gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Mariano Gago assume aposta no "open source"?
Contribuído por Tintim em 23-01-01 13:14
do departamento Our_world_domination
News Tintim escreve "Em primeira mão: o ministro da Ciência e Tecnologia, Mariano Gago, assumiu ontem no discurso da entrega do prémio Milénio uma grande abertura em relação à utilização de software open source, Linux e não só, pelo estado.
Concretamente, referiu-se a uma decisão do Conselho europeu de ministros da Feira em que foi decidido privilegiar o "open source" em detrimento de soluções proprietárias.
De boas intenções está o inferno cheio :-) Vamos a ver em que é que resulta..
"

Ximian com investimento de $15 milhoes | Site da Caixa Magica e recrutamento  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • Mais acerca News
  • Também por Tintim
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    ............ (Pontos:1)
    por mlopes em 23-01-01 13:33 GMT (#1)
    (Utilizador Info)

    Estou, estupefacto, sem palavras, não sei o que dizer! Será que estou mesmo em Portugal. ou enganei-me no caminho e foi parar não sei aonde?

    Já era altura de acontecer alguma coisa de jeito, neste pais!


    Vamos lá ver ... (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 23-01-01 13:52 GMT (#2)
    Se não é só conversa fiada ...
    Re:Vamos lá ver ... (Pontos:1)
    por mlopes em 23-01-01 16:21 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Pelo menos já se fala.
    Fazendo as contas... (Pontos:2)
    por SUp3rFM em 23-01-01 13:59 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    Já viram a pipa de massa que se poupava se houvesse uma posta clara no Open Source por parte da Administração Pública? Lá iam as dezenas de milhares de licenças MS p´ro galheiro. Acredito que se houve uma forte sensibilização dos dirigentes, com uma forte estrutura de suporte, o Open Source vingava em .pt. Vamos ver.
    Re:Fazendo as contas... (Pontos:2)
    por leitao em 23-01-01 14:13 GMT (#6)
    (Utilizador Info)

        O que te estas a esquecer e' que a "forte estrutura de suporte" provavelmente custaria 3x mais que as licensas.

    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:Fazendo as contas... (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 23-01-01 15:54 GMT (#11)
    mas qual suporte?? LOLOL
    A microsoft da' um suporte 'as entidades publicas q e' uma coisa doida.
    Re:Fazendo as contas... (Pontos:1)
    por mlopes em 23-01-01 16:24 GMT (#18)
    (Utilizador Info)
    Pelo menos era dinheiro bem aplicado, já estou farto de ver o dinheiro dos meus impostos a ser estoirado em merda! No orçamento de estado no dinheiro gasto em informática, uma percentagem escandalosa era para a MS.
    Re:Fazendo as contas... (Pontos:2)
    por SUp3rFM em 23-01-01 19:56 GMT (#34)
    (Utilizador Info)
    Falo de pessoal qualificado e disposto a dar esse suporte, mediante pagamento, claro ;) Duvido que o custo de manutenção dessa equipa fosse 3x mais cara que as licenças... Falo por experiência própria.
    Re:Fazendo as contas... (Pontos:1)
    por MacLeod em 24-01-01 1:02 GMT (#37)
    (Utilizador Info)
    Oh caro Leitão. Em primeiro lugar, licenças escreve-se com c de cedilha. Depois, acho que não vale a pena continuar a discutir open source. Porquê? Sim, toda a razão. É muito mais caro. CARO.
    O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por leitao em 23-01-01 14:05 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    O significado disto e' que o Gago anda a ir a Paris demasiadas vezes...

        Em Franca o estado esta' a ver se impulsiona o uso de software "open source" (em frances, "logicieles ouverts" ou algo assim) -- o que falta saber e' se a razao e' economica ou politica. IMHO e' essencialmente politica, uma maneira de pressionar lobies poderosos (industria fundamentalmente).

        Parem um minuto para pensar, alem do custo, quais sao as reais vantagens para o estado de usar software open-source ? Em quase todos os casos usar software "proprietario" e' mais conveniente. Claro que custa mais mas por outro lado este tende a ser "fire and forget", com custos de manutencao muito baixos.

        O software open-source em contrapartida muitas vezes incorre custos adicionais, e exige a existencia de alguem que conheca os sistemas e os mantenha -- e' que se o servico for abaixo nao da' para ligar ao tipo que o vendeu para vir arranjar.

        Open-source e' bestial para Universidades, R&D e sistemas que nao sejam criticos -- agora venham-me convencer que o Ministerio das Financas iria correr num sistema transaccional puxado do sourceforge...

        Isto a mim nao me convence nada, vejo isto apenas como atribulacoes politicas sem grande significado... enfim, comunistas! :))

        Regards,

    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:3, Informativo)
    por Gamito em 23-01-01 14:12 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    "Open-source e' bestial para Universidades, R&D e sistemas que nao sejam criticos(...)"

    Pois fica sabendo o Dr. Watson já me comeu dois cartões multibanco no espaço de dias.

    Pelo menos para mim foi crítico.
    Precisava de levantar dinheiro e não pude

    Cumprimentos,
    Mário Gamito
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por chbm em 23-01-01 14:26 GMT (#7)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    >Parem um minuto para pensar, alem do custo, quais sao as reais vantagens para o estado de usar software open-source ? Em quase todos os casos usar software "proprietario" e' mais conveniente. Claro que custa mais mas por outro lado este tende a ser "fire and forget", com custos de manutencao muito baixos.

    É louco.

    >O software open-source em contrapartida muitas vezes incorre custos adicionais, e exige a existencia de alguem que conheca os sistemas e os mantenha -- e' que se o servico for abaixo nao da' para ligar ao tipo que o vendeu para vir arranjar.

    e ignorante.

    Qualquer pessoa que diz que qualquer tipo de software é "fire and forget" não pode ser levada a sério.
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por leitao em 23-01-01 14:46 GMT (#8)
    (Utilizador Info)
    Pois...

    >Qualquer pessoa que diz que qualquer tipo de software é "fire and forget" não pode ser levada a sério.

        Obviamente tens andado a ver/desenvolver software martelado. Apenas para te dar uma ideia, 'a uns tempos atras eu juntamente com uma equipa de 6 pessoas desenvolvemos um backend para um sistema de PKI para um banco (se tens mesmo que saber, Barclays) a correr num destes e escrito em C e C++. O sistema esta' em pe' 'a cerca de 14 meses, sem nunca ter levado uma actualizacao ou a maquina rebootada. Os testes de stress que se fizeram produziram cerca de 10 bilioes de transaccoes (um tempo de vida do servico de 25 anos).

        Obviamente estas um bocado fora do que se faz por ai -- deves ter a vista obstruida por um pinguim...

        Bye,

    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por Cyclops em 23-01-01 15:54 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    > sistema esta' em pe' 'a cerca de 14 meses, sem nunca ter levado uma actualizacao

    no comments...
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por CrLf em 23-01-01 15:59 GMT (#13)
    (Utilizador Info)
    Ta visto que tens medo e de perder o emprego!
    Nao sei quem e que tem a vista obstruida com que, caso nao saibas, maquinas a correr Linux + outro software opensource estao entre os maiores uptimes (descontando os mainframes, mas isso e outra historia) coisa que nao podem dizer outras partes interessadas.
    Alem disso, duvido que nao saibas que uptimes brutais em maquinas a correr aplicacoes especificas nao sao dificeis de conseguir desde que o software (opensource ou nao opensource) esteja minimamente bem implementado. O que e mais dificil e conseguir os mesmos resultados em maquinas faz-tudo onde o que pode correr mal e de varias ordens de grandeza acima.
    Resumino, acho que es tu que estas fora do que se faz por ai!
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por leitao em 23-01-01 16:21 GMT (#15)
    (Utilizador Info)

        Hombre, o que se esta' a discutir nao e' a qualidade do software -- e' o que rodeia o software, incluindo suporte e modelos comerciais.

        O meu thread acima so' surgiu porque alguem disse que nenhum software tem caracteristicas de "fire & forget".


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 24-01-01 10:19 GMT (#41)
    E tu queres convencer-nos de que em sistemas Linux (ou outro so qualquer) tipo "cocktail" tu consegues um uptime brutal ? Só mesmo sendo muito inocente se acredita numa mentira destas.
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por chbm em 23-01-01 17:50 GMT (#27)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    Certo, respondes-te com um sistema feito por medida para uma aplicação bancária a uma thread sobre software para administração pública.

    >Obviamente estas um bocado fora do que se faz por ai -- deves ter a vista obstruida por um pinguim...

    Sim, definitivamente estou fora dos sistemas feitos por encomenda, como deve estar toda a gente que não tem a ver com esses contractos. As tuas afirmações são totalmente verdadeiras, mas desprovidas de escala. O MSWord *não* teve um teste de stress equivalente a um tempo de serviço de 25 anos.

    Explica-me lá então o que é que o Barclays (para seguir com o teu exemplo) faz se aparecer uma daquelas condições de erro tipo 1 em 1 bilião ou se precisar de uma alteração/adição ?
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 24-01-01 2:17 GMT (#38)
    Reboot
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 23-01-01 16:29 GMT (#19)

    Como é q alguém que tem na sua página coisas como a que se segue pode criticar Fulano ou cicrano ???

    Grow Up! Diários é coisas de meninas que brincam com bonecas...

    PS1: lamento informar-te mas não és o Alan Cox!

    PS2: a cprm sabe que andas a fazer comentarios ao teu trabalho world wide ?

    dormimos até +- tarde e acordei amorcegado. A clau foi pro ginásio, tive a fazer mais um bocado do carro e fui pro banco fazer flexões de pernas. Perdi-me sozinho em casa a ler o life after god até ao fim. Doiam-me as pernas mas o coupland deixou-me com um certo bliss. Tomei um duche e dediquei-me a cromices. A clau voltou voltou, tivemos a ver o Blade, acabei o carro e fomos pra passagem de ano familiar. quando chegou o time(2) chegou a 978307200 ficou toda a gente louca. estranho.
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por chbm em 23-01-01 17:40 GMT (#26)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    Hum ? Obviamente uma raça rara de Anonimo Cobarde com problemas de identidade.
    Dor de corno por a tua identidade patronal (talvez IPGlobal, Belmiro de Azevedo, GlobalOne) não te deixar andar a brincar na Gildot com o teu nome verdadeiro ? Vê lá que eles devem ter os logs do proxy hein.
    (btw, vai recompilar o kernel - o teu está passê)

    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por leitao em 23-01-01 17:50 GMT (#28)
    (Utilizador Info)

        Acabaste de demonstrar a tua maturidade com esta...
    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por chbm em 23-01-01 18:12 GMT (#30)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    Um acto de violência psicologica gratuita (assumida e vil) contra os idiotas que contribuem para os argumentos dos que se opõem à existência dos ACs.

    "The time for war is past. Now it's time for mindless bickering" -- Monthy Python ?
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 23-01-01 18:31 GMT (#31)

    És o user tipico do gildot. Sabes tudo, usas o melhor OS... configurado da melhor maneira com a ultima versão do kernel... o melhor leitor de mail... programas na melhor linguagem... frequentas o melhor canal de IRC... ou seja... no fundo no fundo... és o meu herói... eu é que ainda não me apercebi...

    Aprende a respeitar a opinião dos outros e a discutir civilizadamente algo... deixa esses maus habitos pro IRC...

    Apenas digo isto porque me fartei dos teus comentários e criticas pouco constructivas...

    No fundo... lá bem no fundo... mesmo... mesmo no fundo... deves ser o bom rapaz

    Eu não concordo com muitas das opiniões do Leitão e até de outros... mas isso não é motivo para ser desagradável ao ponto de o insultar ou tecer comentários desleais...

    Parece que tb não gostas de comentários desleais... por isso, e mais uma vez insisto, aprende a respeitar a opinião dos outros...


    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por chbm em 23-01-01 19:18 GMT (#33)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    Podias ter começado por aqui.

    > És o user tipico do gildot. Sabes tudo, usas o melhor OS... configurado da melhor maneira com a ultima versão do kernel... o melhor leitor de mail... programas na melhor linguagem... frequentas o melhor canal de IRC... ou seja... no fundo no fundo... és o meu herói... eu é que ainda não me apercebi...
    É verdade. Não somos todos ? Quem é que não usa o melhor MUA ?

    >Aprende a respeitar a opinião dos outros e a discutir civilizadamente algo... deixa esses maus habitos pro IRC...
    Conhecemo-nos do IRC ? Na realidade no IRC sou muito mais pedante. São as más companhias.

    >Eu não concordo com muitas das opiniões do Leitão e até de outros... mas isso não é motivo para ser desagradável ao ponto de o insultar ou tecer comentários desleais...
    Não fui muito insultuoso. O Leitão é tudo menos ignorante (apesar de não concordar com ele em muitas coisas já mostrou aqui ter muita experiência e conhecimento), mas na realidade ignorou todas as empresas que se esforçam por dar apoio não só ao Pinguin como ao diabinho, ao apache, ao sendmail (urgh) e aos outros todos. É um paternalismo e falta de respeito por quem trabalha fora do status quo inaceitável.

    >Parece que tb não gostas de comentários desleais... por isso, e mais uma vez insisto, aprende a respeitar a opinião dos outros...
    As flame wars nunca me encomodaram. As flames deslocadas de ACs sim. Se quiseres manda mail. Senão ficamos por aqui.

    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por xeon em 25-01-01 20:28 GMT (#48)
    (Utilizador Info) http://pthelp.org
    Nao tenho nada a ver com a guerra, mas respeito a opiniao dos outros quando eles teem tomates (e perdoem-me a utilizacao do calao, mas nao encontrei melhor termo) para por um nome, um nick ou outra coisa qualquer que pelo menos os identifique.

    Eu francamente tenho isto com -1 porque 99% dos comentarios dos ACs sao, no minimo, hilariantes.
    Lamentavelmente, o teu ... e' triste.

    Em resposta ao Chbm ... trabalho para a Novis e assino como Xeon porque ... me apetece. Nao tenho problemas em por o nome...

    Cumpz a todos.

    Paulo Pinto
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2, Informativo)
    por Tintim em 23-01-01 15:14 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://paulo.trezentos.gul.pt
    Os argumentos aqui referidos, costumam ser utilizados frequentemente pelos advogados do "status quo".

    (bla bla bla) existencia de alguem que conheca os sistemas e os mantenha -- e' que se o servico for abaixo nao da' para ligar ao tipo que o vendeu para vir arranjar
    Espera lá!
    Mais do que "open source", o que aqui (te) falta é "open mind".
    Essa ideia do suporte é demagogia barata. IMHO e na forma como vejo o actual futuro do Linux, o suporte pode vir o seu grande trunfo. E em duas frentes: projectos open-source de suporte e empresa especializadas em prestar serviços.

    Qualquer um de nós que já trabalhou numa empresa, na área de SI, sabe que na maior parte das vezes não queremos ler o manual. Nem temos tempo para isso! Quero telefonar para o suporte e eles que o resolvam que eu não quero passar o f-d-s fechado no "frigorifico".
    Nesta óptica, se repensares todo o modelo de negocio/nao negocio, tens de ver o Linux suportado em duas frentes.
    Neste momento, nitidamente que a frente comercial (q e' fundamental) não consegue oferecer os serviços q as empresas precisam. Mas aqui entra Adam Smith: viva o mercado! Se começar a existir uma maior base de utilizadores empresariais, começam a surgir empresas de serviço/consultodoria.

    O problema de visões como a que apresentaste é que são fundamentalistas: ou tudo propietário ou tudo open-source. Obviamente q o ministerio das financas vai precisar de software desenvolvido há medida para situacoes muito especificas. Mas as reparticoes de financas podem ter software office open source em vez do "outro" .

    Com isto não quer dizer que acredite que vai mudar muita coisa apenas pelo q o ministro disse. Vale pelo q vale.
    Mas como optimista nato, nao deixo de ver uma "aberta" no ceu.

    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por leitao em 23-01-01 15:59 GMT (#14)
    (Utilizador Info)
    Oi,

    >Mais do que "open source", o que aqui (te) falta é "open mind".

        A minha mente esta' perfeitamente aberta, desenvolvo e desenvolvi varios projectos open-source, mas ao mesmo tempo conheco o pragmatismo comercial do "mundo real".

    >Essa ideia do suporte é demagogia barata. IMHO e na forma como vejo o actual futuro do Linux, o suporte pode vir o seu grande
    >trunfo. E em duas frentes: projectos open-source de suporte e empresa especializadas em prestar serviços.

        Deves-te estar a referir a empresas como o RedHat (http://www.redhat.com), a Linuxcare (http://www.linuxcare.com) ou a TurboLinux (http://www.turbolinux.com).

        Se fores ver como elas se estao a dar vais verificar que se estao a dar *mal*. A razao e' IMHO simples -- e' que o linux por enquanto ainda ocupa um nicho do mercado relativamente restricto.
        Alem disso, empresas como as que referi nao vendem nada concreto -- o que nao ajuda quando estas a vender servicos especificos. Se olhares para a Sun, a SGI, a HP ou a Compaq elas vendem *hardware*, e juntamente com isto vendem *servicos*.

        Se conseguires referir *uma* so' empresa que venda exclusivamente servicos (o que a LinuxCare tenta fazer) na area de OS's que seja extremamente bem sucedida (e que nao seja a KPMG, CASE, Accent, ou outra empresa generica de consultadoria) dou-te um premio.

    >Neste momento, nitidamente que a frente comercial (q e' fundamental) não consegue oferecer os serviços q as empresas precisam.

        Errado: a questao e' que as empresas *nao precisam* destes servicos -- senao a LinuxCare nao tinha afundado.

    >O problema de visões como a que apresentaste é que são fundamentalistas: ou tudo propietário ou tudo open-source.

        Nope -- alias, referi bem que o Linux e' bestial para o que nao seja "mission-critical", ou para alguns casos comerciais em que esteja provado que o Linux se vai adaptar bem.

        Agora, o que nao tenho e' a ingenuidade de pensar que so' porque o Linux e o Open-Source agora estao na moda devemos todas saltar para a caravana. Se no futuro o modelo open-source provar ser um sucesso comercial (doubt it) entao vou-te dar razao -- mas ate' agora as coisas apontam no sentido de tu estares errado. Basta veres o caso do Netscape, o facto de se ter tornado open-source fez com que este batesse o IE ? NAO! Porque ? Porque um consumidor nao se importa de pagar $$ se tiver o que quer.

        Claro que em muitos casos open-source e' ideal, e acho muito bem que se use software aberto -- o que acho mal e' que por agora ser moda os politicos (que por natureza nao percebem nada do que e' tecnico) venham mandar postas de bacalhau a dizer que deviamos todos usar o StarOffice. E' o mesmo tipo de argumento idiota de que deviamos todos deixar o carro em casa e viajar sempre de bicicleta.

        Regards,


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por Tintim em 24-01-01 10:58 GMT (#42)
    (Utilizador Info) http://paulo.trezentos.gul.pt
    [snip].. e' que o linux por enquanto ainda ocupa um nicho do mercado relativamente restricto.
    É verdade. Mas isso é um problema do tipo "pescada de rabo na boca". Nao tem mercado pq nao tem suporte. Nao tem suporte pq nao tem mercado.
    A unica forma de quebrar esse ciclo é lentamente o mercado ir crescendo em função de vários factores: gente nova a sair das faculdades disposta a apostar em Linux, visibilidade mediática do mesmo, desmistificação de alguns pormenores, ...

    ...e no futuro o modelo open-source provar ser um sucesso comercial (doubt it) entao vou-te dar razao -- mas ate' agora as coisas apontam no sentido de tu estares errado
    Tb tenho dúvidas sobre futuro do actual modelo de negócio do "open source" .. nomeadamente a questão do Bazar e da Catedral.
    Mas duvido ainda mais que a Catedral se aguente neste novo mundo. Apesar deste tipo de conjunturas nao ser bem o meu genero (o ERS faz isso bem melhor :-))) acho que o reajustamento passa por um modelo hibrido onde o open-source está presente, mas existe uma série de elementos complementares que são pagos (e que não passam necessariamente apenas pela assistencia, mas tb pela formacao, edicao de documentacao, helplines, merchandising - thinkgeek).

    Não misturemos alhos com bugalhos (Pontos:1)
    por bgravato em 24-01-01 21:50 GMT (#44)
    (Utilizador Info)
    > E' o mesmo tipo de argumento idiota de que deviamos todos deixar o carro em casa e viajar sempre de bicicleta.

    Vamos ter calma e não confundir coisas distintas...
    E esperar que não pensem todos que isso é um argumento idiota, porque não o é.
    Felizmente a MS apesar de todos os defeitos que possa ter, os seus produtos ainda não libertam gases tóxicos para a atmosfera como os veículos automóveis.
    Se as pessoas andassem mais de bicicleta e a pé era muito mais saudável para elas (e para os outros).
    Menos poluição no ar, menos stress, menos filas de trânsito, mais exercício físico...
    É claro que não defendo que seja 8 ou 80.
    Em dias de chuva a bicicleta não é uma hipótese muito atractiva... mas naqueles belos dias de sol porque não? Hás-de experimentar :-)

    Cumprimentos,
    Bruno Gravato.

    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por xeon em 25-01-01 20:40 GMT (#49)
    (Utilizador Info) http://pthelp.org
    Urgh ...
    Estou de acordo contigo em varias coisas, Leitao ... mas e' doloroso (hoje deu-me pro' "doloroso", pronto ... ) ler isto:

    "Basta veres o caso do Netscape, o facto de se ter tornado open-source fez com que este batesse o IE ? NAO! Porque ? Porque um consumidor nao se importa de pagar $$ se tiver o que quer. "

    ERRADO ! NADA MAIS ERRADO !
    As pessoas usam IE, pq o computador q compraram ao amigo, na loja da esquina ou no C.C. mais proximo ate' trazia Windows (com licenca valida ou 'copia de avaliacao >:) ) ... e trazia IE. "Bolas, se ja' tras um browser, vou perder nao-sei-quantas horas a fazer download de outro ?!"

    E ja' agora ... aproveito pra dizer outra coisa.

    Um ISP e' "mission critical".
    Um ISP tem que confiar nas suas maquinas.
    Seguindo a tua logica, um ISP nao deveria usar software open-source (bolas... nao e' nem uma Univ nem R&D ...).
    Well.. I got news for you ..O ISP onde trabalho usa basicamente software open-source :-)

    Cumpz,
    Paulo Pinto
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2, Interessante)
    por CrLf em 23-01-01 15:45 GMT (#10)
    (Utilizador Info)
    E uma pena que ainda haja quem pense assim! O software opensource e tao capaz de aguentar aquilo que lhe e pedido como o software proprietario.
    Alem disso, e constantemente mantido e melhorado, "fire and forget"? isso so existe do lado de quem produz o software e que uma vez instalado nunca mais olha para ele a nao ser quando ha porcaria!
    Sai debaixo da pedra onde estiveste escondido, ha muito que o software opensource provou a sua qualidade, closed-source vs opensource e uma questao de ideologia, nao de qualidade!
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:2)
    por mvalente em 23-01-01 16:22 GMT (#17)
    (Utilizador Info) http://www.ruido-visual.pt/
    >O significado disto e' que o Gago anda a ir a >Paris demasiadas vezes...

    Errado. O que isto quer dizer é: "enquanto pudemos gastar o dinheiro dos outros (leia-se impostos) comó caraças, proprietário/licenciado/com suporto/Sun/Microsoft/e outros "amigalhaços" é que era bom; agora que temos um buraco orçamental e temos de cortar despesas, pera aí que isto do open source dá jeito (leia-se é barato) e ainda por cima dá pinta de moderno e há uns papalvos que acreditam (leia-se: dá votos)"

    Cumprimentos

    Mario Valente
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por js em 24-01-01 4:12 GMT (#39)
    (Utilizador Info)
    Uau! Presença de espírito R Us! Assino tudinho por baixo!
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por mazevedo em 25-01-01 2:54 GMT (#46)
    (Utilizador Info) http://mazevedo.welcome.to
    >"[...] há uns papalvos que acreditam (leia-se: dá votos)"

    Com a mentalidade que têm muitos portugueses? Que o que é de graça é mau? Não, não acredito que vá por aí!

    É preciso é provar que com o OpenSource haverá maior controlo sobre o que efectivamente está a correr (leia-se: tem-se acesso ao código fonte!), costumização e criação de novos formatos abertos (que podem ser utilizados entre diversas instituições, etc...).
    ----
    //\anuel /|zevedo

    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por mlopes em 23-01-01 16:34 GMT (#21)
    (Utilizador Info)
    O software open-source em contrapartida muitas vezes incorre custos adicionais, e exige a existencia de alguem que conheca os sistemas e os mantenha

    E os sistemas fechados não precisam de quem os mantenha? Aonde é que aprendeste isso?


    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:3, Interessante)
    por Dehumanizer em 23-01-01 22:27 GMT (#36)
    (Utilizador Info)
    Se estás a comparar Linux (*BSD, etc.) com soluções proprietárias Microsoft, então não há nada a dizer. Quando muito estas podem fazer sentido para o "luser" típico que usa o computador (apesar de o detestar com todas as suas forças) para ler email e escrever faxes no Word. Para coisas "sérias", não me gozem.

    Quanto à Sun, aí o que dizes já faz algum sentido, mas a experiência que tenho é contrária. Onde é que já se viu um sistema (Solaris 2.7 em Sparc) rebootar só por se fazer um kill ao inetd?

    Aceito que um Solaris bem configurado aguenta anos sem manutenção (excepto por hardware avariado), mas o que não aceito é que aguente mais que um Free/OpenBSD, ou até um Linux que não seja Red Hat / Mandrake / Corel. Não é o que o que tenho visto me diz.

    Nota-se que percebes destas coisas (não és daqueles tipo "se não é da MS não é bom"). Até penso que se já usasse Unix desde os anos 80, e fosse uns anos mais velho, provavelmente também seria assim.

    Se lês o User Friendly (www.userfriendly.org), há uns tempos apareceu lá um tipo chamado Sid Dabster, daqueles engenheiros dos "bons velhos tempos", que descreve o Linux como "a watered-down version of a real Unix". Outras particularidades dele eram gostar de editar código imprimindo-o e usando uma caneta vermelha, em vez de usar um editor directamente. Também tinha uma colecção de cartões perfurados.

    Remind you of someone? :)

    Como dizia o Pitr: "All our servers are running Linux. Smooth as vodka."


    "Nada é tão grande que não possa ser comido." - Garfield
    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por js em 24-01-01 4:24 GMT (#40)
    (Utilizador Info)

    França?

    França é a pátria do chauvinismo e, se calhar por isso mesmo, é um país que leva muito a sério o Interesse Nacional (Françês, claro). Quando é preciso, até fazem mais uns testes nucleares contra a berraria ecologeira que andava inocentemente a fazer o serviço dos Amigos Americanos (que prepararam as simulações mais cedo e por isso puderam fazer figura de bonzinhos abandonando os testes e, claro, pressionando para que todos os abandonassem, qu'o qu'a malta curte é monopolizar tecnologia). Neste caso, o Interesse Nacional (Francês) é precisamente evitar que o know-how associado a tecnologia estratégica crítica (informática) fique completamente em mãos de empresas americanas. E por acaso até é um Interesse que ultrapassa a França. Se os portugas aprenderem alguma coisa aqui, é bom. Vivam as viagens a Paris.

    E abaixo os Franceses, cambada de chauvinistas... :-)

    Re:O que isto quer dizer. (Pontos:1)
    por raxx7 em 25-01-01 15:44 GMT (#47)
    (Utilizador Info)
    Na verdade, não é preciso ires tão longe, porque antes de poderes ter suporte é preciso que o software exista. E quem é está com vontade de escrever software administrativo para o governo português? (sim, as necessidades de certas pessoas passam para além da programação, net, cd-r, jogos e um bocadinho de office de vez em quando) E não nos esqueçamos do tempo que isso ia levar a atingir uma estabilidade aceitável. Até porque, duvido que existisse muita gente ai disposta a fazer de beta-tester para software governamental.
    O open source depende do voluntariado - quem faz programas em opensource fá-lo por ego ou necessidade, imho. É natural que uma entidade que não pode estar à espera que disso esteja disposta a pagar pelo software.

    Remember to be the Killer, not the Victim! (Nuklear Girl)
    Concordo (Pontos:1)
    por MavicX em 23-01-01 16:31 GMT (#20)
    (Utilizador Info)
    Concordo perfeitamente com o que disses-te, neste momento o software open source não tem ainda a estabilidade nem efeciençia de um software proprietário e nunca terá em certos nichos de mercado (devido as suas caracteristicas e tamanho do mercado). Mas se falarmos em software genéricos ( So's, offices suites, base dados )não vejo por que razão o open source não ultrapassará o software proprietário. Ainda estamos um bocado longe mas é preciso haver uma aposta no seu desenvolvimento e assistencia.
    Re:Concordo (Pontos:1)
    por MavicX em 23-01-01 16:35 GMT (#22)
    (Utilizador Info)
    hummm este post era para ter ficado como resposta ao do Leitão
    Re:Concordo (Pontos:1)
    por mlopes em 23-01-01 16:38 GMT (#23)
    (Utilizador Info)
    Neste momento o que menos aconselho a utilizar em linux, a nivel empresarial claro, são qq das office suites existentes, no restante software é que não tenho tido motivos de queixa nem da estabilidade, nem da eficiência.
    Vejamos uma coisa (Pontos:1)
    por hashCode em 23-01-01 16:45 GMT (#24)
    (Utilizador Info)
    Em primeiro lugar concordo com a implementação do Open-Source em todos os departamentos estatais. Pelo menos existiria uma considerável redução de custos em todos os departamentos do estado.

    No final do ano passado, o Sr. Primeiro Ministro também oficializou a Flate Rate, e nessa altura veio logo a PT a público a informar que em Dezembro estaria implementada e que imediatamente seria colocada à disposição a famosa ADSL :

    A ADSL como todos sabemos, será ou para pessoas que têm um grande poder de compra ou para pequenas e médias empresas, porque para o cibernauta normal ela está a anos de luz por ser excessivamente cara em comparação com os preços praticados nos outros países. A Flate Rate ainda não foi implementada e até foi colocado um produto da PT que é um ultraje a todos os seus utentes e uma publicidade enganosa.

    Temos então muitas promessas e muito pouco realizado.

    Será que desta vez é para acreditarmos ou será uma pura ilusão do Sr Ministro?

    Eu acredito não em promessas mas em certezas, tipo ver para crêr.

    Ou já como diz o Zé Maria: Não há condições...


    And of the sky it was done shines and of the light she made sun. The sun heated up the day and everything that surrounded turned him her life!

    Re:Vejamos uma coisa (Pontos:2)
    por leitao em 23-01-01 17:57 GMT (#29)
    (Utilizador Info)
    >Em primeiro lugar concordo com a implementação do Open-Source em todos os departamentos estatais.
    >Pelo menos existiria uma considerável redução de custos em todos os departamentos do estado.

        Em que e' que te baseias ao dizer que havia uma reducao de custos ? E' que o custo do software normalmente e' a componente mais pequena num sistema de IT.

        As coisas como custo de pessoal, servico perdido por falhas, tempo de manutencao, etc nao contam ?

        Nao estou a dizer que o Open-Source nao pude-se reduzir parcialmente o custo, mas acho que estas a focar num ponto que na realidade nao e' tao importante como isso.


    -- "Why waste negative entropy on comments, when you could use the same entropy to create bugs instead?" -- Steve Elias
    Re:Vejamos uma coisa (Pontos:1)
    por hashCode em 23-01-01 19:09 GMT (#32)
    (Utilizador Info)
    "Em que e' que te baseias ao dizer que havia uma reducao de custos ? E' que o custo do software normalmente e' a componente mais pequena num sistema de IT."

    Vejamos uma coisa:

    Quanto custa por ano as licenças da Microsft?

    Eu não digo o custo delas próprias mas sim o custo dos problemas técnicos, das perdas de informação, dos vírus anti-microsoft, de tudo.

    O linux/unix não é um software imune a erros mas é sem dúvida mais seguro desde que seja bem administrado.Quanto ao seu preço, sejamos realistas!

    Bem mais barato!

    Tenta ver nesta direcção: o império Microsoft instalou-se em Portugal, com o lado bom, sem dúvida mas também com um lado muito mau.

    Os milhares de contos que já se pagaram pelas milhares de licenças que os vários departamentos estatais usam neste momento, podiam ser poupados.

    Eu luto contra um império que usa e abusa das licenças e não posso permitir estar a pagar por um produto que deveria dar-me segurança e que afinal é práticamente o contrário!

    Eu não posso permitir que uma só empresa tenha o exclusivo total de utilização de software em quase 80% das empresas nacionais. Então? Nós somos Portugal ou Microsoft?

    Vejam só o acordo com a TVCabo, o exclusivo que conseguiram e os milhares de contos que irão receber?

    Mas estou muito mais contra as falsas promessas de Ministros que dizem que vão fazer e depois não fazem. E se isto é para este governo, é para todos os outros que por lá passaram!

    Todos prometem...prometem...prometem...mas cumprir...NADA.


    And of the sky it was done shines and of the light she made sun. The sun heated up the day and everything that surrounded turned him her life!

    Quanto custa por ano as licenças da Microsft? (Pontos:1)
    por MavicX em 24-01-01 12:06 GMT (#43)
    (Utilizador Info)
    Devem custar muito no curto prazo mas no longo prazo não interessa, 80 % dos custos são de manutenção e assistencia técnica é isso que as pessoas tendem a esquecer, e de certeza absoluta que os sistemas unix alem de precisarem de pessoal mais qualificado para fazer essa assistencia logo mais caro, não se encontram aos pontapés como o pessoal que faz assistencia aos produtos microsoft.

    Quanto ao Linux e open source o software é gratuito mas depois é que são elas embora haja muitos chicos espertos que pensam que percebem algo, e há muitas empresas pequenas que já dão suporte técnico ao linux, não é a mesma coisa do que telefonar para a Microsoft ou à Sun ou IBM, em que se sabe á partida que tem conhecimento e pessoal altamente especializado para resolver uma situação eficazmente e rapidamente, porque tempo é dinheiro. Essa qualidade de suporte paga-se e para algumas empresas não tem solução se não pagar.

    Re:Quanto custa por ano as licenças da Microsft? (Pontos:1)
    por js em 25-01-01 1:20 GMT (#45)
    (Utilizador Info)

    "[...] no longo prazo [...] 80 % dos custos são de manutenção e assistencia técnica é isso que as pessoas tendem a esquecer, e de certeza absoluta que os sistemas unix alem de precisarem de pessoal mais qualificado para fazer essa assistencia logo mais caro, não se encontram aos pontapés como o pessoal que faz assistencia aos produtos microsoft."

    Encontra-se pessoal que faz assistência a produtos Microsoft ao pontapé? Esse pessoal que se encontra ao pontapé também faz assitência ao pontapé... Gente a fazer assistência com cuidado e competência é difícil de encontrar para qualquer coisa. Os produtos Microsoft não são diferentes nisso.

    "Quanto ao Linux e open source o software é gratuito mas depois é que são elas embora haja muitos chicos espertos que pensam que percebem algo, e há muitas empresas pequenas que já dão suporte técnico ao linux, não é a mesma coisa do que telefonar para a Microsoft ou à Sun ou IBM, em que se sabe á partida que tem conhecimento e pessoal altamente especializado para resolver uma situação eficazmente e rapidamente, porque tempo é dinheiro. Essa qualidade de suporte paga-se e para algumas empresas não tem solução se não pagar"

    De acordo: os custos mais importantes não são de licenças e afins; são de tempos de espera, de coisas que não funcionam ou até que estragam trabalho. Isso levanta a questão da fiabilidade. Acontece que, exactamente, o modelo de desenvolvimento de produtos de software fechado produz software menos fiável. A informação sobre os problemas não circula com tanta facilidade, o sistema é artificialmente complexificado para proteger a propriedade (para ser mais difícil de decifrar) -- o que gera uns bugs adicionais, etc.. Respondo no mesmo tom: O que importa nos sistemas open source não é o software ser gratuito. O que importa é que a source do software não está trancada no cofre de nenhuma empresa. Isso permite fazer "configurações" não previstas pelos autores (martela-se uma variável no código e compila-se) -- coisa que também vale para a correcção de bugs --, e permite outra coisa muito mais importante do ponto de vista estratégico, nacional e europeu:

    Quando eu pago uma licença à Microsoft que inclui suporte técnico, estou a pagar o desenvolvimento de competência da Microsoft; quando eu pago a uma empresa local (nacional ou europeia) para dar suporte técnico a um sistema open source, estou a fomentar o desenvolvimento de competência local, nacional ou europeia.

    Se há formas positivas de o Estado intervir para fomentar o desenvolvimento de competências, esta é uma. Não é essa palermice de dar subsídios para alimentar notícias de jornal. É privilegiar a aquisição de serviços técnicos concretos a entidades locais (por oposição a alimentar amorfamente os drenos de dinheiro que os titãs americanos instalaram em todo o mundo). Fomenta-se o desenvolvimento de competência tecnológica nacional e europeia, não dando peixes, mas dando razões para a malta arranjar mais canas de pesca.

    É aqui que entram as empresas de OpenSource (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 23-01-01 17:19 GMT (#25)
    >O software open-source em contrapartida muitas
    >vezes incorre custos adicionais, e exige a
    >existencia de alguem que conheca os sistemas e
    >os mantenha -- e' que se o servico for abaixo
    >nao da' para ligar ao tipo que o vendeu para vir
    >arranjar É aqui que as empresas de OpenSource teram de entrar a dar suporte...
    Portugues e o Finantial Times (Pontos:2)
    por Gimp em 23-01-01 21:28 GMT (#35)
    (Utilizador Info)
    Respondes-te????? Disses-te????????Aiiiiii!!!Cada calinada meu Deus!!!! Esta treta do Gago tem a ver com o que passou na TVI(passe a publicidade) acerco dos mecos que receberam um premio por usarem pcs velhos com linux?(esta historia foi-me contada por um colega)
    zZZzzZZ

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]