gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Testes Linux, *BSD, Solaris
Contribuído por scorpio em 25-07-00 14:40
do departamento benchmarking,-once-again
News No nosso colega original, li um artigo sobre Benchmarking. Foram efectuados testes com Free/Net/OpenBSD, Linux e Solaris.
Os autores destes testes esforçaram-se por ser o mais claros possível, mas aparentemente terá havido favorecimentos em alguns pormenores... Mas, deixo a vosso critério julgar os testes pelo que estes são: apenas mais uns testes.

Domínio Total? | Borland/Imprise liberta código fonte de Interbase  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Linux
  • gildot
  • colega original
  • artigo sobre Benchmarking
  • Mais acerca News
  • Também por scorpio
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Discos IDE sem DMA (Pontos:3, Esclarecedor)
    por su- em 25-07-00 15:36 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://projecto-oasis.cx:81/~su-
    Mas também ja se chegou à conclusão que o Linux ficou tão mal classificado, porque o disco IDE não estava configurado em modo DMA.

    Para activar o DMA é necessário correr:
    /bin/hdparm -c1 -d1 -m16 /dev/hda

    Que costuma fazer subir a taxa de transferencia de dados do disco, de aprox. 3Mb/s para 18Mbs ou mais (nos discos antigos é natural que se atinjam taxas mais baixas, de 7 a 10 Mb/s).

    Este "hdparm" activa o acesso a 32 bits, DMA e multi-block mode, para agrupar as oprerações de leitura e escrita em blocos de 16 sectores.

    Para medir a performance do disco, pode ser usado o comando "hdparm -t /dev/hda".

    O kernel de Linux não costuma activar o modo DMA e o acesso a 32 bits, por defeito, porque existem alguns discos antigos e alguns controladores com bugs, que podem provocar corrupção de dados.

    Contudo, no caso do sistema usado para fazer esta benchmark, parece que foi usado um chipset VIA que ainda não é bem suportado pelo kernel e só funciona bem em modo DMA se for aplicado um patch ao kernel, que ainda é considerado BETA.

    Se os testes tivessem sido feitos com o driver dos discos IDE bem configurado no Linux, certamente que os resultados teriam sido muito parecidos em qualquer dos sistemas operativos.

    Re:Discos IDE sem DMA (Pontos:1, Esclarecedor)
    por su- em 25-07-00 15:38 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://projecto-oasis.cx:81/~su-
    Nao era /bin mas sim /sbin.

    /sbin/hdparm -c1 -d1 -m16 /dev/hda

    Re:Discos IDE sem DMA (Pontos:2, Esclarecedor)
    por jmce em 25-07-00 19:04 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    /usr/sbin/hdparm para os debianistas :)

    Esta' no PATH da root, de qualquer forma...

    Ja' agora: parece necessario algum cuidado suplementar com o uso do hdparm em laptops; ha' tempos fiz uns testes num Toshiba e apos fazer ajustes as coisas podiam correr mal depois de uma suspensao (apesar de tudo funcionar bem ate' a fazer), dependendo dos parametros (infelizmente nao me lembro quais...).
    Re:Discos IDE sem DMA em laptops (Pontos:1)
    por vaf em 26-07-00 14:31 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    Eu tenho um Toshiba Satellite 4070CDS, e não tive quaisquer problemas. Não me lembro qual era o resultado do hdparm -t /dev/hda (não estou em Linux, agora).

    É (acho) de salientar que este portátil porta-se muito bem em Linux. A APM funciona na perfeição, consigo fazer com que quando a consola se apaga o ecran também se apague. O som funciona (com OSS e com os drivers ALSA), o modem interno funciona apesar de ser um winmodem, PCMCIA funciona sem piscar, e o IrDA ainda não testei, mas acho que o chipset é suportado.
    A placa gráfica é que não tem grande suporte, mas conseguem-se 800x600x8. Acho que como agora o XFree 4.0 tem um server separado para as Tridents, talvez seja melhor suportada. A ver vamos.

    Cumprimentos,

    Vasco Figueira
    Re:Discos IDE sem DMA (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 27-07-00 10:40 GMT (#5)
    Pois... mas é por essa mesma razao que instalamos linux num 486x e ele nao "rebenta", ou seja o linux ainda previligia o que de pior/antigo existe no mercado, vindo portanto o seu kernel configurado por default, nao para o maior desempanho, mas sim para a maior estabilidade.Quem andar na ponta da tecnologia que se documente, que é o que normalmente acontece
    Ja agora, para aqueles que têm problemas com "hdparm -c1 -d1 m16 /dev/hda" e têm a certeza que possuem um bus de 32 bits, tentem "-c3" (é melhor nao discutir-mos paths ;)

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]