gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Infracção grosseira dos direitos de autor.
Contribuído por chbm em 09-05-00 14:12
do departamento googleogle
Internet Cloaked escreve "A Digito publica hoje um artigo que indica que uma empresa portuguesa infringiu grosseiramente os direitos de autor do conhecido motor de busca google.com, pondo em serviço o google.pt A empresa em questão (Comunicus) já tinha sido noticiada por ter varios domínios registados em: página O artigo da digito pode ser encontado em: página "

Legislar a Internet em Portugal, pra quando? | Suspeito do ILOVEYOU libertado  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • página
  • página
  • Mais acerca Internet
  • Também por chbm
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Infringimento (Pontos:2, Engraçado)
    por Anonimo Cobarde em 09-05-00 14:42 GMT (#1)
    Infringimento não é uma infracção das regras da lingua portuguesa?
    Re:Infringimento (Pontos:2)
    por chbm em 09-05-00 15:05 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    Ops! já está corrigido. obrigado
    Primário (Pontos:2, Interessante)
    por Xmal em 09-05-00 15:04 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://gsd.di.uminho.pt/cbm
    Aproveitamento Grosseiro é o termo. Nunca vi um abuso tão primário. É igual à front-page do Google com uma opção por omissão diferente na linguagem.

    Os meus parabéns, por tanta criatividade e sentido de negócio.

    Advogados da Google: que o pato seja tenrinho... (Pontos:4, Engraçado)
    por jmce em 09-05-00 16:08 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://artenumerica.com/

    Há uns dias, por acidente, fui parar ao www.google.pt e até julguei que a Google andasse a registar domínios pelo mundo fora... mas se tivesse olhado para a source HTML talvez tivesse desconfiado: até para remendar aquela cópia usaram FrontPage. A Comunicus nem sequer se digna a usar servidores próprios (dá muito trabalho...). E, claro, "oferecem" serviços de email de terceiros. Tudo etiquetado com "Google". Perante isto, vender roupa com etiquetas falsificadas parece um delito menor (ao menos alguém teve de FAZER a roupa). Com tantos advogados americanos ocupados em causas patetas, aqui está um bom pato bravo para ferrarem os dentes...

    Veremos o que acontece a Francisco de Novaes e o seu amazon.pt, (ver o http://www.amazon.pt/, "indisponível temporariamente") a Milenar com o ebay.pt, novamente a Comunicus com o yahoo.pt, ... Será que compraram estes domínios para fazer serviços nada relacionados com os .com originais (como "Amadora Zone", "Ebora Ayuntamiento" ou "Yet Another Horoscope Outsourcing Office")?

    Alguém fez mais algum achamento de um potencial infringimento?

    Re:Advogados da Google: que o pato seja tenrinho.. (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 09-05-00 18:03 GMT (#5)
    Que eu saiba os americanos da Google esqueceram-se de registar a marca em Portugal e na União Europeia e em termos internacionais. Eles (os portugueses) já registaram essa marca, incluindo eles já utilizam, pelo menos, 1 ano. E na própria Europa existem outros sites independentes da Google.com.
    Re:Advogados da Google: que o pato seja tenrinho.. (Pontos:2)
    por jmce em 10-05-00 0:19 GMT (#11)
    (Utilizador Info) http://artenumerica.com/
    O problema nao e' tanto a marca, se ela nao fosse usada assim. Ficaria chocado se a Google viesse chatear uma gelataria chamada Google, por exemplo, que tivesse um pinguim como logotipo e um sitio www.google.pt com catalogo e receitas de gelados.

    Mas a Comunicus esta' a usar a mesma marca no mesmo contexto com o mesmo grafismo, um disfarce descarado de aprovacao pela Google original. Se isto e' estritamente legal ou nao, nao me atrevo a dizer... mas que e' nauseante, e'.

    Re:Advogados da Google: que o pato seja tenrinho.. (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 10-05-00 0:46 GMT (#13)
    Ok. Mas ainda a legislação americana não se aplica a Portugal. Graças a Deus...!Eles não são os únicos. Veja-se o caso de matrix.pt (marca registada do filme nos States) e a Sonae pimba! Incluindo o Gildot que preteja os seus direitos. Nunca se sabe...E depois são obrigados a mandar o site a «baixo».
    Re:Advogados da Google: que o pato seja tenrinho.. (Pontos:2, Interessante)
    por js em 10-05-00 2:38 GMT (#14)
    (Utilizador Info)

    Vamos lá ver se nos entendemos. Os senhores do google.com têm um pesquisador que funciona há uns largos meses. Durante esse tempo fizeram trabalho de divulgação do nome "google", investiram esforço em criar serviços e promovê-los, desenvolveram software, instalaram equipamentos, contrataram pessoal e, last but not least, construiram a sua base de dados interna que é a alma do pesquisador.

    Perante esta situação, aparece uma empreendedora e dinâmica empresa portuguesa que regista o nome "google" debaixo do domínio "pt". Porquê? Para alojar um serviço de informações sobre óculos? Não, nada disso. Parece que a razão verdadeira é que, graças ao trabalho desenvolvido pelos senhores da Google, o nome "google" associado a um pesquisador passou a ser valiosor. Está assim dado o primeiro passo numa trilha bem perigosa: Alguém, valendo-se da forma como se faz a atribuição de nomes de domínios na hierarquia .pt, se apropriou do domínio google.pt, aparentemente apenas porque o trabalho de terceiros tornou esse nome valioso.

    A coisa tem todo o ar de ser completamente premeditada, planeada e deliberada. Mas claro que não sou um investigador de posse de todos os dados, portanto tenho que deixar uma porta claramente aberta ao factor acaso: Pode ser que tudo seja um enorme acumular de coincidências e que, ao contrário do que parece, não haja qualquer má-fé. Se assim é, cá estamos para ouvir a interessante explicação.

    Agora entro no perigoso campo da especulação pura: Que coisa pode fazer uma empresa portuguesa com o nome google.pt? Não sei. Muita coisa. Por exemplo, a Google tem um programa de parcerias, e mesmo uma filosofia de distribuição geográfica do trabalho do pesquisador, portanto até é natural que uma empresa interessada naquela actividade tente fazer um acordo comercial com a Google. Até aqui tudo bem. E se a empresa tratar de começar por se apropriar do domínio google.pt? Ah!, então adquire uma carta negocial importante. E proventura usa-a para tentar conseguir melhores condições no acordo comercial que queira fazer. E a Google, compreensivelmente, pode olhar para esta situação, sentir-se ignominiosamente chantageada e mandar a empresa passear. É claro que se trata de um cenário completamente inventado. A única coisa que se sabe, das palavras da empresa portuguesa, é que

    ''Ainda oficialmente não foi estabelecida uma parceria (com a Google.com), no entanto houve contactos''

    Tudo o mais que acima escrevi é, como comecei por referir, especulação pura. No entanto seria realmente positivo conhecer a verdade dos factos.

    Prosseguindo: Então a empresa portuguesa, dinâmica e empreendedora, apercebeu-se da "oportunidade de negócio" e registou o domínio, e fez também contactos para establecer uma parceria com a Google legítima (contactos esses que não deram em nada, pelo que para todos os efeitos de estabelecimento efectivo de uma parceria é como se não tivessem existido). Pois sim. Mesmo que alguém possa considerar a coisa moralmente questionável, há que reconhecer que até aqui nada há de especialmente invulgar.

    Mas há mais.

    Na sua senda gloriosa, a dinâmica e empreendedora empresa portuguesa dá o último, mais dinâmico e mais empreendedor de todos os passos. Sem parceria (ou seja, sem consentimento da Google), constrói uma página onde imita descaradamente o grafismo da Google original e legítima e utiliza ostensivamente os recursos do pesquisador da Google, concretamente anunciando um serviço de pesquisa e realizando-o usando a máquina, CPU, nome, base de dados e largura de banda de terceiros sem sua autorização!!!. Isso está claramente escrito no HTML da página deles: A pesquisa é feita com a instrução

    <form action="http://www.google.com/search" method="get" name="f">

    como se pode ver aqui: http://www.google.pt/google.html.

    No meu planeta, isto chama-se roubo.

    Que acontece a seguir? A Google, evidentemente lesada, reage, e a dinâmica e empreendedora empresa nacional responde assim (citação retirada de http://www.digito.pt/tecnolog ia/noticias/tec2327.html):

    ''não existe nenhuma marca Google nacional, internacional ou comunitária. Bem pelo contrário. Os direitos são nossos, já devidamente registados com todas as prioridades legais. Sabemos que eles tem intenções de entrar no espaço comunitário. Estamos muito atentos e iremos processá-los, se eles entrarem no espaço comunitário''

    Ou seja, a empresa dinâmica e empreendedora deseja assegurar o seu saque usando recursos legais da União Europeia e, quicá, apelando a uma qualquer espécie distorcida de "patriotismo".

    Há algum limite para a falta de vergonha na cara?

    Os dados são escassos. A única coisa clara e indesmentível é a publicação da página já citada, http://www.google.pt/google.html, que abusa ostensivamente dos recursos de terceiros. E por isso mesmo não me espanta que esta espalhafatosa prova de furto desapareça em menos de nada (razão pela qual tratei que guardar uma cópiazinha pessoal e cifrada, caso alguém um dia precise de uma testemunha num tribunal).

    Apenas faço votos para que não doam as mãos a quem aplicar a devida Justiça. Para que não haja razão para nos dizerem que aqui reina a balda. Para que não haja qualquer razão para ter vergonha de ser Português.

    google.pt -> google.com (Pontos:2)
    por chbm em 09-05-00 18:23 GMT (#6)
    (Utilizador Info) http://chbm.nu/
    Se alguém reparar no html do www.google.pt nota que, além de ter sido feito com o FrontPage2.0, o form de procura aponta para o www.google.com. Duvido que funcione durante muito mais tempo ... a menos que o pessoal do google não consiga limitar o acesso por referer.

    Curiosamente o mail do Google PORTUGUÊS (email.google.pt) está em amaricano e está hospedado numa coisa chamada above.net :)
    dot.pt - A saga continua (Pontos:1)
    por shandar em 09-05-00 19:13 GMT (#7)
    (Utilizador Info)
    É engraçado como apesar de todas a burocracias existentes para registar um dominio .pt se encontram dominios de marcas conhecidas registados por pessoas que nada têm a ver com as mesmas marcas...
    Re:dot.pt - A saga continua (Pontos:1, Interessante)
    por Anonimo Cobarde em 09-05-00 20:06 GMT (#8)
    E procura-se procura-se pelo dep. Jose Magalhaes, pelo prof. Pedro Veiga e pelo min. Mariano Gago, que garantiam um melhor .pt quando o tomaram de assalto, e nem ve-los. Cumprimentos -- Mario Valente
    MARCA REGISTADA (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 09-05-00 21:21 GMT (#9)
    Atenção pessoal. Parece que eles registaram a marca. A google.com não vai "cheirar" nada. Vejam o caso do ZDNET.PT (www.zdnet.pt). Existe a marca americana(zdnet.com) e a marca portuguesa (zdnet.pt). Comprendido pessoal.
    Re:MARCA REGISTADA (Pontos:2, Informativo)
    por Karlus em 10-05-00 8:55 GMT (#15)
    (Utilizador Info)
    Mas nao te equecas que no caso da Zdnet é tudo feito de acordo com os americanos. Zdnet.pt = FBento que por sua vez tem a PcMagazine e afins que por sua vez são da Ziff Davis que por sua vez é a dona da Zdnet.com.
    Ou seja... the keyword here is "parcerias".
    Sugestão de protesto :-) (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 09-05-00 23:55 GMT (#10)
    $ ab -n 10000 -c 30 "http://www.google.pt/voces-deviam-ter-vergonha-na-cara/aproveitadores/falta-de-originalid ade/falta-de-capacidade-tecnica/exterco-portugues/"

    ab = Apache Benchmark
    google.pt != google.com ??? (Pontos:2, Interessante)
    por asoares em 10-05-00 0:45 GMT (#12)
    (Utilizador Info)
    Ao que chegou a esperteza saloia de algumas brilhantes mentes portuguesas.
    Passei agora pela digito e vi a noticia.
    Não sei se já lá estava antes mas, por incrivel que pareça há uma afirmação atribuida aos responsáveis da Comunicus que transcrevo na integra (espero que não haja problemas por isso :P):
    "não existe nenhuma marca Google nacional, internacional ou comunitária. Bem pelo contrário. Os direitos são nossos, já devidamente registados com todas as prioridades legais. Sabemos que eles tem intenções de entrar no espaço comunitário. Estamos muito atentos e iremos processá-los, se eles entrarem no espaço comunitário"

    Ou seja, os maus da fita aqui são os criadores do motor de busca original (que ainda por cima é usado pelo google.pt - aparentemente sem permissão pois citanto novamente a digito Ainda oficialmente não foi estabelecida uma parceria (com a Google.com), no entanto houve contactos) pois serão processados se entrarem no espaço comunitário!!!

    Agora pergunto eu: será que estes senhores não podem ser processados por usar um serviço para o qual não têm autorização? Ao que sei a tabela de preços da google.com vai dos US$0 aos US$1999 para 4milhões de queries/ano (info aqui). Ou pelo menos por usarem um gif exactamente IGUAL ao da google.com se exceptuarmos duas letras acima do "e" - sm.

    Assim se faz a sociedade de informação que os nossos ministros tanto gostam de falar. Assim se trabalha com os banners como dizem os outros dois na publicidade. Assim vai este país à beira mar plantado.

    PS: Aparentemente o gildot (ou mais alguem) já está a fazer estragos: No Netscape 4.72 (em Windows) o google.pt é um imenso mar em branco. No IE, lá aparece o referido site, mas sem referencias ao Frontpage ou qualquer outro PAGE_GENERATOR!!!

    -- António Soares
    Ladrões de domínios (Pontos:1)
    por shakazulu em 11-05-00 1:13 GMT (#16)
    (Utilizador Info)
    Além de copiarem,roubam e a FCNN deixa passar,devia de existir uma lei que limitasse o uso de domínios de marcas lançadas no mercado nacional e internacional. Isto é caso para a PJ,governo...a nossa honra e bom nome está em cheque por estes ladrões de domínios. Desculpem-me os meus termos mas estou mesmo furioso.
    Shaka it´s my name and www my swet home

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]