gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Não, Mr. Ballmer. Provavelmente não será assim.
Contribuído por Tintim em 11-06-01 12:53
do departamento 2005_odisseia_no_espaço
News Como já aqui foi dito, Steve Ballmer -CEO da Microsoft- esteve em Portugal na sexta-feira. Em relação à sua visão para a revolução de 2005, aqui fica uma opinião divergente.
Steve Ballmer, CEO da Microsoft, esteve em Lisboa na sexta-feira para uma conferência organizada pelo Expresso.
Independentemente do mérito que têm (ele e o seu coleguinha de quarto de Harvard) por nos primeiros tempos terem construído do nada uma empresa sólida, a sua actual visão do mundo e das TI reflecte a maneira de ser americana: "o futuro sorri à humanidade enquanto os americanos tomarem conta do calhau perto de Marte".

Em resposta a uma pergunta de Francisco Balsemão sobre o que ele considerava ser a revolução tecnológica de 2005 (já que em sua opinião de 5 em 5 anos assistimos a uma destas revoluções) ele considerou ser a incorporação de comunicação por voz em aparelhos tecnológicos. Naturalmente que aliado à evolução do reconhecimento de voz e linguagem natural. Assim, seria possível operar um computador ou telemóvel através de voz.

Pessoalmente, discordo.
Não por isso ser tecnologicamente inviável, mas por pensar que a grande revolução tecnológica virá de outro lado. Lanço aqui a minha opinião, de forma a selá-la na caixa do tempo que é o GilDot, e convido todos a darem a sua opinião sobre o que pensam que poderá ser a revolução de 2005.

IMHO, a revolução virá dos sistemas operativos.
Não necessariamente do Linux (apesar de ser o mais provável) mas de um sistema operativo livre.
A nossa sociedade depende cada vez mais de componenentes tecnológicos que incorporam SO's (RTOS, servidor, desktop, appliances,...)
Para esta sociedade, um SO passará a ser um bem essencial.
A perspectiva de uma única empresa controlar um bem essencial à escala mundial é só por si assustadora.
E não é só o facto de ela cobrar por ele, mas a dependência criada em torno disso.

O problema de não ter surgido um SO concorrente deriva das barreiras à entrada nesse negócio: confiança (Linux), marketing (OS2), hardware compatível (MacOS) e falta de drivers/suporte (Mach e Hurd).
Há medida que pessoas e os países, organizações e as empresas, se forem apercebendo disso vai haver uma inversão na tendência actual.

Daqui a 5 anos vejo a aquisição de um sistema operativo como o actual sistema de fornecimento de água: o que custa, e o que pagamos, é a mera distribuição do mesmo ou o suporte necessário à sua utilização.
Outros virão, que dirão que a água está livremente disponível e um sistema operativo tem custos de desenvolvimento.
Verdade. Mas a arquitectura de desenvolvimento "open source" permite disponibilizar livremente aplicações, acabando pelas mesmas serem suportadas indirectamente por empresas (que usufruem do conhecimento derivado do seu desenvolvimento) ou por estados (que subsidiam universidades e centros de investigação).

Elementar, meu caro Steve.
Daqui a 5 anos, parecerá ridiculo nós andarmos a pagar o direito a utilizar um bem essencial. Um pouco como o que nós agora pensamos sobre um imposto sobre isqueiro ou a taxa de televisão existente há uns anos atrás.
Aqui fica a minha visão que dado não poder ter podido partilhar com o Mr.Ballmer, que tinha 3 guarda-costas acopulados, deixo no GilDot que tenho a certeza que ele irá consultar quando chegar a casa.

Telemóveis com suporte para Java | `Estamos a educar, não a treinar'  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • Expresso
  • Mais acerca News
  • Também por Tintim
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    enfim.. (Pontos:0, Interessante)
    por Anonimo Cobarde em 11-06-01 14:17 GMT (#1)
    devo dizer que acho a tua ideia do ano 2005 ridicula.. hoje em dia o mercado a nivel de OS ja esta bem maduro, quer queiram quer nao. A unica tendencia a mudar no sentido dos OSs é a possivel invasao por parte do Linux ou outros OSs (*BSD) no mercado dos embedded devices.

    Embora não seja um amante do Sr. Steve Balmer devo dizer que a sua imagem do ano 2005 (embora nao a 100%) esta um pouco perto da realidade, alias, bem mais perto da realidade que a observaçao que foi feita no GilDot.

    E ja agora, nao talvez ainda em 2005 mas talvez em 2010 prevejo a abundancia de embbedded devices.. tanto em carros, TVs, electrodomesticos, etc, e esses embbedded devices (independentemente do OS, porque caso nao tenham percebi o utilizador-geral do PC nao sabe sequer o que e um sistema operativo) nao sejam controlados por controlos primarios como teclados/ratos/etc mas por sistema de toque no ecra ou mesmo por activaçao por voz. -- linn
    Re:enfim.. (Pontos:1)
    por mlopes em 11-06-01 15:30 GMT (#6)
    (Utilizador Info)

    o utilizador-geral do PC nao sabe sequer o que e um sistema operativo

    Tu mesmo apresentas o motivo para que a observação feita no Gildot seja mais próxima da realidade, do que a do Steve Balmer.

    Tal como é dito no texto da noticia, pagar por um SO é como pagar a taxa da televisão, isso significa que como o uitilizador comum não quer saber que SO é que utiliza, quer é um computador que não lhe dê problemas, esse utilizador quando compra um computador, se não tiver que pagar a "taxa" do SO, para ele melhor. Desde que esse, não pagar a "taxa", não implique perda de funcionalidades, apesar de que alguns utilizadores optarão de certeza por um computador sem "taxa", mesmo sem algumas funcionalidades que não lhes interessam.


    e ja agora (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 11-06-01 14:20 GMT (#2)
    ja agora aproveito para dizer que este sistema de os posts feitos por "Anonimos Cobardes" começarem com -1 pontos nao e la muito agradavel. acho que o GilDot como forum aberto que é deve dar a oportunidade tanto de anonimos como de "pessoas registadas" de darem as suas opinioes livremente. -- linn
    Re:e ja agora (Pontos:2, Engraçado)
    por Sub em 11-06-01 14:45 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    regista-te :P
    ou tens medo do big-brother?
    Re:e ja agora (Pontos:2)
    por buffer em 11-06-01 15:35 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://www.coders-pt.org
    qualquer pessoa pode ler os comentários a -1 ..

    -- what was my problem with man You ask? No.. I ask you what was man's problem with me..
    Re:e ja agora (Pontos:2)
    por Cyclops em 11-06-01 15:56 GMT (#9)
    (Utilizador Info)
    Se te registares com um login, e NUNCA deres a entender quem es, nao tens os comentarios por default a 0, ou -1 ou qq coisa assim do genero, e es igualmente anonimo. Qual e o teu problema? Excesso de paranoia? Se queres fazer posts assume uma identidade, para nao discutirmos com vozes no vento, mas quanto mais nao seja com o aliasDoGajoFeioECovarde. Se nao gostas, nao facas posts, vai para outro lado.
    Re:e ja agora (Pontos:3, Engraçado)
    por joao em 11-06-01 16:07 GMT (#12)
    (Utilizador Info) http://www.nonio.com
    ja agora aproveito para dizer que este sistema de os posts feitos por "Anonimos Cobardes" começarem com -1

    É o preço que eles pagam por se poderem expressar sem precisarem de defender uma reputação.

    ----
    joao
    nonio.com - ciência, tecnologia e cultura

    eu é que sou o prlesidente (Pontos:1)
    por grumpy bulgarian em 11-06-01 15:36 GMT (#8)
    (Utilizador Info) http://oink.com/bizarrity/bizarrity.html
    por altura de 2005, imagino eu que o fenomeno mais interessante (relacionado com esta historia dos computadores e na intraneck) vai ser mesmo a sua omnipresença, e o impacto que um ou dois anos de UMTS massificado vai ter sobre a vida em sociedade.

    creio que só depois desse tempo a usar os netos do ICQ e do Netmeeting é que efectivamente vamos ter uma vida que gira à volta da rede, como tanto autor de ficção cientifica anteviu.

    e então, o Sr. Ballmer vai pegar no seu windows2005-pocket-pc, vai dizer "scott me up, beamy", e vai ficar no mesmo sitio a olhar para um ecran azul da morte tridimensional em stereo onde disponivel.


    Grumpy B)

    Re:eu é que sou o prlesidente (Pontos:2, Esclarecedor)
    por Hvm em 12-06-01 0:55 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    ESTA SIM VÁI SER A TECNOLOGIA QUE VAI REVOLUCIONAR A SOCIEDADE NO ANO 2005....NÃO SEJAM TÃO FECHADOS A AOLHA APENAS PARA OS COMPUTADORES....DÊEM UMA VISTA DE OLHOS NO QUE SE PASSA A VOSSA VOLTA...POIS É AÍ QUE AS REVOLUÇÕES SE DÃO!!!! (DESCULPEM A LETRA GRANDE :-)
    Outra vez nao... (Pontos:3, Interessante)
    por leitao em 11-06-01 15:57 GMT (#10)
    (Utilizador Info) http://linuxfreesite.com/~nunoleitao/

    Independentemente do mérito que têm (ele e o seu coleguinha de quarto de Harvard) por nos primeiros tempos terem construído do nada uma empresa sólida, a sua actual visão do mundo e das TI reflecte a maneira de ser americana: "o futuro sorri à humanidade enquanto os americanos tomarem conta do calhau perto de Marte".

    Ok -- mais uma boca politica aos Americanos... isto nao para ? Nesse caso o Linus Torvalds e' um vendido por ter ido viver para a California...

    IMHO, a revolução virá dos sistemas operativos.

    Hamm ?!?! Dos sistemas operativos ? Os sistemas operativos sao hoje em dia uma "comodity" -- ninguem quer pagar por eles, e e' por isso que a M$ esta-se a focar cada vez mais em aplicacoes. O que a M$ faz e' usar o(s) seu(s) sistema(s) operativo(s) para aplicar pressao nas aplicacoes que quer vender. Alguem dizer que o futuro vai estar nos "sistemas operativos" mostra IMHO um bocado de alheamento 'a realidade das coisas. Por alguma razao e' que a M$ inventou a historia do .NET (que e' uma treta...) e' exactamente uma forma de controlar *aplicacoes* -- nao tem nada de revolucionario ao nivel do OS.

    Não necessariamente do Linux (apesar de ser o mais provável) mas de um sistema operativo livre.

    Nao concordo -- o futuro do "mass-market" e' o hardware ser indistinguivel do software, i.e., compras um PC, ligas e pim! Software a correr. Nesse caso quando consideras que a M$ controla 99% dos fabricantes de hardware (PC's e nao so') nao estou a ver como e' que um sistema operativo "free" vai entrar no mercado do "mass-market". Onde o Linux vai causar uns problemas 'a M$ vai ser nos "backends" e servidores, onde a complexidade dita que nunca poderas ter um "fire-and-forget" -- e neste caso o Linux e' muito flexivel (e muito mais barato que versoes comerciais de *NIX).

    Porque achas que a M$ anda a tentar conquistar o mercado das "set-top-boxes" e TV digital ? Porque querem estar no lado do "fire-and-forget", e vender aplicacoes para estas. Neste mercado a unica forma da M$ perder e' aparecer hardware deste tipo que corra Java -- nesse caso a M$ perde a batalha porque o Java e' demasiado poderoso e divulgado.

    Para esta sociedade, um SO passará a ser um bem essencial.

    Exactamente, e nessa altura se deres a escolher a uma empresa WindowsXX a um custo baixo (digamos $25/caixa porque e' para mass-market) ou Linux (potencialmente a custo 0) o que achas que eles vao escolher ? Vao escolher M$ porque sabem no que se estao a meter...

    Verdade. Mas a arquitectura de desenvolvimento "open source" permite disponibilizar livremente aplicações, acabando pelas mesmas serem suportadas indirectamente por empresas (que usufruem do conhecimento derivado do seu desenvolvimento) ou por estados (que subsidiam universidades e centros de investigação).

    Eu tambem era visionario quando tinha 24 anos... mas infelizmente o mundo nao funciona assim. Empresas e pessoas preferem pagar $250 por algo que conhecem do que $0 por algo que nao conhecem. As empresas existem para gerar $$$$, nao para serem "cool".

    Daqui a 5 anos, parecerá ridiculo nós andarmos a pagar o direito a utilizar um bem essencial.

    Exactamente! Mas ele sabe isso, e e' por isso que a M$ esta' a virar-se para as aplicacoes e nao os sistemas operativos!! Estes vao ser o meio para entregar o software e pouco mais...

    O erro da tua argumentacao e' que assumes que daqui a 5 anos a M$ ainda vai estar a vender sistemas operativos ao utilizador final -- eu acho que nao, a M$ vai vender aplicacoes que correm sobre algo que toda a gente tem que e' um sistema operativo. Tu achas que este vai ser Linux (ou algo free), eu acho que nao...

    Regards,


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias

    Re:Outra vez nao... (Pontos:1)
    por drdude em 11-06-01 21:55 GMT (#18)
    (Utilizador Info)
    Pois, alias. Nem é preciso ir a 5 anos...
    Neste momento, um das principais razões de se adquirir o Windows é devido ao Office.
    O Office é actualmente um standard, numa empresa, é impensavel não o ter.

    Basta ver que a primeira coisa que a Corel fez depois de largar o Word Perfect Java Edition (ou seja, o tal sonho de se poder correr Word Perfect em qualquer lado), foi criar uma distro Linux deles com todas as suas aplicações incluidas.

    Graças a esse leverage no SO, a Microsoft tem podido elaborar a tactica dos 3 E's (as tais do adopção e depois expandir a tecnologia, acabando por sufucar a concurrencia). Ofereceram o IE no Windows, para todos os efeitos ganharam a guerra dos browsers e dominam 80% do mercado. Integraram o Hotmail no Outlook, e os serviços MSN no IE, tornando-os comparavies com o sucesso de conteudos e webmail da AOL. Agora preparam-se para agarrar o mercado do Instant Messaging, integrando o Windows Messenger (Messenger evoluido com netmeeting tudo num só) já no Windows XP, e aproveitando essa presença online (HailStrom) para fazer login e gerir conta de email, shopping, etc. nos seus serviços online, e eventualmente serviços de outras empresas que querem benificiar do seu user base.

    A seguir vem a tal historia dos smart tags.

    Eventualmente o WindowsXX poderá ser comprado por um valor simbolico... mas não é isso que importa, porque tudo o resto que o utilizador vai consumir, será a Microsoft a lhe vender.

    Como se inverte esta posição da MS? Apenas juntando os esforços das empresas (hardware, software, telcos,etc.) que estejam fartas de ter a MS como intermediaria (ou estarem dependentes dela) nos seus proprios negocios, juntarem esforços num movimento de Open-source, onde ninguem poderá ditar as regras, e é do interesse de todos a adoptarem.

    Software Livre (Pontos:0, Interessante)
    por Anonimo Cobarde em 11-06-01 15:59 GMT (#11)
    Não me parece que a revolução esteja ao nível do sistema operativo. O que as pessoas querem são as aplicações. Mesmo nos "embedded systems" o sistema operativo serve apenas como intermediário entre o hardware e a aplicação.

    Parece-me mais provável que a verdadeira revolução não seja tanto técnica mas mais filosófica/ideológica. Ou seja, a vulgarização (no bom sentido) do software livre!

    Quando a indústria de software adoptar em massa este "novo" paradigma de desenvolvimento, estarão então criadas as condições para uma verdadeira inovação nesta indústria. Esta nova indústria será depois a responsável pela revolução, esta sim de ordem técnica, que ocorrerá em 2010 (supondo um intervalo de 5 anos como sugerido).

    --
    Ruben
    Opinião (Pontos:0, Interessante)
    por Anonimo Cobarde em 11-06-01 16:18 GMT (#13)
    Pessoalmente não estou de acordo com Steve Ballmer num só ponto, mas no geral ele tem toda a razão.

    Vejamos:

    Nos últimos 15 anos assistimos a várias evoluções no mundo tecnológico:

    MSDOS

    GUI

    Windows

    Linux

    XML

    O windows ao longo destes últimos anos e apesar de todos os problemas resultantes pelo facto de ser utilizado por milhões de utilizadores evoluí. O próximo passo, será a eliminação completa do MSDOS e a integração total do seu browser no próprio sistema operativo. Isto quer dizer, que o IE 6 será o último browser a ser desenvolvido pela Microsoft. A partir daqui, o próprio sistema operativo será ao mesmo tempo o nosso browser. O segundo ponto importante deve-se ao facto das futuras actualizações serem efectuadas a partir da Internet, desaparecendo assim as actualizações, onde o utilizador teria que pagar um valor para actualizar-se. Sendo assim, o utilizador passa a pagar um X pela utilização, por exemplo do Office, o que ficará de certeza muito mais barato. Não podemos afirmar que este sistema será infalível, mas pode segurar que custará muito menos ao consumidor final e às próprias empresas.

    O Linux tem evoluído tornando-se num sistema operativo de eleição para quase todos os ISP´S de todo o mundo. Bem configurado e com uma manutenção diária, podemos afirmar que é actualmente um dos melhores sistemas operativos para servidores.
    No entanto o Linux continua longe dos utilizadores domésticos, continua difícil a adaptação à sua shell, aos seus programas. O linux é um sistema operativo para programadores e estudantes de informática e nunca será para os utilizadores domésticos.

    No entanto para as empresas o Linux será um forte handicap para uma redução efectiva de custos relativos a pagamentos de licenças, porque simplesmente é custo 0.

    O que estamos a viver actualmente é uma visão nova de estarmos informados do que se passa na nossa empresa, mesmo se estivermos no outro lado do mundo. A informação é colocada online no momento, as instituições reduzem os seus custos com o gasto de papeladas e documentação, os alunos podem estudar em casa sem necessitarem de ir à escola, os professores podem consultar livros de uma universidade de outro país, o médico pode ver o seu paciente que se encontra no outro lado do seu país. E muito mais poderíamos escrever e relatar.

    A minha visão é que daqui a 5 anos os computadores estarão em todo o lado. O frigorífico terá uma ligação à internet, os técnicos das máquinas de lavar a roupa ou a loiça farão a sua reparação via online, o computador será o nosso mordomo, criado, secretária. Ouvirá e dará o seu conselho e irá conseguir compreender o que estaremos a transmitir-lhe.

    Se será com o Windows ou com o Linux, sinceramente não sei. Mas tenho a certeza que com um deles será.

    A Microsoft pode ter realizado muitas coisas más, mas de certeza que ajudou a melhorar imenso o mundo das tecnologias: a bem ou mal...

    commodity is the key word (Pontos:0, Engraçado)
    por Anonimo Cobarde em 11-06-01 16:32 GMT (#14)
    O sistema operativo já é e cada vez será mais uma commodity. A MS já percebeu isso há muito tempo e por isso se está a virar para o mercado de aluguer de software/serviços. AKA as HailStorm
    Mas até lá vai secar a teta da sua cash cow até à exaustão.
    uma só coisa (Pontos:2)
    por MavicX em 11-06-01 20:36 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Os gajos da Microsoft não são estupidos e o Steve Ballmer não é nenhum puto ou um CEO duma startup, já anda nisto há muitos anos e sabe mais disto do que nós todos juntos.

    Quando ele diz o que vai ser o futuro a médio prazo não só está a fazer uma previsão basiada em estudos de mercado mas tambem a influenciar e condicionar esse futuro e como á muita gente a ouvir o que ele diz cria uma apetencia para esse tipo de soluções no futuro. Chamem-lhe parvo mas ele é que "define" o futuro e não o Linus ou algum user do gildot.

    P.S. o Markting é lixado.
    Re:uma só coisa (Pontos:1)
    por Lamego em 12-06-01 13:51 GMT (#24)
    (Utilizador Info)
    Garanto-te que no meu caso e provavelmente em muitos dos utilizadores da Gildot a definição do "nosso" futuro informático vai ser feita maioritariamente pelo Linus e não pr Sr. Ballmer.
    o futuro (Pontos:1)
    por BlueNote em 12-06-01 7:44 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    Eu por acaso sou daquelas pessoas que leu o "Rumo ao futuro" do Bill Gates (não o paguei... vinha de brinde com a copra do meu 1.º pc - lol). Se há coisa de que não podemos acusar as pessoas por detrás da MS é de falta de acerto nas suas previsões do funcionamento da economia porque é essa a base do seu sucesso - saber medir o beat das empresas. O livro do Gates está básicamente correcto (claro, ainda não temos "carteiras electrónicas" para pagar serviços como ele as descreve, mas temos algo similar - telemóveis que pagam seriços) e as previsões do Ballmer também são para levar a sério...
    Re:o futuro (Pontos:2)
    por Gimp em 12-06-01 9:49 GMT (#23)
    (Utilizador Info)
    Tive a pachorra para ler esse livro ainda por cima em castelhano. Básicamente uma descrição de tecnologias já existentes ou a emergir. Mas, santa pachorra!, o resto é um blábláblá sobre a Micro e como é maravilhoso o mundo porque ela existe...haja pachorra! Já agora, sabem dos palms com 40% de desconto em Inglaterra?
    Os meus 2 Paus zZzZz
    Re:Engraçado... (Pontos:2)
    por Gimp em 11-06-01 22:56 GMT (#19)
    (Utilizador Info)
    Daqui a cinco anos o futuro vão ser as cagadeiras automáticas. Só espero que não seja o DOS(deixa ver...é só fazer as contas)XPTO embebido! Nem quero pensar no que aconteceria se na hora de limpar o rabo aparecesse um BSOD! Responde isto à tua pergunta?
    Os meus 2 Paus zZzZz

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]