5 MB naquela altura representavam muito mais para o meu disco de 125 MB do que 100 representam para o meu actual de 20 GB.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Memoria curta ? (Pontos:3, Engraçado)
    por Anonimo Cobarde em 08-02-02 0:32 GMT (#54)
    nao eras tu que tinhas tentado instalar Linux num Portatil e acabaste por o "estragar" lol (nao arrancava ...) e inclusive "lixaste" tambem um leitor de CD-ROM para depois vires para aqui culpar o Linux ha' uns meses/semanas atras ? :] quano o problema estava no hardware ... tsk tsk tsk ... eu bem tentei encontrar o artigo mas nao encontro :/ Vemos que fizeste progressos :]
    Re:Memoria curta ? (Pontos:3, Informativo)
    por raxx7 em 08-02-02 2:16 GMT (#65)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Memoria curta ? (Pontos:-2)
    por Anonimo Cobarde em Sexta Fevereiro 08, @12:32AM WET (#54)
    nao eras tu que tinhas tentado instalar Linux num Portatil e acabaste por o "estragar" lol (nao arrancava ...) e inclusive "lixaste" tambem um leitor de CD-ROM para depois vires para aqui culpar o Linux ha' uns meses/semanas atras ? :] quano o problema estava no hardware ... tsk tsk tsk ... eu bem tentei encontrar o artigo mas nao encontro :/ Vemos que fizeste progressos :]

    É uma triste verdade que pode ser encontrada aqui.
    Como é que alguém que há 2 meses se queixava de que o Linux lhe tinha estragado um computador portátil e um leitor de CD-ROM vem agora dar lições de moral sobre o SO que os outros usam?

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)

    Re:Memoria curta ? (Pontos:0, Esclarecedor)
    por Anonimo Cobarde em 08-02-02 3:07 GMT (#71)
    e qual é a espiga, ó meu?
    se ele foi capaz de ultrapassar as adversidades que às vezes acontecem e não desistir e ser agora um defensor do linux, isso não é motivo para crítica, antes pelo contrário! tomara que todos fossem assim
    Re:Memoria curta ? (Pontos:2)
    por raxx7 em 08-02-02 3:18 GMT (#72)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Mas ele tem umas têndencias para adoptar umas posições extremas...
    De alguém que parecia pronto a desistir do Linux para alguém que critica os outros só porque afirmam que o Windows vai continuar a ser melhor que o Linux no Desktop...

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Memoria curta ? (Pontos:2)
    por raxx7 em 08-02-02 3:49 GMT (#75)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Frequentemente. Mas dai a por um artigo como aqueles vai um bom bocado não?
    Não estou a defender o Mário Valente. Como já para ai escrevi, não concordo com ele quando ele afirma que o Linux nunca virá a ser melhor que o Windows no desktop. Isso ainda está para se ver.
    Contudo, não gostei do tom do artigo, muito à luz do anterior artigo do Astrónomo. E depois esse artigo que desenterrei...
    Enfim, faz-me lembrar os newbies que mal se começam a ambientar começam a ter atitudes elitistas.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Memoria curta ? (Pontos:2)
    por raxx7 em 10-02-02 20:58 GMT (#128)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Não é uma questão de nivel.
    Nem de querer humilhar o Astrónomo pela falta de conhecimentos que revelou no tal artigo. Na verdade, isso apenas reforça os argumentos dele em relação à facilidade de utilizar o Linux - em dois meses passou de ser "dificil de configurar" para "tão simples e rápido que qualquer miúdo de 12 anos o executaria".
    Fui buscar esse pedecinho de história lamacenta para que se pudesse atentar no tom do dito artigo. Nele, o Astrónomo afirma categoricamente, sem dar ao Linux o beneficio da dúvida - coisa rara por aqui de qualquer maneira - que o Linux "estraga hardware".
    Veio para a praça pública denegrir o Linux com FUD, sem se preocupar em obter o minimo esclarecimento sobre o seu problema.
    Será que o Astrónomo é um PR da M$?


    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Re:Memoria curta ? (Pontos:2)
    por raxx7 em 11-02-02 15:56 GMT (#131)
    (Utilizador Info) http://raxx7.no.sapo.pt/
    Justifica isso. Podes apontar onde é que eu critiquei o Linux injustificadamente?

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    E já agora... (Pontos:1)
    por Presley em 08-02-02 1:18 GMT (#56)
    (Utilizador Info)
    ...vais-me dizer que só jogas quake e solitário? Ou então não jogas e não queres que mais ninguém joge?
    Q&A: Red Hat [CEO] says Linux can't beat Windows (Pontos:4, Informativo)
    por Ricardo Dias Marques em 08-02-02 10:29 GMT (#84)
    (Utilizador Info)
    Olá a todos,

    Julgo que contribuirá para a reflexão uma entrevista dada pelo CEO da Red Hat (Bob Young) à ZDNET UK, no passado dia 4 de Fevereiro (apenas há quatro dias)

    Red Hat [CEO] says Linux can't beat Windows
    http://zdnet.com.com/2100-1104-828802.ht ml

    Para mim, existem duas partes mais interessantes na entrevista. A primeira é um resumo relativo a uma entrevista anterior:

    Leading Linux vendor Red Hat said at last month's earnings announcement that it would be emphasizing its focus on two key areas: replacing legacy Unix systems, and expanding its presence in the embedded market.
    E o segundo excerto refere-se precisamente ao papel/importância do Linux no Desktop. Nas palavras de Bob Young:
    I used to stand up in front of Linux crowds and say, "Linux will never be successful on the desktop," and of course I'd get booed off the stage. And I finally realized the mistake I was making. Linux will not be successful on the PC replacing Windows OS. But we absolutely will be successful on the desktop as a geographic location.

    Think about what's the killer app that's taken us as far as we've gone -- because people don't buy operating systems, they buy applications. Well, the killer app that has driven this model is the Internet itself.

    Claro que o Linux NÃO é a Red Hat, mas julgo que o Bob Young está com as idéias muito bem arrumadas, do ponto de vista estratégico, para a Red Hat (entendida como aquilo que é: uma empresa).

    Um abraço a todos, Ricardo
    E a performance?? (Pontos:1)
    por Tuaregue em 08-02-02 10:30 GMT (#85)
    (Utilizador Info)
    Caro Astronomo.
    Eu como utilizador de Linux, compreendo a tua questão, pois já a fiz a mim mesmo várias vezes. Mas posso te dizer que que o único entrave que me deixa agarrado ao Windows neste momento, é a performance deste. Eu até utilizaria mais vezes o Linux como desktop(estamos a falar de KDE e de Gnomee das suas aplicações, certo??), mas exsite um facto que não pode ser negado o windows em desktop é mais rápido que o linux, tanto no arranque de aplicações, como na utilização das mesmas. Por isso não é de admirar que os utilizadores de Linux por vezes usem o windows como desktop.
    Concordo plenamente quando dizes que o linux no desktop já está quase ao nivel do do windows, e isso foi visivel a quando da passagem do kde 1.2 para o 2.0, já para não se falar do Gnome esse sim, esse é que deu um grande salto a nível de estabilidade e de performance, não o uso nem sou fã do Gnome mas tenho que reconhecer os progressos dados no Gnome, mas ainda há muito caminho pela frente até chegar-mos e até mesmo ultrapassarmos a performance do windows no desktop, talvez daqui a dois ou três anitos, já possa dizer o contrário, mas 2 ou 3 anos é muito tempo num campo como a da Informática.
    Por este e por outros motivos já atras referidos por outros Gildotianos, eu acho que o Linux não está pronto para poder conquistar o mercado dos desktops, eu estou a referir-me ao desktop dos home user, e dos tótós.

    Tuaregue


    Re:E a performance?? (Pontos:1)
    por joaorf em 08-02-02 17:50 GMT (#105)
    (Utilizador Info)
    mas ainda há muito caminho pela frente até chegar-mos e até mesmo ultrapassarmos a performance do windows no desktop

    É inegável que o Windows tem melhor desempenho a nível de UI (User Interface). Mas custa-me a crer que isso possa constituir razão para que um "defensor" do Linux opte pelo Windows.

    Fazendo um balanço, é curioso, que em mais de 100 intervenções não houve praticamente uma única objecção de fôlego aos argumentos do Astrónomo. Foi quase tudo pelo lado da emoção, pelo lado da peixeirada. E é pena, porque foram focados pontos muito interessantes na crónica dele.

    Re:E a performance?? (Pontos:1)
    por aknot em 08-02-02 18:16 GMT (#107)
    (Utilizador Info)
    Não estou de acordo... Por partes, toda a gente sabe que o Windows consegue ser muito pesado. Também se sabe que o Linux é efectivamente mais rápido e leve que o Windows.

    Para exemplo, no outro dia para experimentar, instalei Mandrake 8.1 e como é lógico achei pesado quando comparado com o Debian Potato + alguns pacotes portados por mim.

    É de tal maneira lento que me lembrei da altura em que experimentei o Win NT. Mas estava a correr um SO de última geracao com todo o que há de mais recente (kernel, xfree86, etc.)

    Agora para perceberem o que quero dizer, o computador é um P200MMX com 96 MB de mem, mesmo nada de especial. Agora imaginem-no a correr um SO de última geração da M$ como o Windows XP aka "Chispe".

    Será que arrancava?

    Claro que eu posso escolher programas mais leves para fazer exactamente o mesmo. Já usei durante bastante tempo o KDE e corria perfeitamente mas eu sou minimalista e gostos de coisas muito simples logo instalei o blackbox, poupando um bocado na carga sobre o processador.

    Programas que instalo primeiro vejo quantos há para fazer a mesma coisa e instalo o que tem menos dependências e que me agrada mas isto sou eu... :-)

    Aknot

    Re:E a performance?? (Pontos:1)
    por Lowgitek em 08-02-02 20:45 GMT (#120)
    (Utilizador Info) http://www.ideiasdigitais.co.pt
    Visto ser um utilizardor da mandrake desde a algum tempo, e não só uso quase tudo da familia rh :).

    Ora bem o meu mandrake em especial o 8.1 nunca me apresentou muito mais lento que o meu windows em nada que me lembre a naão ser nos pluggings do xmms que são um bocadinho mais lentos que os do winamp no windows com o direct x 8.

    Para uma utilização normal tenho o meu mandrake quase tão rápido e em algumas coisa como conexão a internet via isdn muito mais rápida e a nivel de browser tirando o tempo de arranque do netscape que ja foi beeeeeeeeeeem pior ehehe acho quase tão ráipo quanto o IE a nível de arranque.

    Em utilização tirando uma coisa o outro o windows é melhor mas penso que seja tudo uma questão de habituação a ponto de a uns tempos atras eu ter sido um defensor convicto da Ms por n motivos agora acho que nunca mais consegueria deixar de utilizar o Linux, de tal forma que já não consigo usar o windows da mesma maneira porque me faz muita falta muitas coisas atalhos e funcionalidades que tenho no meu KDE.

    Enfim é uma questão de uso tenho pena e de não ter começado a usar o linux a mais tempo e a me dedicar mais a isto.

    Concordo contigo quando se começam prai com comparaçoes de Windows vs. Linux World. Não se pode comparar o mdk 8.1 por exemplo com um windows 98 numa máquina fraca os requisitos e agora falo dessa que conheço bem são tão fortes quase como uma maquina que precise correr o XP.


    Re:E a performance?? (Pontos:1)
    por Tuaregue em 08-02-02 23:17 GMT (#122)
    (Utilizador Info)
    Entao deixa-me dizer-te também uma coisa eu uso um P233MMx com 128Mb de ram. Tenho o win2000 instalado numa partição e o mandrake 8.0(questões sentimentais) noutra partição do disco, e noto a diferença quando passo do win2000 para o linux, também uso o blackbox por ser muito leve, mas continuo a preferir o kde como desktop.
    De resto estou de acordo contigo.
    ? (Pontos:2, Engraçado)
    por Anonimo Cobarde em 08-02-02 11:10 GMT (#92)
    So uma questao? Afinal de contas quem é o Mário Valente?
    Re:? (Pontos:3, Engraçado)
    por mvalente em 08-02-02 18:47 GMT (#110)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    So uma questao? Afinal de contas quem é o Mário Valente?

    ME TOO! PLZ EMAIL ME WITH THE ANSWER....

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:? (Pontos:1)
    por Maeglin em 09-02-02 0:01 GMT (#123)
    (Utilizador Info)
    Qualquer gajo sabe quem é o Mario Valente...:-) Para quem não o conhecer pessoalmete , pode clicar Aqui

    "Nasci careca, nu e sem dentes. O que vier, é lucro!"
    Ooooooh maaaaaan.... (Pontos:1)
    por elclip em 08-02-02 19:02 GMT (#112)
    (Utilizador Info) http://na-cama.com
    ...haja santa paciência. Tá bem que ele há referências culturais mais salientes (passe a chalaça), mas uma pergunta destas...
    http://na-cama.com - um sítio para descansar, finalmente...
    Linux no desktop (Pontos:1, Interessante)
    por Anonimo Cobarde em 08-02-02 17:35 GMT (#103)
    Acho que ninguém fez a pergunta: porque é importante que o linux seja melhor que o windows no desktop?

    O Astrónomo diz que não é uma questão de preço, mas sim de liberdade. Agora reparem na lista de programas referidos no artigo. Metade deles são clones de programas de windows, que usam formatos/protocolos proprietários. Outros nem são programas de desktop.

    Depois, passa do problema "linux no desktop" para "linux no geral", esquecendo rapidamente a razão da carta aberta:

    O que realmente me cativa no linux são os princípios em que assenta. Essa extraordinária conjungação de esforços de milhares de programadores por todo o mundo que, desinteressadamente, mostram que para fazer bom software não são precisas empresas com recursos faraónicos, doutorados de Stanford pagos a peso de ouro, uma política de secretismo quanto ao código fonte, e estratégias concorrenciais eticamente duvidosas. É a possibilidade que me proporciona, se quiser e tiver capacidade para tal, de poder dar o meu contributo para melhorar um software. É a possibilidade de eu, se quiser aprender como determinado programa foi feito, poder ler o seu código-fonte.

    O Astrónomo não deve ter reparado que muitos programas mencionados não têm o código fonte disponível. Lá se vai a teoria da liberdade.

    Qual é a diferença entre usar este tipo de programas em windows ou linux? Para o utilizador de desktop não existe diferença, porque o acesso ao código fonte não está na lista das suas preocupações. Por isso é que este artigo não diz nada. Não diz porque é que é importante o linux vencer no desktop, isso sim uma questão interessante e mais difícil de responder.

    Se! (Pontos:3, Interessante)
    por slug em 08-02-02 20:18 GMT (#119)
    (Utilizador Info)
    aproveitassemos o tempo que perdemos aqui a martelar no teclado em discussões que não levam a LADO NENHUM, a fazer alguma coisa de ÚTIL em proveito do software Open-Source, já tinhamos feito todo o software com as capacidades desejadas e por desejar...se não gostam , não usem. se usam, não se queixem que não tem as funcionalidades que pretendem: CONTRIBUAM e deixem-se de tretas pois quem faz o software livre que nós usamos são pessoas iguais a nós que provavelmente têm coisas mais interessantes para fazer na vida e que se calhar com a nossa contribuição teriam mais tempo para isso...

    "(...)Really, programmer's lives are boring, I wish my life would be as exciting as other people's life appear to be. (...)
    After all, writing software alone is not that interesting, the most interesting part is interacting with other developers, and watching how community projects grow.(...)"
    - Miguel de Icaza


    Um bom post (Pontos:2, Interessante)
    por joaorf em 08-02-02 21:20 GMT (#121)
    (Utilizador Info)
    Já no rescaldo da discussão (isto para usar um vocabulário desportivo), e tendo lido por mais do que uma vez o artigo do Astrónomo, tenho que reconhecer que é um óptimo artigo. Bem escrito, informativo, e consegue sintetizar argumentos fundamentais: por um lado, responde àqueles que, por medo ou ignorância, desconhecem que o Linux actualmente já consegue ser uma alternativa no Desktop; e, por outro, aborda as questões de princípio, aquelas que fazem com que muitos de nós sejamos apaixonados por este sistema operativo.

    Infelizmente (ou não) o artigo original soltou dos buracos uma certa escória, perfeitos trogloditas que nem o domínio da língua portuguesa revelam ter, muito menos a capacidade de argumentar racionalmente. Calculo que o Astrónomo se possa sentir desanimado face aos ataques caceteiros de que foi alvo.
    Mas quero assegurar-te que houve muitas pessoas que, embora não tivessem intervindo na discussão, adoraram o teu artigo. Conseguiste fazer algumas pessoas mudar de atitude face ao Linux: até já me têem pedido conselhos para instalar o Linux! Por isso, no balanço final, saíste vencedor deste debate.

    E não te esqueças: Os cães ladram, a caravana passa.

    Parabens. (Pontos:1)
    por kaser em 20-02-02 19:15 GMT (#132)
    (Utilizador Info) http://kaser.nsk.yi.org
    Eu posso dizer que sou um dos muito tipos.. que dizem bem do linux mas só o usam para servidores (tipo, olha para o que eu digo e nao para o que eu faco).
    Iste post fez-me aperceber disso (realmente), e faz-me ter vontade de instalar/configurar no meu "home pc".
    Obrigado.

    Hugs,
    Kaser
    Re:Hello? (Pontos:5, Interessante)
    por mvalente em 07-02-02 17:22 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    A mensagem não é dirigida a um leitor do Gildot mas sim a um editor do Gildot. Tem, por isso, um estatuto especial.

    Porquê ? Bem, se não fosse aprovada, os editores (qq um deles) seriam acusados de censura; de medo; de não quererem responder. Se fosse aprovada (como foi), o Gildot seria acusado de se transformar num forum não de assuntos publicos mas de assuntos e quezilias privadas. Como foi...

    Mas se a questao fosse apenas privada, a mensagem nem seria aprovada. Os assuntos pessoais e privados são, de facto, para discutir noutros fóruns ou por email.

    Mas a mensagem, independentemente de ser dirigida como carta aberta a uma pessoa/editor especifico, acaba por levantar questoes pertinentes e importantes. Que interessam a todos nós.

    As questoes levantadas merecem portanto uma resposta publica. Que pretendo dar, mas provavelmente não hoje: não é só o tempo que falha (e download do Google está a acabar :-); a propria mensagem original é grande bué (já está no dicionario; use-se...) e levanta questoes que merecem resposta clara, ponderada e (potencialmente) extensa.

    Por isso, desde já, as minhas desculpas ao autor e a todos pela demora na resposta.

    Cumprimentos

    Mario Valente

    Re:Hello? (Pontos:1)
    por Maeglin em 09-02-02 13:01 GMT (#124)
    (Utilizador Info)
    E vais ter que instalar Linux no portatil senão o Astronomo -vá-se lá saber porquê- acha que trais-te tudo em que acreditas e como bom samaritano que é ( e profundo admirador de tudo o que fazes ou dizes) , vai sofrer mais um rude golpe.

    Tradução: Não vai haver resposta a esta carta aberta nos tempos mais proximos , quanto mais que não seja porque é mais divertido ver o codigo do google.


    "Nasci careca, nu e sem dentes. O que vier, é lucro!"
    Re:Hello? (Pontos:1, Engraçado)
    por Anonimo Cobarde em 07-02-02 18:39 GMT (#13)
    Claro pá! São muito mais interessantes artigos tipo a emissão na Internet do kernel em audio, ou então "saiu a versão 1.4.6.5 do Apache" ou então, ainda, "Já viram que os cartões multibanco têm uma nova cor?"!
    Re:thread vs post (Pontos:1, Redundante)
    por joaorf em 07-02-02 21:35 GMT (#28)
    (Utilizador Info)
    Na minha opinião, justifica-se a abertura de um novo artigo para abordar este assunto, sim.
    Como o autor referiu, o estatuto de que goza o Mário Valente e a influência que ele exerce sobre muitas pessoas assim o justifica. Para além disso, a forma invulgarmente elevada como o artigo foi escrito (a contrastar muito com o nível sarjeta de algumas respostas que teve) merece bem a publicação.

    Congratulo o Astrónomo por, nos últimos dois artigos, ter conseguido que venham ao de cima alguns podres interessantes na comunidade Gildot...

    Re:thread vs post (Pontos:1)
    por Lowgitek em 08-02-02 0:14 GMT (#50)
    (Utilizador Info) http://www.ideiasdigitais.co.pt
    "Congratulo o Astrónomo por, nos últimos dois artigos, ter conseguido que venham ao de cima alguns podres interessantes na comunidade Gildot.."

    Podres ?? err um bocado de exagero não ?

    De qualquer modo "Astrónomo" apesar de não concordar a 100% contigo achei que soubeste colocar a questão de forma inteligente e com um estatuto mais nobre do que a discurção ali da tasca ao lado, parabens pelo mesmo.

    Resposta a um troll (Pontos:2, Esclarecedor)
    por Astrónomo em 07-02-02 22:36 GMT (#36)
    (Utilizador Info)

    Não tenho por hábito responder a anónimos cobardes, muito menos a trolls. Mas como este votou em si mesmo (a táctica não é nova: enviar um artigo que se tem vergonha de assinar com o seu nome, e depois utilizar os seus pontos de moderador para votar em si mesmo) e assim tornou o seu artigo visível por omissão, convém que diga umas breves palavras.

    Se a Microsoft domina o mercado é, antes de mais, não devido a mim ou a qualquer outro entusiasta do Linux. Domina-o devido a muitos factores, entre os quais, com toda a evidência, devido a papalvos como tu.

    Assim sendo, e tendo que optar, fica-te pela água benta ou se quiseres pela água raz. Esta poderá constituir uma boa solução para diluir se não todas, pelo menos algumas imbecilidades que conseguiste concentrar em tão poucas linhas, proferidas à maneira do idiota pobre mas honrado, nos diversos limites legais de alcolemia (0.2 ou 0.5 g/l).


    Re:thread vs post (Pontos:2)
    por Branc0 em 08-02-02 9:09 GMT (#79)
    (Utilizador Info) http://www.branc0.f2s.com
    Por esta hora em que te escrevo este comentário, já há 77 comentários.
    Quer-me parecer que a atitude certa foi tomada.


    "Se vi mais além do que outro, é porque estava nos ombros de gigantes."
    Sir Isaac Newton

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]