gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Ilegal impedir ser espionado nos states ?
Contribuído por chbm em 07-04-00 14:02
do departamento land-of-the-free
News Segundo este artigo da Wired o Digital Millennium Copyright Act torna ilegal desligar as "features" de espionagem/invasão de privacidade que o software possa trazer. Curiosamente não obriga os vendedores a listarem de forma bem visivel todas essas "features".

Até que ponto os rumores serão verdade? | IOL.pt transmite jogo de Futebol  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Wired
  • artigo da Wired
  • Mais acerca News
  • Também por chbm
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    O futuro não tem copyright (Pontos:4, Interessante)
    por vaf em 07-04-00 15:37 GMT (#1)
    (Utilizador Info) http://students.fct.unl.pt/users/vaf12086/
    Este artigo toca num ponto importante: a mentalidade do copyright. Quantas vezes eu não me pasmo por ver um copyright, ou melhor uma licença reservada em coisas completamente absurdas. Por exemplo, no meu livro de Física (excelente livro, por sinal, Alonso & Finn, Física. McGraw-Hill) há uma fotografia de um páraquedista (a propósito do equilíbrio de forças). Essa fotografia está carregada de copyrights, de direitos reservados, blá blá, etc, etc...
    Há necessidade? O que é que a dita insituição académica que detém o copyright ganha com isso? Nada. Simplesmente perde-se mais uma 'liberdadezinha' que só beneficia a educação.

    Como este exemplo há muitos mais, se calhar este nem é o melhor, mas cada vez mais certas restrições de propriedade intelectual parecem(-me) ridículas.

    No programa da Margarida Marante, outro dia (eu não vi, a minha mãe é que me contou) estavam uns jovens a discutir (o futuro, as coisas, o mundo, sei lá... whatever). Um dos pontos em que eles tocaram foi justamente o da perda de sentido do conceito de autoria. Quem é que, hoje em dia, pode dizer que criou uma coisa do início? *Quase* ninguém, ou ninguém mesmo. O conhecimento está tão desenvolvido que tudo o que se faça já parte de muitas coisas. Supondo que (para não sair da área da informatica) eu construía um computador novo e um sistema operativo para ele. Tinha feito algo de novo, sem dúvida, mas algo que fosse completamente original? Certamente que não, por muito mais que tentasse.

    É neste sentido também que as licenças restritivas de propriedade intelectual são hoje cada vez mais absurdas. Por exemplo: a patente da Amazon. O que é que aquilo tem de original? NADA!!
    mas contudo os senhores de lá andam todos felizes ($$$) e contentes com a sua nova invenção. Pois, que eles são uns génios e o que eles fizeram foi completamente original! Claro!

    Vão dar banho ao cão.

    Se não existisse a internet, será que aqueles senhores teria aquela """invenção"""(com muitas aspas)? Não.

    O que muita gente não percebe é que é impossível proibir a informação. O recente caso do deCSS (polémica do DVD) foi uma grande prova disso. Uns senhores que pensavam que mandavam na internet (se calhar ainda pensam), começaram a tentar proibir certos sites de referenciar outros com o tal algoritmo da discórdia. Resultado: milhões (sim milhões) de pessoas começaram a pôr links nos seus sites para fazer ver aqueles senhores que o futuro não é a preto e branco, é livre.

    O próprio caso do DVD e do algoritmo de 'desmisturação' de dados (data de-scrambling) é um exemplo daqueles que, se tudo correr bem, estaremos a ler nos livros de história dos próximos 30 anos:
    "Os primeiros passos da liberdade da informação". Na realidade o que o jovem finlandês (era finlandês não era?) fez, não fere nenhum autor, não retira incentivos à produção, pelo contrário.

    A internet e os computadores favorecem a cópia. É preciso que as pessoas (que mandam) percebam isto. Não vale a pena remar contra a maré neste ponto, pois não sairão vencedores, mas sim muito prejudicados. Todos.

    Os peritos em fazer isso são aqueles senhores que eu descrevi dentro do que consegui, numa tentativa de fazer ver o quão errado aquele que pensa ser o mais certo pode estar. Os senhores do direito.

    O direito está orientado execessivamente num lógica de propriedade individual, para o individualismo. A nossa sociedade ocidental até hoje desde pelo menos a revolução industrial, esteve orientada ao individualismo. Enquanto outras, por exemplo a Índia, se orientam mais pelo colectivismo. Em que não são as pessoas que valem sozinhas, mas sim os grupos, as famílias.

    Se o individualismo tem vantagens (tem?) também terá desvantagens. Necessariamente. O individualismo leva à isolação, ao orgulho exacerbado, ao exibicionismo, e a outros 'males'. É justamente daqui que nasce a tal sede de patentes.

    O homem tende para o saber. É preciso que se perceba isto e que se o incentive. É preciso que não se coloque entraves à divulgação do saber, da ciência e da tecnologia, que dela vem mais conhecimento.

    A sabedoria, isso já é outra coisa.

    Não vejo um futuro onde tenhamos os movimentos controlados, onde tudo o que nós consultamos seja monitorizado para verificar se não tem um copyright que impeça de usar seja para que for. A internet, os computadores e a mentalidade que começa a surgir por entre esta aldeia global (chamemos-lhe geração GNU/livre/open/whatever) não se coadunam com a lógica de direito individualista, individualizante e restritiva e elitista que já por demasiado tempo imperou nas nossas sociedades. É tempo de mudar.

    É nesta área que eu sinto que aquela frase épica que se vê em filmes de facto assenta que nem uma luva e sente-se o seu significado:

    Fight for freedom!

    (desculpem ser em inglês)


    Re:O futuro não tem copyright (Pontos:1)
    por Dehumanizer em 08-04-00 0:31 GMT (#3)
    (Utilizador Info)
    Excelente comentário. Só não vejo o individualismo como tu o vês - acho que vês individualismo como "egoísmo" ou "egocentrismo". Para mim, individualismo é acreditar no indivíduo. É também o não nos vermos como meras "estatísticas". E é ainda o não termos medo de ser diferentes, e de ir contra a tendência da sociedade.
    "Nada é tão grande que não possa ser comido."
    "O café só está bom quando a colher flutua." - Garfield
    Re:O futuro não tem copyright (Pontos:1)
    por c0smic duSt em 08-04-00 3:15 GMT (#4)
    (Utilizador Info) http://soon.techcorp.org
    hehe
    andas a divagar...
    mas gostei do comentario.

    c0smic duSt
    Unsolved: Just Break The law! (Pontos:0)
    por Anonimo Cobarde em 07-04-00 20:45 GMT (#2)
    Se a lei nao protege a sociedade, a sociedade protege-se: Just break the law!

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]