gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Na cauda estreita da banda larga
Contribuído por jmce em 23-06-01 11:46
do departamento less-hype-more-pipe
Internet Um artigo no Economist [fonte: Tomalak's Realm] discute o estado do acesso de "banda larga" à Internet, partindo de dados da OCDE de Janeiro: "enquanto as empresas de telecomunicações gastam uma fortuna na construção de redes móveis de terceira geração embora não estejam seguras de alguém as querer, em muitas partes do mundo parecem incapazes ou sem vontade de disponibilizar ligações de banda larga a preços razoáveis, apesar de os clientes as quererem". A falta de competição, os monopólios ou quase-monopólios protegidos por negligência estatal, etc... A situação é bem mais risonha na Coreia do Sul e no Canadá ("broadband for all by 2004").

O tamanho do Linux | A arquitectura de componentes do Unix  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • gildot
  • artigo no Economist
  • Tomalak's Realm
  • Canadá
  • "broadband for all by 2004"
  • Mais acerca Internet
  • Também por jmce
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    dont think so ... (Pontos:2, Interessante)
    por echo em 23-06-01 15:44 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Para que o uso de *netcabos* *adsl* e afins, se o servico prestado pelas operadoras destes servicos nao for de qualidade? quando que um 56k com um servico bem prestado e bem mais eficiente e muito mais estavel eu pessoalmente tenho adsl jah a algum tempo e ao fim do primeiro mes deixei de a usar uma vez que o preco a pagar era muito elevado e o servico deixava muito a desejar .. por exemplo os precos no meu isp em relacao ao 56k sao: horas ilimitadas por 3 contos, enquanto com adsl pagaria 6 contos por 300 horas mais 50 escudos por hora, eu nao vejo utilidade na banda larga num consumidor *caseiro* pois por exemplo com a adsl teria de pagar muito mais e nao teria a mesma estabilidade, para que velocidade se com o tempo online que posso estar poderei ter aquilo que teria com uma adsl ... cheers
    Re:dont think so ... (Pontos:1)
    por jmce em 23-06-01 16:27 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    Em que ISPs?
    Re:dont think so ... (Pontos:2, Informativo)
    por RaTao em 23-06-01 17:49 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    tenho adsl desde abril (?)
    telepac, no porto,, com 256kbits downstream/64kbits upstrem e estou muito satisfeito! (continuar a ler:)

    eu queria uma linha dedicada em casa, e adsl oferece-me isso por uns 10cts/mes que eh MENOS do que pagava de telefone para o serviço de dados ;)

    nem sempre consigo fazer downloads a 30kBYTES/seg, mas (ver paragrafo seguinte*) para as minhas necessidades é optimo... normalmente estou ligado 23.9horas por dia :)

    *nota: aparte de um unico problema, em que fiquei sem adsl durante 3 dias e o suporte me obrigou a instalar e desinstalar o enternet300 umas 30 vezes. quando por fim me passaram ah engenharia encontrei um senhor muito simpatico e competente que me resolveu o problema jah passava da meia-noite e sem eu fazer _nada_, i.e. era um prob deles.

    Outros pontos a favor:
    a linha não é filtrada, i.e. passam ICMP's, portas 139, whatever! logo posso fazer umas brincadeiras interessantes, como ter servers e etc.
    nao tens limite de horas (mas sim de trafego!).
    instalas um NAT e das rede aos outros computadores sem ter que andar com grandes setup's de ligar/desligar modem.

    quanto ao assunto do artigo:
    claro que nos estates :) uma adsl de 4mbits custa o que eu pago aqui pela de 256k, mas... nao se pode ter tudo...

    Também estou interessado em saber quem eh que tem adsl's limitadas em tempo de utilizacao aqui em .pt


    Regards,
    Nuno Silva aka RaTao
    Re:dont think so ... (Pontos:1)
    por echo em 23-06-01 22:38 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    eu nao disse que estava em portugal .... :) simplesmente falei no meu caso ... como ves ratao na adsl tens os *tais* problemas que no 56k nao tens! :)
    Re:dont think so ... (Pontos:2)
    por MavicX em 23-06-01 18:36 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    "or exemplo os precos no meu isp em relacao ao 56k sao: horas ilimitadas por 3 contos,"

    Sim e as chamadas de telefone tambem tems horas ilimitadas por 4$ + IVA (horario normal) por minuto.

    Ou seja estás umas 2 horas por dia o que nem é nada e ao final do mês pagas 18 20 contos que até dava para meter uma ADSL de 768 k e navegares 24 horas por dia.
    O caso português (Pontos:3, Informativo)
    por MavicX em 23-06-01 19:21 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    No caso português temos a Portugal telecom a disponizar todo o acesso em Banda larga quer através do cable (netcabo), quer através do ADSL (telepac) existem outos operadores mas o su peso no mercado é minimo. Ou seja temos o mesmo operador a dar uma solução parecida, duas empresas do mesmo grupo a fazer concorrencia, é só para rir.

    Agora vamos aos argumentos de porque é que a Banda larga em massa não interessa á PT. Em primeiro lugar pelo custo das estruturas e da tecnologias (desde servidores adsl que são extremamente caros e tem de ser postos até 8km da casa do cliente, até fibras opticas, mais espaço de banda para o estrangeiro etc...). Mas mais importante é que vai tirar receitas dos 56k e das linhas rdis (que a PT tanta publicidade faz com o Diogo Infante) que em termos teoricos deviam dar milhares, quer pelo tempo de ligação que a chamada dura quer pela pouca quantidade de banda que ocupa ( mas mesmo assim os incompetentes da PT dizem que tem prejuizo com as ligações internet, imaginem com o ADSL iam á falencia passado pouco tempo, coitadinhos). Resta dizer que até a netcabo que muitos utilizam parou de expandir ( os prazos para novas zonas são ilusórios e novas ligações são quase impossiveis ), como já tem cobertura dos grandes centros populacionais as outras zonas não interessam (economicamente inviaveis), duvido que se torne num projecto a nivel nacional dentro desta decada.

    O unico ponto positivo que existe em Portugal é a aposta da Tvcabo na televisão interactiva que para isso tem de disponibilizar a biderecionalidade . Mas principalmente a concorrencia no cabo que embora diminuta começa a crescer desde a cabovisão ( que todos gostam de dizer mal), bragatel até a um projecto interessante chamado pluricanal que alem de ter apostado em zonas menos povoadas ( Leiria, Santarem e a zona oeste), aposta na qualidade embora a um preço um pouco mais elevado.

    Por isso a situação da Banda Larga em Portugal é só uma realidade nas zonas priveligiadas, e duvido que alguma vez se torne norma e um projecto credivel, pelo menos este modelo DSL/cable.

    Mas no futuro nem tudo é negro e a médio prazo aproxima-se novas tecnologias. Desde o UMTS que permite boas taxas de transferencia a baixo custo, até ao projecto da REN (rede electrica nacional ) que tirou a exclusividade da ONI (participada da EDP) de operar na sua rede, permitindo assim o seu maior desenvolvimento. É uma tecnologia que num futuro proximo vai tornar a banda larga a baixo custo e acessivel para todos uma realidade. E tambem podia mencionar que os japoneses já estam a investigar comunicações moveis da 4 geração que permitem taxas de tranferencia limites de 100 Mbits/s.
    Re:O caso português (Pontos:2)
    por TarHai em 23-06-01 19:47 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    Pela maneira como as coisas vao esse futuro e cada vez mais distante & negro.

    Imagino a PT a rir-se com o meu $$$$ q ando a queimar nesta ligacao de m* que para pouco mais serve que ler e-mail.

    Estou particularmente azedo porque pela quarta vez a netcabo adiou a 'banda larga' para o mes que vem. Quando ca chegar ja a 'banda larga' sera risivel ou desnecessaria.

    ---
    Re:O caso português (Pontos:2, Informativo)
    por k em 24-06-01 9:27 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    A RDIS é mais barata de manter do que linhas analógicas. Por isso há-que, como dizes, fazer render bem o peixe.
    Quanto à perca de receitas as contas na minha opinião estão a relacionar receitas potenciais e não custos reais. Não me venham dizer que o dinheiro que eles ganham com o dial-up (com ou sem yesnet) não cobre os custos, porque se sim não são uma empresa com apetite de lucros mas sim uma associação de caridade sem fins lucrativos (LOL).

    Em relação à Netvisão (Cabovisão) eles são o menos mau, relativamente ao dial-up,pois o suporte técnico deles é tão mau, tão mau mas tão mau que quase se pode considerar que não existe.
    É de louvar o seu investimento em zonas mais remotas mas não de nos ajoelhar-mos a seus pés e sempre à espreita de alternativas.

    Quanto às alternativas, se os americanos já conseguem ter um OC3 em 'casa' por 600 contos/mês nós havemos de lá chegar.

    Nem toda a gente é bronca sabiam? Eu não paro de dizer a mim próprio isto! ;)
    --
    k

    100 mbits ? nah :) (Pontos:1)
    por gractalfuru em 24-06-01 17:38 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    >E tambem podia mencionar que os japoneses já >estam a investigar comunicações moveis da 4 >geração que permitem taxas de tranferencia >limites de 100 Mbits/s.

    Por acaso tb ja leste os artigos sobre 3G e sobre os problemas da banda com muitos utilizadores ao mesmo tempo ? É que afinal o 3G nao parece assim tao milagroso com muitos users pendurados e a tao falada video conferencia parece-me actualmente uma miragem :)

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]