gildot

Topo
Sobre
FAQ
Tópicos
Autores
Preferências
Artigos
Sondagens
Propor artigo


8/3
gildicas
9/30
jobs
10/9
perguntas
10/25
press

 
Software grátis != Software livre!
Contribuído por BladeRunner em 02-04-04 20:39
do departamento dos-esclarecimentos
News blacksheep escreve "É comum, embora incorrecto, chamar-se software grátis ao software livre, devido ao facto da palavra inglesa 'free' ser ambígua.
No entanto, foi com tremendo espanto que vi pela primeira vez alguém a chamar software livre a software grátis, mas fechado. Pois é, amigos, no programa Tech.pt, o apresentador apresentou o tugzip como sendo software livre. E ainda acrescentou que é uma alternativa ao Winzip e ao WinRar (que também são fechados!). Depois, um "perito em software livre" anunciou um anti-vírus "livre" (no sentido de grátis). No final do programa ficou prometido que em todas as emissões seriam demonstrados "softwares livres".
Há muitas confusões com todos estes termos: software livre, open source, fechado, freeware, shareware, sistema aberto... Por isso, parece-me que o gíldot é o local ideal para desfazer tais equívocos.
Embora não percebendo muito da coisa, vou tentar explicar alguns termos (agradeço que me corrijam e/ou acrescentem mais termos):"
(atenção q há software que pode pertencer a mais do que um grupo) o Open source - software cujo código pode ser modificado e/ou redistribuído. Por vezes, há uma(s) identidade(s) que poderá ter algum controlo sobre esse código, tal como, a utilização do mesmo para software com outra licença.

o Software livre - o código fonte pode ser modificado e/ou redistribuído livremente.
Algumas licenças (como a GPL e a LGPL), exigem que qualquer alteração do código, seja publicado sob a mesma licença.

o Software fechado - o código fonte não é fornecido.

o Freeware - software fechado, mas distributível.

o Shareware - software fechado distributível, usado para fins de demonstração. Não contém todas as características da versão completa ou pode ser apenas possível de ser utilizado sob restrições, tal como tempo limite.

o Sistema aberto - independentemente de disponibilizar o código fonte ou não, os formatos, protocolos e APIs usadas são fornecidas.

o Domínio público - não tem qualquer licença e o autor descarta-se dos direitos de autor. É se livre de fazer tudo o que se quiser, inclusive a mudança para uma licença de código fechado.


O autor de um dado código, independentemente da licença (com excepção do caso do domínio público), tem direitos sobre o mesmo, podendo mudar a licença do mesmo à sua livre vontade. Para além, de ter direitos de autor sobre a concepção do programa.

O software livre, embora distribuível, não significa que esteja livre de custos. Por exemplo, pelo empacotamento e implementação do mesmo.

Como última nota, aconselho vivamente a qualquer programador que leia a licença para a qual escreve o seu software.

Abusadores: como controlar? | Descoberta a ligação entre comunismo e opensource  >

 

gildot Login
Login:

Password:

Referências
  • Tech.pt
  • tugzip
  • Winzip
  • WinRar
  • Mais acerca News
  • Também por BladeRunner
  • Esta discussão foi arquivada. Não se pode acrescentar nenhum comentário.
    Também fiquei aborrecido!! (Pontos:3, Interessante)
    por Init em 02-04-04 21:22 GMT (#1)
    (Utilizador Info)

    Por acaso também vi esse programa, e fiquei chateado com os as barbaridades repetidas constantemente, infelizmente não econtrei nenhuma forma de contactar alguém responsavel pelo programa, porque o site da SIC, não fornece essa informação...

    É triste ver este tipo de desinformação.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    re:tambem fiquei aborrecido!! (Pontos:0)
    por Thing em 02-04-04 22:15 GMT (#4)
    (Utilizador Info)
    o proprio programa e uma pocaria! e portugues... diz tudo, e o apresentador... da raiva, pior que ele so aquele (que nem o nome sei) que apresenta o concurso dos milionarios na ertepeum (radio televisao portuguesa um). e muito importante relembrar que falar de software aberto\livre\gratis e totalmente difrente de sistemas microsoft para sistemas gnu\linux, quero dizer, cada utilizador de um dos sistemas tem conceitos difrentes (nao fosse o sistema base fechado\comercial face a outro aberto\gratis), visto que o programa da pocaria (tech.pt) e mais para pessoas que tem muito dinheiro e gastam em pocaria... nao me ademira o que o dito apresentador disse
    thing
    Leituras (Pontos:2, Informativo)
    por tca em 02-04-04 21:31 GMT (#2)
    (Utilizador Info) http://alf1.cii.fc.ul.pt/~charters
    Algumas links para leituras sob o tópico Free as in Freedom:

    http://www.gnu.org
    http://www.gnu.org/licenses/
    http://www.gnu.org/licenses/license-l ist.html
    http://www.fsfeurope.org/
    http://www.ansol.org/
    UNESCO Free Software Portal


    "For if a thing is not diminished by being shared with others, it is not rightly owned if it is only owned and not shared.", 397 Ag
    Tech.pt (Pontos:1, Redundante)
    por [Cliff] em 02-04-04 21:36 GMT (#3)
    (Utilizador Info) http://www.yimports.com
    hmmm parece-me que o RaTao tem de dar umas dicas àquele gajo ;)

    ---
    Conformity is the jailer of freedom and the enemy of growth.
    --John F. Kennedy
    hmm? (Pontos:1)
    por nectarine em 03-04-04 0:30 GMT (#5)
    (Utilizador Info)
    O meu conceito de software livre pode ser diferente do conceito de software livre da FSS/GNU.
    Se eu quizer chamar software livre ao meu software mesmo não obedecendo aos critérios da GNU vão-me dizer que estou a utilizar mal uma expressão? Geezz... Não me digam agora que vou perder a minha freedom de utilizar a palavra free só porque um gadelhudo se lembrou de criar um monopólio na área da liberdade ;)
    Re:hmm? (Pontos:2)
    por Cyclops em 03-04-04 1:37 GMT (#6)
    (Utilizador Info)
    Se eu quizer chamar software livre ao meu software mesmo não obedecendo aos critérios da GNU vão-me dizer que estou a utilizar mal uma expressão?
    O Iraque também era uma democracia, o Sadam Hussein foi eleito por uma marginalmente total unanimidade.

    És livre de chamar o que quiseres ao que quiseres, inclusivé de chamar de força electromagnética à força gravítica. Não quer dizer é que alguém te ligue :)

    Para além disso, a FSF não tem nenhum monopólio na área da liberdade, até porque se foca principalmente no subconjunto relacionado com software. Para além disso, há muitas mais licenças de Software Livre, e muito poucas tiveram algum dedo da FSF embora as licenças criadas por esta, que simbolizam o Software Livre pela forma como são esmagadoramente utilizadas, se esforcem para que as liberdades por si promovidas e defendidas sejam para todos e que ninguém as possa remover a ninguém.
    Re:hmm? (Pontos:2)
    por Init em 03-04-04 11:35 GMT (#7)
    (Utilizador Info)

    Deves ser daqueles que diz erradamente que para a FSF, só o Software Livre com Copyleft é que é Software Livre. Nada mais errado!

    Para a FSF TODO, o software cuja licença tenha as 4 Liberdades é uma licença de Software Livre. Para a FSF isso é o minimo de liberdade que deve de haver no Software e inclui licenças como a BSD.
    No entanto para a FSF não chega que o software seja Software Livre, para além disso tem que garantir a liberdade. Embora isso não faça com que a FSF considere que o software que apenas tem as 4 liberdades não seja Software Livre, é Software Livre, apenas de outro tipo.

    Se para ti a defenição de Software Livre, não é o software cuja licença tem as 4 liberdades então é o quê?


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:hmm? (Pontos:1)
    por nectarine em 03-04-04 18:11 GMT (#10)
    (Utilizador Info)
    Então e se para os tipos do BSD esses 4 príncipios não forem os suficientes. Poderá esse software continuar a chamar-se livre?
    Re:hmm? (Pontos:2)
    por Init em 04-04-04 10:13 GMT (#13)
    (Utilizador Info)

    Claro que sim! Software Livre define o software cuja licença garanta essas 4 liberdades, se tivér mais não deixa de ser livre... É isso que a FSF faz. Estes 4 principios é a liberdade minima aceitavel.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)
    Re:hmm? (Pontos:2)
    por André Simões em 03-04-04 14:47 GMT (#9)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    Já agora, se me apetecer chamar azul esverdeado ao meu cachecol verde do Sporting posso, não é por um visconde qualquer ter decidido que era verde, nos inícios do século XX, que eu vou perder a minha liberdade de utilizar as palavras azul esverdeado.

    Também não percebo o que me impede de dizer que em Portugal se fala latim vulgar e não português, não me digam que lá por há séculos se chamar "português" eu vou perder a minha liberdade de utilizar as palavras latim vulgar, só porque uns linguistas barbudos quaisquer se lembraram de monopolizar a designação das línguas.

    Não entendo também que me impeçam de chamar comunista ao Paulo Portas, já que o meu conceito de comunismo pode ser diferente do conceito de comunismo do PP. Era só o que faltava que me fizessem perder a minha liberdade de utilizar a palavra comunismo, lá por uns tipos com barba e bigode terem criado um monopólio na área das nomenclaturas políticas.

    Mais a sério, não entendo francamente como se pode aplicar o adjectivo "livre" ao software querendo dizer que é "gratuito". É que os sentidos comuns desse adjectivo podem ser muitos, é verdade, mas nenhum é sinónimo de "gratuito". Utilizá-lo nesse sentido só revela pouco domínio da língua portuguesa corrente e/ou uma tradução literal não reflectida do inglês. Qualquer dia começam também a traduzir "eventualy" por "eventualmente", como de vez em quando se ouve / lê em traduções televisivas de 2ª categoria, criando frases sem qualquer sentido.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:hmm? (Pontos:1)
    por nectarine em 03-04-04 18:17 GMT (#11)
    (Utilizador Info)
    Mais a sério, não entendo francamente como se pode aplicar o adjectivo "livre" ao software querendo dizer que é "gratuito". É que os sentidos comuns desse adjectivo podem ser muitos, é verdade, mas nenhum é sinónimo de "gratuito". Utilizá-lo nesse sentido só revela pouco domínio da língua portuguesa corrente e/ou uma tradução literal não reflectida do inglês. Qualquer dia começam também a traduzir "eventualy" por "eventualmente", como de vez em quando se ouve / lê em traduções televisivas de 2ª categoria, criando frases sem qualquer sentido.

    Correcto, mas eu também não disse que software gratuito era software livre. Agora se eu axar que o meu software também é livre mesmo não cumprindo os 4 requisitos mínimos da FSS vai deixar de ser livre? E será que os que preferem a licença BSD acham o GPL livre? É que usar a palavra "livre" e prende-la a 4 requisitos mínimos ditados por uma fundação parece-me um bocado arriscado...

    Re:hmm? (Pontos:2)
    por André Simões em 03-04-04 18:28 GMT (#12)
    (Utilizador Info) http://andre.catus.net
    Não se pode é extrapolar até chegar ao software gratuito, como fez o Vitória e eu pensei que também estavas a fazer.

    ---
    Omnia aliena sunt: tempus tantum nostrum est. (Séneca)
    "Tudo nos é alheio: apenas o Tempo é nosso."

    Re:hmm? (Pontos:2)
    por Init em 04-04-04 10:20 GMT (#14)
    (Utilizador Info)

    As 4 liberdades, são os requesitos minimos para ser livre, é uma convenção, assim como também existe a defenição de Open Source Software, que também é uma convenção. As 4 liberdades são o requesito minimo para que haja liberdade, o que não quer dizer que a liberdade seja total apenas com essas 4 liberdades.
    A FSF é uma entidade sem fins lucrativos dedicada ao estudo e desenvolvimento e promoção de Software Livre e por isso parace-me perfeitamente idonea para defenir o conceito de Software Livre.

    Já agora porque é que também não defines a medida metro de uma forma diferente, e já agora todas as outras medidas, todo o dicionário. Para completar o teu isolamento do resto do planeta, podes sempre viver nesse teu mundo à parte, porque mais ninguém vai entender o que queres dizer.


    «They that give up liberty to obtain a little temporary safety, deserve neither liberty nor safety» Benjamim Franklin (1706-1790)

     

     

    [ Topo | Sugerir artigo | Artigos anteriores | Sondagens passadas | FAQ | Editores | Preferências | Contacto ]