gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
PROCERGS lança produto baseado em Software Livre
Contribuído por scorpio em 05-09-00 8:40
do departamento .br-na-comdex-2000
Notícias Patricia Pessi escreve "Governo do RS lança produto e evento com Software Livre na COMDEX 2000.
Nesta quarta-feira, 23, o Governo do Estado do Rio Grande do Sul lançou na COMDEX 2000 em São Paulo o II Fórum Internacional de Software Livre e lançou o Direto, uma solução de correio eletrônico e agenda baseado em softwares livres desenvolvido pela PROCERGS - Cia. de Processamento de Dados do Estado do RS.

Durante o evento, conduzido pelo diretor-presidente da PROCERGS, Marcos Mazoni, também foi realizada a entrega oficial do Direto à comunidade brasileira do software livre, representada pelo Comitê de Incentivo à Produção do Software Gratuito e Alternativo (CIPSGA).
Estiveram presentes no lançamento o presidente da Conectiva, Sandro Henrique Nunes, o diretor-executivo do CIPSGA, Ricardo Alexandre Caetano e os coordenadores do sub-comitê de São Paulo, Eduardo Maçan, Rubens Queiroz e Marcelo Malheiros. Representando o governador do estado do Rio Grande do Sul esteve presente o secretário de Ciência e Tecnologia, Adão Villa Verde e a Prefeitura de Porto Alegre o diretor da PROCEMPA, Rogério Santanna dos Santos. Os empresários de informática do Estado foram representados por Antônio Antonioni, da SOFTSUL.

Direto - Comunicação Objetiva

Projeto pioneiro no Brasil, o Direto começou a ser desenvolvido a partir da necessidade de obter a melhor relação custo/benefício na implantação de uma nova solução de correio eletrônico, agenda e catálogo para as secretarias e órgãos do Governo do Estado Rio Grande do Sul . Com a utilização de soluções abertas disponibilizadas pela comunidade de softwares livres, o único custo de desenvolvimento para o governo foi com recursos humanos. Outra vantagem do Direto é a de tornar o Estado independente de um único fornecedor.

Conforme Marcos Mazoni, diretor-presidente da PROCERGS, as soluções utilizadas atualmente já não suprem a demanda do Estado. O Direto, que possui uma interface gráfica que facilita o trabalho do usuário, é baseado em padrões abertos de comunicação e tem funções equivalentes as de outros softwares encontrados no mercado. A opção pelo uso de código-fonte aberto feita pelo governo foi desenvolvida pela PROCERGS, que desde o ano passado constituiu um grupo de trabalho específico já vinculado ao Projeto Software Livre RS.

Este produto está sendo implantado na PROCERGS e em outros órgãos da administração direta e indireta do Governo do Estado onde existe a infra-estrutura necessária para o seu funcionamento. Utilizando protocolos TCP/IP, o Direto pode ser implantado em redes locais, mas também está acessível pela Internet. A expectativa é grande: ?o Direto irá proporcionar uma maior flexibilidade para adaptação do software para a especificidade de cada secretaria, órgão ou empresa?, garante Mazoni. A PROCERGS também prestará consultoria às empresas privadas e entidades interessadas nesta solução.

Evento reuniu mais de duas mil pessoas este ano

O II Fórum Internacional de Software Livre que está programado para maio do próximo ano em Porto Alegre reunirá nomes expressivos da área. Na primeira edição do Fórum, realizada em maio deste ano em Porto Alegre, o governo do estado teve como parceiros universidades do Estado e dezenas de entidades públicas e privadas. Mais de dois mil participantes compareceram ao evento que, entre outras autoridades no assunto, contou com a presença de Richard Stallman, presidente da Free Software Foundation.

Projeto Software Livre RS

O Projeto Software Livre RS reúne e promove diversas iniciativas na área buscando incentivar o estudo, a pesquisa e a divulgação do tema, além do desenvolvimento de soluções na área. Entre elas está a montagem de uma rede de laboratórios com o objetivo de pesquisar o mercado de programas ?free?, cadastrá-los e torná-los disponíveis para os interessados. A PROCERGS já possui um, localizado no seu Centro de Treinamento em Porto Alegre.

Na área de formação de pessoal, o Projeto irá propor um currículo mínimo abrangendo questões de suporte na área de software livre a ser elaborado em conjunto com universidades e sociedade. O Software Livre RS prevê também a criação de um conselho editorial visando a publicação de material técnico com baixo custo. "

Linux 2.2.17 is out | PLUG recebe Debian Developers em Aveiro  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Patricia Pessi
  • Mais acerca Notícias
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    cool! (Pontos:1)
    por BlueNote em 05-09-00 16:42 GMT (#1)
    (Utilizador Info)
    Nisto tudo, só há uma coisa que me irrita, se o Brasil, que, sem ofensa, é um gigantesco país do terceiro mundo (embora com potencial suficiente para ser um país ultra-desenvolvido, mas com uma distribuição de riqueza tão gravemente injusta que o torna terceiro-mundista, o que é uma tragédia), tem uma administração pública com o bom-senso suficiente para investir no open-source, de que é que Portugal está à espera?? Que anda o Mariano Gago a fazer??? E o secretário de estado da Reforma Admnistrativa???
    Porque a América do Sul está a aderir ao Linux (Pontos:1)
    por jneves em 05-09-00 18:36 GMT (#2)
    (Utilizador Info)
    Para quem não saiba, a Business Software Alliance de que fazem parte várias empresas, incluindo a Microsoft, conseguiu através de acções de lobbying convencer vários países da América do Sul a criar leis anti-pirataria.

    Não é nada de novo, uma vez que o mesmo aconteceu à alguns anos atrás em Portugal, sendo a Assoft a versão local da BSA. A diferença está nas penas (se não me engano em El Salvador a pirataria informática dá entre 3 a 5 anos de cadeia), e o facto de haver uma alternativa mais barata: Linux.

    Quem está feliz da vida é a Conectiva que tem a maior distribuição da América do Sul, e está a ter um grande crescimento, segundo fui informado, especialmente devido a instituições estatais (dos vários países afectados).

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]