gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Centopeia ?
Contribuído por ajc em 15-06-01 9:48
do departamento ver-no-google?
perguntas jneves escreve "Acabei de ver no programa 2010 (o sucessor do 2001) na RTP 2 uma notícia sobre um cluster na Universidade de Coimbra chamado "Centopeia". Alguém tem mais alguma informação ? Características técnicas, sistema operativo (aposto que é Linux), rede ? "

O Cartão ÚnicoComum | Nova Edição do 'Linux Device Drivers' de A. Rubini  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • jneves
  • Mais acerca perguntas
  • Também por ajc
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Googlando (Pontos:3, Informativo)
    por jmce em 15-06-01 10:40 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    Sim, ver no Google. Logo no primeiro resultado encontramos um pedaço de Gazeta de Física em PDF que pode ser visto mais rapidamente convertido para texto pelo Google. Vê-se então que a Centopeia é constituída por:
    12 estações de trabalho Compaq XP1000 com o processador Alpha 21264, a 667 MHz, ligadas por um switch de 100 Mbits. Cada computador tem 512 MB de memória RAM e um disco de 9 GB e usará o sistema operativo Linux. Este sistema foi fornecido por uma divisão europeia da Compaq especializada neste tipo de sistemas e inclui "software" especial de gestão das máquinas em paralelo.

    Será uma solução "chave na mão"? Aqui há uns anos, quando ainda não havia uma "divisão europeia da Compaq" (ou Digital, talvez ainda) tão interessada nestas coisas e quando a vendedora da Digital se dava ao luxo de dizer mal do Linux, sugeri que o Complexo Interdisciplinar da Universidade de Lisboa fosse para uma solução parecida a esta (ou com os PCs da época) como a forma de maximizar a razão poder total de cálculo/preço. O fascínio da imagem de ter um su-per-com-pu-ta-dor com "prestígio" a escorrer pelos relatórios ("o dinheiro veio para um su-per-com-pu-ta-dor e não podemos gastá-lo num conjunto de workstations"), o peso do marketing dos representantes da SGI em Portugal, a clássica "irrelevância" da opinião de um estudante e sabe-se lá mais o quê fizeram o CIUL optar, em vez disso, por uma Origin 2000 com 8 processadores. Até hoje, creio que quase ninguém (ou ninguém) aprendeu a paralelizar nela, exceptuando alguma paralelização automática por compilador, grande parte dos processos correm individualmente sem comunicação, e creio que a esmagadora maioria do uso de CPU não necessitaria das características especiais da Origin.

    É interessante que a Centopeia já mereça o nome de su-per-com-pu-ta-dor. Espero que seja por genuína convicção local e não simplesmente um resultado do marketing da tal divisão europeia da Compaq...

    Re:Googlando (Pontos:3, Informativo)
    por TarHai em 15-06-01 11:10 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.dilbert.com
    Bom, sempre se podem construir simuladores independentes. Eu normalmente construo as minhas simulacoes de modo a poder lancar N (N=numero de maquinas) processos independententes, normalmente controlados a partir de um script em perl.

    Esta abordagem e util no varrimento de parametros de simulacoes ou em simulacoes de natureza estocastica. Esta abordagem e simples e eficaz, apesar de ser um pouco deselegante.

    Quanto ao supercomputadorcomprestigio, ja vi pelo menos um projecto ser chumbado porque (uma das razoes apontadas) nao tinha no orcamento dinheiro para uma workstation: "nao tem workstation, nao e a serio"


    ---
    Re:Googlando (Pontos:2)
    por fog em 15-06-01 16:55 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://www.fog.nu/
    >ligadas por um switch de 100 Mbits

    Só uma pequena correcção, eu também vi por acaso esse famoso programa que dá pelo nome 2001^H^H10.

    Nesse mesmo programa foi referido que as máquinas estavam ligadas a 100 MBytes/s

    Ora fiquei curioso será novas interfaces tipo 800BaseTX (ligadas com cabo UTP sem categoria nenhuma em fichas RJ-69) ou 800BaseFX (utilizando cabo de fibra de vidro)

    Já agora será half ou full duplex? É que se for a full-duplex, (como constumam referir alguns comerciais) estamos em presença de interfaces a 200Mbytes/s

    *grin*
    Mais informacoes sobre a centopeia (Pontos:2, Esclarecedor)
    por ajpalace em 15-06-01 11:41 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    ver em http://cfc.fis.uc.pt/centopeia.php.
    O S.O. penso que é Tru64 (pelo menos, a cabeça da centopeia é!).
    Re:Mais informacoes sobre a centopeia (Pontos:2)
    por vaf em 17-06-01 14:15 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    Foi isso que foi dito no tal programa. Não era Linux.

    Cumprimentos,

    Vasco Figueira
    Clusters vs Supercomputadores (Pontos:2)
    por MavicX em 15-06-01 14:48 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    Sempre gostei de saber uma coisa até que ponto as clusters (principalmente as beowulf) são melhores que uma box com varios processadores.

    Será que que as 12 workstation tem melhor desempenho que por exemplo um comp com 4 (ou 8) processadores a 667 mhz ?

    Não será mais viavel que em vez de uma pequena cluster comprar antes um supercomputador com varios processadores ? Não terão melhor relação preço/performance ?

    As clusters não tem muito "estrangulamento" no processamento paralelo em relação aos supercomputadores e não se está a desperdiçar recursos ?


    Re:Clusters vs Supercomputadores (Pontos:1)
    por jmce em 15-06-01 18:13 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://jmce.artenumerica.org/
    Depende do problema e dos algoritmos, claro... Por exemplo, do ponto a que se pode separar o cálculo em bocados grandes (do ponto de vista de blocos de dados e tempo de processamento desses blocos) e das necessidades de comunicação entre os "pedaços". Mas tendo em conta as diferenças de preço (inicial, manutenção, upgrades), é bom que ao comprar esse "supercomputador" SMP se saiba se a comunicação intensiva entre processadores ou algumas outras vantagens da arquitectura da máquina mais cara vão ser um factor muito importante no uso global... E mesmo, caso o sistema se destine a uso generalizado, até que ponto os utilizadores vão aprender a paralelizar e fazê-lo: Vão aprender a chamar "manualmente" rotinas de packages como PVM, MPI, ...? Vão preferir ter paralelização automática localizada (mais voltada para SMP num única máquina) em bocadinhos de códigos dispersos pelos programas, usando apenas opções de compilador para este fazer o trabalho? Vão na maior parte do tempo correr processos independentes sem qualquer paralelização?

    Na altura da compra da tal SGI (acompanha por duas workstations), a diferença de preço para uma solução até com Digital Unix baseada em máquinas separadas com o mesmo poder total de cálculo ainda era bastante grande. (não me lembro da proporção).

    Alguém tem números recentes de comparação?

    Cluster de Macs (Pontos:3, Informativo)
    por MacLeod em 15-06-01 19:03 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Tinha proposto um artigo há uns tempos sobre o primeiro cluster de Macs na Europa (e provavelmente o mais rápido do mundo), que é... português! Mais informação aqui.

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]