gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
O PÚBLICO e o Linux
Contribuído por Xmal em 26-12-00 19:57
do departamento um-pequeno-país-à-beira-mar-plantado
News Gamito escreve "Já de há muito que percebi que a secção de Computadores das segunda-feiras no PÚBLICO vale aquilo que (não) vale. Mas a última bate todos os records. Só duas pérolas, que transcrevo com a devida vénia:
"Num claro sinal dos tempos difíceis para as empresas do Linux, a Corel anunciou a venda (...)"
"A Corel (...) tendo não só uma versão do sistema operativo com interface gráfica (...) como versões para Linux dos seus pacotes WordPerfect e CorelDraw."
O resto, pode ser lido aqui.
Comentários para quê?
A propósito: que a terra seja leve ao Corel Linux e que nunca mais se ouça falar dele são os meus votos Linuxianos para 2001. "

[Xmal: Hoje ao ler o Público tambem tive igual (des)prazer com a referida notícia.]

Linus nomeado Europeu do Ano | PHP 4.0.4  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • aqui
  • Gamito
  • Mais acerca News
  • Também por Xmal
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    jornais e revistas (Pontos:1)
    por BlueNote em 26-12-00 23:13 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Nesse capítulo, estou muito desiludido com o 'público'. Tal como na generalidade das revistas, e ao contrário do que aconteceu no resto do jornal, em vez de um projecto de informação sério grassa o "jornalismo" a soldo, verdadeira propaganda às empresas noticiadas e a transcrição acéfala de telexs de agência. O suplemento "computadores" é a nódoa de um jornal que tem primado, embora com alguns deslizes, pela seriedade e independência da informação.
    Re:jornais e revistas (Pontos:2)
    por Gamito em 26-12-00 23:18 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Viva!

    Sem dúvida nenhuma de que o suplemento Computadores do PÚBLICO é a nódoa no melhor pano.

    Cumprimentos,
    Mário Gamito
    Ha uma verdade no meia de toda esta barbaridade!!! (Pontos:1)
    por monge em 27-12-00 1:09 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://go.to/monk
    A meu ver, e pelo que tenho lido ai pela net e revistas da especialidade, estao mesmo a ser tempo dificeis para as empresas de Linux...
    O "open source" esta a levantar alguns problemas, que se reflectem mais nas empresas responsaveis pelo "empacotamento" de distribuicoes de Linux. Isto acontece, a meu ver, por se querer ganhar dinheiro com uma coisa que nao foi pensada para esse efeito.
    Como consequencias naturais, penso que talvez nos proximos anos vamos assistir a um decrescimo da popularidade do Linux, mas ao mesmo tempo, penso que vai voltar para a mao de quem o concebeu (programadores, power-users, etc.).
    Se isso sera bom ou mau para o Linux, so o tempo o dira... So sei que eu, vou continuar a usa-lo!

    PS - podemos especular e dizer que esta venda da distribuicao de Linux da Corel, teve um empurraozito da Microsoft (que pos la uns trocaditos... 135 milhoes, neh?). Mas, e' pura especulacao... =)


    It doesn't matter who made it... It matters who got the idea (monk)
    Já pensaram nas causas ?!?! (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 27-12-00 2:32 GMT (#4)
    Isso de generalizar a sitiação de uma empresa para todo um sector não é lá muito correcto. Será que quem escreveu aquilo sabe o que é ou já usou linux?

    Não é estar a querer discutir méritos ou deméritos das distribuições mas a qualidade do Corel Linux não era a melhor.

    É natural que uma empresa que vende uma distribuição que quer tornar o linux numa coisa "Windows-like" não tenha sucesso a vender num mercado que não quer essas coisas... mas isto é só uma opinião.

    Re:Já pensaram nas causas?! -E TU? Ja' pensaste?!? (Pontos:1)
    por monge em 27-12-00 20:34 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://go.to/monk
    E' assim... se te estavas a referir a mim:

    Ja' eu usava e abusava do Linux, ainda tu brincavas com carrinhos...
    O que eu relatei foram coisas que li de pessoas (que para alem de perceberem de Linux, percebem tambem, e sobretudo, do mundo dos negocios!) que escreveram o que pensavam, dando casos concretos...

    O caso da Corel, nao e' e nem sera' o ultimo!!! (senao, le alguns comentarios abaixo, de pessoas que tambem concordam comigo - por exemplo, o caso da REDHAT, que aqui ha uns tempos despediu 500 pessoas! - deve ser porque esta' a crescer... :P ).

    Por isso, antes de comecares a disparates coisas sem sentido, informa-te um pouco antes, sobre o que se passa "in the real world" (porque foi o que eu fiz...).

    Cumprimentos e sem ressentimentos,
    Luis Monge.

    P.S. - E' obvio que eu sou completamente a favor do Linux e acredito na sua continuidade e crescimento... so' nao acredito e' que seja da maneira que assistimos hoje...

    It doesn't matter who made it... It matters who got the idea (monk)
    same story again... (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 27-12-00 10:43 GMT (#5)
    A Corel ja' nao anda famosa 'a algum tempo... e quem nao se lembra daquela bela investida no Java... e tentativa de criar o Wordperfect Suite em Java?? para depois o abandonar por completo. Parece que desta vez fizerem o mesmo com o Linux... Caso nao tenham reparado... a Redhat fechou recentemente os seus escritorios em SanFrancisco e noutra cidade americana (nao me lembro qual)...
    Re:same story again... (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 27-12-00 11:37 GMT (#6)
    Ao que sei a RedHat fechou escritórios devido às várias aquisições que efectuou, o que provocou um excesso de pessoal... Isto é, pelo menos, a versão oficial da RedHat.. Se é verdade ou não, isso já é outra história!
    outros quotes (Pontos:1)
    por zaroastra em 27-12-00 14:04 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    "A Corel era uma das mais destacadas empresas do movimento do "software" de Open Source"
    Sim, por acaso sempre que pensava em linux pensava logo em corel!
    "E a venda do Linux é uma opção que poderá permitir-nos voltar aos lucros"
    Pois. Provavelmente desde que entrou dinheiro na corel da microsoft, houve uma ligeira alteração da politica. A M$ sempre deixou bem claro qual era a sua posicao em relacao a lucros. tudo para eles.

    Não posso deixar de sentir alguma pena, por esta "desaposta" da corel no linux. Eles lá sabem.

    Pergunto eu aos leitores: por acaso esta atitude da corel, bem investigada, não daria para mais um processo contra a microsoft por monopolio? pois a mim cheira-me mais a uma tentativa de cortar as asas a concorrencia.


    Re:outros quotes (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 27-12-00 20:32 GMT (#8)
    hum... a mim cheira-me que as empresas lá terão que realizar uns tostões. Ou então como serão suportadas?
    Re:outros quotes (Pontos:1)
    por jmce em 28-12-00 11:57 GMT (#10)
    (Utilizador Info)
    Ao contrario do software livre em geral, uma empresa "normal" e' um alvo bastante mais "tipico" e facil de atacar pela MS, pelo que nao admira o "ataque" por mais este lado. Parece que a historia mostra que estas injeccoes de dinheiro da Microsoft sao basicamente letais para as empresas "auxiliadas" ou compradas. O envolvimento da Corel com o Linux podia ser interessante para a difusao deste, mas o golpe esta' longe de ser fatal para ele... Ja' para os produtos classicos e exclusivos da Corel o futuro pode nao ser brilhante. Suponho que em certos meios (um exemplo muito citado e' o do Word Perfect para os profissionais ligados a Direito nos EUA) o software da Corel ainda e' um concorrente firme de alguns produtos MS. Nao me admiraria nada se o Office da Corel fosse agora "abarcado"...

    Mesmo nao se tratando de software livre, sera' triste ver a morte de mais um concorrente. A diminuicao da diversidade associada a estas grandes concentracoes globais parece ir desde as especies de trigo cultivadas ate' ao software.
    Como no Ford T, podemos escolher a "cor" que queremos, desde que seja o "preto" que meia duzia de empresas multinacionais nos quiser dar. Triste.
    Re:outros quotes (Pontos:2)
    por Gamito em 28-12-00 14:54 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Já agora, só um bitaite:
    Aqui há dois anos, comprei uma licença de estudante do WordPerfect (para windows), que ficou aí por uns 8 contitos, se tanto.
    Não fica nada a dever ao MS Office, bem pelo contrário.
    O que levará, por exemplo as empresas a gastarem rios de dinheiro em MS Office?

    O argumento da "compatibilidade doc" não vale.

    Cumprimentos,
    Mário Gamito
    Re:outros quotes (Pontos:1)
    por Dehumanizer em 28-12-00 15:32 GMT (#13)
    (Utilizador Info)
    Sheep mentality. Só isso.

    "então você não vê que toda a gente usa o MS Office???"

    :(

    "Nada é tão grande que não possa ser comido." - Garfield
    E não será verdade? (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 28-12-00 14:56 GMT (#12)
    Sejamos realistas. O Windows não é adequado para correr do lado do servidor; o Linux não é adequado para correr do lado do cliente. As empresas que tentaram o contrário na generalidade, estão-se a dar mal. A Id Software mostra-se arrependida de ter lançado uma versão comercial do último Quake para Linux, não só por as vendas terem sido decepcionantes como por o suporte técnico ter sido um autêntico pesadelo. A Adobe voltou atrás na sua intenção de lançar o FrameMaker para Linux, porque constatou a sua inviabilidade. A Corel é simplesmente mais uma empresa a verificar que o Linux ainda não está preparado para trabalhar do lado do cliente, pois esta foi claramente a sua aposta.

    Além do mais, o suplemento Computadores não é mau. Talvez foque a área da informática demasiado ao nível empresarial, mas há que sublinhar que foi lá que ouvi pela primeira vez falar em Linux, isto para aí há meia-dúzia de anos, e note-se que se trata de um sistema operativo com pouco mais de 8 anos, e que só muito recentemente se tornou popular.

    Re:E não será verdade? (Pontos:1)
    por Dehumanizer em 28-12-00 15:43 GMT (#14)
    (Utilizador Info)
    "o Linux não é adequado para correr do lado do cliente."

    Compreendo as razões que te levam a dizer isso, mas não concordo. A única vantagem que o Windows tem em relação a uma distro de Linux "das fáceis" (tipo Mandrake) é a habituação - o Windows é parecido com o que a pessoa usa há anos, o KDE / Gnome+Sawfish / whatever não é. Um utilizador não técnico (ou seja, mais de 95% das pessoas que usam um computador) tem HORROR a ter de aprender coisas novas.

    Ainda mantenho que um KDE 2.0 pré-configurado (como numa distro normal) é tão ou mais fácil de usar do que um Windows, para uma pessoa (que, admito, serem raras) que nunca tenha visto um Windows à frente. Um Windows não é NADA intuitivo para alguém que use exclusivamente Macs há anos.
    E vice versa ("o quê, para a disquete sair tenho de arrastar o ícone dela para o lixo? mas isso não a apaga?")

    A única altura em que realmente vejo "limitações" no Linux (ou outro Unix) é quando se trata de jogos. Não, o Quake não me chega. :)


    "Nada é tão grande que não possa ser comido." - Garfield
    Re:E não será verdade? (Pontos:2)
    por Gamito em 28-12-00 17:39 GMT (#15)
    (Utilizador Info)
    "Um Windows não é NADA intuitivo para alguém que use exclusivamente Macs há anos."

    Bem que o podes dizer.
    Trabalho num Departamento de uma Universidade, onde para além do Linux nos servidores, só há Windows e Macs nas secretárias dos professores, serviços administrativos e estudantes.
    Por força das minhas funções, na altura, lá tive que começar a dar umas clicadelas nos Macs (Samba oblige) e podem crer que a utilizabilidade de um Mac deixa a anos luz a do Windows.

    Um utilizador Mac não percebe porque é que no Windows para se copiar um programa de uma máquina para outra, ou para outro disco, não basta fazer um drag and drop.
    E também não percebe porque é que não pode fazer uma cópia simples de um disco para outro para replicar um sistema completo.

    Já agora outra (esta relacionada com o Linux):
    Enquanto para se configurar uma máquina Windows para "ver" o Samba se tem que fazer uma data de cliques, meter o IP do servidor (Samba) do WINS e mais um ou dois reboots, no Mac, aparece-te imediatamente o nome da máquina Linux e é só fazeres um drag and drop para o Desktop para lá ficares com as pastas dos shares.
    No Windows fazes o mesmo (chama-se pomposamente mapear as shares como drives), só que aqui, mais uma vez são precisos mais uns quantos cliques :)

    Windows... (puah!)

    Cumprimentos,
    Mário Gamito
    Mac, Windows & Linux (Pontos:1)
    por blackTiger em 30-12-00 9:46 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Conclusão: o Mac é facilidade de utilização, o Linux é potência e o Windows é uma tentativa frustrada de obter os dois ;)
    Re:Mac, Windows & Linux (Pontos:1)
    por Dehumanizer em 31-12-00 2:00 GMT (#17)
    (Utilizador Info)
    Eu vejo as coisas assim (atenção: isto é a minha opinião pessoal! Não quero ofender ninguém!!!):

    - o Mac é facilidade de utilização à custa de versatilidade (a frase mais vezes dita pela Apple é "nenhum utilizador normal alguma vez vai querer fazer isto, logo nós não deixamos";

    - O Linux / Unix é tudo o que se quiser. Desde uma facilidade tipo Corel Linux ou Mandrake, até uma potência tipo Debian ou FreeBSD (que distro de Linux estranha... :) ), é realmente tudo o que a gente quer. Claro que a maior parte das pessoas já conhece o Windows, e DETESTA aprender coisas novas...

    - O Windows está a pouco e pouco a melhorar tanto em usabilidade (experimentem usar o Windows 2000 por umas semanas e depois o NT 4 durante um dia... e vejam se são capazes!) como em "potência" (continua lento, instável e inseguro, mas os PCs cada vez mais rápidos "disfarçam" o primeiro, o segundo vai melhorando, mas ainda está anos-luz atrás de um Unix, e o terceiro... bom, service packs para aqui, service packs para ali...), mas... bem, só tem sucesso porque já teve sucesso antes. É um ciclo vicioso. :)

    "Nada é tão grande que não possa ser comido." - Garfield

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]